Citroën acaba com duplo chevron por conta de reforma ortográfica do francês

08/02/2016

citroen-twitter

A Citroën acabou com o duplo chevron? Não, não exatamente. Encerrar o símbolo de inovação e arte francesas seria realmente o fim para a marca parisiense, mas ela fez isso nas redes sociais.

Trata-se de uma ação de marketing que critica de forma divertida a recente reforma ortográfica do francês, aprovado pelo parlamento do país, que visa eliminar alguns acentos e modificar a composição de algumas palavras, a fim de facilitar seu entendimento.

A reforma é criticada por muitos setores e a Citroën aproveitou o ganho para divulgar como seria sem o uso do duplo chevron como layout, já que o acento circunflexo é um dos eliminados na reforma do francês.









  • invalid_pilot

    Eu acho que o português deveria perder mais acentos ainda (já tivemos uma limpa – graças !)

    Isso se chama pegar carona em assunto cotidiano pra fazer social media

    • Vagnerclp

      Sério que você achou boa esta porcaria de reforma ortográfica que fizeram no nosso português?

      • invalid_pilot

        Eu acho que o idioma e a ortografia devem ser o mais simples possível e é um processo natural (queira ou não isso acontece)

        Se pegar como se escrevia no tempo dos nossos avós e hoje veremos essa evolução

      • saosao

        Provavelmente vc não sabe, mas a reforma ortográfica da língua portuguesa no Brasil corrigiu uma série de inconsistências que havia nas palavras.
        A reforma não foi completa, pois ainda há outras regras a serem corrigidas.
        Nada foi feito ao acaso, mas sim adequando as palavras às regras.
        Antes de criticar, pesquise.

      • leitor

        Senti falta na reforma a aceitação do pronome oblíquo iniciando uma frase. “Me desculpe” ainda continua fora da norma padrão. E a saída do trema só ajudou na escrita com um símbolo a menos, mas faz falta na composição fonética, principalmente para quem vem com outro idioma.

  • Yago G.

    Espero que não façam a merda que fizeram no português. O acento com o som mais bonito foi retirado “ü” :(

    • Mr. Car

      Continuo escrevendo como escrevia. Não vou prestigiar esta palhaçada de reforma ortográfica.

      • Edson Fernandes

        ehheeheh

        Eu tbm não. Mas a nova geração se observar como escrevem, perceberá que praticam isso e algumas vezes o assassinato ao português dói aos olhos.

        • alexandre

          E por falar nisso, não sei se esse seu doi aí de cima tem acento ainda…..rsrs

          • MauroRF

            Ah, esse continua com acento, rs.

          • Edson Fernandes

            Nem ligo para a nova ortografia…rs

            Mas reconheço que não sou o melhor no português tambem…rs

        • Pedro Cunha

          Na verdade o idioma escrito tem a forma com a qual os falantes nativos aprenderam á escrever nas tenras idades. Á medida que novas gerações forem chegando, a língua vai morrendo e/ou se modificando.

          • Edson Fernandes

            No caso do nosso portugues ela vai se catapultando …rs

      • saosao

        E que palhaçada vc acha que fizeram com a reforma?

        • Mr. Car

          A reforma em si foi uma palhaçada. Estava ótimo do jeito que estava. E para mim, continuará como estava, que não vou pactuar com esta cretinice. E ainda bem que não vou fazer vestibular nem concurso público, pois certamente, mesmo com um discurso coerente e totalmente passível de entendimento por quem lesse, mas escrito à moda “antiga”, ainda levaria menos pontos em redação que um mané que escrevesse algo completamente sem sentido, sem pé nem cabeça, mas com as regras ortográficas “mudernas”.

