Carros médios que podem custar mais de R$ 100.000

19/03/2016

novo-corolla-altis-2

O valor de R$ 100.000 era tido como uma fronteira entre os segmentos médio e premium. No entanto, essa fronteira não parece existir mais. Da mesma forma que alguns carros de marcas de luxo podem ser encontrados abaixo desse patamar, no sentido contrário, já existem carros de faixa inferior que ultrapassam com facilidade essa barreira.

Então, quais são estes carros médios que podem custar mais de R$ 100.000? Embora – em certa medida com ajuda do governo, no caso dos clientes PCD – hatches e sedãs médios possam ser encontrados um pouco abaixo de R$ 70.000, as versões mais caras e até mesmo intermediárias, já superam os R$ 100.000, faixa de preço que tanto incomoda muitos consumidores.

nissan-altima-avaliacao-NA (6)

Afinal, ainda é possui, por exemplo, adquirir um sedã de porte superior nessa faixa de preço. No caso, o Nissan Altima, que mesmo ainda na versão anterior à atualizada nos EUA, é um carro muito espaçoso, luxuoso e, surpreendentemente, econômico. Se a opção é ir para um premium, o Audi A3 Sedan 1.4 TFSI Flex é oferecido por preço similar.

audi a3 sedan 2.0 tfsi 2016 2

Mas voltando ao que interessa, as marcas comuns não estão mais se preocupando com a tal faixa dos R$ 100.000 e continuam reajustando os preços nessa direção. Com a crise, dar desconto é uma forma de desovar estoques e manter as vendas em patamar razoável, mas feito isso por um longo tempo, faz as margens diminuírem. Assim, os aumentos serão mais frequentes para reduzir as despesas.

novo-corolla-altis-3

Entre os sedãs, o mais notório na faixa dos R$ 100.000 é o Toyota Corolla Altis, que custa atualmente R$ 102.990. Tem sete airbags, faróis de LED e anda bem, mas não dispõe de controles de tração ou estabilidade. Mas o quarto carro mais vendido na primeira quinzena de março deixou de ser o mais caro do segmento há algum tempo.

ford-focus-fastback-impressões-NA (4)

Quem o ultrapassou foi o Ford Focus Titanium Plus, tanto em forma de sedã quanto de hatchback. A dupla custa R$ 104.590. Ambos têm motor com injeção direta e câmbio de dupla embreagem. Há também ligação em caso de acidente, freiam em situação de emergência e até estacionam sozinhos. O pacote tecnológico é muito bom, ruim mesmo é o preço.

fiat-bravo-blackmotion-2016 (3)

Mas continuando atrás dos que custam uma centena de milhar, a Fiat também tem seu representante nessa faixa e ele nem sequer precisa da versão topo de linha para alcançar isso. O Bravo Blackmotion parte de R$ 80.440, mas pode custar quase 25% a mais por conta dos opcionais. Totalmente completo ele alcança R$ 98.570. Ok, não chegou aos 100 mil, mas adicione uma pintura metálica e ele chega a R$ 100.146. Ele tem motor 1.8 E.torQ e câmbio Dualogic, além de um pacote de itens mais interessante, quando está completo.

Ainda assim, forçamos a barra? Então, vamos para o topo de linha T-Jet. Este tem motor turbo e uma pegada mais esportiva, mas pula de R$ 89.770 para R$ 102.615 com bancos em couro, multimídia completa, itens de segurança adicionais e sistema de som melhor, entre outros. Seu estilo já está cansado e o por esse preço, desanima.

jetta-14-tsi-impressões-NA (9)

Até a versão Trendline, o Jetta está imune aos opcionais, mas na Comfortline, o sedã médio da VW alcança R$ 101.601. Se fosse em outros tempos, ele provavelmente estaria bem mais caro, mas com a situação atual, não dá para agir como em épocas de vacas gordas. O pacote oferecido acrescenta R$ 10.711 ao preço base da versão Tiptronic.

Os itens adicionados são obrigatórios para quem paga esse preço e destacamos a multimídia com Car Play, Android Auto e MirrorLink. Claro, não podemos esquecer que o modelo deixou o vetusto 2.0 8V de lado (finalmente!) e agora carrega um 1.4 TSI devidamente em dia com a tecnologia automotiva vigente. Mas e a Highline? Esta já custa R$ 104.990 e recheada vai para R$ 120.524. Deixando os itens de lado, o motor 2.0 TSI de 211 cv o converte em um caso à parte.

novo-golf-nacional-1

Se você gostou do sedã acima e até concorda com alguns pontos, pode não ter a mesma visão no caso a seguir, o famoso Golf. Nacionalizado, assim como o Jetta – em parte – o segundo carro mais vendido na história também ganhou motor 1.4 TSI de 150 cv, mas vem na versão Trendline com o 1.6 MSI 16V, que entrega até 120 cv.

O câmbio é o mesmo Tiptronic do propulsor mais forte. Com tudo dentro, o hatch pula de R$ 80.690 para R$ 100.584. Ele ganha muitos itens, inclusive um teto solar panorâmico, rodas aro 17, acabamento em couro, ar condicionado dual zone, entre outros. Vale a pena? Nas outras versões nem é preciso dizer que os preços alcançam níveis bem acima dos R$ 100.000, assim como a irmã Golf Variant.

subaru-impreza-2012-usa

O Subaru Impreza parte de R$ 104.900. O sedã nipônico é sim do segmento médio e sua marca não é de luxo, apenas um pouco diferente. Afinal, com exceção (lá fora) dos kei cars, os demais utilizam motores boxer e um sistema de tração AWD simétrico que torna a marca muito famosa dentro e fora das pistas. É um bom diferencial, mas sempre custou menos de R$ 100.000. O pacote fica devendo uma multimídia com GPS e DVD.

Além desses carros de porte médio, outros se aproximam “perigosamente” do patamar dos R$ 100.000, inclusive há compactos entre eles. Então, com os constantes aumentos de preços, provavelmente teremos mais modelos nessa faixa até o final de 2016. E agora? Vale a pena investir em um médio com esse valor ou aplicar o dinheiro na compra de em um modelo superior ou de marca de luxo?













  • FearWRX

    Vale a pena dar valor ao seu dinheiro e buscar coisa parecida no mercado de usados.

    • Jackson A

      Mercado de usando tem muita bomba, mesmo caro ainda prefiro os novos, ou no máximo de um parente.

      • FearWRX

        Tenho que discordar de você. Sabendo procurar sem desespero se acha muita coisa boa sim. Eu, os 3 carros que tive, os 3 eram usados. Não me deram absolutamente uma dor de cabeça e sempre tive tudo em dia. Meus pais, idem, nunca tiveram carro zero e nenhum deles deu dor de cabeça na família. É só ser esperto e ficar de olho no que está comprando.

      • Mr. Car

        Podendo pagar, obviamente negociando um desconto para levar “cash”, sem me meter na roubada do financiamento, também prefiro o 0km. Usado, só em condições muito específicas, como ser um carro de único dono, de alguém muito próximo à mim, e que eu saiba com absoluta certeza que cuida do carro tão bem quanto cuido dos meus.

      • Wagner

        Carro usado bom é o semi-novo com no máximo dois anos e procedência, é uma boa compra, mas se quiser ter segurança na compra peça ajuda para um especialista para fazer avalização do veículo. Com esses aumentos é a melhor opção, mas também é bom comprar sem financiamento, juros de usado está auto e há muitos carros zero km com taxa zero, precisa fazer as contas, pois as vezes o carro novo ser mais viável.

      • Tom Costa

        Já tive novo e usado que deram bomba, ultimamente prefiro os usados. Comprei um C3 1.6 exclusive 2010 por 17.000, gastei mais 1.000 fazendo a manutenção completa preventiva e dor de cabeça zero, senão o consumo alto na cidade.
        Faz tudo o que um novo faz, por um terço do preço do novo. Cansei de jogar dinheiro fora com carro novo.

        • João Cagnoni

          Foi uma compra inteligente, mas a comparação foi errada. Não dá pra comparar um C3 usado com um 0km, mas dá pra comparar um Corolla novo de 90 mil reais com uma CAYENNE 2006, que custa o mesmo preço.

          • Fabricio Conchon

            auauauua… se não dá pra comparar um carro usado com ele mesmo zero km… essa tua comparação foi da mais engraçada da história… ahahahahah comparar um Sedan médio, com um SUV de luxo… com 10 anos de idade? ahahahahha
            Faltou sugerir também a comparação Corolla Vs. Bolacha Negresco ou então Fusion Vs. Geladeira duplex… ahahahahha Ri muito aqui…. ahahahhahahahaha

            • João Cagnoni

              Não entendi… Por que você quer comparar produtos de preços diferentes? Eu não como negresco, mas a trakinas ta por volta dos 2 reais e a geladeira duplex uns 5 mil. No caso do Fusion, dá pra comparar com o Corolla até no caso do 0km, pois custa só um pouco mais caro em um carro totalmente superior.

              • Fabricio Conchon

                Você escolhe apenas um critério… e acha que dá comparação… E despreza qualquer outro… ahahahah desculpa, mas não tem lógica… em nenhum lugar do universo o consumidor de um corolla zero km seria o mesmo de uma Cayenne 2006… Só no videogame….

                • João Cagnoni

                  Claro que não seria, quem tivesse 90 mil e comprasse um Cayenne seria consumidor de Cayenne, e não de Corolla.

            • Tom Costa

              Releia, você e mais 4 entenderam errado.

