Comprando e Vendendo Longform Manutenção

Caçando fraude em carros usados

Feirão de carros usados

Por ano, em torno de 400 mil carros são roubados no Brasil, sendo que 52% é desmanchada ou volta ao mercado. Muitos desses veículos que retornam apresentam adulterações que podem enganar o consumidor desavisado, podendo assim gerar enormes transtornos e prejuízos.

Estima-se em 1,2 milhão a frota de veículos adulterados em circulação no Brasil, representando em torno de 3% da frota nacional. Identificar esses carros é uma tarefa muito difícil, sendo geralmente executada por empresas especializadas. No entanto, o consumidor comum pode evitar dores de cabeça ao perceber alguns detalhes que podem evidenciar algum tipo de fraude.

hodometro

Hodômetro – Uma das primeiras coisas que os compradores observam é a quilometragem do veículo. Dispositivos digitais também podem ser adulterados, assim como os antigos, analógicos.

Por isso, a alternativa para verificar a veracidade da informação é checar o desgaste de algumas peças, entre elas as borrachas dos pedais e o acabamento do volante e alavanca de câmbio. Muito gasto, significa que rodou bastante. Não é um demérito, mas se o hodômetro aponta baixa quilometragem, então tem coisa errada.

placa

Placas – Checar a placa hoje em dia é possível até mesmo através de aplicativos de smartphone, que indicam se há queixa de roubo do veículo. O app também apresenta marca, modelo, transmissão, versão, cor, ano/modelo, cidade e estado de registro e os cinco últimos dígitos do chassi.

No físico, os ladrões encomendam duas placas frias dianteiras aos despachantes, sendo que uma é usada na traseira. Furação, lacre e código do fabricante indicam a adulteração. Buracos a menos (tem de ter três furos) e rebarbas sem tinta indicam adulteração. O lacre rompido não significa exatamente uma fraude, mas deve-se investigar. O código da placa dianteira deve ser o mesmo da traseira e o ano de fabricação não deve ser diferente daquele de fabricação do carro.

capo

Peças trocadas – Hoje em dia as peças de um veículo são marcadas com pontos coloridos, que servem para indicar se o componente foi trocado. Sob o capô, por exemplo, há uma marcação bem nítida. Se não houver, a peça foi trocada, denunciado uma colisão, por exemplo.

data

Peças datadas – Da mesma forma, peças e componentes instalados no veículo apresentam a data de fabricação. Se for mais nova que a data original de fabricação do carro, isso indica uma substituição. Dependendo do componente, tal como um radiador, por exemplo, uma diferença de idade significaria uma avaria.

vidro

Vidros – Nos vidros, a atenção é voltada para a impressão do número do chassi, que vai do 10º ao 17º dígito. Visual das letras alterado, desigualdade entre as marcações nos demais vidros, marcas de polimento, entre outros, podem denunciar alterações. Mas ainda assim, dá para ir um pouco além. Coloque uma folha de papel branco por trás e ilumina de fora para dentro. Sombras significam adulteração.

chassi

Número do chassi – Falando no famoso numeral do veículo, o comprador deve ficar atento ao número do chassi estampado no carro. Essa identificação, presente também no bloco do motor, deve ter seus caracteres no mesmo padrão e alinhados, bem como ser a mesma do documento. Restos de massa, ferrugem, solda ou lixa também podem indicar adulteração.

motor

Número do motor – Este identifica a cilindrada do motor e outros dados técnicos, aparecendo estampado ou em plaquetas metálicas junto ao bloco do propulsor. No último caso, deve-se observar se os números são uniformes e alinhados, assim como se há marcas de lixa ou perfurações, bem como rebites. Essas plaquetas são bem presas e posicionadas no bloco, sendo que qualquer alteração em sua posição ou folga pode indicar fraude.

porta

Etiquetas de identificação – Existem três etiquetas que sofrem desgastes com o tempo, sendo elas a do motor, coluna da porta do motorista e do assoalho. Pelo menos duas delas devem estar presentes no caso, a ausência de todas significa reparação por conta de colisão. A presença de cola no centro e bordas da etiqueta pode revelar adulteração.

crlv

Documento – O CRLV (Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo) pode ser verificado da seguinte forma: Friccione a moldura verde do documento contra um papel em branco. Se houver vestígios de tinha, ele é original. Outra forma é colocá-lo contra a luz e ver se é possível ler o nome Brasil. Caso positivo, não há problemas.

[Fonte: Revista Quatro Rodas]





  • bryan_1993

    Sinceramente, se o cara quiser clonar um carro faz com maior facilidade, e não duvido que muitos desses carrões: evoque sportage, bmw, muitos são martelados, inclusive vem com documento é recibo originais.

