_Destaque Renault

‘Entregamos o que os clientes querem’, aponta presidente da Renault

renault kwid india

Pelo visto, a Renault não está muito preocupada com os resultados obtidos pelos seus modelos em testes de segurança. Durante uma entrevista ao portal Automotive Business, o presidente da montadora francesa para a América Latina, Olivier Murguet, revelou que eles estão “atentos para cumprir a legislação e entregar o que os clientes querem com o preço que eles pedem”. Ainda segundo o executivo, a marca não tem desempenho inferior em segurança quando comparada as empresas rivais.

“É preciso avaliar o segmento em que atuamos, não acho que nos preocupamos menos com segurança do que as outras empresas”, justifica Murguet. Além disso, ele proferiu que não é estratégico investir em dispositivos de segurança além dos que são obrigados em carros mais baratos. Porém, essa declaração não leva em conta o desempenho registrado pelo Volkswagen up! no Latin NCAP (5 estrelas), por exemplo, já que este modelo concorre com o Renault Kwid, futuro modelo de entrada da fabricante no País.

Todavia, apesar do Kwid indiano ter registrado zero estrela na avaliação do Global NCAP, a Renault já adiantou que a versão nacional do carrinho será superior neste quesito, com melhorias estruturais, além de airbags frontais e laterais, freios ABS e sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis desde a versão mais básica da linha.

O novo Kwid tem lançamento previsto para o final deste ano, provavelmente com apresentação no Salão de São Paulo (10 a 20 de novembro), e deverá ser oferecido com preços entre R$ 30 mil e R$ 45 mil.

[Fonte: Automotive Business]





  • GABRIELCSFLORIPA .

    EU NÃO QUERO

    • Mario

      Estes testes de colisão a 50km/h são feitos para ‘inglês ver’. A empresa investe em segurança milhões, aí vem o indivíduo e faz uma ultrapassagem proibida a 120km/h e dá de frente com uma carreta! As tais 5 estrelas de nada adiantarão. A melhor segurança, é a consciência do condutor.

      • Rodrigo

        Brasileiro é um povo estranho, baba ovo de um carro que recebeu 5 estrelas num teste de segurança mesmo sem contar com (controle de estabilidade).
        Qualquer carro na Europa ou na América do norte não receberia nem 3 estrelas sê não tivesse controle de estabilidade como item de série.

        • Eduardo Henrique Andrade Campo

          O UP! É 5 estrelas na europa mesmo sem ESP.

          • th!nk.t4nk

            Hum? Todo carro na Europa tem ESP. É lei.

        • dogmarley

          pensamento estranho o seu..
          não pode “babar ovo” no popular de 5 estrelas pela ausência do ESP ?
          e o que dizer então dos populares 2 estrelas também sem ESP ?
          o up é referência de segurança na categoria….fim de papo.

          • Jose Silva

            para ter 5 estrelas tem que ter airbags de cortina, laterais, joelho, esp, estrutura boa, etc… Up de 5 estrelas do brasil tinha 2 airbags e abs… rsss e tem gente que ainda quer discutir

            • dogmarley

              qual outro da categoria é mais seguro ?
              tem gente que quer discutir…

      • Rafael Henrique Arruda

        Você está analisando um caso extremo. O teste é definido considerando a média de velocidade das colisões, bem como os tipos mais comuns, colisão parcialmente frontal e lateral. Das mesma forma, a segurança é insignificante para pequenas colisões.

        • A maioria das colisões é até 40 km/hora.

        • marcelo

          Deixe, fica lendo criticas do Bob Sharp as estrelas dadas nos crash tests. O Bob Sharp está gagá faz uns 10 anos já.

          • Franco da Silva

            Sim. Claro que X estrelas não garantem a vida, mas a falta delas significa que o risco é maior.

          • Stéfano

            Parei de assistir vídeos dele quando ele analisou um Mobi e andando a 40 por hora na cidade ficou elogiando a rigidez torcional do carrinho.

          • Lorenzo Frigerio

            Você no mínimo foi posto para correr de lá.

      • marcelo

        Mario, são clientes acéfalos como você, que andam lendo auto entusiastas, que as montadoras adorammmmm. Europa ocidental, Japão, EUA, Canadá, todos uns ignorantes. Mário, o grande sabe tudo. Ele sabe por exemplo que acidentes , a partir do julgamento dele, acidentes, erros não mais ocorrerão. O que vc está sabendo Mário, que não sabemos? Que a partir de certa data, nós , seres humanos, que erramos, SEMPRE, não mais conduziremos carros? Anda lendo muito Bob Sharp. Tenho dó de você, cara.

        • Olha , não concordo com a opinião do Mario. Mas uma coisa lhe digo , se pegássemos todos os nossos motoristas brasileiros e os levarmos para o Japão o número de acidentes e mortes aumentaria drasticamente no Japão , mesmo que os carros fossem seguros. Por outro lado se no Brasil , com nossos carros inseguros, fossem dirigidos somente por motoristas japoneses o número de mortes e acidentes iria diminuir. A forma de dirigir influência em muito a causa de acidentes. Aliás me questiono se todos que defendem carros seguros com unhas e dentes nesse site também se preocupam assim com a alimentação e exercícios físicos (coração mata muito mais que trânsito ). Aliás um dos maiores problemas ligados a morte precoce de homens no Brasil é a insistência em não visitar um médico preventivamente. Opinião pessoal. E sim , carros mais seguros são bem vindos.

          • Rmx

            Quando vou ao BR tenho que automaticamente ficar mais agressivo no volante ! Se não os psicopatas tupiniquins na rua começão a falar mau da minha mãe na hora. Isso respeitando ou até andando pouco acima da velocidade. E ver um sinal vermelho e deixar o carro perder vel. uns metros antes é erezia, melhor é queimar mijolina a toda até o sinal e depois reclamar do consumo!

            • fredggp

              Concordo com você, mas o povo lá fora não é tão civilizado assim não! Vai em Roma, por exemplo, para ver se quando atravessares a rua não és quase atropelado….

              • Rmx

                Já fui lá várias vezes e fiquei mesmo impressionado pelos carros estarem sempre batidos (para choques e portas).
                Mas que sinto mesmo no BR é a intensidade do problema aí parece maior e por mais que ande pelo sul da EU não vejo gente comum sendo violentada ou tendo que morar em gaiolas eletrificadas com um muro de 5m como no BR. Claro que violência em geral tem em todos os lados mas no BR é complicado.

            • Vanderlei Santos_JAC_J6_2012

              Putz!! É a minha situação andando a 40km/h na cidade, poucas avenidas com 60km/h e transito intenso sempre mantendo distancia para o carro da frente.

        • Cara, qualquer primata sabe que o maior causador de acidentes é o fator humano. o Mario tem razão, pouco adianta carros seguros se tem um hominídeo no volante.

      • CharlesAle

        Exato. A maior segurança é um motorista consciente e responsável….

      • Wagner Lopes

        Exato, vamos todos voltar a andar de 147, fusca e chevette……kkkkkkk.

      • afonso200

        falou tudo amigo.

    • Leonel

      Eu também não quero e aceito veículos desse porte, todavia, tem dois pontos que temos que dar razão ao presidente: há outros fabricantes que seguem o mesmo caminho e a segurança é a menor das preocupações; uma boa CMM e brasileiro está feliz da vida.

      Infelizmente, a massa ainda dá mais importância ao que não deve ser dado e pouco ao que realmente é importante.

