Home Comprando e Vendendo Dicas: como comprar um carro usado


como comprar carro usado Dicas: como comprar um carro usado




Não me diga que é apenas mulher que é enganada na hora de comprar um carro usado. Eu já comprei carro usado e depois fui notar um problema que eu não tinha identificado e que o vendedor (ESPERTÃO) não quis me falar. Sempre vai ter aquele vendedor de loja que fala mil maravilhas do seu carro e que te engana.

Comprar um carro usado não é fácil. Pra começar vamos falar da quilometragem. Essa parte é crítica. Se você quer um carro que tenha a quilometragem real, compre de particular. Pois as lojas, ah lojas… elas estão todas destinadas ao mármore do inferno. Vejamos aqui algumas dicas que recebemos de nosso site parceiro Motor Clube, para comprar carro usado:

1 -  Carroceria. Passe um imã na lata do carro, com um pano entre ele e a lata, pois se não tiver o pano, o dono do carro vai ficar um pouco vermelho. Se o imã soltar, é que tem massa ali naquela parte.

2 – Pintura. Observe se há diferenças de coloração na lataria e mancha de tinta nas borrachas e frisos. Pode ser que alguma parte do carro já tenha sido reparada. A chance cresce de acordo com a idade do carro.

3 – Suspensão. Se você ver como estão sendo gastos os pneus, você vai adivinhar se o carro tem problemas de suspensão. Mas de qualquer maneira, leve o carro a um centro automotivo para verificar mais a fundo.

4 – Ferrugem. Para ver se há ferrugem, verifique bolhas e pontos descascados na pintura. Verifique principalmente nas extremidades da lataria, como em lugares onde há borracha (nas portas, por exemplo).

5 – Portas. Se as portas não fecham direito, muito provavelmente o carro já bateu. Pode ser que o dono tenha um filho que seja uma peste, e que vivia se pendurando na porta, mas isso é menos provável.

6 – Amortecedores. Balançando o carro em cima de cada roda você consegue ver se o amortecedor está bom. Se ele pular mais de uma vez, tem que trocar a peça. Tente fazer isso em uma hora que não estiver acontecendo um terremoto perto de sua casa.

7 – Pneus. Só aceite eles se estiverem acima da “meia vida”. Geralmente quando a pessoa te diz que o pneu tem “meia vida” é que ele está nos últimos 30% de vida.

8 – Vidros. É importante que os vidros não apresentem nenhum tipo de trincado e apresente o número do chassi.

9 – Motor. Veja se não sai uma fumaça estranha do escape. Além disso, leve no seu mecânico de preferência, e não diga pro mecânico que o dono do carro é aquele que está ali com você. Ou então peça pro mecânico te dar a opinião dele depois, por telefone, pois ali na frente do dono do carro ás vezes fica chato falar mal.

10 – Painel. Teste todos os botões e funções do painel.

11 – Veja também como estão os retrovisores, forro, estofamento, todas as borrachas (as dos pedais e limpadores do pára-brisa também), espuma e mecanismos dos bancos, travas das portas e vidros elétricos.

12 – Ar-condicionado. Ele pode estar precisando de uma carga, daquelas que custam 80 reais ou mais.

13 – Observe os equipamentos de segurança, como extintor (se está vencido), macaco (se funciona), triângulo de sinalização, chave de roda, estepe.

14 – Som. Se o carro tiver som instalado e você for comprar ele com o som, veja o estado do CD e também dos falantes.

15 – Freio. Veja se o carro está com o fluído em ordem, pisando no pedal do freio com o carro ligado em ponto morto. Ele tem que baixar rapidamente, sem dificuldades.

16 – Veja se as revisões foram todas feitas corretamente. Mas isso só no caso de carros novos. Não vai adiantar verificar as revisões daquela Brasília 77.

17 – Chassi. O número do chassi deve ser único e registrado perto do motor, nos vidros e no documento do carro. Se observar que a gravação das letras e números do chassi está estranha ou raspada, há um forte indício de adulteração.

Se você gostou do carro, depois leve para o seu mecânico verificar estes itens:

1 – Situação do óleo do motor.
2 – Se a ventoinha do motor funciona.
3 – O aspecto do líquido de refrigeração do motor. Não deve ter sujeira e nem oleosidade.
4 – Verificação do filtro de ar; dos tubos, cabos e correias do motor.
5 – Detecção de ruído estranho no motor e prováveis problemas.
6 – Avaliação da suspensão, freios e direção hidráulica e escapamento, etc etc etc.

Não esqueça de dar uma volta com o carro para ver se sente confortável com ele. Mesmo que entenda de algum assunto, peça conselho para quem entende mais que você. Dependendo do problema que o carro apresentar, negocie um desconto no preço e calcule se vale a pena.

Texto: Gisele Galvão, da Equipe MotorClube, depois adaptado pelo famooooooso Eber do NA.


Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.