    O cara pode pegar um carro em um leilão todo arrebentado e clonar ele por outro modelo quem vai descobrir??

    • Fábio

      Carro usado bom é oportunidade, ele não fica passeando em feirões. Carro bom é vendido no círculo de amizades do proprietário, essa é a experiência que eu tenho. As pessoas conhecem o carro, qualidades e defeitos, e o compram por que o conhecem.

      Falsificar, camiflar, despistar, tudo esta muito fácil hoje. Até profissionais da area são passados para trás, imagina para quem quer somente comprar um bom carro.

      • Mr. Car

        É por isto que tenho o seguinte pensamento: carro usado, só de alguém que seja do meu círculo de amizades/parentesco, tenha sido o único dono, nunca tenha batido, e que eu saiba cuidar muitíssimo bem do veículo, enfim, que eu tenha certeza do histórico do veículo. O difícil é conhecer alguém nestas condições, que esteja vendendo exatamente o modelo que a gente quer. É questão de sorte, quase como ganhar na loteria, he, he!

        • O problema disso é o seguinte. De quantos conhecidos seus (não vale amigo do face) você realmente sabe como cuidam do carro ? Você sabe se trocam o óleo recomendado pelo fabricante? Você sabe como ele dirige? Se força o motor ou anda com a rotação muito baixa? Ao menos eu não costumo andar de carona com meus amigos. E outra , se colegas de trabalho que convivem contigo a anos te passam para trás para serem promovidos o que leva a crer que aquele primo que você vê duas vezes ao ano não vai omitir informações sobre o carro dele? Por último, toda pessoa quando fala do seu carro só fala das qualidades ,seja parente ou não.

          • Alexandre Maciel

            Cara… isso varia de acordo com o círculo de amizades de cada um. No meu caso, tenho algumas oportunidades para comprar bons carros. Por exemplo, de 2009 para cá, houve 3 Corollas na minha sala de apenas dois proprietários. No começo do ano vem TR4 e Civic LXR. Tem um outro Civic, LXS, que também deve ser posto à venda em breve.

            Todos esses carros eram bem cuidados, comprados 0Km por seus proprietários, revisados mesmo fora da garantia, etc.

            Então, como falei, depende de quem são os amigos. Aqui na minha sala eu não teria problema, nem provavelmente com os demais colegas da mesma instituição.

            • tjbuenf

              No meu círculo de amizade as pessoas querem me oferecer porcarias. Não me esqueço do meu chefe tentando me passar o Duster dele. Eu que não disse nada mas jamais compraria aquele monte de lata da Dacia…

          • Mr. Car

            Saber como cuidam, eu sei de alguns. Só que não cuidam como eu gostaria. Daí, o que eu disse: é preciso contar com o componente sorte. Sorte de cuidarem muito bem, e sorte de você conhecer quem realmente cuide, he, he!

          • Mr MR8

            Sem falar no perigo de vc fazer um mau negócio, demonstrar arrependimento e ainda perder a amizade…

            • Augusto Corleone

              Com certeza. Uma vez vendi um Kadett pra um amigo e avisei ele que o carro estava com mjuitas coisas pra fazer, ele pagou barato e depois ficou me ligando pra encher o saco, sendo que eu tive toda boa fé de falar dos defeitos antes. Então é preciso saber bem pra quem vc vende, senão depois vão dizer que o caloteiro é você!

        • Alexandre Maciel

          Eu adoto esse tipo de postura e, em 2013, vendi um Honda Fit LX 2009 que comprei com um ano de uso. Passei mais de 3 anos com um carro que não me deu dor de cabeça. O veículo foi comprado de colega do trabalho, único dono, ainda na garantia, que eu sabia era cuidadoso,etc.

          Aqui no meu trabalho estou de olho num Civic LXR 20014, único dono, hoje, a ponto de completar 2 anos, com 15 mil Km, relativamente bem cuidado e cujo proprietário, além das revisões, faz a troca de óleo entre as mesmas, exatamente como eu fazia. Então, em 2017, ao acabar a garantia, se o carro se mantiver inteiro, provavelmente será meu.

          O que posso dizer é que, no meu círculo de amigos e colegas, esse tipo de postura funciona.

          • Alvaro Guatura

            Eu seria sincero ao vender o carro pros meus amigos, até porque se acontece algum problema (mesmo que seja coisa boba, reparada em garantia), eu comento

        • Léo Hung

          Peguei um Fit 12/13 EX assim. 2400km rodados. Carro de fds de uma parente.