      • Filipo

        Exatamente! O brasileiro médio ainda não liga pra segurança. Ainda mais agora que a lei obriga a dupla bolsa frontal e o ABS. Por ignorância, penso, acham que o carro fica seguro com estes itens.
        Mas 90% dos brasileiros, infelizmente, é pura ignorância.
        Nós que estamos aqui, debatendo, não somamos 1%.

        • Leonel

          Foi como eu citei sobre o Kwid…não adianta vir com 10 airbags se quando bater se desmontar feito um ovo, não tem airbag que salve. Fora as tecnologias de segurança passiva, como controle de estabilidade e etc. Enfim, penso que falta vontade e informação a massa, para que juntos possamos cobrar tudo isso e mais um pouco não somente das montadoras (e de todo o resto, claro).

        • Matthew

          Quanta arrogância! Não é questão de ignorância, mas sim de limitações financeiras, ainda mais nessa crise que estamos vivenciado. É claro que eu preferiria 20x ter um carro com 7 Air Bags, ABS, controle de tração e estabilidade e o raio que o parta. Mas enquanto não tenho acesso a isso, ando com o que eu posso e adoto um estilo de condução defensivo, ao contrário de alguns “boys” esclarecidos que andam de carro importado que nem louco.

      • Pedro Rocha

        “…entregar o que os clientes querem…”
        A primeira coisa que pensei: vai ter câmbio automático de verdade?

        • Lorenzo Frigerio

          De seis marchas, como o Ônix ou o HB20?

          • Edson Fernandes

            Não… a primeira coisa foi… “vai ter cambio automatico de verdade?” rsr

            Porque ter seis marchas para um subcompacto sendo que um altinho é de 4 marchas e o compacto é automatizado? Beeeeem dificil.

          • Pedro Rocha

            Para a categoria dele, AT4 já estava bom mesmo.

    • T1000

      ele falou alguma mentira?

      • th!nk.t4nk

        Também nao sei por que tantos se oferenderam. É a realidade do mercado.

  • Marcelo

    O up! também já não atende as normas de segurança do LatinNcap e deve perder uma estrela quando for avaliado novamente….

    • Gustavo73

      Claro que atende as normas senão tiraria 0 estrelas. Ele não terá a quinta estrela se for testado isso é fato. Mas todos os outros teriam perdas deixando ele ainda acima da média. Na verdade hoje só um carro dos testados manteria as 5 estrelas pela lista de equipamentos de série o Golf. Pois Focus, HRV, Renegade, EcoSport, Corolla(5), Jetta(4) não tem airbags de cortina e não seriam testados na colisão com o poste. Podendo ter no máximo4 estrelas.

      • Marcelo

        O Up hoje tem 5 estrelas para adultos e 4 para crianças. O que eu disse é que com as novas regras ele já não poderia ter 5 estrelas pois agora é exigência que o carro tenha controle de estabilidade o que ele não tem. Se não me engano em breve eles vão exigir o teste batendo apenas metade da frente do carro no muro. Ai nenhum carro produzido no Brasil vai ter 5 estrelas mais, as montadoras vão ser obrigadas a se adequar.

        • Gustavo73

          Você pode ter pensado nisso, mas não foi o que escreveu. Ele não teria a quinta estrela pela ausência do esp e por não ter airbags de cortina, na verdade no caso do Up e outros modelos o airbag lateral também protege a cabeça por isso se ele tivesse o item de série poderia ter 5 estrelas como o europeu. O teste sempre foi com impacto em metade do carro contra uma barreira deformável padrão Ncap há 67km/h, hoje foram adicionadas mais duas colisões laterais uma contra barreira deformável há 50km/h( esse todos os carros hoje com 5 estrelas passaram obrigatoriamente mas só foi avaliado a estrutura e não a pontuação dos dummies-agora a pontuação é usad)e poste 35km/h novamente padrão Ncap igual ao europeu. Não confunda como Small Overlap feito nos EUA e esse o Golf VII também passou e a Ncap não tem planos de incluí -los)

          • Franco da Silva

            Pensando nisso, o correto seria o uso de 6 ou até 7 estrelas. Continuando só com 5 para tantos requisitos vai acabar diferenciando pouco carros muito diferentes. Imagine um up!, com alta qualidade estrutural, ficando com 4 ou até 3 estrelas no novo sistema de avaliação. E um Palio Fire, ficando com 1 ou 2. É pouca diferença em termos de estrela, mas muita diferença nos carros.

        • Walter Augusto

          Fico imaginando o Mobi……

          • Leandro Balmant

            Esse seria um teste que eu gostaria muito de ver.

  • Tsbc Clemente

    Se abandonassem esse câmbio automatizado e trouxessem uma caixa descente, mesmo que seja outra evolução do AL4 já agradaria. Tenho um Stepwey automatico e sou muito feliz…

    • Mauro Schramm

      AL4 não é o nome da versão antiga do câmbio da PSA?

      • Tsbc Clemente

        Sim, o mesmo que tenho atualmente no meu carro.

        • A sua não é AL4, mas sim AT4, versão derivada da AL4, simplificada e reforçada em robustez, desenvolvida pela Renault Samsung, junto com a Nissan. O projeto apenas deriva da extinta e problemática AL4, mas não é ela. A verdadeira AL4, com algumas modificações, foi utilizada pela última vez no Renault Mégane Sedan e no Renault Scenic, sendo aposentada ao final da geração deles.

          • Tsbc Clemente

            Interessante, não sabia dessas informações, então a minha não é tão problemática ?

            Você tem uma fonte de consulta para saber mais sobre ela, tipo, indicação de km para troca de óleo, possíveis problemas ?

            Nem nos forums que pesquisei da Renault falam no nome correto dela, sempre li como AL4.

            • A sua não é nem perto problemática. No manual do seu veículo deverá ter as especificações de cuidado técnico com ela no Brasil. A Renault, infelizmente, não divulga massivamente sobre esta caixa, em especial as dicas de manutenção geral, pois quer que sempre façamos nas concessionárias.

              Não há registros de problemas crônicos com o modelo, seja por alguma deficiência de material, seja por especificação de manutenção equivocada, logo, seguindo o manual, ou sendo ainda mais cuidadoso, não terás sustos.

              Infelizmente a mídia muito critica a caixa, mas poucos são os sites que falam das importantes diferenças entre DP0 e AL4. Vejo mais falarem da AL8, que é bem superior a AL4, mas não tão robusta quanto a DP0, que é mais simples de tudo.

      • Leonardo Teixeira

        Sim, a renault tbm usava

        • Raphael Pereira

          A diferença que a Renalt nao emporcalhou a caixa que deu tanto trabalho aos antigos PSA’s com problemas.

          • Leonardo Teixeira

            Na verdade dava o mesmo problema, no megane então era o mais problemático, porem na renault se não me engano, eles colocaram no manual a troca do oleo e na psa falaram que era vitalicio. A caixa não é problematica, ela só não foi feita para o Brasil e por falta de logística tbm, falar que o óleo do câmbio era vitalício é um tiro no pé

            • A verdadeira AL4 era problemática, mesmo com as modificações da Renault, já a AT4 DP0 (linha R-Shift), que equipa o Duster e equipava Sandero e Logan, embora derivada do projeto da AL4, foi totalmente re-desenvolvida pela Renault Samsung, juntamente com a engenharia da Nissan, simplificando a mesma (35% menos peças) e tornando-a mais robusta e resistente, apta tanto ao mercado brasileiro, europeu e russo. É praticamente outro câmbio.

