Home Marcas Agrale Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

agrale marrua fotos avaliacao 1 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7




O Marruá nasceu para ser, literalmente, uma arma de guerra. Tanto que a Agrale entrega para o Exército Brasileiro cerca de 60% da produção do utilitário, que gira em torno de 100 unidades por mês. Os 40% que sobram são divididos entre outros exércitos – de países como Argentina, Peru e Colômbia, por exemplo – e empresas que precisam trafegar em lugares ermos e de difícil acesso.

Seja para uma concessionária de energia alcançar uma linha de transmissão no meio do mato, seja para uma mineradora enterrar o veículo nos túneis de alguma mina. As vendas ao consumidor final até existem, mas são irrisórias.

Em todo o ano de 2011 foram apenas 36 unidades emplacadas. Por esse perfil absolutamente pragmático e indiferente ao mercado geral, o modelo lançado em 2003 não teria mudanças, a não ser que fosse obrigado. Foi o que aconteceu com a entrada em vigor da fase P7 de emissões do Proconve, em janeiro deste ano.

agrale marrua fotos avaliacao 2 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

Para responder aos novos padrões de emissões, a Agrale simplesmente trocou a motorização do Marruá. Passou a adotar um propulsor Cummins ISF 2.8 Euro V, norma que serviu de referência para a P7. Mas como as normas do Proconve não são exigidas para veículos militares e em outros países, o Marruá mantém para estes casos a motorização anterior, de custo mais baixo.

Trata-se do propulsor diesel MWM Sprint turbo Euro III de 2.8 litros, que gera 140 cv de potência a 3.500 rpm e 36,7 kgfm de torque entre 1.800 e 2 mil giros. Já o novo motor Cummins ISF 2.8 Euro V, que atende ao Proconve P7, é bem mais moderno e eficiente.

agrale marrua fotos avaliacao 3 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

Ele tem 150 cv de potência – 10 cv a mais –, que aparecem em um regime mais baixo, a 3.200 giros. O torque ficou nos mesmos 36,7 kgfm, mas agora se mantém em uma faixa maior de utilização, entre 1.800 e 2.700 rpm. Sem abrir o capô, a única forma de identificar um Marruá dessa nova fase é examinando o painel de instrumentos, que ganhou um novo desenho e até computador de bordo.

Um computador de bordo não chega a ser um luxo esperado em um Marruá. E, na verdade, foi um efeito colateral benígno do fato de o novo propulsor utilizar vários controles eletrônicos. Para alcançar os níveis de emissões exigidos ele adota o sistema SCR – sigla em inglês para redução catalítica seletiva – que injeta Arla 32 no escape do motor. Este processo é considerado mais seguro, uma vez que é capaz de suportar até um diesel de pior qualidade, com maior teor de enxofre que o indicado, S50.

Na verdade, tudo no Marruá é pensado para “aguentar o tranco”. E nem havia mesmo outro jeito para ser homologado pelo Exército Brasileiro, onde é considerado um veículo para movimentação de tropas. Ele sequer precisa precisa mais enfrentar licitações – tem uma espécie de pré-aprovação.

agrale marrua fotos avaliacao 4 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

É por conta disso que as chapas da carroceria, por exemplo, têm 1,2 mm de espessura – em carros de passeio, usa-se medidas em torno de 0,7 mm. A capacidade “off-road” também impressiona. A começar pela altura livre do solo, que é de 23 cm na linha do diferencial e 35 cm na altura dos eixos.

O ângulo de ataque é de espantosos 61º e a rampa máxima é de 60%. E o utilitário suporta inclinação lateral de até 30º – nos testes práticos, já chegou a 42º. Sem snorkel, o Marruá é capaz de atravessar uma lâmina d’água de 60 cm de profundidade.

agrale marrua fotos avaliacao 5 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

Esses números se aplicam às versões civis do Marruá – AM100, AM150, AM200 e AM300. As três usam a mesma motorização e podem ter cabine simples ou dupla, com ou sem caçamba. As diferenças entre as versões são estruturais. O entre-eixos é de 3,10 m no AM100, 3,35 m nos AM150 e AM200 e 3,70 m para o AM300.

Já a capacidade de carga é de 3.500 kg para os AM 100 e AM150, 4.300 kg no AM200 e 6 mil kg no AM300. Todos têm transmissão 4X2 com roda livre e sistema 4X4 sem reduzida. Os preços desse autêntico “pé-de-boi”, que não traz de série nem ar-condicionado, começam em torno de R$ 130 mil.

agrale marrua fotos avaliacao 6 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

E ainda assim, para comprá-lo é preciso ir até um concessionário e fazer a encomenda, pois não há unidades para pronta-entrega. Essa é a maior prova da falta de intenção da Agrale em colocar o Marruá para brigar no mercado de varejo.

Primeiras impressões - Lógica implacável

Caxias do Sul/RS – O Agrale Marruá não é para frouxos. Nem para quem busca bons-tratos e delicadezas. Isso fica explícito em cada detalhe do utilitário. A forração das portas e do teto são em chapas plásticas rígidas moldadas, como aqueles que se usam nas costas dos encostos de ônibus e o piso é coberto por uma manta de borracha vulcanizada.