          Cheirinho de novo e cheio dos mimos (couro, ar digital, auto…).

          Sei que outro desse, será dificílimo!

      • bryan_1993

        Por isso, conheço gente que anda de sportage, e pagou 12 mil reais a top com teto

        Tem recibo e doc 2015

        Imagina quantos dessas não tem rodando por aí?

      • Alvaro Guatura

        Sempre que tem feirões na minha cidade (como ocorreu este fds) procuro olhar (apenas para rir, não tenho intenção de comprar)
        É um show de horror.. desde o atendimento até os carros
        Sempre carro de fora, carros estranhos, atendimento péssimo, argumentos fracos de venda… parece que só tem bandido vendendo carro
        Raro ter um bom negócio ali

        • Daniel Bezerra

          Mais ou menos 2 anos atrás, deixei um Fox da minha esposa, 100% original, sem avarias, menos de 1 ano de uso e 8 mil km rodados em consignação com um lojista. Deixei tipo numa quarta e no domingo ele levou para um feirão. Vendeu por lá. Então existe, mas tem que procurar.

    • Diego Mello

      Se tiver muito avariado , enquadra em grande monta o leilão da baixa no detran e não tem como rodar mais nem clonar, média monta sai o sinistro no documento do veiculo, pequena monta (geralmente veículos que o banco pegou de volta por falta de pagamento) nesse caso não sai nada no documento. Nos dois últimos casos é possível a clonagem pois o veiculo estará com documentos livre pra rodar.

  • radiobrasil

    Eu ja passei um sufoco quando comprei um seminovo… O antigo proprietário emplacou o carro por um despachante e o JUMENTO me colocou no documento do carro no numero do motor, os ultimos numeros do CHASSI!
    Fui transferir o carro, na vistoria o numero do motor era diferente e com menos caracteres/letras. Por sorte até a fabrica ajudou com uma carta informando que o numero certo do motor ficava em tal posicao e o meu carro tinha esse motor com esse numero. Era um importado.
    Resumo da história: o despachante conseguiu emplacar o carro sem burocracia nenhum e saiu até com erros.

    • shdn2010

      Brasil… aqui se pode tudo…

    • RED883

      Despachante…hj em dia ninguém mais precisa deles, é tudo muito simples e possível fazer por conta…

      • Bonafide

        Eles mandam no Detran

        Eles ganham muito dinheiro e sustentam os diretores estaduais dos Detrans

        Aí os detrans não investem nada e obrigam a pessoa a ir no despachante, que faz o documento na hora. (no detran vc perde a tarde na fila… não são todos q podem se dar esse luxo)

        SE não houvesse isso, os documentos seriam digitais, sei lá… Como no Paraná, vc paga na internet e ele vem na sua casa, algo assim (eu acho)

        E também os despachantes esquentam carros zicados, roubados, batidos, remontados, etc. Isso movimenta todo o “mercado” de roubos, financiamentos falsos e demais pilantragens, “esquentar” carro de PT de seguradora e

        Eu sei disso pq fui estagiário (office boy) num escritório de despachante qdo fazia faculdade (isso lá em 2005, 6) e era só fuleiragem… vazei o mais rápido dali

        E desde aquele tempo, tinha 33 despachantes na minha cidade já e onde eu trabalhava o dono do escritório já tinha uma Pajero Sport a diesel… Carro compatível hoje com uma Dakar ou SW4… só q na época era muito mais patrão, custava uns 110k… Equivalente hoje a mais de 200k

        E, convenhamos, não é carro de pobre

        Viajava pra europa tbm, e a mulher dele nem trampava

    • Rodrigo

      Passei por algo parecido quando fui retirar meu penultimo carro. Saí da Concessionária com o ‘kit despachante’ e fui levar o carro pra emplacar. Era um Sonic, mas na hora de gerar a GRU do IPVA descobriram que o RENAVAM estava errado (era do Camaro). Só a 1ª parcela do IPVA era o valor total do carro, kkkk (exagero)
      Claro que um erro grosseiro como esse foi percebido de imediato (por mim e pelo despachante), mas erros como o que você relatou passam batidos e só acabam sendo descobertos mais pra frente.

  • klaus

    Boa matéria. Sempre bem vinda. Num formato em vídeo pode ficar mais interessante.

    • duhehe

      E quem tem coragem de vender um carro adulterado para Sr Heisenberg ? Não sai vivo não.

      • Vagnerclp

        Esse heisenberg aí acho que é falso. Tinha um que aparecia aqui, cujo o nick era “Heisenberg” e tinha uma caricatura em amarelo. O rapaz sumiu.

