Brasil Governamental/Legal Mercado Oriente Médio

Brasil busca Irã para ampliar exportações

Pátio-da-Chevrolet2

Uma comitiva brasileira estará no Irã nos próximos dias para tentar um acordo que possibilite a entrada de veículos nacionais naquele mercado, recentemente reaberto aos fabricantes internacionais após sanções impostas, devido à questão nuclear.

Após fechar acordos com Uruguai e Colômbia, agora é a vez do Irã. Com dólar em alta, os carros brasileiros ficaram mais baratos no mercado internacional e o país espera ampliar as exportações como saída para a queda nas vendas internamente.

A ociosidade do setor automotivo no Brasil chega a 52%, mesmo nível de 2002. A expectativa é que 2015 feche com 2,5 milhões de veículos produzidos, 30% menos que em 2014. As vendas para fora, portanto, são vitais para recuperação do volume fabricado pelo país.

[Fonte: Valor/Estadão]





  • C.A.

    Só parceiro ‘bão’.

    • Ric53

      hahahaha pqp! Ia falar a mesma coisa… Meuuuu Deusss hahaha

    • Mario

      Perfeito !!! Com a crise, as montadoras e o ‘desgoverno’ tentam fechar acordos. Com o dolar a $4,00 deveria ser automático exportar mais, mas quem vai querer estes lixos de carros??? Só Irã, Colombia, talvez alguns países da Africa…

      • Vi Vendo

        A grande maioria dos carros produzidos no Brasil,já são globais,com exeção da Hyundai,Fiat e algums modelos VW. Os modelos Ford,Honda,Toyota, GM, Chery, Nissan, Renault são globais. Os caminhões fabricados no Brasil,tambem não ficam devendo nada em qualidade.

        • Diego Lip

          Nossos ônibus são alguns dos melhores do mundo.

          • Igor

            E são de marcas nacionais ainda…

            Se não fosse os marginais que destroem os ônibus quando um mano da quebrada morre, roubam trilhos para vender, quebram bancos de trens etc, nosso transporte publico seria bom

        • Hyundai CAOA produz o global ix35, que continua em linha em muitos países, mesmo com a chegada do novo Tucson.

    • Fanjos

      Esquerdiza Mais!

      • Pedro Neto

        o Iran é um país de ultra direita amigo, esquerdizar pra onde?

        • Cesar Oliveira

          No Irã não tem essa de direita e esquerda, as leis do Islã regem a politica do país. Assim como os outros países islâmicos essa conversa não faz sentido para eles, o que não impede que os países mais próximos e amigáveis ao Irã sejam ditaduras comunistas.

          • alixgracus

            Exatamente, trata-se de uma teocracia onde não cabe a clássica divisão direita-esquerda. Mesmo assim, se estivéssemos apostando no autoritarismo como único fator para definir a posição de um país, seria mais fácil cravar que o país é de esquerda, já que ela só consegue implementar o seu modelo – dogmático e anti-natural – na base da imposição.

    • Vi Vendo

      Caso vc não saiba,todos os países do mundo,estão mandando delegações para fazerem negócio com o Irã. O país esteve bloqueado pelos EUA,e agora que o bloqueio acabou,o Irã se tornou interessante para as grandes empresas venderem os seus produtos.

      • CignusRJ

        Mais um defensor dos PTistas e se bobear é pago com nosso dinheiro.
        Ah não foi os EUA que bloquearam o Irã foi a ONU. Por causa do programa nuclear deles e das ameaças à Israel.

