_Destaque Avaliações SUVs Volvo

Avaliação: Novo Volvo XC90 é o luxo alternativo

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (87)

O primeiro era um verdadeiro guerreiro, que mesmo após longos 12 anos de serviço ativo, ainda conseguiu ser mais resistente que seus concorrentes atuais. Agora, o velho viking ficou remoçado e mais nobre, porém, não deixando de lado a excelente capacidade de proteção dos seus.

O Novo Volvo XC90 é outra rota para a marca sueca, um luxo alternativo. Afinal, as órbitas do segmento premium geralmente estão em torno dos alemães, mas há terra nova além do horizonte e esta encontramos no topo de linha dos nórdicos, que na versão T6 Inscription custa R$ 383.950.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (6)

O preço está intimamente próximo dos germânicos, mas ao contrário destes, o XC90 da nova geração deixou de lado os tempos dos transversais V8 da Yamaha e dos longos cinco e seis em linha que foram populares na geração anterior. Agora a ênfase é na eficiência energética e o motor, o novo Drive-E 2.0.

Sim, quase cinco metros e mais de duas toneladas puxadas, ou melhor, empurradas por quatro cilindros. Mas antes de torcer o nariz, é bom lembrar que ele vem com turbocompressor, supercharger e nada menos que 320 cv e 40,8 kgfm. Para controlar tudo isso, uma caixa automática de oito marchas. Há mais coisas interessantes, que seguem logo abaixo.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (15)

Por fora…

O Volvo XC90 T6 Inscription é discreto, porém, seu porte e detalhes não passam despercebidos pelas ruas. Olhando de frente, ele é estranhamente baixo e largo. Mesmo com a suspensão elevada, a impressão não passa. Os conceitos 40.1 e 40.2 mais recentes mostram essa mesma forma, assim como obviamente os já lançados S90 e V90.

Os faróis são totalmente de LEDs em qualquer facho, sendo direcionais e adaptativos, assim como também possuem tecnologia que evita o ofuscamento, iluminando áreas escuras e evitando os veículos em sentido contrário ou logo à frente. É igualmente interessante ver os fachos mudando aleatoriamente no modo automático.

A grade é bem vertical e conta com acabamento cromado nas extremidades e cinza nos frisos. Até o logotipo masculino da Volvo não escapou da tecnologia, pois uma das quatro câmeras do sistema de estacionamento com visão 360 graus fica bem ali. Aliás, o XC90 é ainda conta com outras duas câmeras e mais um radar, instalados no topo do para-brisa. O que eles fazem falaremos mais adiante.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (12)

O corpo volumoso e robusto abriga lanternas totalmente em LED, que inclusive piscam de forma agressiva se um carro atrás se aproxima perigosamente. Frisos cromados ao redor das janelas, barras cromadas no teto e maçanetas com belo acabamento também chamam a atenção, assim como as barras com o nome Inscription na base das portas.

Os retrovisores são até discretos e possuem repetidores de direção, desembaçador, rebatimento elétrico e aviso luminoso de tráfego lateral. As rodas de liga leve de aro 20 são sóbrias e calçadas com pneus 275/45 R20, do tipo Run Flat. A tampa traseira tem acionamento elétrico pela maçaneta, pé, interior e chave. Aliás, esta tem um desenho muito bonito e é revestida em couro. O escape tem duas saídas e o teto solar é panorâmico.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (37)

Por dentro…

Por fora o Volvo XC90 Inscription até pode chamar a atenção, mas é o interior que realmente se destaca e isso acontece de duas formas. A primeira está relacionada com o acabamento primoroso. Couro costurado no painel e material emborrachado na parte inferior chamam atenção, assim como na parte superior e central das portas.

O ambiente é adornado com detalhes em alumínio, especialmente nos alto-falantes da Bowers & Wilkins, criando uma atmosfera de puro luxo. Os bancos são revestidos em couro (caramelo na versão testada) perfurado e próximo do assoalho, tudo é envolvido em veludo. Os assentos dianteiros têm ajustes elétricos, memória e o do passageiro pode ser controlado pelo do motorista.

Além disso, as laterais, o lombar e a ponta do assento podem ser ajustadas eletricamente. Há também refrigeração e aquecimento dos dianteiros, enquanto os da segunda fileira apenas aquecem (exceto o central).

