Chrysler EUA Sedãs

Fiat Aegea: sedã compacto da FCA pode ser feito nos EUA, mas como um Chrysler

fiat-aegea-3

O Fiat Aegea deve chegar ao mercado europeu com outra designação, possivelmente mais uma para a versão hatchback e perua. No entanto, o sedã compacto de fabricação turca deve gerar algo mais e para um mercado mais distante da Europa.

Além da Índia estar na mira do modelo, os EUA é que estão sendo considerados como primeira parada fora da programação do Fiat Aegea, que é Europa, Norte da África, Oriente Médio e Leste Europeu.

De acordo com o site Allpar, a FCA deverá utilizar o projeto Aegea para elaboração do primeiro compacto da Chrysler desde os clássicos carros “K” dos anos 80. Ele está sendo chamado de Chrysler 100 e consta no plano estratégico do grupo ítalo-americano.

aegea-turquia-1

Devido ao seu tamanho, muito menor que o Dodge Dart, por exemplo, o Chrysler 100 deverá utilizar a mesma plataforma SUSW (small) do grupo, que surge com o Aegea. O comprimento máximo deve chegar a 4,57 m, enquanto o entre eixos deve alcançar 2,64 m.

Na motorização, fala-se em motores Tigershark 2.0 ou 2.4, incluindo uma versão turbo. Por fim, a produção é esperada para a América do Norte, mas ainda não se sabe se será em Michigan ou em algum outro estado do país, embora o México seja uma opção a considerar.

fiat-freemont-2015-5

Outros

De acordo com fontes do site, o Fiat 500X deve receber novas opções de motor e câmbio, bem como o esperado Abarth. Já o sucessor do Fiat Freemont ainda não estaria definido e há indecisão sobre seu futuro.

A FCA não estaria disposta a usar a base do Cherokee (CUSW) fazer o crossover, embora o Dodge Journey ainda tenha boas vendas, diferente do “italiano”. Ambos poderiam ser feitos nos EUA ou México.

[Fonte: Allpar]





  • Bruno Silva

    É possível imaginar claramente esse Aegea com os logos Chrysler. Talvez isso foi algo pensado no projeto para servir as duas marcas. Já sobre o Freemont, talvez o projeto SUV 556 que substituiria o Jeep Compass fosse montado em conjunto com a versão Fiat. O problema é que foi congelado no Brasil, talvez seja tocado em conjunto Europa/EUA. No Brasil, só veremos algo em torno de 2017, sendo que a possível produção nacional foi descartada. Então vamos torcer que a produção no México se confirme para termos o Freemont.

    • Thiago Maia

      O 556 foi flagrado camuflado, mas já em sua carroceria definitiva( dá p ver diferenças, parece um grand cherokee pequeno)

      Ele está sendo feito pelos americanos. É global

      Mas você está certo, pois há previsão para um “irmão” Fiat, e ficará a cargo de Europa/Brasil

    • Mario

      Se for fabricado no México, teria condições de chegar ao Brasil.

    • Raimundo M.

      A unidade pernambucana foi projetada para fazer quatro veículos, porém este quarto não está definido e pode até não ter caso a demanda do Renegade, da Toro e do sucessor do Compass, agora adiado, crescam e para todos deve haver a exportação para os países vizinhos. Com espaço ocioso do quarto produto, evita-se uma ampliação.

      Alguns especulam e eu concordo, a unidade de Goiana/PE pode se limitar a utilitários, que no nosso país tem demanda garantida. O C-CUV, a priori, da Fiat, não é previsto para a America Latina, e tal produto teria parentesco com o sucessor do Compass, só que o seu papel seria suprir a saída do Freemont, pois o Journey não tem previsão de variante Fiat e como é dito nas matérias mais fundamentadas, a base dele seria a do Dart, que é mais cara que a do Renegade/Compass/Toro/500X, etc.
      Especulam que o sucessor do Freemont seria derivado da Toro, pode ser. Porém, eu penso que só irá aproveitar as soluções estruturais tendo design bem distinto, pois como ilustra o planejamento, não haveria intenção inicial de ofertá-lo na America Latina, embora a Toro possa ser ofertada na Europa haja vista ter sido flagrada em vários locais da Europa e dos América do Norte.

