Alfa Romeo Antigos Europa História Sedãs

Alfa 6 deu continuidade ao legado do Alfa Romeo 2000

alfa-romeo-alfa-6-1

No final dos anos 50, surgiu o Alfa Romeo 2000, modelo que deu origem ao clássico brasileiro FNM 2000 e cujo sucessor se tornou até hoje o único carro da marca fabricado inteiramente fora da Itália, o 2300. Mas na península itálica, a Alfa Romeo emplacou em seguida o 2600, herdeiro da 2000 que nunca chegou ao Brasil e que em 1979, deu lugar a outro carro, esse muito semelhante em aspecto ao Alfetta de 1972 e ao 2300 brasileiro, o Alfa 6.

alfa-romeo-alfa-6-2

O nome não é por acaso, já que seu projeto contemplava o uso de motor V6 no lugar de quatro cilindros, um tipo muito usado pela Alfa Romeo nos anos anteriores. O projeto do Alfa 6 começou no início dos anos 70, mas assim como ocorreu com o 2300, foi afetado pela Crise do Petróleo em 1973.

alfa-romeo-alfa-6-3

O Alfa 6 acabou sendo adiado ao invés de perder o motor V6, como ocorrera com o 2300 por aqui. Somente em 1979, a Alfa Romeo conseguiu finalmente colocar o sedã executivo nas ruas da Europa. Com 4,76 m de comprimento e 2,60 m de entre eixos, o modelo empregava o mesmo estilo do Alfetta e do 2300.

alfa-romeo-alfa-6-7

A Alfa Romeo colocou um V6 2.5 de 160 cv e 22,3 kgfm com seis carburadores no Alfa 6, montando em longitudinal e com transmissão manual de cinco velocidades ou automática ZF com três marchas. A tração era traseira e o diferencial tinha deslizamento limitado em 25%. Os freios eram a disco nas quatro rodas, com os traseiros interiores para reduzir o peso não suspenso.

alfa-romeo-alfa-6-6

O sedã era bem luxuoso e completo, direção hidráulica (primeiro Alfa com ZF) trio elétrico e ar-condicionado. Ganhou também sensor de combustível para corte de fornecimento em caso de colisão. No estilo, o Alfa 6 chamava atenção pelos quatro faróis circulares, assim como as colunas C com grade. O porta-malas eram bem proeminente e espaçoso para a época.

alfa-romeo-alfa-6-8

Em 1983, o Alfa 6 ganhou uma atualização no visual, perdendo os faróis circulares em prol de dois retangulares, para-choque com spoiler, molduras laterais nas colunas C e outras modificações. Mas, a maior foi a introdução de injeção eletrônica Bosch L-Jetronic no V6 2.5 da versão QV (Quadrifoglio Verde), que oferecia 158 cv e 21,8 kgfm.

alfa-romeo-alfa-6-4

Mas, o Alfa 6 ganhou também uma versão V6 2.0 com seis carburadores e 99 cv, tendo somente 18 kgfm. Além disso, foi introduzido uma versão diesel com propulsor VM Motori. Com quatro cilindros, o 2.5 turbo tinha 105 cv e 20,9 kgfm. Feito em Arese, Milão, o sedã da Alfa Romeo teve somente 12.070. Em 1986, saiu de linha para dar lugar ao moderno 164, lançado no ano seguinte e que chegaria ao Brasil como um dos primeiros importados nos anos 90.





  • Murilo Soares de O. Filho

    Sempre lindos!!

    • Rbs

      Significado de sempre . . Antes durante e depois!!

  • CanalhaRS

    Motor V6 com 6 carburadores e 99cv. Nem tudo no passado era melhor…

  • Rafael Trindade

    6 carburadores… imagina a manutenção com uns 6 anos de uso?

    • T1000

      imagina o trampo pra regular a marcha lenta srsrsrsr

      • Racer

        Fato. Eu já tinha um certo trabalho para regular a da minha Variant, só com dois.

      • Rafael Trindade

        hehehe e a economia? hehe

  • Racer

    O 2300 era um carrão na época.

    • Mr. Car

      E diante de muita coisa fabricada até nos dias de hoje, continua sendo um carrão, he, he!

  • Rids

    A station não era sublime em proporção da carroceria:

  • Rids

    correção: entre o 6 e o 164 houve o 90:

  • Rids

    painel do 90: