Antigos Clássicos Conversíveis Cupês Esportivos Europa História Porsche

356, o primeiro carro da Porsche

porsche-356-speedster-356a-coupe

Porsche 356 Speedster e 356A Coupe

Em 1939, Ferdinand Porsche construiu três carros de corrida batizados de Typ 64. O projeto era promissor, mas devido à explosão da Segunda Guerra Mundial, foi naturalmente cancelado.

Após o conflito, a Porsche como empresa foi fundada por seu filho, Ferdinand “Ferry” Porsche junto com sua irmã Louise. Ferry resgatou partes do Typ 64 e construiu o protótipo 356 de número 1 em 1948.

porsche-typ-64

Porsche Typ 64

Apesar de certa controvérsia, o 356 é considerado pela própria Porsche como sendo o primeiro carro feito pela marca, fundada no mesmo ano. Desenhado por Irwin Komenda, o esportivo era muito semelhante tecnicamente ao Volkswagen Fusca da mesma época.

Tinha motor quatro cilindros boxer refrigerado a ar e posicionado na traseira, bem como tamanho compacto e feito essencialmente para duas pessoas, embora pudesse levar alguns caronas atrás.

porsche-356-raio-x

Porsche 356 raio-x

O Porsche 356 foi homologado na Áustria em 8 de junho de 1948 e assim como seu ancestral Typ 64, teve foco também nas pistas de corrida. Seu motor boxer 1100 tinha somente 40 cv e o câmbio vinha com quatro marchas, sendo sempre manual. O 1500 chegou a ter 70 cv.

porsche-356-numero-1

Porsche 356 Nº1

356, o primeiro

Conhecido posteriormente como “Pré-A”, a primeira versão do 356 teve 7.627 unidades fabricadas entre 1948 e 1954, embora a produção de fato tenha sido regularizada apenas em 1950. Em 1951, o primeiro Porsche venceu em sua categoria nas 24 Horas de Le Mans e chamou a atenção do mundo para si.

porsche-356-coupe-ferdinand

Porsche 356 Coupé “Ferdinand”

Tecnicamente, o Porsche 356 pré-A recebeu várias atualizações, especialmente de motor, que foi substituído por versões 1300 e 1500 com constantes alterações e aumento de potência. A carroceria podia ser Coupé ou Roadster. Elegante, simples e rápido, passou a ser desejado por muitos, especialmente nos EUA.

porsche-356b-1600-coupe

Porsche 356B Coupé interior

Em 1955, surge o 356A com leves alterações visuais e agora com opção do motor boxer “Carrera”, que era usado no 550 Spyder de competição. Com 21.045 feitos até 1959, o modelo mais vendido era o cupê, mas o conversível Speedster se tornou o mais famoso. Havia basicamente três opções de potência: 60, 75, 105 e 110, estes dois últimos nas versões Carrera GS 1600 De Luxe e GS 1500 GT, respectivamente.

porsche-356a-1600-gs-carrera-gt-speedster

Porsche 356A 1600 GS Carreta GT Speedster

É no 356A que nasceram os termos Carrera e Carrera GT. O motor 1600 já dominava as versões mais potentes do pequeno Porsche. O estilo ainda era muito fiel ao projeto de 1948. Nessa época, a marca já se distanciava do compartilhamento de peças com a Volkswagen, embora ainda fosse em grau elevado.

porsche-356a-conversivel-1958

Porsche 356A Cabriolet

A partir do 356B, a Porsche começou a imprimir em seu primeiro carro um estilo que se tornaria lendário, cujo modelo chegaria somente três anos depois. As mudanças ocorridas foram do nível técnico ao acabamento, passando ainda por uma carroceria notchback, adaptado pela Karmann.

porsche-356-speedster

Porsche 356 Speedster interior

A traseira foi prolongada com os para-choques integrados ao desenho. Foi o primeiro a ter freios dianteiros a disco. Também foi o que iniciou uma carreira com motor 2.0 boxer, que entregava 130 cv e levava o bólido de 0 a 100 km/h em 9,2 segundos e com máxima de quase 200 km/h. Foram feitos 30.969 unidades entre 1959 e 1963. O famoso Super 90 é dessa geração.

porsche-356b-cabriolet-karmann

Porsche 356B Coupé Karmann

Por fim, o Porsche 356C chegou em 1964, mas teve vida curta por causa da chegada do 911, o lendário modelo da marca, consagrado até os dias atuais. Ele passou a ter freios a disco nas quatro rodas e a principal versão era a SC, que tinha 95 cv no motor 1600.

porsche-356c-cabriolet-policia-by-reutter

Porsche 356C Cabriolet Reutter da polícia holandesa

Ele também teve o propulsor 2000 no Carrera 2. Uma versão especial foi feita para a Polícia da Holanda, sendo os 10 últimos carros e todos conversíveis. O fim chegou em 1966, mas não de todo definitivo. Após 76.313 unidades, o Porsche 356 foi sobrepujado pelo 911. Existem muitas réplicas do 356 no mercado mundial, destacando-se a brasileira Envemo Super 90, considerada pelos colecionadores como a mais fiel ao original.





