Chery retoma produção em Jacareí

28/01/2016

chery-qq-brasileiro

Enquanto a Lifan coloca parte do quadro em layoff no Uruguai, a rival chinesa Chery retoma a produção em Jacareí/SP, após mais um período de paralisação por conta de férias coletivas dos trabalhadores.

A planta do Vale do Paraíba ficou parada desde o dia 23 de dezembro por um recesso técnico, emendando com o período de férias dos funcionários, que foi de 4 a 24 de janeiro. O período de descanso do quadro funcional foi o terceiro em cinco meses.

Enfrentando um volume de vendas muito baixo por conta da crise no setor, a Chery vem sofrendo paralisações também por conta de greves desde a inauguração da fábrica, em agosto de 2014. Apesar disso, a empresa diz que não haverá demissões e fará ajustes para se adequar à baixa demanda.

[Fonte: Diário de Jacareí]

Agradecimentos ao Lucas Farias.









  • Eduardo

    “Enfrentando um volume de vendas muito baixo por conta da crise no setor”
    Não é crise não.. vende pouco porque o produto é de baixa qualidade mesmo. Só eu sei o que passei por 2 anos sendo dono de um Chery Cielo.

    • invalid_pilot

      Cielo foi pior erro estratégico dos caras…
      Eles simplesmente descontinuaram o modelo e deixou todo mundo na mão com peças e assistência técnica, tivessem focado no Face e QQ, dando assistência e ganhando reputação talvez teriam se queimado menos.

      Outro erro foi aquele S18 que conseguiu ser mais mico que o Cielo

      • duhehe

        O QQ eu não conheço, o Face se desfazia sozinho, produto da mais baixa qualidade possivel

        • invalid_pilot

          S18 tbm era medonho, mas sei la se são tão piores que Palio Fire, Celta, Ka antigo e etc…

          Acho que o Celer Nacional ate pode ser razoável, mas quem tem coragem de compra lo depois dessas c… deles ?

          • A Chery teve como primeiro carro no Brasil, o Tiggo, que no início de suas vendas em 2009, vinha com muitos mimos, era esmerado, o que chamou a atenção para ela. Em seguida vieram Cielo e Face, sendo com o último tendo criado um fenômeno de vendas que se ampliou ainda mais com a chegada do QQ em 2011. O que pecou é que, não houve atualização mecânica por um bom tempo, Tiggo sofreu facelift em 2010 e foi praticamente capado (tiraram até porta-óculos e bancos em couro sintético de série), subindo de preço, o Face tinha defeitos bobos que mesmo sendo montado no Uruguai, sequer se dignaram a evoluir, bem como não prospectaram fornecedores de peças locais… o que deu? Má fama justificada, em especial pela péssima rede de atendimento de outrora.

            No restart da Chery, faltou coragem como a Lifan, ousando em fechar praticamente todas as concessionárias e instalando a operação do zero. Foram vagarosos e continuam sendo, o que não ajuda a melhorar a fama da marca, que com fábrica no país, tinha tudo para vender muito.

          • duhehe

            Esses populares que você citou são pessimos mas acho que ainda aguentam o tranco bem mais que os chinas.

    • Eu sempre achei ele bonito, até um amigo comprar e … resumindo como você conseguiu passar para frente? meu amigo quase doou o dele.

      • Eduardo

        Comprei em 2011 e consegui passar pra frente em 2013 perdendo 30% da tabela. Só a GM e VW aceitaram como entrada na troca, o restante se negavam a pegar. Perdi dinheiro 54% do valor que paguei em 2 anos, mas fiquei imensamente aliviado quando me desfiz do carro.

        • Junoba

          Ele chegou a dar dor de cabeça, ou só foi com a desvalorização mesmo !?

          • Eduardo

            Desde 0Km o carro teve problemas crônicos na suspensão e caixa de direção, junção das chapas da carroceria apresentando ferrugem em pouco tempo de uso e olha que o carro ficava em garagem fechada, retrovisor interno descolou e caiu com um ano de uso, o carro trepidava acima de 100km/h e sempre puxava para a direita mesmo após vários alinhamentos e balanceamentos na Css e em oficinas particulares, bieletas dianteiras estouradas e não trocadas em garantia, consumo alto e baixo rendimento. Tudo repassado para as Css que tem péssimo atendimento e nunca resolviam as reclamações… Além é claro da alta desvalorização.