        • Vi Vendo

          Deixa de ser estupido rapaz e seja menos mau educado! Percebo que vc gosta de imaginar e supor coisas que não são verdade. Então quando uma pessoa fala ou escreve algo,que não é aquilo que vc quer ouvir ou ler,esta pessoa está sendo paga por alguém para defender pessoas? Aprenda conviver com opiniões diferente das suas. Se vc gosta de desinformar,então quem está ganhando pra estar aqui é vc. Se enteira um pouco melhor,sobre o que está acontecendo no mundo neste momento,pois enquanto vc está achando que os persas,são bandidos;os capitalista do mundo inteiro estão estourando champanhe para brindar os negócios fechados com eles

          • CignusRJ

            Quem é vc ara chamar os outros de estúpidos?
            Se vc não gostou do que falei, problema seu. E não fui “MAL” educado, aponte onde esta a falta de educação. Eu fui é direto.
            Vc deu informação errada, difamou um país e inda se ahca no direito de ofender os outros? E ainda inventa que fui mal educado para justificar tal agressão?
            Vai tomar banho e aprenda a respeitar os outros, aprenda a viver em sociedade.
            .

            • Vi Vendo

              “Mais um defensor do PT e se bobear é pago com o nosso dinheiro”. Quem escreveu isso,não foi vc? Não me parece que vc me fez um elogio com esta frase;parece? Tirando a correção ortografica sobre a diferença entre “Mal” e “Mau”,que vc observou muito bem;no resto a sua réplica foi um “disastre”(rsrs..) Confundiu alhos com bugalhos! Lamento por tê-lo molestado e irritado!

    • Gustavogm

      Só um país com mercado fechado pra comprar Palio e Gol! Isso se comprar pois o Brasil é craque em fazer acordo com outros países e esses ignorarem os nossos produtos…

    • Castle_Bravo

      Uruguai, Colômbia, Irã… só a “Elite” do mundo.

  • Higo Belchior

    Porquê nao busca EUA, Europa ou JapãoCoreia do SulChina?
    Ahhh… lembrei.

    • C.A.

      Exportar Golzão pros USA e os japas…

      • Renato Duarte

        eles ( EUA EUROPA JAPÃO e etc ) devem ser muito revoltados por não possuir os carros fabricados aqui, mano. Cê tá por fora!!! kkkkkkkkkkkkkkkkk ( Zoeira On )

    • V12 for life

      A União Européia quer, mas as estrelas governantes não.

    • Ramom Alencar

      porque a qualidade é 0 e não aceitariam kkkkkkkk

    • Alligator

      Ninguém no mundo consegue vender carros para os Japoneses com exceção dos Alemães com a VW e o trio de luxo alemão, pq o Brasil iria conseguir?

      • CignusRJ

        Vc encontra caros de várias marcas e países no Japão. Citröen, Alfa, Volvo…
        Até carros brasileiros mas aí é raríssimo e mais peças de colecionadores.
        Eles compram carros e não carroças.
        .

        • Alligator

          Cara outras marcas podem até terem vendas no Japão, mas a escala é baixíssima, não chega nem a casa dos quatro dígitos anuais em vendas

          • CignusRJ

            Sima escala é pequena, mas vende.
            O problema sobre a pouca escala é a legislação do país que impede uma grande importação.
            .

    • Vi Vendo

      Você já viu quais são os carros mais vendidos na Coreia e no Japão?

      • CignusRJ

        São kei-cars produtos de alta tecnologia.

        • E na Coréia do Sul só da Hyundai de padrão superior ou intermediários Hyundai, bem como os Kia. Só carro bom também, tanto no Japão, quanto na Coréia do Sul.

  • zekinha71

    Será que o Irã irá aceitar nossas bombas?
    O Iraque uma vez já devolveu.

    • Cyro

      com certeza aceita….
      lembro dos passat velho que tinha por la…muitos viraram carro bomba mesmo

      • Alligator

        Olha se forem da Renault acho meio difícil pois eles já possui carros como: Clio IV, Captur, Megane Hatch IV, Fluence, Megane sedan II e Koleos modelos Dacia como a primeira versão do Logan e pick-up Logan

      • Jackson

        Uma correção, os Passat iraquianos eram superiores aos brasileiros. Entrei em um certa vez e pisando no carpete o pé afundava, os banco tinham um veludo de excelente qualidade, portas totalmente revestidas internamente e um ar condicionado exclusivo para aquele mercado. Se os carros viraram bomba, bem aí é outra história….

