Combustíveis Mercado

Diesel: Um combustível apenas para carros europeus?

volkswagen_golf_2.0_tdi_bluemotion_5-door_10

Artigos recentes andam falando sobre o impacto que o Dieselgate pode ter no futuro do carro diesel nos EUA. O óleo combustível ainda é muito mal visto pelo consumidor americano, mas nos últimos anos, ele vem conquistando clientes por conta da alegada redução na emissão de poluentes e do conhecido baixo consumo.

No entanto, a confiança foi quebrada justamente pelo fabricante que puxada essa nova tendência no mercado americano, a Volkswagen. Agora, especialistas acreditam que o carro diesel ficará fora da lista de opções dos consumidores daqui em diante. E mais, essa falta de interesse pode ser ampliada para outros países por conta do escândalo bilionário.

Há quem diga que o carro diesel deverá desaparecer de mercados como Japão, China e Índia. Aliás, neste último, o automóvel com esse combustível está realmente ameaçado. Nesta semana, três fabricantes recorreram contra uma decisão judicial que proíbe as vendas de carros e utilitários esportivos diesel com motor acima de 2.0 litros.

A Suprema Corte da Índia pode até mesmo impedir a comercialização de carros compactos movidos por diesel, tais como o Maruti Dzire ou o Tata Bolt, por exemplo. A questão está gerando enorme polêmica na Índia, um país onde o combustível é bastante popular. A expectativa futura para alguns é que somente a Europa terá carros diesel em circulação nas próximas décadas. O produto responde hoje por 53% do total das vendas no continente.

E no Brasil? O diesel continua sendo proibido para automóveis e comerciais leves com capacidade de carga inferior a 1 tonelada. O mais próximo de um carro diesel que o consumidor pode comprar é um SUV 4×4, liberado desde que utilize tecnologia para redução de marcha.





  • CorsarioViajante

    Concordo, acho que a longo prazo todos os motores de combustão interna estão em cheque, pois são notoriamente pouco eficientes, seja com diesel, álcool ou gasolina.
    O diesel provavelmente vai ficar ainda mais restrito à alguns países.

    • João Cagnoni

      O álcool é extremamente eficiente, mas os meios de produção ainda não são.

      • Diego Amaral

        extremamente eficiente com o rendimento na casa dos 30%?

        • Marco Antônio

          sem contar no tamanho das lavouras necessárias para se produzir o etanol.

        • Pedro Cunha

          Acho que o camarada quis se referir á “matriz renovável”. Mas há quem alardeie por aí que mais lavouras para etanol, significam menos lavouras para alimentação humana… Mas, de tudo há sempre um ponto negativo, pois como o brasil consegue notoriedade internacional no agribusiness, se nosso povo paga cada vez mais caro pelos alimentos e pior ainda por depender de importações de determinados grãos? Então não vejo outro cenário nesse caso que não seja “cobrir um filho e pelar o outro”.

      • BillyTheKid

        Na verdade o álcool possui ~65% da densidade energética da gasolina, então ele é bem ineficiente. Tanto é que, nos carros flex, o consumo no álcool sempre é maior que na gasolina.

        De qualquer forma, a eficiência energética dos motores a combustão é baixíssima, na ordem de 25 a 30%; o resto vira calor (que o sistema de arrefecimento de seu carro precisa dissipar, desperdiçando ainda mais energia…).

        • João Cagnoni

          Acho que usamos a palavra eficiência de maneiras diferentes. Eu tentei dizer sobre o lado ambiental, o álcool no momento da queima é 100% ecológico, mas já ouvi dizer que se gasta 1500 litros de água para cada litro de etanol produzido. O problema do etanol está na produção e não na utilização.

      • Angelo_RSF

        Acho que tem uma confusão ai…

        A densidade energética de um combustível é uma coisa e a Eficiência é ou pode ser outra:

        – o álcool tem menos poder energético/quilo que a gasolina, mas um motor a álcool, como tem uma taxa de compressão maior que um motor a gasolina, tem um rendimento térmico maior (% de energia convertida em trabalho).

        Um quilo de Urânio radioativo tem energia pra Kct porém a usina nuclear , que é baseada em um ciclo de turbina à vapor tem um rendimento térmico bem baixo.