              • Fabricio Conchon

                minahs respostas foram pro rapaz que quis comparar corolla com cayenne. Concordo com sua colocação… do C3

                • Tom Costa

                  Foi mal então. Uso pouco essa ferramenta de debate, me atrapalho as vezes.

                  • Fabricio Conchon

                    tranquilo.. imagina… abraço.

          • Tom Costa

            A intenção não foi comparar, mas sim utilizar com cuidado o pouco dinheiro que temos em um momento delicado da economia.

        • Edson Fernandes

          Caraca… que otimo preço! Mas esse tinha quantos km rodados?

          PS: Vendi o meu 2008 1.4 Exclusive por R$18000 no ano passado e com 112000km rodados.

          • Tom Costa

            Estava com 62.000km.

          • Tom Costa

            Em Belém, carro de marca francesa é mais rejeitado que político. O preço vai lá embaixo logo que sai da CSS. A Peugeot fechou as portas. Tem 408 completão por 35.000, tem nego desesperado vendendo 307 2010 por 15.000 em perfeito estado.
            O carro tem manutenção barata, tem sensor de chuva e luz, ar digital, airbag, abs, a mala cabe mais coisas que o punto que tive e não raspa em lugar nenhum como o punto raspava.
            Troquei filtros, todos os fluidos, fixo superior, velas, limpeza geral, limpeza do corpo de borboleta e bicos, correia dentada. Tudo o que pode dar problema e aumentar o consumo. O carro já veio com pastilhas e pneus novos, os amortecedores e molas estão perfeitos.
            Tirando os arranhões, o que diferencia de um novo?
            Fora que era o punto-lego, veio todo bichado de fábrica. Em um momento complicado que vivemos dizerem que não dá pra comparar usado com novo é dar pouco valor ao dinheiro. Eu não pago 50.000 em um carro popular pelado que nos próximos 3 anos evaporam 50% do valor de jeito nenhum. Simplesmente não vale meu dinheiro.

            • Edson Fernandes

              Tom,
              Mas esse 408, é o THP? Se for, poderia postar um link? Mesmo eu não querendo outro sedan médio, me interessei.

      • Thales Sobral

        Ih rapaz, acionou os trolls… Aqui todo mundo compra usado “de procedência” e tem mecânico “de confiança”, então os carros deles nunca dão problema. Além disso, fazem 20 km/l em trânsito pesado.

        • Franco da Silva

          Ahahaha! Bem assim. Isso do consumo então… está cheio de tiozão que mede o combustível em “meio tanque”, “quarto de tanque” e quer dizer que sabe a média que o carro faz…

          • Daniel

            Hahaha, pois é. O cara fala que o carro é economico, dai vc pergunta quanto faz por litro… dai ele responde: ah, faz uns 400 km com um tanque… dai vc insiste: tá, quantos litros tem o tanque? Ah, não sei… (e depois vc descobre que o tanque era de 60 litros num carro 1.0 :P )

            Lembrando que a Caravan a alcool do meu pai fazia mais de 500km na estrada (só que o tanque tinha 84litros!) hahahah

            • invalid_pilot

              500km com gasolina azul ? kkkk Imagina se tivessemos essa gasolina hoje em dia o quanto não custaria

              • Daniel

                Não, era 500km com alcool! “Super economica”… Na estrada fazia 6,5-7km/l
                Meu pai chegou a fazer 9km/l nela, mas haja paciencia pra rodar a 80tinha…

      • invalid_pilot

        Depende, tem modelo que é bomba desde 0km… Ouvi Ford (Ka ao Focus)

        • Acompanho o teste dos 60 mil Kilometros da quatro rodas. O KA que eles estão avaliando não possui o marcador de combustível (assim como inúmeros outros modelos no mercado). Adivinha o que aconteceu ? Quando ligou a luz do aquecimento o motor simplesmente já ferveu, o que vai gerar um custo de manutenção e a durabilidade do motor esta comprometida. E teoricamente no mercado de usados é um bom negócio, pois possui revisões em concessionárias e é de primeiro dono. Só tendo um bom conhecimento para detectar que o motor do carro já super aqueceu.

          • Matthew

            Marcador de temperatura* . Sim, esse Ka da 4R tem dado bastante pau. Sempre simpatizei com o carro, pelo espaço interno, acabamento (visual) e equipamentos, mas fico desconfiado.

          • invalid_pilot

            Procure qualquer comunidade de proprietários de Ka e veja a enxurrada de reclamação sobre

            Pelo preço que cobram jamais deveriam ter inúmeras reclamações. Não existe marca/modelos 100% perfeitos mas nesse caso tem erros primários da Ford

            • fbl

              Ja tive Ford. Um Focus 2011 ghia. Tive meu problema resolvido somente depois de entrar na justiça e uns 4 ou 5 meses depois que pedi a troca do silencioso (aberto) em garantia. Agora vejo um zilhão de quebras de powrshit e etc..a Ford nao muda. Não compro mais Ford de maneira alguma e nem compro para os meus parentes. Ford nunca mais.

              • Thiago

                Eu tambem tive um Focus GLX 2.0 duratec em 2005, melhor carro que tive, talvez porque este era feito no mexico…

                • fbl

                  O carro funcionando era bom. Estabilidade excelente como todo focus, confortavel, andava bem mas quando começaram com dois anos pequenos probleminhas e depois esse do escapamento onde a ford nada fez por meses… Agora vejo esses casos muitos piores desse powershift. To longe da ford.

          • Jackson

            O Ka nunca teve marcador de temperatura, seja o primeiro lançado até os modelos atuais. Aliás está virando tendência sacar o termômetro d’agua. Quando a luz espia acendem ferveu tudo.

        • Franco da Silva

          Aqui na família tem uma Ecosport top, 2.0 Titanium Powershift…
          Nem vou falar do câmbio e do consumo, mas o acabamento, meu deus! Cada vão livre, parafuso pra fora nas portas… tem carro de 30 mil que é mais bem acabado!

          • invalid_pilot

            Pois é ! Gosto demais do Focus, sempre foi um desejo de consumo desde aqueles modelos 2008, mas me brocha demais esses relatos de PowerShift e etc – jamais pegaria um usado desses

      • Matthew

        Sei lá, estamos falando de carros na faixa dos 100 mil reais. Por mais absurdo que seja, ainda é possível comprar bons modelos por este valor, não havendo necessidade de se buscar um usado. Isso só faz sentido pra quem dispõe de, digamos, 30 mil dilmas pra comprar um automóvel. Aí quase que não há opções mesmo no mercado de zero km, sendo quase obrigatório recorrer aos usados. Mas pra quem tem bala na agulha e pode torrar até 100 mil num carro, acho besteira. E eu tenho pra mim que com essa crise muitas pessoas começam a negligenciar a manutenção de seus automóveis. No corte de despesas familiar, a manutenção do carro é um dos primeiros da lista. Primeiro o cara se esforça para cumprir com as obrigações legais do bem (IPVA, DPVAT, licenciamento etc), e só depois a manutenção. Esses dias eu conversei com um mecânico que tem no bairro onde os meus pais moram e perguntei se tinha aumentado o movimento na oficina em função da crise e tal, e o que ele me disse foi: “o pessoal só tá trazendo o carro quando tá no talo mesmo ou para no meio da rua e a inadimplência que aumentou”. Então é mais um motivo para tomar cuidado com os usados de “procedência”.

        • Daniel

          Bem isso! Agora eu queria saber onde a gente consegue esses laudos de “procedência” que garantam que o carro não passou por enchente, não rodou 50mil km sem trocar oleo, que não era usado no rally dos sertões, etc!
          Já vi loja anunciando veiculo “de procedência”.

          Pra mim, só se conhece a procedência do carro se vc conhece os donos e como eles cuidam (bem ou mal) do carro.

          Já vi alguns casos de pessoas que compraram carro de parente um pouquinho mais distante e levaram prejuizo!

          • invalid_pilot

            Fazendo uma analogia chucra e machista (moderador se quiser pode tesourar): Carro usado é igual mulher, melhor não saber do passado pra não ter dor de cabeça

            Ou então cozinha de restaurante chinês…

            • Mr. Car

              Não precisa nem ser chinês, he, he!

            • Edson Fernandes

              Tá…. mas o passado de uma mulher é tão pior que de um homem?

              Tem amigo meu que tem doença e namora sem dizer da doença. Detalhe: Pegou em uma viagem já namorando!

        • invalid_pilot

          Vendo por esse lado faz sentido, brasileiro NUNCA foi fã de manutenção e em tempos de crise menos ainda.

          Eu uso pouco carro no dia dia, mais um motivo pra eu ficar muitos anos com um mesmo carro na garagem. além do mais tem muita gente que dá o passo maior que a perna, ao invés de um popular compra um médio e depois não aguenta comprar 5 lts de óleo sintético e um pastilha de freio mais cara e acaba negligenciando

          • Matthew

            Sim, nunca teve o hábito, mesmo nos tempos de bonança. E este exemplo que você citou é importante também, sobre o dilema entre o zero compacto e o médio mais equipado e potente usado. Apesar do preço ser similar, o custo da manutenção é muito maior. As coisas mais simples o cara até aguenta, mas quando chega nas pedreiras já tenta passar o carro pra frente.

      • Franco da Silva

        Aham! Ainda mais empenhando uma quantia próxima de R$ 100.000. É muito para “apostar” na roleta russa dos usados.
        O melhor é focar na necessidade básica, seja espaço, motor… e procurar algo que ofereça aquilo por menos. Entre 60 e 100 mil as coisas estão embaralhadas. Cortando acessórios completamente dispensáveis como teto de vidro, faróis especiais, multimídia pirotécnico circense… dá pra economizar.