    • Ramom Alencar

      é a chance de nos livrarmos dos mareias

      • MG

        kkkkk

    • Tosca16

      Não, o Passat Iraquiano não foi “devolvido” fizeram além da meta estabelecida. Por sorte somente assim tivemos a versão LSE .

      • zekinha71

        Na época foi falado que tinham feito com motores e ar condicionado fraco, e o Saddam não gostou e acabou com o contrato. Pode ser que o Iraque começou a receber veículos melhores de outros lugares.
        E alguns tinham sido enviados e depois foram devolvidos, meu tio até comprou um branco pra por na praça, e a gente zoava ele falando que ele andava de Saddam.
        Agora essa de meta maior nunca tinha ouvido.

    • meneghelli1972

      Com certeza, se tem uma coisa que eles entendem é de bomba… :)

  • Foxtrot

    P#*% QUE PARIU!
    Só gente boa que esse governo do PT quer fazer amizade, só com países que fazem o ocidente questionar nossa sanidade.

  • Hox

    A dúvida é se os iranianos vão querer as bombas brasileiras.

    • V12 for life

      Pra quem gosta de se explodir ta perfeito.

      • Fanjos

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Não tem melhor lugar para nossas bombas xD

        • Linkera

          Lá o volume do porta-malas não é medida em litros, mas sim em bananas de dinamite.

    • 4lex5andro

      beleza, pra que a.l.c.a. ou u.e., o negocio é parceria com iran, ta ‘serto’ ..

      e o mercosul indo pro vinagre..

      • Castle_Bravo

        Que bom que o Brasil, aparentemente, acordou e viu que o Merdasul não vai levar a lugar algum. Parceria com Irã também não vai levar muito longe, mas já é um avanço.

        • Ernesto

          Não acho que o Brasil acordou e sim que o Mercosul está tão ruim que nem tem como melhorar as exportações para esses países. Enquanto o Brasil escolhe pessimamente seus parceiros comerciais, países como EUA, Japão, México, Chile, Peru entre outros estão criando a parceria transpacífico (TPP).

  • 1945_DE

    Nossa um pátio cheio de Celta. Bela foto para ilustrar o assunto. Exportação de bomba.

    • Garuda

      ” Exportação de bomba ”

      Infelizmente estes Celtas podem ser usados como carros bombas por radicais

      Dilmãe coração valente ( nome de guerra ) fazendo escola

  • Freaky Boss

    Enquanto o mundo fecha acordos por blocos, acordos grandes, o Brasil vai nesses acordos periféricos (e não tenho nada contra o Irã, mas sim com o tamanho da economia deles se comparar com a de um grande bloco), por pura ideologia. Mas ideologia não faz indústria crescer não, muito pelo contrário , o que faz crescer são negócios (aliás a indústria está morrendo no Brasil). Quando que esses tiranetes populistas da américa latina vão aprender essas coisas….
    Mas tomara que esse acordo vá em frente. Melhor do que nada!

    • C.A.

      O Brasil viveu, nos últimos 20 anos, um processo de desindustrialização.

    • Alligator

      O Irã e a segunda maior economia do Oriente médio só perde para a Turquia

      • ricardo

        turquia n faz parte do oriente medio …é europa e asia ..

        • Tygra

          Faz sim. Oriente Médio é toda a região que vai da Turquia, a oeste, até o Afeganistão, a leste. O Oriente Médio engloba áreas de países dos três continentes que formam o Velho Mundo, como a Turquia (Europa e Ásia), o Egito (África e Ásia) e o Irã (Ásia). Além disso, tem alguns estudiosos que incluem os países do norte da África como pertencentes ao Oriente Médio.

