Governamental/Legal Segurança Tecnologia

Controle de estabilidade obrigatório deve ser decidido até o final de 2015

Controle de estabilidade será item obrigatório na Europa em 2014 2

O governo deve decidir-se até o final do ano sobre a obrigatoriedade do controle de estabilidade nos automóveis. O popularmente chamado ESP é um sistema impede que o veículo perca a trajetória em curvas, desvios ou pisos escorregadios.

Para o ministro das Cidades Gilberto Kassab, o controle eletrônico de estabilidade deverá ser discutido ainda esse ano, mas deverá demorar de quatro a cinco anos para ser obrigatório. No entanto, as montadoras pedem pelo menos sete anos.

Além disso, Kassab anunciou que em breve começarão os estudos para implantação do AEB ou sistema de frenagem de emergência, usado normalmente nas cidades e em baixa velocidade, detectando veículos, pedestres e até ciclistas, acionando assim os freios de forma autônoma.

De acordo com o Global NCAP, o Brasil evitaria até 2030 a morte de 34 mil pessoas, bem como 350 mil feridos, apenas adotando o ESP como item obrigatório nos carros nacionais e importados.

[Fonte: G1]

Agradecimentos ao Leandro Souza.





  • Rodrigo

    ai sim… item de segurança automotivo que salva mais vidas que qualquer um outro, seja ele ativo ou passivo.

    • ESP vai ser obrigatorio em 2018 na Argentina. Ou seja, apartir de 2017 vamos ver muitos carros com ESP, sendo implementado aos poucos. E em 2016 (ja daqui 2 meses), o ESP vai ser obrigatorio no LatinNcap. Prevejo chuvarada de ESP em diversos carros no segundo semetre do ano que vem.

      • Guilherme Eduardo

        Com base no seu comentário acredito que a inclusão do ESP será forte, mas no começo será opcional e/ou em versões mais caras, como o Ford Ka e o VW Fox.

        • HugoL

          Será vendido como opcional, air bags era assim até um tempo atrás.

    • Jackson A

      A afirmação tem algum dado para apoia-la ?

      Apenas curiosidade.

      • Bruce Wayne

        O “ESP salva vidas”, diz Gerhard Steiger, presidente da divisão de Sistemas de Controlo de Chassis da Bosch. Um estudo da Bosch sobre acidentes confirma a eficácia deste sistema. Em 2011, o Programa Eletrónico de Estabilidade impediu mais de 33.000 acidentes com ferimentos e salvou mais de 1.000 vidas nos Estados-Membros da UE (dos quais havia 25 na época), apesar do ESP só estar instalado em cerca de 40 por cento dos veículos.

        Desde que foi lançado em 1995, ESP impediu 190.000 acidentes e salvou mais de 6.000 vidas em toda a Europa. Depois do cinto de segurança, o ESP é o sistema de segurança mais importante num veículo – mais importante do que o airbag.”

        Fonte – Jornal das Oficinas.

        • Jackson A

          Obg.

        • Linkera

          Acho que o único carro que não precisa de ESP é o Corolla!
          Afinal, o carro é seguro por si só, não dá manutenção e quando dá é manutenção de popular!
          Prova disso é quanto o carro vende mesmo sem ter essa futilidades de ESP e TCS, o sedã mais vendido do Brasil!!! Afinal consumidor brasileiro é inteligente e exigente!
          O fato de TODOS os outros concorrentes do segmento terem este item dispensável de série é meramente pelo fato de quererem ter um diferencial para enfrentar o todo poderoso Corolla!

          [ironic mode on]

          • radiobrasil

            Negativo! Não é SÓ o Corolla que não precisa de ESP. Segundo um vendedor da Mitsubishi de uma cidade do interior do PR, a “New Cromado Outlander” em sua versão 2.0 basica não precisa de ESP pois o carro é “muito estável”… Questionei então ele: MAS PQ A GT TEM ESP? Ele não respondeu diretamente, e argumentou que eu NUNCA usarei o ESP. rss

            • Rodrigo

              Mas que fdp esse vendedor.

            • Matheus L.

              Tenho repúdio a vendedores assim, que tentam enganar o cliente a qualquer custo para garantir a venda. Já ouvi cada história que é até difícil de acreditar que realmente existiu.

              • radiobrasil

                Só que eu não era tão ignorante nesse assunto… perguntei mesmo pra ouvir a “justificativa” do vendedor.
                Depois de “NUNCA USAREI O ESP”, além de que o carro “não precisa” o cara finaliza: E tem teto solar! kkkkk

    • cepereira2006

      Que venha para ontem. 34.000 pessoas e 350.000 feridos é um baita argumento.

      • Alfredo Araujo

        Agora traduz por favor…

        • Roger Rosato

          “May it come for yesterday. 34,000 people and 350,000 injured is a hell of an argument.”
          ;)
          Faz um esforcinho que vc entende em português, msmo.

          • Vicktorio Lopez

            mas oq diabos eu acabei de ler? o cidadão não entende ptbr, ou ce só foi ironico?

            • leomix leo

              Deve ter sido irônico.

