Home Hatches Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Sensation 1.4

Peugeot206 3 Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Sensation 1.4




O Peugeot 206 era um sonho de adolescência. Referência de estilo até hoje – farois alongados do New Fiesta e Agile que o digam – o felino era, em sua chegada ao Brasil em 1998, o típico “carro de mulher”: bonito, bem feito, confortável, estiloso, com atenção aos detalhes – enfim, características que hoje se espera de qualquer carro de qualidade.

Mas a alcunha de “carro de mulher” não poderia ser mais mentirosa mesmo em 1998: o Peugeot 206 tem posição de dirigir baixa, pegada esportiva, boa aderência e ama uma estrada. Não me parece exatamente o que o estereótipo de mulher busca num carro.

Bem, em 2006 eu tive a felicidade de realizar meu sonho e adquiri um Peugeot 206 Sensation 1.4 de duas portas, com ar condicionado e direção hidráulica, com o qual fiquei por cinco anos e troquei agora há pouco, triste mas aliviado. Vou contar porquê.

Por dentro

O 206 é um carro simples, mas com muito bom gosto. Os bancos vestem o motorista, a direção regulável tem boa pegada e os controles ficam à mão, apesar de um tanto baixos. O acabamento é bom, com plástico de qualidade razoável mas com textura de couro que dá uma ótima impressão; as portas e o encosto de braço na lateral dos bancos traseiros é forrada com um belo tecido e a sensação total de qualidade na parte interna é ótima, seguindo à altura o belo estilo externo com uma aparência bastante atual ainda para os padrões de hoje.

Segundo minha noiva, dona de um comportado Clio, o Peugeot 206 lembrava um avião por dentro. Exagero, claro, mas a sensação de arrojo e velocidade dada pelo design é verdadeira.

Peugeot206 6 Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Sensation 1.4

Dirigindo

Ao volante o Peugeot 206 é muito bom. Esportivo, sentado no chão, ágil (mas um pouco ruim nas saídas), bom de curva mesmo tendendo a sair de traseira. A verdadeira vocação dele é na estrada, onde alcançava 120km/h rápido e cheguei a fazer 18 km/l. Fora da cidade o 206 era sempre gostoso de dirigir, mas no ambiente urbano nunca decepcionou, com trocas de marcha macias (apesar da péssima alavanca de câmbio barulhenta e de curso longo) e bastante agilidade.

O conforto do 206 é um dos seus destaques. Vindo de um Gol e com amigos e parentes que à época possuíam Fiesta, Celta, Corsa e Palio, a diferença era sentida rápida por eles, especialmente pela turminha volante-torto do Gol pré-G5 e Celta, que são carros cansativos de dirigir por causa da péssima ergonomia.

A pérola “carro importado é muito bom mesmo” era frequente, mesmo com o 206 tendo sido nacionalizado por volta de 2004. Na mesma faixa de preço, o 206 te trata muito bem, exceto pela embreagem muito comprida e pelo maldito câmbio de calhambeque, e te chama a pegar estrada.

Consumo? Entre 8 e 10 km/l na cidade com gasolina, fazendo uns 7km/l a partir de uns 50 mil km — considere que são médias calculadas “de cabeça” com auxílio do hodômetro parcial e não por computador de bordo. Na estrada, o pior que fazia era 14 km/l, sem exagero. O C3, praticamente o mesmo carro com outra carroceria, gasta menos, mas mesmo assim a média do 206 não é nada mal. E com um tanque de 50l, o 206 vai longe.

Peugeot206 8 Carro da semana, opinião de dono: Peugeot 206 Sensation 1.4

E que ar-condicionado absurdo de gelado! Enfrenta o clima amazônico de Belém com tranqüilidade e resfria tudo em menos de 5 minutos e é ainda mais frio pro passageiro (o volante bloqueia o difusor) mas não chegava muito bem na parte de trás.

Problemas

Mas se é nos detalhes que o 206 se destaca, é também onde ele decepciona. O câmbio tem curso longo e engates imprecisos: é extremamente folgado e barulhento, parece defeituoso (aliás, soltou sozinho uma vez; bastou reconectar). O estepe fica do lado de fora e é muito inconveniente de remover e guardar. O capô tem uma tendência sobrenatural de amassar acima do leão da Peugeot e a porta gigante da versão duas portas é incômoda. E o que diabos é aquele cinzeiro no console central se nem acendedor há?

Uma coisa também me chamou atenção: a escola de samba de que todo mundo reclamava nos fóruns da internet tava mais pra samba de fundo de quintal no meu 206. Sim, os plásticos rangiam por todos os lados, mas nada irritante demais. Já o nível de ruído era razoável, mas melhor que carros como o Gol G2-G4 ou Palio antigo.

Outra tragédia anunciada era a suspensão. Frágil, frágil, frágil. Depois de uma batida leve na lateral que danificou algumas partes da dita cuja, sofri com um barulho de chocalho vindo da suspensão direita por meses até que alguém apertou algum parafuso frouxo, finalmente. Mas a suspensão era problemática sozinha, sem batida, e era objeto de reparo em todas as revisões. Uma pena, porque o 206 é absolutamente divertido de dirigir em estradas de terra.