      • klaus

        eh eh eh

  • Ramom Alencar

    “caçando?” a palavra correta é essa mesmo? nada que venha a comprometer o importante tópico mas não achei a palavra digamos, mais correta…

    • Augusto Corleone

      Depende amigo, hoje em dia achar um carro seminovo realmente bom (sem ser todo maquiado) é quase uma caçada. É quase por isso que estou adiando a troca do daqui de casa.

  • _William

    Lembro que há alguns ano meu pai tinha comprado um Corsa 1.6 1998 (usado) em um desses “Auto Shopping Cristal”, o carro estava bem inteiro, pouco rodado, pintura em excelente estado, bancos bons, baixa quilometragem e etc.. no dia de buscar o carro fui junto com meu pai (não tinha ido no dia da compra), quando chegamos em casa com o carro, ele trouxe um amigo pra dar uma olhada (deveria ter feito antes da compra), e nessa vistoria o colega dele percebeu que o carro estava com o chassi remarcado, sei que no dia seguinte ele voltou a loja e pegou o dinheiro de volta após dizer que iria a polícia (não sei se foi), e logicamente que o vendedor não impôs nenhuma resistência pra devolver. Sei que quando ele comprou outro Corsa usado (em outro lugar) ele verificou TUDO o que era possível antes da compra, e não teve problemas com o carro. Ele deu sorte de não ter amargado um prejuízo, pois se fosse vendedor particular, o cara teria sumido.

    • Rubem

      simples: antes de comprar mande o seu seguro fazer a avaliação do carro antes de dar o dinheiro, afinal, vc não vai sair da loja sem estar como o veiculo assegurado. O seguro vai te passar o feedback do carro e em caso do carro ser salvado ou suspeita de alteração do chassi vão se recusar a fazer seguro. quanto a quilometragem: olhe a data de fabricação dos 4 pneus e vê se bate com a do carro.

      • Augusto Corleone

        O problema é no caso de um carro mais antigo. Fui ver um Vectra 97 uma vez e o carro estava bem estranho, parecia que tinha sido trocado bastante coisa, o que me levou a concluir que tinha sido feito algum serviço na lataria dianteira. É um carro que praticamente não tem mais seguro, o máximo que podia saber era que o mesmo cara estava com ele há 5 anos (mas em 2014 isso não era tão razoável). Não arrisquei. Agora um mais novo é tranquilo.

    • Alvaro Guatura

      Por isso é bom fazer vistoria (daquelas empresas que verificam cada detalhe do carro).
      Se gasta 100, 200 reais, mas vale cada centavo.
      E em caso de problemas ainda se pode processar a empresa responsável, que emitiu o laudo

      • sepchampions

        No inicio do ano eu quase comprei um fluence priv.2011/12, a loja tinha uma laudo da Dekra mas mesmo assim ia levar na CSS pra passar por um pente fino. 600r$ a revisão.

  • Gambaleão O Camaleão Daltônico

    Assunto deveras pertinente.

  • BMAlves83

    Dicas pertinentes

  • Redpeak77

    Boa matéria, bom roteiro para verificação.

  • CignusRJ

    Boa matéria. NA leu meu pensamento :)
    Por coincidência tinha comentado com colegas de trabalho agora de manhã que queria ver duas matérias aqui no NA, uma de como comprar carro usado sem ser enganado e outra falando de carros elétricos.
    Com informações pertinentes e que não vemos por aí do tipo, qual manutenção a fazer, quanto custaria para abastecer um carro deste(levando em conta o preço do KW hoje), quantos Km/KW Kilometros por Kilowatt um carro destes faria(seria esta mesma a nomenclatura?), como auferir isso, como saber se valeria à pena ou não comprar um elétrico com o preço da energia hoje, custos de manutenção, impostos etc.
    .

  • Gran RS 78

    Boa matéria. O que pode variar é a respeito de peças desgastadas, no caso volante, manopla de cambio e pedais, pois isso não quer dizer muita coisa, pois infelizmente em alguns carros, essas peças de desgastam mais que em outros, variando do tipo e qualidade dessas peças. Acho que faltou mencionar as revisões e carimbos nos manuais, pois isso atesta o cuidado e tbm a km original dos carros.

    • Matheus Marques da Silva

      Exatamente.. um conhecido meu tem um Elantra e o volante dele simplesmente se esfarelou com o tempo (pouco tempo).. o carro não tem 50000km ainda…

      • Gran RS 78

        Aconteceu com dois carros que eu tive, uma Ecospot e com uma Captiva, em que o volante ficou liso e gasto, com menos de 30 mil Km. Acho que o sol ajuda a deteriorar, mas acho que a qualidade tbm influencia muito nesse desgaste prematuro.