        • cepereira2006

          Vou traduzir, então: quis dizer que 34.000 pessoas e 350.000 feridos é um baita argumento para a adoção JÁ do ESP e não somente para daqui a 5 ou 7 anos, como o governo ou as montadoras querem.

          • Bruno Martinelli

            “I will translate then: I meant that 34,000 dead and 350,000 injured people is a huge argument for the adoption of ESP right now, not only in 5 or 7 years, as the government or the manufacturers wish” Ironic Mode = on.

            • cepereira2006

              Cara, tu é uma figura.

      • Infelizmente o “buraco” de nosso trânsito é bem “mais em baixo”. Não tenho a menor esperança de que o ESP vá reduzir drasticamente os números de fatalidades em nosso trânsito, se é que vá reduzir algo.
        Não se precisa trafegar por mais de 10 quilômetros em qualquer cidade de porte médio do nosso país para se certificar do motivo dos números de guerra civil que nosso trânsito produz anualmente: péssimos cidadãos. Isso mesmo, cidadãos, e não motoristas. Nosso problema não está em “não saber dirigir”, está em não saber respeitar minimamente o direito do próximo, está em colocar suas necessidades acima de qualquer outra coisa. “Estou com pressa, então posso furar fila, furar sinal, desrespeitar o direito e a vez de todo e qualquer incauto que se atrever a cruzar o meu caminho”. E assim vamos produzindo vítimas aos milhares, com custos abissais para a sociedade em forma de perda de produtividade, gastos médicos, dentre outras coisas.
        Nossos carros ainda ficam devendo para os de países desenvolvidos, mas evoluíram muito nos últimos 20 anos (quem se lembra do que tínhamos aqui 20 anos atrás sabe do que estou falando), e nem por isso o número de vítimas passou por um processo de redução, bem pelo contrário.
        O Brasil precisa urgentemente de uma campanha de civilidade, de tolerância zero com a “malandragem”, de extirpação da “lei de Gerson” de nossa cultura, Caso contrário, estaremos fadados a ostentar eternamente números ímpares em estatísticas negativas, seja no trânsito, seja em qualquer outra área do desenvolvimento humano.

        • Hamilton Costa

          Entendo e concordo com seu desabafo, mas a obrigatoriedade do ESP vem sendo adotada no mundo todo e é um imenso avanço pra nós, todos devemos apoiar. E sim, com certeza o ESP reduz bastante a morbi/mortalidade nos acidentes.

          • Claro, não entenda que meu comentário foi no sentido de negligenciar que a adoção do ESP é um fator muito positivo na segurança passiva dos veículos e de seus ocupantes.
            Só que é aquela coisa, podemos melhorar infinitamente nossos carros, mas sem a melhoria do cidadão, os números de fatalidades no trânsito continuarão em crescimento.

            • GPE

              Mas qualquer redução é válida. Vamos tentar ver o lado positivo

              • Muito válida, com certeza. A medida é muito positiva.

            • radiobrasil

              O ESP de uma forma vai ajudar a poupar vidas de inocentes, quando aquele IMBECIL irresponsável numa estrada precisar mudar rapido de trajetória… pense nisso.

              • Sim. Não critiquei hora nenhuma a adoção do ESP como item de série, e acho positiva. Só frisei que, para o caso do Brasil, a solução real do problema não está somente na melhoria da segurança de nossos carros, e sim na melhoria da formação de nosso povo, e por conseguinte de nossos motoristas.

        • Rodrigo

          Aplausos (de pé)!
          Acho que se o governo quisesse teria condições de caçar toda e qualquer CNH comprada. Esse seria o primeiro passo. Segundo passo: quem tiver uma multa gravíssima, curso de reciclagem em leis de trânsito (além da multa, claro).
          Fazer valer (para todos) os dispositivos da Lei Seca. Em caso de acidentes com vítimas, os culpados deverão ser julgados também na esfera criminal e cível.
          O problema é bem simples de se resolver, basta culhão e vontade política.

        • Rafael

          Acha que no so Brasil existe o jeitinho né… Tenho um amigo que mora nos EUA e outro na Espanha, e acredite meu amigo, lá também existe corrupção, existe propina, existem pessoas que burlam e desrespeitam as leis… Qualquer medida que venha trazer mais segurança aos motoristas é bem binda… E se você não tem a esperança de que vai diminuir a fatalidade, fique com as estatísticas de países que já implantaram, que elegeram o ESP como segundo item mais importante de segurança após o cinto de segurança… A perda de estabilidade do carro, leva a perda de controle do carro, levando não so a capotamentos, invasão de faixas contrarias e colisões frontais, e esses fatores não atingem apenas um veiculo, na maioria das vezes a dois ou mais carros envolvidos… è claro que não veremos resultados imediatos, pois nossa frota de veículos atuais ainda tende a rodar muito pelas estradas, veremos resultados daqui 15 ou 20 anos….

