_Destaque Elétricos Finanças Governamental/Legal Híbridos Mercado

Elétricos e híbridos querem mais incentivos e participação no Brasil

bmw-i3-rex-avaliação-NA (103)

Quando foi instituído em 2012, o Inovar-Auto não contemplava especificamente carros elétricos e híbridos, focando mais na pesquisa e desenvolvimento e na busca de metas de eficiência energética por parte dos fabricantes de veículos comuns.

O tempo passou e, até o momento, carros elétricos e híbridos ainda estão à margem dos interesses do governo, que mantém o Inovar-Auto para fazer com que os níveis de consumo e emissão melhorem 12,08%.

Com vencimento em outubro de 2017, várias tecnologias estão hoje em evidência, especialmente aquelas relacionadas com motores de três cilindros, direção elétrica, pneus verdes, Start&Stop, turbo, injeção direta, entre outros.

ford-fusion-hybrid-avaliacao-NA (104)

De acordo com a ABVE – Associação Brasileira de Veículos Elétricos – dos 2.017.639 veículos emplacados em 2015 no Brasil, apenas 0,00042% eram elétricos ou híbridos, representando apenas 846 exemplares. No mundo, o segmento tem 5% de participação.

Apesar do pequeno volume, os híbridos e elétricos conseguem preencher os requisitos do Inovar-Auto em 15,46% e 18,84%, segundo a ABVE. Com isso, os fabricantes desses tipos de veículos conseguem créditos presumidos de 1% e 2% do IPI, não interferindo na participação dos motores à combustão.

Para a ABVE, os quatro anos de Inovar-Auto trouxeram poucos benefícios para o segmento, que ainda enfrenta grande carga tributária (carro elétrico paga 25% de IPI, por exemplo), preço elevado das baterias, falta de padronização em plugues, inexistência de infraestrutura para recarga, falta de estímulo nas vendas, regulação da venda de energia e a não redução do IPI.

lexus-ct-200h-avaliação-NA (74)

Mas, ainda assim, elétricos e híbridos conseguiram alguma mobilização em âmbito nacional, estadual e municipal durante o período. O imposto de importação caiu de 35% para entre 0% e 7%, redução de taxas e aumento dos prazos para pagamento no BNDES para aquisição de ônibus elétricos, eletroposto na estrada (CPFL e Rede Graal) e isenção de rodízio em São Paulo.

Além disso, sete estados isentam carros elétricos do pagamento do IPVA, sendo eles Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe. De forma parcial, o IPVA é cortado em São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul. A ABVE diz que elétricos e híbridos precisam de mais espaço nas metas de eficiência energética e incentivos.

A entidade pleiteia a venda de energia elétrica como combustível, padronização dos plugues, redução do IPI, equiparação de impostos de importação para bicicletas, motos, scooters e equipamentos elétricos e aprovação de infraestrutura para recarga de veículos.

jac-iev4-avaliação-NA (50)

Para colocar esses pontos e mostrar a tecnologia de carros elétricos e híbridos ao consumidor brasileiro, a ABVE fará uma carreata por São Paulo no dia 27 de agosto (sábado), onde realizar-se-á a 1ª edição do Movimento Paulistano do Veículo Elétrico e Híbrido, que ocorrerá na Praça Amadeu Amaral, bairro do Paraíso, às 9h. A carreata sairá às 10h e terminará na Praça Charles Miller, Pacaembu.

No mês de setembro, ocorrerá – também em São Paulo – o 12º Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias, entre os dias 1 e 3 de setembro, no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte.

[Fonte: ABVE]





  • Maycon Farias

    Acho extremamente difícil isso acontecer antes de meio século. A Fiat estava fazendo a weekend elétrica desde quando inventaram a roda e até hoje nada. O Prius chegou depois de 10 anos de mercado Internacional e chegou caro impedindo o acesso da grande maioria. Quero ser otimista mas nosso país não tem abertura para nada, Acho que só não somos pior que Coreia do Norte.

  • afonso200

    pessoal fala do start stop, vai la ver o preço de uma bateria pra esse sistema, nao baixa de 1300reais, e se arrebenta motor de arranque vai la ver o preço, nao compensa,,,,,,, daqui uns 4 anos quero esse novo cruze LTZ Plus seminovo(4 anos) na minha garagem, primeira coisa vou desativar esse start stop, nem que seja na marretada

    • Douglas

      E a economia de combustível é pifia.
      O meu Sonic por exemplo, em marcha-lenta consome 1 litro por hora, imagina quantas paradas serão necessárias para economizar 1 litro.
      E quando for trocar a bateria toda a economia vai por água abaixo.
      Esse desliga-liga é uma das coisas mais sem noção que já vi.

      • Pacheco

        Por isso que tem que saber qndo desliga. Em congestionamento médio, não compensa. Agora aquele transito caotico da radial leste que vc fica 5 min parado, vale a pena.

        • Edson Fernandes

          Ao custo da bateria a cada 1 ano e meio a 2 anos de uso? Na boa… não economiza se pensar na pratica.

          O custo da bateria faz toda sua economia ir por agua abaixo.

    • Matheus

      Dependendo do trajeto, a economia de combustível pode chegar a 10%.

    • Leonardo M

      E pior, o do Cruze é INDESLIGÁVEL! Em dia quente, a pessoa sofre, já que essa promessa de quem se tiver calor não desliga, nunca vi funcionar de fato em nenhum carro. Meu colega mesmo que tem uma BMW desativou a função, a economia é insignificante e ainda desliga o carro quando não deveria (calor).