          • ricardo

            kkkkkkkkkk ok

            • Tygra

              Está rindo do quê? Só pode ser da sua própria estupidez ou ignorância. E cada um que esparece por aqui. Apenas demonstrei que estava enganado, que a Turquia faz parte do Oriente Médio, fiz isso de forma educada e respeitosa. Caso não concorde esse é direito seu, mas o seu ponto de vista na vai mudar a localização geográfica da Turquia. Se não é capaz de rebater uma afirmação de forma respeitosa ou não sabe o que dizer é melhor ficar calado. Viver em sociedade e querer participar de discussões e debates exige um mínimo de educação e respeito. Caso não seja capaz de compreender isso, é inapto para participar de qualquer discussão.

              • ricardo

                primeiro vai tomar nucu eu dou rizada onde e quando quero … se tiver achanado ruim vai ler e olhar outro comentario, conversa merda e ainda ta querendo ser certo… olha em qq canto ai ..

                O termo Oriente Médio define uma área de forma pouco específica, ou sem definição de fronteiras precisas. Geralmente considera-se incluir: Arábia Saudita

                Bahrein
                Catar
                Chipre
                Egito
                Emirados Árabes Unidos
                Iémen/Iêmen
                Israel Irão
                Iraque
                Jordânia
                Kuwait
                Líbano
                Omã
                Palestina
                Síria
                Turquia

                como diz considera-se e n tem fronteiras definidas a msm coisa de blocos economicos e n realmente regioes …
                por isso falei q turquia fazia parte da asia-europa … to falando em regioes n é blocos economicos
                nem td q tem na turquia tem no oriente medio

                • Tygra

                  Pronto! Demonstrou toda sua estupidez, ignorância e falta de educação. Pelos menos, mesmo que de forma implícita, reconheceu que a Turquia faz parte do Oriente Médio e que alguns autores reconhecem outras áreas (quando diz que não há fronteiras precisas) além daquelas que estão entre a Turquia e o Afeganistão. Poderia ter comentado que tinha se enganado e agradecido pela informação, mas não, quer desmerecer que está apenas contribuindo para o debate. Não é surpresa sua resposta, quanto ao tomar no reto não tenho nenhum interesse em participar dessa experiência, mas vc é livre para relatar como é, e quais foram as sensações e prazeres que sentiu, já que gostou tanto, que chega a recomendar para terceiros. Afinal, vc é livre! Inclusive para compartilhar sua felicidade com algumas experiências. Mas obrigado, como já disse, não tenho interesse. Seja feliz!

                  • ricardo

                    tem oq fzer n é procura tua turma mane .. turquia é oriente medio kkkkkk de novo vai estudar mane

                    • Tygra

                      Pelo jeito vc não lê nem os seus próprios comentários, provavelmente porque copiou/colou sem nem prestar atenção no que estava copiando. Vc postou que: “O termo Oriente Médio define uma área de forma pouco específica, ou sem definição de fronteiras precisas. Geralmente considera-se incluir: Arábia Saudita… Turquia”. Da próxima vez pelo menos lê o que vc copia da internet. Depois é eu que preciso estudar.

                • banido por mandar o outro leitor tomar naquele lugar.

          • Castle_Bravo

            Os turcos não gostam disso, muitos queriam ser europeus, como os vizinhos gregos, mas essa é a realidade.

      • Tygra

        Vc está certíssimo, é exatamente por isso que com a queda das sanções não é só o Brasil que esta buscando acordos com o Irã, mas diversas nações, inclusive países desenvolvidos como: Alemanha, França e Estados Unidos.

      • CignusRJ

        Irã, antiga Pérsia não faz parte do Oriente próximo.
        Vc encontrará fontes dizendo que a Turquia tb não faz parte do oriente médio.
        Explicando geograficamente a turquia e todos os países da península arábica fazem parte do Oriente médio.
        Politicamente a Turquia não o faz pois é considerada como sendo um país europeu.
        Lembrando que a base da economia do Irã é o petróleo e o preço dele esta em baixa no mercado internacional.
        Resumindo há dezenas de melhores opções de se fazer acordos mas aogra o Brasil esta fazendo com o que sobrou.
        .

