_Destaque Europa Fiat Hatches

Fiat 500S tem mais detalhes revelados na Europa

fiat-500-s-1

O Fiat 500S é uma versão esportiva da nova atualização do clássico italiano. O modelo se destaca por ter suspensão mais firme, spoiler traseiro, saias laterais, cores vibrantes, escape esportivo e rodas de liga leve aros 15 ou 16 polegadas com desenhos exclusivos, entre outros.

fiat-500-s-5

Inicialmente apenas as cores Electronic Blue e Matte Green haviam sido divulgadas, mas agora o Fiat 500S virá também com opção de vermelho. Por dentro, o painel pode ter as cores branco, preto ou amarelo, estendendo-se para painéis das portas e colunas. Os bancos em couro Frau são pretos e podem ter laterais em cores branca ou azul.

fiat-500-s-3

De série, o Fiat 500S vem com a multimídia Uconnect, enquanto o sistema de som Beats com 400 watts é opcional. Na mecânica, além da opção diesel 1.3 Multijet II de 95 cv, divulgada originalmente, o modelo apresenta também versões a gasolina 1.2 de 69 cv, 1.4 de 100 cv e 0.9 TwinAir Turbo com 80 cv. O câmbio é manual de cinco marchas.

Galeria de fotos do Fiat 500S:





  • Chen

    Quando chega no BR, essa atualizacao visual?

    • Franco da Silva

      Do jeito que ficou caro, não sei se a Fiat faz muita questão de trazer o novo.
      Mas podemos comprar o Mobi. Mesma coisa. Pffff…

  • Franco da Silva

    Aquele azul ali, eu ia hein…!!!

    • Fabio Marquez

      O mais legal, que olhando as fotos do modelo azul, deu para reparar que o “miolo” da lanterna traseira é da cor do veiculo, achei bastante interessante.

      • Mardem

        Ficou bem legal mesmo. Esse esquema de miolo da lanterna na cor do carro se repete também no 124 spider. No geral, o facelift do 500 ficou muito bom. Sutil e elegante.

      • Franco da Silva

        Reparei tbm. Muito estiloso!

    • Marco Antônio

      Deu vontade de ter dinheiro. E morar na Europa.

  • Fabio Marquez

    Na minha opinião, o 500 deveria estar sendo fabricado no Brasil e ser o subcompacto da marca, com motores 1.0 e 1.4. Mas a marca vai lá, o torna premium, lança o Mobi, que apesar de não ser tão feio (na minha opinião), não tem muito carisma e tem jeito de uma versão simplificada do já velho Fiat Uno.

    • Mardem

      O problema do Mobi, além da feiura (ponto em que discordamos), é que ele pertence a um segmento que não é forte no país. Veja bem, eu acredito que precisemos de carros urbanos mais aptos e racionais às grandes cidades mas, ao ofertar um carro que não inova em absolutamente nada, a Fiat errou e errou feio! O carro é caro, não é bonito, não é seguro, não é moderno, não é econômico e, por consequência, não é lá muito ecológico. Fica impossível encontrar um argumento de venda para o produto.
      Para se destacar, o carro precisava ser impactante. Design acertado, novas tecnologias, motores modernos, mais segurança e preço condizente. No final, o Mobi foi realmente impactante, pena que o impacto foi negativo.
      Não acho também que o 500 como veículo de entrada subcompacto funcionaria. É outra proposta de carro urbano, que agrega toda uma atmosfera retrô e emocional. Acho que esse papel seria mais do Panda do que do 500.
      Enfim, o que se vê é que a Fiat sabe fazer carro urbano, mas teve muita má fé na hora de fazer o Mobi.

      • “…Design acertado, novas tecnologias, motores modernos, mais segurança e preço condizente…”

        Mas então qual explicação para sucesso do Ônix? Não o acho bonito mas vamos lá, acho que pode ser colocado como “design acertado”. O preço também vou dar um desconto, que ele não veio menos caro ou mais barato que seus concorrentes. Acho que até colocou argumentos condizentes, mas segurança, modernidade e novas tecnologias nem sempre garantem sucesso.

        • Mardem

          O Onix segue a proposta generalista. É um carro espaçoso, que consegue acomodar, mesmo com ressalvas, 5 pessoas. É o tipo de carro que as vezes é o unico da família. A manutenção dos motores jurássicos é barata e como proposta de carro generalista, ele supre as necessidades sem se sobressair em nada (segurança medíocre inclusa). Quanto ao design, concordo contigo! É uma caixa com rodas, mas não chega a assustar, como o Mobi.
          Já o Mobi e Up são carros voltados a um público mais jovem, que preza pelo diferente. Não tem proposta de ser o único carro da família. São segmentos de mercado diferentes. O Up errou ao tentar se tornar generalista sendo “descolado” e o Mobi errou ao não apresentar nada de inovador para um público que tende a apreciar o diferente. É um carro velho, com design feio e que tenta se vender como diferente sendo apenas mais do mesmo. Em suma, Uno chassis curto.