      Se tivermos alguns sedan para combater os atuais e futuros médios, pode não ser pela Fiat, mas pela Chrysler ou Dodge importado do México. Já um produto para a vaga do Freemont, este pode ser nacionalizado caso use a base dos utilitários citados. Todavia, é bom lembrar que a FCA não quis ofertar o 500X para não interferir nas vendas do Renegade. O Freemont compete com o Compass de certa forma, então produzir um crossover junto com o sucessor do Compass aqui dependeria do posicionamento dos produtos para novamente não haver forte interferência.

  • Fábio

    Pior que a traseira parece do Chrysler 200 anterior:

    • Brasil_MG

      A traseira desse Chrysler tá bonita..

    • Wellington Myph13

      A traseira do Chrysler ainda esta bonita pois ele esta pronunciada pra cima, se ver na outra matéria o Aegea de lateral, a traseira dele é caída, Horrível…
      Como já é provavelmente um carro de “produção”, não acredito que alterem isso em tempo, mas deviam, ficou horrível pra um sedã aquela traseira caída…

      • EuMeSmObYmYsElF
        • Brasil_MG

          Olhando por esse angulo realmente não ficou caída… A lateral do carro tá até bonita. Se a FIAT conseguir colocar nesse carro um motor decente e econômico, pode até ser que venda bastante.

          • Magno

            As rodas dianteiras parecem maiores… pode ser efeito de otica por causa do angulo da foto. Quanto ao design me pareceu muito rebuscado, mas, cada um tem seu gosto.

          • Raimundo M.

            O ponto de discordia pode ser justamente investir mais um pouco no Aegea para ver se ele vende bem. Ou você lança um produto para ter retorno ou é melhor não lançar. Produção local, então, nem se fala. Se for para vender pouco, é a importação pode ser uma opção, mas há um investimento para essa operação que tem que ser pago e o preço do produto está amarrado a variações cambiais que hoje não estão ficando favoráveis.

        • FocusMan

          Nessa foto ele lembra um Ford KA+

  • Brasil_MG

    Fiat Oggi, Prêmio, Tempra, Marea, Siena, Linea…Será que o Aegea será sucesso no mercado brasileiro???

    • sigma7777777

      O consumidor de veículos da Fiat torce por um Uno Sedan.

      • Guilherme Eduardo

        Já imagino o comparativo do “Uno Sedan” com o Chevrolet Classic …..

      • Brasil_MG

        sério ou brincadeira???

        • Mazembe 2X0

          Melhor um Uno Sedan que um Siena EL

          • Brasil_MG

            o Siena EL é ruim?

            • cabra macho do renegade

              siena el é caro e tem pouco conteúdo

      • Walter Augusto

        Kkkkkkkk, cara quase morri de tanto rir… VC falou tudo.

      • radiobrasil

        Ei.. mas nós ja temos o “gran” siena kkkk É sério kkkk

    • FocusMan

      Já foi dito em outro post sobre uma declaração do Marchione, onde ele disse que no Brasil terá um Sedan com base no novo Bravo.

      • radiobrasil

        Que vai chegar la em 2050 por aqui… rss
        Lembro do Bravo, chegou “velho” por aqui, de tanto que a Fiat demorou em trazê-lo.

        • FocusMan

          Mas a Fiat sempre disse que iria trazer o Bravo. Eles vão tentar um médio com outra marca, já que Fiat n pega

    • Marcello Caetano

      O Tempra foi um sucesso e Marea, não. O Siena é um sucesso e o Linea, não. Não entendi sua análise.

      • Brasil_MG

        Não fiz análise..Listei alguns sedans da Fiat, depois fiz uma pergunta..

      • 0terceiro

        Acho que o cara só quis provocar.

        Realmente, o Oggi vendeu pouco,
        mas Prêmio, Tempra e Siena venderam/vendem bem,
        vejo muitos deles pelas ruas.

        Marea, vejo pouco (menos que Stilo, por exemplo)
        e Línea, mais ou menos.