      • Alligator

        Al 4 também é a mesma caixa do Corolla e Etios

    • Nossa, meu Sandero automatico (carro anterior) bebia que era uma beleza.

      • Tsbc Clemente

        Cara, infelizmente bebe sim, ando uma media de 350 km semanais e utilizo em média 35 litros de gasolina, realmente eu acho muito, mas com o transito que pego diariamente entre Linha Amarela e Linha Vermelha para chegar ao centro não tenho muito o que escolher, não sei se outro teria uma eficiência tão considerável. Ainda mais com um câmbio automático de 4 marchas. De qualquer forma já rodei 35k de KM sem problemas dês de que comprei.

        • João Cagnoni

          O câmbio não é o responsável pelo consumo no seu caso. As médias com trânsito são outras, não tem comparação.

          • Tsbc Clemente

            Exato, por isso não reclamo, mas o conversor de torque ajuda a piorar o consumo ?

            • O meu deu problema no conversor de torque, demoraram quase 30 dias pra descobrir. Ate desmontaram o motor, aff. Faltou pouco pra eu abrir um processo e ter meu dinheiro de volta, tirando esse problema isolado, sempre achei o pós da Renault muito bom.
              Mas sofro demais com a Fiat e meu 500.

            • João Cagnoni

              Depende. Isso era verdade antigamente, mas hoje a maioria dos câmbios AT (incluindo o AL4) tem uma coisa chamada “lock-up” em todas as marchas, que fica sempre ativa na primeira marcha no caso do AL4 e entra depois de um certo giro nas outras e faz uma ligação direta entre o motor e as rodas para não causar nenhuma perda. Sabe quando o carro passa de marcha e o giro sobe um pouco e depois cai do nada continuando na mesma marcha? É isso. Sabe o tranco que o AL4 dá pra voltar pra primeira marcha? É isso também. Em outras palavras, com o pé leve a diferença de consumo será mínima em relação ao manual, sendo que na prática o consumo melhora muito no automático pois o carro escolhe as marchas melhor “sem ter preguiça” de mudar. Depois das últimas atualizações, o AL4 ficou bem mais econômico, pois joga o lockup bem mais cedo e passa as marchas mais cedo tbm.

              • Tsbc Clemente

                Não sabia de todos esses avanços do AL4, o meu foi um dos últimos e deve ter vindo com essas mudanças, pois comprei no fim de 2013 antes do modelo novo, principalmente porque não queria o automatizado. Não tenho do que reclamar, só o que assusta é a Renault informar que o câmbio não troca óleo, isso que é a maior besteira que eles fazem e provavelmente a má fama dele vem daí.

                • João Cagnoni

                  O AL4 tem isso desde o início. Era um câmbio bastante inovador na época. Também sempre teve sensor de inclinação e outras coisinhas. Desde o lançamento trocaram as eletroválvulas para Borg Warner e alguns retentores, e a Renault trocou o trocador de calor e colocou um óleo 100% sintético, tinha outra modificação da Renault que não me lembro. No caso da AT8 da PSA, colocaram um conversor de torque da ZF e outras coisas que também não lembro. Tanto a AT8 quanto a versão da Renault (DP0) tem menor histórico de falhas, mas o que mudou de verdade o conforto foram as últimas atualizações de software, mudou da água pro vinho.

                  • Eis alguém que sabe da existência da DP0, que não é a AL4, embora derive dela. A caixa AT4 DP0 da linha R-Shift, foi re-desenvolvida pela Renault Samsung, junto com a engenharia da Nissan, tendo 30% menos peças que a AL4 original e é mais robusta, apta para o uso desde o Brasil a Rússia.

                • João Cagnoni

                  Complementando, não precisa mesmo trocar óleo, salvo contaminação externa por fuga de pressão e vazamento. O óleo da Renault é 100% sintético enquanto a PSA usa um semi-sintético, que também é vitalício.

                  • Edson Fernandes

                    Não vá nessa história João. Todo componente tem desgaste e o oleo é um deles. No meu fluence ue troquei com 50000km e já nessa quilometragem o oleo estava preto.

                    Eu irei trocar a cada 40000km.

                    • João Cagnoni

                      Edson, no caso do AL4 a caixa é selada, não precisa de troca. Palavra da própria Citroen e da oficina que refiz o meu câmbio.

                    • A DP0 já tem estrutura bem diferente da velha AL4.

                    • João Cagnoni

                      Muda o radiador de óleo, um trocador de calor e outra peça que não me lembro.

                    • As partes pequenas eletrônicad quase todas foram retiradas, tendo apenas as especificamente necessárias para o funcionamento do câmbio, troca de materiais e alteração na expessura dos acionadores de marcha, mais robustos, novo conversor de torque mais simples e outros detalhes. Abrindo uma e outra, se percebe bem a diferença.

                    • Edson Fernandes

                      João,
                      Caixas como: Corolla, Civic, C4 Pallas, Fluence são todas desse tipo.

                      Seladas. Aí você fala para esse chefe de oficina que existe um negocio chamado Carter (também de transmissões) que dá para retirar e colocar oleo. A caixa de cambio unicamente é selada porque a entrada de sujeira externa não é para acontecer. Por isso a necessidade de selar. (e custoso quando necessária manutenção)

                      Mas todo e qualquer componente se torna necessário a troca do oleo sim. Só para enfatizar isso que te digo, a Renault não cita nos manuais a troca do oleo e assim, os atendentes dizem para que você que é um oleo sem necessidade de substituição. Aí você vai em busca da informação em caixas do modelo do Fluence em especifico do Sentra e olhando nos manuais dos EUA e Japão, vê: Troca de oleo a cada 80000km.

                      E mais: Já prevejo problemas nos atuais Sentra pois utilizam a especificação de oleo NS3 que é MUITO DIFICIL em nosso mercado. Só existe oleos de especificação para NS2.

                      E por fim, troquei o oleo do meu Fluence. Com 53000km, o oleo estava PRETO. E ao acelerar acima de 4000rpm faziam zunidos tipicos dessas caixas quando a função lubrificante do oleo já começa a perder suas propriedades. Atualmente com o oleo trocado, zero barulho. E veja que interessante: Na mitsubishi, desenvolveram junto a Petrobras um oleo com propriedades compativeis com caixas CVT (a mesma do Lancer, ASX, Fluence e Sentra modelo anterior ao atual) só que necessária a troca do oleo a cada 40000km.

                      Eu não confio cegamente porque muitos desses “profissionais” no Brasil sequer estudam essas caixas e qualquer problema que essas venham a ter, trocam-se as peças que venham a dar problemas.

                      Pergunte a ele quando sua caixa deu problema, se ele não trocou o oleo que tal caixa selada não exige. Ele talvez te diga que não trocou, mas quando se mexe no cambio (seja a solenoide) a primeira coisa que se faz é já pensar na troca do oleo, para você como não é tão “longlife” como eles citam.