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (47)

Falando neste lugar do quinto passageiro, como já é tradição na Volvo desde 1978, ele possui o assento articulado, que eleva-se para melhor acomodação e segurança de uma criança. Os três lugares têm ajustes individuais de distância e inclinação. Os comandos dos vidros ficam bem posicionados e os dos retrovisores chamam a atenção por serem iguais (inclusive na função) aos do Range Rover.

O conforto geral é muito bom, ainda mais com quatro zonas de climatização e difusores de ar até para terceira fileira, onde os assentos são dobráveis e embutidos no assoalho. Mas, nem tudo são flores. Estes encostos não têm comandos elétricos para rebatimento. Tudo é feito manualmente.

A altura da suspensão pneumática é ajustada no compartimento de bagagens, que tem até rede com armação articulada e divisória retrátil para separação de bagagens. Apesar disso, a haste de cobertura para a carga quando em configuração de cinco lugares não encontrou seu lugar. O espaço é bom com sete pessoas a bordo, tendo aí 314 litros. Com cinco, o volume aumenta consideravelmente e ainda dá para rebater a segunda fileira para encher de carga esse Volvo.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (58)

O teto panorâmico tem grande área envidraçada, assim como boa abertura na parte frontal, em dois estágios. A persiana é igualmente automática. O requinte a bordo do XC90 Inscription também é notado durante à noite, pois luzes de posição amarelas se encontram em várias partes do interior, além de iluminação geral e de leitura em LED. Outro item de destaque é o porta-malas. Pequeno, ele tem abertura elétrica no console e senha para evitar curiosos.

Voltando ao conjunto frontal, a Volvo decidiu limpar aquela enorme quantidade de botões dos modelos mais antigos, minimizando os comandos e centralizando quase tudo em uma enorme tela vertical do sistema Sensus. Mas antes de chegar até ela, vamos ao volante.

Simples e funcional até, ele tem boa empunhadura e revestimento em couro. Basicamente agrega comandos do Sensus à direita, assim como funções secundárias da instrumentação. Do outro lado, ficam os comandos do piloto automático adaptativo e do Pilot Assist, que é a sensação semiautônoma do XC90. Sobre ele, falaremos mais adiante.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (53)

Se até agora tudo parece como nos rivais, a coluna de direção com ajuste mecânico pode ser decepcionante para muitos. A Volvo preferiu um sistema normal, igual ao que a maioria tem em seus carros. Mas diante do conjunto da obra – de arte, diga-se de passagem – esse detalhe não vai importar muito. Afinal, quase tudo é elétrico e digital a bordo do XC90.

O quadro de instrumentos é digital TFT com 12,3 polegadas. Ele possui quatro estilos diferentes, incluindo um mais esportivo, de tonalidade vermelha. Se a comparação for com o Audi Q7, por exemplo, ele não empolga muito. Há reprodução da navegação entre os mostradores, assim como visualização de funções do interior e de segurança, mas nada excepcional.

Sobre ele, um HUD holográfico com visualização de placas (o XC90 reconhece placas de trânsito também), navegação, velocidade, alertas de aproximação, etc. Assim como praticamente tudo o que falamos, exceto a coluna de direção e ajuste dos bancos traseiros, o restante tem comandos elétricos e/ou centralizados no Sensus. Mesmo o cluster e a senha do porta-luvas. No topo, um alto-falantes circular da Bowers e Wilkins. São 19, incluindo um subwoofer, entregando 1.400 watts de potência.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (40)

Para não ficar um ambiente totalmente digital, a Volvo ainda adicionou alguns botões físicos para desembaçadores e alerta, bem como mídia e SD Card logo abaixo do Sensus. No console central, a alavanca da transmissão tem bom acabamento e permite mudanças manuais. Junto dela há o interessante botão de partida, giratório.

Outro que também se destaca é o dos modos de condução, que no caso são Eco, Conforto, Off-Road e Dinâmico. Freio de estacionamento e Auto Hold ficam próximos. Abaixo do apoio de braço central, há entrada para CD/DVD, além de USB e auxiliar. Os porta-copos possuem cobertura retrátil metalizada.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (75)

Há um tablet aqui…

Parece realmente um tablet. Em realidade, o Sensus é mesmo um dispositivo móvel, nos dois sentidos. A Volvo agregou tudo ou quase tudo no sistema operacional nativo do XC90. Ele se apresenta como um smartphone ou tablet, tendo duas páginas de deslizamento lateral e uma aba de configurações superior. O controle de climatização fica na base da tela, que tem nove polegadas e é sensível ao toque.

