Usado da semana

150.000 quilômetros com um Chevrolet Classic 2010 e suas manutenções

chevrolet-classic-2010-com-150.000-km (1)

Primeiro gostaria de dizer que sigo o site do NA desde o começo do ano de 2006. Venho aqui fazer um relato sobre o meu Chevrolet Classic, que comprei em 01/04/2010, e hoje venho contar sobre seus 150.000 km.

Adquirimos ele na concessionária da cidade de Formiga/MG, compramos ele praticamente básico, apenas com o kit direção hidráulica. Em 2010, também, mudamos para Varginha por motivos de trabalho, porém viajamos para Formiga todos os fins de semana para ficar com a família e com isso ele foi ganhando mais quilometragem, naturalmente.

Na primeira revisão, de 5.000 km, foi realizada a troca de óleo e feito um check list dos itens que são inspecionados. Logo depois de uns 90 dias, voltei para trocar o óleo com 10.000 km, e fui instruído a trocar o óleo de 10.000 em 10.000 quilômetros, pois o uso do meu carro era mais na estrada, usando-o muito pouco na cidade.

chevrolet-classic-2010-com-150.000-km (2)

E assim, foi, com o passar do tempo, resolvi não mais fazer as revisões na concessionária, pois, por ser um carro GM, seria um carro extremamente confiável. Logo decidi fazer uma revisão preventiva, como mandava no manual, trocando o que fosse necessário, em sua devida quilometragem. Aos 35.000 km, precisei trocar o primeiro jogo de pneus, feito sempre os rodízios conforme se pedia no manual.

Aos 60.000 km, foram trocadas, as velas de ignição, a correia dentada, a correia do alternador e a correia da direção hidráulica. Ao chegar aos 103.000 km, em uma viagem com a família para praia a correia da direção hidráulica se rompeu e arrebentou, acabei de chegar em uma cidadezinha, e o mecânico disse que não tinha as correias, mas eu havia guardado no porta malas as mesmas trocadas aos 60.000 km, e daí então, foi que tive as primeiras dores de cabeça com o carro.

Devido ao alternador do Chevrolet Classic 2010 VHCE não possuir regulagem, mesmo comprando correias genuínas GM, elas não duraram muito tempo e logo se rompiam, acertei uma vez com uma Contitech, e também com uma comprada na concessionária de Formiga, mas ela durou apenas 5 meses, acionado a garantia, foi colocada outra e resolvido o problema.

chevrolet-classic-2010-com-150.000-km (3)

Após uns 2 meses, com as trocas de combustível, a luz da injeção eletrônica acendia, mas não se sentia nenhuma anomalia no rendimento do carro, mas após rastrear o problema, foi trocada a sonda lambda e assim solucionado o problema.

Aos 125.000 km, foram trocados os 4 amortecedores, e os mesmos ainda estão em condições de uso.

No mais, é um carro que ainda não queimou nenhuma das lâmpadas, a embreagem ainda é a original, um carro confiável, com um funcionamento impecável, não baixa nenhuma gota de óleo, com o uso de etanol é um carro com um ótimo desempenho na estrada, mesmo com 4 ou 5 ocupantes e porta malas cheio, uma excelente estabilidade em curvas. Confio que o carro ainda está pronto para ainda mais uma jornada, do dobro ou o triplo de quilometragem em que hoje se encontra.

Espero ter passado para vocês um pouco da confiabilidade desse modelo, mesmo que seja um projeto ultrapassado, mas que atende demais ao meu uso e sei que é um carro pronto para qualquer hora.

Por Nilton Martins





  • Mateus

    Corsa e seus derivados são carros muito honestos, de mecânica extremamente simples, e aquilo, não quebra o que não tem.

    • ObservadorCWB

      É como um corolla….só que mais barato..kkkkkk esperando as pedradas dos fãs agora !!! kkkk

      • xyzR2

        É como um corolla era em 1996… kkkkk

    • Rodrigo

      Trocar velas aos 60 mil km????? Tinha vela ainda???? hahahhaa…… 150 mil km sem trocar cabo de vela???? Freio desse carro é muito bom também vem com pastilhas INFINITAS, discos infinitos, lona de freio infinita.

      Esse carro vem com muitas peças INFINITAS, muito legal.

      Acho que todo carro deveria vir de fabrica hackeado com peças INFINITAS.

      • Marcos Souza

        carro de estrada, o freio dura muito mais…ainda mais se o motorista não fica acelerando que nem um doido e freando quando tem carro na frente… é só soltar do acelerador antes de chegar perto de algum caminhão mais lento e deixar o carro ir desacelerando sozinho…
        peças dependem muito do motorista…se vc dirigir com cuidado, cuidando do carro, tudo dura mais…muito mais…

        • Rodrigo

          150 mil km e não fez nada no freio?
          Pelo amor de Deus amigo tenha bom senso.
          De qualquer forma cada um acredita no que quiser, tem gente que até hoje acha que o LULA LADRÃO não sabe de nada. Hahahahahha…….

          • Filipe Nunes

            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Filipe Nunes

            o autor fala o seguinte: “E assim, foi, com o passar do tempo, resolvi não mais fazer as revisões
            na concessionária, pois, por ser um carro GM, seria um carro
            extremamente confiável.”

            a turma tem essa idéia antiga de falar de GM, volks, etc. como carros confiáveis e não aceitam nenhum argumento contrário.
            É aquele negócio: “vou comprar um gol mesmo, pois é VW”. Ou, como também já ouvi: “golf é golf”

            é cada uma…

            • Rodrigo

              Quando o cara fala dessa forma do carro fica complicado é muito amor pelo carro.

            • Leandro

              Verdade, coitado de quem comprar esse usado, vai ouvir que nunca trocou discos e lonas dos freios por que é GM, não dá problema.

            • Ah, se eles soubessem o que já tive da GM! Tenho certeza que o ex proprietário do carro que comprei pensava assim! “Vamos remendar o carro com arame, pois sendo um Chevrolete ele irá resistir!

          • William B. da Silva

            “logo decidi fazer uma revisão preventiva, como mandava no manual, trocando o que fosse necessário, em sua devida quilometragem. Aos 35.000 km, precisei trocar o primeiro jogo de pneus, feito sempre os rodízios conforme se pedia no manual.” acho que você não leu essa parte

          • RyanSX

            Cara, ta escrito la em cima que ele fez a troca dos freios. Além do mais ele também fez referência ao manual trocando as peças conforme o manual, isso inclui os freios (ou somente pastilhas) também né, então pra que ficar a todo tempo citando troca de freio e de óleo. Tem que trocar o fluido de direção, de freio e da transmissão, mas que faz isso ou pelo menos verifica a cada 2 anos? ou o aditivo do sistema de arrefecimento a cada troca de óleo? deve ser só eu mesmo

            • Marcos Souza

              Eu não faço revisões na CSS, mas peço pra fazerem tudo que está no manual.

