Home Marcas Chevrolet Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ


chevrolet cruze avaliacao completa 31 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ




A Chevrolet estava devagar, quase parando, no segmento de sedãs médios no Brasil. Tinha apenas o veterano Vectra, que amargava baixas vendas, longe da tradição da marca em sedãs. Mas, quando entrou setembro, chegou o Cruze, um modelo comercializado em mais de 70 países que é parte importante na estratégia de tornar a Chevrolet uma marca global.

E seu bom desempenho mundial foi logo acompanhado pelo Brasil. Nos dois primeiros meses completos de vendas, o Cruze já conseguiu números bastante expressivos para um novato. Em outubro, o sedã teve 2.033 unidades emplacadas e no mês seguinte alcançou 2.823 exemplares.

O desempenho em novembro foi suficiente para levar o Cruze à vice-liderança do nicho, atrás apenas do Toyota Corolla. Além disso, como é comum em modelos em início de produção, a fabricação ainda não está no auge. Vale lembrar que o Honda Civic – que ocupava o segundo lugar do segmento desde 2009 – está passando por troca de geração, o que diminuiu as suas vendas.

chevrolet cruze avaliacao completa 11 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

E também que o segmento de sedãs médios foi o mais movimentado do ano, com outros quatro novos concorrentes lançados – Peugeot 408, Renault Fluence, Hyundai Elantra e Volkswagen Jetta. Neste primeiro momento, o share de vendas do Cruze está dividido em 25% para a topo de linha LTZ e 75% para a de entrada LT.

Entretanto, a versão mais cara praticamente não está disponível em pronta-entrega e já existem até listas de espera em algumas concessionárias. A maior procura pela LTZ se explica simplesmente pelo “timing”. No começo da venda de um veículo deste porte, é comum uma maior procura pelo carro mais equipado e exclusivo.

Com o tempo, a demanda se equilibra e muitas vezes acontecem quedas de preços ou até a entrada de uma nova configuração ainda mais básica – no caso, uma eventual LS. E a Chevrolet levou ao pé da letra a expressão “carro global” no desenvolvimento do Cruze.

chevrolet cruze avaliacao completa 21 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

O modelo foi projetado na Alemanha, o desenho é sul-coreano, o motor é feito na Hungria, a transmissão automática vem do México, a manual da Áustria e a produção é distribuída em dez fábricas ao redor do mundo – inclusive a de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, que abastece o Mercosul. É praticamente um resumo do significado do termo globalização.

Na parte mecânica, a “torre de Babel” é composta pelo propulsor Ecotec que tem comando variável nas válvulas de admissão e escape e coletor de admissão de geometria variável. Alimentado por etanol ou gasolina, ele gera 144/140 cv de potência a 6.300 rpm e 18,9/17,8 kgfm de torque a 3.800 rotações. A transmissão pode ser automática ou manual, ambas com seis marchas.

Em termos de design, o fato de ser um carro global reduziu um pouco as possibilidades da Chevrolet. A tentativa foi criar um três volumes moderno, que denote requinte, mas sem extremas ousadias. A dianteira tem a identidade visual da marca, com a generosa grade bipartida por um friso na cor da carroceria.

chevrolet cruze avaliacao completa 41 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

O faróis são pontudos e seguem a subida dos para-lamas. A lateral é o ângulo que mais agrada no Cruze. O teto faz um arco muito bonito com um caimento que só termina nas lanternas traseiras, que são horizontais. Elas contam com elementos circulares e são ligadas por uma barra cromada, exclusiva no carro brasileiro.

Entre as versões, a LT, de entrada, sai de R$ 67.900 e chega com airbags frontais e laterais, ABS com EBD, controle de tração e de estabilidade, ar-condicionado automático, cruise control, direção elétrica e rádio/CD/MP3/USB/Bluetooth.

A configuração testada, a topo de linha LTZ, ainda adiciona a transmissão automática, acabamento interno em dois tons de couro, airbag tipo cortina, sensor de estacionamento traseiro e de luminosidade e sistema de som Philips com tela de 7 polegadas e GPS e sai por R$ 78.900.

chevrolet cruze avaliacao completa 51 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

Ponto a ponto

Desempenho – O trem de força que a Chevrolet introduziu no Cruze agrada. A versão flex do motor Ecotec, usada pela primeira vez no Brasil, tem comportamento bem suave, mas consegue mover o sedã com bastante competência. O motor tem comando variável de válvulas na admissão e no escape, o que ajuda a deixar o modelo mais esperto em baixas rotações. No entanto, é a partir das 3 mil rpm que o carro fica mais ágil e com um comportamento mais agressivo. A transmissão automática de seis velocidades é eficiente e faz as trocas com rapidez. Nota 8.

