Elétricos Veículos Comerciais

Compact Moby pretende disponibilizar carros elétricos compartilhados em BH

compact-moby

Com a redução do imposto de importação para carros elétricos, podendo ficar entre 2% e 7%, de acordo com a eficiência energética, alguns projetos de compartilhamento de veículos com emissão zero podem ganhar novo impulso. Em Belo Horizonte, a startup Compact Moby foi autorizada pela prefeitura da capital mineira a realizar estudo para viabilidade de um projeto de compartilhamento até 8 de dezembro.

O projeto da Compact Moby – que segue o exemplo da Bike BH – é disponibilizar entre 30 e 50 carros elétricos de 2,5 metros de comprimento com pontos de recarga em vários lugares da cidade. Estes veículos serão fabricados com materiais recicláveis e ecológicos.

O investimento total é de R$ 8 milhões e a empresa busca parcerias para tirar a ideia do papel. Com base no Bike BH, o projeto da Compact Moby deve empregar um app para usuários cadastrados, bem como tarifas variadas e locais para entrega e retirada dos veículos.

[Fonte: O Tempo]





  • Foxtrot

    Bela iniciativa, espero que não tenha a mesma recepção que o Uber teve com os taxistas. Ah! E que seja um sucesso, é claro!

    • 4lex5andro

      o compartilhamento é um modo bem diferente do uber..

      o setor que deve (com razao?) preocupar-se com isso é o das locadoras ..

      no aeroporto de qualquer capital media, por exemplo, uma diaria de carro 1,0 nao sai por menos de 100 r$, mesmo que a necessidade de um carro seja de algumas horas somente..

      entao nesse caso a opçao de um minicarro eletrico compartilhado seria melhor..

      • Foxtrot

        Não falei que os taxistas seriam o problema, só falei que espero que os carros não sejam depredados como foram os carros do Uber pelos taxistas.

        • 4lex5andro

          certamente, educaçao é o minimo esperado .. ..

  • C.A.

    Será que só em São Paulo não teremos algo assim? Já li notícias sobre esse tipo de iniciativa no Rio de Janeiro e em cidades do nordeste também. Nós de sampa, não? :(

    • 4lex5andro

      já tem em rec, mas em uma area restrita, no centro da cidade..

  • th!nk.t4nk

    Compartilhamento de veículos é mais uma comodidade. Em termos de redução de tráfego, não adianta nada. Quero é ver avanços no transporte coletivo no Brasil, aí sim.

    • Junoba

      Exato. O problema é que o transporte público é ineficiente, principalmente nas capitais. Meu tio por exemplo, teve que comprar um carro pra levar o filho dele pra escola, já que quando ele ia entrar no busão, não conseguia, de tão cheio que estava.

    • C.A.

      Eu já comentei isso aqui, mas vamos lá: Eu acho que o transporte coletivo tem suas limitações. Pode atender muito bem a demanda de cidades de pequeno e médio porte, mas fica inviável em SP. A cidade já está entupida de ônibus, a frota é enorme e mesmo a expansão do metrô não será suficiente, uma vez que é limitada por vários motivos e a demanda tende a crescer mais do que a oferta. No caso das grandes cidades, para funcionar tudo certinho, será muito mais difícil. É necessário repensá-las por completo… Enquanto 20 milhões de pessoas tiverem que se descolar até o centro, todos os dias, será caótico, independente de ter uma oferta de transporte coletivo boa ou não. Funciona em algumas cidades grandes ao redor do mundo, porque as pessoas não se descolam todas na mesma direção, já que há vários ‘centros’ na cidade. Se bem que, toda cidade com uma população semelhante a de SP, sofre com algum tipo de problema no fluxo de pessoas. Acho eu que deve existir uma limitação para o número de pessoas que podem circular no mesmo espaço (bairro, cidade), com relativo conforto, independente da eficácia do transporte coletivo.

    • 4lex5andro

      o melhor para as cidades, de fato, é a melhoria no transporte em onibus e trem ..

      isso por si só, melhoraria muito a qualidade do ar e do trafego, ja´ que deixaria muitos carros na garagem ..

  • Freaky Boss

    Novidade boa em BH será a inauguração da Hofbrauhaus. Cervejaria alemã de Munique. Fora isso só se sair o metrô que não sai nunca.
    Então vamos tomar cerveja!

  • Bruno Gomes

    Bacana essa proposta! Tomara que essa ideia se espalhe pelo país. O Bike Rio é um tremendo sucesso e creio que esse compartilhamento de carro também será.

    Só um off…
    A Marcopolo acertou a mão nessa geração do Viale…

  • C.A.

    Não acho certo colocar o veículo individual e seu proprietário como ”inimigos da nação”. O único grande problema do transp. indiv. para mim, é poluição com material particulado e gases poluentes provenientes dos veículos à diesel e gasolina. Não sei se você respondeu diretamente para mim ou se foi um comentário aberto (como já aconteceu aqui no NA de responderem no meu comentário, apesar de não ser para mim e sim à discussão como todo; então eu pergunto agora, rs.), mas não foi nesse sentido que eu disse ”mudança profunda”. O veículo individual não será substituído ‘tão breve’ (eu nem consigo ver quando ele poderia ser). O que eu defendo é a tese de boa utilização do espaço, com oferta de trabalho e lazer no bairro ou região (próximo das residências), tornando o deslocamento de pessoas mais localizado, desafogando as artérias da cidade e o fluxo em direção aos ‘centros’. Mesmo se todos pegassem ônibus em SP, ainda sim seria caótico, porque a frota de ônibus teria que crescer eu-sei-lá-quantas-vezes para atender (com o mínimo de qualidade) a demanda necessária, o que causaria ainda mais entupimento nas avenidas, além das (muitas) ruas estreitas ao longo dos bairros de SP. O metrô é caro para se expandir, a obra é difícil e demorada, jamais crescerá na demanda que a cidade pede (afinal não somos ricos como a Noruega também, devemos ver nossas limitações financeiras para não quebrar as finanças municipais. Uma obra para expandir 300 km do metrô de SP, seria linda, mas inviável economicamente). Não vejo solução além da reformulação urbana, que será inevitável. Podem fazer agora e se precaver ou podem esperar a cidade se estrangular de vez, em mais um cenário caótico que poderia ter sido evitado, caso a gestão fosse mais consciente e menos ideológica (vide crise hídrica). Essa é só a minha opinião, abraço!

    • Edson Fernandes

      Sem duvida e é o mesmo pensamento que possuo. (penso na verdade mais em desafogar o transito para todos do que exatamente na poluição, já que nossos onibus soltam uma fumaça preta inexplicavel).

      Mas eu respondi a vc mesmo. Abraço!



Send this to friend