Depois de uma sessão “off-road”, pode-se tranquilamente dar uma mangueirada no carro, sem medo de estragar alguma coisa – tem até ralos para escoar a água. O quadro de instrumentos é completo, com conta-giros, computador de bordo e muitas luzes-espia. O desenho do painel segue uma impecável lógica de praticidade, sem preocupações com design.

agrale marrua fotos avaliacao 7 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

Em meio a todo estoicismo do Marruá, encontra-se algum conforto nos bancos, firmes na medida correta, e no grande espaço interno, inclusive na ótima altura livre do habitáculo. Na versão testada – AM100 cabine dupla com caçamba para cinco passageiros – há um vão entre os dois assentos dianteiros de cerca de meio metro, ocupado por um assento extra na versão para seis pessoas.

Mas a mesma filosofia pragmática volta a ser aplicada ao exterior do veículo. Para-lamas, portas, caçamba e vidros são retos, sem detalhes. As dobradiças das portas são externas, sem firulas nem acabamentos esmerados. O capo ainda apresenta dois grandes vincos, que só têm mesmo a função de ganhar altura na área do motor. A função da carroceria é reduzida ao básico. Ou seja: cobrir e proteger os ocupantes, as entranhas do veículo e nada mais.

Em movimento, o Marruá continua na sua aparente falta de poesia. Não há maiores preocupações em filtrar as irregularidades do solo. Menos ainda de bloquear a entrada de ruídos. Ele também não se mostra muito afeito a encarar mais ousadamente as curvas.

agrale marrua fotos avaliacao 8 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

A direção hidráulica só alivia mesmo o peso em baixas velocidades, para manter a boa manobrabilidade. Já a pega do volante é agradável, mas o câmbio é um clássico queixo-duro, com engates bem secos. Nada que instigue uma condução mais esportiva. Por outro lado, consegue manter um bom ritmo de viagem, mesmo que a estrada seja sofrível. Nesse quesito, em relação à diversão, quanto pior melhor.

Depois de alguns quilômetros de estrada de terra, o AM100 chegou à trilha usada como campo de provas, nos arredores de Caxias do Sul. É um trecho com pedras, buracos, valões, rio e barrancos. E é aí que no Marruá se sente em casa. Antes de encarar o trecho mais pesado, é preciso descer do jipe e engatar a roda-livre – uma trava engata o cubo das rodas dianteiras ao eixo de tração. Depois disso, é preciso acionar a alavanca que acopla o 4X4.

O Marruá não tem reduzida. A primeira marcha, que tem uma relação de velocidade/rotação curtíssima, de aproximadamente 7 km/h/1000 giros, funciona como marcha-trator. Numa descida acentuada, o freio-motor mantém a velocidade baixa, sem que seja preciso utilizar o freio. Esta marcha-trator credencia também o utilitário a encarar rampas bem íngremes e subir barrancos – no que se vale também do excelente ângulo de ataque, de 61º.

agrale marrua fotos avaliacao 9 Avaliação completa do Agrale Marruá AM100 Proconve P7

A grande altura livre para o solo simplifica a transposição de obstáculos, como pedras e pequenos troncos. As travessias de lâminas d’água também são bem facilitadas. Todas as características do Marruá atendem à lógica de buscar o máximo de desempenho em situações fora-de-estrada, com simplicidade e robustez.

Essa grande capacidade “off-road” do utilitário da Agrale tornaria bastante perdoável a falta de conforto e requinte. Não fosse, claro, o preço salgado. Para isso, o mercado não tem perdão.

Ficha técnica – Agrale Marruá AM100 CD

Motor: Diesel, dianteiro, longitudinal, 2.800 cm³, com quatro cilindros em linha, turbo com intercooler, duas válvulas por cilindro. Injeção direta de combustível do tipo common-rail.

Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração 4X2 com roda livre e 4X4 acionada por alavanca.

Potência máxima: 150 cv a 3.200 rpm.

Aceleração 0-100 km/h: n/d.

Velocidade máxima: 128 km/h.

Torque máximo: 36,7 kgfm a entre 1.800 e 2.700 rpm.

Diâmetro e curso: 94 mm X 100 mm. Taxa de compressão: 17,5:1.

Suspensão: Dianteira com barras longitudinais e transversais com barra Panhard. Traseira por eixo rígido com molas helicoidais. Não oferece controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 235/85 R16.

Freios: Discos sólidos na frente e tambores atrás. Não oferece ABS como opcional.

Carroceria: Picape cabine dupla sobre longarinas com quatro portas e cinco lugares. Com 4,72 metros de comprimento, 2,18 m de largura, 2,01 m de altura e 3,10 m de distância entre-eixos. Não oferece airbags frontais como opcional.

Peso: 2.500 kg com 1.000 kg de carga útil.

Tanque de combustível: 72 litros.

Capacidade off-road: Ângulo de ataque 61°, ângulo de saída 31º, capacidade de subida de rampa de 60% e altura livre do solo de 23 cm.

