Citroen Hatches Segredos-Flagras

Citroën C3 ganhará novo motor 1.2 litro em breve, segundo site

citroen c3 br

Seguindo a linha do “primo” Peugeot 208, o Citroën C3 também vai passar a oferecer o novo motor 1.2 litro PureTech de três cilindros, que será uma das novidades da linha 2017 do hatch compacto. De acordo com uma publicação do portal Autoo, o modelo ganhará o novo propulsor entre o fim de junho e o início de julho deste ano.

A exemplo do 208, o novo propulsor vai substituir o 1.5 litro de quatro cilindros na linha do C3. O bloco 1.2 PureTech da PSA consegue entregar 90 cavalos de potência, a 5.750 rpm, e 12,9 kgfm de torque, a 2.750 rpm, com câmbio manual de cinco marchas.

Nos testes do Programa Brasileiro de Etiqueta Veicular do Inmetro, o compacto da Peugeot registrou consumo de 10,9 km/l na cidade e 11,7 km/l na estrada com etanol e 15,1 km/l e 16,9 km/l, respectivamente, com gasolina, recebendo nota “A” tanto na comparação geral como na comparação da categoria, com selo Conpet.

Apesar do bom consumo, o 208 1.2 PureTech decepcionou nos testes de desempenho realizados pela mídia especializada. Esses números, tanto os de consumo como os de desempenho, deverão se repetir no Citroën C3. Por conta disso, o Aircross poderá continuar sendo oferecido com o 1.5 litro, que rende até 93 cv e 14,2 kgfm.

Além do motor, o C3 2017 poderá estrear ainda retoques no visual e melhorias no interior, com direito a um sistema multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, a exemplo da minivan aventureira.

[Fonte: Autoo]





  • Daniel

    Pensando em termos de sustentabilidade, economia, etc… O governo deveria ampliar a alíquota de impostos de carros 1.0 para 1.2, para que esses carros econômicos pudessem entrar em maior quantidade no nosso mercado.

    • Marco Antônio

      Até 2 litros deveriam TODOS paga o mesmo imposto.

      • Boris

        Deviam pagar imposto pelo peso. Litragem nao diz nada

        • Gustavo73

          Falando de IPI ou IPVA?

          • Boris

            para mim IPI nao devia ser cobrado e IPVA deveria ser pelo peso e nao pelo valor.

            • Gustavo73

              Boa!

        • Deadlock

          Deviam pagar o imposto pelo consumo e emissões, fazer por litragem é burrice,

          • Boris

            consumo e emissoes nao é um dado objetivo como peso. Já estao dizendo que o carro élétrico produz emissoes ( e nao a maneira que a energia é produzida)

            • Zoran Borut

              Se fosse por peso, teríamos “bicicletas de quatro rodas” motorizadas. Ou carros de plástico, seríamos um país de Tata Nanos.

              • Alligator

                Ou dos Trabants com seus motores 2 tempos e carroceria de plástico

            • Rodolfo

              Ao meu ver, taxar o veículo pelo peso é inviável, principalmente porque nosso principal meio de escoamento de produtos é justamente por malha rodoviária.
              Imagine taxar, por peso, veículos como caminhões. Certamente o valor seria repassado ao consumidor final.
              Ou mesmo ônibus/vans… Tornaria inviável o transporte por esses meios.

              O ideal, *ao meu ver*, é taxar de acordo com as emissões de poluentes e consumo, podendo *também* (e não exclusivamente) colocar o peso no cálculo.

              • Boris

                mudaria o paradigma do transporte de cargas

          • Marcio Santos

            Exatamente, na Europa o carro paga imposto considerando consumo e emissões, que é o que interessa, o peso nada significa, um carro pode ser mais pesado mas utilizar um motor muito moderno e consumir menos do que o outro mais leve.
            Já existe a medição de consumo do inmetro, seria muito fácil implantar este sistema, consome e emite menos, paga menos imposto.

        • Osni Duarte

          Um carro leve não necessariamente será mais econômico, além de possíveis prejuízos à segurança estrutural.

        • kravmaga

          O imposto deveria ser ÚNICO, já que carros com motores maiores também já custam mais caro. E isso desestimularia a criação de carros com motorização inadequada ou insuficiente para o tamanho e peso.

        • Marco Antônio

          Você tem toda razão. Não tem mais sentido pagar imposto por litragem. Bom ver a opinião de vcs pra sair desses conceitos mainstream que nada dizem mais.!