            • Hox

              Acredito totalmente no seu relato pois fui testemunha do que um conhecido passou com um Cielo Sedan. Pra não dizer que é problema crônico do modelo, no mesmo dia em que ele comprou um Cielo adquiriu um Face para o sobrinho que havia entrado na faculdade e foi outra bomba (e ainda se livrou de comprar outro Chery porque a esposa não gostou do Tiggo). Acompanhei de perto os problemas intermináveis dos dois carros, a absoluta incompetência da concessionária e da Chery, a dificuldade na revenda e a desvalorização (o Cielo, depois de muitas tentativas, foi aceito em uma loja da Suzuki e o Face foi vendido para um particular – com a grana o rapaz pegou um Clio 1.0 2004).
              Mas quem nunca teve um Chery ainda fica na ilusão de que ela presta.

              • Eduardo

                Realmente é isso mesmo. Só sabem a realidade quem foi dono e conviveu dia-a-dia com o produto e com as Css e a marca Chery.

              • Hoje na sua nova leva de carros, com certeza ela evoluiu e melhorou muito… pena que não fez nada para mostrar isto.

            • SDS SP

              Trabalhei algum tempo na parte de tratamentos superficiais (galvanoplastia e pintura), cara, fazendo alguns benchmarks em peças chinesas é incrível como os caras são tão desleixados em termos de qualidade. Não me admira você ter tido problemas com ferrugem.

              Obviamente que ha muita gente satisfeita, mas também há uma quantidade de gente reclamando acima da média.

            • Junoba

              Tem um cara aqui do N.A que tem um Celer e o Cielo. Ele diz estar satisfeito, o nome dele é Triton.

    • Rafael Yashiro

      Mas você teve um Cielo, e não um Celer nacional.
      Se pessoas mudam, por que uma empresa cheia delas não pode mudar?
      O Cielo foi mancada, a própria Chery está tirando esses carros no mundo todo em prol da nova linha ou nova Chery,

      • Eduardo

        A empresa pode mudar onde é fabricado o carro mas a cultura da empresa não muda. Tanto o Celer chinês como o fabricado aqui apresentam os mesmo problemas, vide reclamações de proprietários no blog Clube do Chery.
        Não confunda beleza com qualidade.

        • Tosoobservando

          Eles deviam ter focado em suvs e crossovers, a onda do momento, fabricado o novo Tiggo 5. E trazer outros e sedans grandes da China, pra dar volume pra marca. Começar com popular no Brasil é tiro no pe, o povo que tem grana mais apertada nao arrisca e tem medo.

    • Fernando S.

      Já relatei aqui no N.A. um colega que teve um Face comprado em 2012 zero. O carro teve tantos problemas repetidos (como não dar alinhamento, problema nos vidros elétricos e trepidação constante mesmo em baixa velocidade) que ele resolveu trocar após menos de 2 anos. Pois na internet pra vender, ficou 4 meses em vários sites e nenhum contato. Em revenda, apenas a FIAT aceitou o veículo como parte de pagamento, entretanto ofertou 9.500,00 pelo carro (que ele pagou 27.990,00 em menos de 2 anos)… estava tõao desesperado que vendeu como parte de pagamento de um Palio Fire. isso mesmo, um Palio Fire.

      • leomix leo

        Coitado dele, perder 18mil em 2 anos. Não era melhor ele ter ficado com o carro e ter comprado outro. Ao invés de perder tanto dinheiro???

        • Fernando S.

          Com certeza eu tb não faria nesse valor. Pelo menos 15 mil seria aceitável, mas ele não aguentava mais, especialmente os vidros q viviam quebrando. Enfim, pegou um Palio quase pé de boi e até agora não reclamou.

      • Felipe

        Pois na internet?! Não entendi.

        • leomix leo

          Anunciou no Olx, webmotors e cia.

        • Fernando S.

          Ele colocou o anúncio na internet, em sites como OLX e icarros.

          OBS: Já consertei o erro. Abraço

  • Zé Mundico

    Carro chinês nunca vai pegar aqui. Não tem presença, não tem escala, não tem pós-venda, não tem credibilidade, não tem assistencia. Depois não me venham com mimimi de “preconceito”.

    • Marcos Souza

      Se mudar a palavra “chines” por “coreano”, diria que vc está há cerca de 10 anos no passado.

      • Zé Mundico

        Bobagem. Em 10 anos apenas uma montadora coreana (no caso, Hyundai) soube se estabelecer no mercado e marcar posição em vendas. Enquanto isso, pelo menos umas 5 montadoras chinesas apenas patinaram sem sair do lugar.
        A diferença? Anota aí:
        QUALIDADE!