Produção: Caxias do Sul, Brasil.

Lançamento no Brasil: 2003.

Itens de série: Ar quente, protetor de carter, protetores de lanternas.

Preço: R$ 130 mil.

Opcionais: Ar-condicionado, grade de proteção da janela traseira, vidros e travas elétricas, alarme e guincho elétrico.

Por Auto Press


  • ahsoliveira

    robustez proporcional ao preço!

    até hoje só um de uma concessionária de energia!

    • rajkoothra

      BRUTO !!! Pena que esse preco seja fora da realidade…

      • ahsoliveira

        verdade, melhor levar uma L200 savana!

        • ctnmartins

          Se for pra aparecer pro vizinho, com certeza é melhor com a Mitsubishi. Mas se for pra trabalho duro enfrentar a selva tem só a Marruá pra aguentar o tranco..

          • ahsoliveira

            não só para mostrar para o vizinho! mas para empresas mesmo, mesmo não tendo tanta robustez quanto um Marruá, tem uma rede de concessionárias mais estruturada, e convenhamos que uma L200 Savana não tem essas coisas para mostrar para o vizinho: ( "sem botões no volante!? meu gol tem caro vizinho!"). um marruá é para uma aplicação bem pesada mesmo, uma L200 atenderia boa parte dos requisitos e custaria um pouco mais barato e teria uma rede de manutenção e garantia mais ampla!

            • BCA_83

              Cara… até concordo com você em partes e entendo os argumentos… mas não sei se você já andou nesse troço ai… isso é um trator de esteira disfarçado!!!!!!

          • andre_0102

            Em se tratando de licitação, grande vendas, com pacote fechado e veiculo c/ as especificações do cliente, acho que eu iria de Land Rover Defender, acho até que existe uma versão militar, mais simplificada e reforçada, p/ governo é fácil de conseguir, talvez até c/ desconto.
            Essa coisa de: "espécie de pré aprovação", fede.

            • Pedro_Rocha

              O Marruá é fruto de uma parceria entre a Agrale e o Exército Brasileiro. Qualquer semelhança com o ENGESA
              EE-12 não é mera coincidência.

            • Vincent

              Essa não necessidade de licitação é bem simples sabem pq? Pq a lataria feita de chapa de aço galvanizado é resistente a tiros até um determinado calibre que eu não me lembro mais e resiste a fogo. Bem diferente de outros modelos

        • giodoesitbetter

          Por 130 mil eu construo uma caixa metálica em cima de um chassi de Rural com motor de Opala e me sobram 120 mil. 130 mil num carro desse não tem lógica.

        • bandaxadibar

          aonde um Marruá vai, uma L200 savana não consegue ir

      • bandaxadibar

        fora da realidade para público comum, pois é um veículo para atividades fora do comum…

    • Wagner_u

      pois é, eu tbm ate hj so vi um da copel(energia do parana)

  • tiards

    Deve ser animal esse carro, mas só de ver esse painel da um desanimo…

    • fmarcanzoni

      É o painel dos caminhões da linha antiga da agrale!!

      • bandaxadibar

        quem trabalha com este veículo, não está interessado no paínel e sim realizar seu trabalho.

  • BlueGopher

    Uma derivação do antigo jipe Engesa, que deixou saudades!
    Este é só para offroaders.

    • AventadorMan

      Hummer brasileiro hehehe

  • Vem Ni Mim Dodge Ram

    130mil ?? WTF

    • hugogyn94

      Ta vendo,tem um lobini h1 tambem vende por esse preço.

    • Tripa-Seca

      Sem ter que mandar lucros à matriz!!
      Mas aí eu pergunto: Existe um outro, de mercado, com a capacidade offroad dele?

      • Readgis

        Lobini usa motor Volkswagem-Audi além e um sem número de outras peças produzidas por multinacionais. A Agrale utiliza tecnologia da International-Navistar Co.

        • Tripa-Seca

          Ué, qual o problema de usar tecnologia de outros países? O CVT japonês, utilizado no carro coreano com plataforma francesa construído na Argentina e vendido no Brasil faz a Renault Brasil deixar de mandar o lucro para matriz na França?

          • Readgis

            Foi o que quis dizer ao mencionar as fabricantes alemã e americana.

            Se a Agrale tem peças (ou o motor inteiro) com tecnologia da Navistar, certamente parte dos lucros é enviada para a sede de sua parceira comercial.

            • Tripa-Seca

              ah, mas isso é diferente… Voltamos ao exemplo da Renault DO BRASIL. Duvido que o Clio tenho uma peça francesa que seja. Seu motor "francês", na verdade, é do Paraná… Mas seria normal o motor vir da França…Sim, seria enviado dinheiro para França, mas por compra do material. Referia-me ao envio do dinheiro para matriz pelo fato da Renault do Brasil ser Renault.

      • giodoesitbetter

        Não sei se ele é tão superior assim a Troller e Wrangler.

        O custo de produção disso aí não deve passar de 10 mil. Preço de venda absurdo.

        • bandaxadibar

          não pode comparar Troller e Wrangler com o Marruá….