          • Marcos Souza

            Cara, a única coisa que eu vi no seu comentário 3 que VC não tem o.mínimo de argumentos. Vc disse por achismo e não citou nenhuma experiência própria ou que VC tenha conhecido. No meu caso, meu carro anterior eu troquei as pastilhas com 60milkm e elas ainda durariam uns 10mil segundo o mecânico, mas troquei por segurança. No carro que estou agora, com 50 mil o mecânico viu e disse que parecem que estão na metade da vida. Claro que vou checar nas próximas revisões, mas eu não duvido que se VC dirigir igual um “vovô” soltando o acelerador do carro ao invés de freiar, usando o freio motor e dirigindo com parcimônia, o freio e vários sistemas do carro duram mais.
            Não viu aquele americano que já passou não sei quantos milhões de km com o volvo p1800 dele? Ta no guiness! Não estou falando do freio, q esse já deve ter trocado, claro…mas ele cuida do carro de certa forma que as peças do carro duram muito mais. Leia uma entrevista com ele ou algo assim. E maneira no freio do seu carro. Não fica acelerando e freando a toa, que as peças não duram nada e quem está a volta fica achando que VC é mala.
            Abraços

            • Herbet Moreira

              No meu Linea T-jet eu troquei pastilhas e discos dianteiros com 88.000 km… as pastilhas de trás também, mas o disco ainda está lá. Fiz 125.000 km com ele semana passada. Velas eu optei pelas Denso, que tem vida útil estimada de 100.000km e são mais eficientes (e custam 4x mais). Teria valido a pena colocá-las no Classic… Até no Escort 97 do Meu sogro eu pus… Como eu ando mais de 90% de tempo na estrada o meu freio é o motor. Amortecedores? Só os traseiros eu troquei… Quanto faz seu Classic por litro? O melhor que já consegui foi 14,66Km/l qdo eu fui do Rio de Janeiro pro Rio Grande do Sul.

              • Nilton de Castro Martins

                Meu Classic dá em torno de 15,3 na gasolina e 12,1 no etanol

                • Herbet Moreira

                  Pelo peso e potência disponíveis não é um consumo tão baixo assim.

            • Minha esposa tinha um Polo Sedã até alguns meses atrás, carro que rodava muito em estrada (uma viagem por semana entre Goiânia e Brasília). Tinha uma percentual significativo também de uso urbano, até por isso fica um pouco aquém do que você relatou. Mas a primeira troca de pastilhas dele foi com 50 mil km. Os pneus do carro dela com 60 mil km ainda aguentariam mais uns 10 mil antes das marcas TWI.
              Um amigo meu (colega de trabalho) que tinha um Focus MK1 com uso predominantemente rodoviário trocou as pastilhas do dele pela primeira vez com 80 mil km.
              Portanto, assino embaixo: carro com muito uso rodoviário tem durabilidade de alguns componentes alongada ao extremo. Pneus e pastilhas estão entre esses componentes.

          • Marcos Souza

            Ah e outra coisa…não sai aí falando que as pessoas acreditam no lula, isso pra mim é ofensa. Acredite, eu odeio o pt muito mais do que VC!

            • Você está pedindo argumentos para a pessoa errada.. É o jeito dele… A ofensa, e quando você deixar ele no lugar dele, ele irá ficar pianinho, esperando esquecerem as besteiras que escreveu… E tudo vai se resumir no “Você é PTista”…

          • ALVIN_1982

            Estradeiro não usa freio com frequência, portanto, não precisa fazer o freio sem necessidade.

          • Markus

            Rodrigo, concordo contigo em alguns pontos. As velas e o fluido de freio devem ser trocados preventivamente com 30 mil km no caso desse Corsa.
            As pastilhas de freio podem durar até 100 mil km. Tive um Celta 2007 e troquei as pastilhas dianteiras com 93 mil km. As traseiras ainda estavam em bom estado!
            Esse quesito realmente depende do modo e local de condução.
            Correia sincronizadora (classica dentada) deve ser trocada com até 50 mil km e a correia do alternador até 80 mil km.
            Hoje tenho um Astra 2011 (o último ano) com 65 mil km. As pastilhas de freio são originais e devem durar mais 20 mil km. Já troquei correia sincronizadora, polia tensora e correia do alternador. Velas a cada 30 mil e filtros (combustivel, ar e ac condicionado) a cada 15 a 20 mil km.

          • Nilton de Castro Martins

            Os freios foram trocados aos 73 mil km, mas foi só desta vez, aí essas pastilhas já estão com 79 mil km

        • Felipe Bergamini

          O máximo que eu consegui rodar com um jogo de pastilhas no Corsa foi 64 mil KM, isso pq rodo bastante em trecho misto, se fosse só estrada, acho que passaria facilmente dos 100 mil km.

      • Roger Abdulack

        deveriam bloquear a criançada de comentar aqui

      • Nilton de Castro Martins

        As pastilhas de freios foram trocadas aos 73 mil km, e não são ´peças infinitas, as que são trocadas são as que são necessárias, agora os cabos de velas ainda são os originais ainda!!!

    • Pedro Cunha

      Com o básico de manutenção e sem abuso na utilização, chega nos 200 mil km com muita saúde.

      • Nilton de Castro Martins

        O Mecanico na Chevrolet me disse, que se continuar assim, posso chegar aos 300 mil km ainda sem problemas

  • Lucas Irrthum

    Que coincidência você ser de Formiga/MG. Toda a minha família é de lá, tenho vários tios e primos que ainda moram na cidade. Quanto ao Classic, apesar de toda a simplicidade, é um carro extremamente confiável. Vejo vários taxistas em BH rodando com Classic do mesmo que o seu. Eles dizem não trocar por nenhum outro.

    • Junoba

      O estranho mesmo é uma cidade se chamar Formiga.

      • Gabriel M. Vieira

        Antes Formiga do que “Rolândia”…. hehehehe :-p

        • Gustavobrtt

          Ou Analândia rsrs

        • Bruno Wendel Marcolino

          o que dizer de “ponta grossa”.

          (͡ ° ͜ʖ ͡ °)

          • Roger Abdulack

            eu sou de Ponta Grossa, quem gosta dos caras daqui são as mulheres de Campo Largo!! hahaha…

      • tulio

        Eu tb sou de formiga ! ..hehe.. que coincidencia!

        • Junoba

          Só que eu não sou !

        • Jose Junior

          Também sou de FORMIGA. Excelente cidade.

      • Lucas Irrthum

        Se tratando de Minas Gerais, várias cidades tem nomes estranhos.

      • ObservadorCWB

        Quem nasce em formiga o que é ?

        • Thiago Porto

          Tanajura! rs

          • Edson Fernandes

            Thiago, sei que não tem nada a ver… mas o seu Fiesta passou pelos problemas do cambio powershift?