      • Deadlock

        Só se for comparar com o milho dos ianques (a cana produz muito mais álcool por hectare que o milho). Mas, eles são muito mais espertos que nós, que só queremos quebrar patentes. Corsário, mude o cheque para xeque, pois isso pode incomodar alguns… Cheque com ch é título de crédito (ordem de pagamento à vista), xeque com X é jogada de mestre (Bob Fischer, Karpov, Kasparov, etc.), em que não há saída para o adversário…

  • Gavlan The BeerMaster

    Os carro tinham que ser movidos igual ao dos Flintstones…
    Queria ver teria essa história de pode e não pode.

    • Deadlock

      É o futuro do BR. Petrobosta falida, energia elétrica com preços nas alturas, álcool idem. Estão acabando com esse país. O nosso futuro é voltar para a época das carroças, literalmente. Mas, o diesel não me faz falta, pois é muito poluente, além dos gases tóxicos, emite nano-partículas aos montes. Também por isso sou um ferrenho defensor das ferrovias e embarcações para o transporte de mercadorias pessoas.

  • Clovislauro

    Na Europa dizem que um Tesla agride a longo prazo muito mais o meio ambiente que um carro similar movido a Diesel por conta do demorado processo de decomposição das baterias e outras peças.

    • Pedro Rocha

      Muita gente fecha os olhos para a questão das baterias. Alegam que já existe tecnologia para reciclagem delas, mas a qual preço?
      A “modinha” do papel reciclado já passou porque, para salvar árvores, gasta-se uma quantidade ainda maior de água. Lembram-se de meados da década passada o etanol de milho era “a solução” e 2 anos depois foi execrado porque aumentou o preço dos alimentos (não só do milho, mas da carne por conta das rações)?
      Os ecochatos ganham dinheiro com bravatas, mas quero ver abrirem mão do ar-condicionado!

    • Desculpa, quem diz isso na Europa?

      • th!nk.t4nk

        Ninguém, já que na Europa tem muito mais carros elétricos que nos EUA.

        • Ah, esse “dizem” da internet!

          • Clovislauro

            Eu iria inventar essa informação a troco de que? Não tenho nenhum conhecimento técnico para falar do assunto, apenas li por algumas vezes em publicações europeias essa informação, a ultima vez foi na Autobild. Apenas achei interessante compartilhar, porque tudo tem os 2 lados da história.

            • Como respondi lá embaixo, não acho que seja o caso, mas existiriam motivos para uma pessoa propagar qualquer idéia. Mas a questão nem é essa. Mesmo não sendo a fonte de uma idéia, ao propagá-las nos tornamos co-responsáveis por sua disseminação (e eventuais consequências). E aí não vai valer dizer o famoso “dizem”, “ouvi dizer”, “não fui eu quem falou”… Eu poderia usar o famoso “dizem” para falar que o desastre de Mariana foi bom para o meio-ambiente, que o homem nunca pisou na lua, que a ditadura foi a melhor coisa que aconteceu nesse país e tantas outras… E mesmo sem ser biólogo, astrônomo ou historiador temos que ser bastante críticos com o que ouvimos dizer e reproduzimos. No caso eu usaria a lógica: Está na Autobuild, mas qual foi a fonte da publicação e em que contexto foi publicado (Aposto que na Autobuild também deve ter matérias dizendo que carros a gasolina são o melhor para natureza e matérias dizendo que o diesel é o melhor. O fato de aparecer na publicação não quer dizer que seja verdade, até porque as vezes ela só está dando voz a diferentes visões de uma questão, mesmo que essas visões sejam conflitantes)?
              Agora, sem conhecer a questão técnica, NA SUA OPINIÃO, acha mesmo que um carro elétrico seja um agente de poluição maior que um carro a combustão? Na minha opinião eu jogo um grande DEPENDE: No Brasil que tem base hidroelétrica e no Japão que tem base atômica (Que querendo ou não já nasce com um plano de descarte das sobras, Godzillas, Spectromans e terremotos a parte) sim. Onde a energia for a base de termoelétricas, não.

              • Tosoobservando

                No futuro vamos usar uma fonte inesgotavel de energia limpa, o sol!

                • Não sei… No fundo penso como você… Mas como o @jonathan_machado_de_souza:disqus disse, qual o custo para o planeta de fabricação das placas?
                  Alguns dizem que o futuro é o hidrogênio. Eu apostaria em um misto de hidrogênio e solar.