          • saosao

            Hahaha eu sei que o brasileiro gosta de reclamar, mas mantenha isso no campo da política. A gente não quer que o Brasil mude e corrija seus erros? Pois é, só que vc não está se dando ao trabalho de pesquisar o que está de fato mudando para melhor, para o que é o certo.
            A reforma ortográfica corrigiu uma série de erros de acentos que eram grosseiros.
            Ela não criou novas regras, apenas adequou as palavras às regras que vc deveria conhecer.
            A língua é algo tão ou mais difícil de mudar do que a política, e mesmo assim a ABL tomou a iniciativa.
            Mas primeiro vc tem que entender o que realmente a reforma mudou. Se vc não procurar saber nem isso, então estou perdendo meu tempo, hehe

            • Marcos Souza

              O problema não é a reforma ortográfica e sim esses idiotas que defendem que a escrita seja feita da maneira coloquial. Cheia de erros de português, mesmo. Esse desgoverno até lançou um livro idiota defendendo o assunto.
              Bom, esse governo também está querendo reescrever a história. Mudar nome de estradas, pontes e monumentos que eles não gostam. Daqui a pouco a via Dutra vira via che Guevara.

              • Tosoobservando

                A lingua vive em constante transformação, se vc conversasse com alguem antigo, muito antigo mesmo, eles falavam vossa merce, depois virou vosmece, e hoje é voce, que ja diminuiu para oce e na internet pra vc. No futuro deve ficar o vc mesmo, na escrita, pq esta tendo novas transformações por causa da tecnologia. Agora uma pessoa do seculo 19 acharia o nosso voce absurdo. E existem N exemplos assim, é pq vc nasceu em uma epoca e acha que a lingua tem de ser da sua epoca, e nao da anterior ou posterior. Se tivesse nascido 100 anos antes acharia a nossa norma culta atual ridicula.

                • Marcos Souza

                  Então vamos eliminar os acentos e começar a escrever: eh, entaum…
                  Ahh…agora me diga o que a fábrica faz?
                  Me lembro de um exercício que era só modificar a acentuação que mudava o sentido da Palavra: a fábrica fabrica…

                  • Tosoobservando

                    Contexto, se eu leio seu texto assim: a fabrica fabrica carros, eu vou entender que o primeiro é o substantivo e o segundo o verbo, pq nao teria sentido vc dizer a mesma palavra com o mesmo sentido duas vezes. Agora na fala é fácil pq eu saberia onde dar tom mais forte.

            • Mr. Car

              Defendendo esta idiotice, está perdendo tempo sim. Em dose dupla, até: o seu, e o meu, he, he!

            • MauroRF

              Não gostei da eliminação do “pára” diferencial da preposição “para” e também do trema. No mais, concordo. E como trabalho com isso, eu tive que aprender logo as novas regras e não me posso dar ao luxo de escrever da forma “antiga”.

              • Marcelo Alves

                Eu também, tanto é que não deixarei de escrever pára e para, exceto onde se exija escrever de acordo com a nova norma…

    • saosao

      O acento gráfico trema foi eliminado, mas não o seu som.
      Tanto é que a pronúncia de “língua” não mudou.

      • Cleber Holanda

        Mas o trema só aparecia em “que” , “gue”, “qui”, “gui”.

      • CignusRJ

        O pior de tudo é que o trema não é acento ortográfico, é ortofônico. não deveria estar nesta reforma que fizeram mas…
        Fazer o que, quem escrevia ele? Eu mesmo não escrevia. isso é falha de nossa educação.
        E eu tb escrevo da forma antiga.

      • MauroRF

        O uso definiu isso. Porém, muitos vão dizer que falamos “secuestro”, mas dizemos “inkerito”, como disse o colega abaixo, então, por que o “que”, “gue”, “qui” e “gui” possuem pronúncias diferentes? Muitos vão alegar isso, embora eu entenda o motivo. É o mesmo caso do “x”, com sons diferentes dependendo da palavra. É questão de origem delas, da dialetação, coisa complexa, rs. A língua é viva e está em constante transformação.

    • Francisco

      Lembro de ter gargalhado ao ouvir a resposta dada pelo finado ACM (Toninho Malvadeza) a um repórter: “O inkuérito do sekestro será aberto para apuração do crime” Naquele tempo, como ainda existia o trema, era fácil apontar o erro na pronúncia, no futuro acho que acabarão valendo as duas formas!

      Sobre a importância dos acentos gráficos há 3 frases bem ilustrativas sobre a importância dos mesmos:

      “O cagado/cágado estava no sofá”
      “Gosto muito de saborear coco/cocô”
      “Ele penetrou na secretaria/secretária”

      • Mr. Car

        O “ele penetrou na secretaria/secretária” foi hilário, he, he, he!