      • EJ

        Em época de downsizing complica. Um motor 2.0 turbo+ injeção direta atinge facilmente mais de 300cv original. Se isso fosse alguns anos antes,beleza. Melhor q fosse taxado pelo peso do veículo mesmo,conforme abaixo sugerido. Achei genial.

        • Marcio Santos

          O peso nada quer dizer, um carro pode ser mais pesado do que outro e ainda assim consumir menos, o correto é como fazem os ingleses, emissões e consumo definem o custo do imposto.

        • Marco Antônio

          Muito melhor do que minha proposta.! Apoiado.! Litragem já era como referência pra consumo!

      • Igor Lima

        imposto pago em função do menor consumo! estimulando o desenvolvimento de novas tecnologias… com rigorosos testes para comprovar… sendo obrigatório testar pelo inmetro para todos…

    • Gustavo73

      Se o objetivo for esse, melhor o imposto estar relacionado a economia de combustível e menos poluição do que em cilindrada.

      • Exatamente. Qual é o sentido de um 1.4 Turbo de Fiat e VW pagarem menos imposto que um 2.0?

        • Gustavo73

          No caso não pagam já que o IPI é ate 1.0 depois acima de 1.0 até 2.0. Se seguisse critérios de consumo e poluição o 1.2 da PSA teria IPI como o 1.0 da VW. O 1.4Tsi pagaria menos que o 2.0 8v por exemplo.

    • Igor Lima

      deveria ser pago em função do consumo e categorias… não da litragem! não é por que tem baixa litragem que é econômico!

  • É meio que lógico: o grupo PSA deve estender o puretech para a linha de compactos inteira, até por questão de custos.

  • Walter

    Esse site AUTOO é bem parecido com aquele site blog que é fã boy da VW, então não tem muita credibilidade, ele pode comprar um new fista, um 208, e um gol 1.6 ele vai da vitoria para o Gol.

  • Marco Antônio

    O desempenho é tão ruim assim?

    • V12 for life

      As vezes a mídia exagera, quando lançaram a Meriva 1.4 todas as matérias criticavam o desempenho, comprei uma no último ano de fabricação e achava o desempenho melhor que o Prisma com o mesmo motor além dela ser muito melhor acertada, ainda mais que quem testou também andou no 208 GT no mesmo dia, nesse caso a referência atrapalha.

      • ÓQUEI

        Siim, testaram o GT e então pegaram o puretech, aí complica pro pequeno 1.2

      • Marco Antônio

        kkkkkk E se atrapalha.! kkkkk Todo mundo esperando voar na pista. ai … SQN. kkkk

        • V12 for life

          Pois é, não da pra exigir muito de um motor com 200cc a mais que um 1.0.

          • Marco Antônio

            Mas o consumo óo. Uma magavilha!

    • Pacheco

      Eles querem um carro que faça 20km/l e 0-100 km/h em 3s. Claro que um motor 1.2 vai ser comedido no desempenho. Ele foi projetado para ser economico e eficiente. As vezes me pergunto o que esse povo tem na cabeça.

      • Marco Antônio

        Mas acho que é exagero. Sinceramente? Incomodou o TSI da volks e agora estão tacando pedras, e espalhando desinformação! 17s das 4 rodas é muito irreal.

        • Pacheco

          Atualmente para meu uso urbano, eu teria um carro que faz 25km/l mesmo sabendo que ele demora 25 segundos para ir de 0-100km/h. Eu quero é economia.

    • Gabriel Oliveira

      devem ter pego o teste da 4 rodas pra falar isso, em todas as mídias ele virou 3, 4s melhor o 0 a 100 que da 4 rodas e lá ele virou 17s, pior q mtos carros da categoria. O pessoal do grupo do 208 que já botou a mão nele diz q não deve em nada pro 1.5

      • RenatoAkira

        E nessa mesma matéria da Quatro Rodas, a velocidade máxima do 208 1.2 está como 250 km/h.

        Haja câmbio…

      • Marco Antônio

        não acho isso possível. Serio mesmo, acho que é difamação do produto.!

  • Roger Rosato

    Convenhamos… quem compra um carro 1.2 litro aspirado não pode estar procurando bom desempenho.

    • Pacheco

      Já tivemos a tributação pela potencia. E na epoca surgiram umas loucuras no mercado.