      • Alfredo Araujo

        Sempre cito a Honda como uma marca de vanguarda, no caso de usados…
        Qualquer Honda comprado em CSS da marca, tem 1 ano de garantia total. É um diferencial “DUCA” para quem tem medo de comprar carros usados…

        • Daniel

          O problema é que vc vai lá e paga praticamente o preço do 0km no usado…

          • Alfredo Araujo

            Realmente são um pouco mais caros que os particulares… mas é só negociar.
            Comprei em outubro de 2014, um Civic LXS 13/14, cheio de opcionais, por 58 mil… No anuncio estava por 61,900

            • invalid_pilot

              Qual era a Fipe dele na época ?

              • Alfredo Araujo

                58 e uns quebrados.
                A km estava baixa, a pintura e o interior perfeitos… e vinha com aerofólio, faróis de milha, ponteira de escapamento, tapetes originais e couro… Acessórios que eu queria colocar, e que gastaria no minimo uns 3k

                Tenho noção que se eu pegasse de particular, conseguiria por uns 55 mil.
                Mas é foda… usado bom e barato é raro demais. Usado bom é um pouco mais caro…

                • invalid_pilot

                  Justo até… duro é ver Fitizinho sem nada que na Fipe custa 38k e malandro pede 44k por ser baixa km

                  • Alfredo Araujo

                    Então… isso é muito relativo. Sou muito chato com carros. Não compro carro com painel arranhado, couro rasgado, ou tecido sujo e/ou desgastado.

                    Então um carro mais caro, porém sem os detalhes que citei acima… para mim já chamam atenção… Nesse caso ai, eu brigaria para pagar, no máximo, uns 40k… rsrs

                    • invalid_pilot

                      Pagar acima da Fipe só se tiver algum opcional ou eu gostar muito do carro, acho que existe uma tabela justamente pra tentar ser justo (ficou redundante) mas obviamente todo mundo quer tentar vender bem o seu peixe

                    • Edson Fernandes

                      Eu também sou chato assim. Tanto que ao invés de pegar um modelo 2013 e 2014 (que estava procurando) achei um 2011 mais inteiro! (e menos rodado). Tirando um ruido que apareceu há duas semanas atrás (que eu mesmo resolvi na sexta) tudo maravilhoso.

            • PtpBahia

              Penei pra vender um LXS 13/14 novissimo por 50.000, apos 3 meses

              • Edson Fernandes

                Mas quanto mais proximo do ano vigente mais dificil será pq o pedido será proximo do valor do 0km. Agora, por esse preço vc vendeu mto barato. (para o preço do Civic claro)

                • PtpBahia

                  Concessionárias somente davam 46 e 48, anunciei por 52.000,000 e não achei durante 2 meses. 35.000 km conservadíssimo.

          • invalid_pilot

            Ta explicado o porque de Hondinha usado custar muito acima da Fipe…

          • Janderson von Neumann

            Fora que muitas vezes o cara precisa financiar um pouco, e daí os juros do usado é maior que dos novos muitas vezes subsidiados pelas montadoras, em alguns casos se consegue taxa zero, ganha emplacamento, insulfilm, etc…imagina o cara pegar um usado e já ter que começar a fazer revisão, trocar óleo e filtros (que hoje em dia não tá tão barato assim) , correias, pneus, etc…e ainda pagar prestação ao mesmo tempo, fora que até mesmo a taxa de transferência do Detran é carinha, ou seja, para um semi-novo tem que ser muito bom mesmo pra ser um bom negócio em relação a um 0Km, senão é melhor procurar uma boa oferta e se “enforcar” um pouco e comprar um 0, ir pra casa e só curtir.

            • Alfredo Araujo

              Cara… em 2014, vésperas da crise atual, consegui 1,4 de juros reais. A simulação do 0km me dava uma taxa de 1.0…

              Só q eu me estressei bastante para isso… Fiquei fazendo leilão no Santander e no Bradesco, para conseguir taxa decente.

              Não tem como… juros inferiores, só no seu banco… isso se vc tiver alguns anos de relacionamento com o banco, uma conta de segmento superior, e até uns investimentos no banco tmb ajudam na barganha….
              Do contrário… é froids…

              • Daniel

                Pra quem tá trocando de carro, tem muita opção de taxa 0, com 50 – 60% de entrada (o valor do usado que entra na troca)

                • Alfredo Araujo

                  Cara… só carros de baixo volume de vendas em que isso acontece. Falando em médios, vc consegue Sentra… Fluence… Linea.
                  Se for um Cruze, Civic e Corolla da vida, não existe essa de taxa zero…
                  Ouvi isso da boca de vários vendedores….

                • Guilherme Eduardo

                  Essa é uma opção que muita gente faz, dar o velho de entrada para pegar um 0km pagando a diferença a vista ou nessas de taxa 0% em 12/24 vezes, e a pessoa não se preocupa em vender o carro. Para alguns isso vale a diferença que vai deixar de receber se vende-se direto pra PF.

                  • Daniel

                    Então, tudo uma questão de se negociar… nunca entreguei carro na concessionaria abaixo de 95% do valor da FIPE (sem contar que ainda consigo desconto no valor do carro novo). Sei que talvez conseguisse até mesmo alguma coisa acima da FIPE vendendo por fora (como consegui nas ultimas vendas que fiz pra particular – mas era outro momento do mercado), pq os carros aqui de casa sempre são bem conservados. Mas, as vezes vale a comodidade de entregar o usado quando for pegar o novo, ou ainda não ter que se preocupar com anunciar e ficar esperando vendedor.
                    Vamos trocar o carro da minha mãe, mas dessa vez provavelmente vamos ter que vender particular. Nas concessionarias estão pagando 20% abaixo da FIPE, e, como a compra do novo agora é por venda direta (PCD), não tem muita “conversa” pra negociar… (quando sair a carta de isenção ainda vou tentar uma nova negociação na concessionaria, senão vai ser vender particular mesmo). Se bobear levo na concessionaria GM e ofereço para os mecanicos lá… eles sempre babam no carro… hehe

              • Janderson von Neumann

                Eu até cheguei a ver um semi novo de segmento superior (BMW) , sou cliente da CEF desde 1991, conta boa, nunca dei um problema pra Caixa e nunca usei ela pra nada, daí passam o ano inteiro me mandando propaganda sobre financiamento de carro, financie o carro dos seus sonhos, etc….uma enxurrada de propaganda, até mesmo quando vou tirar o extrato aparecia no monitor tal propaganda, daí fui lá, falei com o grente e tal, me fizeram 1,6% ao mês em dezembro passado, ah vão para aquele lugar como gosta de falar o “presidanto” Lula, kkkk…, aí no Bradesco aqui sem nem ao menos ter conta, relacionamento, etc….me faziam por 1,3%, pra ver como coisa federal funciona, rsrsrs…

                • Alfredo Araujo

                  Só um toque… Cuidado com essas “generosidades” que os bancos fazem ao iniciar um relacionamento contigo. Isso é só para vc abrir conta, depois, vc nunca mais consegue isso novamente.

                  Já aconteceu comigo, com amigos, família… Não se engane !

                  Por um lado isso é bom, toda vez que eu vou comprar carro, eu procuro um banco diferente do que eu tenho conta.
                  Tenho conta no Santander e no Bradesco. Meu atual financiamento é no Itau.. rs

            • Daniel

              Lá embaixo contei de quando ajudei uma amiga a comprar carro… o 0km saiu mais barato (e equipado) que os usados com 2 anos…
              Recentemente um amigo comprou um usado (2010) e, mesmo depois de gastar uma grana revisando o carro, tomou preju com a bomba da direcao hidraulica indo pro saco…

      • Leonardo M

        Nessa faixa de preço (100k+) não tem muita bomba não, afinal não estamos falando de gente que não tem dinheiro para manter seus carros e sim de gente de classe média alta.

        • Jackson A

          Cuidar do carro não tem nada a ver com ter $$$… qualquer mecânico pode lhe provar isso.

          • Leonardo M

            É mais fácil achar carro cuidado de rico do que de pobre, acho que não tem nem como argumentar contra isso. Carro usado acima de 100k tem aos montes daquele povo que troca de carro uma vez por ano, pelo menos onde moro.
            ps: se seu mecânico sabe levantar esse tipo de estatística e fazer pesquisas desse nível, deveria trabalhar no IBGE talvez, hehehe

          • Edson Fernandes

            Ahhhh tem. Um cara que comprou um carro de R$100000 geralmente não é um cuidador de carros, mas faz tudo que as revisões pedem. Ao menos por ver meu tio há anos fazendo isso (compra de carros importados acima de R$100000) se encontra muito bem cuidado.

            Ainda mais considerando que muitos que ele compra é de 2 a 3 anos de usado.

        • Janderson von Neumann

          Vale lembrar que esses supostos “proprietários ricos” não são como nós que gostam de se envolver com manutenção, eu por exemplo fico junto na troca do óleo, eu mesmo lavo o carro com produtos de primeira, se precisar comprar alguma peça eu mesmo compro original na concessionária, etc…já o rico ele simplesmente para no posto e manda trocar o óleo, ou deixa o carro lá e manda buscar depois, não se envolve sabe, daí tem até o golpe do frentista que diz que trocou o oleo e mostra as embalagens vazias, mas na real nem encostou no carro, o rico manda lavar e com isso (claro, dependendo do lugar) os caras jogam solupan na pintura e lavam com jato forte e pano aspero que já caiu no chão e já passou antes em carros imundos cheios de areia, no final de um ano lavando assim o carro é pura teia de aranha, e tem mais outras coisas, rico não é assim tão caprichoso não, eles pensam , ah, tenho dinheiro para comprar outro carro de 100mil, então vou esmerilhar esse daqui e vender depois, pensa nisso.