                    • João Cagnoni

                      Isso não foi só uma recomendação do meu mecânico (que não é de esquina), mas dentro da própria Citroen (à nível mundial) divulgam que o óleo não deve ser trocado. Mesmo retirando o tampa de válvulas, vai sair só 60% do óleo do AL4, o restante fica dentro do câmbio. Se o problema da AL4 é óleo, por que tem tanta caixa com 30 ou 40 mil km que deram problema? Quando meu câmbio deu problema, fizeram análise na hora do óleo, o meu saiu preto igual o seu, me mostraram e falaram: isso é péssimo, indica desgaste interno do câmbio que prejudicou a durabilidade. Mesmo sem trocar o óleo, ele não pode ficar assim, mesmo com kilometragem elevada. No meu caso trocaram apenas 2 litros de óleo, disseram que se trocar tudo o câmbio pode começar a patinar. Fiz toda a parte de pressão, incluindo as solenóides (que já foram trocadas pelo dono anterior) e todos os retentores da parte de baixo, que segundo a oficina são mais importantes que a própria solenóide. Não tenho nem palavras para descrever como o câmbio ficou bom, o carro ficou bem forte em baixa e as trocas nem parecem acontecer. A oficina que levo costuma fazer vídeos sobre o AL4 no YouTube, procura lá pela 3E Motors. Sobre treinamento, sim, eles possuem diversas certificações. Cada projeto é um caso, no caso do AL4, não é necessário trocar óleo.

                    • Edson Fernandes

                      Bem… viu que interessante? Não trocaram todo o oleo e o cara poe 2 litros?

                      Legal! Pergunte para ele também se oleo não perde composição e se essa composição não é afetada pelo calor ou melhor, uso continuo do mesmo.

                      A Renault tem a mesma resposta que ele te disse, só que donos trocam oleo, donos de Citroen trocam de oleo, empresas como Nissan e mitsubishi trocam de oleo… empresas que usam cambio convencional como o C4 Pallas trocam de oleo e especifico a Honda que pode trocar a cada 40000km… realmente devem estar certos.

                      Só que enquanto isso, as oficinas de cambio se divertem com cambios AL4 com diversos problemas dentre eles algo comum: Aquecimento do cambio… isso porque o oleo perdeu a sua propriedade.

                      Cara… o que ele te falou que é verdade: Quando se troca o oleo, saem apenas 60%. Entretanto é por isso que muitos donos trocam DUAS VEZES o oleo, justamente para fazer um processo chamado “retrolavagem”.

                      Você tira boa parte do oleo “contaminado” e poe o novo. Depois a retrolavagem tira outra boa parte.

                    • João Cagnoni

                      Ta cheio de AL4 dando problema com 30 ou 40 mil km. O problema não está no óleo. Como você troca o óleo direto se custa 120 reais o litro? Em 2 trocas já é quase o preço que paguei na reforma completa da parte de baixo, além de que trocar o óleo não vai resolver. A pressão do AL4 chega a até 15 bar, é muita coisa, trocar o óleo causa mais problemas do que soluções. Os câmbios variam bastante em seus projetos, o câmbio AT da Honda é totalmente diferente. 3/4 dos problemas do AL4 são fuga de pressão interna causados por retentores de 20 reais cada que depois detonam as solenóides. Fiz a reforma do meu usando peças de concessionária, ainda assim é o câmbio AT com reparo mais barato que existe (paguei 2 mil neste serviço). Curiosamente, o mecânico me mostrou 2 retentores que foram modificados pela Citroen, sendo que um deles estava rachado no meu câmbio. Não me leve a mal, mas você está repetindo as mesmas falácias de clubes de carro nas quais eu já acreditei. A oficina que falei não é a única que conhece o AL4, aqui em SP muitos conhecem, mas a internet tem muita besteira. Recebi uma verdadeira aula pessoalmente nesse lugar, além dos vídeos deles que mostram uma manutenção inteira do AL4. E a parte final, meu carro está rodando liso desde esta manutenção. O carro está forte, com as trocas rápidas e super econômico, cheguei a fazer 15,5 km/L indo para Campos do Jordão (sem o trecho de serra) marcando no computador de bordo por mais de 100km. Nunca mais usei o modo manual. Meu amigo que tem um 307 dirigiu o meu carro e nem acreditou. Meu C4 já tem 130 mil km, troco óleo de motor sempre 100% sintético da Motul a cada 8 mil km, só uso gasolina comum sem nenhum aditivo.

                    • Edson Fernandes

                      Falacia? Como se eu não acompanhasse esse tipo de situação né?

                      E trocar o oleo caro? Pelo menos do meu carro é R$40,00. E sim, na Renault e Nissan cobram acima de R$100,00 porque fazem questão de não querer arcar com essa mão de obra.

                      Na Mitsubishi, o filtro que custa R$120 por fora, cobram R$450. Então tem que saber pesquisar e entender a origem das coisas.

                      O legal é dizer falacias sendo que já vi por vezes esse mesmo cambio aberto… tal “selado” que não é aberto. Isso é o mais legal.

                    • João Cagnoni

                      O câmbio selado evita contaminantes externos que possam contaminar o óleo. Me diga uma coisa, quantas vezes você abriu a homocinética do seu carro pra trocar o lubrificante? Quantas vezes trocou a água de sua bateria selada? Sobre o preço do óleo, são R$ 120 fora da concessionária, existem várias marcas com a mesma especificação que não diferem no preço.

      • João Cagnoni

        O Sandero bebe mais por causa do motor do que deste câmbio. O carro faz 8,3/8,9 km/L na cidade e 11/11km/L na estrada, nas versões manual e automática, respectivamente. É bem gastão. Meu 2.0 com o mesmo câmbio e 300kg a mais faz o mesmo na cidade e facilmente 14 na estrada (sempre com ar ligado).

        • Jamais, o meu fazia media de 7 com ar ligado, aqui em SP. Esse transito insano!
          Troquei meu Sandero automatico por um 500 dualogic e a média de 10,5 deixa meu bolso mais contente. E acho as trocas mais suaves do que o Sandero, por incrivel que pareça.

          • João Cagnoni

            Exatamente, esse “aqui em SP” muda tudo. Serei obrigado a duvidar das suas palavras, pois nem o meu Palio Fire 1.0 fazia isso. No caso do Fire 1.4 do 500 deve ser pior ainda.

            • Pode duvidar, o cambio dualogic casa muito bem no 500. E este consumo é em percurso misto. Só na cidade é 8.

              • João Cagnoni

                8 já é mais “acreditável”.

                • Quando eu morava em São Paulo, fazia 9 km/l na cidade, com um Lifan 620 1.6, logo um 500 Dualogic pode fazer tranquilamente os 10 km/l.

            • Claudio

              Sampa os congestionamentos são pesados…sou de Salvador…a Duster beberia mais.

        • Alligator

          Já tive dois Renault com o motor 1.6 16v, e chegei a conseguir um consumo de 16-17km/l na estrada e na cidade medias de 12-13km/l

          • Mas estamos falando do Automatico. Eu tive um mecanico/manual e era essa a média mesmo.

            • Alligator

              O amigo ali falou que a culpa é do motor. Pois ele tem um peugeot 2.0 com a Al 4 e faz 14 com ar ligado

              • Eu não concordo, até porque transmissão 4 marchas acaba esticando mais até as trocas e eleva o consumo, consideravelmente.

          • João Cagnoni

            Difícil achar um Renault 1.6 16v, e vc teve 2? Não era o 8v?

            • O Stepway, manual ou automático, até a atual geração, era sempre 1.6 16v, assim como o Symbol.

        • Claudio

          Minha Duster 2.0 automática faz média de 10 km/l sempre com ar ligado já rodei 34.000 km,só revisões básica.

          • Claudio

            Com gasolina aditivada v-power..no etanol 7,1 na cidade e 8,9 na estrada,sempre com ar ligado.

  • Carlos AM

    Se economizam até nos parafusos das rodas, imagina nos itens de segurança e estrutura.