          • Você não está querendo comparar a cidadania vigente entre o povo americano com a que temos por aqui, está? Se está, sugiro que dê uma viajadinha de vez em quando e visite alguns lugares onde há um pingo de senso de comunidade entre a população. Uma coisa é você “ouvir um amigo te falar”. Outra bem diferente é ir ver a coisa de perto. É abissal a diferença do que se tem no trânsito por aqui e em um país como os EUA, não há parâmetro mínimo de comparação, pode acreditar. Quer saber, nem precisa ir nos EUA para entender a diferença cultural entre nós e eles, vá no aeroporto do Panamá e fique observando a fila de embarque de um avião com destino aos States. Logo após, observe a fila de embarque com destino ao Brasil. Não precisa mais que isso para entender o conceito de civilidade e também o da falta dela.
            Dito isso, na boa, não estou dizendo que o ESP não seja importante (é, e muito), em nenhum momento eu disse isso. Meu carro tem ESP. Só que não vai resolver o problema de um país onde há culto à bebida (como eu detesto toda sexta-feira ter o meu what’s up invadido por fotos de marmanjo com bebida alcoólica na mão ou em cima de uma mesa – só de imaginar quantos desses pegam seus carros mais tarde por nossas ruas…), onde o cara passa uma fila de carros pela contramão e se vangloria disso, onde o cidadão para o carro em vagas especiais sem o menor pudor, onde “ccontra-mão” é um conceito tanto quanto subjetivo na cabeça de boa parte dos motoristas, etc, etc, etc.
            Sinceramente, eu tenho 26 anos de carteira de habilitação e posso te dizer com segurança absoluta: nunca houve uma única situação em que um carro comigo no volante tivesse estabelecido parâmetros para a ação do ESP. E olha que eu tenho mais horas de volante que urubu de voo (trabalho com obras e projetos rodoviários – viagem de carro é uma constante em minha vida). Sem dúvidas é um ótimo aparato, que em uma situação (muito) hipotética e fatídica vai sim, salvar vidas, e que eu acho bom de poder contar, mesmo que nunca o utilize. Mas não vai salvar ninguém de uma ultrapassagem indevida, de um excesso absurdo de velocidade, de um desrespeito à faixa de pedestre ou de ciclista, de uma direção com álcool na cachola. É isso que eu estou querendo dizer. Não adianta utilizar estatísticas de redução de mortalidade de outros países pela adoção do ESP para fazer projeções de sua influência em terras tupinquins, nosso buraco é bem mais em baixo. Ou tornamos hábito entre nós o senso de que nossos direito tem que ser limitado pelas regras, por nossos deveres e pelo direito do próximo, ou nossos números de mortandade no trânsito vão continuar em curva ascendente por muitos anos ainda.

        • Eduardo

          Justamente o que eu iria falar. O problema não são os carros, são os motoristas (ou melhor, pessoas, como vc disse).

        • Gustavo73

          Não é uma queda drástica já que 34 mil em quinze anos não representaria nem 10% no período. Mas são 34 mil pessoas salvas e menos 350 mil feridas em diversos níveis.

          • O que eu estava me referindo, Gustavo, é que não adianta fazer projeções de nossos números baseando-se do que aconteceu em países da Europa, por exemplo. Mesmo essa hipotética redução de 34 mil mortes e 350 mil feridos em 10 anos vai falhar se continuarmos a nos comportar como animais em nossas ruas. Veja bem, os avanços pelos quais passaram nossos carros nas últimas duas décadas foram enormes, incluindo aí melhorias estruturais, adoção de ABS e airbags. As leis foram endurecidas com a adoção do novo código de trânsito e com a criação da “lei seca”. Adiantou o que em termos de inversão da curva de mortes no trânsito? Há alguma dúvida se o ESP vai ser efetivo nesse sentido ou não?
            Já passou da hora de os brasileiros passarem a se conscientizar de que nossas mazelas são, quase na totalidade, culpa de nossas falhas culturais e de nosso jeito incorreto de ser como comunidade. Tornar nossas ações e, por consequência, nosso comportamento no trânsito mais adequado e humano, será muito mais eficiente que todas as medidas de segurança passiva juntas. Quando os aparatos de segurança passiva ficarem relegados apenas ao salvamento de vidas quando do imponderável, aí sim, eles estarão sendo utilizadas da forma correta.

            • Gustavo73

              Concordo que o comportamento de quem participa do trânsito é o “item” com maior influência para a diminuição efetiva dos acidentes. E por consequência no total das mortes. Mas equipamentos de segurança ativa ou passiva nos carros são sempre bem vindos. Mas não podemos confiar a nossa segurança só a eles. É um conjunto de fatores. Nisso assino em baixo o que você escreveu.

              • Com certeza. Não critiquei a obrigatoriedade do ESP, e a apoio totalmente. Só que temos que aceitar que como solução do nosso problema de número de mortes descabido no trânsito, a questão do controle de estabilidade estará longe de ser representativa.

                • radiobrasil

                  A solução é partir pra Europa, pq se for esperar que o “motorista” brasileiro mude vai demorar 2, 3 gerações

                  • E vai mesmo. Mas se não começarmos em algum momento, nem em 2 ou 3 gerações.