    • ObservadorCWB

      Caraca…alguém ainda lembrou do Oggi ???? Parabéns…..mas então que tal um “new 147 sedan” ??? Novo clássico das terras brasilis ????

    • Minerius Valioso

      Acho que sim. Só a Fiat não enfiar o Dualogic e o e-Torq.

  • DiMais

    tá mais pra Chrysler 000, ficaria uma lacuna muito grande entre o “Aegea” e o 200 para ele ser chamado de Chrysler 100.

    • EuMeSmObYmYsElF

      30 centimetros não é essa diferença toda.. mesma diferença de um Focus pra um Fusion..

      • DiMais

        mas não é só o comprimento que importa, o Aegea é compacto na essência e não um carro médio, seria o mesmo que a Ford substituir Focus por Fiesta.
        para os padrões americanos ele é minúsculo, ainda mais lembrando que ele é sucessor dos Albea (Siena alongado) e Linea (Punto).

        • V12 for life

          Basicamente oque a matéria diz é que usara a mesma plataforma do Aegea e da as medidas desse, não significa exatamente que manterá as mesmas para o Chrysler, porem 2,63 de entre eixo e 4,57 de comprimento são medidas de muito médio, o Corolla tinha entre eixos menor até a geração passada, e é só 3cm maior no comprimento tanto antes quanto agora.

          • DiMais

            sim, mas assim como o Linea é comprido e estreito. seria o mesmo que falar que o C4 Pallas é concorrente do Fusion, não é, só é comprido.
            a categoria do Aegea é a mesma do Logan, o carro é espaçoso sim para um compacto, mas não entrega o mesmo que um médio de verdade.

            • V12 for life

              Concordo com seu ponto de vista, mas oque determina a categoria do carro é o entre eixos, com 2,63m o Aegea entra por 3cm na categoria dos médios, já o Cobalt por exemplo com 2,58m está 2cm abaixo e é definido erroneamente como compacto premium( erroneamente por não ter nada de premium).

              • DiMais

                Cobalt 2,62m
                Logan 2,63m
                e sinceramente, se não enganaram nem brasileiro não vai ser o Tio Sam que vai acreditar que ele é médio.
                não que o carro seja ruim, mas colocar um compacto bombado pra competir na categoria dos best sellers de lá (Civic e Corolla) não parece ser uma boa idéia.
                Um Chrysler 100 mais apropriado seria feito na base do Dart/Viaggio que estruturalmente são maiores e mais completos e um outro baseado no Aegea seria ainda menor que este, até porque a categoria para a qual ele foi concebido foi a dos compactos.

              • FocusMan

                V12, não só isso.

                O entre eixos do Logan por exemplo é exatamente o mesmo do antigo Corolla até 2013.

                Não existe essa definição por entre eixos. A definição é mais pela largura do carro e pelos atributos de chassis.

                • V12 for life

                  Primeiro eu li que era por comprimento, depois por entre eixos, pela largura não li nada mas também faz sentido, acho que não existe um consenso, o Cobalt por exemplo tem o mesmo comprimento do Vectra 97 até mais itens de série mas claramente o acabamento assim como a categoria são inferiores ao Vectra embora internamente eles acomodem 3 adultos sem aperto no banco traseiro, e isso falo por experiência própria pois já tive um e o outro é meu carro atual.

                  • FocusMan

                    Então, em 1997 o Vectra era um carro da categoria CD, ou seja ele era um carro que competia com o Mondeo.

                    Não podemos comparar carros de geração tão distantes. Lembra-se do Chevette? Conhece algo com menor espaço interno do que ele?

                    Ele era um carro da categoria C, o que hoje seria o nosso Cruze.

                    Um Fusca tem o mesmo tamanho de um Escort.

                    Alias, o Escort que aqui já foi até carro popular, era um carro da categoria C, que hoje é representada pelo Focus.

                    Foi justamente no crescimento das gerações que a Honda e Toyota mataram o negócio da GM no Brasil.