  • André

    Mesmo com aquelas barcas enormes com motores V8, os americanos se encantavam com o 356, apesar de ser um projeto simples, mesmo para a época. É um clássico exemplo de como muitas vezes menos é mais. Hoje, desejo que um dia o mercado perceba que um carro simples, apenas com boa dirigibilidade e segurança, é suficiente, que aquelas parafernálias todas, que na verdade só diminuem o prazer de dirigir, não são necessárias.

    • Danilo

      Né? Vide toyota gt86 quem viu o vídeo do barata dirindo aquele carro sabe o quão especial e simples ele é, apesar de ser um projeto simples e de baixo custo

    • Filipe Machado

      Mas quando fazem algo simples o mercado rejeita…

      Infelizmente hoje em dia toda indústria trabalha para criar necessidades não existentes no consumidor para que ele pague mais caro por algo que nem sempre é util

  • Henrique

    Que obra prima !!!!!!! Um charme de carro, alias que linhas, quem o projetou realmente estava muito inspirado, nunca vi nada igual com tanta elegância, beleza e simplicidade numa coisa só. Eu adorava jogar com ele no Need For Speed Porsche……

    • Darwin Luis Hardt

      eu descia o cacete no Speedster, acho que pegava 170km/h no jogo e fazia curva bem fácil

  • Rico & Orgulhoso

    Das auto

    • José Eduardo Borba

      Uma coisa é inevitável, o que esse tirano investiu em tecnologia e educação, repercute até hoje no pioneirismo alemão! Os nossos tiranos PTistas, são tão burros, que educação e desenvolvimento tecnológico, são sempre renegados.

    • Filipe Machado

      Como o amigo disse ali, o Nazismo alemão nos deu muita tecnologia em várias áreas industriais e químicas.
      Não fossem eles não existiria Fusca, comunicação por radiodifusão (avô dos celulares modernos) e nem foguetes que levaram o homem ao espaço.

      Claro que a política genocida e higienista é um absurdo, mas mesmo esse regime escroto produziu coisas úteis

    • Filipe Machado

      Como o amigo disse ali, o Nazismo alemão nos deu muita tecnologia em várias áreas industriais e químicas.
      Não fossem eles não existiria Fusca, comunicação por radiodifusão (avô dos celulares modernos) e nem foguetes que levaram o homem ao espaço.

      Claro que a política genocida e higienista é um absurdo, mas mesmo esse regime absurdo produziu coisas positivas

      • Vinicius

        O que faz o avanço em várias áreas da ciência ser intensificado é uma coisa: Guerra!

        • Filipe Machado

          Que depois os americanos e russos se apropriaram e o resto é Guerra Fria kkkk

          Mas mesmo antes da 2 Guerra Mundial, a industria alemã com os nazistas voltou a ser referencia mundial na época

          • Vinicius

            Sim, os blindados alemães e submarinos alemães eram maravilhas da época, isso para ficarmos no campo bélico.

            • Tango

              Os alemães são os pais da NASA da bomba atômica entre outras coisas.

    • Gustavo73

      Quem diria que ajudado por seu amigo Henry Ford.

      • Tango

        Se começarem a puxar por esse lado a coisa vai ficar feia para muitas empresas. Mas em muitos casos elas não tinham escolha, já outras mesmo protegidas pela distância (sede) foram coniventes pois seu donos se alinhavamcom as idéias desses montros.

        • Filipe Machado

          Brasil só não entrou na guerra apoiando o Hitler porque ganhamos uma Siderúrgica dos Americanos kkkk

          Vargas era totalmente a favor das ideias Nacionalistas nazistas. Vale dizer que o Holocausto foi descoberto somente depois da invasão americana e russa.

          Vargas era tão ditador quanto Hitler e Mussolini, por isso meu povo paulista lutou para impedir que ele se perpetuasse no poder ! (diferente da versão que diz que São Paulo queria independência do Brasil)

          • Tango

            Se fosse pela ideologia do nosso presidente na época teríamos nos ligado ao Eixo sem dúvida. Mas os americanos sabiam que o poder das verdinhas poderia mudar o jogo. A CSN foi só um dos agrados para a virada da consciência do Vargas.

  • José Eduardo Borba

    Até hj o carro mais bonito já fabricado! Um dia compro, nem que seja a réplica Chamonix!

    • Filipe Machado

      O da Chamonix é o 550 Spider – outro carro lendário da Porsche, não sei se tem réplica deles pro 356

      Edit: tem sim do 356… não sabia ! kkkk

  • pedro rt

    meu sonho e ter qualquer porsche ou bmw um dia e certeza eu realiza-lo

    • 4lex5andro

      o 356 pode ser considerado, ao lado de traction avant, ds (ambos citroen) e mb 300SL (abaixo), um dos cinco maiores da historia do carro ..

      • PEDAORM

        Sem duvidas essa 300SL é um dos maiores da historia. Como ponto negativo, dizem que o calor gerado pelo motor é tão grande, que chegava a derreter levemente a sola dos sapatos depois de algumas horas. Nada que tire o brilho desse carro lindo.

  • Rodrigo Queiroz.

    Este veículo tinha um design muito bacana. Recentemente o programa Overhaulin cometeu um sacrilégio em um Porsche 356 ao alterar seu desenho por algo questionável.

    • Gustavo73

      Mas que coisa sem sentido e desnecessária nesse belo modelo.

    • zekinha71

      Aprenderam isso com o lata velha, que destruiu um Karmann Ghia, que estava praticamente novo.

  • Magno

    Charmosissimo



Send this to friend