Só que ruim mesmo era a assistência técnica. Aqui em Belém a única Peugeot fica fora da cidade, em Ananindeua (no centro só um showroom) – até a JAC Motors e a Chery, que acabaram de chegar, têm oficinas mais perto; a Citröen, na mesma situação, se oferece para levar seu carro até a oficina igualmente longínqua, mas não a Peugeot, que nem transporte pra clientes possuía (o consultor me disse uma vez que andar de ônibus não era vergonhoso pra ninguém).

Fora isso havia os altos preços das peças. Pra ser honesto, coisas básicas como filtro de ar e pastilhas de freio nem eram caras. Saindo do básico era 500 paus por um volante (o meu descascou no quarto ano), 88 pilas por uma manopla de câmbio (a minha rachou e quebrou no quinto ano), 150 merréis pela alça de regulagem do encosto, 100 paus por cada difusor de ar (três quebraram lá pelos 50 mil km) e uma conta de 12 mil reais na quarta revisão, inflada à base de empurroterapia, que me recusei a pagar (eu o vendi por 11 mil).

A pior ocorrência foi em 2009, quando meu 206 parou, do nada, no meio da estrada. Depois de chamar o guincho de cima de um formigueiro (único lugar onde o celular pegava), ainda sofri de novo com o mesmo problema uma semana depois mesmo tendo levado na concessionária pra consertar e trocado a bomba de combustível. A causa? Uma instalação desastrada do som teria causado curto no sistema elétrico, o que também ocorreu com meu Gol anterior a ele.

Aí eu me pergunto: por que então, eu estando com as revisões em dia, isso não foi detectado antes pela concessionária? Enfim, o Peugeot 206 era assim: um carro bonito e muito bom, trazido e mantido pelas mãos de gente pouco competente. Era um veículo prazeroso de dirigir e de viajar, mas preocupante tanto pela fragilidade de algumas peças (fruto de uma localização preguiçosa) quanto pela falta de confiança no pós-venda. Por isso, ao vê-lo ir, fiquei triste, mas aliviado.

Do 206 terei saudade. Da Peugeot, não.

Por Breno Peck


  • Renato_Valente

    Eu particularmente não gosto do design dos carros franceses, portanto, em relação ao design não posso opinar. Mas em relação ao consumo, preciso comentar… Se ele faz 8 km/l na cidade, ele fazer 18km/l na estrada e um tanto quanto exagerado, não acha??? Agora quanto ao problema na parte elétrica, a culpa foi sua que deixou a instalação por conta de pessoas sem qualificação, e, mecânico não tem bola de cristal pra saber que uma ligação foi feita de forma errada. Mas do mais, bom post, kkk.

    • experientdriver

      12 pau por uma revisão de um carro vendido por 11 ??

      rir para não chorar

    • Herumor_

      medias baixas na cidade eu sei que faz porque minha namorada tem um feline 07 e como bebe esse carro eim… na estrada eu nunca fiz media mas ele não se comporta mto bem na estrada nao, o 1.0 04 da minha mae anda a mesma coisa que o 1.4 nos 110/120km/h e o dela sim eh monofuel e mto economico (12 cidade 17~18 estrada)

      problema do 206 é a fragilidade (donos anteriores ogros ¬¬) e qualquer buraco que voce nao consegue desviar tem uma grande chance de danificar a suspenção ¬¬

      • http://twitter.com/rafaellfarias @rafaellfarias

        Eu tenho o mesmo carro da sua mãe, peugeot 204 só gasolina 1.0… o carro anda bem e é econômico, eu estava com vontade de trocar por um feline, mas pelo que vc disse vou pesquisar mais…

  • marmota2

    Eu acho ridículo esse negócio de carro de mulher.

    Mas se for levar a sério essa frase – o Peugeot 206 é o maior exemplo…..

    • Giorgio

      Eu discordo, carro de mulher mesmo seria o C3. A palavra que já vi muitas mulheres para descrevê-lo seria "fofo".

      • Galvão

        “Me amarrota que eu to passada! Minha gente, olha só que carro mais lindinho!”
        David Brazil sobre Citroën C3
        kkkkkkk
        (Bizarrices Automotivas)

        “- Menina, como é que você vai abrir seu C3? Isso aí é um supositório!
        - Ihhh…. onde será que enfiei a chave?”
        Conversa típica de donas de Citroën C3
        kkkkk

        • Y07

          C3 é carro de mulher ou de viado…

          Ele é beberrão, não anda, mas toda mulher, como não entendem de carro e sempre querem um C3.

          Podem meter o pau no Agile, mas ele é muito mais máquina e confortável que o C3.

          • Edson Roberto

            Ahhhh essa me prova!!!! Eu conheço os dois!!! e sou dono de um C3 com 73000km e quatro anos!!!

            Me fala onde o Agile é superior? Motor? Espaço interno? Porque quero ver me mostrar outro atributo superior!!!

            E eu devo ser viado mesmo…

            • Fla3D

              Relaxa, quem se preocupa muito com isso é porque tem uma certa insegurança….. e tem que ser louco pra preferir o agile, que por sinal so vejo mulher comprando essa porcaria.

          • BrunoMulsane

            kkkkkk…. O agile é um lixo! O c3 é outro nível, carro premium! Agile é derivadodo primeiro corsa, suspensão tomba, acabamento todo de plástico de quinta. Péssima posição de dirigir, motor frouxo e beberrão. O c3 1.6 é uma maravilha de carro, sem comparações. Para quem ja andou, nos dois carros, sabe que o citroen é outro patamar.