                    A GM sempre fabricou carros CD e D no Brasil. Tinhamos Opala que era um Classe D e o Monza que era CD. Depois tivemos o Omega e Vectra ocupando as mesmas categorias. Isso porque tinhamos um mercado bem pequeno.

                    Hoje a GM tem apenas o Cruze na categoria C e todo o seu lineup são derivados de carros categoria B.

                    Aumentar o entre eixo deles não farão deles carros da Categoria C, mesmo que eles sejam recheados de tecnologia, vide o que aconteceu com o ótimo Fiat Linea.

                  • 0terceiro

                    Mas o Vectra é mais bonito :)

                    • radiobrasil

                      Até hoje me agrada o desing do Vectra B. Tive um GLS 2.2 ano 2000… que vendi em 2008 com apenas 50 mil km por 24 mil… Hoje não venderia e ficaria com o bichinho. Só me deu alegrias!

                • radiobrasil

                  Concordo.

                  Exemplo: ASX pra mim é um “compacto” de 4,35 mas tem praticamente o mesmo entre-eixos e plataforma do Outlander que tem uns 4,70.

                • Edson Fernandes

                  Por curiosidade, já que vc trabalha com isso, poderia falar um pouco mais dos atributos de um chassi?

                  Porque alguns médios mesmo que possam receber uma rodagem muito melhor, alguns parecem apenas compactos alongados (exemplo, Cerato de geração anterior) e a maioria se denota um passo grande perante os compactos na rodagem?

                  • FocusMan

                    Tudo é questão de custo.

                    Cada empresa investe mais no que acha que vai dar retorno.

                    A Kia sabe que o seu consumidor n liga para carros, então gasta dinheiro com acabamento, e coisas que vão fazer o consumidor mais leigo, levar o carro para casa.

                    Quando falamos que um carro tem um bom Chassi, significa que ele consegue atingir o objetivo do tipo de carro com sucesso.

                    Por exemplo, se estamos falando de um carro esportivo, espera-se que ele tenha uma suspensão que propicie pouco rolling, uma direção direta e comunicativa com uma filtragem dos transientes mediana, que esse carro tenha um freio que resista sucessivas frenagens sem entrar em fading e que ele tenha pouca tendência ao dive/squat que seria o levantamento e o abaixamento da frente do veículo durante aceleração/frenagem.

                    Já se estamos falando de um médio familiar, para os entusiastas e maioria dos jornalistas, o que importa é ele ser confortável e ao mesmo tempo divertido. Por isso carros como o Ford Focus acabam cativando essas pessoas, pois ele consegue muito bom em ambos os serviços. Ele não será tão macio quanto um Corolla, nem tão duro quanto Golf, que para o usuário comum é o ideal.

                    Sabemos que atingir isso demanda horas e mais horas de testes e isso custa uma fortuna. Precisa-se de muitas horas em software de simulação depois horas e mais horas em laboratórios de testes e depois muitas horas de pista. Nem todo mundo tem tempo, nem profissionais bons o bastante para esta tarefa.

                    Você citou um ótimo exemplo. Todos os carros Coreanos que dirigi até hoje são bem ruins quanto ao acerto de chassi.

                    Sabe o motivo? Eles não fazem tropicalização. Tem um acerto de suspensão padrão para o mundo todo, com pequenas alterações. Logo rodar por aqui se torna inadequado com o acerto feito por eles.

                    Experimente andar num Focus com rodas aro 17 e depois ande num Cerato.

                    Agora, faça um teste melhor, pegue um Cobalt que mede a mesma coisa que um Focus e coloque uma roda aro 17 e perfil baixo e ai entenderá bem o que eu estou dizendo.

                    Grande abraço.

          • 0terceiro

            Acho que a galera já falou nos outros comentários, mas completo aqui:

            essa medidas são de médio pra gente, aqui no Brasil.
            Lá nos ‘Isteites’, não.

            Corolla e Civic para eles são carros compactos.
            Pra gente, é médio.

            Se não me engano, o Fusion lá é médio.
            Aqui, é grande.

        • EuMeSmObYmYsElF

          o Aegea tem exatamente o mesmo entre-eixos do Focus e apenas 3cm mais estreito que o Ford

          • DiMais

            Logan e Cobalt também e nem por isso competem com médios.