          • Leonardo M

            Rico não para em posto e troca óleo, rico faz manutenção programada na concessionária para manter garantia, como qualquer pessoa normal. E sempre vende antes do fim da garantia.
            Rico não lava carro em lavador de rua com pano sujo de areia, rico manda lavar em lojas especializadas que cobram caro. Eu mesmo quando levo para fazer lavagem completa, vulgo CSI, com hidratação que custa módicos R$450,00 me sinto pobre chegando com meu Fusion ou o Azera da minha mulher, tamanho é a quantidade de carros absurdamente caros.
            Tem rico que não cuida de carro e tem pobre que não cuida do carro. A diferença é que é MUUUUITO mais fácil achar carro bem cuidado de rico, porque ficam pouquíssimo tempo com ele.

            • Edson Fernandes

              Mas as vezes esse rico que não cuida é quase sempre de lataria, pq de mauntenção é como vc bem disse.

              To para ver rico indo trocar oleo em posto…kkkkk (pois os importados geralmente possuem oleos sinteticos que não são disponibilizados em postos).

              • Leonardo M

                E as vezes só, rico é chato com carro arranhado, qualquer coisinha já tá mandando pintar. E convenhamos, lataria é o de menos.

      • Deadpool

        Depende, tem carro zero que é bomba, veja só os powershift.

  • Mr. Car

    “Quem” são estes carros médios, NA? Melhor mudar isto para “quais”.

  • Yuri Chaves Souza

    Pensei que o Corolla com seu arcaico eixo de torção, motor ultrapassado multiponto e sem ESP fosse o pior da lista. Até descobrir o Bravo com esse 1.8 e mais ultrapassado que o japonês.
    Jetta e Focus fast pelo menos estão em sintonia com o que ha de moderno la fora.

    • Ailton

      A fiat está de gozação e olha que bravo é raridade nas ruas.

    • Jeremias Flores

      eu pensei a mesma coisa, cheguei a me assustar quando vi os preços do Bravo ali

      • Daniel

        Na epoca do Stilo era a mesma coisa, completo de tudo passava de 100mil… O Golf IV tbm passava de 100mil mesmo já sendo jurassico… E isso na epoca deles!

        • invalid_pilot

          Stilo Abarth por 95 mil grampos… isso no Salão do Automóvel de 2004

          Hoje custaria uns 180 pelo menos

          • Daniel

            lembro que teve uma epoca, já qse pra sair de linha, que ele e o golf IV passavam dos 100mil, não lembro se chegavam nos 120 ou 130mil com todos os opcionais… era coisa ABSURDA pra epoca.

            • invalid_pilot

              As grandes inovações desse Stilo eram o teto panorâmico (que virou febre) e o sistema de Parear seu Nokia Tijolão via Bluetooth e usar viva voz (coisa que tem até no Up! hoje em dia e funciona com muito mais coisa)

              Fora motor e etc de mecânica

              • Edson Fernandes

                Desculpa mas o Stilo teve MUITAS evoluções para os carros da epoca.

                Para vc ver como são as coisas: O primeiro carro produzido com farol Xenon era o Stilo (inclusive tal opcional caro e muito raro), foi o primeiro carro a disponibilizar uma central eletronica inteligente que “conversava” com o carro, 6 air bags, rodas aro 17″, central multimidia (não é a tela, mas o som dele era integrado aos itens do carro), sistemas de ligação inteligente (sistemas de iluminação sem fio, pedais e contato do carro)e por fim ar dual zone,além do que já cponhecemos do produto.

                Um Stilo Abbarth é bem caro de manter. Não só pelo motor mas tbm pela eletronica embarcada.

                Um golf era igualmente moderno em aplicações mecanicas e segurança, mas longe dos itens que o Stilo oferecia. Curiosamente o único Golf na epoca com xenon era o Golf R32. Isso falando de carros produzidos no Brasil.

                Pode considerar que, apesar dos pesares o Stilo teve muita coisa de dar inveja a importados de epoca.

          • Cristiano_RJ

            Misericórdia! Dá para levar um MB Classe A 250 Sport. Já pensou? Um A 250 ou um Stilão? Dúvida cruel…

        • Jeremias Flores

          sim, o stilo abarth com o famigerado motor fivetec.

          mas não vinha acompanhando os preços do Bravo, não tinha ideia que havia subido tanto

    • Guilherme Eduardo

      O que mata são os opcionais e a versão mais cara que vem com um monte de coisa, algumas úteis outras nem tanto. Veja o Toyota Corolla por exemplo, a versão Altis é a mais cara, mas a Xei do meu ponto de vista já está boa, ou o VW Golf e seu teto de quase R$ 5 mil.

      • Cristiano_RJ

        O que mata é um carro com projeto obsoleto, motor medíocre e câmbio que prefiro nem qualificar poder custar mais de R$ 100 mil. Mas não poderia sequer se aproximar dos R$ 80 mil.

        • Edson Fernandes

          Concordo. Mas tbm não concordo que projetos modernos só por serem modernos custarem mais de R$100000. Falo de todos mas o gritante que vejo é o Corolla seguido do Jetta.

  • Alvaro Guatura

    “Vale a pena investir em um médio com esse valor ou aplicar o dinheiro na compra de em um modelo superior ou de marca de luxo?”
    Investir? Com esse dinheiro dá pra comprar um apartamento!

    • matheusguila

      Como o preço que estão as coisas hoje, acho exagero falar em comprar um apartamento, mas da para dar uma boa entrada em um. Fora que você pode comprar e tirar uma boa grana colocando para alugar, coisa impossível quando se trata de automóveis.

      • nbj

        Carro também se aluga.

        • Edson Fernandes

          O retorno é bem inferior a um imovel.

          • Estes dias estava fazendo análise de aluguéis e carro da muito mais dinheiro. Por baixo um popular de 35k a 50 ao dia chega em 1500 mês. Com 35k nem sei se compra algo em cidade grande. Agora quer se indignar vai olhar vedtido para festa. 600 por vestido de 1500.

    • Mr. Car

      Sei não, Guatura. Apartamento minimamente decente (o imóvel em si, bem como sua localização) por R$ 100,000,00, está difícil. Ao menos nos centros urbanos mais desenvolvidos, notadamente as capitais. Uma kitnete como a que estou querendo em Brasília (Plano Piloto, Asa Norte, condomínio fechado e com vaga coberta), já está de R$ 200.000,00 para cima.

      • invalid_pilot

        Em SP Capital, terreno bom em periferia custa 150 mil… e quando falo periferia é periferia mesmo

      • Zoran Borut

        No centro de SP as kits de 25m² novas começam nos 260 mil, média 300 mil – e nem são de um padrão tão bom assim.

        • Edson Fernandes

          Nesse preço? Só kitinete simples. São até bonitas, mas tudo com materiais baratos.

          • Zoran Borut

            Por centro, entenda-se centro velho, Edson, pois é região onde circulo diariamente e sempre vejo os prédios novos.

    • Thales Sobral

      Pois é. Carro não é investimento…

    • invalid_pilot

      Onde compra apartamento decente de 100k reais? me fala que compro uns 5 pra investir

    • Leonardo M

      Depende onde você mora, apartamento decente aqui em Brasília começa nos R$1.000.000,00

      • Cristiano_RJ

        Rio de Janeiro, idem.

  • radiobrasil

    Fusion até mes passado na tabela era 108 o 2.5 sem teto. Eu paguei em agosto/15 um 2.5 com teto + branco perola por 106k. Subiu esse mes, agora 112k na tabela o “basicão” rss
    Muito mais negócio o Fusion do que qualquer “médio”

    • Cristiano_RJ

      Depende. Depende do que você quer ou precisa. Eu, por exemplo, poderia ter comprado um Fusion Titanium FWD por R$ 115 mil em novembro passado. Optei por uma BMW 120i pagando R$ 5 mil a mais. Não que o Fusion não fosse um ótimo negócio. Era. Mas EU não gosto e nem preciso de um carro tão grande (não tenho filhos). E tenho complexo com carros que raspam o “queixo” no chão a cada lombrada ou rampa (graças a um antigo 307 que tive). Já o Série 1 se encaixava perfeitamente no que eu procurava em um carro. Não é perfeito (faltam vários equipamentos), mas era o mais adequado para o meu perfil. Conclusão: cada caso é um caso.