        • Mr. On The Road 77

          Veja se você tem ácido úrico alto. Geralmente o ácido úrico sai no suor e quando as suas mãos suam acabam corroendo o volante.

          • Léo Hung

            Comentário a lá “Dr. House”! :)

          • Gustavobrtt

            isso resolve-se tomando mais água e lavando as mãos.
            Nunca tive este tipo de problema nos meus carros.

          • Gran RS 78

            Eu não tenho ácido úrico, e minhas mãos nunca transpiram. Já tive vários carros, e nenhum deles aconteceu esse problema. O meu carro atual está com 22 mil KM, e o volante está em perfeitas condições, por isso eu acho que o material usado nesses dois modelos que eu citei acima, eram de uma qualidade inferior a outros carros que eu tive, só pode ser.

            • Mr. On The Road 77

              Ácido úrico e suor nas mãos você tem, senão não seria humano…kkk tem que saber se o ácido úrico está alto.
              Mas, conforme você comentou está mais para o caso do material ser inferior mesmo…

              • Gran RS 78

                KKK, bem lembrado, mas como mencionei acima, tive vários outros carros, e somente com esses dois modelos eu tive esse problema.

    • Vagnerclp

      E também tem o próprio organismo do motorista, tem pessoas que suam mais as mãos, por exemplo, isto acaba atacando o material do volante e da manopla de câmbio, deixando com uma aparência envelhecida. No caso dos pedais, também tem um porém, a substituição das borrachas são bem baratinhas. Mas no geral, a dica é boa.

    • Ou da própria pessoa. O Polo que tinha, dirigi por 120k km e nenhum desgaste nas peças. Meu irmão com cinco mil km, simplesmente esfarelou o volante.

      • Gran RS 78

        Mas isso só aconteceu com esses dois modelos que eu mencionei acima, e eu já tive vários carros, e nenhum deles aconteceu esse desgaste. O meu atual carro está com 22 mil Km, e o volante está em perfeitas condições. Talvez o material usado nesses dois casos, não era tão bom.

  • Aldo Raine

    Garagista trambiqueiro e picareta na WebMotors eh o que mais tem

  • Lucas Irrthum

    Tem uma empresa, chamada Terceira Visão, especializada em periciar e avaliar carros. É muito interessante para quem não quer comprar uma bomba, seja ela jurídica ou mecânica.

    • Gabriel M. Vieira

      Eu usei eles pra vender meu último carro, e o serviço é realmente muito bem feito!

      • Lucas Irrthum

        Tenho conhecidos que utilizaram os serviços da empresa e só elogiaram também. Este tipo de serviço é uma grande sacada no mercado. Afinal, várias pessoas já tiveram problemas ao comprar carros usados.

    • Vagnerclp

      Tem a Supervisão também, a Linces vistoria, Checauto, etc.

      • Lucas Irrthum

        Sim, são várias empresas que atuam neste ramo.

  • Lucas

    Galera quer comprar carro usado, semi novo e tal como se fosse zero km. As pessoas que me perguntam que carro comprar e tal eu sempre digo: não veja cor, alguns opcionais, veja a integridadade. Um carro com um para choque retocado, uma calota arranhada, uma mossa de porta, mas íntegro de motor, de estofamento, suspensão vale mais mais a pena do quê um muito “perfeito”. Nem carro zero hoje é perfeito, quantos carros tirados zero tem algum retoque e que o dono nunca vai descobrir? Por isso eu digo, tem comprador de carro usado e de carro zero, se o cara não entende muito de carro, e pegar um usado bonitao, mas fraco se motor, ele se lasca. Eu mesmo, sou comprador de carro zero, prefiro andar a vida toda de carro popular, mas sem que tem uma garantia, que nunca houve nada, do quê aventurar um “lindo” e se lascar, então tem que saber o que quer.

    • SDS SP

      Dependendo do estado da funilaria e estrutura , pode até dar mais dor de cabeça do que o motor.

      • Lucas

        Motor é motor, para mim consertar motor, nunca fica igual. Hoje com varios sensores, e atualizações de central e tal, prefiro um motor nunca mexido que um capo pintado, por exemplo.

