Home Comprando e Vendendo As vantagens dos acordos de livre comércio

bmw 118i top 1 As vantagens dos acordos de livre comércio




Todos nós aqui no NA, pelo menos a maioria de nós, que somos aficionados por carros, sabemos que o governo brasileiro cobra muito imposto sobre os carros que compramos, apesar de eles serem feitos aqui mesmo. E além de pagarmos muito por eles, geralmente não temos o que realmente queríamos, ou que merecemos, pois são carros pelados, típicos “pé de boi” mesmo, que abusam de plástico e outras economias ridículas.

Sabemos também que na Europa a realidade é outra, lá a classe média se deleita com carros que aqui são da classe alta (e muito restrita por sinal). Pra ser sincero, não preciso ir muito longe pra dar exemplos de que existe um abismo entre o mercado automotivo nacional e o mercado automotivo de outras nações, é só olhar pro Chile aqui pertinho. Os nossos “hermanos” chilenos desfrutam na hora de comprar seus carros, com uma vasta lista de opções como se o Chile estivesse na Europa também, apesar de ele estar praticamente aqui ao nosso lado.

E você sabe por quê? Bom, assim como o Brasil tem acordos de livre comércio com Argentina, Paraguai e Uruguai (por também serem países membros do MERCOSUL) e também com o México. O Chile possui mercado aberto com a União Européia. Ou seja, enquanto temos a “sorte” de não pagar 35% de imposto de importação nos carros que vem desses países, os chilenos pagam 0% de imposto de importação nos carros europeus.

Resumindo. O que salva o nosso mercado automotivo feito somente de “pé de boi”, são esse carros importados do México e MERCOSUL (mais precisamente da Argentina) que não pagam esse imposto, que convenhamos ajuda muito, já que a maioria desses carros tem qualidade bem superior do que as dos nacionais e custam o mesmo do que se fossem fabricados aqui. Exemplos não faltam, Ford Fusion, Volkswagen Jetta, Chevrolet Captiva, todos do México, e Toyota Hilux e Volkswagen Amarok ambas da Argentina.

A notícia boa disso tudo, é que assim como nosso “vizinho” Chile, o MERCOSUL (grupo do qual o Brasil obviamente faz parte) está ensaiando um acordo de livre comércio com a União Européia, coisa que não é novidade, pois esse “namoro” vem se alastrando há 10 anos. A diferença é que agora ambos os blocos estão entrando num consenso para que tal acordo seja firmado.

Talvez até mesmo esse ano, já que ambas as partes estão empenhadas para que isso ocorra. Agora você deve estar se perguntando. Qual a nossa vantagem de consumidor com isso? Bem, vou ser direto. Se caso isso suceda realmente, e as montadoras européias que têm representantes aqui em nosso país forem justas com o consumidor brasileiro, vamos poder comprar, por exemplo, um BMW 118i por “apenas” R$ 64.675,00, ante os R$ 99.500,00 cobrados atualmente por culpa desses impostos!

Agora leitor, reflita sobre que carro nacional você pode comprar com esses R$ 64.675,00. Pensou? É meu amigo, as montadoras andam cobrando muito ágio, mesmo não pagando esse imposto.

Texto de Hangel Ricardo Padilha


  • T. Motta

    Sempre que eu falo que a culpa do preço dos carros brasileiros não é só do imposto, muita gente ainda reluta em acreditar… o benefício direto desse novo acordo será a entrada de mais opções no mercado. Mais opção para o consumidor reflete maior concorrência.

    Obrigado pela notícia, é boa não só para carros, mas para muitos itens que, atualmente, ficamos reféns de um número reduzido de alternativas.

  • vdssanches

    Enfim… Matéria muito boa, mas se pararmos pra pensar nas consequências de um acordo desse, vai muito, mas muito além de carros.

    Um acordo de livre comércio com a União Européia traria benefícios para todos os setores da economia, no que diz respeito à aquisição de novas tecnologias. Também contribuiria para a exportação. Enfim, se tiver algum economista formado que comenta aqui, seria interessante listar detalhadamente os prós e contras.

    Essa é infelizmente mais uma excelente ideia classificada como "boa demais pra ser verdade". Espero que aprovem neste ano!

  • http://intensedebate.com/people/Bruno121285 Bruno Leonardo

    Brasil, meu Brasil Brasileiro… é imposto hein meus amigos… 35% é muita coisa. Ta na hora de dar um basta nisso mesmo. :@

  • fernando meier

    quer um exemplo hangel? aqui nós temos "maravilhas como um agile completao por apenas58 mil reais, uma s-10 cd por 110 mil, um golf 4,5 sportiline por 75 mil, um peugoet 206,5 por até 52 mil, uma kombi, 50 mil, um mille por 27 mil, um classic por 30 mil, um vectra elite por 78 mil, e mais alguns modelos que nem merecem comentar tamanha a falta de vergonha de montadoras e concessionárias, que exploram a cada dia o bolso do brasileiro, mas fica uma pergunta; se fechar o acordo, será que essas famigeradas montadoras vão colocar o preço justo nos carros?!!!!!!!!!!

  • http://intensedebate.com/people/TMotta T. Motta

    Sempre que eu falo que a culpa do preço dos carros brasileiros não é só do imposto, muita gente ainda reluta em acreditar… o benefício direto desse novo acordo será a entrada de mais opções no mercado. Mais opção para o consumidor reflete maior concorrência. Obrigado pela notícia, é boa não só para carros, mas para muitos itens que, atualmente, ficamos reféns de um número reduzido de alternativas.

  • Vinícius

    Se o BR fizer isso, se foi a indústria nacional, todos vão querer comprar carro importado, as montadoras vão tirar suas fábricas do brasil, vai ser que nem no chile….ZERO de montadoras, tudo importado e muito desemprego!!!!
    PENSEM NISSO TAMBÉM!

    Prefiro que o governo baixe o imposto do carro nacional e mantenha o imposto do carro importado aí sim vai incentivar a mercedes benz a voltar a produzir no brasil, a audi a voltar a produzir no brasil! O caminho é esse…baixar o imposto do carro nacional, baixar o imposto do carro importado é destruir as montadoras brasileiras…TEM GENTE QUE NÃO VE ISSO NÉ!!! Acha bonito BMW a 65 mil e quebrando todas empresas que investem no Brasil….aí quando o desemprego bate na porta de casa e não tem nem os 65 mil da BMW …aí o bicho pega!

    • http://intensedebate.com/profiles/vdssanches vdssanches

      Se for assim, prefiro ter a qualidade de vida do Chile (único país de 1º mundo da América Latina). Não precisa ter nenhuma montadora instalada.

      Cada uma que se lê…

    • vdssanches

      Se for assim, prefiro ter a qualidade de vida que há no Chile (único país de 1º mundo da América Latina). Não precisa ter nenhuma montadora instalada.

      Cada uma que se lê…

    • pablojuangarcia

      "Acha bonito BMW a 65 mil e quebrando todas empresas que investem no Brasil….aí quando o desemprego bate na porta de casa e não tem nem os 65 mil da BMW …aí o bicho pega! "
      Agora só falta falar que carro tem que ser caro pra não lotar as ruas ¬¬' cada uma. Ah, e por sinal as empresas que "investem" no Brasil são européias. (VW, Fiat, MB, Ford, Peugeot, Renault)

    • Hangel

      Sim Vinicius, o "bicho pegaria" se o Brasil não tivesse empresas com o porte da Embraer, Petrobras, Vale etc com cacife pra concorrer com as européias, coisa que o Chile não tem.
      E eu sinceramente acho q se as empresas que estão instaladas aqui, que querem continuar vendendo BEM, vão ter q diminuir suas margens de lucro sim!
      E claro concordo com sua sugestão de que o governo teria que diminuir os impostos pras nacionais também, para não haver uma concorrência desleal com outras empresas ou até mesmo com suas matrizes, mesmo pq eu não quero ver nenhuma empresa que emprega brasileiros falida!