  • invalid_pilot

    SpaceCross vai chegar lá e ser o primeiro derivado de “Compacto Premium” a chegar em 100k

  • Um dos problemas que vejo hoje no mercado de automóveis é o uso excessivo de tecnologia embarcada. A 20 anos atrás um carro de luxo (BMW serie 5 ou Mercedes Classe E) era espaçoso e usava materiais de qualidade na sua construção, como acabamento em couro e uso de madeira nobre no acabamento, e tinha o básico como ar condicionado, trio elétrico, sistema de som e um e outro equipamento a mais. E um dos focos era a durabilidade do carro, vide casos de Mercedes Classe E rodando mundo a fora. Eu até concordo que múltiplos air bags, ESP, suspensão com nivelamento automático são equipamentos interessantes e uteis. Mas até que ponto um carro precisa de frenagem automática (requer radar), um sistema de climatização de quatro zonas, sistema que estaciona o carro sozinho, sistema de desativação de cilindros ou um sistema de visão noturna presente em um classe S ou série 7? E isso que estamos partindo para a direção autônoma, imagina a tecnologia empregada em algo desse nível? Estamos chegando ao nível de um carro ter equipamentos dignos de um avião. Outro ponto que muitos abordam é a compra de carro usado. Um carro usado com alta tecnologia embarcada requer manutenção com profissionais mais capacitados e ferramental especifico, vide manutenção de aviões. Ou alguém acha que um classe S atual vai rodar por 15 anos sem que a manutenção de toda parte eletrônica seja feita de forma adequada? E garanto que um carro com tecnologia embarcada possui custo básico de manutenção bem maior.

    • Luiz Rodrigo

      faço minhas, as suas palavras.

    • Louis

      Uma coisa concordo contigo, a manutenção nunca foi tão complexa e cara, por causa dos avanços tecnológicos. Mas acho a evolução muito bem vinda, pois os carros estão muuuito mais seguros. Hoje, é muito difícil alguém morrer a bordo de um carro seguro. Antigamente, qualquer batidinha a 60km/h já tinha gente morrendo nas ferragens.

      • Edson Fernandes

        Complexo eu não diria, mas cara sim! Uma classe S sempre utilizou um conceito diferente de suspensão e é cara. Na epoca de carros de tração dianteira quem tinha tração traseira e claro um BWM era rei.

        Da epoca, só Chevette, Opala e depois Omega.

    • Edson Fernandes

      Aí vc tem que medir o que deseja. O primeiro comprador visa se aproveitar desses atributos. Creio que um segundo dono queira pagar menos e aproveitar desses atributos ciente de manutenções.

      A depender do periodo, pode ser já pensado em colecionar ou ter o seu bem para uso esporadico. Eu mesmo gostaria de ter um Golf. Mas ele se encaixano que vc diz. Agora não se engane: BMW e Mercedes de 1990 já tinha air bags, ar dual zone, teto solar, eletronica multicomplexada e só admitia gasolina premium.

      Se vc entrar em uma BWM Serie 3 325i, vc fica impressionado naquela epoca a quantidade de itens que ela possui. Alias, computador de bordo e até o cambio AT (de 6 marchas) algo incrivel para a epoca. Na oficina que levava meus carros para manutenção, o dono tinha uma 325i branca, impecavel que não tinha nenhum detalhe e até os bancos em couro estavam como novos.

      Eu pude ver ela por inteiro e vc fica impressionado com as tecnologias aplicadas naquele periodo e percebe o quanto estamos desatualizados. Hoje por exemplo um 208 pode receber o tal ar dual zone…. mas outros itens que eram comuns nessa BWM de 1993, ele só teve agora! (o 208)

  • Janderson von Neumann

    Prefiro 0 Km a um usado, questão de gosto pessoal, tenho minhas frescuras, tipo não sair em dia de chuva para não encardir o carro, não entrar no carro sem banho tomado e roupas limpas, não abro o vidro do carro nunca para não entrar pó, troco o óleo antes do prazo, etc…e usado até se acha coisa boa, mas a emoção e a vontade de querer ter o carro pra ontem faz o cara as vezes se precipitar, fizemos isso uma vez aqui em casa e foi só prejú, olhamos , me pai e eu, um Monza com menos de um ano de uso e apenas 6 mil kms rodados, compramos no impulso,e o depois ao chegar em casa começamos a ver as bombas, o carro tinha dado PT e era remendado por baixo, eram dois Monzas, era vidro que caia da canaleta da porta, problemas diversos, etc…, tá certo que 0 Km também dá problema, já comprei um Prisma 0km que veio completamente bichado de fábrica e que vendi com apenas 800 kms, veio até com o eixo traseiro torto e mal fixado a carroceria, ar condicionado que inundava o carpete e tinha que desligar o ar para frear pois faltava força no freio, enfim, mesmo assim o 0 km tem garantia e a certeza que não foi batido, tá limpinho por dentro, não tá arranhado nos comandos, etc…
    Comprei a pouco um Focus Titanium e não saiu esses mais de 100 mil, consegui um bom desconto, e o carro é maravilhoso, um dos melhores carros que já dirigi na vida, e de todos que fiz test-drive ele é superior em tudo, a dirigibilidade dele é impar, muito equipado, câmbio ótimo, somente se copara a ele eme câmbio o Jetta com o seu DSG, mas de resto o Focus é melhor e vale cada centavo, muito econômico mesmo, silencioso, confortável, equipado ao máximo, rápido, encaixes perfeitos, ótimo acabamento, pós vendas muito bom, e a primeira revisão saiu muito barata, coisa de 120,00 apenas, vale a pena o investimento.

    • Franco da Silva

      Não tenho frescuras com o carro, só não jogo ele em buracos, lavo em casa numa semana e no lavador em outra, faço as revisões, etc; mas sempre rodo uns 50.000 km e vendo em estado de novo, os vendedores se jogam para ficar com o carro.
      Mas os familiares sempre me chamam para ajudar na compra de carros e, quando saio para ver os “semi-novos” por aí, é de assustar! Não sei o que as pessoas fazem com os carros para deixar daquele jeito.

      • Janderson von Neumann

        Até vou te falar que procurei sim alguns “semi-novos” top antes de me enforcar no Focus, e olha, chega a ser assustador ver carros com menos de um ano de uso totalmente surrados, até mesmo pneus com bolha e rodas visivelmente ovaladas, além de pintura riscada, parabrisa com um riscão de quem ligou ele seco e com areia na palheta, etc…carros que fediam a maresia por dentro (sabe aqueles que compram carro 0 km e no primeiro fim de semana vão pra praia e param com as portas abertas na beira do mar com o som ligado, isso mesmo), enfim, dá pra esperar de tudo, imagina que minha vizinha comprou uma Hilux 0 km, e estava vendo da janela as crianças caminhando por cima dos bancos de couro, uma delas saiu de dentro, caminhou pela calçada, pisou num cocô de cachorro e entrou por cima dos bancos, o que a mãe fez ?, pegou no apt um litro de alcool e passou com um pano de chão em cima do couro do banco, imagina, não satisfeita ela passou o mesmo pano na parte superior do painel, tem que matar uma mulher dessas kkkk…, bom, eu cuido muito mesmo de carro, mais que de mim próprio, vendi um Vectra CD 99 com 91 mil kms, que estava com cheiro de 0km, aparência de recem saido da fábrica, até o plástico na soleira tinha, o pessoal da concessionára se bateu pra ficar com ele, chegaram a fazer um leilão informal, nem foi anunciado o carro, tive que pedir licença para retirar uma toalhinha que estava no porta-luvas, pois o carro já estava sumindo da minha frente apenas 10 minutos depois de entregar ele,rsrsrs…

      • Daniel

        Uma vez fui ajudar uma amiga a comprar carro… ela queria “semi-novo” pq pregaram pra ela que o novo é muito caro, etc…
        dentro da faixa que ela tinha pra gastar, só tinha bomba (e tudo caro).. como ela ia financiar, pedi pra fazer algumas simulações dos “menos piores”… no final, levei ela numa concessionaria, mostrei um 0km (com abs e airbags já – dificil de achar nos usados) que parecia um pouco mais caro no preço a vista… na hora que fez a simulação de financiamento, ficou 20 reais mais barato na parcela que o usado (e ainda “ganhou” o abs e airbag)… Dai ela falou: ah, mas tem o gasto da documentação…. Negociamos mais um pouco e conseguimos IPVA (estavamos em novembro, foi moleza) e emplacamento “gratis”. Ainda zoei ela: “agora vc tem um problema grave pra solucionar: escolher a cor!”
        Na epoca ela pegou um Fiesta “Rocam” 1.6 completinho.. saiu mais barato que um 207 com 2/3 anos de uso e outro fiesta 1.6 com 2 anos de uso que tinham sido os preferidos dela entre os usados (e os dois usados estavam marcando por volta dos 30mil… mas eu tinha uma desconfiança que tinham rodado mais)
        Nem precisa dizer que ela ficou super satisfeita, né?

        • invalid_pilot

          Por isso que tem que saber analisar e ponderar suas necessidades, dependendo da situação o novo é mais vantajoso do que o usado.

          Complicado comprar carro – eu da ultima vez que comprei fiquei de Setembro a Maio até bater o martelo – todo final de semana ia em concessionaria ou ver carro usado de anuncio – e nesse meio tempo tentando vender o meu

        • Lucas086

          Aquela história, taxa de usado sempre vai ser mais caro do que do zero, se tem dinheiro na mão, compra usado, se vai financiar, melhor o novo mesmo.

  • Rodrigo Alves Buriti

    Interessante o autor afirmar que o A3 Seda é premium e o Impreza é médio (esse concordo em ser médio, na verdade, sempre afirmei isso).

    Mas….não creio que o A3 seja Premium, no geral é um Golf com outra cara e bem acabado, embora tenha gostado do acabamento do golf atual (quando era alemão, não vi o HueBR).

    • th!nk.t4nk

      Lembrando que ser “premium” não é só questão de acabamento. O que pesa mais é a qualidade construtiva. Conheço gente aqui na Alemanha com Audis de 15 anos atrás (usados diariamente!) que passariam praticamente por novos no Brasil (os Mercedes então nem se fala). Isso é resultado de muito dinheiro investido em P&D pra fazer algo robusto pra valer. São milhares de detalhes que não aparecem à primeira vista, mas que elevam bastante a qualidade do carro. Tudo isso somado, joga o preço do carro pra cima. Lógico que tem o fator “grife” também, mas pode ter certeza que vai muito além disso.