                • Deadlock

                  Isso se o governo permitir…

            • Também vejo dessa forma. O tal “carro verde” é um engodo, nenhum carro é verdadeiramente amigo do meio ambiente. A indústria que produz um carro elétrico também é poluidora. Se para mais ou para menos, o fato é que esse papo de carro ecológico é modinha.

              • Você já viu o índice de doenças respiratórias da cidade de São Paulo? Uma coincidência devido ao clima com certeza, não é? Mas andando poucos quilômetros até Jundiaí o problema “some”… Que coincidência!

                • Mantenho o que eu disse: Não existe carro ecológico, apenas existem veículos que causam menos impacto ao meio-ambiente, mas todos geram poluição já na fábrica, seja do pneu, vidro, pintura etc.

                  • Aí tenho que concordar contigo. Mas então optamos por aqueles que agridem menos, não?

                    • Não é tão simples. Usando teu exemplo, não adianta deixar São Paulo com uma fictícia frota com 100% de carros elétricos se todos estes veículos forem produzidos em Jundiaí. Apenas mudaremos a poluição de endereço.

                    • Mas para a produção dos carros, existe ISO 14001. Sei porque trabalhei em um fornecedor de Ford, Chevrolet, VW e Caterpillar que lutou muito para conseguir essa certificação por exigência da GM.

                  • saosao

                    É só o ponto de vista que muda. Um carro polui menos, mas gera poluição ao ser fabricado.
                    Uma bike não polui nada o meio ambiente, mas polui ao ser fabricado.
                    Um tênis para andar a pé não polui nada e melhora o físico, mas polui ao ser fabricado.
                    Decidam-se… rs

      • BillyTheKid

        Provavelmente as companhias de petróleo, ou cientistas pagos por elas. Enfim, fontes 100% confiáveis que só querem o nosso bem, e que continuemos usando suco de dinossauro em motores extremamente ineficientes.

        • Não falando especificamente do comentário do colega, ou até desse tema, mas como ficou comum abraçarem idéias mesmo que elas não façam sentido, pela extrema necessidade (???) de se diferenciar, não? Passamos do “Se está na internet é verdade” para o “se todo mundo diz é mentira” e “se alguém disse provavelmente é verdade”… E hoje as discussões seguem essa lógica em todos os cantos: Política, opção sexual, astronomia, esporte, religião… No fundo acho que na maioria dos casos são pessoas sem capacidade de pensar por si só que querem abraçar uma idéia que as faça ter algum destaque em qualquer discussão. Mas nesses momentos eu prefiro a lucidez e sofisticação do grade sambista e passista da Mangueira,
          Abraham Lincoln de Oliveira Silva: “É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do quer falar e acabar com a dúvida”

          • BillyTheKid

            Na verdade hoje em dia é possível encontrar fontes pra defender praticamente qualquer ideia que você desejar. Não existe mídia neutra; no caso de carros elétricos, existem os que querem esse avanço e publicam boas notícias sobre o tema, e existem os que não querem e procuram de qualquer forma manchar a imagem dessa tecnologia.

            Depende de cada pessoa pensar bem no que acreditar e sempre levar em conta em qual dos lados a fonte da sua notícia está. Pedir para um fã de motores V8 com câmbio manual defender um carro elétrico é tão genial quanto pedir para um petista defender a Dilma.

            Enfim, sempre que eu vejo alguém defendendo carros a combustão eu me lembro do caso da GM e a gasolina com chumbo…

            • Mas é complicado 1/4 da maior cidade da América Latina sofrer com problema respiratório e se afastando um pouco da cidade o problema some e algumas pessoas justificando que os mortos estão com frescuras ambientalistas… Não precisa entender do assunto… Basta pensar um pouquinho…

    • Wolfpack

      Os Tesla não são neutros ao meio ambiente. Suas baterias de lítio devem ser recicladas, e principalmente a fonte de energia para suas baterias deve ser limpa, não óleo combustível ou carvão!

  • Pedro Rocha

    O diesel teve o consumo restringido no Brasil para priorizar a utilização daquele pela cadeia produtiva – por isso a liberação apenas para veículos de carga e 4×4 – enquanto o etanol atenderia os veículos “de passeio”.