            • Thiago Porto

              sim Edson, fiz um longo comentário na reportagem abaixo.
              http://www.noticiasautomotivas.com.br/proprietarios-reclamam-do-cambio-powershift-da-ford/

              PS: Já vendi o carro.

              • Edson Fernandes

                Vixi…. com 400 comentários… será dificil encontrar a sua…rs vou procurar no seu disqus.

              • Edson Fernandes

                Vi agora! Hummm trocou por um 208! Nesse carro sinceramente só falta atualizarem o cambio e quem sabe aproveitarem para colocar o ESP. Fazendo isso a Peugeot terá um produto muito mais interessante.
                É uma infelicidade os casos da Ford com o Powershift, tanto que escolheria facilmente o 208 devido a isso.

        • Bruno Wendel Marcolino

          Formiguense?

      • CharlesAle

        Ou morar em Formiga e não gostar de formiga rsrs..

  • André Maia

    Muito bom seu relato. Por isso as pessoas confiam nas quatro grandes. Mesmo não oferecendo grandes coisas você tem nas mãos um veículo confiável e durável.
    Edit. Eu pretendo fazer um relato dos 100.000 do meu gol. Agora ele está com 52k e troquei so pneus e pastilha.

    • Brasil_MG

      amigo, com quantos km vc trocou as pastilhas?

      • André Maia

        Com 35k e pneus com 50k.

        • Brasil_MG

          bacana..

        • Willy Augusto

          Um tanto quanto cedo…

          • André Maia

            Na Css já queriam trocar com 20k eu que não deixei :p Mas com 35K já tava no osso mesmo. Troquei, dei um passe nos discos e boa.

        • Marcelo Alves

          Eu acho que o Fox e o Polo usam pastilhas mais espessas que as que vem no Gol (mesmo aqueles Gols que já usam os discos de 256mm), porque as pastilhas do meu Polo do jeito que estão vão chegar a uns 60k e olha que eu não tenho dó de usar o freio…

          • Nossa, duram muito! As do meu Onix nunca duram mais que 20 mil km. E olha que eu sempre uso freio motor e dirijo de forma a evitar frenagens bruscas e/ou desnecessárias.

            • Marcelo Alves

              Bom, aí pode ser devido ao peso do carro e o tamanho dos discos/pastilhas, discos menores e pastilhas pequenas devem durar menos, tem a questão do tamanho do freio traseiro também (que pode ajudar a distribuir melhor a frenagem) e se o carro tiver ABS também há melhor aproveitamento do freio traseiro (carros sem ABS freiam muito na roda dianteira e pouco na roda traseira).

          • André Maia

            Eu não sei o que acontece, depois que eu troquei as pastilhas pela Fras-le já tem 20k e estão como novas, acho que essas vão durar mais e meu uso continua o mesmo.

            • automotivo

              as fras le freiam mais ….mas duram menos.

    • Leonardo C.

      Estou pensando em fazer um relato do Corsa Hatch 2008 daqui de casa, fiz 97.000 km ontem com ele, daqui uns 2 meses chegam os 100.000 sem dar uma dor de cabeça.

      • Vinício Villar

        Nem pensa, faça esse relato logo! Ao meu ver os relatos de carros muito rodados são os melhores, que é onde podemos ver como o carro realmente se comporta.

        • Leonardo C.

          Vou fazer sim, e tenho todos os gastos detalhados que tive com ele até hoje, em breve estará sendo postado.

          • Nilton de Castro Martins

            Vamos aguardar seu relato com ansiedade amigo, meu pai tem um Corsa sedam 2010, mas o dele tem apenas 44 mil km

      • Matthew

        Eu tenho um hatch 1.4 comprado usado. Logo de cara foi mais de 3 mil pra trocar os 4 pneus, amortecedores, uma homocinética arrombada, correia dentada e de acessórios, velas, cabo de velas. Ele tava com 61 mil quilômetros. Agora com 79 mil km tive que fazer o freio dianteiro inteiro (disco, pastilha e cavalete): 400 pau. É um carro pra bater mesmo.

  • Marcus Loureiro

    Em casa temos um Classic 2009 Flex apenas com Ar-Condicionado, mais nada. Eu não suporto dirigir esse carro, acho extremamente desconfortável, duro, posição de dirigir torta e ainda apertado. No quesito mecânica tenho que reconhecer que é bem durável, e além disso, tudo que precisou trocar foi muito barato.

  • João Cagnoni

    O câmbio automático dá trancos? Já teve problemas no farol automático ou sensor de chuva? Já bateu em rodovia?

    • Ele já deixou de ir a algum lugar por conta da ausência desses itens?
      Tem gente que esquece a função primordial de um carro…

      • Silva Jr.

        Meu avô, Pedro Cagone, também era assim reclamão, dizendo que esses carrinhos de plástico não deviam nem pegar estrada. Durante um chamado da natureza, correu ao banheiro, escorregou no piso e morreu…

        • Filipe Nunes

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • João Cagnoni

        Se é assim, vamos andar todos de Fiat 147. O cara ta puxando o saco de um Classic, mas não se esqueçam que é um carro de 40 mil reais!!

        • Isso não responde a pergunta. Ele deixou de ir a algum lugar por falta desses itens?
          E a pessoa poderia ter um Focus, não ter câmbio automático nem sensor de nada disso e nunca ter batido o carro. Nada disso que você citou é primordial para um carro. Se falasse de ar condicionado ainda até que vai…
          E você sabe contar? 35 mil não é 40 mil reais. Você aumentou o preço em mais de 10%.

        • E ele não está puxando o saco do Classic, está relatando a experiência com o carro que pode ser útil para muitas pessoas aqui. Não é para você? Isente-se de comentar então. E você se responsabilizaria pela manutenção e histórico de um carro de 35 mil que ele pudesse comprar com câmbio automático, sensores “fundamentais para o funcionamento do veículo” (Não sei como consigo dirigir sem o carro ligar o farol automaticamente para mim)? E para um carro ser bom e a pessoa escrever um relato ele tem que ter batido o carro em uma rodovia? Claro porque se o carro tiver câmbio automático e sensores de chuva e crepuscular com certeza irá sobreviver..

    • Marco Schneider

      Prefiro 1000x um câmbio manual do que um automático jurássico de 4 marchas, até porque cambiar não dá trabalho nenhum, ainda mais na estrada, onde o autor do texto passa a maior parte do tempo. Farol automático e sensor de chuva são perfumarias, quem vê esses itens como necessários só pode ter déficit de atenção.

      • Edson Fernandes

        Necessários não o são, mas que são bons para comodidade são.

        Se eu só usasse carros na estrada certamente teria pensado como vc disse viu.

      • João Cagnoni

        É com esta mentalidade dos compradores que os carros nacionais estão tão pelados. Mesmo que você prefira o manual, na minha opinião os automáticos deveriam ser acessíveis e baratos por quem quiser esta tecnologia.