        • Alligator

          Primeiro somente 5% do território turco está localizado na Europa, inclusive a cidade de Istambul é dividida Europa e Oriente Médio, a capital da Turquia(Ankara) faz parte do O.M, e para finalizar em todas as bibliografias a Turquia faz parte do Oriente Médio.
          Segundo o Irã também faz parte do O.M que vai da Turquia ao Irã pois todos os paises dessa região possuem em comum o clima, solo relevo e vegetação podendo citar até mesmo a religião com suas “pequenas” diferenças.
          O petróleo pode estar embaixa , mas o petróleo do Irã possui um custo baixíssimo de produção sem falar que nos próximos 5 anos a tendência é que o Irã dobre a sua produção, alcançando os mesmos níveis da Arabia Saudita, sem falar que o Irã também possui a segunda maior reserva de gas natural do mundo, por isso que Rússia e Irã estão tão interessados na Síria e Iraque(que já é em tese controlado pelo Irã) que são a rota final dos gasodutos ao continente Europeu.

        • Castle_Bravo

          Os europeus abominam a ideia de que a Turquia um dia seja considerada “Europa”, até o Vaticano faz lobby contra a ideia de um país com maioria muçulmana seja incluído num bloco predominantemente cristão.

    • Henrique12

      Lembrando que o Brasil e a Argentina estão isolados no continente após a criação da Aliança do Pacífico.

  • Franco da Silva

    É, p o Irã deve comprar muito carro. Meia dúzia de super ricos e uma população na miséria.

    • duduEAS

      Mais ou menos igual a china, so que la tem 400 milhoes de pessoas que conseguem ( sendo otimista) e o resto na miséria. Mas pra industria o que importa e quem compra, o resto que vai pra quele lugar.

    • Alligator

      O Irã não é a Arabia Saudita aonde 5000 pessoas controlam toda a riqueza do país, e o resto são recebedores do bolsa Alcorão.

  • Junoba

    Eles não fecham acordo com países desenvolvidos, porque as próprias montadoras fazem carros defasados e inseguros, que esses lugares não aceitam.

    Vocês acham que a Alemanha ou mesmo a Itália ( sede da Fiat ) aceitaria vender Palio por lá? Claro que não !

    • C.A.

      A Fiat da Itália chegou a vender a Strada. Acho que comerciais eles até aceitam, embora a Strada deles tivesse outro motor…

      • Guilherme Batista

        Já vendeu Strada e até Palio, mas não são o mesmo carro, não se enganem.
        Além disso foi numa época em que as regras européias ainda eram um pouco frouxas, depois dos anos 2000, começaram a aparecer várias exigências e esses carros foram sendo tirados de lá

        • C.A.

          A Strada só tinha outro motor. Foi em 2008, na atual ‘geração’ (reestilização).

          • Guilherme Batista

            Ah verdade, tinha me esquecido dessa.
            Ela também tinha barra de proteção nas portas e alguns outros mimos a mais.