            Aos comentários infelizes e preconceituosos sobre a opção sexual de quem compra um certo modelo, creio eu que não cabe aqui, portanto peço a moderação que veja isso.

      • nightwishjp

        ou o 500. que apesar disso eu teria facilmente.

        esse esteriótipo de carro de mulher é falácia…

        • Giorgio

          Homem falar que não compraria um modelo por considerar "carro de mulher" é coisa típica de homem que não se garante. Eu também teria o Fiat 500, ou o C3, ou o 206, ou qualquer um desses sem problema.

          • Edson Roberto

            Eu tenho um C3 e digo, gosto MUITO do carrinho! Gostaria de quando comprar meu proximo carro, continuar com o C3… mas nesse momento ainda não conseguiria… quem sabe mais tarde…

    • YoOdEx

      Já tive dois carros de mulher, um Fiesta e agora o Fox (se bem que esse modelo ficou com um ar mais masculino mas enfim…). Eu os considerava assim e muita gente também.. porém não é que eu gostei disso de carro de mulher? Eles apresentam desempenho (versões 1.6), estabilidade, conforto e espaço que qualquer homem admira, e de quebra você ganha uns acessórios "de mulher" bacana, tipo: porta objeto pra todo lado, espelho no para sol (com iluminação no Fox), iluminação pra todo lado e diversos outros detalhes!

      Quando falarem que lançaram um carro de mulher, eu vou correndo conhece-lo! heheheheh

      • marmota2

        Eu também. Tenho uma Ecosport.
        Puta carro confortável, alto e bom de dirigir. Só é um pouco instável nas curvas.

        Mas eu compraria e vou comprar outro

        • nytrouz

          Também tenho uma Eco, e minha única reclamação é o consumo… Vai beber assim lá longe, haha. Mas de resto, só alegria. Peguei um 2007 com 30mil km há 1 ano e meio, e só troquei o básico.

          E olha que minha mulher consegue passar por todos os buracos de todo canto! Hahahaha. Carro muito bom.

          • Edson Roberto

            O meu primo tem um 2010 2.0. Além de economico, para um carro de todo o uso, o Ecosport é um bom carro. Sem aptidão esportiva, mas para o proposito dele, dá e sobra.

    • Herumor_

      acho ridiculo tbm falarem de carro de mulher, já me disseram que meu Ka 07 1.6 era carro de mulher, falei pra pessoa dar uma volta (não deixei claro =]) nele e depois comparar com o potentissimo Gol G5 1.0 dele ¬¬

  • Louis

    Tenho uma SW, acho o carro bem bacana! Dos problemas que vc relatou, a única coisa que está ocorrendo no meu é o volante descascando. Tirando isso, o acabamento interno está muito bom, poucos rangidos, isso aos 70 mil km!
    Problemas mecânicos, só tive que trocar o corpo da borboleta (o carro perdia potência, de repente parecia que tinha um motor 0,3 litro com uns 20 cv hehehe )
    Estou satisfeito com o meu. Não troco tão cedo.

    • Louis

      Acrescentando, acho válido ressaltar alguns detalhes que o 206 tem, que a maioria dos populares não têm, e que fazem muito bem ao ego do motorista hehehe:
      -aviso sonoro dos faróis acesos
      -aviso sonoro de chave no contato
      -luz interna acende/apaga de forma gradual
      -ajuste de altura do volante
      -ajuste eletrico de altura dos farois
      -limpador trazeiro acionado automaticamente ao acionar marcha ré
      -limpador dianteiro varia o tempo de varredura de acordo com a velocidade do carro
      -visor central avisa qual porta ficou aberta

      • Edson Roberto

        Isso então existia, pois no 207 não tem mais. (o seu é o 206 né?)

        • Louis

          Serio mesmo, o 207 perdeu estes equipamentos ?? O meu é 206, mas eu achava que o 207 era mesma coisa….

        • renanzacarias

          No 207 só não tem mais a regulagem elétrica dos faróis. Tenho um XR que hj é o modelo de entrada do 207 e já vem com td isso de série :) além de ar, direçã, vidros e travas…

      • http://twitter.com/rafaellfarias @rafaellfarias

        Eu tenho um peugeot 206 ano 2004 e ele tem esses itens, ele é importado.
        O brabo de trazer fabrica pro brazil é esse, o carro fica o mesmo preço ou mais caro, e cai na qualidade de tudo…
        Diminuem o preço de produção e aumentam o preço de venda, triste realidade.,..

    • YoOdEx

      Uma sujestão pro volante descascando é que eu fiz no meu Fiesta antigo. Vai em uma loja especializada em couro para automóvel e manda revestir o volante em couro. Paguei 100 reais, escolhendo o couro, o desenho, a costura… Os dois anos que continuei com o carro estava intacto! Ficou muito bonito, muito confortável e valorizou meu interior. Um volante novo era 350 reais!

      • Louis

        valeu pela dica

      • bmw325i

        Nossa, 350??? Aqui na loja de carro que eu trabalho quando a gente trocou o volante de uma ecosport, courier e de um palio nós pagamos 70 reais em cada.
        A idéia de revestir com couro tambem é boa.
        Sobre o peugeot, minha irmã tem um 206 mas gostava mais do ex C3 que ela tinha pela posição de dirigir mais alta e a direção elétrica.
        O 206 dela é 1.6 flex 2008 4p (nao lembro o modelo) completo. Na cidade com gasolina nao faz mais que 9 km/l mesmo. Esta com 70 e poucos mil rodados, e nao se ouve rangido de plastico ou coisa parecida.