      Quando o carro pagava imposto mais barato por ter até 127cv, as montadoras remapeavam a injeção para entregar somente 127cv e abaixar o valor do carro.

      Porem, ou os proprietarios tiravam o bloqueio ou o carro não vinha bloqueado. Tempra 2.0 16V sempre falavam que tinha mais potencia que o informado.

      • Rodolfo

        Mesmíssima situação dos motores 1.8-L da Volkswagen, que tinham 99cv declarados para pagar menores impostos, quanto na prática, possuíam mais.

        • Pacheco

          Exatamente… se não me engano o 1.6 tinha 90 e o 1.8 99cv. Porem na pratica não era assim.
          Aconteceu muito isso.

    • Marcio Santos

      Acho que o imposto deveria ser calculado somente sobre a eficiência e emissões, então um fabricante faz um esforço enorme e consegue fazer um motor potente e muito econômico e mesmo assim irá pagar imposto mais alto porque é potente? De forma nenhuma, isso até desestimularia investimentos.
      Imposto deveria ser cobrado considerando emissões e consumo, se o fabricante conseguir fazer um carro com 200cv que consome como este 1.2 da peugeot maravilha, parabéns para ele e que pague menos imposto.

  • Leonel

    Era de se esperar, considerando o grupo. O C3 é um carro confortável e delicioso de dirigir, porém pequeno. Outro ponto que vejo negativo nele (e 208) é não possuírem um AT6. O C3 AT4, infelizmente, é “beberrão”.

    • Roger Rosato

      Um câmbio automático convencional (seja lá ele de quantas marchas for) casado com esse minúsculo motor 1.2 aspirado seria um exercício diário de paciência…

      • Leonel

        Picanto tem menos motor e câmbio AT4. Não vejo isso como justificativa, eu teria paciência…90% é trânsito pesado, 8% trânsito livre (mas cheio de radares) e 2% estrada…seria muito bem vindo um AT6…CVT.

        • Roger Rosato

          CTV até que vai, DCT tbm, mas AT…
          – FIAT 500 1.4 16v AT6: manquíssimo;
          – Onix 1.4 8v AT6: manquíssimo.

          Picanto, nem se fala… 0-100 em 17 eternidades. Eu teria medo de colocar um carro desses na estrada.

          • Gustavo73

            Na estrada as retomadas são o mais importante. E claro o motorista conhecer o carro que conduz, sabendo de suas limitações.

            • Daniel

              Na estrada um picanto 1.0 automatico já é melhor que 90% dos 1.0 manuais… não que o desempenho seja melhor, mas é que, se pisar, o cambio automatico vai reduzir as marchas, coisa que 90% da galera do 1.0 manual não faz… sai pra ultrapassar em 5a marcha e fica 6 meses pra passar a carreta… hahaha

              • Gustavo73

                Rsrsrs!
                O pessoal tem medo de reduzir e os giros do motor subirem além dos 3 mil giros só pode. Até em motores maiores reduzir uma marcha que seja já é o ideal em uma ultrapassagem.

                • Daniel

                  Lembro uma vez que dei carona para um amigo e, na hora de entrar na estrada (limite 110km/h) acelerei na rampa de aceleração e o giro chegou perto dos 5mil rpm… (e eu já entrei na estrada na velocidade ideal – velocidade do fluxo sem precisar fazer ninguem desviar ou frear) dai esse amigo falou: “volta lá pra eu pegar as valvulas que fugiram do motor”…

                  Eu ainda expliquei que a potencia maxima daquele carro era aos 5600rpm (era o C4 1.6 que eu tive) e eu nem cheguei lá, e que dava pra chegar a mais um pouco! Mas não adianta… ele tem cabeça de velho e acha que acima de 3mil o motor vai explodir ou vai diminuir tanto a vida util que vai fundir com 10mil km… (detalhe que ele já levou uma bordoada na traseira por entrar “parado” naquela estrada)

                  • Gustavo73

                    “e eu já entrei na estrada na velocidade ideal” isso é você fez o correto
                    “detalhe que ele já levou uma bordoada na traseira por entrar “parado” naquela estrada” demonstra que ele não o fez.
                    Não precisa falar mais nada sobre a maneira certa de entrar em um rodovia.
                    E esse medo de acelerar que faz muita gente achar que carro A ou B é lerdo. O carro mal chega aos 2000mil rpm e muda de marcha. E olha que carro moderno corta a injeção antes do motor atingir uma rotação que fosse minimamente prejudicial ao motor.