    • Jackson

      Desde sua instalação no Brasil, em 1976, a Fiat Automóveis dedicou atenção ao mercado externo, confirmando a vocação da marca para a produção de veículos de classe mundial quando a globalização dos mercados ainda era uma utopia. A partir de então, carros produzidos no Brasil com a marca italiana passaram a rodar nos principais mercados da Europa e da América Latina, além de dezenas de países da África, Ásia e Oceania tão distantes como Taiwan ou tão desconhecidos quanto a Ilha de Reunião, na costa oriental da África, em pleno Oceano Índico. Hoje, a Fiat brasileira tem clientes em 50 países, sendo 21 na Europa, 18 na América Latina e Caribe e 11 na África, Oriente Médio e Ásia. Sua carteira de produtos conta com 12 modelos, com 11 motorizações diferentes, desde o motor Fire 1.0, que equipa o Palio, até o 2.8 turbodiesel, do Ducato. Motores a diesel equipam também automóveis como Palio, Siena e Stilo para o mercado latino-americano, e a pick-up Strada destinada à Europa. Ao longo de 28 anos, as exportações da Fiat Automóveis foram responsáveis por aproximadamente 30% de toda a produção da fábrica, que totaliza, de 1976 até hoje, cerca de 8,5 milhões de veículos. Os maiores mercados da Fiat Automóveis no exterior têm sido a Itália, na Europa, e a Argentina, na América Latina. Atualmente, a Fiat tem clientes fiéis também em países como Chile, México e Venezuela, no continente latino-americano; na Alemanha, França, Espanha, Grécia, Portugal e Holanda, na Europa; e na Tunísia, Argélia e Marrocos, entre os países da África.Fonte:http://www.fiatpress.com.br/releases/gerenciarReleases.do?operation=visualizarRelease&idRelease=114

      • Ernesto

        Este seu link, a informação é de 15/Novembro de 2004!!! Não teria nada mais atual para saber como andam as exportações da Fiat nos dias de hoje?

        • Jackson

          De acordo, entretanto mostra que a Fiat já exportou para o velho continente.

  • Augusto

    HAHAHAHAHAHAHAH (realmente não tenho palavras pra comentar sobre os “negócios” do nosso governo)

  • ricardo

    n é o melhor mas pelo menos é melhor q nada ..
    pior é a argentina q coloca cada dia mais barreiras e faz parte do mercosul e por mim ja ta bom de acabar pq n faz oq realmente era pra ser como outros blocos economicos ..

    • Ernesto

      Com o Bolivarianismo da América do Sul, não haverá necessidade de bloco econômico nenhum, pois todos os países vão ficar igual à Venezuela.

  • Corrarello Dago

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Vai conseguir exportar meia dúzia de carroças por ano, aqui temos mais de 200 milhões de habitantes, baixar o preço para vender mais e ganhar escala de produção isso não admitem. Abre o olho brasilerada.

  • Roger Rosato

    Um acordo de livre comércio com a UE seria muito vantajoso para o BR, agora. O parlamento europeu, Angela Merkel e Francois Holande querem… o governo federal já demostrou interesse… mas e a Christina Kirschner?
    Nada é tão simples assim…

    • Guilherme Batista

      Não tem produto fabricado no Brasil que tenha o nível de qualidade exigida pelos europeus.

      • Roger Rosato

        Dudalina, Lupo, Schültz, Hering, Hemmer, Arezzo… só essas poucas prova que vc não sabe o que está dizendo. Sinto muitas saudade de tantos produtos de excelente qualidade e de infinita melhor relação custo/benefício que tinha no Brasil e que não acho aqui no Canadá. Se fossem vendidos aqui, fariam imenso sucesso.

        • Tosoobservando

          Estamos falando de carros…

        • Guilherme Batista

          Isso é um site de automóveis cara.
          E ainda sim essas marcas não são equiparáveis a marcas européias

          • Roger Rosato

            Realmente, não há comparação de como o Custo x Benefício dessas marcas são superiores.
            E mais, a capacidade produtiva instalada no Brasil para automóveis é enorme e facilmente adaptável para produção de veículos que poderiam ser exportados. O nosso Fiesta, por exemplo, tem acabamento inferior, pois visa corte de custos, o Ka vendido na Europa virá da Índia. Acha mesmo que o Ka vendido na Índia é o mesmo que será vendido na Europa no que tange motor e acabamento?
            E mais… dos produtos já disponíveis no mercado, o Brasil poderia tranquilamente exportar Jeep Renegade, Honda HR-V, Honda Civic, Troller TR-4, Ford Ka, Toyota Corolla, FIAT Toro etc com mínimas alterações nas unidades produtivas.

