Home Marcas Citroen Carro da semana, opinião de dono: Citroen C4 Pallas 2009/2010


citroen c4 pallas1 Carro da semana, opinião de dono: Citroen C4 Pallas 2009/2010




Adquiri o Citroen C4 Pallas com câmbio manual em setembro de 2009 por R$ 58.000,00, com pagamento de R$ 29.000,00 e financiamento de R$ 29.000 em 24 meses sem juros. Este dinheiro na poupança rendeu aproximadamente R$ 1500,00, de modo que o valor do carro efetivamente foi R$ 56.500,00.

Antes do Pallas eu tive um Megane por 3 anos, vendido com 55.000 km e nenhum dissabor. Decidi pelo Pallas porque me ofereceram um valor maior na troca do que a própria concessionária Renault. Além disso, taxa zero em 24 meses é uma proposta muito interessante do ponto de vista financeiro.

Atualmente o carro esta com 41.000 km, e decidi trocá-lo por um Fluence, mas novamente as concessionárias Renault se mostraram péssimas para avaliar um usado. Meu Pallas está impecável, e o valor da tabela Fipe é de ~ R$ 44.000,00, mas um avaliador teve o desplante de me oferecer R$ 31.000!

Como resultado, acabei adquirindo outro Pallas mas com câmbio automático. Este novo C4 me custou R$ 61.000,00 e mais R$ 1.000 para bancos de couro, sensor de estacionamento, insulfilme e peito de aço. Novamente financiei R$ 22.000,00 com taxa zero em 24 meses, e meu carro entrou valendo R$ 40.000 na troca. Não existe nenhum outro carro que ofereça a tecnologia, conforto, e itens de série por este preço.

Supondo uma venda para particular no valor de R$ 44.000,00 e preço de compra de R$ 56.500,00, chega-se a uma desvalorização de ~22%, dentro da média do segmento.
Durante os dois anos de uso fiz as revisões na concessionária pelo preço constante no site da Citroen: cerca de R$ 300 a de 10.000 km, e R$ 510 as demais. Nenhum item me foi “empurrado”, e as revisões foram feitas em 24 horas. Não houve necessidade de troca de pneus, pastilhas, etc.

Detonei um amortecedor em uma viagem de pescaria de 5000 km, com excesso de carga (só varas de pesca foram 25!). Após meu retorno a Citroen trocou os dois amortecedores traseiros na garantia. Nesta viagem o piloto automático foi usado durante um longo tempo, mas infelizmente este recurso tecnológico não pode ser usado regulamente aqui em Minas.

O seguro tem me custado cerca de R$ 1400,00 por ano, valor que considero excelente pelo fato de morar em Belo Horizonte. O consumo de gasolina na estrada variou entre 10 e 13 km/L, dependendo da pressa e da carga. Nunca usei álcool e não tenho o consumo na cidade.

O desempenho do carro é satisfatório e transmite segurança nas ultrapassagens, especialmente se uma marcha é reduzida. O giro ideal do motor é relativamente alto, cerca de 3500 rpm, mas o ruído interno é mínimo. Os freios são bons, e um dispositivo denominado AFU (Assistência de frenagem de urgência) foi ativado uma vez. Um caminhão saiu da direita e entrou na minha frente, eu estava a cerca de 120 km/h perto de Petrópolis e acionei os freios sem dó.

A traseira do caminhão foi se aproximando e repentinamente senti uma freada adicional, feita pelo AFU. Felizmente o caminhão se afastou, mas creio que a traseira dele chegou a 1 metro do meu carro. Este dispositivo parece estar se tornando comum nos carros desta categoria, mas não nos japoneses…

O conforto interno é muito bom, o acabamento e a ergonomia são excelentes. O volante possui 18 funções, incluindo o limitador de velocidade, que é muito útil para se evitar multas. O ar condicionado é manual, mas dá conta do recado. A saída de ar na traseira alivia bem o calor dos ocupantes do banco de trás.

Há cintos de 3 pontos e encostos de cabeça para os 3 passageiros. O porta-malas é enorme, e até causa dificuldade para se pegar uma sacola quando ela vai para o fundo. As portas são pesadas e podem até machucar alguém em paradas íngremes. Considero a suspensão dura, o que causa desconforto em ruas esburacadas mas torna o carro seguro nas curvas e irregularidades das estradas.

Minha avaliação geral é que se trata de um bom carro, com um custo de aquisição inferior à maioria dos concorrentes, e preços de revisões dentro da média do segmento.
Felizmente estou em uma fase da vida que me permite adquirir este tipo de carro a cada 2 anos. Entretanto, é bom frisar que isso não custa barato:

- desvalorização: R$ 12.500,00
- Seguro: R$ 2.400,00
- IPVA: R$ 4.000,00
- Revisões: R$ 1.800,00
- Consumo de gasolina (41.000 km, média de 11 km/L): R$ 10.000,00
- Total: R$ 30.700,00 ou R$ 0,75/km.

Por Geraldo Magela


Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.