      • Filipe_Braga

        Mercedes Classe G e o Defender

        • Tripa-Seca

          Mas qual são o preço desses carros?

          • Filipe_Braga

            O Defender 90 custa R$ 130k e o Classe G é bem caro..

            • BCA_83

              Sinceramente… Duvido muito que aguentem o tranco de um AM 300!!! E também duvido que a manutenção seja mais barata!!! Já vi esse carro sendo muito elogiado em fóruns Off-road americanos… se um americano elogia algo pela robustez, imagino que deve ser realmente brutal!!!

  • 72007998

    Hummer??

    • ToNemAi_

      Não esse é o brumer, do brasil

  • shimanobr

    Na verdade não adianta baratear o carro pra vender para as massas, ele é feito para o que foi projetado, ser um valentão que anda em qualquer lugar.

    Se fosse barato, e confortável, veríamos muuuuuitos pelas ruas, levando vovós e titias aos shoppings, e os titios ao banco…….

    Se precisasse andar fora da estrada, cruzar rios, fazer trilhas, sem dúvida compraria um Marua…. se fosse pra andar na cidade, qualquer tucson ou ix35 faz o serviço…..

  • superxman2k

    Por R$145.000,00 dá para levar um Dodge RAM 2500 Laramie 2012 cabine dupla, com motor turbo diesel 6.7 de 310 cv e transmissão automática sequencial de seis marchas.
    <img src="http://www.torquenews.com/sites/default/files/image-106/%5Btitle-raw%5D/RM012_012TF.jpg"&gt;

    • vagnerclp

      Quero ver vc colocar isso aí pra rodar em ambientes verdadeiramentes off road!

    • bittcorp

      são propostas bem diferentes…

    • Ludezotti

      Como vai ficar difícil pra você testar uma dessas em uma trilha, experimenta assistir a um video no Youtube onde tem uma galera fazendo trilha off road de verdade. Um carro com este peso, essa distância de entre-eixos e esta altura do solo não passa do primeiro obstáculo….

    • Readgis

      Primeiro Hard-Road com essa e você teria que deixar ela largada no mecânico.

    • BullittKowalski

      Que lixo. Só serve pra carregar uma família obesa. Você é gordo?

    • HSFort

      Por isso que não entendo como alguém deixa de comprar uma pickup de verdade que é o caso da RAM para adquirir uma Hilux SRV cabine dupla pelo mesmo preço.
      Até onde se sabe o quanto a Toyota lucra na venda dessa Hilux?

  • HSFort

    Agrale Marrua! Versão subdesenvolvida do Hummer H1. Notem a frente da mesma e a largura!

    • mho

      Dizem que o Hummer foi projetado pela GMB e os americanos só deram uns "pitacos" no estilo.

      • Tripa-Seca

        heheh…Devem ter falado que "Se aguenta as ruas e o trânsito brasileiros, deve passar por guerras facilmente"…

      • Eduardo_CL

        O Hummer que foi desenvolvido no Brasil foi o H3T, picape derivada do H3

    • FordCorcel

      O Hummer H1 tinha tb uma versão em que não havia nada de requintes, plastico duro nas portas e sequer um rádio…
      Era bem brabo, mas não deixava de ser uma delícia dirigi-lo, nos EUA, claro, por aqui nunca vi um destes….e mesmo lá, hoje, usado, vc não vai pagar menos de 20 mil dolares neles…..

  • GabrieCunha

    Carro perfeito pra andar em São Paulo! Buracos, enchentes, motoristas folgados, motoqueiros chutadores de retrovisores…

    • MyFault!

      Carro perfeito pra qualquer cidade do Brasil.

  • http://www.antoniodejulio.com.br Antonio De Julio

    Era caprichar no interior e teríamos o nosso Hummer

  • LanternaCar

    Na boa, por esse valor fico com uma Land Defender, que faz tudo que o Marrua faz, ou ainda, uma Freelander S diesel, que faz quase tudo no off road, mas com muito mais conforto. Abco !!!!! Isso na mesma faixa de preço.

    • vagnerclp

      Defender sim, P. carrão…

    • bittcorp

      Defender não daria conta do recado… Marruá é sistema bruto.

      • andre_0102

        Acho que existe uma versão militar da Defender, na boa acho que daria conta do recado c/ sobra, sem desmerecer o Marruá, que leva a aparente vantagem de poder ser montado e desmontado em qualquer garagem, incluindo no meio do mato, facilidade de manutenção pode fazer desse carro a melhor opção p/ exercito.

        • bittcorp

          Existiu uma versão militar, que também foi usada pelo exército brasileiro… tb não era tão robusto…
          A Defender é ótima de expedição e patrulhamento, mas não era bruta como uma Band.
          Foi usada pela ONU e por vários exércitos por ter chapa de alumínio, o que a torna mais leve e melhor de transportar em aviões.
          Mas nas trilhas pesada e pirambeiras ela mostra pq recebe o apelido de "Lady" Roger. :)

  • Movido a Capim

    Muito Robusto mais é feio que doí!