Estabilidade – Apesar de ter uma suspensão mais voltada para o conforto, o Cruze se sai bem em situações de curvas consecutivas. A carroceria rola pouco e o carro se mantém na mão. Em casos de exagero, todas as versões já vêm com controle de estabilidade, que pode entrar em ação para devolver o carro à trajetória. Destaque também para a direção, que é bastante direta e responde rapidamente às instruções do volante. Em retas, até a faixa dos 150 km/h não são necessárias correções na direção. Nota 9.

Interatividade – Os comandos são razoavelmente intuitivos para as funções vitais do carro e todos estão nos lugares mais comuns. O Cruze dispõe de sensor de estacionamento, o que é uma boa ajuda para manobrar um três volumes. O câmbio tem opção de trocas manuais, mas apenas por toques na alavanca. O sistema de entretenimento com tela de 7 polegadas é bem completo, com diversas funções, mas há excesso de botões. Nota 8.

Consumo – O Chevrolet Cruze LTZ conseguiu a média de 5,8 km/l rodando com etanol no tanque. Ainda não há medições do InMetro para o sedã. Nota 5.

chevrolet cruze avaliacao completa 61 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

Conforto – Os bancos de couro acolhem bem os ocupantes e oferecem bom apoio lombar e lateral. O rodar do sedã da Chevrolet é suave graças à suspensão, com acerto voltado para o conforto. Dessa maneira, os buracos são bem absorvidos pelo conjunto. A distância de entre-eixos, de 2,68 metros, está na média do segmento. Assim, o espaço interno é bom, mas não impressiona. Nota 8.

Tecnologia – A versão LTZ agrega uma boa quantidade de tecnologia para o Cruze, com equipamentos como airbags de cortina e GPS com tela de 7 polegadas no painel. Além disso, de série ele já vem com controle de estabilidade e de tração. A plataforma, inaugurada no próprio Cruze em 2008, foi desenvolvida pela Opel – subsidiária alemã da GM. O motor Ecotec é novo no Brasil, mas já é usado na Europa há algum tempo. Ele conta com soluções modernas como o coletor de admissão de geometria variável, mas o consumo de combustível ficou abaixo do esperado. Nota 9.

Habitalidade – Há uma falta de porta-trecos na dianteira da cabine do médio da Chevrolet. É difícil achar lugares para guardar objetos de uso frequente, como celular e carteira. Os acessos dianteiros são bons e permitem entrar no carro com facilidade. Atrás, o caimento acentuado do teto dificulta um pouco a tarefa. Isso também faz com que os ocupantes traseiros fiquem um tanto afundados no banco traseiro. O porta-malas leva 450 litros de bagagem – abaixo da média do segmento – e ainda tem alças que invadem a área das bagagens. Nota 5.

Acabamento – Para um sedã médio de quase R$ 80 mil, há muito plástico rígido na cabine e pouco requinte. As únicas partes revestidas de material emborrachado contam com espumas muito finas. Ao menos, os encaixes são precisos e não há sinais de rebarbas. O revestimento de couro na parte central do painel ajuda a amenizar na parte visual. Nota 6.

chevrolet cruze avaliacao completa 71 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

Design – Basicamente, é um carro elegante e original. Não há muita ousadias em termos de design, mas é um desenho bem harmônico. Destaque para os faróis “pontudos” e para o arco do teto, que passa pelo contorno das lanternas traseiras e desce até o para-choque. Nota 8.

Custo/benefício – A versão LTZ é R$ 9 mil mais cara que a de entrada LT quando equipada com o mesmo câmbio automático. E para isso, adiciona alguns itens tecnológicos interessantes, como o GPS com tela de 7 polegadas. Na concorrência, existem rivais como Toyota Corolla Altis, Renault Fluence Privilège, Peugeot 408 Griffe, Ford Focus sedã Titanium, Volkswagen Jetta Highline e Honda Civic EXS. Todos vendidos acima dos R$ 78.900 pedidos pela Chevrolet pelo Cruze. Além disso, é um carro cheio de equipamentos de conforto e segurança. Nota 8.

Total – O Chevrolet Cruze LTZ somou 74 pontos em 100 possíveis.