Na página principal temos basicamente navegação, mídia, telefonia e som, mas pode-se adicionar outras funcionalidades neste último, incluindo funções de internet. Nas outras duas páginas, ficam comandos de funções diversas.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (68)

Uma delas tem funções de segurança, tais como sensores de estacionamento, tráfego cruzado, estacionamento automático, ajuste do banco do passageiro, leitor de placas, detector de pedestres/veículos e câmeras, ativação do HUD, rebatimento dos apoios de cabeça da segunda fileira (sim, tem até isso), ajustes dos faróis e outros recursos.

A terceira tela basicamente controla as funções de entretenimento, inclusive as funcionalidades que vão ser inseridas na página principal, entre elas dados de condução e som. No caso do sistema de áudio, existem três modos, sendo o estúdio (com som apenas para motorista, passageiros traseiros ou todos), o intensificador de som e o concerto, que é a reprodução da acústica da Sala de Concertos de Gotemburgo, inaugurada em 1935.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (69)

Na aba de configurações, HUD, estilos da instrumentação, ajustes de cor da tela (preto ou branco), ajustes de mídia, navegação (2D ou 3D, além de informação de tráfego e radares fixos), Wi-Fi (através de SIM Card), hotspot Wi-Fi, ajuste de câmeras (pode-se selecionar uma ou todas com visão de 360 graus), Bluetooth, Apple Car Play e climatização. Neste último, há na base das telas aquecimento e refrigeração dos assentos, além das posições de ventilação.

Em resumo, o centro nervoso do Novo Volvo XC90 é o Sensus. Ele também agrega funcionalidades do Volvo On Call, que pode ser acionado no teto. Mas com o aplicativo é possível bloquear e localizar o carro, podendo ainda ligar remotamente e ajuste a climatização. Após uma boa explicação, o dispositivo se mostra amigável e intuitivo. Recomendamos assistir o vídeo de detalhes, que publicaremos em breve, onde tudo isso é melhor visualizado.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (90)

Por ruas e estradas…

O Volvo XC90 é discreto por fora e muito sofisticado por dentro. Mas na hora de andar, ele mostra que as aparências enganam, no bom sentido. No Brasil, o SUV topo de linha da marca escandinava vem em duas versões: Momentum e Inscription. Nos dois casos a motorização é praticamente a mesma, o propulsor quatro cilindros 2.0 Drive-E.

Há pouco tempo atrás, ver um SUV de 2.078 kg e 4,95 m de comprimento com quatro pistões em tempo (quase) integral seria considerada uma blasfêmia, ainda mais se fosse do segmento de luxo topo de linha. Mas os tempos são outros e a Volvo está provando isso com o bom Drive-E 2.0, que tem turbocompressor e supercharger, este último é o diferencial principal em relação à versão Momentum, que entrega 254 cv.

No XC90 Inscription são 320 cv a 5.700 rpm e 40,8 kgfm a partir de 1.500 rpm. Ele trabalha sem gritar ou pedir arrego, tendo funcionamento silencioso e suave. Com o câmbio automático de oito marchas e tração nas quatro rodas, o SUV anda com desenvoltura e nem de longe faz lembrar que há um 2.0 no enorme cofre. Quem vê ou anda, pensa se tratar de um V8 ou no mínimo um motor de seis cilindros.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (76)

No modo Conforto, o XC90 Inscription tem seu comportamento normal, ajustando a suspensão para um nível mais alto, garantindo mais conforto e uma condução mais prazerosa. Ainda assim, pode-se afundar o pé e ter um V6 virtual. As respostas ao acelerador são pontuais e as retomadas satisfatórias. Rodando a 110 km/h, o ponteiro marca 1.800 rpm. A direção elétrica se ajusta perfeitamente ao modo de conduzir e as trocas são quase imperceptíveis.

Falando no câmbio, chama atenção a dureza da alavanca nas mudanças manuais e mesmo nas alterações de posição. Assim como outros modelos da marca, não há paddle shifts, embora a versão R-Design no exterior venha com as tais borboletas. Aqui, a proposta do XC90 é o conforto e não a esportividade.