  • MArcelo1985

    Volante de Gol g3 poderia ter um melhorzinho

    • Leandro1978

      Os fanboys da VW vêem traços dela em qualquer lugar…rs…

    • ElBigode

      É pior, o volante é parecido com o do palio!

  • valdemirjose

    Queria ver alguém me dar fechada e tranca dirigindo um desses… :P

  • birchip

    Tão robusto quanto esse Agrale Marruá foi o Toyota Bandeirante. Pena que foi descontinuado em 2001
    <img src="http://mcastanho.com/images/bandeirantes_zoom4.jpg"&gt;

    • Cristiano_JVL

      Concordo. Cresci no interior e tive a chace de ver esses Bandeirantes em ação. Ate hoje ainda fazem coisas inacreditáveis no trabalho pesado. Com correntes nas rodas sobem em qualquer tipo de terreno.

      • bittcorp

        nem precisa de corrente… minha Band sobe barrancos de boa.
        Só não sobe em árvores, porque as árvores não guetam o peso… :)

    • bittcorp

      Realmente uma pena…

    • ChalMust

      Verdade, essa Bandeirante foi o bicho nos anos 80 e parte de 90.
      Morei em Rondonia nesse período e te falo, a Toyota Bandeirante era o capeta das estradas e barreiros na epoca …ninguem segurava nao e se acorrentasse os pneus meu amigo … passava onde "calango traçado" nao passava …rsrsrs
      Valeu

  • brnmilk

    Qual consumo?

    • bittcorp

      no asfalto ou em estradas de terra, estimo algo entre 10 e 12 km/l

  • hugogyn94

    Nossa esse marrua tem 150cv e pior nem passa 170km/h isto foi um big fail,ainda custa R$ 130.000,00,isto e muito lamentavel um picape parece anos 90 e ainda custa um preço de um dodge ram 1500 usada,e por isso povo prefere comprar importado do que nacional,dai o povo brasileiro nunca vao conhecer os carros brasileiros da vida.

    • zurumbiko

      O Marruá foi desenvolvido especialmente pra uso militar, não adianta comparar com uma Dodge Ram, são propostas totalmente diferentes. E o que tem demais em não passar de 170 km/h? Ele foi desenvolvido para ser um veiculo todo terreno, e cumpre muito bem essa função, logo a velocidade não será seu ponto forte.
      Quanto ao visual ser 'antigo' e robusto para forças militares isso não faz diferença, o que importa para eles é o veiculo ser capaz de fazer o que foi proposto.

    • Ludezotti

      Você tem que entender que esse não é o carro pra você ir buscar sua namorada e levá-la ao Mc Donalds…. a menos que ela more no meio da amazônia. hehehe

    • thales_sr

      Declaração típica de moleque que acabou de pegar a carteira e acha que o mundo é igual ao Need for Speed do seu PS3… :P

      • ctnmartins

        huahauhauahuahau, aparece cada sem noção pra comentar… deixa o rapaz achar que Dodge Ram serve pra colocar na selva…

      • bittcorp

        será que já tem a CNH??? Duvido…

    • bittcorp

      Velocidade máxima: 128 km/h
      Dificilmente será usado acima de 120 km/h… Marruá é um "caminhão-trator"!!!

    • pauloferrer

      nem ia comentar mas depois dessa sou obrigado…..

      Filho fica quietinho…… não se mete em conversa de adulto por favor……

  • rcchicoli

    Isso sim é um carro RUSTICO!

  • exmarujo

    Prefiro um UMM

  • lucaslfbsb

    Qual é a lógica do negrito? GM, S5, etc?

    —R$ 130.000? O defender não parte desse preço?

    • thales_sr

      O negrito é de alguma palavras "chave" dos textos, é marcada de forma automática. Ficou muito estranho…

    • Fla3D

      Pior que ficou engraçado o GM destacado em pragmatico. :D

  • Cristiano_JVL

    Esse sim é um substituto (mais que) a altura do Toyota Bandeirante. Agora temos um carro feito no Brasil capaz de suportar um apocalipse zumbi. rsrs

    • andre_0102

      E não é flex! kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • raphaelchadias

    Parece com o painel da amarok :p

  • DiguinhoSP

    Como diria o comercial da WV: Das Auto!

  • Antonio_Brust

    Carro valente.

    Esse carro deve aguentar muito mais porrada que as pickups em linha. Esse motor, fazendo as revisões necessárias, tem durabilidade eterna. A brutalidade e robustez faz com que você se esqueça o que é manutenção por um bom tempo.

    Dodge RAM? O Marruá reboca ela numa trilha. Ainda mais com esse câmbio automático ladrão de potência.

    Carro de macho.

    • bittcorp

      eterno não é, mas roda mais de 1 milhão de km

  • Fmonteiro

    Muito bom. Mas se pra ter um jipe eu preferiria esse aqui:

    [youtube Uf5m2cKu0IU http://www.youtube.com/watch?v=Uf5m2cKu0IU youtube]

    • HSFort

      Esse carro nunca afunda, pode servir até para viajar por um rio.
      Ah! Gostei da música também! Muito legal.