      • Edson Roberto

        Cara… vc é de SP??? Pode me indicar essa loja que revestiu por R$100?

  • Leandro1978

    Bem, tirando o comentário sobre "carro de mulher", o relato é bem interessante (sem querer ofender, mas acho tal denominação uma grande bobagem). De certa forma, me parece que os apuros passados pelo proprietário podem explicar o fato dos modelos Peugeot não terem boas vendas, por melhores que sejam. Tirando o problema da instalação do som, culpa exclusiva do proprietário. Aliás, se já havia ocorrido com outro modelo, por que a insistência? O 3008 testado no Longa Duração da revista Quatro Rodas, sofre com as autorizadas (para se ter noção, não sabiam as especificações para o alinhamento). Apesar de achar o 206 bonito (ao contrário da aberração 207 nacional), a fama da Peugeot sempre me desmotivou a possuir um.

    • Jr_Jr

      Falou tudo, o relato serve para demonstrar em um exemplo prático o mal da Peugeot no Brasil.

      Só por curiosidade, esta com que carro agora Breno? E parabéns pelo texto, bem escrito!

  • paulomazzotta

    Tenho um SW, 1.4, comprado seminovo. Concordo em muitos pontos com o autor, a manutenção básica é barata outras coisas não, e a suspensão não aguenta muito, e é muito cara para concertar. Somo isso ao motor 1.4 que é pequeno para a perua, talvez no hatch ele se saia melhor.
    O carro agrada muito e me faz pensar em continuar em um peugeot, com motorização maior, só que tem que procurar muito por mão de obra qualificada e peças com o preço no mínimo aceitável, e as concessionárias são uma porcaria.

  • zemarreta

    Tive um 1.6. Tenho de admitir que não foi um carro que me deu tantas alegrias. Ele realmente era (muuuito) econômico, em 2003 era referência de design externa e internamente, e era o que mais tinha equipamentos pelo preço cobrado. Além disso o ar era realmente muito bom e gelava bem rapidinho.

    Em compensação como aponta o autor, era uma escola de samba, o câmbio uma porcaria (só perdia para o do meu Fiat Prêmio), a embreagem vivia fazendo o carro morrer, o volante era grande como de caminhão, e de aro fino como o de um fusca, com a assistência hidráulica fraca e o motor só existia depois de 3.500RPM (dirigi um Fiesta 1.0 e me surpreendi como era mais forte que meu 206…).

    O interessante é que tinha dito que nunca mais pegava um PUG… Até andar no 3008… :)

    • Edson Roberto

      Pois é!!! finalmente alguem que conhece o motor 1.6 PSA! Eu fiquei frustado ao andar no C3 1.6 (206 também já andei, em um Feline). Já andei em automatico e manual, e é impressionante a pouca potencia que existe dos 3500rpm para baixo!

      Eu possuo o C3 1.4, confesso a você que facilmente, o C3 1.6 deve apanhar na cidade. Porque "deve apanhar"? Porque andei podendo sentir a potencia do motor, em reta, sem transito…. não tive muito contato com ele além disso. Portanto, esperava um carro muito esperto e encontrei um carro estranho de entregar a potencia. Pelo menos na cidade, digo que o C3 1.4 dá e sobra, agora sem pretensão de ser "forte". Já o 1.6 me pareceu aquele carro que vc tem que esticar as marchas a todo tempo. Mas creio que na estrada deve ser uma delicia.

      • Fla3D

        Amigo meu teve um 206 1.6 e o carro era uma delicia em quanto novo, o motor é só fazer ele girar que rende bem, motorzinho girador, adorava o carro até o dia que começaram a aparecer os problemas…

        • zemarreta

          Minha namorada-esposa tinha um clio 1.6 na época. Sem comparação com o 206. Além de ter 116cv (contra 110cv do pug) ele parecia ter muito mais torque em baixa rotação. O resultado naquela carcaça levinha era um carro muuuito nervoso, qualquer pisadinha grudava vc no banco, coisa diferente do 206, que estava sempre xoxo, porque é difícil de chegar àas tais 3500rpm.

          • Fla3D

            É, o 1.6 16v da Renault é realmente melhor e ainda me parece mais resistencia e com custo de manutenção menor. Ele até consegue levar a Megane Grand Tour sem virar um carro lerdo, no clio mesmo é demais.
            Ah, também estou com um fit 1.5 (vi no post abaixo), outro motor bom de subir o giro e o vtec ajuda a não perder muito folego em baixa, e acho o cambio manual dele um dos melhores.

      • zemarreta

        Edson, realmente depois que ele passava dos 3500 ele dava uma estilingada. Fui com ele em 2003 para a Bahia, mas realmente não me lembro de ter achado ele nem espetacular, nem ter me irritado com ele. Talvez porque eu só consiga me lembrar que ele era muito pior de dirigir que meu carro anterior que era um fiestinha 1.4 Zetec (sigma), que era melhor que o PUG em quase todos os aspectos dinâmicos de um carro.
        Quando troquei o 206 pelo Fit 1.5 foi um alívio.
        PS: bom mesmo de dirigir na estrada foi um A4 1.8T 04 que comprei em 2009 (fui seduzido pelo preço de pouco mais de 50 mil dilmas…). Na cidade ele sofria abaixo de 2000 rpm, mas na estrada, acima de 2000 rpm, o carro era o capeta, qualquer pisadinha e ele acelerava com gosto, suspensão macia (em comparação com 206 e fit) e grudado no chão. O defeito é que esse gostava de um mecânico…

  • Evoguex

    Esse negocio de revisão acho maior besteira, tenho um marea 2002 comprei zero , nunca levei em revisao em concessionaria , sim perdi a garantia , mais nao tem garantia maior do que seu mecanico de confiança olhar seu carro, e ate hoje ele ta firme e saudavel , so troquei as peças de gasto natural , e a bomba de oleo . revisão acho uma barbaridade o que eles fazem com o consumidor .

