Elétricos Japão Mercado

Elétricos: Japão já tem mais pontos de recarga do que postos de combustíveis

mb-c350-plug-in-hybrid-7

De acordo com a Nissan, o Japão já dispõe de uma rede de recargas para carros elétricos, cuja quantidade de pontos de carregamento superou o número de postos de combustíveis.

O Japão tem 34 mil postos de combustíveis, enquanto a rede de recarga para elétricos soma 40 mil pontos. De qualquer forma, a conta ainda não é equilibrada, visto que foram contabilizados apenas os postos e não o número de bombas.

Já a rede de recargas inclui pontos públicos e particulares, mesmo aqueles instalados em residências. Ainda assim, cresce mais o número de estações de recarga do que o de bombas de combustível, o que indica uma grande mudança no perfil do consumidor japonês.

Somente de recarga rápida, que possibilita o veículo ter 80% da capacidade da bateria em poucos minutos, dispõe de uma rede de 6.469 plugues espalhados pelo país. Já a carga lenta, tem mais de 33 mil.





  • GPE

    É outro padrão! Enquanto isso, pra vender um carro elétrico aqui é uma dificuldade. Imagina chegar numa rede extensa de pontos de recarga…

    • Maycon Farias

      Em 2100 deve chegar ao mesmo número que eles.

      • G.Alonso

        Se chegar…

      • leomix leo

        Vc foi muito otimista. 2220 aí sim…

    • Fabio Marquez

      O primeiro mundo é outro mundo, fato!

    • Heisenberg

      Se só hj começaram a debater sobre o diesel para carros de passeios, imagine quando debaterem sobre carros elétricos…

      • Retrato do Papai

        quando começar o debate sobre carros elétricos aqui, os japoneses já estarão abandonando os carros a hidrogênio…

  • Adriano Tochio

    Esses japoneses são fora de série mesmo! não ??

  • Deadlock

    Por aqui não chega tão cedo. Primeiro vão salvar a Petrobomba…

    • Guilherme Eduardo

      É só criar uma estatal que terá monopólio para distribuir energia para veículo, a Eletrobomba!!!!

      • Deadlock

        Aí ficaremos à mercê dos apagões, preços altos, etc.

      • Cmenusi

        “Like This” ?

    • Heisenberg

      Não falta energia (as hidros na Amazônia são mais do q suficiente), falta melhor distribuição da energia gerada…

      • Deadlock

        Na Amazônia precisa alagar uma grande porção de terra para ter uma boa produção, pois lá é uma planície. Creio que Belo Monte vai ser interligado ao sistema nacional.

        • Heisenberg

          Antes mesmo de Belo Monte… Existe toda uma cadeia de melhorias/aproveitamento que a construção de Belo Monte não seria necessária, assim como qualquer outra hidro.

          • Deadlock

            Estamos em plena recessão e quando ela passar a demanda vai aumentar muito, o que vai exigir a construção de novas usinas. Mesmo com a recessão, estávamos há pouco tempo na bandeira vermelha. Os programas de redução de consumo perderam força (incentivo à troca de eletrodomésticos, por exemplo), por conta da situação das contas públicas.

            • Heisenberg

              Como falei… não há necessidade de novas usinas. As hidros possuem ciclos hidrológico, em período de seca a sua capacidade reduz drasticamente (aí o governo usam as termo com alto custo nesses períodos). Ao invés de usar o BNDES para financiar uma usina, financiar a criação de linhas de usinas sucroalcooleiro (usando a biomassa da cana, substituindo as termo) para alimentar o período de seca, expandir os parques eólicos/solares e incentivar a redução de consumo dos setores papel/celulose, siderurgia, alumínio, química, ferro-liga e cimento. Colocando no papel sairia bem mais barato do que a construção do Belo Monte e futuras usinas.

              • Edson Fernandes

                E bem que o governo poderia conceder algum beneficio para que casas pudessem ter instalações de placas solares. Seria bom para o Brasil, Governo e para todos.

                • Heisenberg

                  Mas existe incentivo para compra de placa fotovoltaica e venda de energia excedente para a rede. Mas ainda é muito caro todo o processo.

                  • Edson Fernandes

                    Exatamente. No predio onde moro hoje, queriamos colocar placas em todos os blocos do predio (são 4 edificios), mas o custo para isso inviabilizou. A ideia seria usar para alimentar a iluminaçãõ do predio + cameras e na sala de brinquedoteca, salão de festas e musculação, o ar condicionado.

                    Para pagar isso, teria que ficar rateando em coisa de 10 anos! Ninguem aceitaria, abrimos mão. Em uma casa propria, pode ser um otimo negocio, só que vc precisa ter o dinheiro em mãos para realizar o serviço, ou seja, inviavel tbm.