      E eu também defendo uma redução gradual nos impostos claro, pra não causar um impacto no mercado de seminovos e usados.

    • Romero Vinicius

      Bem,acho corretissimo, temos que pensar que nessa história quem está errado é governo, que coloca 40% de imposto no carro nacional e das montadoras q ganham em média 3 vezes em cima de cada carro………

      As pessoas esquecem da crise recente q tivemos q milhares de trabalhadores do setor automotivo perderam os empregos

    • Rogerio Lima

      Vinícius, Se reduzir a carga tributária nos veículos nacionais o que vai acontecer é o mesmo que aconteceu com a redução do IPI, ou seja, embolsar o valor e não repassar o desconto para o consumidor.
      A essas alturas já devia estar mais do que claro que a culpa dos preços altos não é só dos impostos e sim da ganância das montadoras.
      Você defende a industria nacional, e particularmente acredito que vc deva ser funcionario dela, porém essa industria além de oferecer um produto inferior ao resto do mundo ainda cobra bem mais caro por ele.
      A solução é sim a redução de impostos para os importados, alguns vão perder infelizmente mas a maioria irá se beneficiar de veículos mais seguros, modernos e eficientes.
      Com a abertura/faciliatação de veiculos importados a industria nacional vai ter que se modernizar e deixar de lado a ganância sem escrúpulos para se manter competitiva, infelizmente esse é o caminho para a maioria se beneficiar.

    • pablojuangarcia

      "Acha bonito BMW a 65 mil e quebrando todas empresas que investem no Brasil….aí quando o desemprego bate na porta de casa e não tem nem os 65 mil da BMW …aí o bicho pega! "
      Agora só falta falar que carro tem que ser caro pra não lotar as ruas ¬¬' cada uma. Ah, e por sinal as empresas que "investem" no Brasil são européias. (VW, Fiat, MB, Peugeot, Renault)

    • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

      Acha bonito BMW a 65 mil e quebrando todas empresas que investem no Brasil….aí quando o desemprego bate na porta de casa e não tem nem os 65 mil da BMW …aí o bicho pega!
      Agora só falta falar que carro tem que ser caro pra não lotar as ruas ¬¬' cada uma. Ah, e por sinal as empresas que "investem" no Brasil são européias. (VW, Fiat, MB, Ford, Peugeot, Renault)

    • http://twitter.com/rafapin @rafapin

      Essa é uma visão muito limitada, você está vendo apenas um lado…

      Veja o caso do México, diziam a mesma coisa sobre o NAFTA, e veja como o país progrediu depois da entrada no NAFTA! Os carros ficaram melhores, e hoje eles vendem carros como nunca!

  • caw

    Acho pouco provável que as marcas de luxo (BMW, Audi e Mercedes) baixem seus preços no mesmo nível da queda do imposto, posto que tais marcas primam, aqui no Lisarb, pela exclusividade.

    Todavia, seria bom termos VW Passat, VW EOS, Peugeot 407, 408, etc, Citroen C5 e outros a um custo mais interessante. Se a VW conseguisse trazer o Passat 2.0 e a Citroen o C5, por cerca de 70 mil, ia ser um belo choque de agua fria em Civic e Corolla…

    Outras opções interessantes seria Fiat 500 por menos de 45mil (?!?!) e quem sabe até a volta dos modelos Alfa Romeo…

    Tomara que esse acordo realmente se concretize.

    • Johnny

      Você precisa aprender mais sobre livre comercio, só isso. Pesquise mais, sinceramente! Proteger industria nacional, proteger empregos de baixa produtividade são falacias, isso somente nos deixa um pais atrasado, não estranho o Brasil ser um pais com participação pifia no comercio exterior. Esses empregos na industria automotiva serão apenas substituídos por empregos onde há muito maior produtividade, onde temos uma vantagem competitiva em relação ao parceiro comercial. Ha sim um sofrimento no curto prazo, mas os benefícios no médio a longo prazo são indiscutíveis.

    • Vinícius

      Você acha que a Citroën iria vender C5 com preço menor que o C4 TOP/….. NUNCA…SONHA QUE A PEPSI PAGA!

  • http://intensedebate.com/profiles/vdssanches vdssanches

    Enfim… Matéria muito boa, mas se pararmos pra pensar nas consequências de um acordo desse, vai muito, mas muito além de carros.

    Um acordo de livre comércio com a União Européia traria benefícios para todos os setores da economia, no que diz respeito à aquisição de novas tecnologias. Também contribuiria para a exportação. Enfim, se tiver algum economista formado que comenta aqui, seria interessante listar o que aconteceria…

    Essa é infelizmente mais uma excelente ideia classificada como "boa demais pra ser verdade". Espero que aprovem neste ano!

  • vdssanches

    Enfim… Matéria muito boa, mas se pararmos pra pensar nas consequências de um acordo desse, vai muito, mas muito além de carros.

    Um acordo de livre comércio com a União Européia traria benefícios para todos os setores da economia, no que diz respeito à aquisição de novas tecnologias. Também contribuiria para a exportação. Enfim, se tiver algum economista formado que comenta aqui, seria interessante listar detalhadamente os prós e contras.

    Essa é (infelizmente) mais uma excelente ideia classificada como "boa demais pra ser verdade". Espero que aprovem neste ano!

    • rdish

      Não vejo assim. Um tratado de livre comércio no que diz respeito a carros detonaria nosso mercado automotivo. Pra quê investir nas fábricas daqui, se eles podem simplesmente exportar os carros pra cá? Muito mais fácil e mais barato do que gastar milhões nas linhas de produção brasileiras para fabricarem os carros aqui.
      Seria o fim de nossa indústria automotiva. Pode ser que, na visão egoísta dos comentaristas, isso seja bom, ou que haja indiferença. Mas esse setor é um dos que mais emprega no Brasil. Várias empresas possuem no setor os mais importantes fornecedores. E é um mercado que, apesar dos pesares, está crescendo muito.
      A ÚNICA possibilidade disso ser legal é se as fabricantes de carros considerarem o Brasil vantajoso pra fabricar carros pra abastecer a Europa. Mas isso depende de vários fatores: logística de transporte brasileira (a nossa é horrível) custo (devido a nossos impostos, produzir carro no Brasil pra exportar é caro), investimentos nas linhas de produção (e haja grana pra praticamente REFAZER nossas linhas produtivas) , custo de mão-de-obra (mais barato que a Europa, mas mais caro que outros países emergentes), entre outros. Muito complicado.
      Enfim, o modelo chileno NÃO SERVE pra gente. O problema nosso é diferente, e não está necessariamente na indústria automobilística, pelo menos não é a única culpada. Bato na tecla, é o sistema de transporte público brasileiro o problema.

  • http://intensedebate.com/profiles/fla3d Fla3D

    Acho que tem que cuidar com algumas coisas quando resolver escrever uma matéria, especialmente com as virgulas pois existem regras sobre quando se deve e quando não se deve utiliza-la, não é pra ficar colocando onde achar que deve, tem umas frases que foram simplesmente mutiladas por uma virgula no lugar errado.