        • Marco Schneider

          Não vejo relação entre os carros nacionais serem pelados e a minha mentalidade. Só porque eu prefiro um câmbio manual a um “automático jurássico de 4 marchas” significa que eu não acho que os câmbios automáticos deveriam ser acessíveis e baratos? Realmente não sei como você chegou a esta conclusão. O único problema que eu vi e que me levou a fazer o comentário anterior foi justamente a sua mentalidade, pois me passou a impressão de soberba por você provavelmente possuir um carro que tenha todas essas tecnologias citadas. É aquela velha necessidade do brasileiro em querer ostentar o que tem, mesmo que seja aquele usadão (não digo que é o seu caso, só estou fazendo suposições).

  • Louis

    “é um carro que ainda não queimou nenhuma das lâmpadas” Lampadas originas normalmente duram bastante, mas depois de trocar uma vez, queimam direto.
    No meu carro, eu compro lampadas em auto-peças pequenas, não duram nada (mesmo sendo Osram). Agora se for ching-ling, duram 2 meses…

    • Marcelo Alves

      As que vieram no meu carro (2008) nunca queimaram, mas elas são GE “Long Life” fabricadas em algum lugar da Europa não lembro qual país… Até dá pra comprar delas na concessionária, mas custam tão caro que com o valor de uma lâmpada você compra umas 10 (ou até mais) dessas Osram em auto-peças.

      As que vieram no carro da minha irmã eram Osram e viviam queimando…

  • Paulo Reis

    tenho focus 08 desde 0km com 191.000 rodados. Pneus duram média de 70000 com rodízio, primeira pastilhas foi trocada com 105 mil, lona freio trazeiro ainda é original, assim como a embreagem. Motor não baixa óleo nem aguá, na média, consumo esta na mesma (variando entre 10/14 km/l estrada e 8/10 km/l cidade, alcool/gasolina). Lâmpadas são originais, a não ser as auxiliares traseiras. Surpresas: direção hidraulica teve problemas, pois, após 4 anos não havia nem trocado o óleo, conclusão, qdo fui mexer, e ainda em um lugar meia boca, o cara contaminau o sitema, necessitando trocar o reparo da bomba. Toquei jogo amortecedor original 1ª vez com 100.000 e, acabei de trocar novamente com a mola junto agora, pensando em mais estabilidade, coloquei amortecedores gaz premium e barra estabilizadora traseira. Um carro pode ser muito bom desde que cumprem as preventivas. Surpresas podem ser, ou por negligência do dono, ou por má qualidade do item mesmo, isto sim varia de carro para carro.

    • Gustavo Cruz

      Tem hora que eu acho que vivo num mundo completamente diferente do de vocês, ou então sou gastão mesmo.

      Uma pastilha de freio não dura 40mil kms comigo. Pneus, nunca duraram mais do que 50mil e fazendo rodízio….

      • Estamos juntos. Questão de estilo de direção. Mas aposto que seus carros são “mais econômicos” que os que você conhece!

        • Edson Fernandes

          Mas parece que uns tem um carro inquebravel de fato!!!

          O meu C3 era muito economico, o Fluence é economico mas na média dos sedans médios. Mas ver durar esse mundo que o pessoal comenta é impressionante!

      • André Maia

        Carro de rodovia desgasta bem menos mesmo.
        Troquei pastilhas com 35k e pneus vom rodízio aos 50k uso apenas e exclusivamente na cidade, fiz apenas uma viagem de 60km :p

      • Talvez a diferença esteja em andar mais em cidades ou estradas. É como a embreagem citada no relato , durou os 150 mil km. Todavia é km de estrada , se fosse de cidade não duraria tanto.

      • Thiago Porto

        cara, depende muito de como o carro é usado e do modelo do carro.
        Isso faz uma diferença absurda mas tem muita gente que gosta de jogar os números como ostentação.

        Pro cara fazer 190 mil km com um kit de embreagem só rodando em Rodovia a maior parte do tempo ou então ele troca todas as marchas no “tempo” e não usa o pedal.

        Tivemos um corsinha de familia ha muitos anos, só ele conseguiu a proeza de fazer 130 mil km com kit original de embreagem ( e mesmo assim a dita cuja já estava um sabão)

        Freio é a mesma coisa.

        • Gustavo Cruz

          Exatamente. E acho que depende muito também do estilo de condução, Eu tenho o pé mais “quente” e exigo bastante dos freios. Acho que também pelo fato do meu carro ser AT não tem freio-motor (só se usar o tiptronic, mas daí fica um saco fazer isso toda hora) você acaba usando mais os freios.

          • Thiago Porto

            sim, com certeza, o meu Fiesta Powershit rodando só na cidade eu fritei um jogo de pastilha com 30 mil km. kkkkk
            Rodava mais 5 mil km só e olha lá.

        • Tive que trocar o kit original de embreagem do meu Onix com 63 mil km. Mas rodo a maior parte do tempo dentro de BH, que, além de ter muito trânsito, é repleta de ladeiras. Imagino que cada baliza feita em ladeiras íngremes tenha tido papel fundamental nesse desgaste prematuro.

        • Meu irmão está com um Corsa Maxx 2005 que foi da minha esposa com 135 mil km rodados e com jogo de embreagem original. Nota-se que o conjunto já não está “uma Brastemp”, mas ainda não dá sinais de necessidade de troca. O carro é de uso urbano.
          Falar a verdade, o único carro em que troquei a embreagem até hoje foi o meu primeiro, um Fusquinha 74 o qual já adquiri com a dita cuja meia boca. Depois disso, nunca mais. E olha que tive muito carro “velho” nessa vida já… rs.

      • Marcelo Alves

        Depende do caso, na VW por exemplo, se não me engano existem Gols que usam o mesmo sistema de freio do Fox e Polo (discos de 256mm e mesma pinça de freio), porém o Gol vem com pastilhas mais finas e o Fox/Polo vem com pastilhas maiores e mais espessas que duram o dobro ou até mais…

      • Carros com uso muito prioritário em rodovias tem desgaste de conjunto de embreagem, pastilhas de freio e pneus muito diferenciado. Há casos de pneus chegarem a 80 mil km nesse tipo de uso.
        Lá em casa temos dois carros, sendo que o da minha esposa roda demais em rodovia, e o meu demais em cidade. Resultado é que as pastilhas dela duram 50 mil km, os pneus chegam facilmente aos 60 mil ainda com capacidade de uso.
        No meu carro, que além de tudo ainda é sedã médio (mais peso), pastilhas se vão antes dos 30 mil, pneus chegam ali nos 40 mil km com alguma sorte.
        Conclusão: a diferença de desgaste, dependendo do uso do carro, é muito grande.

      • Nilton de Castro Martins

        Então vou te contar, um amigo com um Uno 2010, com 112 mil km, ainda está com os pneus originais, tive de ir ver e constatar se os pneus batiam com a data dos pneus batiam com o carro para comprovar a veracidade, e são mesmo os pneus originais!!! fiquei maluco com isso, quero aprender como fazer os pneus durarem tanto assim!!!

