Home Etc Carros com isenção de ICMS para deficientes tem de custar até 60.000...

O sonho do jornalista José Monteiro, 66, que teve uma perna amputada, é um Honda Civic, mas ele não poderá comprá-lo com isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Desde fevereiro, vigora o convênio 03/07 do Confaz (conselho de política fazendária), que estipula um teto de R$ 60 mil para a isenção.




“Mesmo com o fim do limite de potência de 127 cavalos, a nova lei veta a venda do Civic. A versão automática mais barata custa R$ 63 mil”, lamenta Cristiano Gonçalves, representante de vendas especiais da Honda. A mudança irá impedir que a fábrica venda cerca de 250 Civic para deficientes por mês. O Fit automático, que tem registrada a mesma média de vendas, custa cerca de R$ 50 mil.

Para as fábricas que têm carros “populares”, a nova regra não irá interferir nas vendas. “O Palio [tem até 115 cv e custa menos de R$ 60 mil] é o nosso modelo mais vendido para deficientes. Depois vêm a Idea e o Stilo, também dentro da lei”, diz João Cláudio Bourg, diretor de vendas diretas da Fiat. Mas a isenção só incide sobre o preço básico. “Se o cliente do Palio quiser, por exemplo, ar-condicionado e direção hidráulica, terá de migrar para o Stilo, que os traz de série.”

A maioria das montadoras têm seus planos próprios de assistência a vendas especiais. Ainda assim, o processo demora pelo menos um mês. O ponto é que as isenções são dadas por esferas diferentes. O IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que chega a 25% sobre o valor do carro, e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) são retidos pela Secretaria da Receita Federal.

Já o ICMS e o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) são atribuídos às secretarias estaduais. Mesmo indo a uma revenda da Honda, Monteiro esperou sete meses para receber seu Fit. “Além da demora habitual, houve greve da Receita Federal.”

Texto da Folha de São Paulo





Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.