                    • Daniel

                      Verdade! E olha que “carro moderno” que corta a injeção são simplesmente TODOS com injeção eletrônica … ou seja, qualquer coisa pós-1996. Mas, não adianta… pra quem pisa na embreagem junto com o freio, e ainda poe fita isolante nos vidros e se acha seguro… querer que saiba dirigir em estrada é exigir demais!

                  • Pacheco

                    Esse cara deve entrar em panico se ver o pessoal da Rota colocando primeira na Hilux a 60km/h. KKKKKKK

                • Osni Duarte

                  Eu já acho uma delícia reduzir marcha e fazer um 16v girar alto! Tive um Clio 1.0 2007 completinho que quando precisava acelerar em rodovia era o capeta!

                  • Pacheco

                    Sim, manter sempre o giro alto. Gosto disso, reduzir marchas e entrar nas curvas com motor cheio.

          • Pacheco

            Mas esses dois cambios tem programação lenta. Até mesmo nos veiculos maiores eles são lentos.

            Tem cambios automatico que são bem ajustados. Por ex, o AT4 do Etios é bem ajustado.

            Se o CVT tbm não estiver bem afiado, ele vai ficar berrando e nada. Precisa ter um ajuste igual a Toyota e Honda colocaram, onde ele desenvolve bem e não fica pensando.

      • Pacheco

        Depende amigo. Um cambio automatico bem ajustado e casado com o motor, poderia deixar ele até mais economico e confortavel. Seria mais interessante para o mercado.

        Um automatico de 6 marchas ou quem sabe até um CVT bem afinado.

  • Leandro Botelho

    A princípio não assusta, depois você começa a ver boca na grade e olhos chineses. Os faróis de milha ou neblina ficaram bastante desconexos com as outras linhas. Aí você vê o preço e o motor e pensa: sou eu que to cada vez mais pobre ou a coisa é uma “farsa” um “golpe”?

  • Eduardo Brito

    Se vier com o mesmo interior do Aircross vai ficar interessante. Ai só vai faltar o 1.2 Turbo.

    • Pacheco

      Espero que chegue para substituir o 1.6 16V que mesmo sendo um bom motor, ja precisa se aposentar.

      • Gustavo73

        Acho que é questão de tempo. Talvez quando o Pure Tech começar a ser produzido por aqui.

        • Pacheco

          Sim, eu tbm acho isso. Precisa logo entrar esse 1.2 Turbo.

    • Daniel

      Mas, o C3 já está disponivel com a mesma central do aircross… não? Os C3 atuais não usam mais o rt6 com a tela na parte de cima do painel, agora usam uma central com tela no lugar do radio, entre os difusores e o controle do AC

      • Eduardo Brito

        Eu tou falando da parte de cima do painel.

        • Daniel

          Olha a mudança na central multimidia do C3

  • Guilhermo

    Melhor cxb do mercado!

  • AndersonRomeiro

    Tem que ganhar motor 1.0 e uma versão básica que seja completa com o necessário, ar, travas, vidros elétricos dianteiros e direção. Com preço de 34,900 O carro venderia muito. Tem que largarem o seguimento premium e partir pro popular.

    • Daniel

      Pior que fui olhar no site da Renault e não tenho tanto otimismo assim… na tabela o Sandero está a partir de 41990… ou seja, esse kwid deve ficar entre 33-41 com umas promoções baixando 2k…

    • Anderson Trajano

      Anderson, esse não é o foco da PSA. Acho que nunca foi e nunca será (minha opnião), tanto que nunca tiveram veículo 1.0. Eles se diferem justamente por oferecerem produtos um pouco diferentes, tanto que inauguraram o tal segmento “Premium” a alguns anos atrás com o C3. A atual presidente do grupo para a América Latina disse em entrevista no último mês que o foco será a margem sobre seus produtos.

      Mas nem por isso todos os produtos são caros. A muito tempo a PSA vende o C3 aqui em são Paulo iniciando em R$ 39.990,00 completo (menos roda e para-brisa Zenith). Isso bate de frente com a maioria dos 1.0. Só que o compacto Frânces é infinitamente mais confortável que os seus rivais, conforme já comentado nesse post por outros colegas.

      Se manter esse preço e colocar o 1.2 pode aumentar as vendas, pois o C3 vende mais que o 208.