  • Mauro Schramm

    Feche o mercado e impeça a concorrência através de um cartel, nivelando a qualidade dos produtos por baixo. Depois diga que está entregando o que o mercado quer.

    Com quem essa gente aprende comunicação, Goebbels?

    • Pior que o chefe dele nasceu em Rondônia.

    • Marcus

      Tragam um Oscar pra esse cidadão! Não haverá comentário melhor que esse. Já podem encerrar o tópico!

      • Mauro Schramm

        Hahaha. Menos, menos.

  • Poperon

    Porque a vida de um indiano vale menos que a vida de um brasileiro?

    Não é porque eles veneram vacas como deuses, que eles sejam menos que a gente. Até porque nesse quesito por aqui também existem os que veneram uma vaca como deusa. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

    Agora, falando sério… são vidas na linha, seres humanos no fim das contas.
    Segurança importa sim!

    • ObservadorCWB

      E a Renault..shiting and walking para isso.. depois não sabem por que vendem tão pouco…rsrsrs

      • Tosoobservando

        Ué, mas o Sandero nao foi o 3ª mais vendido esse mes? Eles estao certos, errados estamos nós..

    • O mercado precisa de controle. Os empresários visam ao lucro. Não adianta esperar a boa vontade deles. É preciso de órgãos de controle ISENTOS E HONESTOS fiscalizando a segurança dos produtos postos à venda. (claro, sem prejudicar demasiadamente a livre iniciativa, até porque existe toda a função social do trabalho etc). A isso podemos atribuir o trabalho de entidades como os NCAP da vida e a proteção estatal dos direitos do consumidor (Ministério Público e Justiça).

      No mais, são remédios, paliativos. Não atacam a raiz, a gênese da doença. A grande solução para isso tudo é ela… Sim.. A boa e velha… A utópica… A desejada… A de sempre… A Educação. Um povo esperto, ligado, ciente, com boa informação, exigente, que manja dos paranauê, não é tão enganado facilmente. Boicota empresas fraudulentas etc..

      • Bruno Alves

        Livre concorrência também ajuda. Coisa que é rara aqui na América Bolivariana… Onde o protecionismo reina.

        • Ajuda a conter os preços, sem a menor dúvida, pois o controle estatal// ministerial // inteligência do consumidor, etc, tudo isso encarece o custo da empresa (e diminui os lucros).
          Mas de raro não tem nada aqui no Brasil…
          Quem acompanha as decisões do STJ (que “legisla” e dá a palavra final em matéria de direito comercial) sabe que as ordens do mercado são dadas pelos bancos, hoje. (todas as decisões são favoráveis a eles).
          Isso tem um lado bom: segura o aumento dos juros (teoricamente, porque na prática não vemos isso)

        • Matthew

          Não vejo onde essa suposta “livre” concorrência mudaria alguma coisa. O Chile, maior exemplo de país liberal no cone sul, tá cheio de tranqueiras mortíferas também. A galera tem a ilusão de que se abrisse o mercado brasileiro nós só teríamos carros de nível europeu e norte-americano a preço de Gol. Ledo engano. O que mais ia entrar era carro xing ling de qualidade tão ou mais duvidosa que os modelos locais de hoje.

          • Nitrous

            Teria tanto as tranqueiras como os bons carros por preços mais em conta que os atuais. As empresas iriam brigar entre si para terem as vendas e isso só traria beneficios ao consumidor. Ninguem é obrigado a comprar as tranqueiras, o cidadão escolhe e compra o que quer e não é o governo que deve falar o que o cidadão deve ou não comprar. Infelizmente vejo que essa idea de estado paternalista “papai” ainda está muito enrustido no sangue de muitos Brasileiros. Marcas que mais vendem no Chile: 1Chevrolet 2Hyundai 3Kia 4Nissan 5Ford 6Peugeot 7Mazda 8Mitsubishi 9Renault 10Fiat

      • Claudio

        Só se for na França!Brincadeira á parte…o ideal seria isso amigo..mas estamos no fundo do poço em relação a honestidade,a educação..etc…

      • Vitão

        Sei não, acho que a livre concorrência faria melhor o seu papel…. Menos Estado e mais Mercado…

        É só abrir as portas para importação, vai acabar com a indústria nacional que terá que modernizar seu aparato jurássico e começar a implementar novas tecnologias.

        E é lógico a solução de médio e longo prazo, mas que é eficaz seria investir em educação, assim como fez a Coréia do Sul. Mas isso creio que estará bem de longo no Brasil, isso porque somos a pátria educadora e ainda estamos na mesma M****

    • Pergunta pertinente e bem elucidativa. Mas infelizmente a resposta não é simples. Na verdade, eu diria que tem duas respostas possíveis, que me arrisco a dizer sem conhecer as peculiaridades do mercado indiano.
      A primeira: COMPARATIVAMENTE o Kwid pode ser seguro na Índia. Como? baixando o referencial. Se o crash-test fosse feito a 200 km/h, a diferença entre um Volvo e um QQ seria em quantas partes seu corpo se dividiria. E qual o referencial para o mercado indiano? As motos. Então, estar em um QQ ou qualquer lata de sardinha que coloque um parabrisa e um cinto entre você e a morte já é um upgrade em segurança.
      Outra resposta, e aí eu uso a comparação com o mercado brasileiro: Porque o próprio consumidor desses países não valoriza sua vida. Qual foi o resultado do crash test do líder de vendas do país? O que ele oferece em termos de segurança além do que é exigido por lei? Segurança foi um fator levado em conta na aquisição desse carro?
      Se não me engano o líder de vendas na Índia é o Suzuki Maruti, correto? Inclusive acho que isso fez ele ser por dois anos o Hatch mais vendido do mundo. Será que a versão indiana teria 5 estrelas se passasse por um Euro NCap? Será que existem concorrentes na mesma faixa de preço e que priorizam segurança?

    • Muito bonito seu comentário, mas não passa de demagogia, clichê.

      Todos nós sabemos que aqui no Brasil a vida de um pobre também vale bem menos do que a de um rico, isso não é novidade pra ninguém.

  • MFS

    Tipo assim, que se F…A o cliente, queremos vender…Vergonhoso!!!

  • Gilberto Silva

    EU QUERO

    • Sam86

      … tacar fogo! 🔥🔥🔥

      Vender Clio, Megane etc. que é bom nada né?

      Só essas porcarias pra país de quinto mundo.

      • Lucas086

        Já já alguém vem dizer que tem que vender o que o povo quer, e o Clio nunca vendeu bem, e bla bla bla… a Dacia caiu no gosto do brasileiro.

      • Pois é, tendo o novo clio, quem precisaria de KWID?

  • Vattt

    O desenho do carro agrada!
    Imaginem um Logan de Primeira geração sendo capado em sua estrutura para ser ainda mais barato, é o Kwid!!!

  • Diego

    Dispenso essa gambiarra. Só pela declaração de CEO eu JAMAIS compraria este carro, pior o preço, algo além da simplicidade que beira a grosseria custando 45 mil Reais. Projeto bem Nojento. Vai ser outro MOBI da vida.

  • Gustavo73

    Alguém se assustou? Mas é isso mesmo se compram assim porque mudar. Isso é em qualquer mercado. Aqui segurança não é valorizada. Assim como motores melhores e mais econômicos também não. Então toma, e por 30 mil será tão pelado quanto um Mobi básico ou o Take up mais simples. É só lembrar que hoje o Clio parte de 34mil. E se olharmos os preços na Europa então, o Sandero é mais barato que o Up isso porque lá usa motores mais modernos que aqui. Já aqui o Kiwd teria preços de Up carro abaixo do Sandero.