    E com o Mexico não temos um livre comércio como ocorre no mercosul, são alguns produtos que possuem isenção entre eles carro que possuem fabricas no Brasil, com a idéia de troca de produto entre os países para equilibrar a balança comercial, não é qualquer empresa que pode trazer carro com 0% e muito menos qualquer produto. Então seria legal colocar mais informações sobre o acordo com a Europa, será livre comércio? Será restrito a alguns produtos como no México?

    E por último, imposto de importação não é tudo o que sobe o preço dos carros aqui no Brasil, o que mata é a ganancia dos fabricantes, quando vemos os carros da Hyundai e Kia (que pagam os 35% de imposto de importação + frete Coreia/Brasil) sendo vendidos aqui, custando o mesmo e muitas vezes até menos que os similares nacionais e sempre bem equipados, por aí já da pra perceber que se as fabricantes nacionais quisessem ser justas como vc falou elas poderiam reduzir seus preços em até 35% já. Vai sonhando que eles vão fazer isso… eles vão é aproveitar pra lucrar mais, por isso tomara que nesse caso venham outras fabricantes com preço mais justo, como fazem hoje Kia e Hyundai.

  • jccg

    ta na cara q vai ter muito dono de corolla e civic q vao vender logo seus carros e comprar bmw serie 3 por menos de 65mil…

    • Rafael

      nem precisa bmw, mercedes, audi chegar a esses preços, só de virem pra cá com preços um pouco mais baixos ja vai mostrar que o consumidor brasileiro tbem gosta de qualidade e conforto!
      isso vai fazer com que nossos carros na faixa dos 60.000 a 80.000 ja diminuam seus preços!

  • João

    Post equivocado, por dois motivos:
    1 – como alguns colegas já comentaram, o fim dos 35% pode ter um efeito extremamente destrutivo sobre a indústria automotiva nacional. Basta lembrar que na década de 90 o governo Collor reduziu alíqüotas de importação e, em 1995, com a balança comercial deficitária em autos, FHC teve que fazer o regime automotivo, que salvou a indústria nacional. Pensem nos milhões de empregos (montadoras, autopeças etc) que podem ser perdidos.
    2 – Muita ingenuidade achar que os preços se reduzirão automaticamente e na mesma proporção que a redução dos 35%. Basta lembrar que o Tucson produzido em Anápolis custará o mesmo que o importado da Coréia. Os impostos influem no PREÇO MÍNIMO que a montadora pode cobrar. Acima disso, conta muito mais o POSICIONAMENTO DE MERCADO e a DEMANDA para um certo produto. Exemplo? Fiesta Verve será vendido a 57 mil no Brasil, com 0% de ii (pq vem do México). Opção da montadora, de criar um segmento, "sedan compacto premium" e dos consumidores que vão pagar.

    Agora me respondam. Se o Fiesta mexicano custará 57, o que os faz crer que um 118i sairá por 64? Santa ingenuidade…

  • CaioSC

    Alguem acredita q se sair esse acordo eles vao baixar os 35%? Com certeza nao! Ate mesmo pq muitos carros europeus vao concorrer com outros de niveis diferente no Brasil! Imagina um citroen C5 custando R$70 mil, sera q alguem iria comprar um Pallas exclusive? que custa quase a mesma coisa?

  • Luis Claudio

    Acho que o acordo é interessante para os consumidores graças a pressão de baixista nos preços. Com concorrência acirrada é que a margens das montadoras cairão (só vai ficar faltando a margem das concessionárias).
    O lado ruim é que o Brasil não está preparado para uma abertura dessa. Por que? elevada carga tributária, cumulatividade de tributos e outras aberrações legais em relação a impostos e elevado custo de capital para empresas. Temos empresas de auto-peças preparadas para concorrências, mas muitas não.
    Agora, esse acordo vai ser difícil de sair mais pelos europeus do que nós do lado de cá do Atlântico. A destruição que o Brasil faria com produtos agricolas e industriais semi-elaborados mais competitivos deve deixá-los com arrepiados!

  • Jefferson

    Acredito q o acordo não fará diferença para o consumidor brasileiro. Maaaaasssss, com toda a certeza fará para as montadoras importadoras, afinal, serão mais 35% de lucro…

  • Rafael

    se isso fizer com que nossos carros tipo: golf, vectra, civic, corola, e demais desse padrão baixem 10.000 ja estará ótimo!!!

  • http://intensedebate.com/profiles/rdish rdish

    Mas o setor automotivo é um dos que mais emprega no Brasil. Tanto as fábricas aqui instaladas quanto as que dão suporte a ela. Enfim, milhares de empregos diretos e indiretos.
    Um tratado de livre comércio dos moldes do Chile talvez poderia ser legal à curto prazo, mas detonaria a economia brasileira posteriormente.
    Acho que não é por ai a solução. A visão do autor do post é muito egoísta.

  • Alfredo.Araujo

    Interessante as pessoas se esquecerem dos milhares de empregos q a industria automobilistica gera por causa desse mercado fechado…

  • Lago

    Não são somente impostos, a ganância das montadoras, importadoras e revendas é monustruosa. Quando um importado chega aqui eles levam em consideração o preço de um similar nacional."um BMW 118i por “apenas” R$ 64.675,00, ante os R$ 99.500,00" isso jamais acontecerá no Brasil, a BMW analisará com qual carro irá competir e terá preço compatível da concorrencia. Isso pode ser visto na própria kia, um magentis 2.0 164 cv sedan médio/grande automático, couro, multilink, preço de tabela 65.900, compra-se por bem menos, a mesma Kia vende o cerato 1.6 automático,sedan compacto/médio, acabamento muito inferior ao magentis, tecnologia inferior, banco de tecido ruim, só porque é mais bonito, vende muito mais, cobra-se mais pelo cerato. Creio que o custo do magentis seja muito superior, se o magentis é 65.900, com lucro, e pela diferença de categoria o cerato poderia muito bem ser vendido por, no máximo, 55.000(top).
    continua…..

  • Lago

    …..continuação
    A mesma coisa acontece com a Hyundai. Quando o Tucson(velho) era vendido mundo afora, aqui tinhamos um determinado preço, agora flex, só disponível no Brasil, sem 35% de imposto de importação, nacional será mais caro, conforme adiantou a Hyundai. É lógico, se a gasolina, menos valorizado do que flex, era lider de mercado, agora flex, continuará sendo lider e mais cara, tem mercado e não tem concorrente, a Hyundai deita e rola e cobra mais. A hyundai nos dá melhores opções hoje, pela necessidade de crescimento, quando estiver no topo, a exploração mudará de endereço, ou terá mais um endereço. Precisamos de redução de impostos, sim, mas precisamos de consciencia, informação, boicote, organização, precisamos mudar nossa cultura de consumidores. Imaginemos uma semana sem comprar nenhum Fiat ou de qualquer outra grande marca, é possível basta organização. Quando o povo quer consegue, movimento das diretas, impitchman de Collor, movimento gay e muitos outros grandes movimentos populares.

  • Sadala

    Grande pensamento. Pensamento burro!!!!!!! Se tivesse livre comércio, todas as fábricas do Brasil iriam embora. Só a indústria automotiva brasileira e as auto peças contam 20% do PIB nacional. E se considerarmos as siderúrgicas, químicas e petrolíferas, o percentual sobe pra 50%. Quer o que? Desemprego em massa? O que se deve lutar é para melhoria nos produtos feitos aqui, atualizados com o resto do mundo e não a importação. Que pensamento mais idiota e burra. E por acaso o Chile produz alguma coisa? Para um país ser desenvolvido, no mínimo tem de ter um a indústria forte e moderna. O que falta no Brasil, é a atualização apenas. E quer destruir ela? Lutemos pela modernização e não a sua destruição. Pensamento seu que só olha o próprio umbigo. Pensamento seu muito simplista e burra.