    Quem diria que o nosso atraso se tornaria vanguardista!

    • SDS SP

      Pois é. Nossas refinarias operam no limite da capacidade e mal conseguem produzir gasolina em quantidade suficiente, e o que dizer do diesel?

      Esse negócio de tudo relacionado a combustível ficar somente nas mãos da Petrobras não dá certo.

      • Tosoobservando

        EU ja acho o contrario quanto mais opções tiver melhor para o mercado, e com certeza devia acabar o monopolio da estatal.

        • SDS SP

          Também acho que mais opções são válidas, mas precisamos investir mais na capacidade de refino para aumentar à oferta, mas do jeito que está à Petrobras, duvido que isto aconteça.

      • 4lex5andro

        todo monopolio (seja petrobras, correios ou eletrobras) atenta contra o funcionamento de um mercado que premie competencia e inovaçao..

    • Tosoobservando

      Vanguardista onde se isso ocorreu pra nao fazer investimento em ferrovias, e hoje temos ae 58% do transporte de cargas em caminhões. Ate a Argentina tem mais ferrovias e utiliza mais que nos.

      • SDS SP

        E um detalhe, quase metade da nossa malha ferroviária é da época do Império, ou seja, muito provavelmente não atende os propósitos atuais.

        Não é por menos que manter montadoras de caminhões por aqui é um negócio lucrativo.

        • Pedro Rocha

          Por isso mesmo elas foram extintas, pois eram economicamente inviáveis.

          • Tosoobservando

            Economicamente inviaveis pq temos um gestão porca. Na Inglaterra tem ferrovias da epoca da revolução industrial sendo usadas ate hoje, apenas com algumas reformas. Vc demonstra nao entender nada de ferrovias.

            • Pedro Rocha

              Sou pós-graduado em Gestão de Produção, por isso vejo a cadeia produtiva como um todo, não apenas o trem. Não pense que é fácil ficar contra o senso comum.
              No Brasil tivemos várias dessas pequenas e médias ferrovias hoje abandonadas porque muitas delas usavam mão-de-obra semi-escrava em suas construções e manutenção, além do custo operacional muito superior ao inglês, cuja própria geografia física (neve, chuvas e uma ilha relativamente plana, fora as Highlands) e humana (novamente grandes centros industriais e populacionais próximos) – propicia o uso desse modal.
              Para ficar mais claro: Japão e Europa possuem grandes centros industriais e populacionais próximos e usam trens-bala há tempos, enquanto nos EUA só agora começaram a investir nesse modal. Os norte-americanos demonstram não entender nada de ferrovias…

              • Tosoobservando

                Como alguem pos-graduado passa informações erradas? Te mandei os graficos e tem N comparativos por ae das malhas de transporte entre os países. Seu desconhecimento comprova pq o Brasil esta em ultimo em varios rankings internacionais de educação e logistica e pior, pq temos esse modelo tao ruim em vigencia, com graduados igual a vc nao me admira tantos erros cometidos por “pessoas estudadas” do país.

                • Pedro Rocha

                  Em vez de ficar me insultando, aprenda com quem entende. A conta não é tão simplória:

                  “Existe uma distância razoável a ser percorrida por cada modal?
                  A ferrovia considera-se de 500 a 3.000 mil quilômetros. Abaixo disso, o caminhão é imbatível. Por exemplo, o caminhão de São Paulo ao Rio de Janeiro, não tem o que conversar. Do Mato Grosso aos portos, o trem é imbatível. Acima disso tem de ser pelo mar.”

                  http://www.cargapesada.com.br/noticias/noticia_ver.php?id=3485

                  • Tosoobservando

                    Kra quem falou disso? Estavamos falando sobre países continentais e o uso de ferrovias neles, e vc veio com um monte de equivocos pra defender que nosso sistema é mais eficaz, sendo que não é. O nosso é um dos piores, alias é um dos motivos tambem das coisas custarem tao caras no país.