        • Bonafide

          Não só pra vc
          Só acha que fica igual quem nunca fez motor
          Quem já fez sabe que fica uma bostt@ (a não ser que gaste o valor do carro num trampo perfeito. Ex.: uma vez fiz o motor AP 1.8 de um Gol 91 e gastei 3,5k… Pra ficar perfeito ia mais de 5k, num carro que depois vendi por 9k)

          Não é coincidência tantos carros por aí anunciados, por exemplo, assim:
          “Audi A3 turbina nova” -> turbina “nova” recondicionada, usada, ferrada de certeza..
          “Vectra motor e caixa novos. Rodou apenas 1.000km” -> pistões chineses… baratos e podres.. Pq ia fazer o motor e já vender? sendo que isso sempre dá prejuízo..
          “Fusca assoalho novo” -> soldado com oxigênio em cima dos próprios podres…

          E por aí vai.. A galera é muito inocente, se encanta com a casca do carro, crê no anúncio como se aquilo fosse verdade e já assina os papeis do financiamento… E depois toma naquele lugar

          SE o cara coloca assim “125.000km” nego pensa que tá muito rodado.. MAs se o vendedor (lembrando que é mais fácil advogado honesto e me´dico que dá recibo do que vendedor de carro honesto) coloca assim “65.000km originais” o cara já leva isso como verdade incontestável kkk

          • Lucas

            Pois é, galera se iludi muito por fora do carro. Já estou no meu 5 carro em 10 anos, e nunca lavei um motor de um carr para vender ou nunca dei um polimento na “maquina” como chamam os polimentos cristalizados ou espelhamento. Carro usado quanto menos maquiado melhor, e olhe que vendi meu antigo uno sporting com 86 mil rodados e apesar de uns retoques, ele era melhor que alguns de pelo menos 50 mil. Vai da conservação, do uso do carro. Carro usado é complicado, tem que saber comprar.

        • SDS SP

          Obviamente um capo reparado é muito melhor do que um motor mexido ou danificado.
          O grande problema é caso o carro tenha sofrido uma colisão forte que tenha danificado a estrutura e que o leigo não consiga identificar (as vezes somente por meio de uma vistoria minuciosa) onde o reparo chega a ser mais oneroso do que a troca de um motor inteiro, dependendo do modelo do carro.

    • Augusto Corleone

      Eu não pensava assim antes. Mas depois de conhecer uma oficina onde uma loja de carro levava carros pra fazer “xaxixos” antes de revender, passei a ficar mais apreensivo em comprar um seminovo. E olha que sempre defendi essa de pegar um “médio usado a um popular 0km”.

  • Pedro Cunha

    A matéria é de muita valia, porém enfoca mais aspectos legais e documentais do quê propriamente “características” de veículos supostamente adulterados.
    Creio que fraudes documentais sejam bem fáceis e rápidas de serem detectadas, bastando consultas aos detrans e seguradoras(Verificar nº de proprietários anteriores, envolvimento em sinistros etc). Porém, há fatores físicos que evidenciam fraudes, adulterações ou mesmo má-fé dos lojistas/vendedores. Lanternas normalmente têm gravadas logotipias dos fabricantes(normalmente do próprio veículo ou do fornecedor da linha de fabricação) – Desconfiar de lanternas, componentes plásticos que apresentem fabricantes diferentes, coloração diferente, rebarbas, falhas de encaixe etc. Ver o step pode ajudar a comprovar que trata-se realmente daquela “joia do vovô que não saía nem na chuva”(ou só foi bem maquiado pra aparecer na foto do classificados), bem como o macaco, triângulo e o próprio assoalho do porta-malas. Não ache que é perda de tempo: Leve num mecânico conhecido(ou amigo que conheça carros, ou se vc conhece, leve numa rampa de posto de combustível) e investigue bem por baixo, dobras das chapas, conexões de combustível e freios, tanque de combustível, suspensões, subchassi(quando houver) e as respectivas etiquetas(quando presentes, conforme a matéria, podem ilustrar um carro recentemente consertado), verificando diferenças entre marcas de componentes(se uma pinça de freio é “LUCAS” e as demais “VARGA”, identificam substituição de componente, por ex.). Verifique, de acordo com a “idade” do carro, se há sinal de parafusos recentemente mexidos, sensores novos na parte do motor, etc. E por último, mas FUNDAMENTAL: Cheque os vãos dos painéis da carroçaria. Muito justos ou muito afastados, significam problemas. Bem como tonalidades diferentes na cor, manchas, pequenas bolhas, aspereza(mesmo que a pintura esteja brilhando). Nunca esqueça que um carro com 10 anos de uso não brilhará como 0km. Se brilhar, investigue mais. E RODE. RODE bem antes de assinar os papéis. Não ignore barulhos, estalos, rangidos – podem ser o aviso que você está prestes á embarcar numa canoa furada.