        • Rafael Yashiro

          Mas… a sua qualidade tem o que como parâmetro? Um HB20? Ou um Palio? Ou um Gol ou um Onix?
          Vale ressaltar que o único mercado em que a Chery atua com vontade é o de entrada com o Celer hatch e sedã.

          • SDS SP

            Não tem jeito. Quem precisa usar o carro todos os dias, farta oferta de peças, tanto no mercado paralelo quanto no original (css), não vai de chinês, ainda mais se o sujeito mora em uma região remota, longe dos grandes centros urbanos, ninguém quer percorrer dezenas ou centenas de km para fazer uma simples revisão.
            Não é por menos que Fiat e VW e mais recentemente Renault e Ford são as favoritas dos frotistas.

            Mas de qualquer forma, essa estratégia de vender carros de segmentos “populares” aqui não iria dar certo por muito tempo, pois o setor foi duramente afetado pela crise. Deveriam ter começado por cima.

            • Rafael Yashiro

              Concordo com quase tudo, exceto pela parte de “ir longe” atrás de assistência.
              Quem em sã consciência compra um carro sem ter concessionária na sua cidade?

              • SDS SP

                Mas é exatamente esse o ponto. Por isso marcas como Fiat vendem muito em regiões mais afastadas, pois há uma grande rede de css e uma consolidada rede de distribuição de peças. Dependendo o cara pode até se virar no mercado paralelo.

        • Tosoobservando

          A Kia chegou a lider dos importados, nao continua por causa do IPI majorado e do INOVAR Auto. Nao fez fabrica no Brasil por causa da historia da ASia Motors que tem processo ate hoje. Mas se fizesse seria sucesso. Modelos sao bem aceitos.
          Dos chineses apenas 3 marcas vieram pra ca, e vieram de uma forma ruim, Chery, Geely e LIfan. Mas na China tem N outras, entao vc generaliza. A lider de vendas em Suvs na China é a GWM Haval, chinesa, em minivans é a Wulling. Eles so ainda nao vendem bem la em carros de passeio, que eu tambem acho que é o problema daqui, acho que deviam focar em nichos (como no inicio as coreanas com a Kia Besta e outros). O erro da Chery foi fazer hatch popular.

          • Ei, você esqueceu da JAC, que ainda está aqui, bem como da Great Wall que esteve aqui com o modelo Haval H6, e não durou um ano, bem como as de comerciais leves que seguem aqui estabelecidas, como a Shineray, Rely, Changan (ex Chana), CN Auto (Jinbei e Hafei) e a Effa (com a DongFeng atualmente), assim como a diminuta S-Auto (com Changhe, Jonway e Landwind).

            Em carros de passeio, as que mais tiveram volume são a Lifan (atual modelo lider dentre as chinesas), Chery (a chinesa que mais vende e a mais antiga do Brasil), JAC (a que chegou mais capitalizada com o Sérgio Habib, focava em populares e hoje quer apostar em SUV’s, vendo o sucesso de Lifan X60), Effa (com o Changhe Ideal, vulgo Effa M-100, que foi o 1.0 mais barato do Brasil por alguns anos) e a Geely (recentemente se destacando junto ao Grupo Souza Ramos com o dois modelos).

            De marcas de passeio ao total, estão 4 em operação fixa no Brasil e já tivemos 9 (se contarmos as marcas da S-Auto).

        • William

          A empresa não consegue fazer milagre. Não consegue ter um preço competitivo importando e recentemente que foi “obrigada” a abrir uma fábrica aqui por conta do protecionismo do governo. As coisas levam tempo até se estabilizar e ter nome no país. Agora com nossa economia no fundo do poço esta credibilidade e qualidade que as chinesas estão tentando buscar levará ainda mais tempo.

      • duhehe

        Só digo que em 1995 quando os carros da Asia Motors chegaram por aqui, já tinham muito mais qualidade que os chineses tem hoje.
        Tem até hj Besta e Topic, tudo ”esbagaçada” andando por ai, no caso 21 anos de serviço.

  • Jorge Osório Cortese Magalhães

    Não faz publicidade. Quase ninguém conhece e muitos menos sabem que tem fábrica no Brasil.

    • Zé Mundico

      Publicidade não faz milagre nem muda a realidade.