          • Perfeito Mardem. Você foi muito feliz nas colocações, mas faço um adendo:
            Qual é o real custo da manutenção de um motor ultrapassado na conta da “manutenção mais barata”? EM CASO DE PROBLEMA, acredito que a manutenção do Chevrolet ficará mais em conta em relação a Ford, Hyundai e VW, mas tenho absoluta certeza que tanto o Onix quanto os outros andarão até os 150 mil sem apresentar problemas graves. Nessa parte muita gente já terá trocado de modelo, e quem optar pelo Chevrolet, terá tido 150 mil com desempenho e consumo aquém do possível por conta de uma suposta “economia” na manutenção. E gastará uma vela a mais nas trocas! Hehehe… Para quem é taxista, onde os 150 mil vem em poucos meses, isso é um item a ser considerado. Mas no caso do consumidor comum… Outra coisa: TODO argumento que alguém colocar para explicar a liderança do Onix também se aplicará ao Sandero. Todos. Espaço interno, mecânica, visual… Porque um é líder e outro sofre para fica no top 10? Será que não faltou na sua lista confiança na marca?

            • Mardem

              Na mosca! Um carrega a gravatinha da Chevrolet, presente no país há muito mais tempo do que a Renault e que tem uma clientela “fiel”. Claro que a Chevrolet ainda colhe os louros da época áurea em que ela era uma filial da Opel, então, para os clientes, os carros chevrolet ainda são da linhagem “vectra/astra/opala” e por aí vai. A Renault, por outro lado, carrega o fardo de ser francesa, de ter chegado depois ao brasil e ainda de ter o mito da manutenção mais cara (legado dos renault 21/19 do anos 1990).
              Cá entre nós, eu prefiro o Sandero ao Onix. Acho que é um carro mais acertado do que o GM e sua manutenção não chega a assustar. Mas brasileiro é um povo muito estranho. Até meados dos anos 1990, carro quatro portas era mico e câmbio automático era bicho de sete cabeças…

    • Fiat 500 é pesado, tem mais de 1 tonelada. Motor 1.0, levando em consideração o seu posicionamento de carro de imagem, não seria muito interessante, não. Ele não é premium, mas como proprietário de um posso te assegurar que tem qualidade de construção e acabamento, mas infelizmente o pós-venda da Fiat é uma M****! Não teria outro por causa da Fiat, mas o carro é bom!

      • Fabricio Conchon

        Concordo que não se encaixaria como carro de entrada, pois tem praticamente tudo de série, que muitos sedans grandes até hoje não oferecem nem como opcional…. e isso certamente acaba encarecendo…. Na Europa existe versão 0.9… e atende bem pra proposta do carro…. já andei nesse 0,9, e tenho um 1.4 aqui, e ambos atendem bem.. é claro, para a proposta do carro. Quem quer mais forte, tem o S, o abarth, o 595…. Tem o 500 X, o 500 L… então opçao não achoque seja o caso. o único defeito do 500 pra mim, como proprietário, é ser da Fiat… fora isso, só alegria.

  • Marco Antônio

    500 e Adam são os mais bonitos, na minha inútil opinião. teria qualquer versão de ambos fácil. Acho muito legal essa categoria de compactos urbanos. OBS: Ainda acho o Adam mais legal que o 500.

    • Marco Antônio

      kkkkkkk Partiu Europa #

  • Murilo Soares de O. Filho

    Isso sim é um verdadeiro city car, pena que aqui virou artigo de luxo.

  • awatenor

    O Exército aprovou o verde…….

  • Thiago Braga

    Esse verde cor de cocô é uma cor vibrante? rs

  • Bruno Gomes

    Em um tempo não muito distante, já tivemos a versão de entrada do 500 por mordidos R$39990,00 na versão Cult com o 1.4 Evo.
    Sou louco por esse carro e só não compro um por não gostar da fama de pós venda da FIAT. Muitos relatos de insatisfação não pelo carro, mas sim pelo atendimento péssimo nas concessionárias.
    Por mim, Mobi, Uno e Palio já deveriam ter sumido da linha marca.
    500 como entrada
    Punto Compacto
    Bravo médio

  • Cassio

    Ótimo carrinho para o cotidiano.
    Único produto da Fiat que ainda desperta algum interesse em mim.