    • thezum

      meu amigo tbem tem uma marea 2.0 20v ta com 180mil km rodado ate hj ele so trocou o necessario como pastilha de freios etc.nunca teve problema no motor.esse carro anda muito na estrada.!

      • Y07

        Isso é um milagre.

        • Herumor_

          não é um milagre, isso se chama óleo correto, manutenção preventiva e usar o carro como um humano e nao como um ogro ¬¬

    • Leandro1978

      Tudo bem, é uma opinião. Mas faz isso com um Honda ou Toyota e verá a desvalorização que você terá.

      • Evoguex

        honda e toyota prioriza muito essa questao de revisao, vide hyundai – kia. mais em carro digamos " normais" nao vejo necessidade, igual nosso amigo em cima disse, se souber cuidar e fazer a preventiva e nao a corretiva, tem carro pra muito tempo, e 180 mil em um marea é algo raro de se ver,

      • Holland

        Leandro, o que a garantia cobre, motor, cambio, um carro como honda e toyota dificilmente terão um problema, tenho SEG 2004 em ótimas condições com revisões realizadas fora da css devido ao absurdo dos valores cobrados, hoje este carro tem o mesmo valor de um que fez as revisões nas css.

  • renanzacarias

    tenho uma SW (também), mas do 207.
    Acredito que, apesar de ser basicamente o mesmo carro, alguns acertos foram feitos, principalmente com relação à suspensão e câmbio. Pelo menos até agora (50.000) não tive problema algum com suspensão, segundo o mecânico, está em perfeito estado. O câmbio é bastante preciso e agradável. Uns dois grilos começaram a aparecer, mas logo tratarei de eliminá-los…
    Como Louis relatou ali em cima, fiquei impressionado com os "mimos" do carro, mesmo tendo saido de um Santana 1.8 (mais velho, porém de categoria superior).

  • DarlonSC

    Tenho um 206 sw Feline. É completa de tudo com itens que mimam a gente. Nada a reclamar sobre a mecânica, ótimo desempenho e brilhante comportamento em estrada. Pontos negativos para o câmbio barulhento e para os vários ruídos vindos de… sei lá, toda parte. Não é barulho alto, porém são vários. Definitivamente, é carro para para asfalto, onde vc acaba esquecendo esse defeito e pode curtir a dirigibilidade excelente do 206. Fica a dica: pretender comprar um seminovo mas tem medo da mecânica? Pode ir fundo, eles são carros confiáveis. Essa desvalorização acentuada é puro exagero (ao menos na sw, repito).

    • Louis

      Quem quiser um carro completo, a preço convidativo, é só procurar uma SW em bom estado. Comprei o meu com 23 mil km rodados, hoje está com 70 mil. Paguei o preço de um Celta zero, num carro completo e praticamente novo.
      Não tive receio da parte mecância, pois tem muito 206/207 na praça, então peças deve ser fácil encontrar.
      Sou um feliz proprietário de uma SW, recomendo.

  • flaviomm

    1. Achei que foi ruim a vida dele a bordo do Peugeot 206. Parece que a suspensão é u inferninho à parte. E, por fim, o que é essa conta de de R$ 12 na quarta revisão??
    2. Faz um mês minha mãe comprou um 207 1.4… apesar de eu ter recomendado o March, não que seja garantia de perfeição… mas baseado no fato de termos outros dois Nissan em casa (um Sentra CVT com 95 mil km, e um Sentra MT com 25 mil km).
    3. Por enquanto, o Peugeot novinho tá indo bem… como será quando chegarem os 20, 40, 60 mil km??

    • Louis

      Também fiquei curioso, o que é isso de pedir 12 mil dilmas numa revisão???? Se ainda fosse revisão de um BMW com 10 anos de uso vá lá, mas num 206 MT ?
      Só se eles queriam deixar o carro 0km novamente, e trocasse tudo, tudo mesmo, inclusive estofamentos….

    • Xrodi

      Amigo meu irmão tem um com motor 1.4 e olha é não deixar curioso mexer, faça o serviço com quem entende de PEUGEOT e vc está feito, o dele esta com 70 mil sem gastar nada absurdo o que deu de manutenção foi embreagem e regulagem de válvulas de resto é manter como no manual, a suspensão tem que trocar mas ele é teimoso vai vender assim mesmo. Abraço

    • alyslima

      Acabamos de trocar um 206 2004, estava com 70000km, ate os 40000km ele vai bem, depois disso…

      • flaviomm

        Pois é… não sou dono da verdade, especialista… mas acredito que há Carros e/ou Montadoras que produzem carros que:

        a) São menos resistentes ao longo do tempo, do uso intenso, etc.

        b) Apresentam maiores imperfeições de montagem, projeto, etc… ou seja "dão mais defeito".