    • André Maia

      Faz um relato completo e manda pro na

  • BRM

    É um carro honesto, mas discordo do “estabilidade em curvas”, por ser leve, alto e suspensão normal (mole).

    Tudo bem que eu exagerei um pouco na velocidade, mas rodei com um Corsa desses a 70km/h de painel (pouco mais de 60km/h reais) em uma curva média. Não era fechada, nem aberta. O problema: estava chovendo. Pneus novos!

    Acho que deixei o carro fazer o pêndulo sem querer e perdi o controle no meio da curva, saída de traseira muito rápida, não deu sinal que ia perder traseira e não deu tempo nenhum de reação. Primeira vez que passei por isso. O Corsa foi deslizando de lado na curva, no meio das 2 pistas e consegui segurá-lo no meio da pista olhando ao mesmo tempo para a frente e para trás, tentando não acertar o meio-fio e o guard-rail, respectivamente. Maior problema nessa hora era se os pneus parassem de deslizar e o carro tombasse (capotasse) de lado. Carro não chegou a dar nem 180 graus, parou atravessado no meio das 2 pistas, deixei o motor morrer quando ele parou. Os carros que vinham atrás me encontraram atravessado no meio da curva mas freiaram a tempo (era de noite).

    Enfim, culpa 50% minha (deixei fazer o carro fazer o pêndulo e estava coisa de 10km/h acima de uma velocidade boa para a curva) e 50% do carro. Um carro mais pesado, com pneus mais largos, menor altura em relação ao solo e amortecedores/suspensão mais rígidos não teria dado o pêndulo tão fácil e perdido o controle. Exemplos: Astra, Vectra, etc. Já abusei MUITO mais com um Astra por 2 anos e nunca passei por nada parecido.

    • BRM, na verdade o peso joga contra a estabilidade. Principalmente em piso molhado. Mas o primordial mesmo é o projeto de suspensão. Certa vez a 4 Rodas foi fazer um teste de estabilidade (Lembro que a intenção não era avaliar os carros, mas os pneus), e usou 3 modelos diferentes (Um era o Palio, outro a Zafira e o terceiro eu não me lembro). A Zafira, muito mais pesada que o Palio foi melhor que esse, por conta do projeto de suspensão (O Palio privilegia o conforto. Até demais) mais firme. Um Palio mais pesado só iria piorar a situação se mante-se a suspensão macia.

    • É aquela coisa, duas afirmações que não condizem com o que é o Corsa VHC:
      1. “ótimo desempenho na estrada, mesmo com 4 ou 5 ocupantes” – olha, o desempenho pode ser “suficiente” para se andar com muita parcimônia, mas ótimo não tem jeito. Tive dois Corsinhas em casa, um da primeira geração e outro da segunda, e o desempenho só é um dos pontos fracos do carrinho. Tudo bem que os lá de casa (da patroa) tinham ar condicionado (o da primeira geração era quase obrigatório se andar com o ar desligado, tamanha era a fraqueza do motor quando se colocava o aparato em funcionamento), mas não há como classificar o desempenho do motorzinho 1.0 da GM como dotado de um “ótimo desempenho”;
      2. “excelente estabilidade em curvas” também não é a classificação ideal para o comportamento dinâmico desse chassis aliado aos pneus estreitos utilizados para a versão. Tudo bem, dirigindo dentro de limites civilizados, dificilmente há de se passar um susto com o carro, mas o comportamento dinâmico dele é apenas ok. Há um certo “rolling” da carroceria, a frente escapa fácil se a direção for para o lado mais esportivo.
      Tirando essas observações, realmente é um carrinho muito confiável. O segundo que tivemos em casa (geração 2 – ano 2005) ainda está na família, com a esposa do meu irmão, e vai chegando aos 150 mil km sem dar pinta de cansaço. Nem mesmo os problemas com correia relatados no texto ele apresentou.

      • Leonardo C.

        O Corsa Hatch VHC daqui de casa anda muito bem, não posso reclamar disso nunca, o câmbio é curtíssimo.

        • Thiago Porto

          Na minha modesta opinião a mudança no diferencial e na relação de marchas que a GM fez no Corsa deixando ele similar ao Celta foi a pior besteira que fizeram ao carro.

          Sujeito fazia uma viagem longa e chegava ao destino surdo.

          • Nilton de Castro Martins

            isso é mesmo, carro a 110 km/h faz um barulho danado!!!

        • Bom, o “anda muito bem” tem que ser referenciado em algum outro modelo disponível no mercado. É um carro que faz de 0-100 em aproximadamente em 20 segundos. Dizer que “anda muito bem” s[o mesmo para expectativas muito reduzidas.
          Eu tinha um Fusca 1600 nos anos 90, e eu também achava que ele “andava muito bem”, mas claro, para as minhas expectativas, que eram baseadas no Fusquinha 1300 que o antecedeu. E olha que o fusquinha 1600 tinha números de arrancada e retomada até satisfatórios frente aos carros 1000 da época (coisa de pouco mais de 14 segundos no 0-100), em especial pelo torque em baixas rotações e o câmbio limitado a 4 marchas.
          Em casa tivemos um Corsinha Maxx entre 2005 e 2009, que substituiu um Corsa Wind Millenium 2000. Eu até dizia que ele “andava bem”, mas é óbvio que era em uma comparação ao primeiro Corsa, que com o ar condicionado ligado parecia até que estava com defeito. Em uma análise mais ampla, não, o Corsa VHC não anda bem de jeito nenhum. Achava o danadinho um ótimo carro urbano, robusto, até espaçosinho, com razoável acabamento em sua categoria, mas ele era sofridinho pra acelerar, em especial em rampas mais significativas.
          O câmbio curtíssimo tinha clara função de minimizar a falta total de torque em baixos giros, o que prejudicava bem mais que a potência, que até que era razoável, acima dos 70 cv. Na rodovia a 120 km/h… aja ouvido pra aguentar o motor berrando.

          • Leonardo C.

            Amigo, meu Corsinha é o que tenho para dirigir agora, além de um HB20 também 1.0. Se você acha que o seu não andava, não é problema meu, os 79cv do daqui de casa são suficientes para me locomover pela cidade e por algumas rodovias, nunca tive problemas com subida, pois tenho a consciência de que estou dentro de um carro “mil”, e dirijo de acordo com a capacidade dele. Falta força em alguns momentos? Falta sim poxa, é um carro 1.0, mas de todos os 1.0 da época (2008), ele era o mais potente. Ele está com seus 97 mil km sem me dar uma única dor de cabeça, não posso reclamar disso jamais. O HB20 tem um conjunto mecânico superior ao do Corsa, mas acho que o VHC fica mais a vontade na cidade do que o Kappa do HB.