    • Licergico

      meu pai comprou semana passa um por 31900 ( ar/dh,ve dianteiros).

      • Gustavo73

        O Clio? Na CSS é assim mesmo, mas oara comparação uso o preço de tabela do fabricante. Lembrando que o Clio sai de linha com a chegada do Kiwd.

        • Licergico

          sim o clio… ele já é de idade anda no máximo 400km por ANO ! disse que é o ultimo carro que ele compra …

          • Gustavo73

            Infelizmente olhando o preço do mercado não é uma compra ruim.

  • Licergico

    segundo foi informado no dia 3 de julho aqui neste mesmo site…. Up! não é concorrente do kwind pois este é um subcompacto e o kwind é um SUV e seus concorrentes são Toyota SW, Santa Fé, Land Sport e por ar vai …

    • Gustavo73

      Kkkkkk…

    • Equívoco seu. Só enxergo Troller e Agrale como concorrentes dele.

      • Licergico

        kkkk

    • Maycon Farias

      Rachei kkkkkk

    • Vanderlei Santos_JAC_J6_2012

      Putz acabou de dizer que ele pode começar em 45k

  • Leandro Santos

    Declaração do presidente do meu dinheiro: Eu não compro!

  • KevinGR

    O pior é ele esta certo, O kwid faria mais sucesso aqui que o novo clio europeu simplesmente porque Brasileiro tem tara por carros que lembrem, mesmo que vagamente, um SUV.

    E dai que é inferior em tudo? é 5cm mais alto e tem plástico sem tinta por todo carro, eba!

  • Fabio Marquez

    O cliente que ele procura deve ser aquele povo que compra Corolla sem ESP.

  • Maçaranduba o Porradeiro.

    entre 30 e 45 mil hueais???
    Os oxtentação piram.

  • pedro rt

    o KWID nao tera 4 mas 7 AIRBAGS

  • Ricardo Santos

    Ele não falou nada que todas as outras não pratiquem: a vida de nós subdesenvolvidos vale menos. Simples assim. Quem puder compre importados (que não venham capados). E outra coisa, quem acredita que o nível de segurança do Kwid será o mesmo dos Dacias se engana: os Dacias são vendidos na Europa, coisa que dificilmente o Kwid será. Tenho Sandero, mas não teria Kwid. Nem com 8 airbags.

  • Bom, vamos fazer uma reflexão.
    A questão/controvérsia é:
    1- ter carros baratos, mas ruinzinhos. Porém, é melhor que busão/sola de sapato. Vide Índia…. Brasil, etc.
    2- só ter carros top, pika, idênticos aos europeus/estadunidenses, mas isso ser seleto a uma faixa menor da sociedade.
    Na boa? Sem utopias, prefiro a realidade. Situação 1.
    Porém, todavia, entretanto, isso não anula o nosso direito de BRIGAR por carros melhores, leis mais duras em segurança de automóveis, punição da Justiça e Ministério Público para montadoras/empresários sacanas etc.
    O segredo é o equilíbrio…
    Em suma: já temos aqui no Brasil a opção. Temos Classic por 33k ou temos ACCORD por 160k (idêntico ao do primeiro mundo, inclusive fabricado e importado dos EUA! Igualzinho ao deles, sem tirar nem por).
    E aí? É uma opção. Mas, dado o sistema capitalista em que vivemos (felizmente), somente alguns conseguem optar… Nesse sentido, natural ter também a opção para que os menos abonados possam adquirir seus carros, caso contrário não teria automóvel a menos de 60 mil no Brasil (que é mais ou menos onde começa o preço dos carros “de verdade”), pois mesmo um Up! completo já custa 50/55k, e nem tem os 7AB e o ESC que tem na europa…

    • Exatamente! Algumas pessoas querem um mercado europeu automotivo em um mercado sulamericano.

      • Marco Antônio

        Querem toda a maravilha do primeiro mundo e são as primeiras e gritarem. MONTADORAS GANANCIOSAS E SEU LUCRO. O problema é sempre o lucro, o empresário, ou o brasileiro. Nunca o governo e sua trupe.! Cansa ler os comentários.!

        • Pois é, Marco. E já reparou que o problema do mercado são sempre os outros?

          • Marco Antônio

            Sempre assim.!

        • Cara, então o que explica o Brasil ser um dos países com maiores margens de lucro paras montadoras?

          O que cansa pra mim é essas história de sempre querer por a culpa de tudo no governo.

          • Dag Drollet

            Concordo, não há como isentar as montadoras da situação em que nos encontramos hoje nesse mercado. Elas se aproveitam da alta tributação para lucrar em níveis bem superiores aos de outros mercados, assim como tiram proveito da imaturidade de nosso consumidor, que compra sem muitos critérios, seja por consumismo ou ostentação.

          • SDS SP

            Acho que talvez o fato de que as nossas taxas de juros serem as maiores do mundo ajuda a explicar um pouco. Para uma pessoa investir grana em um empreendimento é necessário que as margens sejam maiores do que a taxa básica de juros, pois do contrário é melhor deixar o dinheiro no banco.

          • Marco Antônio

            Margem de lucro está atrelada a reserva de mercado. Se o governo protege as montadoras “nacionais”, e existe demanda latente por automóveis, porque elas reduziriam as marges de lucro real? 1° fator: O consumidor paga o preço pedido. 2° Fator: O lucro tem um dos maiores impostos de renta do Mundo (só de IR + CSSL = 25 +9 % = 34%). 3° Proteção á concorrência externa (ineficiência da indústria nacional, e o seu alto custo.). Se o governo protege, e estimula, o atual arranjo, porque céus as montadoras colocarão taxas menores de juros? O povo paga, as montadoras lucram, e muito, e o governo abocanha impostos sobre a venda do produto e do lucro do produto. Quem perde é o consumidor. Embora esse arranjo só exista pelo financiamento, político e econômico, do governo. Espero que tenha elucidado um pouco mais meu ponto de vista.!

      • Tosoobservando

        como no país mais liberal da região, Chile?

      • Mas o mais controverso é que elogiam o mercado e a população européia. Mas falam mal das montadoras , que muitas são da Europa e inclusive a maioria administrada por europeus.