  • Emanwesk

    Gosto muito desse carro. Sempre preferi jipes e esse é maravilhoso. Só que não por esse preço… =/

    Na boa, prefiro importar um UAZ 469/Hunter que sai BEM mais barato e é tão bom quanto ele.

  • http://www.youtube.com/user/WithintheCloud?feature=guide D7V5

    É digno de nota e elogio. É um projeto brasileiro para o exército brasileiro. O país tem extensa área. Difícil acesso. O jipão entra e sai de onde precisa. Rústico? sem dúvida. Forte.
    Isso posto, os carros que os exércitos compram, por volume maior, certamente tem preços muito menores que os pedidos pela Agrale. Não sei quanto. Mas aqui é que vai a critica para os executivos de gestão da Agrale. Com preços mais competitivos, o Marrua poderia se tornar o Toyota Bandeirante brasileiro. Mas não. Aqui o raciocínio é de curto prazo e altas margens, ao invés do LP e ganhos em escala. Então, que fiquem com a dependência das vendas governamentais para existirem.

    • Rafael_Reis

      Tá, mas eles têm capacidade industrial para aumentar a produção?

  • http://www.principadobrasil.wordpress.com Hugo Borges

    Se alguém leu as especificações viu: 4t de capacidade carga, marcha de "trator", ótimo desempenho no offroad extremo. Leiam a matéria! Esse veículo é para uso específico, se eu tivesse que trabalhar em lugares quase inacessíveis, esse seria o meu escolhido, não é um carro para as massas, para uso urbano. Leva-se em conta também a possível durabilidade dele, garanto uns 10 anos com boa perfomance.

    • thales_sr

      O pessoal aqui está preparado para criticar qualquer coisa que apareça. Se o carro é barato, "ihh acho que não presta". Se vem com um motor novo, "aqui no Brasil vai micar", se o motor é veterano, "aff ninguém aguenta mais isso, cadê modernidade??"

      Não existe discussão de custo/benefício com um carro que não tem concorrentes. Bota qualquer Hilux, Amarok, Tucson, e essas coisas que se intitulam SUV pra encarar as trilhas que esse Agrale pega. Se conseguirem voltar por conta própria, já tá no lucro.

    • bittcorp

      10 anos é pouco… minha Band tem 25 anos e está na "flor da idade"… :)

    • cruzmarcio

      10 anos é brincadeira de criançra pra um carro desses. Isso é carro pra 30, 40 anos.

      Qualquer carro dura 10 anos facilmente se for bem cuidado, o meu tem 13 e está impecável, não devo trocar pelos próximos 5 anos.

  • Salazar1966

    O problema deste tipo de carro, assim como a Bandeirantes é a rigidez excessiva da suspensão, que acaba fazendo com que com o passar do tempo e uso realmente a trabalho, apareçam trincas no chassi.
    Tivemos muitos problemas desse tipo com as Banderantes.
    Mas é incrível você ver um carro desses carregado no seu limite, descendo uma trilha de pedra de um bananal, melhor que Rally dos Sertões…
    O preço, acho que é por conta da espessura da chapa e motor, no entanto, fora do normal para um carro sem ar…

    • andre_0102

      Por conta da pequena produção tb e do lucro Brasil, não esquecemos que os "gringos da serra" tb gostam de mamar nas tetas do governo.

  • Deremetallica

    Usamos o Marruá pick up em mina subterrânea bem como à céu aberto. É muito valente e não enche o saco. Além do preço descabido, não dá pra entender a ausência de uma caixa de reduzida, item indispensável para veículos que pegam no pesado de verdade. Apenas 1 marcha trator não resolver bem todos os "sufocos".

  • mho

    Um veículo militar para situações extremas e que é vendido ao público.
    Muito bruto, se tivesse o dinheiro e morasse numa fazenda eu iria pegar um monstro destes.

  • RafaelPimenta

    alguem mais achou que isso é uma copia do Hummer H1? enquanto la nos eua eles tem o h1 com mais de 300cv e motor v8, agnt tem isso aew kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • exmarujo

      Não, é um Marruá mesmo

      • Pedro_Rocha

        Mais especificamente, é o irmão mais novo do ENGESA EE-12.

  • jersaosp

    Nas ruas de araçatuba-sp e penápolis-sp daqui a pouco só vão conseguir andar quem tiver um desses… tá complicado viu!!!

  • landocar

    bruto! vejo muito esse danado aqui no rio, andando com o exercito. acho q vao concordar comigo q a pintura camuflada cai direitinho nele. até estranhei esse das fotos, sem o camuflado. fica mto estranho. detalhe: os militares andam sem as portas.

  • andre_0102

    E se quebrar "qualquer peça", pode abandonar pq essas peças que não podem ser feitas a mão, adaptadas ou remendadas, não servem p/ o exercito, não só do brasileiro, mas do mundo todo.

  • JokerCrow

    A Agrale comprou o projeto do jipe militar EE-12 da falida Engesa. O jipe para ser comparado é o Humvee (Hummer é a versão comercial dele). O EE12 já estava em desenvolvimento em 83, o Humvee começou a ser produzido em 84, se não me engano.