                    • Pedro Rocha

                      Não estou dizendo que é o melhor, longe disso. A conversa começou sobre extinção de pequenas e médias ferrovias inviáveis. Acho que estamos nos prolongando muito falando de ferrovias em um site automotivo. =D
                      Mas para resumir um pouco de nossa proveitosa conversa (fora os insultos), o trem é um modal para alta demanda e ele vai onde está a demanda. As pequenas e médias ferrovias deixaram de existir porque tornaram-se inviáveis pela baixa demanda, que passou a ser atendida por caminhões, um modal mais caro por km ou tonelada, mas foi o que sobrou.
                      Nossa malha ferroviária contina existindo nas Regiões Sul e Sudeste por conta de nossa desigualdade regional oriunda do processo histórico e está ampliando-se para o Centro-Oeste porque a economia dessa Região (exportação de soja, por ex.) passou a exigir um modal mais eficiente para ligá-la aos modal hidroviário naval. Se a lei da oferta e da procura não funcionou antes, lembremos que o sistema ferroviário brasileiro era monopólio estatal, um fator importante do qual cometi o erro de só comentar agora.
                      Resumindo, você precisa que a demanda de carga aumente para trocar uma Strada por uma S10. Em grande escala, uma região precisa que a economia cresça para evoluir dos caminhões para a ferrovia.

                    • Tosoobservando

                      Kra os Eua tem quase 230 mil km de ferrovias, vc disse que nao entendem nada de ferrovias (nao é pq nao investem no trem-bala que nao entendem ne sabichao), vc citou varios países ae dizendo que usam mais transporte rodoviario que ferroviario, outra mentira, todos que vc citou utilizam como principal modal a ferrovia, e sao países continentais como o Brasil, ou seja, nossa escolha é a pior, nossa logistica ésta entre as piores do mundo. Nosso sistema é ineficaz pq alem da corrupçaõ e projetos ruins, como os ex da Ferrovia Madeira-mamora e Norte-sul, temos o problema da falta de investimentos no setor, pois o governo prefere investir em portos em cuba, emprestar pra Venezuela, etc… Veja nos graficos, temos menos ferrovias ate que Argentina e AFrica do Sul. Vc falou tanta baboseira e inverdades que me assusta tal desconhecimento em pessoa que se diz graduada.

                    • Pedro Rocha

                      Estou tentando te explicar o contexto nacional e você continua se achando o bonzão com base em gráficos extraídos da Internet fora de contexto comparando realidades nacionais distintas. Você consegue dados e informações na Internet, mas não consegue gerar conhecimento e inteligência.
                      Não adianta tentar conversar com quem não quer aprender. Passar bem.

                    • Tosoobservando

                      kkkkk fala quem so falou asneira ate agora, propagar mentiras dizendo que tem curriculo de pos-graduando que é bom entao? Me ajuda ne.
                      Eu ja sei o contexto nacional, so respondi com graficos reais, se sao pegos da internet nao os desmerecem, pois se vc tivesse realmente estudado isso vc saberia o minimo. Como eu respondi antes eu ja sabia destes dados e quando vc começou a falar aquelas asneiras eu fiquei indignado sim e busquei os graficos e as informações detalhadas.

              • Tosoobservando

                Pera que o assunto aqui em nenhum momento foi trem-bala kkk estamos falando de ferrovias para transporte de mercadorias. Sua estrategia de mudar de foco pra tapar o buraco do seu erro gritante é ridicula, pos-graduando de araque.

              • Tosoobservando

                Pera que o assunto aqui em nenhum momento foi trem-bala kkk estamos falando de ferrovias para transporte de mercadorias. Sua estrategia de mudar de foco pra tapar o buraco do seu erro gritante é ridicula, pos-graduando de araque. Vai ae novo grafico.

      • Pedro Rocha

        O modal ferroviário é indicado para locais com altos fluxos de transporte, como a soja que sai do Centro-Oeste para os portos ou interligação de grandes centros industriais como na Europa e Japão. Países de tamanho similar ao como os EUA, Canadá e Austrália também tem o modal rodoviário como predominante, por não terem no geral grandes centros urbanos ou industriais próximos uns aos outros.
        A questão não é tão simples, porque para carregar um 3 são 3 fretes: um da fábrica para a estação ferroviária, o trem propriamente dito e o da estação de destino para o destino final. Boa parte de nossas ferrovias, que ligavam cidades pequenas e médias, desapareceram porque é mais barato pagar apenas um único frete rodoviário.