      • Filipo

        Eu mesmo sei das diferenças entre os dois mercados, principalmente financeira e sei que não tem como ser 100% igual. Nem próximo disso!
        Mas não admito a questão da segurança ser tratada com tanta indiferença por aqui! Todos os povos têm o mesmo valor, se é que me faço entender…
        Foi preciso o governo (que também é omisso), por meio de lei, obrigar os fabricantes a oferecerem o mínimo de segurança (dupla bolsa frontal + ABS) para tal.
        Culpa só dos fabricantes? Não! Definitivamente não. O mercado consumidor local tem grande parcela de culpa. Em suma: os brasileiros.
        Na europa não houve lei para que todos os fabricantes oferecessem as bolsas e o airbag. Por quê? Porque lá a sociedade é mais avançada, cobra mais, corre atrás de seus direitos.
        Por que por aqui a maioria dos carros ainda não é submetida ao teste de batida? Na europa todos são, e há tempos. A EuroNCap, para mim, é uma instituição simbolo da europa, revela o quão avançado o consumidor é. Lá, todos sabemos que se um veículo recebe poucas estrelas, ele será relegado.
        Não é porque o consumidor local é desprovido financeiramente, que o carro pode ser inseguro. Isso para mim é uma desculpa esfarrapada. Ainda mais quando vemos carros iguais, de origens fabris (de fabricação) diferentes, para mercados diferentes, receberem notas diferentes, como foi o caso do March mexicano com o europeu. Há outros casos desse, que não estou lembrando agora. O que dizer disso?
        E olha que proporcionalmente nossos carros são os mais caros do mundo. Aqui o mesmo carro custa sempre mais!
        Veja um exemplo de diferença de tratamento entre mercados: o Kwid indiano é 0 estrelas. O nosso será declaradamente melhor. Receberá reforços. Por quê o mesmo carro com níveis de segurança diferentes? Os indianos valem menos?
        E antes que me venham falar de custos, o conjunto das bolsas frontais, mais o ABS não acrescentou tanto assim. Sim, segurança tem seu preço, mas não é nada muito além do que estamos acostumados a pagar pelos já caros veículos.
        Não podemos aceitar, por exemplo um carro inseguro só porque ele é mais seguro que uma moto. Esse argumento, que não é seu, Lagoeiro, eu sei, é ridículo.
        Portanto, não é querer ser como um europeu ou ter os mesmos veículos, e sim ter dignidade e respeito.

        • Parabéns Filipo. Perfeito comentário!

        • Tosoobservando

          Ironic on: [Seria pq na INdia o transito é lento afinal alem de ser + de 1 bilhao de hab em um país pequeno tem muita vaca na rua?? ]

    • Tosoobservando

      Kra que comentario ridiculo e simplista. Nosso mercado é assim pura e simplismente por causa de falta de concorrencia externa, e protecionismo exagerado (so quem ganha com isso sao as montadoras, por isso pagam altas propinas ao governo).
      Abra-se o mercado e nos tornaremos um Chile.

      • Não tem nada de ridículo, filhote. É a minha opinião.
        Argumente civilizadamente e emita a sua, produza um pensamento decente em vez de “simplismente” xingar aquilo que vc não concorda.
        E produzir em solo nacional, pra mim, é excelente, pois gera empregos, renda, etc. O próprio Trump (que eu considero um embusteiro, mas tem umas ideias boas) quer fechar as importações nos EUA em razão da fuga de postos de emprego e crise geral naquele País.

        • Tosoobservando

          Emprego e renda onde se o país esta quebrado? Certamente seria rentavel se o país aproveitasse entao esse potencial pra ter tecnologia propria na area, como vem fazendo a China. Fechar mercado para multinacionais lucrarem bilhões no lombo dos burros de carga em troca de alguns empreguinhos é um pensamento bem 3 mundista.

        • A solução agora num mundo altamente globalizado é se fechar a importações?!
          Cuba fez isso, vê lá como são os carros kkkk

      • Matthew

        No tão aclamado Chile tá cheio de tranqueira xing ling com avaliações se segurança iguais ou piores do que os carros nacionais.

        • Tosoobservando

          Tao aclamado? kkk estas “tranqueiras” que vc fala é pq o mercado é aberto, e isso da mais força ao consumidor, nao quer nao compra, simples. Pq o Estado tem de ser baba da população ate nas compras?

    • Matthew

      Primeiro comentário sensato que eu vejo aqui! Não sei em que o mundo o pessoal desse fórum vive. Carros como Kwid, Mobi e outros desse naipe é apenas um substituto pra busão/ motocicleta. Por pior que seja a avaliação de um carro no NCap, sempre será infinitamente mais seguro do que uma moto. Ônibus também tem várias complicações, não só durante a viagem. O piá sai da faculdade as 10 e meia da noite e tem que ficar esperando no ponto, nem sempre bem iluminado.
      Enfim, as vezes precisamos de alguém aqui no fórum pra trazer o pessoal de volta à realidade.

      • Tosoobservando

        Corolla, Civic, Elantra, Renegade, Hr-V tambem sao pra substitui busao e pro piá da faculdade, so que nos Eua….. hhehe

    • Claudio

      Boa reflexão!

  • Diogo Oliveira

    Eu queria Renaults, não Dacias… Que estranho né dona RENÔ?

  • zekinha71

    Tem alguma coisa errada, não pedi um carro que é tão resistente quando uma lata de sardinha e com preço caro. O preço quero 20K pela latinha.

    • Exatamente. Esse KWID deve vender, ironicamente, mais do que o UP.

  • Snoop Dogg

    Se o consumidor brasileiro realmente se importasse com segurança como um dos principais fatores para realizar a compra de um veiculo, o VW Up! venderia igual agua.

    • Serkot

      O que estragou o UP foi o preço de lançamento…
      Eu fui ver, entrei no carro, pequeno por fora, estreito por dentro, lata exposta, painel de moto, por 40k…
      Vocês ainda querem arrumar desculpa… foi o preço que queimou o carro.

  • Italo Pereira

    Por alguns instantes achei que estava no carblog…

  • Filipo

    Dificilmente terá as 5 estrelas do Up!, mesmo com os reforços estruturais que somarão cerca de 200 kg. Mas penso que ao menos 3 estrelas, pelo critério que o Up! foi avaliado, receberá.
    O que é certo é que ele virá com 4 airbags e ESP de série.

    • Rodrigo

      Sê tiver controle de estabilidade será mais seguro que o UP!

      5 estrelas para um carro sem controle de estabilidade é abusar da ignorância do brasileiro.

      • Filipo

        Sim, e estas são as novas regras.
        Contudo, para mim, mesmo tendo ESP de série, mas ficar devendo na estrutura, não é um carro seguro.
        Antes de elogiarmos um veículo, por vir ESP de série, temos que ter uma estrutura resistente, o que ainda não é o caso da maioria dos veículos no país.

  • Murilo Soares de O. Filho

    Vamos esperar a resposta do mercado…

  • JCosta

    Isso quer dizer que o mercado brasileiro quer essa m…?

  • Marco Antônio

    Que chatice esses comentários das estrelinhas. Nossa. Sorte de vcs, seus chatos, que a expressão é livre!

  • MIN💀S

    Vai custar mais de $30k

  • Jofran Martins

    Então o clinte quer Dacia????
    Difícil de acreditar!!

    • Sabemos que é o que o povo quer. Renault vende mais que o dobro com a linha oriunda da Dacia, versus passado de linha nativa da Renault.

  • Cassio

    Entregam o que os clientes querem pelo preço que pedem?
    Traz um Clio europeu por R$ 20 mil pra mim.

    • Hahaha… Excelente! Hehehe

    • Maycon Farias

      A melhor da semana kkkk 👏👏👏👏

    • zekinha71

      Traz 2.

  • Maycon Farias

    Mais uma pesquisa com brasileiros que eu não participei. Eu não queria nem essa marca, queria mesmo era um Mercedes ou BMW na faixa dos 50 mil e que com um ano apenas eu pudesse pagar, igual aqueles comparativos salário Brasil x salário EUA.