      • Luis Burro

        Sempre achei q a fruta eh q deveria levar acento, pois ao fazermos a separacao por sílabas, claramente se percebe a diferenca tonica no Co-co (fruta).Jah no co-co(fezes), nao fica tao evidente, fica igual ao se falar a sílaba co duas vzs seguidas.

  • Tosoobservando

    O ingles nao tem acentos, é de facil compreensão e aprendizado. Na era digital acentos atrapalham, teclados tem de ser “exclusivos” daquela lingua por causa deles.

    • Newton Freitas

      O problema na língua portuguesa é que sem alguns acentos palavras ficarão com sons diferentes e também significados diferentes.
      Para alguns idiomas, ficar sem acento é aceitável para outros não é aceitável.

      • Tosoobservando

        Varios idiomas tem isso, vc descobre no contexto, e os falantes da lingua entendem. No ingles tem varios ex.

        • Edson Fernandes

          O problema é que no Brasil o cara fala “ficaram” no sentido de “ficarão”.

          Aqui a coisa fica mais feia porque não foi feita como deveria.

          • saosao

            Esse negócio de ficaram com som de ficarão não é um erro, mas uma característica fonética da língua portuguesa.

            Senão, seria como dizer que o francês é errado por não pronunciar a última letra em palavras singulares masculinas.

            • Edson Fernandes

              O problema não é na fonética, é na escrita. A pessoa escreve “ficarão” onde deveria ser empregado “ficaram”.

          • Luis Burro

            Mas aih eh erro da pessoa e nao da regra.

            • Edson Fernandes

              Eu sei, mas tenho visto que a metologia de ensino tem utilizado uma forma diferente no estudo. Algumas escolas estão baseando o entendimento no “ouvir” e não no gramatical. O que faz os alunos escreverem errado justamente porque a fonética lembra uma palavra sendo que ela deveria ser escrita de outra forma.

              Falo pelo meu sobrinho que tem escrito muito errado devido a essa metodologia. Inclusive minha irmã, mãe dele já reclamou disso.

              • Luis Burro

                Mas errar a conjugação verbal pode comprometer muito o sentido da frase, e soh pela pronuncia nao tem como confundir, o Til (~) me parece dar muito mais entonacao.

          • Holandês Louco

            Sem falar que em vários lugares são inventadas pronúncias e conjugações verbais.
            exmeplos:
            No RJ a conta de “luiz” subiu 20% ano passado.
            Em SC, tu “viu” a luz aumentar.
            Em SP, os “cara” não “liga” pro aumento.
            e por aí vai a situação “económica” do Brasil.

            • Tosoobservando

              Nada disso envolve acentos e sim concordancia verbal, nominal e tempo.

              • Holandês Louco

                Achei ter colocado dois dos quatro exemplos relacionados aos acentos….
                Humm… eles ainda estão lá.

          • Tosoobservando

            E qual diferença faria o acento em relação a ficaram e ficarao? A grafia e bem diferente, nao precisa de acento pra perceber. E isso e mais um problema de gramatica, passado x futuro, do que acentos.

            • Edson Fernandes

              Bem tem os Porques e algumas palavras que sem acento não serão pronunciadas de forma correta. (a não ser que ela ouça alguem que conheceu a antiga ortografia).

              Eu fico imaginando alguem no futuro falando “voo”, o tal do “ficarao” , entre outras palavras que a falta de acento justamente para indicar por vezes a tonica de uma palavra ou outros sentidos que possam ter.

              • Tosoobservando

                Entenda uma coisa, a fonetica continua, mesmo com a falta do acento, a forma de falar as palavras nao muda.
                Agora nos porques o acento so serve pra mostra que ta na pergunta, na resposta, no começo ou no fim. Foneticamente nao muda. Que diferença faz ao falando que Por que na pergunta é separado e na resposta é junto? Que no final da frase tem de ter o Porquê (sendo que nao muda a tonica, sempre é o final)?