      • Junoba

        ´´Propaganda é a alma do negócio“…

        • Zé Mundico

          Não adianta torrar verbas milionárias em propagandas se o produto anunciado não entrega o que promete. Propaganda não tem a capacidade de mudar a realidade, apenas apresenta um produto demonstrando suas conveniências e qualidades, coisas que carro chinês ainda não tem. Propaganda pode ser até um tiro no pé, quando mente ou exagera sobre o produto que mostra.

          • Junoba

            Eu fui ver o Celer nacional. Muito bacana, bom acabamento, preço condizente com a proposta, 5 anos de garantia… Me surpreendeu um pouco, por isso acho que a propaganda em massa seria o ideal, assim como a FCA fez com o Renegade.

            • Thiago Duarte Silva

              Desculpem, tive a coragem de sair do mesmo, comprei um Chery Celer Nacional, sabendo de todos os riscos que estou correndo, por enquanto, Jah com seus 6 mil km, ainda não tive problemas. Paguei pelo risco, 10 mil e media a menos que a concorrência com as mesmas coisas. Meu primo teve um face e esse nacional nem se compara com aquele lixo. O problema e que só falamos sem conhecer o novo, a Caoa fez e faz sempre propaganda enganosa, mas vende.. propaganda a alma do negocio. Aconselho também vcs irem no carblog, pág ele esta fazendo uma longa duração com o celet nacional, e tvem esta tendo a mesma surpresa e satisfação que eu.. saiam um pouco da caixinha… acreditem em quem acreditou nessa porcaria de pais.. eles investiram 1 bilhão de reais.. saiam do mesmo…

            • Jorge Osório Cortese Magalhães

              Lembram a JAC como vendeu, quando fez propaganda com o Faustão?

              • Junoba

                Nessa época eu não sabia muito de carros, foi só depois que me interessei. Mas já olhei os gráficos de vendas anteriores, e da pra ter uma dimensão.

          • Jorge Osório Cortese Magalhães

            Não se está falando em mudar a realidade. A Chery tem que fazer com que o público saiba que seu produto existe e mostrá-lo para que cada um faça sua análise de custo/benefício. O fato é que ninguém compra o que não sabe que existe…

  • zekinha71

    Acabaram as férias, agora começam uns 60 dias de greve pela PLR e menor carga horária.

  • Ou chery investe pesado em marketing e pós venda ou pode fechar a fábrica. Carro chinês ainda não é bem visto aqui. Se não trabalhar para mudar essa imagem e ganhar a confiança do consumidor não implacarão nunca.

    • Junoba

      Propaganda em massa tipo a da FCA/Jeep ( que acho que já parou no final do ano ), com certeza darIa um upgrade na marca. Mas vai saber o que se passa na cabeça desse pessoal…

      • Fernando S.

        A maioria das pessoas que compra Jeep mal sabe que ela é da FIAT… e o nome JEEP é muito forte no Brasil. O brasileiro é conservador, prefere comprar um Gol 1.0 (praticamente pelado) que um Celer 1.5 (completo)

        • Junoba

          Não diria que é da Fiat, mas sim da FCA, é um grupo…

    • duhehe

      Não.. pega esse dinheiro do marketing e contrata engenheiros da concorrência e coloca todo mundo sentado na bancada repensando o Celer do 0.
      Nem precisa de marketing …. coisa boa se vende sozinha ….

      • Tosoobservando

        Nossa serio? Pq sera que a Fiat paga zilhoes praquela b**ta de BBB pra divulgar seus carros.?

        • duhehe

          Eles estão investindo em marketing dinheiro que poderia ser investido em pesquisa, novos projetos….
          Tanto é assim que investe bilhoes em marketing mas não consegue ”emplacar” 1 carro médio, nem lançam e já são considerados micos.

      • Jorge Osório Cortese Magalhães

        Ninguém compra o que não sabe que existe!

  • Bruno Silva

    A Chery poderia ter feito igual a Hyundai, lançar um carro que fosse do gosto do brasileiro. O HB20 querendo ou não é um sucesso.

  • Triton

    A voz do dono é a voz de Deus

    • Triton

      Lembrando que a maioria das avaliações do Celer ainda é do modelo anterior ao atual.

    • Triton

      @zmundico:disqus @eduardocrivelaro:disqus @disqus_hjKQdmamp2:disqus

    • tjbuenf

      Vou te falar o que isso significa: NADA, já que qualquer um pode ir lá e postar o que quiser, independente de ter ou não o carro. Inclusive em um fórum já houve uma denúncia dessa em fóruns automotivos por aí…

      • Triton

        Pra mim significa mais do que aquilo que falam por aqui.