        • Tosoobservando

          Canada, Australia e Eua tem muito, mas muito mais ferrovias, o modal ferroviario predomina. Tanto que o CAnada e a Australia tem duas grandes redes ferroviarias que cortam os paises de leste-oeste, entrocamentos norte-sul. Ja os Eua chega a ter 4 grandes ferrovias cortando o país, alem de varios entrocamentos. Olhe os mapas ferroviarios e compara. O Brasil nao tem nenhum, e nao vai ter por um bom tempo pois todas as tentativas fracassaram por roubalheira e projetos mal feitos, como Madeira-Mamore (tentativa leste-oeste) e Norte-sul (se arrasta ha mais de 20 anos e nao tem previsão).

        • Tosoobservando

          Vc fala uma inverdade, pois oficialmente é o contrario.

          • Pedro Rocha

            Sua informação não contrasta com a minha (fora eu estar desatualizado quanto à Austrália, pelo qual agradeço a informação) mas complementa. No caso europeu, especificamente na Rússia, o modal ferroviário é o que menos sofre no inverno, por isso a falta de opção deles por outros modais de alta demanda como o hidroviário, no qual Brasil e EUA são grandes usuários por terem grandes áreas costeiras e rios navegáveis. A Inglaterra também opta por esse modal por motivos semelhantes aos russos, não só por conta do inverno como também pela temporada de chuvas.
            Não discordo de que o Brasil tem um déficit de ferrovias economicamente viáveis e que a Transamazônica deveria ser uma ferrovia em vez de uma estrada de terra, mas se o modal ferroviário fosse a solução de todos os problemas os EUA teriam mais ferrovias do que a Rússia, por exemplo. Novamente entra a comparação entre esses países, pois a Rússia possui vazios demográficos e alta concentração de parque industrial no lado europeu; enquanto nos EUA as grandes cidades são dispersas.

            • Tosoobservando

              Amigo mas os Eua tem mais ferrovias que a Russia e qualquer outro país do mundo, mais uma informação, em porcentagem a Russia utiliza mais, mas em km de malha ferroviaria, os Eua tem muito mais, sao quase 230 mil km contra 128 mil da Russia, segundo colocado no ranking mundial, ou seja, 100 mil km a mais. Depois vem China, India, Canada, Australia, Alemanha, Argentina, AFrica do Sul, França e ae sim o Brasil. Ou seja, sua teoria de que só países pequenos da Europa e Japão investem em ferrovias é uma piada. Onde vc fez faculdade pra eu passar bem longe???

            • Tosoobservando

              Veja mais um grafico da malha ferroviaria por país.

        • Tosoobservando
  • thi

    Marca líder na europa , China e alguns mercados da amarica do sul …pq a VW nunca vingou nos EUA ..qd começou a subir os americanos deram um tiro certeiro ,matando a alemã ( apesar de está errada)

    • 4lex5andro

      nao só a volks, mas renault e fiat, outras grandes europeias, pelo mesmo motivo nao vingaram no mercado americano , pois optaram em nao produzir carros para a preferencia local (ou seja, picapes e sedans grandes) ..

      um exemplo é a industria niponica, que no mercado domestico prioriza carros menores e usa muito o diesel, mas na hora de fabricar lexus e infiniti, praticamente 100% era exportado, e obteve muito sucesso, tomando o lugar que antes era de plymouth, mercury e oldsmobile ..

  • zekinha71

    Antes eu queria carro a diesel, mas como sempre vejo muitas pickups e vans soltando fumaça preta pra todo lado, e a maioria são veículos novos, imagina o que aconteceria se liberassem os carros.
    Teríamos que andar com máscaras igual na China. Quem passou no centro de São Paulo nos anos 80 sabe como é.

    • BillyTheKid

      Teve uma época em que, após o trabalho, eu tinha que ficar uns 30 minutos por dia esperando num ponto de ônibus. Em uma semana eu comecei a ter dor de garganta, e não era gripe ou resfriado. Depois eu comecei a esperar meu ônibus em outro ponto, menos movimentado, e não tive mais esse problema.

      Não vejo a hora de termos carros elétricos a preços mais acessíveis aqui no Brasil.

  • Ric53

    Noffaaa mas tudo lá fora é melhor, aqui no Brasil é moh bostaaaaa, só aqui que num pódiiiiii!!!

    Corporativismo existe em qualquer lugar do mundo meu caros, o Diesel foi o maior tiro no pé na Europa e Estados Unidos!

