Home Etc A experiência de viajar pela Rodovia Transamazônica em uma F-4000 com 36...

viagem rodovia transamazonica 3 700x394 A experiência de viajar pela Rodovia Transamazônica em uma F 4000 com 36 pessoas a bordo




Olá pessoal, decidi compartilhar com vocês minha experiência na Transamazônica e em uma estrada que liga a cidade de Uruará à Comunidade Maribel, em um local chamado Travessão do Iriri, às margens do rio Iriri.
Eu e um grupo de amigos fomos pescar neste local, e a ida a partir de Altamira transcorreu sem maiores problemas.

De Altamira até Uruará são 200 km, uma pequena parte dos quais esta asfaltada. Uma parte desta estrada está em obras para asfaltamento, e isso nos causou problemas no retorno. Alugamos um micro-ônibus, que nos serviu já que não existiam alternativas melhores. De Uruará até o Travessão do Iriri são 95 km, em uma estrada estreita e que estava em condições razoáveis na ida. Gastamos cerca de 6 horas no micro-ônibus para percorrer esta distância, sendo que este tempo relativamente longo foi devido a alguns atolamentos de nosso caminhão, um VW 24-250 com um baú metálico de 9 metros!

viagem rodovia transamazonica 9 700x393 A experiência de viajar pela Rodovia Transamazônica em uma F 4000 com 36 pessoas a bordo

Na noite em que o Galo foi campeão da Libertadores, uma tempestade tropical desabou na região, destruindo parcialmente nosso acampamento. Nos dias anteriores já havia chovido um pouco, de modo que tivemos que levantar acampamento antes do previsto. Por sorte, uma Jardineira que faz diariamente o trajeto Uruará-Iriri estava nas imediações, e então a contratamos para nos transportar até Uruará.

Fizemos isso pois o micro-ônibus somente voltaria para nos buscar no dia seguinte. Pois bem, esta Jardineira é uma F4000, equipada com dois bancos de madeira e um segundo andar para cargas e também pessoas. Para as pessoas se segurarem existe uma barra de ferro acima das cabeças atravessando a carroceria em toda sua extensão. Éramos 16 pescadores, o filho do dono da Jardineira e outro homem na carroceria, e o motorista e uma garota de uns 13 anos que havia furado o pé em um grande prego na noite anterior e estava indo para Uruará para ser medicada.

viagem rodovia transamazonica 7 700x394 A experiência de viajar pela Rodovia Transamazônica em uma F 4000 com 36 pessoas a bordo

Esta Jardineira é o único meio de transporte de pessoas e pequenas cargas dos agricultores que vivem à beira desta estrada. Sendo assim, ela foi parando ao longo do percurso e recolhendo sacos de 50 Kg de cacau, farinha e arroz, e mais pessoas. Ao todo, viajaram 36 pessoas nesta F4000, além de vários sacos de mercadoria, e um tatu que uma moradora enviou de encomenda para a mãe que mora em Uruará.

Conforme vocês podem ver nos vídeos e fotos, a estrada ficou quase intransitável por causa das chuvas. Atolamos cerca de 8 vezes, sendo necessária a força de muitos homens para colocar a Jardineira de volta à estrada. Por fim o motorista colocou correntes nos pneus, o que melhorou um pouco a aderência. Saímos do acampamento por volta do meio dia, e às 7 da noite tivemos que descer no escuro pois segundo o motorista aquela parte da estrada era muito perigosa.

viagem rodovia transamazonica 81 700x393 A experiência de viajar pela Rodovia Transamazônica em uma F 4000 com 36 pessoas a bordo

Fomos então andando, 36 pessoas entre mulheres, crianças e os companheiros, até uma parte mais segura da estrada. Quase chegando no entroncamento desta estrada com a Transamazônica encontramos nosso micro-ônibus atolado e atravessado na estrada, impedindo a passagem de qualquer veículo. Novamente tivemos que empurrar para desatolar. Finalmente, depois de 10 horas de viagem, chegamos a Uruará, cansados, imundos, mas felizes por termos realizado esta aventura.

viagem rodovia transamazonica 11 700x393 A experiência de viajar pela Rodovia Transamazônica em uma F 4000 com 36 pessoas a bordo

Após uma noite maravilhosa em um hotel, pegamos o micro-ônibus para Altamira e novamente atolamos, assim como muito caminhões e carros. Pará nós foi uma grande aventura, mas para as pessoas que vivem lá esta situação é uma realidade constante. A Transamazônica certamente será asfaltada, mas a estrada que vai para o Iriri deverá permanecer como está por muitos anos. É ruim para os moradores, mas é uma garantia de preservação de uma região pouco devastada pelo homem.

Por Geraldo Magela





Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.