            • EuMeSmObYmYsElF

              então é uma questão muito mais de tecnologia embarcada e acabamento do que tamanho propriamente dito… o gap que você colocou entre ele e o 200, ao dizer que o Chrysler seria muito grande pra compor a mesma “família”, não existe.. tamanho ele tem, resta a Chrysler trabalhar o interior e pronto

              • DiMais

                a diferença é que são compactos na essência, mas esticados para dar maior espaço (Aegea, Logan, Cobalt) contra carros concebidos para serem médios e com estrutura para isso, um Chrysler 100 mais adequado seria derivado do Dart/Viaggio e não do Aegea com sua plataforma compacta, ainda mais em se tratando de EUA.

          • FocusMan

            3 CM é muito!

            30 mm, melhor falando, é um absurdo de diferença em um projeto.

            • EuMeSmObYmYsElF

              o Aegea é 3cm mais largo que o Civic…

              • FocusMan

                Que o Civic que lançou agora? Lembre-se que o Civic atual é de 2011, outra época.

                • EuMeSmObYmYsElF

                  ok.. 1cm mais largo que o atual Corolla.. melhor?

                  • FocusMan

                    Não faz dele ainda um médio. Se a Empresa que o fabrica, não classifica como um médio, é porque sua plataforma é simples para ser classificada como a de um carro da categoria C.

                    • EuMeSmObYmYsElF

                      publicações americanas o colocam como compact sedan. o que, traduzindo para o mercado brasileiro, é um médio.

                      e a história da plataforma não bate, já que é a mesma do Dart.

                    • FocusMan

                      A Fiat já disse que ele substitui o Linea que era um compact sedan na Europa. Os americanos podem falar o que for, o carro vai ser vendido na Europa e deve ser classificado como tal.

                      Bom, sendo pequeno ou grande, se vier para o Brasil como Fiat vai vender nada mesmo rsrsrs

                    • EuMeSmObYmYsElF

                      substituto também do Bravo

                    • FocusMan

                      Segundo eu li, o Substituto do Bravo não é esse e sim outra famíla.

                    • EuMeSmObYmYsElF

                      a Fiat colocou ele pra substituir tanto Linea quanto Bravo.. ainda vai sair a versão hatch e a perua, com identidade própria mas com base no Aegea mesmo..

                    • FocusMan

                      Entendi… Vamos ver. Espero que dê certo.

        • FocusMan

          Isso mesmo, ele é um compacto grandinho, tal qual o Linea.

          • radiobrasil

            E a suspensão traseira deve ser eixo de torção… ops, mas o Corolla e o Cruze também… rss

  • Gabriel

    Sedan compacto? esse sedan se vier para o brasil não seria para tirar o linea?

    • Whering Alberto

      Que é também um compacto. Mas é pouco provável que o tenhamos aqui.

      • Raimundo M.

        Nunca diga não, mas é complicado mesmo a questão desse produto aqui. Ele seria uma opção mais em conta de produzir localmente, pois usa a mesma base do Renegade, Toro e do futuro Compass. Poderia utilizar o mesmo conjunto mecânico, ou seja, o atual 1.8 só que com AT6 no lugar do Dualogic, e o previsto 2.0 Tigershark Flex para o Compass passível de ser empregado nos outros citados, e alguns especulam o usar o câmbio AT9 por ser mais eficiente que o AT6.
        Todavia, aqui já foram flagrados o Dart e o Ottimo. Os dois usam outra base e eu diria que estão mais próximos do que a concorrência dos médios oferta aqui.
        A questão é a Fiat atualmente não se destaca no segmento médio, a concorrência está evoluindo bastante, então ter um veículo para combater pode sair caro e com pouca garantia de retorno, o que poderia inviabilizar uma produção local, e se vier do México, mais sensato, está sujeito a questão cambial e cota.