                • Edson Fernandes

                  Para mim que aprendi no antigo de ver no atual, o uso de algumas palavras como o porque, podem dar outro sentido, é como o uso de virgula por exemplo. Dependendo da forma que for utilizada poderá dar outro sentido.

                  • Tosoobservando

                    De um ex.

    • HENRY ME

      Idioma :Inglês, Frances e Português são bem diferentes.

      • Luis Burro

        O ingles sim, mas os outros dois tem a origem em comum, pois ambos sao latinos assim como o italiano e o espanhol.

    • kravmaga

      Por isso a pronúncia das palavras no inglês é uma zona. Cada um coloca a sílaba tônica onde quer.

      Um americano já me disse que é comum pedir às outras pessoas lá nos EUA para soletrar as palavras quando não conseguem entender por causa da pronúncia diferente.

      Podem falar o que for, mas as línguas latinas são as mais belas e mais precisas do mundo.

      • saosao

        Concordo contigo sobre o inglês. Já trabalhei com uma mulher do Texas que, ao pronunciar a palavra MULTI, não dizia MULTI, mas MULTAI (por causa do I com som de AI).
        Eu só entendi por causa do contexto, senão teria que perguntar.

      • Tosoobservando

        Oxi e aqui nao se soletra tambem? Isso ocorre em qualquer idioma, e acento nao faz vc falar melhor nao.

    • Rodrigo

      Até concordo que resolve um problema, mas criam-se outros.
      Eu consigo entender perfeitamente um argentino ou uruguaio, mas não consigo entender um cidadão português. E nem é tanto com relação a algumas palavras, é no contexto geral (e curiosamente é o mesmo idioma).
      O fato é que as reformas ortográficas são benéficas até certo ponto. Quando começam a trazer prejuízos à língua, acho temerario.

      • kravmaga

        Mas isso acontece até dentro do Brasil. Tenho um colega no trabalho também, de origem paraibana, creio que de alguma cidade do interior, que é até uma pessoa culta, com nível superior, mas tem uma pronúncia péssima (característica individual), fala baixo e tem um sotaque muito forte que o pessoal do sudeste não está acostumado a ouvir. Já tive que pedir para repetir algumas palavras em conversas com ele porque não o compreendia.

        A pronúncia de alguns portugueses do interior realmente é ruim e eles não enfatizam tanto a pronúncia das vogais como os brasileiros, mas dá para entender perfeitamente um português mais culto falando.

        Já estudei com chilenos, paraguaios e argentinos e via que existe bastante diferença na pronúncia entre eles mesmos e, especialmente, entre eles e espanhóis também.

        Quanto à reforma ortográfica, a coisa mais imbecil que achei foi terem suprimido alguns acentos diferenciais. Não se usa mais o acento que diferenciava pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s), pólo(s)/polo(s) e pêra/pera. Agora você tem que diferenciar pelo contexto, uma coisa que acho horrível em línguas mais pobres.

      • Tosoobservando

        Qualquer idioma pra vc entender vc precisa estudar os costumes e a cultura, o contexto, pq tal palavra é usada ali etc.. Por isso temos dificuldade de entender portugues de portugal, nao pq tem acentos ou nao, e sim por causa do sotaque, das girias e regionalismos.

    • oscar.fr

      Acentos são fundamentais nas línguas latinas. Por exemplo, em francês as palavras mur e mûr tem significado completamente diferente. A primeira, parede e q segunda, maduro. Sem os acentos não saberíamos também qual sílaba pronunciar mais forte também.

      • Tosoobservando

        Claro que saberiamos, por experiencia e aprendizado, no dia-a-dia e no contexto.

  • Luis Burro

    Mas se nao me engano, a forma como se escreve nem eh ou era assim.Foi uma professora q nao gostava da pronuncia e tacou um trema no nome e tbm nao me lembro se tinha E.

  • Ander33x

    Mas cadê as fotos, pics, screenshot?

    Eita NA tá parecendo aqueles novatos “newbie” em fóruns que divulgam qualquer coisa em qualquer tempo e de qualquer jeito.

    Lembre-se, (1) uma imagem vale mais que (1000) mil palavras.

    NOTA: 3.5 “em ritmo de carnaval”