      • Cristiano_RJ

        Sem dúvida, marcas que são consideradas Premium produzem produtos de altíssima qualidade, acima da média. Mas isso não significa que as generalistas não possam fazer produtos a altura. Ora, o Golf e o A3 sedan nacionais vem da mesma fábrica e compartilham plataforma, motor, câmbio, entre outros itens. Não existe diferença na qualidade construtiva de ambos. O acabamento até poderia ter sido simplificado no Golf, mas não foi. Estão no mesmo nível. Então, o que torna o A3 sedan premium é simplesmente a marca que ele carrega. O fator “grife”, como você bem falou. Aliás, nesse mercado de luxo, boa parte do preço está suportado por ganhos intangíveis, como status. Mais até do que a qualidade do produto em si.

        • Edson Fernandes

          Cristiano, tem diferenças sim.

          O A3 sedan tem teto, coluna C e a B com partes em aluminio. Isso erve para equilibrar o peso e ter aerodinamica.

          O processo de construção é mais complexo que o do Golf. O fato de ambos levarem o lado mecanico parelho, não os fazem totalmente iguais.

          Porém esse negocio de durar 15 anos, eu vejo carros de marcas generalistas rodando tranquilamente até hoje. Uno por exemplo está aí para dizer isso.

          • Cristiano_RJ

            Edson, trabalho na área industrial, não na indústria automobilística. Posso, portanto, estar enganado, mas não creio que dois modelos produzidos na mesma fábrica com a mesma plataforma, mesmos processos produtivos tenham diferenças na qualidade de montagem.

            • Edson Fernandes

              Na qualidade na montagem não. É mais uso de materiais utilizados em pontos cruciais para segurança e ganho em aerodinamica.

    • Leonardo M

      Outra coisa que achei estranha foi chamar o A3 de médio, sendo que na verdade ele é um compacto.

      • Zoran Borut

        Então o Golf e o Focus também seriam compactos.

        Mas no Brasil, essa categoria de mercado sempre foi chamada de médios.

        • Leonardo M

          Não, Golf e Focus são oficialmente hatches médios. O fato é que o A3 sedã tem medidas de sedãs compacto, portanto é classificado lá.
          Comprimento:
          Versa 4,49m
          Cobalt 4,48m
          A3 sedã: 4,45m
          City 4,45m

          Como visto nos números, ele é inclusive menor que boa parte dos compactos. Não sei se você já teve oportunidade de entrar em um, mas o espaço interno é BEM apertado.

          Os médios seriam A4, 320i, Classe C:
          A4: 4,70m
          320i: 4,62m

          Classe C: 4,68m
          Corolla: 4,62m
          C4 Lounge: 4,62m
          Sentra: 4,62m

          • Maycon Farias

            Adoro réplicas assim. Pena que muita gente chuta o que pensa sem saber o que os números dizem.

            • Gustavo73

              Então o A3 não é um médio?

              • Maycon Farias

                As vezes tenho medo de postar comentários aqui, eu não estou questionando e nem afirmando se ele é ou não um médio. Fui extremamente claro em relação a dados. Em qualquer tipo de matéria existem muitos chutes que seja para elogiar ou criticar, o fato mais uma vez digo, gosto de ver comentários com dados e números, acho muito bom.

                • Gustavo73

                  Entendi seu ponto. Mas ele afirma que o A3 sedan é um compacto baseado unicamente em um único dado o tamanho total que não conta a história toda. Pode não ter sido a sua intenção, mas ao ser sucinto no seu comentário parecia que você estava endossando completamente o post dele. Como mostrei depois apesar do 17cm a mais do Corolla frente ao A3 a única diferença no tamanho interno está nos 5 cm a mais no entreeixos, já que tem larguras similares. Os compactos que ele poatou tem 5 cm a menos no entreeixos e 10 cm a menoa na largura que o A3. Mesmo tendo o mesmo tamanho total. Classe C e cia tem 10/14 cm a mais no entreeixos e 5 cm a mais na largura que o Vorolla sendo claramente outra categoria. O A3 tem.menis espaço para as pernas que o Corolla mas isso não o torna um compacto.

                  • Maycon Farias

                    sim , entendo.

                    • Gustavo73

                      Se o meu primeiro comentário pareceu ríspido, talvez por ser curto. Não foina.minha intenção já trocamos algumas palavras aqui e não tenho motivos para lhe tratar de outra maneira além de com educação.
                      Abraços

            • Cristiano_RJ

              Se você adora, então vai gostar dessa aqui também.

              Como bom observador, você deve ter notado que o camarada lá em cima convenientemente comparou apenas pelo comprimento, “esquecendo-se” das demais dimensões. E se comparássemos pela largura? E pelo entre eixos? Ou melhor, pela área que leva em consideração largura e comprimento?

              Ademais, existem modelos classificados em uma categoria, mas que na verdade extrapolam razoavelmente a média do segmento em que estão definidos. Assim, 320i, A4 e C180 estão a meio caminho entre os médios e os sedans grandes, assim como City, Cobalt e Grand Siena são compactos querendo ser médios. E se comparássemos com modelos, digamos, com dimensões mais regulares dentro de suas categorias?

              Veja você os números nos posts abaixo e tire suas conclusões.

              • Cristiano_RJ

                LARGURA (mm)
                A4 1826
                320i 1811
                C180 1810
                A3 sedan 1796
                C4 Lounge 1789
                Corolla 1775
                Lancer 1765
                Sentra 1761
                Civic 1755
                Cobalt 1735
                Prisma 1705
                City 1695
                Versa 1695
                HB20s 1680
                Voyage 1656

                • Cristiano_RJ

                  ENTRE EIXOS (mm)
                  C180 2840
                  320i 2810
                  A4 2808
                  C4 L 2710
                  Corolla 2700
                  Sentra 2700
                  Civic 2668
                  A3 sedan 2637
                  Lancer 2635
                  Cobalt 2620
                  City 2600
                  Versa 2600
                  Prisma 2528
                  HB20s 2500
                  Voyage 2465

                  • Cristiano_RJ

                    ÁREA – LARGURA x COMPRIMENTO (m2)
                    A4 8,58
                    C180 8,48
                    320i 8,37
                    C4L 8,27
                    Corolla 8,20
                    Sentra 8,14
                    Lancer 8,07
                    A3 sedan 8,00
                    Civic 7,94
                    Cobalt 7,77
                    Versa 7,61
                    City 7,55
                    Prisma 7,29
                    HB20s 7,11
                    Voyage 6,98

                  • Ken

                    Como você mesmo postou, o A3 é tem o mesmo entreeixos do Logan, 1,5% mais que o City e 2,5% menos que o Corolla. Então está mais para compacto ou subcompacto?

                    • Cristiano_RJ

                      Cara, você continua utilizando a mesma tática do Leonardo M: escolhe os modelos e a dimensão mais conveniente para defender seu ponto de vista.

                      Pegar o compacto com O maior entre eixos, o Logan, e dizer e utilizar isso como exemplo é extremamente frágil. E por que afirmo isso? Vamos lá, o Logan tem entre eixo próximo do A3 sedan (mas não igual); são 2.635 mm x 2.637 mm. Porém, Ele mede 107 mm a menos (4.349 mm x 4.456 mm) e 63 mm menos na largura (1.733 mm x 1.796 mm). Resultado: a área do Logan é de 7,54 m2 contra os 8,00 m2 do A3 sedan. Conclusão: não é apenas no entre eixos que se chega a uma conclusão. As demais dimensões devem ser levadas em consideração. Mesmo porque o Lancer é um sedan médio e tem entre eixos menor que o do A3 (2.635 mm x 2.637 mm).

                      E essa comparação com o Corolla também pouco significa. Variações são comuns dentro de um mesmo segmento. Há modelos mais curtos (A3 sedan) e outros mais longos (Sentra), uns mais estreitos (Civic) e outros mais largos (A3 sedan), uns com mais entre eixos (Corolla) e outros com menos (Lancer). Que tal pegar TODOS os modelos em questão, tirar uma média das dimensões (no plural, não de uma dimensão específica escolhida a dedo) e depois comparar as dimensões do A3 com as dimensões médias dos dois grupos, dos médios e dos compactos? Essa sim seria uma comparação HONESTA. E te garanto que se você a fizer, chegará à conclusão de que o A3 sedan não está no mesmo grupo do City, Logan, Versa, HB20, Voyage, Prisma, Cobalt e cia.

                    • Ken

                      Cara, e tem outra coisa que está tudo mundo falando, que o A3 está se tornando como o Fusion, só compra quem não tem grana pra comprar um série 3 ou Classe C.

                    • Cristiano_RJ

                      Bem, a mudança brusca de assunto me faz entender que você se convenceu que não dá para colocar o A3 sedan em outro grupo senão o mesmo que nós brasileiro chamamos de médios…

                      …. mas agora que o assunto é preço, para mim é bem óbvio isso que você falou quando falamos de versões de entrada. Afinal, um Fusion 2.5 flex custa R$ 112 mil, e quem tem essa grana não necessariamente pode pagar os R$ 145 mil pedidos por uma C 180 peladona. São mais de R$ 30 mil de diferença. Já quem compra um Fusion Titanium AWD (R$ 143 mil), pode perfeitamente optar pela Classe C de entrada ou até mesmo a Avantgarde (R$ 158 mil), pouco mais cara. Se não comprou foi porque não quis.