            • Beleza, concordo com tudo o que você disse, você compreendendo as limitações de se estar com um carro mil, dirigindo de acordo e não tendo expectativas de tirar dele qualquer desempenho mais alvissareiro, ok, claro que ele vai te atender.
              Só não concordei com a frase “anda muito bem”, que se lida ao pé da letra, dá a entender que o carro tem bom desempenho: ele não tem. Mas se consegue “andar bem” com ele no sentido de te levar pra lá e pra cá sem te dar dores de cabeça, de acordo com os parâmetros estabelecidos no parágrafo anterior. Foi isso que eu quis dizer.
              Grande abraço.

              • Nilton de Castro Martins

                No meu ponto de vista, ele anda bem, sendo que se você quiser manter 110 km/h em subidas e descidas, ele consegue bem demais, já a final que o máximo que consegui foram 185 km/h, algumas vezes, mas acho que é um carro que supre demais as necessidades nas estradas e da pau nos 1.4 da FIAT em qualquer momento

                • Ok, mas não concordo com classificá-lo como “ótimo desempenho”, é essa a tônica da minha opinião.
                  Se o Classic for classificado como de “ótimo desempenho”, o que dizer de um C4 Lounge THP, por exemplo? Desempenho estratosférico? Entende o meu ponto de vista?
                  É um desempenho relativamente satisfatório se comparado a carros da faixa de entrada do mercado, mas pior que o de 90% dos modelos produzidos e/ou vendidos em terras Tupiniquins. Portanto, não é ótimo, independentemente do ponto de vista.

          • Edson Fernandes

            E 4500rpm na lomba…rs

      • Thiago Porto

        Acho que ele quis fazer referencia aos concorrentes da década de 90/2000.
        É muito complicado a gente trazer a tempo presente carros que já foram bons.
        Devido ao avanço tecnologico, de engenharia e de materiais, hoje sem duvida é um veiculo que deixa muito a desejar em vários aspectos.

        • Bom, o carro dele é 2010, portanto não dá pra fazer uma alusão aos concorrentes da década de 90.
          Talvez uma frase do tipo “anda até bem para um carro de 1000 cc” até poderia ser razoável. “Ótimo desempenho”… não, não fica correto. rs.

          • Edson Fernandes

            Mas como a resposta do rapaz acima, dá para perceber que o negocio é não sair do salto. O carro é robusto e confiavel… e só.

            Quando vc “descobre” o mundo de diferença entre um carro 1.0 e um 1.4/1.6 vc se espanta. As vezes, o 1.4 não é que possui um desempenho arrebatador perante o 1.0, mas trás um conforto de marcha impressionante.

            Quando vc percebe que ao invés de estar em 4000rpm está em 3000rpm com SOBRA de motor, aí vc dá valor e percebe…. caso contrário pode ter esse tipo de coisa.

            Outro ponto, eu prefiro 1000x estar em um Palio 1.4 (do modelo atual) do que em um Celta por exemplo. Pode andar mais, mas numa subida, é aí que o Palio mostra o que o torque melhorzinho do 1.4 responde. Como eu prefiro cambios mais longos, prefiro um carro que ande “igual” ao 1.4 só que sem urros e com tranquilidade, do que um 1.0 que disfarça com um cambio ridiculo para mostrar agilidade (pagando no consumo).

            • Matthew

              Cara, dá pra perceber isso na própria linha GM. Temos um Corsa hatch 1.4 Econo.Flex aqui em casa e ele nem anda tanto mais que um Celtinha VHC, até demora um pouco a encher, só acorda mesmo depois das 2500 RPMs. Mas a diferença é o câmbio bem aberto que dá conforto de marcha, sobretudo em rodovia. Não anda o tempo todo esgoelado como Celta.

              • Edson Fernandes

                Exatamente. Mas mesmo em rotação baixa, o Corsa sempre respondeu muito bem. Isso foi algo que quando andei um hatch da versao premium 1.4 de um colega eu notei logo de cara.

            • É como eu sempre digo ao meu irmão, a questão da potência do motor 1000 até que está bem equacionada, são números razoáveis, semelhantes aos dos nossos 1.6 dos anos 80/90.
              Problema que continua complexo é o do torque e sua curva nesses motores. Não tem mistério: a arquitetura dessas unidades de força não permite a obtenção de bons parâmetros nessa área, a não ser que se parta para o turbo e a injeção direta em conjunto.
              Como diz aquela velha frase: “potência vende carros, torque vence corridas”. É bem por aí mesmo.

              • Edson Fernandes

                Com certeza sua frase sintetizou tudo!
                Mas te digo que essa coisa de cambios curtos não me apetece. Alias, rodei esses dias com um March 1.6, rapaz…. foguetinho e o motor girador. Gostei do comportamento, que é voltado ao conforto.

      • André

        Ubaldir, gosto de ler seus comentários porque quase sempre concordo com voce. Desta fez é uma das raras que não concordo, ou pelo menos apenas parcialmente. O Corsinha sedã Millenium de fato era lento, não tinha taxa de compressão reduzida, apenas 60 cv e cambio com relações mais longas. Fato, só valia a pena ligar o ar no plano e com velocidade constante, de outra forma virava tortura. Já no Classic, a GM conseguiu, sem fazer muito investimento, melhorar o desempenho, encurtando a caixa, aumentando a compressão e subindo a potencia para 78 cv. Na prática, ficou com um desempenho muuuito melhor que o do Millenium. Dos 1.0 hoje no mercado, te diria que talvez só os 3 cilindros tenham melhor desempenho e olha lá, duvido que um HB20S 1.0 ande mais, o Corsa B tem o baixo peso a seu favor. Veja o que a 4 Rodas escreveu na avaliação do Classic LS: “Na cidade, não será surpresa ver o Classic 1.0 andando na frente de alguns modelos 1.4. Ágil, mostra-se ideal no trânsito urbano”. Agora, esse desempenho tem o preço do motor berrar exageradamente na estrada e na cidade ter que trocar milhões de vezes de marcha por causa do cambio muito curto.

        • Edson Fernandes

          E então chegamos a uma conclusão: Vc quer 1.4 que anda igual a esse motor 1.0 ou vai ficar engatando marchas sem fim? Porque pelo menos qualquer pisada, é uma esgoelada para esse motor.

          E eu explicando uma certa vez a folga que eu tinha no meu ex C3 1.4 onde eu não precisava trocar tanto de marcha, me vem um dono de Celta e me diz: “Ah mas enquanto eu preciso reduzir de terceira pra segunda no C3, o Celta sobe em terceira”. Claro que vai subir! até que ponto eu não sei a depender do angulo da subida….

          Só que uma coisa é certa, enquanto o C3 estará lá pelos seus 3000rpm, o Celta em 4000rpm para cima. E logo mais urrando e pedindo marcha para cima (e não pode, porque perde força).

          Para mim, eu não gosto desse comportamento que a Chevrolet fez, mas os motores 1.0 3 cilidnros melhoraram muito nesse aspecto.