Mesmo assim, há o modo Dinâmico, que realmente transforma o Drive-E em V6 de tempo integral. Mesmo com a posição do pedal inalterada, o giro sobe imediatamente, assim como muda o ronco do motor nas saídas de escape e no interior. E a resposta é instantânea, ele salta imediatamente e garante diversão ao volante do sóbrio utilitário esportivo.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (65)

A direção fica mais direta, enquanto o motor ganha em rispidez. A suspensão é ajustada para mais firmeza e menor altura. A rapidez nas trocas de marcha e no aumento de giro são impressionantes para um carro tão grande e com motor tão pequeno. Dá para imaginar os dois turbos funcionando ao mesmo tempo. De 0 a 100 km/h, o XC90 Inscription precisa de apenas 6,5 segundos, de acordo com a Volvo.

Nessas condições, o bom é ter tudo ligado para não perder a linha diante dos outros, a não ser que o condutor seja realmente um audacioso piloto. Mas, se a vontade é de curtir a excelente dirigibilidade do Volvo XC90 Inscription e ainda poupar algum combustível, na função Eco, o propulsor passa realmente a lembrar um 2.0.

Tudo é atenuado, incluindo a climatização. Interessante é que a suspensão abaixa, a fim de garantir menor arrasto aerodinâmico. No cluster, um econômetro surge e o Start&Stop (com direção ativa) é ligado. A partida é suave e sem trancos. Rodando nesse modo, conseguimos 7,2 km/litro na cidade e 11,1 km/litro na estrada, mais do que poderíamos querer, já que o XC60 2.0 de 240 cv avaliado anteriormente nunca passou de 9,9 km/litro na estrada, por exemplo.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (29)

Além dos três modos acima, há o Off-Road, que não ativa acima de 40 km/h. Nesse modo, a suspensão é ajustada, assim como tração, estabilidade e configuração do motor/câmbio, garantindo boa performance no fora de estrada. Controle de descida e ajuste de baixa velocidade se destacam. Quando parado, o XC90 tem um modo de acessibilidade, reduzindo a altura da suspensão.

Esta, por sinal, tem excelente ajuste em qualquer terreno e garante muito conforto e estabilidade. Os freios também são dignos de menção, pois seguram as duas toneladas do XC90 com grande equilíbrio. Na hora de estacionar, o sistema automático identifica a vaga e a seleciona, mesmo se for perpendicular.

Há também o modo de sair de vaga, importante quando o espaço é pequeno. Ruim é que não há ajuste automático do espelho durante a ré. Apesar de todas as câmeras, ainda dá para correr risco de ralar a roda na guia, dependendo da situação. Assim como outros carros com tecnologia semelhante, é bom ter atenção quanto às lixeiras, pois os sensores de forma geral não visualizam a maioria delas.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (10)

Pilot Assist

O Volvo XC90 T6 Inscription 2.0 conta com um conjunto de segurança exemplar, tendo alertas de tráfego cruzado e lateral, aviso de pontos cegos, piloto automático adaptativo, alerta de faixas com vibração e correção, câmeras com visão 360 graus, City Safety para evitar colisões em baixa, leitor de placas, múltiplos airbags e sistema anticapotamento. Aliás, basta uma depressão mais ousada no asfalto para que o utilitário saía do chão quando em alta velocidade. Nesse caso, os cintos imediatamente apertam os ocupantes. Tudo para evitar lesões em capotamento.

Ainda em segurança, o Volvo XC90 Inscription vem com o Pilot Assist. Esta tecnologia de condução semiautônoma permite rodar até 50 km/h sem as mãos no volante. No entanto, um aviso para manter o controle da direção sempre aparece. Com este recurso, o SUV sueco lê as faixas laterais e mantém a distância para o veículo da frente, tudo de forma automática. Se ele parar, depois volta a andar.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (78)

Desde que tenha alguém na frente, o XC90 com o Pilot Assist pode mesmo acompanhar o carro adiante, mesmo em vias sinalizadas com curvas. Mesmo que tudo funcione bem, o condutor deve sempre estar atento aos alertas do veículo, assumindo assim a direção. Há também aviso de fadiga, recomendando um café.

