BYD Elétricos Veículos Comerciais

BYD K10 será o primeiro ônibus elétrico com baterias de São Paulo

byd-k10-1

Com 15 metros e capacidade para 95 passageiros, entre sentados e em pé, o ônibus urbano elétrico BYD K10 – fabricado em Campinas/SP – será apresentado nesta quarta-feira (16) em São Paulo.

O ônibus elétrico da marca chinesa será o primeiro da capital paulista a entrar em pleno funcionamento com baterias, que proporcionam autonomia de 265 km, mas sem o uso do ar condicionado. Com o dispositivo ligado, a autonomia pode ser menor, dependendo do trajeto.

De acordo com a BYD, o K10 pode atender 90% das linhas urbanas da cidade com apenas uma recarga noturna. Assim como os carros elétricos, o veículo tem que ser conectado a uma fonte externa para carregamento, diferente dos trólebus, que ficam limitados pela rede aérea.

[Fonte: Ponto de Ônibus]





  • nbj

    Com esta altura do solo vai ficar preso no primeiro quebra molas.

    • CorsarioViajante

      Acho que só vai rodar pelos corredores, ou tem aquela suspensão que levanta e abaixa.

      • nbj

        É mesmo, pode ser suspensão a ar.

      • Tosca16

        Eu acho que é uma suspensão a ar, só pensei em acessibilidade o fato de na imagem o mesmo está tão próximo do chão; e sendo um veículo elétrico com diversos conceitos empregados o fato de pensarem em acessibilidade é bem plausível .

        • Paulo Thomaz

          Acredito eu que seja suspensão a ar como outros modelos articulados aqui de Campinas, que ao necessitar a entrada de um cadeirante, ele rebaixa até altura do solo por inteiro, e depois reergue novamente…

          • Edson Fernandes

            Se bem que isso acontece em onibus comum em SP. Os automaticos sendo bi-articulados ou não, ja tem esse tipo de sistema. Ajuda muito.

    • Pedro Cunha

      “QUE SE F__A O PRÓXIMO DONO, AQUI É FIXA!”

    • Pedro Neto

      puts, verdade, vai bater a traseira

    • Zetros1833

      O veículo conta com suspensão a ar integral e com controle de altura. A Metra já opera com onibus movido 100% a bateria rodando. É um modelo articulado, inclusive.

      A Eletra apresentou recentemente o DualBus, um ônibus articulado de 23 m de comprimento que pode funcionar de três maneiras: híbrida, 100% elétrico ou ainda como trólebus usando as hastes do teto conectadas na rede elétrica aérea.

      http://viatrolebus.com.br/wp-content/uploads/2015/09/dual-bus.jpg

  • Floma08

    Ótima notícia! Que seja o primeiro de muitos!

  • Tosca16

    BYD pode ser referência nesse mercado; com bons contratos e produtos tem tudo pra ser líder nesse segmento. E ainda de quebra tem investido no Brasil mesmo nesse momento de crise, não sei se já está em operação mas estavam dando continuidade ao processo de instalação de uma fábrica no Brasil .

  • wagner

    com esses balanços dianteiro e traseiro enormes, podem ficar limitados aos corredores somente….não daria para trafegar nas linhas alimentadoras dos terminais e corredores e muito menos nas linhas da periferia….

  • Matheus

    Aqui em Campinas tem alguns rodando. Inclusive vi um ontem na rua.
    O incrível é que eles são recarregados de noite na garagem com um GERADOR DIESEL!!!

    • Matheus Marques da Silva

      Putz! “Ambientalmente correto” hehehe
      Ao menos é um passo já! hehe Produzir energia 100% limpa ainda vai demorar um pouco pra acontecer, mas de passo em passo vamos andando! Tenhamos perseverança!

    • Gustavobrtt

      A empresa de ônibus tem que montar uma grande e cara infraestrutura para recarga. Imagine uma frota com mais de 1000 ônibus tendo que ser recarregados toda a noite.
      Acho que nem média tensão resolveria, teria que fazer uma subestação de alta tensão na garagem. Envolve um novo alimentador por parte da concessionária, cabines primárias, novos painéis, cubículos, etc. Este tipo de estrutura chuto que demore 1 ano pra montar.Será que este custo vale à pena? Deve ter gente fazendo as contas.

      • Matheus

        Sim, mas parece que por enquanto são apenas dois ônibus.
        Um carro da BYD foi doado para a Prefeitura de Campinas, e há uma estação de recarga na garagem da prefeitura.

        • Gustavobrtt

          A vantagem que eu vejo é tirar a poluição do centro da cidade. Quando conseguirem viabilizar a recarga de forma limpa, será bem interessante.

          • Guilherme Eduardo

            Boa observação. Já que vai poluir mesmo, pelo menos que não seja de forma concentrada.

  • Hugo Avelar

    Já sai de fábrica na fixa!

  • marcos rissato

    “E se”, mas “e se” houver um daqueles congestionamentos monstro aqui na Capital e o ônibus ficar preso no trânsito até acabar a bateria? imagino que já tenham pensado num plano de contingenciamento/socorro para esses casos.