  • CanalhaRS

    Esse PT é uma piada pronta. Ferraram com um país que chegou a ser 4º maior mercado automotivo do planeta e hoje fica mendigando acordos pífios com qualquer país de meia tigela. Estamos fora da rota em todos os sentidos…

  • Tosca16

    O pessoal reclama demais de tudo quanto é nacional, mas me recordo da reportagem do Passat iraquiano que foi produzido aqui, até hoje considerado o melhor Passat produzido pela VW no Brasil . Que depois foi vendida as sobras aqui como Passat LSE; sem dúvidas melhor que os produzidos para atender ao nosso mercado.

    • Jackson

      Correta tua informação. O Passat LSE já existia antes do Passat iraquiano. Aliás o iraquiano era até superior que o LSE.

      • Tosca16

        certeza ? Eu lí pra ter noção, ao menos a revista Quatro rodas disse que o LSE foi feio encima do projeto do Iraquiano; bom é o de menos, tem que ver que o Iraquiano era bom, superior ao nosso e isso é a constatação de uma triste realidade; quem garante que os carros nacionais exportados não serão melhores que os nossos ? Eu não duvido exportarem algo melhor que os comercializados aqui.

        • Jackson

          São poucos os países em que algum personagem brasileiro supera a popularidade de Pelé e Ronaldo Fenômeno. O Iraque é uma dessas exceções. Basta andar nas ruas para encontrar exemplares de Volkswagen Passat fabricados aqui, já na terceira idade, em plena labuta.
          Entre 1983 e 1988, ano em que nosso Passat saiu de linha, 170 000 unidades da versão LSE deixaram a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) rumo ao Oriente Médio. O destino rendeu o apelido “Passat Iraque”. Era uma época em que a VW brasileira buscava novos mercados, o que também a fez levar o Voyage aos Estados Unidos, sob o nome de Fox.
          A transação do Iraque tinha um caráter inusitado, já que os carros eram pagos em petróleo, repassado à Petrobras. Quando esta teve um excedente do produto, sobrou “Passat Iraque”. A solução? Vendê-lo no Brasil, o que ocorreu a partir de junho de 1986. Com o Santana no topo da linha e a aposentadoria do Fusca no mesmo ano, o Passat tornou-se o VW de passeio mais antigo em produção.
          Lançado em 1974, o Passat brasileiro ganhou versão de quatro portas para 1975. A LSE 1978, de Luxo Super Executivo, assumiu o papel de Passat mais luxuoso. Reunia conforto de quatro portas, motor do esportivo TS, quatro apoios de cabeça e ar-condicionado opcional. Até a chegada do Santana, em 1984, foi nosso VW mais sofisticado. “Sem gastar quase nada, utilizando apenas componentes de produção normal, a Volkswagen conseguiu apresentar um sedã executivo que lhe permite lutar por uma faixa de mercado até então inexplorada por ela”, afi rmou Claudio Carsughi na edição de novembro de 1977 de QUATRO RODAS. Ele já criticava imperfeições no acabamento, o que tornaria a ocorrer em testes subsequentes da versão. Em 1983, o LSE ganhou o sobrenome Paddock. Para 1986, o Passat nacional adotou o motor AP600 de biela longa e 85 cv, baseado no do Santana. O “Passat Iraque” manteve o MD 270 de 72 cv para simplifi car o envio de peças de reposição. O câmbio do modelo de exportação tinha só quatro marchas, uma a menos que o Passat local. Outras alterações eram o radiador de cobre, pneus radiais têxteis (de aço daqui), ventilador de 250 W (contra 180 W), chapa de proteção do motor de série, párabarro, quatro ganchos de reboque (dois a mais) e carpete de 10 mm (ou 4 mm extras). Ele vinha nas cores branca, azul ou vermelha, esta com três opções de tom. Fora o azul, que tinha estofamento cinza, as demais cores traziam bancos vinho, exigência local à qual nem os Mercedes escapavam.
          No teste de outubro de 1986, o texto afi rmava que a rede Volkswagen temia que o Passat LSE para exportação encalhasse no pátio. Para a surpresa geral, até fi las se formaram. Além do acabamento esmerado, com painel completo, o ar-condicionado, essencial para a variação climática iraquiana, era um atrativo, apesar de a motorização ter sido rebaixada e o câmbio ter só quatro marchas. No Oriente ou no Ocidente, os anos comprovam que, mais que suas comodidades e vantagens, a maior virtude do “Passat Iraque” era mesmo sua resistência. Fonte: Quatro-Rodas abril 2009.