Se houver distração, a frenagem automática entra em ação. Ela para o veículo até 50 km/h e acima disso, se for realmente necessário, também. Portanto, um conjunto de segurança em tempo integral. Caso o condutor relaxe na atenção, os sistemas sempre estarão atuando para deixar tudo bem.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (3)

Por você…

O Volvo XC90 T6 Inscription não é imune às críticas. Faltou mesmo a coluna de direção com ajuste elétrico, assim como maior facilidade no rebatimento da terceira fileira e no arranjo da cobertura do porta-malas. A falta de paddle shifts pode até ser abonada, devido à proposta do veículo, embora seu preço exija mesmo os supérfluos.

Mas, mesmo com tudo isso, nem sequer pensamos no motor 2.0, que para alguns pode ser um demérito. No caso de alguns utilitários esportivos, especialmente aqueles sem turbo e bicombustíveis, realmente um motor quatro cilindros é o calcanhar-de-aquiles. No XC90, o Drive-E mostra que o caminho agora é o downsizing.

volvo-xc90-t6-inscription-avaliação-NA (59)

Ele não só permite uma performance mais do que adequada para o porte e proposta do XC90, mas também ofereceu economia, algo que V6 e V8 jamais entregarão, exceto se forem diesel. Em tempos de NOx, a saída da Volvo foi apostar no motor menor com desempenho maior, o que parece bem acertado.

O conjunto é bastante completo e digno de elogios. O ambiente interno do Novo XC90 elevou o modelo de patamar, muito superior ao anterior e tão luxuoso quanto os alemães. A Volvo aplicou preços fixos nas revisões, somando R$ 10.894 até 60.000 km. Um valor razoável para um carro de quase R$ 400 mil, o que é bom. No mais, a tecnologia embarcada e conectividade do Sensus colocam o SUV em boa posição no segmento. Sem dúvida, este nórdico é uma boa escolha.

Medidas e números…

Ficha Técnica do Volvo XC90 T6 Inscription 2.0 2016

Motor/Transmissão
Número de cilindros – 4 em linha, turbo e supercharger
Cilindrada – 1969 cm³
Potência – 320 cv a 5.700 rpm (gasolina)
Torque – 40,8 kgfm entre 1.500 e 4.500 rpm
Transmissão – Automática com oito marchas e mudanças sequenciais

Desempenho
Aceleração de 0 a 100 km/h – 6,5 segundos
Velocidade máxima – 230 km/h
Rotação a 110 km/h – 1.800 rpm
Consumo urbano – 7,2 km/litro
Consumo rodoviário – 11,1 km/litro

Suspensão/Direção
Dianteira – Braços sobrepostos/Traseira – Braços múltiplos
Elétrica

Freios
Discos dianteiros e traseiros com ABS e EDB

Rodas/Pneus
Liga leve aro 20 com pneus 275/45 R20

Dimensões/Pesos/Capacidades
Comprimento – 4.950 mm
Largura – 1.923 mm (sem retrovisores)
Altura – 1.776 mm
Entre eixos – 2.984 mm
Peso em ordem de marcha – 2.078 kg
Tanque – 71 litros
Porta-malas – 314 litros (sete lugares e até a altura das janelas)
Preço: R$ 383.950

Galeria de fotos do Volvo XC90 T6 Inscription 2016:





  • Jonathan Morais

    Alguém sabe por que ele não possui o airbag de joelho para motorista, sendo que ele vem de serie na Europa?

  • Eduardo Alves

    Cara, o consumo dele na cidade é melhor que meu carro que é 1.6 automatico.

    • Franco da Silva

      É igual ao Uno Way que tive. Se andasse meio animado na cidade, fazia 7,5… com gasolina!!

  • Pedro Henrique

    turbocompressor E supercharger?
    não queriam dizer que ele é turbocharger?
    nunca vi turbocompressor e supercharger juntos

    • MaCaRyS

      Amiguinho, é isso mesmo que vc leu! o Volvo XC90 tem o prazer de se apresentar dizendo; Eu tenho Supercharger e Turbocompressor

      https://uploads.disquscdn.com/images/ec34c8c473636208b74286eca12aaa759cd7938fd6fc1c558485eacdb53daa6b.jpg

      • Pedro Henrique

        que massa, sabia disso não kkk

    • Tem muitos modelos que tem isso, o primeiro foi em 1985:

      https://en.wikipedia.org/wiki/Twincharger

    • Charlis

      A VW/Audi usam turbo e compressor juntos faz tempo amigão.
      O Roots (compressor) é utilizado para baixas rotações, e o turbo para médias e altas.
      Tem uma válvula para controlar a entrada do ar no turbo.
      Audi A1 Sport 1.4 TFSI é um exemplo que temos no Brasil.