    • Tosca16

      Eu acho que as rotas serão bem planejadas e os mesmos não ficariam rodando com menos de sei lá 20% de bateria, calculando as rotas que dariam de sobra para serem feitas com a atual autonomia dos mesmos . E possivelmente ele deve ter alguma tecnologia similar ao start-stop .

    • wagner

      kkkk pode crê….caos total no trânsito aqui em SP…..

    • Matheus

      Na verdade, é mais fácil isso acontecer com um ônibus a diesel do que com o elétrico, já que parado o consumo do elétrico é praticamente zero, enquanto no diesel o motor continua ligado.

      • Gustavobrtt

        esta é a vantagem do veículo elétrico, no congestionamento praticamente não há consumo de energia.

      • Guilhe

        Se considerar que não tem o AR condicionado, o veículo com AC e com vidros lacrados deve dar problema.

        • Guilherme Batista

          Depois que o AC atinge a temperatura escolhida, ele passa muito tempo consumindo pouca energia também. Geralmente AC só consome muito quando liga

    • João Martini

      É só botar ele em uma linha que tenha corredor/faixa exclusiva. Sem problemas.

  • Eduardo Brito

    Queto ver um ônibus desse tamanho virando uma esquina em uma rua apertada.

    • Gustavobrtt

      em Sorocaba os caras são doidos, colocam articulado serpenteando as ruas atravancadas do centro. Quando têm que fazer uma conversão, param todo o trânsito. Carros estacionados atrapalham algumas manobras, obrigando o motorista a manobrar em algumas esquinas.

    • João Martini

      Rapaz, aqui perto de casa no alto do Ipiranga tem um super articulado que vira esquina de bairro rs. Acredite, vira! Rs

    • zekinha71

      Como o terceiro eixo é direcional, vira fácil, o que pega mesmo é a altura, os BRT Millennium da CAIO, sofrem muito em SP por causa dos buracos, lombadas, sarjetões.
      Com um mês de uso os onibus já estão com a suspensão toda lascada, ficam batendo tudo.

  • Zoran Borut

    Já há ônibus elétrico a bateria semelhante a esse da BYD circulando há algumas semanas pelo centro de São Paulo em caráter experimental.É um que faz a linha circular Praça da Bandeira.

    Edit: consultando outras notícias, vi que desde dezembro de 2013 já há outros ônibus a bateria circulando por São Paulo na Zona Sul.

  • Pedro Henrique

    95 pessoas no papel, com o novo modelo de winrar do Brasil, vai ter pico de 180 pessoas nesse ônibus.

  • Marcos Rodrigo

    Espero que pelo menos esse modelos tenham lugar pra sentar, pois os modelos que tem aqui em Campinas/SP Sao umas caixinhas de fosforo nao tem espaço algum…

  • Luiz

    Gostaria de saber quanto custa um ônibus desse, provavelmente deve ser o dobro de um convencional.

    O povo reclama tanto do preço da tarifa e aplaude quando colocam um elefante branco desse que só faz encarecer o custo do transporte público. Os políticos deveriam se preocupar primeiro em arrumar o transporte público para depois pensar nessas frescuras, mas o ambientalmente sustentável é a moda da vez.

    Se o transporte coletivo fosse rápido e eficiente acredito que muitas pessoas deixariam o carro em casa, fato que seria muito melhor para o meio ambiente que apenas trocar a frota de ônibus.

    O problema de poluição nas cidades não são os ônibus.

    • Diego Lip

      Eles são pioneiros, por isso tão apertados, e a tecnologia precisa ser barateada pra que haja motores fisicamente menores e para que caibam mais gente sentada.

  • jkpops

    Boa iniciativa pelo que conversei com um dos diretores da BYD o custo de um carro desse toco gira na mesma Casa de um Modelo MB ,Scania, Volvo ou VW de motor traseiro por exemplo o VW 18.280OT euro V Mais ou menos R$ 600,000.00 segundo ele mesmo os veiculos serão feitos pelas encarroçadoras locais como Marcopolo,Comil e Mascarello igualmente ao que acontece com os rodoviários que são montadas as carrocerias recebendo o Buggy parte dianteira e traseira com eixos motor e transmissão vejam nessas fotos que tirei na transpublico o modelo menor e o maior deles as 2 primeiras são do carro toco e as outras do modelo articulado com quase 70 assentos

  • As baterias dele já são as de Ferro-fósforo desenvolvidas pela BYD?

  • rvmattos

    aqui em ssa não sobre 1 ladeira.

  • Sandro

    Acho engraçado certas coisas. Já pagamos um preço absurdo de energia pois nossa matriz energética não da conta de tudo e por várias vezes precisamos de ligar as termoelétricas, agora cismaram de começar a fazer carros e ônibus elétricos. Se começarem a vender bastante ou vai ser um festival de apagões devido a falta de capacidade da rede ou vamos ligar tanto as termoelétricas que o kwh vai bater uns 500 reais.



Send this to friend