  • Triton

    Será que as chinesas estão tão ruins mesmo?

    • Fernando S.

      Nenhuma das 4 grandes responde o reclame aqui.

      • Triton

        E nem resolvem o problema por outros meios, pois pelas avaliações um percentual muito pequeno de consumidores voltaria a fazer negócio com a marca.

        • Hox

          Comparar uma VW ou Fiat que vendem milhares de carros mensalmente e as chinesas, que quando chegam nas centenas é muito, é indevido. Se você prestar atenção a proporção de chineses que dão problemas ou de reclamações é maior do que nas outras.
          Minha opinião é formada: carro chinês é lixo, ao menos atualmente. Jamais compraria, agora, qualquer um dos modelos que nos são oferecidos. Jamais.

          • Triton

            Não é indevido. Basta olhar o número de consumidores que tiveram seu problema solucionado e que voltariam a adquirir produtos da montadora, dados estes que estão expressos em termos percentuais e não absolutos. Aliás, a montadora deve se adequar ao tamanho de sua operação, até na hora de dar satisfações quanto aos problemas enfrentados pelos consumidores.

          • Jorge Osório Cortese Magalhães

            São percentuais, não números absolutos!…

        • Fernando S.

          Nao quero fazer o advogado do diabo, mas pegue o montante de vendas das 4 grandes e compare com o montante das chinesas e verá que em termos de porcentagem, as chinesas dão mais problemas nos veículos proporcionalmente ao que vendem.

    • Triton

      @eduardocrivelaro:disqus @zmundico:disqus @disqus_hjKQdmamp2:disqus

    • Henrique Bittancourt Gouveia

      Parece que as chinesas estão dando mais soluções que as outras…

  • Tosoobservando

    E isso pq estao vendendo bem finalmente no país, imagina se nao tivessem. Ta parecendo o Carlos Ghosh da Renault, mesmo vendendo bem, tambem so reclama.

  • Tosca16

    Em março chega as primeiras unidades do New QQ nacional e em breve teremos quem sabe o início da importação do Tiggo 5, que dará uma injeção de ânimo a Chery, que errou em não o ter nacionalizado antes mesmo do Celer … Agora faço um adentro aqui; conheço donos de Face, QQ, Tiggo e Celer que tiveram problemas e mesmo assim são felizes com os carros, tem até clube do QQ e bom, tem pessoas no 5° QQ na família; acho que muito dos problemas são regionalizados, aliás muitos dos problemas é culpa das concessionárias, aqui nem é um grande centro, mas em Sergipe não vejo falar mal da concessionária da Chery no estado e olhem que nem é uma rede grande .

    • Tosoobservando

      Se tivessem primeiro feito o Tiggo 5 sim estariam nadando de braçada nos lucros pois seria mais barato que os rivais e estaria vendendo bem, um dos poucos segmentos que ta bombando depois da chegada de HR-V e Renegade. Mas quiseram começar por baixo esquecendo que quem compra carro de entrada é classe media que tem medo de arriscar.

      • Tosca16

        A Chery investiu no segmento que mais perdeu vendas, e logo naqueles que tem mais receio de investir num produto novo … bom, eu se fosse a Chery traria logo as famílias Arrizo e Tiggo com todos os seus integrantes, é claro que não teriam uma venda altíssima mas elevariam o patamar da marca, saindo da concepção de produto de entrada com os carros de origem chinesa. Mesmo sendo caro e vendendo pouco só de ter uma linha atual de produtos iria a longo prazo mostrar que as marcas chinesas tem sim boa linha de produtos .

  • André Luiz

    Jamais compraria um chinês hoje em dia pelo instabilidade das fabricantes. A impressão que dá é que a qualquer momento podem arrumar as malas e extinguir as atividades no Brasil.

    • A Chery para encerrar as operações no país, teria que vender duas fábricas (uma de carros e outra de motores), bem como se desfazer de um parque fabril em construção, investimentos superiores a R$ 1 bilhão de reais… se tem uma marca que não pretende sair daqui, é ela, pois mesmo em crise, continuam a colocar dinheiro, o que é deveras estranho.

      • Henrique12

        Mesmo em crise, continuam a colocar dinheiro, porque a Chery é uma empresa estatal da China, não é privada, dinheiro é o que não falta…

  • afonso200

    S18, que lixo aquilo