    Não dá para comparar esse jipe com os demais. É um projeto rústico, sem mimos. Se chegarem em uma mineradora e verem como eles são usados… é pau para toda obra. É o único q resiste aos cupins de ferro. E o preço exorbitante é pq ela vende todo o estoque para o exército e para as mineradoras (tem quem compre). O q para vc é caro, para eles são "baratos", pois a manutenção e a troca do carro são menores do q se usassem outro no seu lugar.

  • Jeremy_Hall

    Eu quero um! O autêntico carro de cabra-macho \,,,/

  • ChalMust

    Acho que o NoticiasAutomotivas precisa explorar um pouco mais esses assuntos de off road aqui no portal …um simples MARRUÁ tá dando um ibope danado … fica a dica ! ! !
    Valeu.

  • Castle_Bravo

    R$130 mil por isto? minha nossa, se bem que é contribuinte brasileiro que paga mesmo, então dane-se o preço, poderia ser o dobro que o governo não se importaria.

  • fschulz84

    Nossa… Realmente é um monstro… Um Caterpillar da floresta uashuahsuahs

    Agora, to vendo o pessoal aqui "Po com 130k pego uma L200, pego uma RAM", será que eles sequer leram a matéria?

    Este carro praticamente não é vendido para pessoas fisicas, quero ver fazer uma RAM aguentar 1/10 do tranco da Marruá! L200? Aguenta menos ainda…

    Não existe "concorrente" por aqui, talvez a exceção seja a Defender versão militar (que nem sei se é vendida por aqui).

    O pessoal nem lê a notícia e já sai lá fazendo comparações e normalmente as mais chucras possíveis… Mais um pouco vinha um aqui falando que com 130k pegaria um Audi A4…

  • HSFort

    Esse da foto é o Jipe Engesa produzido exclusivamente para as FFAA e com versões civil.

    • Pedro_Rocha

      O Marruá não tem a ver com o Hummer, mas com o ENGESA EE-12. Esse é o irmão mais velho e civil dele.

  • vfreire85

    é carro pra trabalho. custa 130 mil reais, ok, mas dura uma eternidade, já que todas as peças dele (inclusive as chapas, com quase o dobro da espessura de uma chapa normal usada na indústria automobilística) são reforçadas.

    esse é o verdadeiro matador de pôneis malditos. mas acho que poderia ter uma versão um pouco menos potente, e mais barata.

  • MattosBarreto

    volante do Corsa?

  • Alvarenga1

    Estou enganado ou ele tem a cara do antigo ENGESA ????
    Incrivel esse caixote ter computador de bordo e o Mitsubishi TR4 ainda não !!!!!

    • Pedro_Rocha

      Ele é o irmão mais novo do EE-12. A Agrale é a atual detentora do projeto.

  • FordCorcel

    Sem dúvida se fosse nos EUA, já tinham inventado uma versão "civil", com preços bem mais competitivos. Senão uma parceria com algum studio e sairia de lá um Marruá super equipado pronto p/ brigar com Defender…
    Mas aqui é esta pobreza de espírito generalizada…..
    De qq forma é um projeto muito interessante, este sim senhores PTistas de plantão, é um veículo nacional, e dá um certo gosto de vê-lo (ainda insisto que uma versão civil, de no máximo 60 mil iria vender tal como picole em dia quente na praia….)

  • jonasdutra

    Pessoal,
    É um ótimo veículo offroad. Para amantes de trilha mais uma opção brasileira, tal como Troller e TAC Stark. Em comparação com os demais é mais jipão, mais robusto e durão…tem seu público alvo claro…eu estou neles….
    A Agrale adquiriu os projetos da antiga Engesa e atualizou o antigo jeep, relançando-o renovado.
    Recomendo…
    Na minha página do youtube estou postando aos poucos alguns vídeos do mesmo em ação… https://www.youtube.com/user/jonasdutra
    Abraços,
    Jonas

  • Geraldo Sousa

    A titulo de exemplo, muitos nem sabem mais tínhamos um automóvel Democrata Presidente; mais o lobe politico das montadoras se levantaram e políticos vagabundos junto com o banco do Brasil, alegavam que o dinheiro era de origem obscura, e a sentença saiu em 94 dizendo que era tudo licito se informem LEIAM A HISTORIA, e mais importante na espoca do projeto o mesmo ia de 0 a 100 km/h em menos de dez segundos.É louvável termos os nossos próprios veículos tecnologia nossa, sem pagarmos Royalties a esses estrangeiros, vejam a farsa do gás UFC dos ar condicionados e refrigeradores, quando ia cair no domínio publico inventam que agride a camada de ozônio, QUE VOLTE o Ato Institucional Nº5. SALVE A INDUSTRIA NACIONAL e ABAIXO os ESPECULADORES – AVANTE BRASIL, mais vale o MARRUÁ do que 10 PICK-UP RAM 1500 de uma empresa falida dos USA.