  • Douglas

    Seja aqui ou na Europa os carros elétricos não pegam simplesmente porque são caros demais para se produzir.
    E incentivos fiscais para eles só serão desperdício de dinheiro público.
    Se algum dia o custo de produção dos elétricos chegar perto do custo dos carros a combustão eles irão vender bem seja com ou sem incentivos.

    • leandro

      A idéia do incentivo é justamente ganhar escala de produção para assim cair os preços…
      Mas não se preocupem, em breve chegarão os chineses

  • Airplane

    Os híbridos e elétricos são o futuro e aqui no Brasil querem liberar carros de passeio diesel. Lamentável.

    • Pacheco

      Isso que eu penso. Porem poderia ter alguns incentivos aos Hibridos.
      Poderia zerar alguns impostos com a condição de que as montadoras começassem a produzir aqui alguns equipamentos ou até mesmo os veiculos por completo.

      • Airplane

        Vc tem toda razão: os híbridos vendidos aqui, como o Fusion Hybrid por exemplo, poderiam ser fabricados no Brasil se houvesse incentivos.

        • Pacheco

          As marcas são vão pensar em fabricar se houver incentivo.
          A Toyota já falou que se o Governo ajudar, ela fabrica o Prius aqui.

  • amarelonãotemcota

    ta dificil

  • Compro Vidro de Perfume Vaziou

    Vai ter é Inova Auto pra Elétricos e Híbridos que vai atrasar o mercado Brasileiro em mais de 50 anos

    • Pacheco

      Vishhh… ai já era

  • CanalhaRS

    Não precisamos de carros modernos, elétricos, seguros… somos a nação do futebol, do carnaval, da malandragem, das mulatas…deixem esses assuntos difíceis e essas modernidades para os estrangeiros…

    • João Cagnoni

      • Adenilson

        Pior que o CanalhaRS tá é certo. Cansei de ouvir gente que não precisa de airbag no carro e que Deus protege, vc tira por ai…

  • Helio George Dantas de Aguiar

    Questiono pq as pessoas precisam de carros elétricos nos moldes dos que existem hoje… bateria são muito caras, geram um problema a mais pra quando forem descartadas, e a matéria prima é escassa considerando a frota mundial de carros… não temos tecnologia desenvolvida aqui e nem producao, não temos infra estrutura necessária, já que a produção de energia elétrica não da conta das casas qto mais de uma considerável frota de veículos… vamos queimar diesel em usinas elétricas pra não queimar nos carros? não faz muito sentido… o brasil tem uma grande potencial com o álcool que não eh valorizado.. a produção de cana reabsorve grande parte do CO2, a infraestrutura de abastecimento esta toda ai, e se tivesse um governo que regulasse isso de forma segura, não precisaríamos de carros flex, e poderíamos ter carros 100% álcool e portanto muito mais eficientes…

    • T1000

      O problema da cana é que ela toma o lugar de culturas de alimentos e pecuária, fazendo o preço deles disparar. Acaba com o meio ambiente, pois é uma monocultura e em muitos lugares ainda usam o processo de queimada antes da colheita. A produção de etanol também produz o vinhoto, que, se não adequadamente tratado, polui rios e lençóis freáticos.
      Fora que ainda por cima o preço do etanol é caro, dado seu baixo rendimento.
      Por outro lado, da gasolina e do diesel, hoje temos motores mais eficientes e menos poluentes. Os processos podem ser ‘sujos’, mas ocupam uma área muito menor que a monocultura da cana.
      Tenho a impressão que gasolina e diesel têm menos impacto ambiental que o etanol.

      • Helio George Dantas de Aguiar

        A ideia de a cana é responsável pelo aumento de preço de alimento é controversa, e tem mais a ver com um jogo politico do que influencia real de fato… áreas cultiváveis no brasil ainda são subutilizadas… realmente existem vários pontos a serem verificados, a questão é complexa… de fato não faria sentido produzir poluição de outros meio de produção pra substituir a gasolina… a própria industria de alimentos eh responsável por uma quantidade absurda de poluição e isso não é tido como importante e existe um lobby apenas para colocar o carro como vilão da historia…. é preciso que abordagem deste assunto seja mais abrangente do que é hoje.

        • Edson Fernandes

          Mas se pensar da forma que vc disse, não teriamos nada aqui. Injeção eletronica poderia dar problemas, uma valvula termostatica travar… (e trava), um vidro eletrico deixar de funcionar, uma trava eletrica deixar de fechar o carro… e por aí vai.

          Ou seja… temos que ter sim novos modos de condução e novos combustiveis… para que nosso mercado tenha concorrencia.

  • Tosoobservando

    So liberar para os chineses, eles tem varios de todo tipo possivel..

  • paulo sergio berezovski

    Como sempre o governo fazendo merda e depois vem com incentivos,corta esses 25% de IPI e todos os outros impostos que paga ao comprar um elétrico,pronto as pessoas vão correndo comprar,essa ideia de deixar de cobrar ipva é uma idiotice,pra começar que ipva nem deve existir não faz sentido pagar aluguel do carro que você já pagou,tem que ser icva e custar uns 300 reais para carros até 1200 kg,350 para carros até 2000 kg e assim vai e ter um limite de 600 reais para os veículos super pesados,atualmente é uma piada que carros velhos que poluem mais e fazem mais barulho sejam isentos

  • Poperon

    Caramba, o desenvolvimento dos Elétricos e Híbridos está tão avançado, que até vontade própria eles já estão tendo! Começaram a querer as coisas, segundo o título da notícia!

    • Vitão

      ahahahaaaaaah

  • thiago_lacerda88 .

    aqui em Cuba? a ta, vai esperando..