      • Matthew

        Ao meu ver ele é maior que o Linea e o Grand Siena. Ele tem 4,50 mts de comprimento, pouca coisa menor que um Civic e até mais largo do quele (1,78m vs 1,76m). O Siena é tipo um compacto plus size, a exemplo do cocobalt e do Versa, mas o Linea e o Aegea vão além desses carros por oferecerem acabamento e equipamentos de categoria superior. Portanto acho que este modelo fica no meio do caminho entre um compacto plus size e um legítimo médio.

        • Paulo_Lustosa

          Em comprimento o Aegea deve ainda 4cm pro Linea, porém o entre-eixos do Aegea é maior.

        • Whering Alberto

          Mas não deixa de ser compacto. É como o Honda City, por exemplo. Falou bem. ;)

    • Brasil_MG

      Tô achando que quem vai substituir o LINEA é o GRAN SIENA..Deve ficar mais barato pra FIAT reestilizar o Gran e subi-lo de categoria..Para o Brasil qualquer coisa tá bom…

      • Exato. O próprio marchionne já falou isso… Kkkk

      • Raimundo M.

        Caro, isso pode ocorrer, mas seria uma reincidência de erro. A Fiat não tem um sedan compacto premium tipo New Fiesta, City, C4 Elysse, etc. Esse sedan poderia ter sido o Linea que deriva do Punto, mas ela optou em criar um sedan mais esticado baseado num compacto para atuar aqui e em outros mercados como médio ou médio compacto, que faz é papel do Logan, 301, C4 Elysse, estes dois últimos num patamar melhor.

        O Aegea é agora um sedan que pode atuar como médio ou médio-compacto em alguns mercados, ficando abaixo do Viaggio/Ottimo e Dart substituindo o Linea. Haverá carrocerias hatch e sw, que devem assumir o papel do Bravo e Croma.
        Por aí se vê que a Fiat num mercado pode ter Ottimo/Viaggio acima do Aegea, pois são produtos para públicos diferentes. Aqui, eu diria que o Aegea sendo um produto que não associa a outros veículos de categoria inferior, contudo não transmite sofisticação para bater de frente com o futuro Civic por exemplo. Logo, novamente, teríamos um produdo coadjuvante que pode até ter um conjunto mecânico muito bom, preço interessante, mas isso não é sinônimo de boas vendas, do contrário os franceses venderiam muito.
        Agora, o Grand Siena assumir o papel do Linea, sim, é possível, mas eu viria isso na questão da observação inicial que a Fiat não tem um sedan compacto premium que caberia ao Linea fazer o papel e não foi ou foi em parte, pois a depender do preço, ele concorre com as versões top dos compactos premium.
        O novo Grand Siena, para mim, segundo o planejamento, tendo lançamento no mesmo ano do novo Punto que ainda segundo o planejamento teria desenvolvimento conjunto com o Palio e não será mais vendido como é na Europa, permite especular que o Grand Siena pode virar o sedan do Punto e como não é grande como o Linea, receberia é um banho de loja para atuar na faixa premium com o Punto, que agora estaria presente nos mercados em desenvolvimento. O Punto, por sua vez, teria muito mais em comum com o Palio, cujo novo Palio é previsto para 2017 e um ano após, o novo Siena.
        Nessa ótica, Palio, Punto, Siena e Grand Siena estaria numa mesma plataforma. Palio e Siena continuariam como estão a nível de mercado, mas o Siena poderá atender a quem busca mais espaço que é hoje o papel do Grand Siena. Punto e Grand Siena estariam como compactos premium. A depender do nível desses dois últimos, eles podem roubar vendas dos médios como o City tirou vendas do Civic.
        Ter um produto focado no segmento médio, que não seria o papel dos novos Punto e Grand Siena, dependeria da Fiat ter algum interesse, e aí teríam Aegea hatch e sedan sem muitos pretenções, mas maiores que os citados, ou novas gerações do Dart/Viaggio/Ottimo. Só acho que eles não seriam feitos aqui.

        • Brasil_MG

          Mas na sua opinião, o AEGEA, vem para o Brasil?

          • V12 for life

            Segundo a própria FIAT não vem, mas as vezes divulgam esse tipo de informação por que não é prioridade e vai demorar pra chegar.