            • Bruno Martinelli

              O Brasil é abençoado com grande território, abundância em água doce, biomas diversos, riquezas minerais, litoral extenso, clima ameno, diversidade de raças, pouquíssimos desastres naturais e muitas outras vantagens em relação à maioria dos demais países.
              Então, a culpa das desgraças que ocorrem aqui é quase que exclusivamente dos brasileiros e sua falta de civilidade, não só dos acidentes e mortes no trânsito mas em tudo mais.
              Você foi muito eloquente em afirmar isso, mas como não há esperança que as atitudes dos “cidadãos” mudem nas próximas décadas, considerando que os pais ensinam seus filhos a agirem assim e a falência do sistema de ensino, o governo deve impor o uso de sistemas de segurança ativos e passivos para minimizar os estragos.
              Meus dois últimos veículos já foram adiquiridos tomando os itens de segurança como fator decisório para a compra.
              Rezemos que uma nova consciência surja o mais rápido possível.

              • Rodrigo

                Uma coisa que não foi citada ainda, mas influenciou bastante a redução de acidentes nos últimos anos, foi a privatização de algumas estradas. Tudo bem que pedágio aumentou, mas investimento em segurança viária aumentou também (pelo menos aqui em São Paulo).
                Quem não se lembra de matadores como Fernão Dias e Dutra, com estradas não duplicadas, com péssimo pavimento e nenhuma manutenção. Tudo isso custa $$$ e os governos (sejam estaduais ou federal) demonstraram total incapacidade em investir nisso. Claro que nem todo mundo pensa como eu, mas eu prefiro pagar e viajar tranquilo do que andar de graça em uma estrada péssima, desviando de buracos e pondo em risco a minha segurança e a de minha família. Além, claro, dos danos causados no meu veículo.

                • radiobrasil

                  Na minha região o governo federal deixou um TAPETE as 2 importantes BR’s nos 2 ultimos anos. Tá LINDO DEMAIS, mas esse ano descobrimos o motivo de TANTA boa vontade: TUDO LICITADO PARA PEDÁGIO.
                  Que beleza né? Deixaram PERFEITO pra concessionária não precisar fazer nada de início.. só lucrar.

                  • Rodrigo

                    Aqui em São Paulo reza a lenda que a principal Concessionária (a CCR) pertence à família Covas (ex-Governador) então muito provavelmente estejam usando o mesmo modus operandi aí na sua região.
                    O pedágio é caro, mas via de regra as estradas são boas. É um toma lá dá cá, não tem jeito.

            • Rodrigo

              Não sei até que ponto o Código de Trânsito evoluiu, na pratica, em termos de punição.
              Colocando-me como exemplo, 10 dias antes de completar 18 e tirar a CNH, fui pego pela polícia dirigindo. Na verdade eu estava sendo ensinado a dirigir, com um adulto habilitado ao meu lado. Na época, o código de trânsito era o anterior ao atual e eu estava a cerca de 40 km/h. Enfim, entre multas, apreensão do veículo, punição ao maior habilitado (meu primo),etc, também tive (eu) que pagar duas cestas básicas mais 1 mês de serviço comunitário. Veja vc, isso foi em 1996, tinha 17 anos (ou seja, era “dimenó”) e não tinha qualquer antecedente que justificasse a medida socioeducativa , mas cumpri. Aprendi a lição.
              Hoje (no código atual)vc olha em diferentes canais de notícias sempre vê menores ou pessoas não habilitadas dirigindo e causando acidentes, alguns deles fatais e, aparentemente, nada acontece ou não com o mesmo rigor.
              Será que o código endureceu mesmo? O que vejo é que a quantidade de infrações (e multas) aumentou, que a burocracia para conseguir a carteira aumentou, mas ações práticas para reduções de acidentes não aumentaram na mesma proporção.

              • É que tornar a punição mais severa funciona por pouco tempo como medida única. A certeza da punição é que faz o cidadão andar na linha, e não o tamanho dela. Mesmo que as multas fossem de valor menor, se houvesse a certeza da punição, dificilmente o motorista se disporia a cometê-la. Mas as comete, porque sabe que muito dificilmente é pego com a “boca na botija”. Uma fiscalização mais eficiente traria melhores resultados que o endurecimento das punições puro e simples.

                • Rodrigo

                  Concordo, vc está certo.

    • Leandro Balmant

      Ainda mais pela preferência dos brasileiros por carros mais altos, que apresentam a estabilidade pior.

  • Allan Victor Kaiser da Silva

    Olha, coisa boa! Parabéns para os que estão fazendo o projeto, e que seja aceito, pois não há nada de ruim nisso.
    Outra coisa que também acho que deveria ser obrigatório seria os AB de cortina, pois sempre que vejo os testes de colisão eles fazem uma tremenda diferença.

  • Minerius Valioso

    Só funcionando na canetada mesmo viu… As fabricantes ficam doidas com uma legislação dessa. As mesmas que pedem pelo protecionismo. É muita canalhice.

  • Junoba

    A obrigatoriedade de ABS e Airbag duplo foi um milagre aqui no BR, no meu ponto de vista. Imaginem então ESP e frenagem de emergência. A segurança veícular evoluiu bastante nos últimos anos por aqui.