      • Leonardo C.

        A Citroën nunca teve veículo 1.0, pois a Peugeot por aqui já teve o 206 1.0 16v na época do seu lançamento até substituírem ele pelo 1.4, em meados de 2005/2006.

  • EJ

    Simples de resolver isso. Basta aplicar o caracol que já equipa esse mesmo motor na Europa,e tirar 1.5 e 1.6 aspirados de linha de uma só vez,gerando economia de escala.Deixar somente o Puretech aspro e turbo,igual up. E o Prince fica como está.

  • Lucas086

    Capaz desse ser vendido que nem hoje o 1.5 Origine está sendo, por 39,990, valor de hb20 confort. Fiz o test o drive do 208, e goatei sim, não sente vibração, no uso normal não senti diferença pro 1.5, agora o consumo, zerei, rodei 20 km e ele 14.5 na cidade, goatei muito, sem falar na drl em led, o carrinho chama muito atenção.

  • marcio rafael andrade

    a sacanagem é que linha c3 já é 2017 desde fevereiro.

  • Mario Maia

    A Citroen lançou a linha 2017 do C3 em janeiro, já com Car Play e Android Auto, mas o motor ainda era o 1.5.

    • Pacheco

      Quer dizer, tem dois modelos 2017 no mercado. Micou o 1.5.

  • Pacheco

    Nossa… consumo de Vectra Elite 2.4

    • Fanjos

      Pois é, cheguei a levar na css várias vezes por isso, falavam que o consumo dele era “um pouquinho maior que no Peugeot”, mas eu insistia e eles procavam tudo, óleo, bomba de combustível, remapear injeção eletrônica, etc.
      Até eu achar um amigo que tinha o mesmo carro e falar que o consumo era aquele mesmo, desisti e vendi com um ano e meio o carro com 11 mil km

      • Pacheco

        Ninguem merece hein. Vc compra um carro compacto para ter economia e ele te da esse gasto absurdo.
        Isso dai é de matar de raiva. Uma coisa é comprar um Audi RS7 e ele fazer 5km/l, outra coisa é ter um C3 e ele beber demais.

        • Fanjos

          Pois é, mas para não dizer que ele era de todo ruim posso dizer que ele foi o carro mais confortável que tive, mal sentia os buracos da rua.
          Mas sempre que alguém me pergunta sobre Citroën eu resumo assim mesmo um beberrão confortável.

          • Pacheco

            Uma pena mesmo. E pra usar no dia-a-dia pesa demais. Eu mesmo to pensando em pegar um 1.0 pra trabalhar. Ninguem merece deixar 30 reais no posto todos os dias.

            • 30 reais por dia? Caramba, o cara do posto te ama! Só para você ter ideia, divido a gasolina com minha amiga em um up!, eu vou de carona. Gastamos em média 60 reais por semana. Dá 30 para cada um.

              • Pacheco

                Pois é… eu rodo 62km por dia, meu carro faz 6,5 km/l com gasolina. Se fizer a conta, vai ver que esse é meu gasto diário.

                Por isso quero trocar por um carro que faça pelo menos 8km/l de alcool na cidade.

                Atualmente faço um caminho 3km mais longo para usar rodovia e assim melhorar o consumo. Consigo chegar no maximo nuns 7km/l.
                Faz parte, é uma merda.

  • Gabriel Oliveira

    bebendo o mesmo tanto do meu 408 2.0 no engarrafamento

  • Louis

    Consumindo isso, algum problema tinha. Tem muito mecânico de concessionária incompetente, ainda mais com essas problemas de difícil diagnóstico, têm preguiça de fazer testes e vão logo trocando peças no “achômetro”, pra ver se resolve o problema.

  • Erasmo Artur

    A matéria se refere aos dados de desempenho da quatro rodas (0-100 em 17 segundos). Dados de caráter beeem duvidosos. A Auto Esporte publicou informações bem diferentes e muito mais plausíveis (0-100 em 14 segundos). Nos sites europeus é possível averiguar o 0-100 do mesmo 208 (rendendo um pouco menos já que lá é apenas a gasolina) e está sempre na casa dos 13 segundos.

    Vergonha da quatro rodas. Revista baixa.

  • Danilo

    esse carro podia receber no Brasil um facelift que o deixasse igual ao Frances, que possui o interior igual ao do DS3 e eh muito mais bonito.



Send this to friend