  • Zé Mundico

    Gente, o chefão da Renault tem lá a sua razão.
    Eu lembro que quando a Renault chegou aqui no Brasil, oferecia excelentes carros da sua própria “linhagem”, quer dizer, eram Renaults de origem.
    Tinha o Clio, que por muito tempo foi o mehor 1.0 do mercado, pois era completo e tinha um preço bem vantajoso.
    Tinha a Scenic, um monovolume excelente, confortável e com todos os opcionais de série.
    Tinha o Megane, um sedã que nunca fez feio diante do então ascendente Corolla.
    Tinha a Megane Grand Tour, talvez a melhor perua fabricada por essas bandas, junto com a Fielder.
    Detalhe : TODOS produzidos no Brasil.
    Pois bem….o consumidor brasileiro, que sempre foi um exemplo de modernidade e sabedoria, achou que carro francês não prestava, que desmontava, que batia muito, que era muito duro, que soltava as peças….enfim……
    Então o pessoal da Renault percebeu que brasileiro não tem grana sobrando para comprar e manter um carro. Afinal, não adianta vender carro bom para quem não tem condições de manter a qualidade da tecnologia oferecida.
    Como não eram bobos, trouxeram o line-up da genérica Dacia, que, sinceramente, é mais compatível e coerente com o bolso do brasileiro médio, que compra carro em 80 vezes e precisa fazer consignado para pagar o IPVA.
    Logan, Sandero e Duster sustentam a Renault no Brasil e ela está certíssima nisso. É carro pé-duro mas é resistente e se garante na mão do freguês com pouco dinheiro.
    Moral da história : os chefões da Renault sacaram que brasileiro não gosta de carro bom, e sim de carro barato.

    • Rodrigo Alves Buriti

      Sim, eu queria saber o motivo do povo aqui estar, em sua maioria, revoltado ou não ter gostado da declaração.
      Já tivemos um Mégane 2008 e era um P**A carro! Pena que a Renault morreu devido ao próprio mercado. Não adiantar 1% falar aqui putinho se quem compra e sustenta as marcas no país sequer sabe trocar o óleo ou calibrar o pneu, financiam até perder de vista, pensam que quanto menor o motor mais econômico, não sabem o que é ESP….enfim.

      Não é para se surpreender com a notícia, e sim a que nível chegou o consumidor (em sua maioria) do mercado nacional.

    • Vitão

      Pois é, sinto saudades do Megane Gran Tour era um baita carro com um ótimo custo x benefício….

    • Tosoobservando

      Pera mas a Renault tinha acabado de chegar tambem, nao se constroi a fama duma marca da noite pro dia. A Toyota, Honda e Hyundai tao ae pra desmentir esse seu comentario, vc pode sim vender, se investir em marketing pra ter um NOME, percepção de qualidade, pos-venda e de que nao quebra etc… Isso a Reno nao fez, preferiu trazer Dacia mesmo. Agora nao conseguem emplacar nada acima de 50 mil e com razão.

      • Não havia acabado de chegar… já estava fixa por aqui desde o ano de 1990, e já era uma marca conhecida há naos, que vinha e voltava, vide o Renault Gordini sob as mãos da Willys, e a linha Renault 19.

        • Tosoobservando

          Renault so voltou ao Brasil em 1999, depois de uma ligeira passada nos anos 60 com a Simca.

        • Tosoobservando

          Sim mas so voltaram a produzir em 1999, antes eram apenas importados, e sabemos que nesse nicho importado nao vinga.

  • Pipo pipo

    Por mais chocante que seja tal afirmação, ele tem razão. Entrega o que o mercado “quer”, leia-se: ENGOLE.
    E a maioria engole qualquer coisa, desde programas absurdos na tv até representantes de “M……” na política.
    Vou parar por aqui, a lista é extensa e não desejo importunar ninguém.
    Boa noite.

  • kravmaga

    O pior é que o presidente da renault está certo !

    O povão quer um carro o mais barato possível, com o maior tamanho que puder para levar a farofada no final de semana, uma multimídia legal para tocar um funk ostentação e que não beba muito, mesmo que também não ande nada… Se tiver um design legal cheio de vincos para impressionar as minas que está andando de carrão, melhor ainda.

    Segurança ?! Para que ? e o air bag estourar a gente dá um jeitinho e desativa a luz do painel para não encher mais o saco.

    • Vitão

      Realmente foi uma tapa na cara do brasileiro. Mas o triste é que ele falou a verdade… O povo ainda continua no pão e o circo….

      • kravmaga

        E a Renault lá fora acabou de lançar o Clio R. S com 220 cv e câmbio de dupla embreagem !

        • Alligator

          parece que esse câmbio é o mesmo powershift

          • Filipo

            Nada tem a ver, a não ser também ser de dupla embreagem.
            A caixa da Renault, EDC, é de fabricação própria.

  • fbl

    Os brasileiros querem tuk tuk entao?

  • Fábio

    Não sei o pq desse chororô todo, o cara apenas disse a verdade. Parem de comprar Renault por causa da baixa segurança e dos motores ultrapassados pra verem se esse cara não muda de ideia rapidinho.

  • Marcio Almeida

    E esse motor hein ? Do jeito que a Reno é !!! Espero que melhorem e não somente isso mas o acabamento interno, nível de ruido pois, o Sandero mesmo o novo, deixa a desejar em comparação com os concorrentes.Em relação aos subcompactos acredito que será por enquanto a melhor escolha pelo menos no desenho kkk

  • Pedro Cunha

    Só de boas esperando os haters do Mobi dizerem “Nossa, além de bonito têm 4 air-bags de série!”
    Só esperar o 1º ano de produção pra dacia do brasil fazer como fez com o clio, lá no começo… foi depenando, depenando e só não depenam mais pois já saiu de linha.

  • Leo

    Jogaram fora a imagem do carro que será o mais bonito da categoria -e provavelmente o mais espaçoso também – com essa empáfia e má vontade de melhorar de fato a estrutura do Kwid

  • Ricardo Blume

    Depende muito do ponto de vista. Eu torço para que seja econômico e que tenha um mínimo de segurança. Tendo isso, ele se torna um carro para o dia-a-dia com um bom custo benefício.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Uma curiosidade: Não haverá versão Dacia do Kwid. Em todos os mercados onde for vendido será um Renault.

  • Felipe

    Certo ele está? Não.
    E errado? Também não… Ele só foi sincero e coerente com o a realidade. Isso amarga.

  • Lorenzo Frigerio

    Renault… lixo para o terceiro mundo

  • Ezequiel Favero Pires

    Levou nota ZERO no NCAP, o cara diz que não vale a pena investir em segurnaça além do que são obrigados e depois diz que o modelo que virá será mais seguro? Como quem diz: não damos a mínima para sua segurança na hora de fabricar e montar o carro, mas na hora de vender sim!

    • th!nk.t4nk

      Não é exatamente o mesmo carro. O de lá deve ser feito só com aço IF pra baratear e HSLA na estrutura. No Brasil dizem que será bem diferente, espero pelo menos um percentual razoável de aços DP. Não misturem as avaliaçoes antes do outro modelo ser lançado.

  • Jofran Martins

    O público não quer Dacia!!!!

  • Hugo Borges

    ‘Não foi uma indireta aos comentaristas do NA’, aponta presidente da Renault.

  • The Monster Man

    SQN.

  • lucas

    Com certeza Olivier não sabe o que diz. Comprei um Clio e recebi um projeto de carro. Queria um carro, mesmo básico, não “algo” feito de playmobil!!

    • Clio é um carro, básico de entrada, mas melhor que seu concorrente Palio Fire. Compraste o carro sabendo como ele era, logo, se achavas que ele não atingia seu nível de exigência, porque não adquiriste outro?

      • lucas

        Pelo contrário, comprei o carro pensando que era melhor que os concorrentes, logo vi que não era bem aquilo que imaginava ser.



Send this to friend