  • No_Name

    Nem a Europa já está mais tão afim dos motores diesel. Motores como o EcoBoost 1.0 estão a bombar por lá. Dentro da Ford a demanda pelos Duratorq caiu vertiginosamente.

    • 4lex5andro

      o proximo passo das montadoras europeias sao os carros hibridos e eletricos ..

      fora a gra-bretanha e a noruega (esta com um mercado pequeno), nenhum país europeu esta sequer perto de ser autossuficiente em petroleo e derivados ..

  • Leonardo Balieiro

    E o biodiesel ?

    • Rafael Yashiro

      Carece do mesmo problema do Etanol: Produção.
      O Biodiesel usado (diga-se de passagem, bem pouco) no Brasil é só uma parte de Diesel feito de fonte renovável. O problema é: Como abastecer uma frota enorme com Biodiesel se tem que se plantar a matéria prima dele? Etanol idem. O Brasil é o país que conseguiu melhorzinho extrair Etanol, mas ao custo de milhares e milhares de hectares de cana, milho, ou qualquer outra coisa, porém não tem como abastecer uma frota toda de veículos com esse combustível, é inviável. E o Etanol não é tão eficiente como a gasolina, então teria que custar bem barato para valer a pena, e é exatamente por isso que só alguns estados brasileiros tem Etanol a preço que realmente valha a pena colocar no tanque.
      Sabe, muita gente ganha dinheiro com Etanol, então é um cartel que tem que continuar, não concorda?

  • Wolfpack

    O diesel teve seu momento e agora face as novas leis de emissões e veículos híbridos e elétricos está com os dias contados mesmo na Europa. O motor Diesel para atender as normas de emissões depende de tecnologias bem caras, como injeção de ureia, e/ou requeima dos gases de exaustão. Algo mais fácil de se atingir com os motores Otto. Pergunto, o que fizemos com o nosso pro-álcool?! O Brasil consegue ao mesmo tempo complicar as coisas, pois tinha um programa promissor que foi destruído pela Petrobrás e o Governo.

  • saosao

    Eu prevejo o seguinte: a gente briga para termos carro a diesel aqui no Brasil.
    E depois de conseguirmos, brigamos com as pessoas que compram carros a diesel, por poluírem tanto o meio ambiente.

  • Guilherme Eduardo

    Para mim seria bom se pelo menos fosse ampliado o uso do diesel. Poderiam liberar para carros comerciais 4×2 e que carreguem menos de 1 ton. Imaginem uma Fiat Strada 1.3 ou 1.6 Multijet…

    • Pipo pipo

      No ano 2000 tive um clico 1.9 diesel em Portugal, pior média era 20 km/l, andando forte em auto estradas.
      Obs: motor aspirado, lento de saída mas muito forte.
      Sou fã de motor diesel, o problema no Brasil é que só está disponível em veículos de manutenção e seguro caros, tive Frontier, sei o que falo.

    • Pedro Rocha

      O pior é que foi ao contrário, pois em meados nos anos 1990 o governo estudou restringir ainda mais o diesel, proibindo o uso desse combustível por picapes cabines-dupla, mas isso não passou de um estudo.

  • Pedro Cunha

    Na verdade, a má-fé da sra. alemã gerou toda essa contenda. As vantagens do combustível diesel são notórias, sem contar que com toda a tecnologia atual temos sim motores diesel eficientes e limpos. Esse tiro no pé que a VW deu, abriu a brecha que tantos outros fabricantes com menos “know-how” nesse tipo de motor tanto esperavam. Os fabricantes estão pouco se f_d3end0 com a questão ambiental, querem mesmo é vender, e se puderem vender mais, com custos fabris(desenvolvimento, pesquisa, testes) menores, então é o paraíso.
    Acho que a “rejeição” ou proibição do uso do diesel em carros de passeio é um retrocesso, é uma decisão prematura e, nos casos de países como a Índia, é também uma decisão burra(ainda mais burra que a proibição daqui da banânia) pois mexe muito forte no bolso do povo. Por mais que queiram justificar com o maior custo de manutenção do diesel em relação aos motores gasolina, há outros inúmeros pontos á ponderar.

  • Augusto Corleone

    Acho que o futuro pertence aos híbridos, carros meio elétricos meio combustão, pois ainda não dá pra substituir integralmente os motores a combustão.



Send this to friend