    • Bonafide

      Mas a parte documental é importante.
      A pessoa pode comprar um carro que foi alienado em fraude a credores (ex: pessoa em insolvência que começa a vender seus bens sem pagar as contas) e sair no prejuízo depois.
      Não se pode achar que pra comprar carro usado basta levar o mecânico de baixo do braço. Tem que ir no Detran e fazer uma boa pesquisa.
      Mas ninguém faz isso…

  • CharlesAle

    E mesmo com todos os cuidados possíveis, ninguém está livre de pegar uma bomba. O ideal é pesquisar o passado do carro em empresas com a Checkauto..

    • SDS SP

      Dependendo da quantidade de km que o carro rodou, eu costumo dar uma olhada na data de fabricação dos pneus.

      PS: Quando eu compro carro usado, minha km de corte é de até 50 mil km. Mais do que isso eu passo.

  • Bonafide

    As pessoas precisam entender uma coisa…

    Os “filés” não vão pro pátio, são negociados antes. Há espera, telefonemas para amigos e clientes bons.

    É muito raro achar um “filé” no pátio.

    CONCESSIONÁRIAS: esqueça, só tem lixo… Há algumas lojas multimarcas independentes especializadas em usados de qualidade, só que são mais raras que advogado honesto e médico que dá recibo.

    Eu conheço uma loja de carros usados de qualidade. Mas os preços são acima da tabela… E os chorões acham que carro usado tem de ser de graça. Merecem se F%$#¨& mesmo

  • Guilherme Eduardo

    Por isso que muita gente compra carro 0km, mesmo sendo mais caro. As chances de problemas não são zero, mas são bem menores.

    • Bonafide

      MUITO menores…
      E o carro 0km pode dar mil problemas, vc tem (em regra) 3 anos de garantia

      E se a garantia não cobrir, vc vai entrar com uma ação contra a VOLKSWAGEN… É bem diferente de ir cobrar garantia e processar o ZEZINHO AUTOMÓVEIS….

      Mas as pessoas teimam em se meter no que não conhecem, aí os picaretas enchem o bolso

    • MauroRF

      Sempre que o bolso permitir, comprarei zero, principalmente por esse motivo da procedência.

    • Arthur Lima

      Aqui em casa temos o costume de ficar com o mesmo carro por 6 a 8 anos, logo só adquirimos zero.
      Além da garantia de 3 anos (após 3 anos sem defeitos graves se fica mais tranquilo), o 0Km evita preocupações como possíveis fraudes ou procedência duvidosa.

    • Augusto Corleone

      O problema do zero é acertar a compra de primeira. Se comprar um 0km e não gostar vai perder grana de cara na venda. Só compensa pra quem já conhece o carro. Falo por experiência própria.

      • Gustavobrtt

        aí tem test drive

  • Magno

    O que mais tem hoje em dia sao carros assim , principalmente os caros … soh olhar pela placa … ver um carro em São Paulo com placas com iniciais do rio de janeiro ou nordeste , quase certeza de ser carro de leilão … visitei um leilão de grande porte na região de Guarulhos e eh impressionante a quantidade de carros de luxo em muito bom estado ou com pequenas avarias que podem ser facilmente resolvidas . Meu pai mesmo tem uma Strada com placas que começam com a letra M , eu tenho certeza que se passar no Supervisão , vai ter buxa kkkk .. isso Pq ele ja foi vitima duas outras vezes de carros bixados . Uma ranger de leilão com placas L , uma L200 com chassi remarcado com placas C ..

    • Augusto Corleone

      Isso até leva a fazer com que alguns carros sejam mais valorizados se a letra inicial for a mesma do estado.

    • Bonafide

      Em cidade pequena é muito comum também..
      O carro fica “comentado”, aí as redes de concessionárias ficam remanejando pra lá e pra cá pro povo não saber…

      Pq q no sul tem caminhonete diesel com placa do nordeste, e no nordeste tem caminhonete diesel com placa do sudeste, MT, e sul??

      Isso é praxe… E é golpe escancarado, só cai quem é burro mesmo e não enxerga um palmo na frente do nariz… tem q tomar mesmo, pq merece

      • Magno

        Por outro lado , em raros casos , isso pode não ser um carro bixado . Atualmente muita gente compra e emplaca carros novos em outros estados onde os impostos sao mais baratos e trazem pra SP . Hoje msm vi uma Duster novinha , com plástico nos bancos ainda e com placas P ..

  • Augusto Corleone

    E outra dica importante: saia da internet. Muitas vezes na rua você vai achar carros melhores do que esses de Olx e webmotors, de pessoas realmente honestas. Quer achar um carro bom? Vá a rua, pesquise. Tem lojas boas também, mas tem roleiro e xaxixeiro. Saiba com quem negocia, e saiba que o mais barato às vezes não é um bom indício. Quando tudo está parecendo muito bom, fique com o pé atrás.