        Não estou falando exatamente do carro do texto, antes que me acusem.

        Abrs!

  • FAELTIMAO

    É por isso que ainda nem todos confiam em Peugeot e outras marcas consideradas importadas…..falta de assistencia da propria marca…….

  • Marcelo K.

    Relato muito legal, um dos melhores que já li, pois foi extremamente neutro e objetivo, não se deixou levar por uma paixão excessiva pelos atributos do carro (principalmente dinâmicos, que são os mais "apaixonantes") e nem por um ódio irracional, como geralmente acontece com frustrações dessas com defeitos, pós-venda, desvalorização.
    Já ouvi muito isso sobre o pós-venda da Peugeot, infelizmente ela parece estar dormindo no ponto nesse aspecto, e em outros (como o 206.5, não oferecer de cara o 408 1.6 turbo com câmbio de 6 marchas), resultado se vê na irmã Citroen, com carros mais caros, ultrapassando-a em vendas.

  • Galvão

    Caraca,mto legal essa última foto,do painel…
    Foi vc quem tirou?

  • MeekeeB

    Excelentes fotos, pelo visto o ex-dono do Pug tem conhecimento em fotografia.

    O relato está muito bom, exaltando os prós e os contras do carro, sem demonstrar paixão ou ódio excessivo.

    • R0CKERZ

      Falou o que eu queria falar!
      Ele realmente foi extremamente sincero e tirou ótimas fotos

  • Castle_Bravo

    R$12 mil a quarta revisão!? o.0

  • fbmj

    Eu também tenho um Peugeot 206 1.4, felini para ser exato. Aqui vai algumas considerações:

    Pontos positivos:
    . Design que até hoje continua bonito (põe ele do lado do novo gol para você ver)
    . Muito conforto no interior como bancos de abas que abraçam o motorista, volante de boa pegada, ar-condicionado que te dá um choque térmico de tão friu, computador de bordo com muitas funções, bancos traseiros bastante aconchegantes manopla de cambio, puchador das portas em alumínio de verdade, sensor crepuscular, sensor de chuva, nivelamento elétrico dos farois, travas e vidros elétricos (de todas as portas), retovisor elétrico, sensor de travamento das portas em velocidade, bancos traseiros rebatíveis divididos 2/3 (cabe minha bicicleta), porta luvas que cabe a minha mochila dentro, espaço para as pernas nos bancos traseiros bom
    . Dinâmica em curvas espetacular, eu nunca, repito, nunca consegui cantar pneu com ele em uma curva, coisa que com picanto, gol, corsa e pálio já. O reves é que ele é meio duro em terrenos acidentados, mas isso também te dá mais confiança na hora de uma emergência
    . É super econômico (gasto só R$ 40,00 reais por semana de combustível!)
    . Saiu super barato quando comprei (usado), preço de celta pelado 0km

    Contras:
    . Os grandes faróis sofrem com o sol e ficam fumê e as lanternas ficam rosas
    . O volante realmente descasca cedo
    . O desempenho na partida não é dos melhores mas traz aquela economia já citada
    . O cano de descarga quebra fácil
    . A bateria descarrega umas 2 vezes por ano
    . Existem barulhos sim, mas o modelo tem um fórum com dicas de como desmontar o carro quase que completamente e como corrigir os barulhos
    . Desvaloriza bastante, porém se você compra já usado, vale cada centavo gasto.
    . E a concessionária realmente tem preços de peças 5x maiores que os do mercado livre.

    Ainda continuo com ele pois não me animo com nenhum hatch novo no mercado, se fosse trocar seria por outro mais novo

    • expresso222

      Tenho um 206 1.0 16v 2004 que comprei usado a 5 anos com 50.000 km e, agora com 110.000 só me faz feliz. Bonito, muito econômico (13 a 14 km/l na cidade), gostoso de dirigir (muito bom em curvas), ar-condicionado polar, o carro também é cheio de mimos e tem acabamento de nível superior. Tenho de queixas com ele a suspensão ser frágil e, talvez por isto, a batedeira no interior. E tem também a desvalorização acentuada, mas como não o comprei para investir e sim para me servir faz parte do negócio.

  • BlueGopher

    Muito elevado o padrão de atendimento do consultor que, ao invés de lhe oferecer transporte à cidade lhe disse que "andar de ônibus não era vergonhoso pra ninguém".
    Sugira que ele mude para uma profissão mais adequada, tipo cobrador de ônibus, pois consultor de css é outra coisa…

  • Turbo_Car

    Eu fico impressionado com a qualidade porca dos carros populares em geral frabicados nos últimos anos. Eu tenho uma Parati 98 (bola) e não sei o que significa "volante descascando". Manopla do câmbio rachar?! Como assim?! Meu VW está para bater 150 mil km e os únicos defeitos que ele tem são rangidos do plásticos. De resto, as peças que estragam são apenas as de manutenção "programada": filtros, correia, fluidos, pneus… há pouco tempo troquei o kit de embreagem e todas as peças da suspensão. De resto, não há nada quebrado no veículo.
    Abs!

  • tonyecs

    Fugi da Peugeot por conta dessa safadeza que eles fazem com os preços da peças. Chega a ser indecente. Tem coisa que é preço de carro de luxo. Eu tinha um Peugeotzinho 106, meu primeiro carro. Confortável, econômico, mas que veio sem o compressor do ar condicionado. Fui na Danton, concessionária Peugeot aqui de Salvador e quiseram me cobrar R$ 2.000,00. Detalhe: meu carro, na época, valia R$ 10 mil. Vendi o carro, que não tinha do que me queixar porque qualquer coisa que tivesse trocar, até um retrovisor, era caro demais.