        • Fernando Bento Chaves Santana

          Os novos Punto e Grand Siena serão destinados ao novo segmento de mercado aberto pelo Cobalt: os meio-médios

          Acredito que próximo Grand Siena será para a FIAT o que o Cobalt se tornou para a Chevrolet: um meio médio com excelente espaço interno e boa relação custo benefício quando comparado com os médios (Ao menos no início o Cobalt tinha bom preço).
          Com o próximo Punto a FIAT tentará o mesmo, mas com um hatch. Será igualmente um hatch meio-médio com amplo espaço interno e boa relação custo benefício. Se o motor 1.8 der conta o este novo Punto brasileiro poderá atrair algumas viúvas do saudoso Astra hatch.

          Ambos carros serão desenvolvidos sobre a base do Palio, mas serão mais volumosos e não partilharão painéis externos de carroceria.

          Com estes dois modelos a questão dos médios será resolvida, pois serão modelos que cumprirão o papel de carros médios quanto ao quesito funcionalidade e o espaço interno, mas ao mesmo tempo que não buscarão o status dos médios estabelecidos como Corolla e Golf. Esse foi um dos erros do Linea: buscar o status de carros de um segmento acima. Os outros erros foram o espaço interno ruim e os preços salgados. A FIAT apostou no refinamento para conquistar clientes, tivessem apostado desde o início em Custo x Benefício, lançado o Linea com motor 1.8 da GM já empregado no Punto e Palio como motorização única a história seria outra. mas foram inventar aquele ridículo motor 1.9…

          Mas voltando ao assunto: O Bravo não terá sucessor direto e não haverá sedã médio para brigar com Civic Corolla e afins.

          O Bravo já tem o Renegade como um sucessor indireto. E terá outros nos novos e crescidos Punto e Grand Siena e no futuro SUV pequeno da FIAT, assim como na Toro.

          Ja Toro será o topo de gama da FIAT no Brasil. E será com este produto que FIAT correrá por fora para disputar clientes dos sedãs médios. Trata-se de explorar o inexplicável fenômeno da Strada Adventurer: um carro derivado de um popular antigo e que é (muito) vendido a preço de hatches e sedãs médios para clientes que consideram os sedãs um poco caretas e pouco versáteis e que acham os hatches pouco exclusivos.

      • FocusMan

        O Marchione já disse que esse carro não vem. Ele disse que aqui no Brasil, já ficou provado que carro médio só vende se for médio. Eles insistiram no erro de desde o tempra.

        • 0terceiro

          Uai, Tempra e Marea não eram médios?

          • FocusMan

            Médios pequenos.

            O Tempra e Marea competiam com o Vectra que era um médio grande.

            O Tempra e Marea eram concorrentes do Astra na Europa.

          • radiobrasil

            Marea era concorrente do bom Vectra B, GM que em 2005 começou a perder o topo das vendas para Corolla. Tempra é menor.

    • V12 for life

      A FIAT já disse que não vem, teremos algo como Gran Gran Siena mas ser compacto ou médio é relativo ao mercado e a marca, para Mercedes, BMW e Audi, Classe A, Série 1 e A3 são compactos, assim como o Dart, concorrente direto do aqui médio-grande Fusion, nos EUA são todos compactos.

      • Gabriel

        Hmm… sim ta certo..

  • cabra macho do renegade

    seria bom desse aegea vender no brasil, seja chrysler ou fiat

    • EuMeSmObYmYsElF

      se vier, será como Chrysler. só pelo logo, sem alterar nada do carro, ela já poderia cobrar 30% a mais e ninguém reclamaria. afinal, “é um Chrysler e não um Fiat”..

      • cabra macho do renegade

        pois é rsrsrs

  • Marcello Caetano

    Incorreta a informação “Devido ao seu tamanho, muito menor que o Dodge Dart”. O Dart tem 4,6m, apenas 3cm a mais.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    O próximo Freemont deverá ser simplesmente uma verão fechada da Toro, com entre-eixos mais curto. A própria Toro deverá chegar à Europa para render a Strada.

  • Minerius Valioso

    Sedãs derivados de hatches pequenos tem demanda suficiente nos Estados Unidos?