                    • Heisenberg

                      A tecnologia ainda é muito cara de fato, mesmo com o incentivo. Não sei até quanto o incentivo reduz o preço final e a tecnologia que o setor usa atualmente (se já reduziram o custo usando componentes mais baratos e mais eficientes).

                • Danilo Melo

                  Também acho o melhor caminho, gerar o “combustível” do carro em casa,

                  • Edson Fernandes

                    Bem… seria de fato interessante tbm. Mas eu penso até no sustento da casa que seria maravilhoso reduzir conta de luz e até ganhar com o uso da placa solar.

  • Guilherme Eduardo

    Acredito que seja mais fácil e barato colocar um ponto de recarga do que um posto de combustível, mas independente disso é interessante ver que o país tem essa estrutur a para dar suporte aos elétricos, garantindo que novos modelos serão desenvolvidos.

    • Deadlock

      O problema é que isso demanda planejamento e nosso país não é conhecido por termos um bom planejamento. Logo, sem garantias de que o governo vai incentivar os elétricos ninguém vai investir nessa tecnologia, nem em carros e nem em postos de recarga.

      • Guilherme Eduardo

        Aqui no Brasil acho mais fácil alguma empresa ou grupo se unir para fazer os pontos de recargas, mas direcionados a eles, como por exemplo Correios+Nissan

        • Deadlock

          O exemplo é promissor, mas por enquanto o número é irrelevante. Tomara que dê certo e haja uma expansão.

          • Edson Fernandes

            Acredito que lá um dos pontos para ter essas recargas é o fato de não haver ignorancia e todo mundo quebrar tudo. Aqui quebrariam na primeira oportunidade.

            Brasileiro olha o vizinho com inveja, se esse tem “mais” (me refiro a carros), ele acha ruim ao invés de ficar feliz pelo proximo. E isso gera revolta e em alguns grupos ignorancia através de violencia.

            E isso é verdade, existem até estudos de povos como o Brasil onde o pensamento de evolução é dado importancia para um ponto ao invés de ser pensado em um conjunto de ações.

  • Mr. Car

    Aqui é Brasil. Se bobear, quando houver um número considerável de veículos elétricos no universo dos automóveis, o olho do governo vai crescer com a possibilidade de arrecadação (digo, extorsão) extra, e aí, a disputa será dura entre qual ficará mais caro: encher o tanque, ou “encher” a bateria.

    • Uber

      O meu medo é os consumidores residenciais subsidiarem a conta dos automóveis elétricos, resumindo, quem não tem carro elétrico sendo obrigado a ajudar quem tem como acontece com os combustíveis quando evitam o aumento da gasolina repassando-o para o diesel e afetando os custos do transporte público e de mercadorias.

      • Mr. Car

        Também tem isso.

      • Edson Fernandes

        E sabe do pior? Como você iria cobrar individualmente? Para o Brasil, apenas cobrando “antes” de “abastecer”.

        Sinceramnete, é o que digo, o Brasil não tem estrutura no momento. E portanto, aqui deveria ter mais incentivo a produção de hibridos nao plug-in que teriam um motor a combustão para recarrega-lo.

  • Ricardo Blume

    Enquanto isso aqui no Brasil nós temos a gasolina mais cara, o povo mais enganado e endividado (anos atrás fomos seduzidos a comprar nosso carrinho zero e hoje não podemos terminar de pagá-lo por que estamos endividados ou desempregados), as estradas mais esburacadas, a gasolina mais batizada, o pedágio mais caro… o país do respeito vs o país da falta dele

  • Vinicius Batista

    Já está provado, antes de 2100 o petróleo irá acabar. A tendência é essa, nessa transição de século, o mundo irá mudar drasticamente. Países como Japão já largaram na frente!

  • paulo sergio berezovski

    Precisamos lutar para melhorar senão vai ser sempre essa mesmice que está hoje em dia,governo só deve cuidar de segurança, infraestrutura,investir em educação de base para todos,subsidiar saúde para os desempregados e dar mínimas condições para os mais necessitados(comida,água,roupa,se for possível uma moradia),menos impostos e burocracia=empregos e pessoas ganhando qualidade de vida

  • Martins Junior

    Sem falar que lá eles tem vergonha só de pensar em adulteração de combustível.
    Aqui o nosso governo legaliza a adulteração de combustível…nosso país está nas mãos erradas!

  • Louis

    Enquanto isso, o petê se espelha na Venezuela, onde o funcionalismo público só trabalha 2 dias por semana por falta de energia elétrica.

  • The Monster Man

    Para um país evoluído e minúsculo como o japão, nada mais natural que expansão dos elétricos ocorra velozmente.