  • fbmj

    Ah ia esquecendo, outro ponto positivo é a segurança: 4 estrelas no ncap (http://www.euroncap.com/tests/peugeot_206_2000/72.aspx)

    Pena que eles arruinaram no 207 brasileiro :(

  • Filipe_Braga

    Meu pai tem um Peugeot 605 Sri 2.0 8v 1993 comprado zero, um baita carro 4,76m, 2,80 de entre eixos, super confortavel e super confiavel tambem. O motor original dele rodou por 250.000 km! Ano retrasado o carro tava estranho perto de um pedágio em Porto Alegre, paramos no acostamento e chamamos um guincho. La se foi o motor, só conseguimos comprar um outro motor um ano depois, o que esta causando diversos vazamentos de óleo, fora isso tudo perfeito. Ja tivemos 3 Peugeot eu acho, tivemos/ temos 2 605 (1 preto, que foi vendido no Rio, e um bordô) e um 205 preto (o carro voava!). Só vendemos eles por falta de grana, porque se não… teriamos eles até hoje hehe.

  • Alvarenga1

    Minha percepção esta em linha com o texto. Tive um 206 Allure 1.6 e apesar da excelente estabilidade e freios quando novo, o bichinho degradou muito rapido em uso normal, a ponto de me levar a vende-lo com menos de 2 anos de uso.

  • Y07

    O câmbio dele e do Agile tem o mesmo defeito… Outro dia vi um 206 fazendo barulho no câmbio e era o mesmo barulho do Agile.

    • pessimista2011

      Parece que no 207 o cambio tem acionamento por cabo (no 206 era por vareta).

  • rodrigolim

    Eu tenho um 206 Feline 1.6 16v flex com 113cv. O carro é um foguete e economico. Ar Digital, Freio a disco nas 4r, Acionamento de farois e limpadores de vidro automático, reg de alt volante, vidro nas 4p, retrovisores eletricos entre outros mimos. Quando eu for troca-lo, vou pensar 2x antes de voltar para um carro de marca tradicional brasileira.

  • Eddu13

    Eu quase fechei negócio com em um 206 2007, fiquei com medo do preço da manutenção.

  • Vateau

    O mal da Peugeot é principalmente seus concessionários! Assim como muitas outras marcas. Exemplos positivos em minha cidade é da VW Promac, Renault JCarneiro e GM Brazmotors. E a Peugeot já foi boa mas foi vendida para outro grupo e dai, tome facada!!!!

  • Luis Felipe CD

    Tive um modelo idêntico a esse, e jamais, repito, jamais tive problemas de câmbio, que a meu ver era "barulhento", mas nada de tão anormal assim.
    Tive o carro até o ano passado, e os únicos gastos foram com óleo e filtros, e a única vez que fiz oficina nele, foi devido a um ruído na barra do eixo traseiro, serviço esse coberto totalmente pela concessionária, que aliás segue me prestando serviços excelentes.
    Já vi muito carro com amassado no capô, mas na imensa maioria das vezes era devido a fechá-lo empurrando-o.

    Fui tão bem tratado tanto pelo carro quando pela concessionária, que troquei meu 206 por um 207 XR Sport 1.4 (ou 206/5 como alguns gostam de falar) e novamente estou muito satisfeito, confortável, econômico (19 km/l com gasolina uruguaia sem álcool) e as manutenções são mais baratas que as do Fiesta de minha irmã, do Gol do meu sogro, do Pálio de meu cunhado.

  • JCsr

    Homem que deixa de comprar carro X por "ser de mulher ou de viado" é, 99,9% das vezes, uma bicha enrustida que nem pra se assumir gay tem coragem. Aí fica com meda de falarem mal dele por andar em carro X ou carro Y, acha que se comprar carro Z vão passar a ver ele como macho. Ledo engano. E os 0,01% restantes são ogros absolutamente incapazes de satisfazer suas namoradas, esposas, amantes, o que seja…satisfazê-las em todos os sentidos, e que na maioria das vezes carregam uma galhada na cabeça, tal qual um veadinho da floresta. Quem se garante, tanto pra um lado quanto pra outro, está muito acima dessas baboseiras. Bom, quanto ao 206, sempre gostei do PUG, apesar de ter fama de carro problemático…mas os problemas em si estão muito mais na incapacidade da marca em manter os carros, tal qual acontece na Citroën. As vezes acho que a dupla francesa se garante que possuem fama de "carro de rico" e de que são importados e descem a lenha em qualquer servicinho besta que se faz na concessionária. Minha irmã é proprietária de um C3 XTR e, uma amiga dela que queria trocar de carro, deixou de comprar um GLX 1.4 zero km por 38 mil por "ser importado da França e ser carro de quem tem grana pra manter". Comprou um Fox Trend 1.0 com os equipamentos básicos por quase 40 mil reais. Só uma correção no texto, o 206 foi nacionalizado em 2001 e não em 2004, com o lançamento do 206 1.0 16v

  • Fla3D

    Bem legal o relato, me identifiquei bastante pois tambén tive um pug 206 e tive as mesmas sensaçoes de felicidade e frustração com esse carro e com o pós venda. Amigo meu que tinha um 1.6 também, o carro era ótimo enquanto novo…

    Só uma correção, o C3 só usa o mesmo motor que o 206, a plataforma é outra, com eixo de torção na traseira, muito mais robusto que o braço arrastado. É a mesma platsforma que o 207 usa e que foi atualizada para o 208.