  • Até quando vamos ter que aguentar essa diplomacia ideológica e retrógrada em nosso país? Até quando? Corrupção, incompetência, inchaço do Estado… nada disso é mais deletério ao nosso país que essa diplomacia esdrúxula a que vimos sido submetidos desde o início dos anos PT.

  • Pipo pipo

    Legal, venderemos mais 02 carros lá fora.

  • Gustavo Miranda

    Bom, por hora é um bom paliativo, porém é sabido que negociações com o Irã são bem instáveis, de repente aparece outra encrenca entre eles e a ONU e tudo volta a estaca zero…

    Não adianta, enquanto a esquerda tiver integrantes querendo desconstruir nosso país, virando tudo de cabeça para baixo e se fechando para o mundo; e uma direita que segue as diretivas do deus Hermes, que diz “não se deve dar pérolas aos porcos” em relação ao conhecimento, seremos sempre uma nação de pobres coitados, trabalhando como operários dos Impérios do passado, isto é, dando a vida por um punhado de sal e achando graça da própria desgraça…

  • Ricardo Rangel Lirio

    Agora sim…
    A crise no setor automobilístico acabará!
    Acordos fechados com Uruguai e Colombia… Uhuuuuuu…
    Se fecharmos com o Irã então, DOBRAMOS A META!

  • Miguel

    Meu Deus!!!! Esse governo é piada de muito mal gosto.
    Primeiro demos uma rasteira no mundo fechando acordo histórico com a Colômbia, e agora com o Irã! Chupa mundo!!!
    É de uma mediocridade sem tamanho!

  • Roberto

    Rapaz, vender nossas carroças pro Irã é um perigo, imagine um iraniano comprando um Gol achando que é “DAS AUTO” e quando levar pra casa ver a carroça que é? Vão querer explodir bomba nuclear aqui na Ilha dos Macacos.

    • Ernesto

      Se explodirem lá no Congresso Nacional e atingir também o Palácio do Planalto, eu apoio a exportação de carros para o Irã! KKKK

      • Roberto

        kkkkkkkkkkkkkkk

  • Henrique12

    Mais acordos automotivos! É por isso que México e Brasil nunca avançam. Parece que é o único setor que existe nos dois países. A visão de futuro dos dois governos deve ser 100% da população trabalhando em linhas de montagem, de tanta prioridade que dão ao setor, em detrimento de outros que empregam muito mais gente, como o de serviços. Querem mesmo que sejamos dois países ancorados na indústria automotiva. Indústria cada vez mais de terceiro mundo.

    • Ernesto

      O México participará do TPP (Trans-Pacific Partnership). Dê uma pesquisada sobre esse acordo e veja quais países participam e querem participar. Enquanto isso, Brasil fazendo acordos com Colômbia, Irã, Países africanos…

  • Romulo Moreira

    Mas, mas, mas não é este país que já tem um monte de bomba?
    O Br quer contribuir com mais?????

    KKKKKKKKKKKKKKKK

  • Tosoobservando

    Não é esse país que tem uma montadora propria, a tal de Iran-Khodro? Eles tem parceria pra fabricar Pugs antigos, acho.