    • Floma08

      Isso é verdsade Junoba, e eu fico muito feliz que esteja mudando. Só lembrar que uns 4, 5 anos atrás vendiam uno quadrado sem airbag, abs. Bateu morreu. Tomara que os consumidores passem a valorizar cada ve mais os itens de segurança

  • everton nogueira

    Sou a favor de todos eles tb, mas no Brasil (ai ai) estamos ferrados sendo aprovados imaginem os preços dos veículos para aonde vão?

  • Rodrigo

    Não é na Argentina que o ESP deverá ser de série em todos os carros vendidos a partir de 2016? Enfim…
    Fico só tentando imaginar quais carros serão descontinuados por não permitir a adoção de ESP e frenagem de emergência.
    Agora, perguntar não ofende: por que o “brilhante” ministro Kassab não discute a melhoria nas plataformas e células de sobrevivência? O carro pode ter airbags, ABS, ESP, a porratoda,… mas se continuar a ser feito uma lata de sardinha vai ficar pior a emenda que o soneto.

    • Piantino

      Nenhum será descontinuado, todo carro que tem ABS pode ter ESP e sistema de frenagem de emergência.

      • Rodrigo

        Vai ser bem legal ver um Uno Vivace com os retrovisores pretos e uma câmera no pára-brisas para “ver” e frear o carro em uma emergência.
        E de que adianta um baita sistema desses se o brasileiro médio compra a CNH, anda feito maluco e não respeita leis básicas de trânsito?

        • Piantino

          eu só falei que nenhum será descontinuado… e frenagem de emergência não é isso que vc descreveu….

          • Rodrigo

            Eu descrevi exatamente o que está no texto. Releia:
            “Além disso, Kassab anunciou que em breve começarão os estudos para implantação do AEB ou sistema de frenagem de emergência, usado normalmente nas cidades e em baixa velocidade, detectando veículos, pedestres e até ciclistas, acionando assim os freios de forma autônoma.”

  • DiMais

    implementação lá por 2030 depois de muito choro..

    • Cyro

      até lá os carros estão andando sozinhos, fora do brasil, claro.

    • Fábio S

      Li o título e fiquei todo empolgado. Depois de ler a matéria me lembrei que estamos no Brasil, e ainda vão discutir e prazo disso para aquilo e enquanto eu escrevo quantos acidentes fatais teriam sido evitados com mais itens de segurança…Tenho que parar de ter tanta esperança…Afff

  • Kassab é ministro da Dillma?

    Que …..!!!

  • Fabio Marquez

    A implantação do sistema em carros com ABS de 4 canais é bem simples, só carros com ABS de dois canais que teriam de ser adaptados, exemplo o GM Classic.

  • Vitor Almeida

    ESP é necessários aonde!, no Brasil!?, prefiro uma tela touch! SQN
    Corola vende horrores, é idolatrado por mais de 90% do publico e é um exemplo de um consumidor extremamente desinformado, tolo ao extremo que aceita um produto inferior ao vendido em outros mercados, “nosso carro não necessita de ESP, a estrutura dele é muito segura”!; é vergonhoso que o governo tenha que criar uma lei obrigando os carros 0km a terem itens mínimos e essenciais de segurança, que deveriam ser exigidos pelo consumidor, ainda mais em um mercado que está entre os maiores do mundo!

    • Jackson A

      “Corola vende horrores, é idolatrado por mais de 90% do publico e é um exemplo de um consumidor extremamente desinformado, tolo ao extremo que aceita um produto inferior ao vendido em outros mercados,”

      Eita internet…

  • afonso200

    agora tirei o chapeu,,,,o meu V6 tem ESP, e ja testei na areia na beira do mar, realmente, ele atua corrigindo a rabeta do carro novamente, desliguei o botao e voce tem que puxar a rabeta do carro no braço, agora imagina isso a 80 numa estrada

    • Fabio Marquez

      Já dirigi um Fiesta de um amigo dotado do sistema e não tive coragem de testá-lo, mas já precisei dele em algumas situações e fez muita falta, principalmente na época que era mais novo e inconsequente.

    • Guilherme Eduardo

      Me fez lembrar de quando fui pra fora do país no começo do ano e aluguei um Volvo XC60 2015. Ele tem um sistema que freia o carro sozinho em baixa velocidade para evitar colizão, igual o VW Golf VII. Não tive coragem de testar kķkkk

      • radiobrasil

        Nem recomendo testar isso mesmo… pq “pode” eventualmente falhar e aí já era.

  • shdn2010

    Alguns malucos vão dizer que isto é perfumaria e eu digo… NÃO É NÃO…. depois que eu tive a oportunidade de poder ter um carro com controle de estabilidade é um item que nao deixo de ter, faz muita diferença, já ouve situações em que eu escapei de acidentes em estradas em dias de chuva por causa deste item. Acho que é essencial.

    • radiobrasil

      ESP é essencial como PELO MENOS 6 airbags… eu tinha um carro com 6 e na troca esse ano busquei um com mais… resultado: 8 airbags (incluindo 2 de joelhos) e mais 2 airbags nos cintos traseiros, totalizando 10!