Primeiras impressões – O peso da marca

Há pelo menos 10 anos o segmento de sedãs médios tem como referência um modelo japonês. Toyota Corolla e Honda Civic se revezam na liderança, enquanto os outros lutam para tentar chegar lá. Essa longevidade de liderança nipônica mostra que, nessa faixa de preços, a tradição conta muito.

Muitas vezes, até mais que o próprio produto em si. E isso ajuda a explicar o sucesso imediato do Cruze no Brasil. Não que seja um carro ruim, mas o nome Chevrolet tem grande participação nas altas vendas do veículo. É como se legiões de “viúvas” de Opala, Monza e Vectra estivessem esperando a marca lançar um sedã para irem às lojas.

Mas, obviamente, é preciso ter um veículo competente para a briga. E isso, a Chevrolet tem. Começando pelo aspecto dinâmico, o Cruze vai muito bem. O bom motor Ecotec de 144 cv de potência fornece força suficiente para uma condução urbana.

chevrolet cruze avaliacao completa 81 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

Existe torque disponível em rotações baixas, o que torna desnecessário pisar muito fundo para ter uma resposta do motor. A transmissão automática de seis marchas trabalha bem em conjunto com o propulsor. As trocas são eficientes, na hora certa, mas poderiam ser mais velozes.

Em estabilidade, o sedã também vai bem. A plataforma tem boa rigidez torcional, o que significa que o carro perde pouco a aderência nas curvas. A suspensão é voltada mais para o conforto, mas mesmo assim, a carroceria rola o mínimo nas mudanças de direção.

Destaque também para a direção elétrica. Ela é progressiva e altera sua resistência conforme a velocidade, mas sempre mantém uma relação bem direta e muito precisa. O rodar também é macio e, com isso, proporciona boa dose de conforto.

chevrolet cruze avaliacao completa 91 Avaliação completa do Chevrolet Cruze LTZ

Na parte de dentro desta versão LTZ, logo chama a atenção o vistoso sistema de som e GPS com tela de sete polegadas no painel. Ele é bastante completo, com diversas funções, mas há uma quantidade um tanto exagerada de botões espalhados. Ainda no interior, o design até impressiona, com acabamento em dois tons.

Mas os materiais são um pouco requintados para um carro dessa categoria. Existem muitos plásticos rígidos no painel, que não passam a sensação de sofisticação que o sedã deveria impor. Há até pedaços com material emborrachado, mas a espuma que o reveste é muito fina.

Portanto, o Cruze é bem construído, tem boa dose de tecnologia embarcada e é bom dinamicamente. Mas a gravatinha dourada na grade é, sem dúvida, a “cereja do bolo” em um segmento tão disputado.

Ficha técnica - Chevrolet Cruze LTZ

Motor: Etanol e gasolina, dianteiro, transversal, 1.796 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando variável nas válvulas de admissão e escape e duto de admissão de dupla geometria . Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.

Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Possui controle eletrônico de tração.

Potência máxima: 144 cv e 140 cv a 6.300 rpm com etanol e gasolina.

Aceleração 0-100 km/h: 10,7 s.

Velocidade máxima: 204 km/h.

Torque máximo: 18,9 kgfm e 17,8 kgfm a 3.800 rpm com etanol e gasolina.

Diâmetro e curso: 80,5 mm X 88,2 mm. Taxa de compressão: 10,0:1.

Suspensão: Dianteira do tipo McPherson. Traseira por eixo de torção. Possui controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 225/50 R17.

Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS com EBD.

Carroceria: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,60 metros de comprimento, 1,79 m de largura, 1,48 m de altura e 2,68 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina.

Peso: 1.404 kg com 470 kg de carga útil.

Capacidade do porta-malas: 450 litros.

Tanque de combustível: 60 litros.

Produção: São Caetano do Sul, São Paulo.

Lançamento mundial: 2008.

Lançamento no Brasil: 2011.

Itens de série: Faróis de neblina, regulagem de altura para faróis principais, rodas de liga leve aro 17, direção elétrica, ar digital, freios com ABS, EBD e assistência de frenagem de emergência, controles de tração e de estabilidade, airbags frontais e laterais, interior com painel revestido de couro, volante multimídia com piloto automático, conectividade USB e Bluetooth, tela de 7 polegadas para central multimídia, GPS integrado e som premium, sensor de faróis, retrovisores com rebatimento elétrico e aquecimento e chave presencial.

Preço: R$ 78.900.

Por Auto Press


Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.