    • renanzacarias

      Interessante esse lance da mesma plataforma do 207 e C3… achei q fosse só o mesmo motor…
      Me corrijam se estiver errado, mas então entre 206 e 207BR tem mais mudanças do que uma singela "maquiagem visual", como geralmente comentam, ou não?

  • Krestu

    Meu amigo tem um, e já dirigi… Duro e manco! Embreagem dura, câmbio péssimo, cada passada, além de difícil, é um "ploc", sempre achei que era um defeito e não uma característica de todos os 206… E manco, mááá manco esse 1.4 que tá loco. Quando ainda tinha um Corsa 1.4 Econo.Flex, colocamos os dois lado a lado, e olha, deu pena do Peugeotzera… O Corsa parecia 2.0 perto do 206, de tanta diferença que tirava, e o dele ainda por cima não é nada econômico, 6 na cidade com álcool. Isso sem contar as revisões, nenhuma saindo por menos de R$700… A única ressalva que faço ao carro é a suspensão, bem firme na estrada e absorve muito bem as imperfeições.

  • BestCarBrazil

    Só escuto falar mal desse carro daqueles que o possuem ou dos que já se desfizeram dessa maldição !! hehe

  • rafael0407

    Também tenho um peugeot 206 1.4 ano 2006 quatro portas, e não acho tão ágil mesmo na cidade, pq pesa mais de 1000 kg, pq pra mim é um carro mil melhorado, em relação ao peso potência do carro, e outra coisa, que não foi mencionado é que, o espaço entre os pedais de freio e acelerador, são um tanto pequenos, pois a ponta do pé pode enconstar na parte plástica, onde está o fim do painel,( olha que calço numero 42. rs), causando um certo incomodo de acelerar e frear rapidamente…
    A suspensão parece de carro de brinquedo, tendo em vista que qualquer buraco mais acentuado é cambagem na certa, mas que é frágil não se discute… acabamento ao olhar bonitinho, mas ao tocar.. um plástico duro, igual nas portas, a visibilidade dianteira é boa e superior a um celta ou palio, mas não se ve a frente do carro, e por fim o consumo é razoável entre 7 e 8 na cidade e uns 14 km na estrada.. O meu carro está com 60 km rodados..

  • Herumor_

    acho muito fraquinho o 1.4 do 206, com o AC ligado então acabo o carro =/ o carro so pode dizer que anda legal na estrada, principalmente porque o cut-off não segura nada o carro, mas de arrancada e cidade é uma tortura esse carro

  • Skiegaard

    Aff ate cogitei um 206 esses dias, mas depois de ler aqui esse carro-da-semana, passarei longe de qlq 206.
    Voltarei pra ideia original de pegar um Clio mesmo, apesar do 206 serem tao baratos sao uma bomba mesmo.

  • miguel_hff

    Nunca li tanta besteira.

    • YuriRS

      idem!

  • AndredeAzambuja

    Temos um 206 Presence 1.6 2005 e o carro é ótimo e eu, apesar de não ter dados oficiais, posso jurar que é mais econômico que os outros dois carros da família, um Palio 1.0 e um Prisma 1.4. Anda muito bem e faz curva muuuito acima da média dos carros da mesma faixa de preço. Mas o problema dos inúmeros barulhos internos é real, incomoda muito.

  • BrunoMulsane

    Engraçado.. Mas os famosos carros de mulher, como: C3, novo ka 1.6 e fiesta rocam. Foram os melhores compactos que ja dirigi. Aos donos de golzinhos, pugs e palios, andem nos carros, depois comentem. O c3 é um dos melhores compactos que há, se não fosse a manutenção cara, coitados dos concorrentes. O fiesta rocam deveria vender mais que qualquer compacto, pois não tem carro mais na mão e gostoso de guiar como ele. O ka é um esportivo, muito bom, que ja andou sabe. Aos preconceituosos, peço a moderação para averiguar comentários sobre questão de opção sexual de tal modelo de carro. Tenho um filho de 8 anos que adora entrar no forum, portanto ja estou ficando preocupado, pois não quero que ele seja esse tipo de pessoa.

  • darthnaner

    Tínhamos um 206 07/08 1.4 e trocamos, satisfeitos, por um 207(206+, como preferirem) 1.6 recheado (só não tem air-bag e ABS, infelizmente >.<) e não tenho muito do que reclamar. O único problema mesmo é que os carros foram feitos com estradas francesas – não brasileiras – em mente.

  • adriano

    fiz uma instalação de um som no meu peugeot hoje, mas acho que houve um problema na parte eletrica pq o painel acende do nada aparecendo tudo e pedindo para parar e o farol tbm acende sosinho, isso com o carro desligado sem a chave. oq eu faço???

  • César

    É um carrinho interessante. Vai totalmente contra os princípios franceses de design. Tem pegada esportiva, posição de dirigir baixa, não faz ruído de vento. Para ser mais perfeito, sabe o que falta? Uma mecânica de Corsa. Resistente, barata, facílima de mexer. Seria perfeito. Uma carroceria de Peugeot 206 com motor, caixa e suspensão de Corsa.