                      O mesmo raciocínio é válido para o A3 sedan. Quem compra a versão 1.4, normalmente ficou em dúvida entre ela, um Fusion 2.5 ou um sedan médio top de linha (Corolla Altis, Focus Fasrback Titanium Plus, Jetta Highline TSI). Não vai alçar vôos tão mais altos. Já quem compra a versão Ambition 2.0 (R$ 148 mil), pode perfeitamente comprar uma Classe C ou Série 3.

                    • Ken

                      Mano, me responde uma coisa, agora com o Jetta de paletó, digo, novo A4, vai concorrer com BMW 5er e Mercedes E Klasse?

                    • Cristiano_RJ

                      Não.

                    • Ken

                      Então o A3 e o A4 competem?
                      Diga por favor, os três principais rivais do A3 e do A4

              • Ken

                Entra no motortrend e vê a classificação

                • Cristiano_RJ

                  Se eu entrar em uma fonte estrangeira TODOS os modelos que denominamos de “médios” aqui no Brasil estarão classificados como “compactos”. Isso inclui o Corolla, o Civic e cia. Portanto, não é isso que está em discussão.

                  • Ken

                    Pensa pequeno como todo brasileiro.

                    • Cristiano_RJ

                      Perceba que estou focando meus argumentos no tema deste site: os automóveis. Em momento algum parei para te desqualificar porque está discordando de mim. Portanto, peço respeito e que aja da mesma forma. Me recuso a ficar aqui trocando ofensas pessoais.

                      Isto posto, a despeito da sua ofensa, que irei ignorar, é você quem não está entendendo o ponto em discussão. Para ficar mais fácil pra você entender, vou dar um exemplo prático:

                      A Honda atual nos três segmentos de sedans, novamente reforçando que a irrelevante denominação que utilizarei é a que é adotada no Brasil. São eles: o City (compacto), o Civic (médio) e o Accord (grande). Com qual desses o A3 sedan mais se assemelha em porte?

                      Vejamos, adotando o critério da área ocupada (largura x comprimento), temos o seguinte:
                      1- Accord 9,05 m2
                      2- A3 sedan 8,00 m2
                      3- Civic 7,94 m2
                      4- 7,55 m2.

                      Portanto, os números não mentem. O A3 sedan é sim um sedan médio para os padrões brasileiros. A argumentação do Leonardo M sugerindo que ele seria um compacto (não pela diferença de denominação com o exterior) como o City e cia NÃO PROCEDE.

                    • Ken

                      Se te ofendi dizendo que vc pensa pequeno como brazieliro, peço-te desculpas. Apesar de pensar que não é uma ofença, e sim uma generalização de minimalismo. Não vem ao caso, mas quando recebe meu salário, para saber se estou ganhando bem, converto em Dollares. Minha referência é sempre de um país de lingua germânica, da finlandia ou do Japão.
                      De todos as medidas que vc citou, vamos a principal o entreeixos, que em ultima análise é oque define o espaço interno e consequentemente o conforto usado na maior parte do tempo.
                      Gostaria que vc comparasse.

          • Gustavo73

            A3 concorre com Corolla Série 1 e Jrtta no munfo todo. Mas aqui seria compacto? É isso, lembrando o A3 e Golf são irmãos e da mesma categoria.

          • Zoran Borut

            Todo mundo sabe que não é só o tamanho que define a categoria do carro, se não onde se encaixariam Logan, Cobalt, Linea e tantos outros? O A3 é basicamente um Golf.

          • Cristiano_RJ

            Você pegou os sedans compactos mais compridos do mercado e se esqueceu dos demais (HB20s, Voyage, grand Siena, Versa, Prisma, etc.). Além do que, se ateve no comprimento e se esqueceu das outras dimensões; falo da largura e do entre eixos. Sendo derivado da mesma plataforma do Golf, o A3 é um médio. Mas é tudo uma questão de referência, já que podemos chamá-lo de compacto, mas aí teríamos que renomear os nossos sedans e hatches médios para compactos, como ocorre em outros mercados, e os compactos para subcompactos.

            • Ken

              Esses são subcompactos

              • Cristiano_RJ

                São compactos. Sempre foram. Tanto que a Chevrolet, a Honda e a Nissan, sempre se vangloriavam de seus modelos terem espaço interno avantajado. Ora, avantajado em relação a o quê? Aos demais do segmento, claro. A não ser que você esteja criando um novo segmento: o dos sedans subcompactos…

                … mas nada disso importa. Toda a minha argumentação continua válida. Um sedan derivado de um hatch médio não pode ser compacto. E os números acima de largura, entre eixos e área comprovam isso. Fato!

            • Leonardo M

              O fato é que tem medidas bem mais perto dos compactos do que dos médios. Eu não tenho dúvida alguma em dizer que o espaço interno de um Versa é maior que o A3 sedã.
              O espaço interno de um Golf é bem ruim, como assim bom para as pernas? Ele é horrível! carro de solteiro ou no máximo um casal sem filhos. A menos claro que a estatura média da família seja bem baixa.

              • Cristiano_RJ

                Não vale aqui ficarmos discutindo sobre espaço interno. Sem fatos e dados vai ficar uma trocação de opiniões sem fim. Então, continuarei argumentando com base nas dimensões externas…

                … bem, pela sua resposta, parece que você não se deu ao trabalho de ler meus outros posts. Então vou colocar a média da área de cada modelo (largura x comprimento) e o entre eixos. Vejamos se é mais próximo mesmo dos compactos:

                Área
                Média dos Médios – 8,12 m2
                A3 sedan – 8,00 m2
                Média dos Compactos – 7,38 m2

                Entre Eixos
                Média dos Médios – 2.683 mm
                A3 sedan – 2.637 mm
                Média dos Compactos – 2.552 mm

                Fica claro que o A3 sedan está mais próximo dos médios.

                PS. Os modelos considerados foram os mesmos dos posts que publiquei com as dimensões.

                • Gustavo73

                  Cristiano apesar don17 cm mais comprido o Corolla tem 5 cm a mais no entreeixos e a mesma largura. Isso é a maior parte do tamanho está concentrada no balanço dianteiro e traseiro. Na frente não faz a menor diferença, atrás aenta um.pouco o volume do porta malas (nesse caso depende de outros fatores. Um bom exemplo de uqe ser maior nessa região não significa espaço interno está no novo Accord, mantendo o mesmo entreeixos ele.cresceu 2 cm por redesenho nos.para choques. Já o novo Passat cresceu no entreeixos, mas ficou menor no tamanho total. Significa que as rodas estão mais próximas das extremidades. O A3 tem 5 cm a mais no entreeixos que City e Versa e 10 cm a maos na largura. Classe C e cia tem 11/14 cm a mais que o Corolla no entreeixos e também são mais largos.

              • Gustavo73

                Espaço interno se define no entre-eixos e largura de.um carro. Afinal é aonde ficam os ocupantes. Então vamos lá, Corolla 2,70 e 1,775, A3 Sedan 2,65 e 1,789. Versa 2,60 e 1,69 City 2,60 e 1.695. Então é possível ver que apesar de ter 17 cm a mais no comprimento, o espaço interno não é maior na mesma proporção. Falando do medios grandes ClasseC 2,84 e 1,81. A4 2,808 e 1,826. Série 3 2,81 e 1,81. Logo se vê que o A3 não tem as mesmas medidas dos compactos e que o Corolla está mis perto do A3 que dos médios grandes.

                • Leonardo M

                  Esquece essa de entre-eixo, é furada. Tenho dois carros com o mesmo número de entre-eixo: 2,85 (um Azera e um Fusion). A diferença de espaço interno entre eles é colossal, o Azera é absurdamente mais espaçoso que o Fusion. O próprio design do carro pode comer um bom pedaço.
                  Por experiência própria, o espaço interno de um A3 sedã está bem longe da do Corolla, ouso a dizer que o do Versa é melhor até.

              • Edson Fernandes

                De que adianta ? Refinamento. Ande em qualquer sedan médio e depois em um sedan compacto.

                Pode ser o mais espaçoso dos compactos. Um sedan médio tem diferente no rodar, tem diferença no isolamento, tem diferença geralmente no acabamento… mas muita coisa é refinamento e não a toa tem até motores mais fortes. Isso não se traduz exatamente em andar mais rapido tbm uma vez que devido ao maior peso (podendo creditar isso da plataforma, do motor maior, das rodas e até mesmo por toda construção utilizar mais materiais e acrescer peso) pode ter um desempenho inferior.

                Só a titulo de exemplo, meio bizarro, mas Versa 1.6 anda muito proximo dos sedans médios.

                • Leonardo M

                  É, só que as categorias são compacto,médio e grande; não confortável, rápido, refinado…
                  Estou discutindo meramente o tamanho do carro, abandonando qualquer outro critério aí.

          • Ken

            Issae,

        • Cristiano_RJ

          Pois é…

      • Ken

        No Brazil é um compacto, nos USA um subcompacto, assim como o corola é médio no brazil e compacto lá

        • Cristiano_RJ

          Exato. Conclusão? O estranhamento do Leonardo M pelo autor ter chamado o A3 de médio não tem fundamento. A não ser que ele estranhasse o Corolla, o Focus, o Bravo e outros citados na matéria também terem sido chamados de médios.