  • Isael de Lima

    Primeiramente é preciso reconhecer que num país onde a Gurgel foi implacávelmente arruinada por sua ousadia, nas palavras de João Gurgel proferidas em 1987 "declarar a independência tecnológica nacional". A Agrale merece toda a reverência e respeito ! Ano passado nossa única montadora 100% nacional completou cinquenta anos !! E para quem não conhece a história desta fantástica empresa, há em sua linha de produtos, desde 1968, um trator o 4100 totalmente desenvolvido com tecnologia da própria empresa, não há neste herói dos campos um único parafuso importado !! Lembro a Agrale disputa um mercado com gente da pesada por exemplo caminhões: Mercedes Benz, MAN (Volkswagen) e mesmo o de tratores com colossos internacionais como AGCO (Massey Ferguson e Valtra), John Deere e CNH (Case e New Holland) para citar alguns. Aqui o que está em discussão não é o conforto ou a "delicadeza do Marruá" e sim a nossa capacidade de desenvolvermos tecnologia automotiva própria e isso a Agrale faz com total competência desde 1962.
    Gostaria de saber se a Dodge Ram suporta uma colheita de café nas montanhas do sul de Minas trabalhando das 06 da manhã as 18 horas. O Marruá faz !!!

  • Sandro

    Nenhum produto no Brasil é considerado com preço realista, todos são no mínimo o dobro do preço que os países consumista (EUA, Japão,…)! Não vamos esquecer que ainda somos na prática uma enorme colônia de exploração (fornecimento de matéria prima). Mas não vou me ater a isto ainda , vamos falar do utilitário da Agrale o Marruá, seu uso é para um público específico que precisa se locomover em situações de relevo extremamente difíceis, o veículo foi projetado para levar carga e mais 5 ocupantes em lugares que só trator entra. Seus compradores acabam rebatento o preço que de início é alto na compra pela quantidade (frota), pessoas jurídicas irão ter desconto de aproximadamente 10% do valor e os produtores rurais que são forte canditados para a compra deste produto o governo libera empréstimos subsidiado com parcelas a perder de vista. No final das contas o veículo tem uma relação custo benefício muito boa em seu nicho de mercado.
    Parabéns a Agrale por conseguir se manter num mercado que tantas outras ótimas empresas nacionais fracassaram devido a boicote. Ex:
    Engesa – fabricante de tratores agrícolas, Jeep civíl , veículos militares (inclusive tanque de guerra),
    CBT – tratores agrícolas e o Jeep Javali,
    Gurgel – automóveis e Jeep
    Para as empresas multinacionais a história é outra, pois nossa política extrativista doa o terreno, empresta o dinheiro para a construção da fábrica e isenta dos impostos por no mínimo uma década. Caso eles não consigam vender os produtos pelo preço abusivo o governo ainda reduz o IPI!

  • Leandro

    130 mil ??????!!!!!!!!!!!! Já nasceu morto!!!! Só o exército pra comprar mesmo!! Agrale tá sendo salva pelo governo!!!

  • juca

    o custo benefício para um "civil" é zero. o carro não possui conforto algum, é caro e extremamente duro mas, o propósito deste veículo foi o de fornecer exatamente o que o exército necessitava. claro que 130 k em um jeep com essas características não convém a aqueles que querem um carro para desfilar ou ir ao trabalho. a missão do marrua é justamente uma: trabalho duro. e digo a vocês, ele não abre as pernas não. valente, "inquebrável" e, acredite, lindo! para os amantes do off road ele é perfeito já para os playboys que querem chamar a atenção talvez um troller resolva o problema. parabéns a agrale pelo veículo.

  • Valdenor R. Santos

    Observei todos os comentários postados e gostaria de dar a minha opinião com imensa satisfação. Até que enfim um genuíno produto nacional. Sempre gostei de Off – Road, mas, confesso que fiquei de boca aberta, olhos arregalados e emudecido, tamanho o espanto ao deparar – me com o monstro Marruá, que com a ferocidade nunca vista por mim em nem um importado, rosnava baixo e rasgava a trilha com tanta brutalidade a ponto de me deixar impressionado, muito bem impressionado. Ainda que um produto importado aparentemente melhor estivesse à venda por R$100.000.00, ainda assim eu vou comprar, viajar e conhecer os rincões do meu paìs a bordo de um autêntico MARRUÁ. tenho certeza que vale a pena.

    Grande abraço!
    A todos os apaixonados pelos produtos da nossa Indústria Brasileira.

  • Emanuel

    Belo dum Jeep, parabéns para AGRALE! Infelizmente tem todo este preço, mas com certeza vale cada centavo!! Se o governo está sustentando a Agrale neste projeto eu não sei, talvez sim…agora, se o governo pagasse o dobro ou até mais por um hummer, que talvez nem seja tão guerreiro quanto o marruá, aí alguns diriam, isso que é jeep, só pq tem um nome, um troço americano, assim como múltiplos exemplos de mercadorias…sem desmerecê-las, mas vamos valorizar nosso produto!!

  • Leandro1978

    E quando reclamam das saídas de ar redondas no Gol e derivados, mas elogiam em outros modelos? Só rindo…