  • Cyro

    Aproveita ai e acrescenta airbags de cortina e test crash de nivel internacional

  • SDS SP

    Que venha! Afinal de contas não deve ser tão caro assim, ainda mais com a massificação da produção.

    Estamos evoluindo, mesmo com todos os problemas. Nem tudo está perdido…

    • Gustavo73

      100 dólares em carros com sistemas de abs modernos 4 canais acima do 8.

      • cepereira2006

        Caraca, tão pouco, é uma vergonha isto já não estar em todo carro que está sendo vendido.

        • Gustavo73

          Li isso em algum lugar tem pouquíssimo tempo. Sim, mesmo com o dólar alto é muito pouco frente ao que pagamos nos carros. Todos os carros acima de dos compactos de entrada já deveriam tersem problema algum frente ao preço. Pra ontem…

        • radiobrasil

          Se duvidar é o mesmo preço de um “MyLink” da dona GM rss

  • Vagnerclp

    Só não gostei do prazo proposto pelas montadoras…7 anos é muito e elas podem muito bem fazer isso em menos de 2 anos.

    • cepereira2006

      Imagine quanta gente vai morrer ou ficar inválida em 7 anos, tendo a tecnologia hoje e nem é algo tão caro. Ganhando volume de produção, sairá ainda mais barato.

    • Luciano

      Se depender dos “capitalistas” eles pedem 10 anos….
      Por isso é importante um regulador. Se ele funciona ou é honesto são outros quinhentos.

  • DTF

    A Toyota vai tentar fazer um lobby forte contra….imagina equipar o Corolla de $100mil com esse equipamento…

    • Mauro Schramm

      Nada. Quando o Civic mk X estiver prestes a ser lançado pode ter certeza que “milagrosamente” o Corolla passará a contar com este item.

  • Eduardo Brito

    Tomara que as montadoras essa decisão e o ESP seja obrigatório em 2020 ou 2021.

  • Gustavo73

    Até a OMS está na “luta” pelo ESP de série já li que o custo seria de 100 dólares para veículos com sistema de abs modernos.

    • Guilherme Eduardo

      O problema são os que não tem sistemas modernos de ABS

      • Gustavo73

        Eu sei, mas esses que atualizrm seus produtos. A VWB já pode e deveria colocar em todos. Ford também.

  • BorisAWD

    É bom ter em carros 4×2…… seja dianteiro ou traseiro.
    Nos AWD permanentes nem faz falta.

    • radiobrasil

      Se não faz falta não estaria nas versões tops. Quer um exemplo:
      Outlander 2.0 4×2 – NÃO TEM ESP
      Outlander GT AWD – TEM ESP.

      • Bruce Wayne

        Ele quer dizer que não faz falta em carros AWD fulltime ( o que é meia verdade).
        Os que voce citou são AWD on-demand.

      • BorisAWD

        Voce já dirigiu um carro AWD permamente como os Subarus?
        Provavelmente nao. Está falando por achismo baseado na depenaçao da Mitsubishi brasileira.

  • Vattt

    Sete anos??? Pra que, ultimamente as montadoras empurraram os preços lá em cima em prol do lucro.
    Bota logo esse item e cobre a mais por isso, assim como ABS, nenhum carro manteve o mesmo valor depois de 2014. Empurra uma propaganda medíocre e mentirosa que brasileiro é tapado e compra tudo.

  • PrGirafales

    isso deveria ter sido item de serie ja junto com o ABS e Air bag… mas se aprovar sera mais um passo para carros mais seguros, só que tem um detalhe, tinha que ter uma fiscalização maior com mais exigencia de cash test pq tem muito carro ai que tem airbag e abs mas no fim nao ajuda em nada pq a estrutura do carro é um lixo

  • Castle_Bravo

    E aumentos nos preços virão em razão disso, como vêm em qualquer item obrigatório.

  • Darwin Luis Hardt

    isso nao vai acontecer até final de 2015. Pode escrever

  • konnyaro

    Um item importantíssimo em termos de segurança ativa, ou seja, serve para evitar acidentes.
    Quanto ao custo, seria irrisório comparado aos benefícios proporcionados: Quanto sai uma batida leve para consertar? Ficar internado em hospital custa quanto? A sua vida ou de um familiar seu vale quanto?
    Enquanto o povo não tiver consciência disto, as fábricas irão preferir investir em multimidia e conectividade, que para a geração smartphone é o item mais importante na hora da compra, infelizmente.
    Para os pseudo pilotos que acham que isto mata o prazer em dirigir, pois querem fazer curvas fazendo drift, a resposta é: Uma coisa é você dirigir no limite, pois está concentrado e sabe das limitações do carro, mas e no caso de algo inesperado? Pode ser um animal ou criança invadindo a pista (coisa que já vivenciei), um buraco na curva que te faça perder o controle(normal nas estradas brasileiras), óleo diesel derramado do tanque dos caminhões velhos nas curvas fechadas, outro doido como você invadindo sua pista… ou seja, os exemplos são muitos e nem sempre você terá reflexos ou calma para evitar os acidentes.