  • http://intensedebate.com/profiles/vdssanches vdssanches

    Ok, compreendo o teu ponto de vista. Mas deve haver um meio termo entre o "liberalismo" do Chile e a exploração que existe atualmente por aqui, não?

    Eu acredito muito em duas ações:
    i) Redução de impostos;
    ii) Abertura de mercado (aumentar a competitividade) – atrair mais fabricantes.

  • led

    adeus gm,fiat,ford,vw, e sejam bem vindos bmw,audi mb,jeep e todas outras

  • R. Mendes

    Caso esse acordo seja concretizado, seria uma boa. As marcas que produzem aqui não vão deixar um mercado (como foi falado) promissor que é o Brasil, vão ter é que se rebolar para baixarem os preços de seus carros. Aí meus amigos, veremos preços de carros nacionais mais justos.

  • Lago

    Tambem sempre comento, se tirarmos todos os impostos de um corolla no Brasil, ainda assim ficaria mais caro do que é vendido nos EUA com impostos e tudo mais. Fora os impostos aqui é mais barato produzir do que nos EUA. Qual a justificativa para valor tão alto, é simples altíssimos lucros de montadoras e revendas.

  • Ab_STZ

    Meu deus, vc é louco…, simplesmente desconhece a vida, deve ter 8 anos!!

  • Ivan

    Quem dera se tornar realidade. Eu quero mais é que as montadoras nacionais quebrem mesmo, e quebrem todas. Tão mais pra organizações criminosas que pra montadoras.

    Aí vem os mi-mi-mi…ah, mas o desemprego vai bater a porta. Sério? E quantos bilhões elas já lucraram nas nossas costas? hein?
    Somente com preços dobrados, porque?

    Eu queria perguntar cara a cara para um presidente da República ou de montadora;

    PORQUE O DINHEIRO DOS BRASILEIROS VALE MENOS???

    Hehe..imagine a cara hipócrita do sujeito, imagine ele começar a gagejar e tentar arrumar desculpas pra responder a essa pergunta tão simples.

    Porque é assim que vejo, olho para os países vizinhos e vejo que preciso trabalhar dobrado pra comprar o que eles compram.

    Isso beira nazismo.

    E para os supostos preocupados com o tal desemprego, nem esquenta, isso abriria uma infinidade de outras portas, dá pra exportar alguns milhões a mais com um acordo desses, então é um por um.

    E você acha que essas montadoras iriam quebrar? Acho que não, apenas a ganancia iria diminuir de um jeito digamos, forçado.

    O "Fla3d" falou bonito sobre a ganância vs 35% que a Hyundai/Kia pagam e vendem na mesma faixa.

  • http://intensedebate.com/profiles/rdish rdish

    A redução de impostos é algo necessário não apenas no mercado automotivo, mas pro Brasil em geral. Não sou a favor do 'estado enxuto' defendido por PSDB e Democratas, mas acho que dá pro Estado gastar menos e ser mais eficiente.
    Quanto à abertura do mercado, não há como fazê-lo sem demitir. Não existe meio termo. Se for mais barato importar carro, vão diminuir a produção nacional, pode ter certeza. E como consequência, as demissões. Não rola.
    A solução para melhorar a qualidade dos produtos a nós oferecido passa por outros caminhos. As fabricantes de carros têm de ter a percepção de que vale a pena investir os milhões (e são muitos hein) que são necessários pra modernizar nossos carros. Esse investimento tem de trazer um retorno maior do que o que eles têm hoje. Mas o mercado sinaliza isso? Não. Então, PRA QUÊ investir nisso? Sejamos sinceros…
    Lembrem-se: Brasileiro compra carro pra não ter de usar o transporte público brasileiro, e não por conforto, requinte, segurança, ou algo parecido. Pensem…

  • nando

    vou poder comprar,um opel Astra sem impostos, e isso msm ? ou so fabricante que ja vende aqui,como BMW ,Merceds,Audi etc ….

    E as quantro grande,os carros vão fik mais barato?

  • Bruno Vinicius

    O grande problema é que com os juros e impostos cobrados no nosso Brasil não compensa investir esses muitos milhões aqui, o que acaba por estagnar o nosso mercado com as carroças que nós dirigimos. A isenção de impostos de importação não é exatamente o nosso maior problema, tendo em vista ainda que o custo de manter um trabalhador na Europa é bem maior do que no Brasil. O governo deve sim enxugar seus gastos e desinchar a máquina pública, para que possa desonerar pelo menos um pouco tanto a classe trabalhadora quanto as grandes companhias.

  • witel

    Eu tenho certeza que esse acordo não vai fechar as montadoras, se o governo oferecer incentivos para elas, elas comecarao a fabricar veiculos aqui e exportar, pelo simples motivo de o custo dos funcionários por mais que aqui seja alto, se torna mais baixo porcausa do euro, e com os produtos cotados em reais, e exportados em euro? elas aumentariam sua margem de lucro, e para nós brasileiros, gracas a Deus as montadoras vão comecar a se mexer para fazer carro com qualidade…
    ÓTIMA INICIATIVA.

  • Jay

    nao vai adiantar NADA. continuando no exemplo que nosso amigo citou, a BMW vai manter o preço da serie 1 em 99 mil. No maximo baixar pra uns 90k.

    Se o brasil realmente fosse um país sério, o GOL (que é fabricado aqui) teria o mesmo preço que no mexico. Alias, vcs sabiam que o gol fabricado no brasil custa menos que no mexico do que aqui? Ja saiu uma materia no NA sobre isso (se alguem puder linkar, agradeço)

    A gente nao paga importaçao dos carros que vêm do mexico e nao é por isso que um SENTRA custa 40 mil reais ou uma CAPTIVA 50 mil

    vai continuar a mesma palhaçada…

  • Eduardo

    A questão dos impostos é complicada. Já vi muitos defenderem que além do imposto de importação existe muita ganância das montadoras, porque se pegar o preço do carro importado, adicionar 35%, ainda não se alcança o preço praticado aqui. Essa diferença é facilmente identificada nos impostos indiretor. A ganância reside somente no Estado Brasileiro. Precisamos entender que existem 2 expécies de tributos, os diretos (imposto de importação, IPI, ) e os indiretos (PIS, COFINS, IRPJ, ICMS e toda variedade de taxas de órgãos públicos e impostos de folhas de pagamento de funcionários e de tudo aquilo que a montadora consome – pois contratar um funcionário aqui é muito mais caro que na argentina, no méxico, a energia elétrica possui qse 50% de impostos no Brasil, um assalto…. etc etc). Enfim, se somar os impostos diretos e indiretos, é facil ver porque um carro aqui custas 50, 60% mais que no exterior.
    Acorda povo brasileiro, Pagamos muito, e não recebemos quase nada!

  • Quattroporte

    Eu acho que mesmo com esse acordo vai continuar na mesma!
    Pois Hilux, Amarok(Argentina) e Fusion(México)
    Mesmo com o Mercosul continuam com Preços abusivos!

  • yuri radd

    vAI HAVER UM LIMITE DE CARROS SEM IMPOSTO QUE VAMOS PODER IMPORTAR, A INDUSTRIA BRASILEIRA NÃO VAI QUEBRAR NÃO, ADEMAIS, É SÓ ABAIXAR OS PREÇOS DOS NACIONAIS.