    Carros mais antigos, dependendo do ano, vai ser difícil saber o que foi trocado, pois pode ser que TUDO tenha sido mexido por conta da manutenção. A maioria dos carros que eu tive foram dos anos 90 e é difícil algum bem íntegro, apenas o último que estou agora está, digamos, 75% original. Dos anos 2000 também – um carro 2001 já tem 14 anos de uso, por exemplo. Eu uma hora vou procurar um Civic 2004 que tenha sido bem cuidado e só tendo certeza que está bom, passo o Monza pra frente e fico com ele.

  • Bonafide

    Lembrando que manual carimbado nao vale nada… pois as mais picaretas são as concessionárias mesmo. Pra eles carimbar o manual é a coisa mais fácil do mundo, isso beira o ridículo..
    chega ser infantil acreditar num carimbo e num rabisco.. é idiotice, imbecilidade acima da média de burrice nacional
    PRa se ter ideia, o vendedor da concessionaria que faz isso pras multimarcas.. eles nao precisam nem se dar o trabalho de mandar fazer carimbos falsos…
    e por sinal, mtas concessionarias, por terem o scanner, é que fazem o serviço de baixar km…
    Os piores carros são os de patio de concessionaria, até pq eles pagam uma miséria na entrada do carro e quem tem o carro bom não entrega de graça…
    É tudo absolutamente lógico, mas 3/4 dos brasileiros são analfabetos funcionais e passaram em matematica empurrados..
    Por isso a sacanagem toma conta do país

    • Bonafide

      Obs.: fica a ressalva para a união de fatores, ex: manual + bom estado geral + pneus com a mesma fabricação (original) + chave extra s/ desgaste + arrefecimento limpo e outros indicativos de pouco uso… Isso em conjunto com os carimbos tem valor sim.

      Agora se quer procurar carro com mais de 50k (lembrando que quilometragem e´relativo) só com assistência de mecanico…E não e pedir favor, é PAGAR o dia do cara e levar ele junto p/ um serviço bem feito.

      Obs2.: não venham dizer que 50k é pouco rodado.. isso é muito variável… aluguem um carro de locadora de cidade grande com mais de 30k… e vão ver um carro MOÍDO…

      eu tenho um exemplo na família (bem proximo por sinal).. os carros do meu pai com 35, 40k já estão no osso…

      • Augusto Corleone

        o nosso daqui de casa tem 5 anos e agora que completou 50 mil km. acho que a relação ano x kilometragem também é uma conta a ser vista. por exemplo, se só tem 2 anos e já está com 50 mil KM não é um bom indício. No entanto comprei um Monza 95 maravilhoso com 102 mil Km originais (mosca branca dos olhos azuis).

        • Bonafide

          Um belo achado… o carro da minha mae tem 74k km e está muito bom… meu pai já tentou convencer ela a trocar e ela não quer.. manda lavar toda semana..
          já a caminhonete do meu pai tem 39k e está terrível… borra no motor, motor ruidoso, lenta irregular… acho q 1 ano sem lavar… e por aí vai
          e não ´e de trabalho pesado não, só cargas leves… mas anda no sítio com frequência

          o meu tem 65k e também está mais pra lá do que pra cá (se bem que peguei usado)… pois como bom filho, tenho uma parte da mãe e outra do pai, heheeh… sou de sentar a lenha mesmo… mas mais em suspensão e freios, pq óleo do motor eu troco religiosamente

          • Gustavobrtt

            suspensão, freio, coxins, embreagem, homocinética, rodas trincadas, freios, etc…
            já tive uma experiência onde gastei mais do que eu podia num carro assim, no fim, era como se tivesse gasto num 0km.
            Desde então, só 0km, se o bolso não permitir, vou de popular pelado ou chines.

    • Bonafide, essa do carimbo eu nao sabia mesmo, boa dica!

  • Cesar Mora

    Nossa, as vezes aparecem uns comentários dos ” Donos da Verdade” Cag**ndo Regras que nem da vontade de descer aqui para participar de uma discussão saudável sobre o tema da matéria…

  • Sandro

    Difícil no Brasil é achar algum carro usado que não seja pilantragem. O brasileiro já se especializou nisso quando o assunto é carro.

  • Vattt

    Sobre volante, questiono pq tenho um carro que comprei de uma pessoa conhecida (um senhora) e o carro tinha menos de 45 mil km rodados e a direção é quase pelada, dai mandei revestir com couro!!! Já me disseram que é por causa de perfume, e eu pensei que era das joias que ela usa, como muiiiitos anéis!!!