  • Fernando

    Hoje os carros como Onix, Hb, Ka por exemplo possuem o ESP? Me refiro aos modelos de entrada de cada um deles. Valeu

    • Fábio

      Claro que não. Carros de entrada só tem o básico, volante, motor e rodas hahahaha

      Lembro-me qdo meu pai comprou um gol 1000 mil quadrado com apenas um retrovisor, pq era lei somente o retrovisor do motorista, o retrovisor do lado do passageiro era “opcional” pela lei. Aí a VW tornou o item opcional para o consumidor tb. Não só a VW como todas as fabricantes nacionais da época. Carro com dois retrovisores éra carro completo, veja a que nivel estávamos.

      Tem que ter lei mesmo para obrigar esse tipo de coisa.

    • Gustavo73

      Só o Ka nas versões top 1.0 e 1.5.

    • radiobrasil

      Ka ja tem nas versoes top;

      • Fernando

        Só os modelo top entao? O Ka 1.0 SEL teria?rs ..valeu

  • Fabio Ferreira Dos Santos

    Enquanto isso ainda fabricam motos com freio a tambor.

  • Mauro Schramm

    Mimimi crise, mimimi custo Brasil, mimimi, mimimi…

  • Willian Ricardo Rodrigues

    Ontem vi na propaganda da FIAT sobre o AB como e fosse algo que ela desse p os clientes, pessoal desinformado vai achar que ela é boazinha, mas na real é obrigatório. Baita sacanagem

  • V12 for life

    Num país que está se lixando para a segurança, somente com obrigatoriedade para atender os que se importam, mas de 4 a 5 anos é uma piada, 2 já está ótimo e já decide o AEB junto já que não há porque esperar.

  • Fake_of_Silva

    E o preço vai subindo como sempre, se os populares hoje passam dos 30k, com certeza vão facilmente passar de 35k com ESP.

    • Gustavo73

      Passariam desse valor mesmo sem equipamento nenhum de segurança. Então que tenham pelo menos.

  • Já passou da hora, a Dilma não diz que o Brasil é um país de primeiro mundo? Então devemos ter tudo que o primeiro mundo tem, desde saúde e educação gratuita de qualidade, até impostos baixos e carros seguros.

  • Uma observação, o ESP não impede que o veículo perca a trajetória. O ESP auxilia o motorista a manter a trajetória. Se fosse assim carro com ESP nunca capotaria. É como um carro 5 estrelas em testes de colisão, não significa que você não possa morrer a bordo de um desses num acidente.

    • Bruce Wayne

      Verdade, o que evita acidentes graves com perigo de morte são maçanetas e frisos cromados.

      • Ironias a parte meu comentário não deixa de ter razão.

        • Bruce Wayne

          E qual o objetivo do comentario? fomentar a necessidade ou não do sistema? Informe educativo?

          É que vejo muita gente sempre tentar legitimizar um motivo contra para aquilo que não se possui ou não se tem interesse em possuir.

    • 1945_DE

      Você está completo de razão. Os equipamentos são apenas auxílios. É o caso do ABS, o qual a maioria não sabe usar aqui no Brasil. Todo mundo acha que é só pisar no freio que o carro vai fazer todos o serviço. Se o motorista que tem um carro com ABS não souber usar o carro em uma situação de colisão frontal, ele vai morrer no mesmo jeito. Eu aprendi a usar o ABS quando fiz um curso de pilotagem na Alemanha. É extremamente difícil manter o carro em uma trajetória sinuosa no meio de uma freada brusca em situação de pouca aderência. Se o motorista não fizer um curso e não souber usar o carro, o ABS ou ESP não vão ajudar muito em situações de risco.

      • Bruce Wayne

        Voce quer dizer que se a pessoa não souber dirigir um carro, não existe sistema ativo ou passivo que ajude, meio obvio isso né?!

        • 1945_DE

          Não Amigo, O problema é que esses equipamentos não fazem milagres. O motorista tem que pelo menos fazer um curso para aprender a utilizá-los. E aqui no Brasil, os centros de formação de condutores não ensina nem a frear o carro. As pessoas saem de lá sabendo apenas a colocar o veículo em movimento para frente e olhe lá.

      • radiobrasil

        Resumindo, como devemos usar o ABS?
        Eu sei que meu carro conta com ABS versao moderna, que ja tem o BAS. E no manual recomenda pisar com tudo no pedal e não aliviar, mesmo sentindo os trancos no mesmo.