  • http://intensedebate.com/profiles/allanjapa Japa

    Pra mim está mais que claro que um acordo como esse não seria aceito pelo governo brasileiro. Tirar o imposto de 35% sobre cada veículo importado é acabar com a mamata dos que gerenciam o país. Há muitos anos também se fala em reforma tributária, que realmente se faz necessária, mas todo governo empurra pro governo seguinte.
    Por que eles fariam esse acordo? Para serem bonzinhos com o povo que precisa de mais justiça na cobrança de impostos? É até engraçado, mesmo sendo trágico.

  • Yuri Chavez

    Eu não condeno montadora alguma por colocar o preço que quiser em seus carros. Isso é apenas o mercado se aproveitando da ignorância e do exibicionismo do consumidor brasileiro. Condeno é o "malandro" que vai gastar 70 mil, por exemplo, num Golf "fulero" e que depois vai sair por aí achando que 'tá' tirando onda e fazendo vantagem. Tem muita gente aí (e não é pouca) que sabe que os preços estão passando de todos os limites mas mesmo assim não pode ver uma novidade que corre 'pra' concessionária querendo ser o primeiro a adquirir o novo 'mico' do mercado. É como dizem aqui mesmo no NA: cada povo tem o que merece e é isso que brasileiro exibicionista merece.

  • Locarauto

    Não entendi essa parte:

    "Talvez até mesmo esse ano, já que ambas as partes estão empenhadas para que isso ocorra. Agora você deve estar se perguntando. Qual a nossa vantagem de consumidor com isso? Bem, vou ser direto. Se caso isso suceda realmente, e as montadoras européias que têm representantes aqui em nosso país forem justas com o consumidor brasileiro, vamos poder comprar, por exemplo, um BMW 118i por “apenas” R$ 64.675,00, ante os R$ 99.500,00 cobrados atualmente por culpa desses impostos!"

    Isso quer dizer o que? Se o BMW viesse da Europa direto para o Chile e se importássemos o BMW direto do Chile, quer dizer que esse preço de R$ 64 mil seria para nós? No caso o Chile estaria sendo um país de "exportar importados" europeus a custo zero de impostos?

    • http://intensedebate.com/people/Paulo_Ricardo Paulo_Ricardo

      pena q os chilenos naum pensaram nisso antes não é???

  • Vinícius

    Concordo plenamente com você, mas quem não entede nada de economia e só olha valores dos carros, acha excelente…vir carro importado por uma miséria e o nacional custando uma fortura…quando a solução mais interessante é baixar imposto do carro nacional para incentivar que as montadoras façam seus carros top de linha no país. Mas é isso aí… O povo brasileiro tem o que merece…políticos no nível da população!

    Então que TRAGAM IMPORTADOS SEM IMPOSTOS…E VIVA O DESEMPREGO

  • vicegag

    "assim como o Brasil tem acordos de livre comércio com Argentina"
    Mas este Mercosul é uma piada, visto que se existe este acordo, deveriamos poder compar um carro num pais que tenha o acordo e trazé-lo para o Brasil sem pagar diferenças como ocorre na união europeia (segundo o que li).

  • Locarauto

    De que adianta ter fabricas aqui se a qualidade é baixissima e os preços cobrados na venda são similares ou até maiores que os importados que atendem as normas internacionais de qualidade. Não estou preocupado com politicas trabalhistas de metarlúgico, se estou com dinheiro tenho direito a um produto que me agrade. Na minha opinião ter fábrica no brasil só visa proteções trabalhistas, qualidade e atualidade do produto não condizem.
    No Chile não há fabricantes de automóveis. Mas o país não há tantos desempregados como no brasil e por conta disso o mercado de trabalho chileno ficaria de mãos atadas? Isso não rola.

  • Paulo_Ricardo

    eu tenho a plena certeza de que o custo de produção de automóveis é bem mais barato aquí no brasil do q na europa. os salários lá são altos, a qualidade de vida muito melhor q aki e mesmo assim os preços lá não são o absurdo que são aki.

    isso vai acarretar finalmente na resdução de impostos e numa fatia menor do lucro das montadoras. pense q aki o custo de produção sendo menor com imposto sendo reduzidos para combater a concorrência externa, as montadoras européias começaram a produzir seus modelos aki para exportar para lá sem impostos e isso gerará mais empregos para nós. não se esqueça q o euro. custa mais do q 3 reais. então elas terão no mínimo um gasto 3x menor de produção.

    pense nisso…

  • http://intensedebate.com/people/Paulo_Ricardo Paulo_Ricardo

    eu tenho a plena certeza de que o custo de produção de automóveis é bem mais barato aquí no brasil do q na europa. os salários lá são altos, a qualidade de vida muito meljhor q aki e mesmo assim os preços lá não são o absurdo que são aki.

    isso vai acarretar finalmente na resdução de impostos e numa fatia menor do lucro das montadoras. pense q aki o custo de produção sendo menor com imposto sendo reduzidos para combater a concorrência externa, as montadoras européias começaram a produzir seus modelos aki para exportar para lá sem impostos e isso gerará mais empregos para nós. não se esqueça q o real custa mais do q 3 euros. então elas terão no mínimo um gasto 3x menor de produção.

    pense nisso…

  • http://intensedebate.com/people/Paulo_Ricardo Paulo_Ricardo

    vcs portugueses trouxeram daí pra cá pro brasil né??? por isso estamos fu***os desse jeito q estamos hoje…

    comeou lá no tempo do império e isso é coisa q eu aprendi no colégio.

  • Vinícius

    sim, você só vai atrair fabricantes para o país dando vantagens pra ele produzir aqui…

    olha um exemplo…pq a Ford não vai produzir o novo fiesta no brasil agora…SIMPLES…é mais barato produzir no méxico e trazer pro brasil pq vai pagar menos imposto e no final ela lucra mais!

    pelo teu FANTÁSTICO PONTO DE VISTA DO MUNDO DO BOB…viva o México e o povo brasileiro que …..! bem nessa

    Se o BR baixace a carga de impostos …com certeza a Ford ia de cara querer produzir o fiesta no BR….mas vc prefere que venha do méxico…europa…esse é o zé povinho topeira do meu país

    BRASILEIROS>..VÃO PRA FACULDADE APRENDER ALGO!

    • vdssanches

      A minha primeira resposta foi um tanto vaga e sem argumentação mas gerou uma boa discussão sobre o tema e bons argumentos da maioria dos que responderam… Agradeço aos que manteram o bom nível das palavras.

      Fico cada vez mais convencido de que a grande chave para o desenvolvimento é a competitividade, (com a participação de vários competidores) independente das condições que são impostas num mercado – tais condições incluem impostos, custos extras (e tudo o mais)…

      Competitividade sempre gerou evolução. E é disso que um mercado capitalista precisa para funcionar direito e principalmente, EVOLUIR.
      Sem mais.

    • vdssanches

      A minha primeira resposta foi um tanto vaga e sem argumentação mas gerou uma boa discussão sobre o tema e bons argumentos da maioria dos que responderam… Agradeço aos que manteram o bom nível das palavras.

      Fico cada vez mais convencido de que a grande chave para o desenvolvimento é a competitividade, (com a participação de vários competidores) independente das condições que são impostas num mercado – tais condições incluem impostos, custos extras (e tudo o mais)…

      Competitividade sempre gerou evolução. E é disso que um mercado capitalista precisa para funcionar direito e, principalmente, EVOLUIR.
      Sem mais.

