Brasil Finanças GM México Mercado Montadoras/Fábricas

Brasil: GM vai reduzir pressão em fornecedores visando lineup global em 2019

gm-fabrica-s10

A GM anunciou aos seus quase 400 fornecedores, que abastecem as linhas de produção no Brasil e no México, reajustes periódicos dos contratos, algo incomum para a montadora. A medida visa dar apoio às autopeças que estiverem enfrentando problemas financeiros decorrentes da alta de insumos e do dólar.

A renegociação eventual dos contratos será feita uma vez por ano se as condições econômicas afetarem as operações dos fornecedores. Com isso, a GM quer garantir suporte para o plano estratégico de 2019, que prevê investimento de US$ 5 bilhões em uma nova gama de produtos a ser fabricada nos dois países. Os modelos serão igualmente vendidos na China e na Índia.

Até então, a GM impunha suas condições para os fornecedores, mas agora a estratégia é garantir a manutenção da produção, a fim de evitar interrupções que prejudiquem as vendas. Tais eventos acontecem quando os fornecedores sofrem pressões por conta da situação econômica.

Recentemente, Volkswagen e Fiat tiveram suas linhas de montagem paralisadas por conta disso. No mundo, a GM é a maior compradora de autopeças, gastando anualmente US$ 85 bilhões. No Brasil, a montadora quer lançar novos modelos, mas a economia em crise reduz o poder de negociação, visto que muitos fornecedores querem evitar investir no país.

[Fonte: Dow Jones/Valor]





  • DiMais

    finalmente alguém lembrou que depende dos pequenos para se manter em pé! muita empresa dependente da indústria automotiva já reduziu drasticamente seus quadros de funcionários ou deixou de existir.. e isso também é ruim para as montadoras já que perdem seus fornecedores e precisam fazer um longo processo de homologação de novos fornecedores, que podem não querer investir e ‘se arriscar’ em uma nova aventura que é hoje a indústria automotiva.

    • SDS SP

      Só aqui na empresa houve uma redução de quase 3 mil funcionários no Brasil, por conta da crise no setor que começou de fato em 2012 com a queda nas vendas de veículos pesados.

    • tjbuenf

      Isso será só até o plano de globalização ser concretizado. Depois, vai continuar metendo o pé no pescoço das autopeças.

      • Marcio Almeida

        Esta é uma grande diferença entre algumas montadoras nipônicas e as demais, eles tem menos fornecedores, qualificados globalmente, quando TOYOTA e HONDA vieram para cá trouxeram diversos fornecedores, e alguns fornecem peças via Japão ate hoje para as montadoras. Trabalhei em uma compania que era fornecedora da Honda e te digo eles não pressionam tanto nos preços, tanto é que quando o Fit começou a ser fabricado as peças vinham do Canada para ca eles, logo depois a empresa teve que montar uma fábrica em Jundiai para fornecer as peças ou seja preferem que o fornecedor que se destaque,em indiceis como qualidade, falha sempre ganhe os contratos. Diferente de volks GM esses esmagam ate não dar mais e ficam jogando para baixar o preço. Talvez por isso aina notamos diferença na qualidade de um carro nipônico para um das quatro grandes. Porém te digo uma outra coisa,quanto a mão de obra as mais bem pagas são as das montadoras europeias o que demonstra também que nem sempre quem ganha mais trabalha melhor.

        • MarcioMaster

          Vi bem isso no fornecedor de airbags, na CTS canadense e seus sensores de aceleração dando recall nos toyotas etc. SQN

          • Marcio Santos

            Não existe o que se possa fazer para ter 0% de falhar, é impossível, mas certamente a quantidade de falhas da honda e toyota é bem menor, é fato, e não tenho carro japonês, não compro porque são depenados aqui no Brasil, paga-se pela confiabilidade e mais nada.

    • Muitomimimi

      é só ver o perrengue que a VW (e em menor escala a Fiat) estão passando por conta de um subfornecedor de bancos parando a linha. As montadoras ficam só esfolando os fornecedores, sem querer dar nem o justo referente a inflação, dissidio, variação cambial.

  • vicegag

    Quando lí lineup global e Brasil, fiquei contente, mas quando lí mercados da China e India, broxei.

  • CanalhaRS

    As montadoras continuam com essa marmota de carro global no Brasil.
    O que menos se vê aqui é carro global sendo fabricado.

    • Deste que eu nasci eu ouço esse mantra do carro global, como o tal do FORD ONE, só ver o fiesta nacional e o mexicano que dá para ver que é igual …

  • Mauro Schramm

    …uma nova gama de produtos a ser fabricada nos dois países. Os modelos serão igualmente vendidos na China e na Índia.

    Produtos globais. Mas apenas para as partes pobres do globo.

    • The Canadian

      Se trouxer igual a parte cara do mundo ninguém compra pois ficaria muito caro, mais do que já é.

      • Não é por isso, empresa quer lucro acima de qualquer coisa. Como nosso mercado é imaturo, em vários sentidos, eles vendem o “requentado” de lá por um preço abusivo. Só ilustrando o que aconteceu com o Golf e o Fiesta na sua tropicalização.

  • Rbs

    O nosso é o global do modelo antigo.

    • Franco da Silva

      Como Ônix e Prisma, que serão iguais ao Cruze… da geração passada(!).

  • Jose Antonio

    Quem vai dominar o mercado nacional em breve vai ser Toyota e Honda depois vem o resto uma pena porque gosto dos carros da chevrolet mesmo sendo devassados são duráveis.

  • Mr Andrey

    Boa iniciativa , pra um mercado onde a fiat e a VW estão comendo os fornecedores..

  • Nitrous

    Olha até que o Mexico e a China tem alguns modelos interessantes, mas quando colocam a India no meio tambem ai a coisa complica.

  • FocusMan

    A GM passou maus bocados há algum tempo atrás quando quase acabou. Muitos fornecedores ficaram com contas atrasdasas, então nada mais justo que ajuda-los agora para manter a máquina girando.



Send this to friend