        • 1945_DE

          A maioria das pessoas recebe este tipo de informação. Se você estiver em asfalto seco e não tiver que desviar de nada tudo bem. Dependendo da velocidade e da distancia que você estiver do obstáculo, você pode até evitar a colisão. Mas quando você estiver em situação de baixa aderência (asfalto molhado), e a distância for crítica, e a velocidade alta, o instinto do motorista vai ser pisar no freio com tudo e desviar bruscamente. Com esta reação instintiva, os sistemas de segurança com a ABS, BAS e ESP, vão chegar ao limite da aderência e ai as leis da física, que são muito mas forte, passarão a agir e o motorista vai perder o controle do carro mesmo com o auxílio de toda tecnologia. O correto é frear até o fim de curso e não recuar o pedal e desviar progressivamente do obstáculo sem fazer com que o deslocamento de massa ultrapasse o limite da aderência lateral. O ABS vai manter o pneus no limite da aderência, e o ESP vai manter o carro na trajetória. O problema é que o motorista para reagir em uma situação crítica como esta, tem que conhecer o seu carro e principalmente os limites dos equipamentos de segurança que o seu carro possui. E para isto só levado ele ao limite em situações criticas controladas em cursos de pilotagem. Ai o motorista vai estar mais preparado, pois não é só tirar carta e dirigir no dia a dia que dá ao motorista este tipo de percepção.

    • kravmaga

      Assim como o ABS não impede de bater porque não conseguiu frear, mas reduz consideravelmente a distância da frenagem e por isso todo mundo diz que é importante e virou obrigatório.

      • radiobrasil

        E tem gente que não sabe, mas tem sistemas mais simples de ABS e outros mais sofisticados que contam com BAS. E FAZ diferença!

    • radiobrasil

      O ESP é algo pra vc esquecer que existe e nem “pensar” em utilizá-lo, como o airbag.

  • GPE

    3 anos pro ESP e 4 a 5 para a frenagem de emergência. Lembrando que a implementação deve ocorrer gradualmente a cada ano, igual foi com o ABS.
    Pronto, arrumei um prazo razoável!

  • Bruno Wendel Marcolino

    Uma ótima noticia.

    Tomara que o politico que está tentando essa medida é pensando no bem do povo e não tenha nenhum “interesse” por trás disso. Falo isso pois é o que normalmente ocorre com qualquer lei ou medida obrigatória criada no Brasil.

    Até pouco tempo Extintor era obrigatório…..

  • Uma obrigatoriedade simples que deveria existir é que todo veículo tivesse repetidores de piscas laterais.

  • Danilo Fernandes

    Governo já está discutindo a obrigatoriedade do ESP e o sedan médio mais vendido do Brasil, o “carro de executivo do brasileiro”, o famoso COROLLA ainda não tem nem como opcional e nem na versão TOP de linha. É brincadeira esse povo!!!

  • Rafael

    Se hoje já é obrigatório o uso de ABS em todos os carros, e todos já possuem acelerador eletrônico, o sistema de controle de tração mais simples já pode ser facilmente instalado com um modulo adicional, não há porque pedir 7 Anos… Sabemos que há sistemas mais modernos que alem dos freios e acelerador, atuam também sobre a direção elétrica, neste caso ainda serão voltados para veículos mais caros…

  • Filipo

    É.. este é o país em que vivemos.. o governo ainda vai decidir se o item será obrigatório.
    Não tem que decidir, tem que tornar obrigatório sem sequer pestanejar!

  • Andre Henrique Melo

    vamos esperar quantas décadas? os Airberg levaram quase 15 anos para serem colocados como obrigatórios.Segurança em primeiro lugar.

  • Wagner Lopes

    Peguei muita chuva na 381 hoje com o 407 e comprovei como este sistema funciona bem! Aqui em casa carro sem ele já não entra mais.

  • radiobrasil

    Não dá pra esquecer… ESP + pneus mal conservados/gastos/mal calibrados a ajuda pode ir embora viu rss

  • Frederico

    ATÉ QUE ENFIM UMA LEI INTELIGENTE…
    Parabéns para o autor do projeto de lei.
    As montadoras querem 7 anos para poder ganhar dinheiro por mais tempo nas ”costas sofridas” dos trabalhadores e contribuintes (imposto) brasileiros.
    Tem que aprovar e dar o prazo até o final de 2018.

  • Leandro Balmant

    Antes tarde do que nunca. Mas por que tanto tempo para que as montadoras possam colocar isso nos carros? É apenas um sistema e não vai alterar em nada a estrutura dos carros, ou vai?

  • Guilherme Batista

    350 mil ferimentos e 34 mil mortes é coisa pra caraleo.
    Imagina a economia que isso geraria para o pais

  • Joildo Dias

    Já deveria ser obrigatório há muito tempo, mas quem sabe agora a dona toyota toma vergonha e implementa ESP no Corolla….

  • Wolfpack

    Esse país é uma piada. Em cinco anos estaremos vendo carros autonomos sendo lançados nos países desenvolvidos e nós introduzindo o ESP como item obrigatório. Isso é piada.

  • Perivaldo Silva

    Aproveita e coloca a obrigatoriedade do cinto de 3 pontos e encosto de cabeça para todos os passageiros, simples assim.

  • Marcos Lopes

    faltou:
    SEM ESP
    e sem habilidade.

  • kkkkkk

  • Sandro

    Se impedissem que pessoas incompetentes tirassem carteira certas tecnologias seriam desnecessárias em certos lugares. Controle de estabilidade para mim só é necessário em locais por exemplo que neve e que forma aquele gelo imperceptível por cima do asfalto. Mas no Brasil importasse tudo o possível para que pessoas sem a menor competência para dirigir continuem comprando carros.



Send this to friend