        • Opa, beleza meu amigo? Cara, eu concordo totalmente contigo. Frente ao que se tem entre os carros da categoria e do preço do Classic, ok, ele tem um desempenho relativamente satisfatório, mais ou menos como ocorria com aquele Uninho Mille antigo, que tinha um ótimo acerto do conjunto motriz, o que o fazia entregar uma sensação de desempenho muito razoável.
          O que quis dizer em meu texto é que ter um desempenho relativamente satisfatório em sua classe é muito distante da frase “ótimo desempenho” utilizada na explanação do autor, não sei se eu consegui ser claro nesse sentido. Ok, o carrinho anda melhor que vários carros de 1000 cc, o que não o transforma em um modelo de “ótimo desempenho”, como dito no texto. Talvez o autor tenha procurado passar a ideia de que o desempenho dele é satisfatório entre os carros 1000 cc do mercado, mas digamos que a semântica não foi feliz.
          Quanto aos Corsinha Millenium e VHC, minha esposa teve um de cada, e realmente: O VHC era muito melhor que o Millenium, que parecia estar com defeito quando se ligava o ar. E aquele tal de ar condicionado inteligente que ele tinha? Você ia sair com o carro no semáforo, ele arrancava como uma tartaruga, aí você afundava o pé no acelerador, e o ar se desligava sozinho com o motor dando um tranquinho pra frente nessa hora, acelerando um pouco melhor, mas logo a frente, quando você maneirava um pouco o pé direito, o ar ligava de novo e vinha o tranco ao contrário, com o motor segurando de novo. A sensação que se dava é que o motor estava engasgando, e acabava que nem o ar refrigerava o carro e nem o motor andava, fazendo com que você resolvesse desligar o ar condicionado. Era muito incômodo, mesmo.
          No VHC ao menos era possível se andar normalmente com o ar em funcionamento. Em trânsito urbano, o que mais me incomodava no VHC (era um Corsa Maxx da segunda geração) era o comportamento em subidas: era necessário se trabalhar muito o câmbio em altos giros para que o carro apresentasse alguma desenvoltura. E olha que as relações de marcha desse carro eram extremamente curtas.
          Grande abraço, amigo.

        • O Ubaldir frisou “anda bem PARA A CATEGORIA”.

    • Thiago Porto

      Papai sofreu um acidente parecido em 2001 também de Corsinha, mas na ocasião foi provocado por óleo jogado na pista pela “Mafia do Guincho” na Regis Bittencurt.
      O tempo passa e essa barbaridade graças a Deus não existe mais.

      • BRM

        Não tenho notícia se aquela curva que passei já teve casos assim. mas costuma passar caminhão diariamente, é bem utilizada durante o dia.

    • Marcelo Alves

      Os amortecedores estavam bons? As vezes o carro tem pouca km (40, 50k) e os amortecedores aparentam estar bons, mas não estão e daí pra perder o controle do carro numa curva por causa de amortecedor que não consegue manter o carro equilibrado é fácil…

      • BRM

        Apesar de ter trocado os 4, eles estariam com 3 ou 4 anos de uso nas costas na hora do incidente. Em KM isso daria perto dos 30.000km (carro de familiar, não é muito usado).

  • BlueGopher

    Como se costuma dizer, um automóvel atinge a maior confiabilidade quando está no fim de sua vida no mercado.
    Tudos seus eventuais problemas já foram resolvidos.
    Tive um Celta por 5 anos, e as únicas despesas que ele me deu (fora as normais, como óleo, filtros, pneus, etc) foram a queima da lampadinha interna do teto e o abafador traseiro do escapamento.
    Celta, Corsa & semelhantes são carros simples mas extremamente confiáveis.
    Muitos de seus problemas se devem mais a motoristas inexperientes ou mau uso/abuso do carro do que a defeitos originais do veículo.

  • Wendell Rodrigues

    Bom 35 mil no primeiro jogo de pneu eu achei muito pouco.
    Troquei os Pneus do meu Gol G5 com 66 mil e achei excelente mais 35 mil não.
    Quanto as pastilhas o primeiro dono trocou com 36 mil km e o carro fez 70 mil km essa semana e pastilha não chegaram nem na metade da vida útil então considero apenas a forma de dirigir.

  • Usa8

    Carro de mecânica simples e confiável. Há alguns anos era um dos 1.0 mais ligeiros (se é que se pode chamar assim).
    Mas era muito seco e desconfortável. Tanto é que ficou anacrônico no mercado.

  • Ricardo

    Corsa foi o pior carro que já dirigi, junto com Uno e Palio.

    • Iran Borges

      É porque você ainda não dirigiu Fiesta endura (na estrada) e Chevette (em qualquer lugar) rs.

      • Ricardo

        É que não considerei carros como Kombi e Corcel I. Haha

        • Iran Borges

          Po, Kombi e Corcel I ainda são legais de dirigir rsrs.

          • O ruim é mudar marcha no Corcel! Sou fão do carro, mas você bate o cotovelo no porta malas para engatar a quarta..

  • LoganVB

    Fusca também é bem confiável.

  • Iran Borges

    Quando esse carro foi lançado eu achava que ele era a coisa mais horrível que eu já tinha visto no mundo automotivo.

    • Aí chegam ao mercado “coisas” como o Etios Cross ou o Versa e mudam nossa concepção sobre a beleza dos carros… kkkkkk.
      Esse modelo com a frente original do primeiro Corsa é até harmonioso. Eu gostava dos modelos GLS do final dos anos 90, com acabamento mais caprichado interna e externamente. A remodelação que a GM fez nele a alguns anos ficou muito ruim. Antes não tivesse mexido.
      Mas aí, fiz uma visita ao México a uns anos atrás, e eis que lá há esse Corsa de primeira geração remodelado em moldes ainda piores do que a GM fez aqui. Dá pra entender perfeitamente a frase “nada é tão ruim que não se possa piorar”… kkkk.

  • Ricardo

    É que não considerei carros como Kombi e Corcel I. Hahaha

  • Daniel Guilherme

    BRM sofri um acidente com as mesmas características do seu, só que ao perder o controle de traseira na estrada bati de frente num barranco na lateral da pista e acabei capotando(deu PT). Apesar de gostar do carro e principalmente da marca, o classic não é confiável e curvas;

  • Não sei o que fazer, Eber e amigos me ajudem.

    Estou com o Vectra que o @lelagoeiro:disqus já sabe, mas o relato vai ser muito extenso devido ao carro estar praticamente na “UTI”…

    Faço um relato do zero ou aos poucos com a recuperação do carro?

    • Olha, o melhor é conversar com o Éber por e-mail, mas pelo que acompanho do site e a linha editorial, acho melhor um post “compacto”…
      Embora eu pediria ao Éber caso fique mais extenso um pouco de paciência, porque:
      -Algumas pessoas não se assustam com textos grandes
      -Compra de carros “acabados” e sua recuperação são extremamente raros por aqui (Estou errado Éber?).
      Ou talvez a questão seja dividir em dois: Um post sobre o processo de compra, se acha que isso dá um post.
      E sobre a recuperação..