    • Cristiano_RJ

      Afirmar que o A3 “no geral é um Golf com outra cara e bem acabado” é um erro, pois o Golf é tão bem acabado quanto. Não é isso que os diferenciam. O A3 é premium por carregar o emblema de uma marca premium. Mas concordo com você quando diz que ele seja um Golf “com outra cara”.

    • Ken

      Nos USA os A3 é um subcompacto, e o imprensa um compacto.

  • Lucas086

    Antes se comprava um Jetta Tsi top com 100 mil, hoje é um 1.4 confortline que nem xenon tem, sem falar em corolla sem esp e tsc, agora pagar mais de 100 conto em um focus com esse câmbio, é muita coragem, no mais, mais do mesmo, carros caros, aumentos semanais e cada dia mais pagamos mais caros e recebemos menos.

  • kravmaga

    Esse limite de 100 mil é puramente psicológico, até porque os sedãs médios de marcas premium hoje já estão passando fácil dos 150, 160 mil reais.

    O A3 sedan com motor 1.4 pode ser até mais barato do que isso, mas há quem também duvide se nessa configuração o carro continua sendo um legítimo premium e se o carro, que é menor do que a maioria dos sedãs médios de marcas premium e não premium, é realmente um médio.

    Infelizmente a inflação está comendo solta e os nossos salários valem cada vez menos. Enquanto essa corja petista não sair do governo, não há chances da situação melhorar.

    • Ken

      Rapeis, claro que se trata de um sedan pequeno, olha o entre eixos, mesmo do golf, nos usa é um subcompacto

      • Cristiano_RJ

        Cara, entenda uma coisa, quando falamos “médio” ou “compacto”, estamos nos referindo aos padrões brasileiros e não americano. Senão teríamos que passar uma borracha geral e passar a classificar os carros segundo eles. Assim, para nós brasileiros Jetta, Golf, Corolla, Civic, Sentra, Focus, etc. são todos hatches e sedans médios. Ok?

        Isto posto, não tem como dizer que o A3 é compacto. Não é. Pode até ser um sedan médio encurtado, com comprimento total abaixo da média do segmento, mas a largura e o entre eixos confirmam que ele não é um compacto para os padrões brasileiro. Repito, para não deixar sombra de dúvida, padrões BRASILEIROS.

    • Cristiano_RJ

      Concordo com você. A inflação está absurda. Mas acredito que a indústria automobilística nacional, incentivada pela queda nas vendas e protegida pelas barreiras comerciais levantadas pelo governo (imagino só a Anfavea negociando com eles a criação do super IPI), está corrigindo seus preços com uma frequência inexplicável, e em taxas superiores à inflação, de modo a manter o lucro às custas do aumento de margem.

      Nesse contexto, as premium simplesmente catapultaram os preços de seus modelos de entrada, abrindo assim teto para que as generalistas pudessem ignorar a “barreira” dos R$ 100 mil e reajustar livremente seus preços. Festa geral. Vejamos quem ganha essa queda de braço: se o cartel ou se o consumidor descapitalizado. Voltaremos ao início dos anos 2000 onde um médio generalista top de linha (Stilo Abarth) custava o equivalente a R$ 190 mil?

      • Edson Fernandes

        Não chegava a isso, mas que o Stilo poderia chegar totalmente completo a R$120000 isso é verdade…rs

  • fbl

    É só tirar o PT do poder que da uma melhorada. Ou os carros como tudo no brasil ira baixar ou as pessoas terao mais dinheiro no bolso para gastar. Fora PT.

    • Cristiano_RJ

      Sim, como num passe de mágica, tudo se resolveria.

      • fbl

        Depois da M feita principalmente pelo PT, tudo indica que melhoraria sim. E nao é pq estamos na M que é motivo para continuar nela com os mesmo incompetentes. Se quer continuar no pao com mortadela…

  • shdn2010

    De todos na minha visão o corolla é algo bizarro, eixo de torçao e nem controle de estabilidade oferece mas fazer o que, gosto é gosto e enquanto estiver vendendo vao mexer pra que né?

    • Cristiano_RJ

      E o Bravo? Com eixo de torção, sem ESP, só que com motor pior que o do Corolla e o câmbio Dualogic, digno dos melhores populares de menos de R$ 50 mil.

      • Edson Fernandes

        E que nem nos populares deveria ter. Para mim, é acertada a opção da Hyundai e Chevrolet com cambios automaticos nos compactos. Pena que a Chevrolet manter um motor ridiculo para usar com o tal cambio….

    • Ken

      O carro não quebra , não dá manutenção consome pouco, a revenda é ótima, ta aí, economicamente é a melhor opção

      • Cristiano_RJ

        Mais um clichê. É, você realmente é apegado a paradigmas.

  • Raone

    0km C4 Lounge THP FLEX Exclusive 2015 por 80k, no momento foi a melhor opção que encontrei para ficar no mínimo por 4 anos!!! Em junho faço um ano com o carro, sem decepção!

    • Ken

      Deu sorte, historicamente os franceses dão mui problema.

      • Cristiano_RJ

        Clichê! Vejo que você é apegado a paradigmas.

      • Raone

        Isso é Historia, hj a qualidade dos produtos franceses melhoraram. E pelo que estou vendo são as tradicionais reduzindo a qualidade de seus produtos, tipo Ford. Maior problema dos Franceses e de outras montadoras no Brasil ainda é a Logística de peças, e pós venda.

  • Ken

    Até tu Golias?
    O Audi a3 é um sedan pequeno no Brasil, e subcompacto nos USA.

    • Cristiano_RJ

      É um sedan médio no Brasil e compacto nos USA. Os números provam isso. Ele é curto, mas possui entre eixos e largura compatíveis com os demais modelos classificados como médios no Brasil.

  • Cristiano_RJ

    Hoje, ontem, ano passado, década passada e sempre. Sempre ao compararmos modelos usados com modelos 0 km será possível comprar carros superiores pelo mesmo preço de carros de entrada. Isso não é um fenômeno recente. É a natureza das coisas. Não sei porque o espanto. Do ponto de vista estritamente financeiro, não há a menor sombra de dúvida de que um usado é melhor negócio. Porém, existem outras razões que não apenas essa que movem as pessoas a adquirirem um novo carro. Isso vai de cada um, dos seus valores, necessidades, crenças e desejos. Não é questão de falta de inteligência. Portanto, não faz sentido essa comparação entre 0 km e usados. Fosse assim, se todos pensassem como você ninguém compraria nunca um carro 0 km. E aí, o que seria desse suposto mercado de gente inteligente se não houvesse novos “semi-novos” reabastecendo o mercado de usados?

    • Edson Fernandes

      É o que sempre falo… se ninguem comprar 0km não terá “semi-novos” e sim “semi-usados”…rs

      Penso no meu pai que pegou durante muito tempo os carros do meu tio (irão mais veljho do meu pai) sendo que o carro já era de segunda mão. Então não raro os carros já eram bem rodados.

  • Wendel Cerutti

    loucuras …………….

  • Pedro Cunha

    Acho que de toda lista, a maior aberração é o puntão(Bravo) custando R$100k….

    • Guilherme Batista

      Não sei não, se for considerar a quantidade de itens, eu acho que a maior aberração ainda é o Corolla

  • Sby Bh

    Cruz credo. Que país é esse?

  • Bruno

    Nosso país é uma vergonha isso sim, daqui pro fim do ano corolla tá 150 mil

  • Jorge

    E o salário óh…

  • Jose Silva

    Carro usado nunca foi um bom negócio, basta ver como o povo Brasileiro dirige e não faz manutenção. Cerca de 10% faz a manutenção 100% correta, o resto troca óleo e filtros e só ! E outra, basta reparar como o povo dirige, um pé no acelerador e outro no freio o tempo inteiro, as estradas, ruas, avenidas são ruins, cheias de trepidação que se você passar a 40 km/h já danifica buchas, bandeja, amortecedores, gerando folgas e etc nos componentes de suspensão, ai o Brasileiro nunca passa devagar, passa acima de 80 km/h. Estou cansado de ver isso aqui na minha cidade,não somente aqui na cidade, todas as cidades que vou que tem buracos e trepidações que nenhum carro aguenta passar a mais de 20 ou 30 km/h, os caras ignoram e passam a 60, 70 pra cima. Eu não compro carro usado por isso, é fria, é melhor juntar dinheiro mesmo, ficar sossegado e tirar um zero quando der e cuidar bem, ficar com ele por 5 anos para cima depois vê o que faz.

    Vejo esses carros com 2 anos de uso passando nessas ruas de trepidação fazendo barulhos esquisitos na suspensão… Ai o cara vende quase pelo mesmo preço de zero e o nego que comprou acha que fez um ótimo negócio. To fora !

  • Roberto Neto

    Um viva para o país dos consumidores mais sugados do mundo ! Um viva para nossos impostos e a ganância das montadoras! Um viva para o IPVA e seguro que esfola nossos bolsos !

  • Edson Fernandes

    Então tem que tomar cuidaod com o 408, pois ele teve cambios de 4 e 6 velocidades. Os modelos de 4 marchas são peso morto e só vendem a preços bem baixos.

    Os modelos de 6 marchas já tem aceitação maior e o preço desse THP é a media de preço dele… eu acho um otimo preo para um carro 2013.

    Eu peguei um 2011 por preço proximo (e conteudo semelhante) e acho que por ser 2 anos mais novo bem interessante. Eu só te confesso que tenho ficado com pé atrás a carros monocombustiveis devido a qualidade de nossos combustiveis (mesmo Podium tem sido batizado em SP).