    • vdssanches

      A minha primeira resposta foi um tanto vaga e sem argumentação mas gerou uma boa discussão sobre o tema e bons argumentos da maioria dos que responderam… Agradeço aos que manteram o bom nível das palavras.

      Fico cada vez mais convencido de que a grande chave para o desenvolvimento é a competitividade, (com a participação de vários competidores) independente das condições que são impostas num mercado – tais condições incluem impostos, custos extras (e tudo o mais)…

      Competitividade sempre gerou evolução. E é disso que um mercado capitalista precisa para funcionar direito.
      Sem mais.

    • http://intensedebate.com/profiles/vdssanches vdssanches

      A minha primeira resposta foi um tanto vaga e sem argumentação mas gerou uma boa discussão sobre o tema e bons argumentos da maioria dos que responderam… Agradeço aos que manteram o bom nível das palavras.

      Fico cada vez mais convencido de que a grande chave para o desenvolvimento é a competitividade, independente das condições que são impostas num mercado – nisso incluem-se impostos, custos extras (e tudo o mais)…

      Competitividade sempre gerou evolução. E é disso que um mercado capitalista precisa para funcionar direito.
      Sem mais.

    • vdssanches

      A minha primeira resposta foi um tanto vaga e sem argumentação mas gerou uma boa discussão sobre o tema e bons argumentos da maioria dos que responderam… Agradeço aos que manteram o bom nível das palavras.

      Fico cada vez mais convencido de que a grande chave para o desenvolvimento é a competitividade, (com a participação de vários competidores) independente das condições que são impostas num mercado – tais condições incluem impostos, custos extras (e tudo o mais)…

      Competitividade sempre gerou evolução. E é disso que um mercado capitalista precisa para funcionar direito.
      Sem mais.

    • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

      "Se o BR baixace a carga de impostos …com certeza a Ford ia de cara querer produzir o fiesta no BR…."
      Não necessariamente, talvez a planta de lá tenha equipamentos mais modernos e produza mais. Aliás, para importar tecnologia, que é o que precisamos, este tratado seria bem-vindo.

      E se realmente queremos um país de verdade e evoluido, deveriamos ir para a universidade e não para a faculdade, pois um país que pretende se desenvolver investe em pesquisa, coisa que não fazemos.

  • http://intensedebate.com/people/Paulo_Ricardo Paulo_Ricardo

    eu tenho a plena certeza de que o custo de produção de automóveis é bem mais barato aquí no brasil do q na europa. os salários lá são altos, a qualidade de vida muito melhor q aki e mesmo assim os preços lá não são o absurdo que são aki.

    isso vai acarretar finalmente na resdução de impostos e numa fatia menor do lucro das montadoras. pense q aki o custo de produção sendo menor com imposto sendo reduzidos para combater a concorrência externa, as montadoras européias começarão a produzir seus modelos aki para exportar para lá sem impostos e isso gerará mais empregos para nós. não se esqueça q o euro custa mais do q 3 reais. então elas terão no mínimo um gasto 3x menor de produção.

    além de que muitas de nossas empresas terão oportyunidades de exportarem seus produtos para lá.

    ou seja. mais empresas e fábricas aki, produção maior, mais empregos…

    só vai ficar ruim pros europeus.

    pense nisso…

  • marcioho

    O Yuri Chavez falou tudo!!!! esta certo!

    Eu não condeno montadora alguma por colocar o preço que quiser em seus carros. Isso é apenas o mercado se aproveitando da ignorância e do exibicionismo do consumidor brasileiro. Condeno é o "malandro" que vai gastar 70 mil, por exemplo, num Golf "fulero" e que depois vai sair por aí achando que 'tá' tirando onda….

  • Romero Vinicius

    Bem, isso vai ser muito interessante, pois não ficaremos mais refens das chamadas 4 grandes montadoras.,…..

    Não precisaremos comprar CELTA sem isolamento acusticopraticamente, com excesso de plastico nas portas e volante torto sem nada de equipamentos de segurança por 35 mil reias…

    Quem venha o acordo…..:D

  • rivo

    Alguem acredita mesmo que a redução de impostos vai ser integralmente repassada a nós? Pq as montadoras que se beneficiarão disto não aproveitariam para tirar um extra para elas, afinal, no Brasil todo mundo faz isto né…
    Temos sim de fortalecer o que temos por aqui, mas gerando condições para as "nacionais" ficarem melhores (falo de menos impostos e ganancia e maior exigencia dos consumidores), e não impedindo que as fracas daqui encarem as fortes de lá.

  • http://intensedebate.com/people/_Campus_ _Campus_

    Nossa, 64mil não se compra nem um Honda civic, que é um carro excelente porem muito mal equipado!

    "…e as montadoras européias que têm representantes aqui em nosso país forem justas com o consumidor brasileiro."
    Disse tudo. Se as nacionais não tem o mínimo de respeito na hora de colocar preço em suas carroças, imagine os "de fora". Ainda mais sabendo que tem um carro bem superior…

    Uma pergunta: Essa bmw 118i tem tração dianteira, certo?

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    A indústria se adapta, não se preocupe. Ou você acha que eles vão querer jogar fora o investimento na planta fechando a unidade no Brasil? Existe lobby para isto, e concerteza, o governo abriria mão de algum imposto em nome da industria nacional (sim, osm politicos precisam ganhar a eleição, para isto há necessidade de emprego). Ou seja, só temos a ganhar com isto. Acordo de livre comércio com a UE já!

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Exatamente. Na caso o acordo é bilateral. Também ganhamos inserindo produtos agricolas a preços competitivos naquele mercado (coisa que o Brasil luta a mais de uma década para fazer). Não tem jeito. As fronteiras são cada dia menores. A globalização veio pra ficar =)

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Custava os franceses terem colonizado este país. Justo os portugueses =/

  • Camilo

    Quanta babaquice dizer que isot vai afetar a economia brasileira, o acordo é para ambas as partes , o Brasil tb irá aumentar as exportações para o mercado Europeu

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    "custo (devido a nossos impostos, produzir carro no Brasil pra exportar é caro),"
    O acordo é bilateral, e os carros sairiam com imposto 0.

    "é o sistema de transporte público brasileiro o problema. "
    O que sistema de transporte publico tem haver com economia. Talvez queira dizer modelo de transporte, se for isso, as ferrovias são a melhor opção, mas por aqui houve um idiota que dizia "governar é construir estradas". Enfim.

    "esse setor é um dos que mais emprega no Brasil"
    Emprega muito, mas tem vários setores que empregam mais. O setor de serviços é líder disparado. Além disso, carros pesados continuariam a ser fabricados aqui (não perderiamos em hipótese alguma volvo e mb).

    Lembre-se que com o tratado nossos produtos seriam beneficiados para entrar naquele mercado também. Lembre-se que nosso país tem uma economia bastante ligada a agricultura/agropecuaria.

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Pelo que sei o acordo está sendo negociado produto a produto. Ou seja, carros podem ter taxa 10%, computadores 5%, alimentos 0%, bebidas 50% e assim vai. Só quando sair pra saber. Mas seria bem interesante carros com zero%.

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Não há montadoras nacionais. VW/Fiat são européias, por exemplo.

  • http://intensedebate.com/people/_Campus_ _Campus_

    Pablo, acho muita ingenuidade sua achar que eu vejo uma montadora instalada em nosso território como uma marca nacional…

    João Gurgel se foi, assim como suas criações. Mas ao contrario do que você diz, temos sim uma montadora 100% nacional. A Troller, se não me engano, foi adquirida pela Ford, mas você se esqueceu da catarinense TAC que produz o jipe Stark.

