BMW Cupês Elétricos Esportivos Europa

BMW i8 pode ganhar versão 100% elétrica e com 400 km de autonomia

bmw-i8-celebration-edition-1

A BMW está preparando uma versão 100% elétrica de seu híbrido esportivo i8, de acordo com a revista inglesa Autocar. O desenvolvimento estaria sendo baseado no protótipo com células de combustível, mas no lugar do tanque central, o túnel abrigaria um novo pacote de baterias. A autonomia proposta é de 400 km.

O BMW i8 elétrico não deverá pesar mais, apesar de usar mais baterias. Além disso, o cupê esportivo deve contar também com três motores elétricos, sendo um na dianteira e dois na traseira, substituindo neste último o motor de três cilindros 1.5 TwinPower Turbo.

A empresa estaria trabalhando no desenvolvimento de motores elétricos de alta rotação. Atualmente, o BMW i8 entrega 362 cv de forma combinada, mas comenta-se que cada motor elétrico da nova versão terá em torno de 271 cv, o que aumentará consideravelmente a performance do modelo.

[Fonte: Autocar]





  • Paulo Júnior

    Nossa, para que uma propaganda tão invasiva assim?

    • Marco Douglas de Paula

      esse propaganda ta péssima e só aparece no computador
      ta bem chato isso

  • Olá, vocês fecham parceria?

  • CanalhaRS

    Acho o i8 o carro mais “futurista” vendido atualmente.

    • Termos de design, talvez.
      Em termos de tecnologia: Tesla

      • CanalhaRS

        Pois é, mas aí o tesla S é o contrário…hehehehe
        Dentro do campo do futurismo acho o conjunto do i8 mais a frente.

        • th!nk.t4nk

          Na verdade em termos de tecnologia o i8 vence o Model S em diversos aspectos… Sou fã dos Tesla, mas noto que as pessoas endeusam exageradamente o carro, sem conhecer melhor o que a concorrência oferece. O que faz os Tesla tão populares não é só tecnologia, é o fato de ser um produto genuinamente americano (mesmo caso da Apple com o iPhone).

    • thi

      depois acho q vem a audi

  • João do Cão

    É o futuro.
    Já gostei de “dirigir por dirigir”.
    Às vezes ainda gosto.
    Mas passo mais tempo me irritando ao volante do que tendo algum gosto.
    Logo, parece agradável pensar em ter um veículo elétrico, prático, econômico e sustentável.