      • Boa Alessandro!

        Pensei melhor. Acho que vou tirar umas fotos de como está agora e depois da recuperação. Aí faço uma história resumida da aquisição e planilho os custos que tive na recuperação e espero mais um tempo para custear a manutenção também.

        Creio que assim, ajudaremos nossos amigos a verem que nem sempre é bom trocar um Fiesta Titanium zero km, por um Fusion 2011 V6 AWD… hehehe

        • Blasfêmia! Você irá queimar pelas 10 pragas do Egito!

          Toma aí as 10 pragas:

          1º GM/ONIX 10.212
          2º HYUNDAI/HB20 8.889
          3º FIAT/PALIO 8.761
          4º FORD/KA 7.486
          5º VW/FOX/CROSS FOX 6.373
          6º RENAULT/SANDERO 6.369
          7º TOYOTA/COROLLA 5.775
          8º HONDA/HR-V 5.747
          9º FIAT/UNO 5.684
          10º JEEP/RENEGADE 5.676

          • kkkkkk

            Mas tem uns que se salvam aí.

            Na minha opinião: HB20, Ka, Corolla, HR-V e Renegade.

            Apesar de que nesse top 10, só olharia o Renegade mesmo.

            • Só peguei o ranking para não demorar na piada! Mas na verdade não considero nenhum deles pragas! Nem o Palio.

              • Também não. Afinal, cada carro atende a necessidade de cada um. Mas hoje, para mim, a maioria destes carros ficam fora da minha lista.

                Veja só como é gosto de cada um, tenho na minha próxima lista 308, 408, C4 Lounge (todos THP claro), 2008, Civic, Cruze, Focus, Renegade e Sentra.

                • E por incrível que pareça minha lista de próximo é a mesma de 6 meses atrás… Vou pegar um 4×4 para fazer trilha com meus filhos…

                • Aliás, eu teria que ter 3 carros:
                  -Ando 80% do tempo sozinho ou com “alguém”. Um Smart dá e sobra. Mas os outros 20% são mais importantes para mim, porque são com meus filhos e família.
                  -Gosto de ir em lugares inusitados, de São Paulo até o Sul de Minas. Alguns lugares tem estradas ruins e trilhas. Gostaria de um 4×4 para não depender do tempo.
                  -Gosto de viajar com a família. As vezes 5 lugares são poucos.

                  Pois bem, então preciso de um carro econômico para o dia a dia, um utilitário para os fins de semanas e datas especiais e um veículo com 7 lugares. Ninguém atende todos os requisitos (Até porque o primeiro e terceiro são excludentes). Então eu teria que ter um Smart, uma Sportage, ou Terios ou Vitara ou Cherokee ou uma Freemont, que atenderia o segundo e terceiro item ao mesmo tempo… Tudo bem, não tem problema com minhas necessidade se… Não tivesse um teto de 15 mil reais!

                  • Vamos ver, estou ansioso para encontrar minha namorada em Florianópolis. Ela tem uma Freemont e fala muito bem do carro. Como ela quer que eu dirija lá, vamos ver como é o carro.

                    Vou ter que comprar um para minha mãe, aí ferrou né… Vou ter que sair do manual de vez, para ela ficar com meu carro.

                    Pensei em duas opções:

                    Ficar com o vectra três anos e comprar um UP Asg para ela;
                    Ou comprar um destes acima automático e um UP. Assim trabalho com o UP na semana e ela fica com o meu carro. No fds, trocamos.

                    • O bom desse Vectra é que ele em bom estado é cheque ao portador.

                    • Ah sim. Além do mais quando eu faço a venda para particular, entrego com a revisão mecânica e elétrica feita com a nota fiscal.

                      Aí cabe ao novo dono dar continuidade nos cuidados com o carro.

        • BillyTheKid

          Como dizem os sabidos… “Com o preço de um Fiesta Sedan Titanium 0km eu já iria de BMW 5.4 V12 (de 20 anos atrás)!!! Tem que ser muito burro pra comprar um 4 em linha no lugar de uma BMW V12 né?!”

          Hehehehe, adoro esse tipo de comentário.

  • Convivi com um corsa 97, com 168k, dos quais eu fiz mais de 125k. Neste período eu troquei: 2 jogos de pneu, 2 discos de freio, 3 jogos de pastilhas, sendo 1 vez todo o sistema de freio, comando das válvulas, 3 correiras, lâmpadas de vários lugares, 2 hastes do vidro elétrico, 3 baterias, 1 rádio, 1 trambulador, 1 comando de válvula, algumas vedações. Eu tinha tudo documentado, o dono atual também tem, se eu tivesse grana pegava o carro de novo, já que o dono falou que gostaria de vender. Enfim, é carro de manutenção simples e barata e um acabamento que deixa muito popular para trás

  • Leandro

    “E assim, foi, com o passar do tempo, resolvi não mais fazer as revisões
    na concessionária, pois, por ser um carro GM, seria um carro
    extremamente confiável” Ta certo! Carro da GM não precisa de nada, basta ter a gravatinha na frente.

  • Tenho um Classic também, de 2013, já esta com 60 mil km. Até agora só fiz as manutenções básicas, troca da correia, velas e pneus. Também estou trocando o óleo a cada 10 mil km já que ando só na rodovia.
    Freios estão impecáveis ainda.
    Amortecedores sem nenhum problema até o momento.

  • CyberSilvio

    Deixem de ser mimizentos. Minha zafira eu troquei as pastilhas com 80 mil km, Passou dos 100mil km e nada de trocar embreagem ainda. Nao e todo mundo que anda como maluco. O carrinho e bom e duravel. Talvez os mimimizentos nao se conformem, por ter tranqueiras de plastico que mal passam dos 60mil km, comecam a dar defeito pra cacete e passam pra frente.

  • Magno

    Um carro honesto .. mas como todo carro , com manutenção em dia , eh carro pra toda vida .

  • Caio Henrique Alves Nascimento

    É um carro honesto, isso ninguém discute,ademais serve ao propósito do autor do relato e por ele andar mais em rodovia, o desgaste do carro se mostra menor. Tenho um palinho 2007 com kilometragem superior a dele, e também está intacto com as manutenções sempre em dia e tem desempenhado bem as funções para as quais ele foi projetado. Quanto ao relado do autor, tirando alguns dados acima da média normal, valeu muito a pena, pois mostra que os carros,quando bem cuidados, realmente aguentam bastante.

  • ‘Eduardo Oliveira

    150 Mil KM sem trocar a embregem, parabéns! Sinal que você cuida bem do veículo.

  • Renato

    Inveja branca desse cara! O meu tem um ano e meio e já tive mais problemas que todos os outros meus carros juntos!



Send this to friend