  • Claudio

    Acorda filho!
    Os carros que vem do México, vem super barato, mas chegam aqui e passam a ser vendidos dentro da faixa de preços Brasil, pois se fossem ser vendidos pelo preço real que chegam, quebrariam as vendas dos feitos aqui, logo caso tenha acordo com os Europeus, nada mudara,apenas a faixa de lucro das montadoras sera maior, pois esses modelos serão vendidos caros para nãohaver a tal distorção de preço nacional de mercado! Resumindo"sonha"!

    • http://intensedebate.com/people/kikofar kikofar

      Cláudio, o Honda CRV custa 20.000 dólares nos EUA. Veja bem. É o mesmo carro produzido no México e custa menos de 40.000 reais lá. Aqui no Brasil, mesmo com o acordo comercial com o México, magicamente o carro figura na casa dos 100.000 reais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      Ou seja: como você disse, aqui no Brasil o preço é colocado num patamar para não "bagunçar" o mercado. Pra mim, sinceramente, existe é acordo entre as montadoras e ponto final. Já imaginaram um CRV, um ótimo carro, vendido a 55.000 reais???????? Vocês acham que a GM do Brasil faria o quê com aquela coisa horrorosa do tal Agile? Em qual lugar eles deveriam enfiá-lo????? rs

  • http://intensedebate.com/profiles/ltp5 Filipe Augustus

    Tração traseira, assim como todo BMW.
    E alguem duvida que por pouco mais de 64 mil reais, ela não vai ser a nova líder de vendas?
    Podem apostar.

  • http://intensedebate.com/people/R2_ R2_

    Com certeza, é preciso lembrar que em paises como Alemanha, a targa tributaria sobre a folha salarial é bem menor… Sem falar no IPI, ISS, ICMS… Ah e o frete que la é por trem e custa 1/10 do frete com caminhão em Asfalto Lunar.

    Agora imagina se os carros da Hyundai e Kia viessem sem esses 35% ? HA… a coisa ficaria bem acirrada. Com certeza uma abertura igual a do Chile, levaria inevitavelmente ao exterminio das montadoras aqui.
    Simplesmente não vale apena produzir o carro no brasil, a burrocracia e os impostos sao absurdos.

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Ok. Mas sua produção ainda não chegou a 1000 unidades. E como a própria empresa diz, seu produto é focado em um nicho. O que lamento e espero que, ao crescer, possam produzir carros para um publico mais amplo.
    O que quero dizer ao falar que não são nacionais é que, se a matriz é lá e a filial é aqui não há como a empresa ter prejuizo. Ela tem dinheiro investido nos dois lugares e não vai querer perder e como sabemos, o lobby das fabricantes de automóveis é bem forte.
    O que acho é que com o Euro mais valioso que o Real compensará montar aqui e exportar, ainda mais com o tratado. Temos que lembrar do projeto de espanção das nossas ferrovias, o que baixará o custo-Brasil.

  • Klaus Mittelstä

    Lamentável alguém usar um espaço de debates tão útil para dizer tamanha asneira como "Custava os franceses terem colonizado este país. Justo os portugueses =/". Muito infeliz.

  • Gustavo i30

    118i por preço de i30?eu quero…

  • http://intensedebate.com/profiles/dieguu dieguu

    Sinceramente, acho que se esse acordo realmente acontecer não vai mudar muita coisa para nós não, duvido que as montadoras vão baixar tanto o preço a ponto de diminuir seus lucros por unidade vendida,já que com o preço que cobram atualmente elas já vendem muito !

  • http://intensedebate.com/people/TMotta T. Motta

    Concordo contigo. O Brasil hoje é um gigante adormecido. A falta de transparência do governo, com tantos impostos indiretos, empaca o desenvolvimento nacional. Mas, claro, ainda tem a corrupção e a má administração.

    No entanto, o meu comentário se deveu ao fato de que recentemente foi realizado um estudo por economistas e tributariastas e a constatação foi a de que, no Brasil, grande parte do valor do veículo é lucro simples + opcionais (tirando financiamento, que é dos mais caros do mundo).

    Então a coisa vira um mix de governo e montadora/fabricante, com os consumidores pagando o pato. Conforme disse o colega Eduardo Costa ali em cima, as montadoras aproveitam os encargos da produção para "atolar o pé" também.

  • http://intensedebate.com/people/kikofar kikofar

    hehehe meu cunhado, que é um BMW maníaco, diz, com toda razão do mundo que no dia em que carro da BMW, Mercedes e Audi chegarem com preços não sobretaxados no Brasil, a "indústria" nacional será riscada do mapa!!!!!!!!!!!!!

  • Lago

    Só haverá acordo de livre comércio se incluir outros produtos, pois o Brasil não tem carros para exportar para a Europa, terá necessidade de incluir produtos que produzimos em condição de competir na Europa, ou então iremos ter desemprego, enfraquecimento(mais ainda) da indústria automobilistica brasileira declínio na balança comercial.É muito bom que o imposto de importação seja reduzido significamente e de maneira responsável, devemos preservar nosso mercado interno, mudar nossa cultura de consumidor, ver o capital selvagem como é. Reduzir drasticamente os impostos do governo porque são mau aplicados não faz sentido, é necessário criar mecanismos para que a receita seja bem aplicada, arrecadar mais do que se gasta, o endividamento do governo é ruim para toda população, com execeção dos bancos. A corrupçãosim, esta deve ser erradicada.

    • http://intensedebate.com/people/bittcorp bittcorp

      Lago,
      Na verdade, as montadoras brasieliras já exportaram para outros continentes, inclusive para a Europa… Pode não ser em grande quantidade, mas isso já ocorre.
      - A VW exportou Fox 1.4.
      - A Mercedes tem fábrica em MG com produção de um modelo voltada para a Europa.
      - A Ford exporta os motores Sigma 1.6
      - As fábricas da FIAT (Betim e Sete Lagoas) exporta/exportavam carros/peças para todo o mundo.
      - Honda e Toyota exportam para a América Latina
      Se o acordo for bom para ambas as partes, não só para os Europeus, todos sairemos ganhando.
      No Brasil, temos fábricas modernas, matéria-prima, mão de obra capacitada e produtos de qualidade pra competir globalmente.

  • http://intensedebate.com/profiles/rdish rdish

    A Europa VIRGULA. Lembre-se que o 'grosso' da produção automobilística de lá vem dos países do Leste Europeu. E lá as coisas não são tão caras assim. E é desses países que viriam os carros pra abastecer nosso mercado.
    Sobre a redução de impostos, é BALELA. O Estado não joga pra perder. Ou vocês acham que o nosso país aprovaria um tratado desse nível, onde de cara já teria abrir mão dos impostos alfandegários, pra depois ter de reduzir mais ainda pra garantir alguma competitividade da nossa indústria automotiva???? Não sejamos ingênuos. Ninguém faz isso.
    Outra coisa: Justamente pelo custo alto de produção das coisas por lá, os paises mais desenvolvidos da Europa tem as mais rígidas leis protecionistas do mercado. Não pensem que eles abririam seus mercado colocando sob risco sua indústria. Repito, não sejam ingênuos.

  • http://intensedebate.com/profiles/rdish rdish

    Desenvolvemos a agricultura, que é um setor primário e de menos valor agregado, e mataríamos a indústria automobilística? Ha ha.