    • Martini Stripes

      1.4 TSI é a mesma coisa. Supercharger e Turbo

      • Charlis

        Não em todos.
        Apenas a versão apimentada, que está no A1 Sport de 185cv…

        • Thiago

          A antiga versão ambition também veio com esse motor de 185cv. Na versão atual foi substituído pelo 1.8T de 190cv, imagino que foi para baixar custos.

    • gabriel moraes

      ontem tive essa mesma duvida em umas pesquisa amigo e descobri alem da diferença entre eles mas tambem que os dois juntos se tornao em um vulcao de tanta força, vale a pena pesquisar sobre o assunto, agora nao me recordo o site mas so taca no tio google que acha tudo certinho. fica a dica

  • Bruno Silva

    Magnifico. Pra mim o melhor da categoria e o preço também é dos mais baixos. No entanto, muitos que compram nesse segmento, infelizmente o visual fala mais alto, e embora eu goste muito do Volvo, tem carros bem mais chamativos nesse valor (X6, até X5, Cayenne, F-Pace)

    • MaCaRyS

      Cara, eu vi uma ao vivo aqui em Curitiba na Euro Import, não estava à venda e sim, foi um afortunado que chegou com ela e à meu gosto achei mais bonita que X5, mas gosto é gosto.

      • Bruno Silva

        Eu também acho o Volvo mais bonito. Porém, é mais sóbrio. Muitos nesse valor gostam de ostentar, e convenhamos que uma X6 chame bem mais atenção que um XC90. É tipo Elantra e Jetta, eu acho o Jetta mais bonito, mas um Elantra chama bem mais atenção.

        • Eduardo Santos

          Concordo contigo, mas eu sou um dos que acham a X6 horrível. Pra mim SUV tem que ser quadrada, então sou mais XC90, F Pace ou Range Rover.

  • Lucas086

    Carro top, é tanta coisa que deve-se 1 semana até aprender tudo. Essa frente com os leds fica muito linda, sou fã do carro, se tivesse esse dinheiro, era minha escolha

  • Maçaranduba o Porradeiro.

    é um carro deveras barato.

    • Vini

      deveras, compra-lo-á, afortunadamente, em tempo azado

  • VW_Freak

    Não deve nada aos alemães!

  • fbl

    Muito curioso pra ver um teste entre esse carro e uma x5 ou gle com motor v6 turbo ou ate mesmo v8. Incrivel esse motor 4cil 2.0L num carro desse porte e do que ele é capaz entre desempenho e consumo.

  • Achei interessante o fato das lanternas piscarem quando alguém gruda na traseira do carro. Em BR vejo muito acidente envolvendo batida traseira.

  • celso

    Pelo conjunto da obra, é o melhor da categoria.

  • Eduardo Perrone Barbosa

    É uma pena mas não cabe na minha garagem.

    • Mr. Car

      Não cabe em sua garagem no modo irônico “In”, ou no modo irônico “Off”, he, he?

      • Eduardo Perrone Barbosa

        Pelo tamanho é “off” (não cabe mesmo), pelo preço é “in”.rsrs

    • AugustoSeide

      kkkkkkkkk

  • Guilherme Gimenes

    engraçado..nao li ngm dizendo que o painel é copia do Tesla… mas se fosse um carro chines ao inves da volvo …

    • AugustoSeide

      Cara, ao meu ver, esse carro inteiro tem identidade própria, tudo nele lembra somente ele mesmo kk..

      Vc deve estar falando isso só por conta do “tablet” no meio do painel. Acredito que essa é a tendencia, o fim dos botões físicos.

    • MG

      Mas foi financiado com dinheiro chinês

  • cepereira2006

    Casualmente vi esse carro na rua hoje. É muito grande e alto. Parece uma montanha andando no trânsito entre os outros carros. Se bobear é o mesmo carro da foto, visto que parece a praia de Pântano do Sul nas fotos, que fica aqui em Floripa. Além de ser da mesma cor e T6.

  • 1945_DE

    Pessoal entrei neste carro e dei uma olhada em detalhes. É uma máquina respeitável.

  • Rodrigo

    #Sonho

  • Matheus Cavalheiro

    O XC60 já tem revisao com preço fixo também?



Send this to friend