  • Marcos

    Pro Pablojuangarcia. O cara lamenta que nós fomos colonizados pelos portugueses e não pelos franceses. Ok, então vá lá no Haiti. Os haitianos agradecem muito por ter sido colônia da França. Tanto é que o Haiti é um país muito desenvolvido e não têm pobreza e não têm fome. É porque eles foram colonizados pelos franceses e não pelos exploradores portugueses. Cada um que aparece….

  • Sadala

    O cara fala da Hyundai/Kia. ix35 por 80000/90000 reais? Revisões de quase 1500 reais cada um? Onde é que tá a boa vontade da Hyundai/Kia? Se não tá satisfeito, vá morar no Chile então. Lá bomba muito emprego. Aliás, uma das maiortes exportações do Chile é guano. Guano é adubo biológico coletado através das fezes de aves. Vá lá, quem sabe você ganha um trocado catando bosta de pomba por lá. Pelo menos você anda de BMW por preço de um fusca. kkkkkkkkkkkkkkk

  • @filippeyke

    Parem de ficar falando do Chile. É toda semana aqui noticinha de carro lançado no Chile por metade do preço aqui no Brasil.
    Isso é só pra passar raiva.
    Isso nunca vai acontecer no Brasil.

    O que precisa acontecer aqui é a redução de impostos de carros nacionais, e não ficar batendo na mesma tecla de livre comércio.
    Sem que isso aconteça, nunca haverá redução de impostos para carros vindos da Europa. Acordem.

    Se isso acontecer, quem vai comprar carros nacionais, se vai ser possível comprar importados por preços próximos?
    Aí as montadoras nacionais quebram, demitem funcionários… estes funcionários deixam de comprar e a economia para. Aí o país entra em recessão e ninguém aqui vai conseguir comprar carro nem nacional nem importado.

    Mas sabe quando que o governo brasileiro vai reduzir impostos de carros nacionais?
    Quem acertar ganha um doce…

  • Filippe

    E se isso acontecer, a maioria não vai ter condição de sequer sonhar com BMW, inclusive seu cunhado.

    Pense em quantos empregos serão RISCADOS DO MAPA junto com a indústria nacional?
    E esses empregados deixando de comprar, o que acontece com a economia do país? Recessão, crise, inflação e blá blá blá.
    Desculpa, mas a "indústria" nacional, por mais que ofereça carros defasados, é necessária.

    Uma coisa leva a outra aqui nesse país, e há interesses dos dois lados, então seu cunhado pode continuar sonhando que carros europeus não venham sobretaxados.
    Só quando carros nacionais custarem pelo menos metade do que custam hoje…

  • @filippeyke

    Quem contribui também pra essas porcarias de carros nacionais são os próprios brasileiros e as revistas especializadas.

    A GM lança aqui o Classic, um RESTO de carro chinês com plataforma de 1994, sem sequer oferecer airbag e ABS e o que acontece?

    A 4 Rodas coloca o Classic ganhando comparativo com Siena (que se não é um carro moderno, pelo menos oferece itens de segurança), elogiando isso, aquilo, criticando uma coisinha aqui ou alí, aí o povo vai lá e compra e acha que tá comprando carro novo, e o carro é um dos mais vendidos do país…

    Mudar pra que?
    O povo reclama mas compra… Classic, Mille, Gol G4, Celta…

  • http://intensedebate.com/profiles/rdish rdish

    Se entenderem que haverá prejuízo, fecham sem remorso algum. A GM, ao se ver perto da falência, não fechou várias fábricas no mundo todo? Isso é muito comum. O que interessa pra essas empresas é LUCRO, gente. Se entenderem que, devido ao acordo, é mais barato produzir em outro lugar, o farão.
    E escrevam o que estou te falando: Se as marcas chinesas conseguirem de fato balançar nosso mercado automotivo, podem ter certeza que elas mesmo passarão a importar de lá os carros. Tempos tenebrosos para a indústria nacional estão chegando…

  • http://intensedebate.com/people/bittcorp bittcorp

    GM, Ford, Toyota, Honda, Kia, Hyundai, Mitsubishi, Nissan produzem veiculos no Brasil e não são Europeias…
    O que tem que acontecer são as 2 coisas:
    1 – Um acordo de troca comercial com a Europa, que seja bom para os 2 lados;
    2 – A redução dos impostos… e não é só IPI. O ICMS, que é estadual, é muito mais "pesado".

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Concordo com você. E acho que a segunda aconteceria depois da primeira.

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Só pra esclarecer, estar perto da falência não depende de tratado algum. A GM é exemplo disso. É uma situação crítica, ou diminui custos ou quebra. Se adaptar a um mercado é outra história. A empresa tem capital, mas devido a novas condições do mercado precisa mudar sua estratégia.
    E uma ultima coisa. LUCRO é só o que interessa a QUALQUER empresa de qualquer setor. Caso contrario, não haveria motivo para ela existir.

  • http://intensedebate.com/people/pablojuangarcia pablojuangarcia

    Concordo.

  • http://intensedebate.com/people/bittcorp bittcorp

    A realidade do Chile é muito diferente… O parque industrial do Chile é inexpressivo e por isso a carga tributária não recai sobre produção/consumo. Por isso eles importam muito produto indistializado e exportam minerio (principalmente cobre), vinho, etc.
    Entretanto, o Imposto sobre a renda no Chile chega a ser de 40%. Todo Chileno que conheço, acha que paga muito imposto.
    São modelos diferentes e nenhum dos 2 é perfeito… no Chile também existe sonegação, pobreza, desisgualdade social.
    Temos que achar o nosso melhor modelo, não invejando o modelo chileno, americano ou europeu.

  • http://intensedebate.com/profiles/juniormyself juniormyself

    olha, não sou formado em economia nem em comercio exterior, e muito menos presidente de alguma industria automotiva.

    mas… isso parece que não vai mudar em nada, essa revolução não existe, é como fazer uma reportagem na globo dizendo "é prova, ET's existem"… talvez baixe um pouquinho, mas acho que é sonhar de mais, só ver a Hyundai, q importa e consegue preços competitivos aqui no mercado como muitos falaram.

  • Policarpo

    No meu pto de vista, o maior problema dentre vários elencados nas mensagens acima, reside no fato de que nós, brasileiros, apenas constatamos nossa realidade e fazemos muito pouco ou quase nada para mudar o status quo.

    Nós temos que pressionar para que a reforma tributária seja feita, é mais do que óbvio que precisamos que o país respire mais aliviado, com menos impostos…e com menos gastos. E ainda temos que ouvir o “DEUS” Lula dizer que a carga precisa ser alta…nunca ouvi tamanha asneira concentrada numa única frase…será que ele se lembra que 1kg de arroz paga + de 25% de imposto??? Querem o meu imposto para sustentar a máquina pública (custeio), com baixa transparência e efetividade…acordem!!!

    Quanto aos veículos, sem comentários…não podemos aceitar de mão beijada um sobrepreço com normalidade, ou seja, comprando toda a produção do país…nos últimos 12 meses foram 3,4milhões de unidades…recorde comemorado na midia…3,4 milhões de trouxas que se endividam com “baixas” taxas de juros para ter o seu tão sonhado carro popular…seguro, econômicos, modernos, etc…tem que ter sangue para aguentar…

    O caminho é: povo pressionando/questionando, redução do peso do estado, maior concorrência, consumidores mais seletivos, acordos bilaterais/multilaterais, etc.

    Temos muito dever de casa para fazer nesse nosso país…