Argentina Fiat Sedãs

Fiat anuncia investimento para produzir sucessor do Grand Siena e Linea na Argentina

fiat linea 2015 br

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou nesta terça-feira, 5, na Argentina um investimento de US$ 500 milhões para produzir um novo sedã de porte compacto na planta de Ferreyra. O novo modelo será um dos frutos do Projeto X6S e vai substituir, numa tacada só, os atuais Grand Siena e Linea em diversos mercados (sobretudo no Brasil).

Este projeto vai originar ainda uma versão hatch, conhecida internamente como Projeto X6H, que será fabricada no Brasil – provavelmente na planta de Betim, MG – e vai ocupar o lugar do Punto.

Os novos sedã e hatch serão fabricados a partir da plataforma 326, a mesma usada pelo Palio atual, mas com mudanças nas dimensões, inclusive a distância entre-eixos. De acordo com fontes, o sedã será maior o Linea, logo é de se esperar por um novo concorrente para o Chevrolet Cobalt e o Renault Logan.

fiat grand siena essence

O modelo não terá qualquer relação com o novo Tipo, que inclusive também poderá ser oferecido na Argentina e no Brasil, para brigar com Chevrolet Cruze, Honda Civic e Toyota Corolla.

Os projetos X6S e X6H serão oferecidos com duas motorizações: 1.3 litro 16V GSE, de 105 cv, e 1.8 16V E.torQ, de 128 cv, com transmissão manual de cinco marchas ou automática de seis velocidades.

A Fiat deverá começar a produzir o X6S em meados de 2017 na Argentina. Estima-se um volume de produção de 100 mil unidades por ano, sendo que 80% serão destinadas para exportação. Caso essa estimativa se confirme, o sedã da Fiat será o segundo automóvel mais produzido no país vizinho, atrás apenas da Toyota Hilux, que soma 140 mil exemplares anuais.

O lançamento do novo sedã compacto é esperado para o segundo semestre do ano que vem.





  • Leonel

    Finalmente e que venham logo ! E o Bravo, se vir o Tipo ele provavelmente deve sair de cena. “1.8 16V E.torQ”, não cansaram desse motor ainda, não ? Cadê as motorizações com turbocompressor visando maior eficiência e etc …?

    • Mario

      A ‘cavalaria’ do 1.3 GSE é de 150cv mesmo??? Ficaria maior que os 128cv do 1.8???

      • Leandro

        Ambas estão erradas pelo visto.

      • Franco da Silva

        Esse 1.3 que vão chamar de 1.4 terá uns 105 cv e será 8v.

      • V12 for life

        Este motor vai ter uma versão turbo, mas nada ainda confirmado, então isso é só especulação.

  • Wellington Myph13

    Vamos lá FIAT, me surpreenda e recompense seus clientes pelos 13 anos de liderança:
    Faça Motor 3 Cilindros em Bloco de Aluminio sem tanquinho de partida a Frio;
    Faça Motores 1.0 e 1.4 Turbo (Este ultimo, renovado) pra ter melhor desempenho e consumo;
    Melhore essa caixa de cambio Torta que vocês tem;
    Faça um cambio AT6 pra acoplar aos motores Turbo pra além de tudo aliar o conforto também;
    Coloque ESP/TCS/HLA de série nas versões Top e Sporting;
    Faça da versão Sporting algo esportivo de verdade, e não adesivos (Nem cinto vermelho… Argh!);
    Faça para as versões intermediarias 4 Airbags e para as Tops 6 Airbags, de SERIE, não opcional;
    Façam um modelo Medio Hatch e Sedan dignos, e não remendo dos seus compactos;
    Faça Motor 2.0 Aspirado e Turbo pra colocar nos carros maiores, e em versões esportivas;

    • Gustavo73

      Bomo novo 1.0 3 cilindros terá bloco em alumínio. Mas terá 2 válvulas por cilindro. Mas vai que ela coloca o comando MultiAir…

      • Wellington Myph13

        Tenho até medo desse 1.0 6V deles… que e queime a língua, mas não boto muita fé nas “criações” da FIAT… por enquanto, vamos ver…

        • Murilo Soares de O. Filho

          Essa nova linha de motores GSE, ao contrário que muitos achavam ser uma criação brasileira, erraram, são motores globais…então pode vir coisa boa sim, depende qual será o refinamento aqui…

        • dallebu

          Embora hoje em dia ja tenha dado o que tinha que dar, o Fire foi lançado á 30 anos, e foi tão bom que ainda está sendo usado na Europa nas versões básicas de 1.2 e 1.4 litros, respeitando as normas Euro 6, logo a Fiat é capaz de lançar um motor bom.
          Esses GSE vão ser do nível do PureTech, TSi , Ecoboost etc…

          • Wellington Myph13

            Foi tão bom éééé meio exagero…
            Sempre foi um motor abaixo em termos de potência da concorrência, apesar do Bom torque em baixa, que sempre deixou o carro excelente pro uso do dia a dia…
            Não sei muito dos motores da Fiat na Europa, sei dos atuais 1.0 EVO e 1.4 EVO recauchutados, que não rendem muito, o 1.4 é bem acertado mas compete com os novos 1.0 12V do mercado, o que faz dele meio “fora da casinha” já que paga mais imposto pra render o mesmo de um 1.0 moderno.
            Tomara mesmo que esse GSE venha pra ser tão bom quanto os que citou, e que eu finalmente queime minha língua de tanto falar mal da FIAT, pois o que mais quero é mais carros bons pra melhorar a concorrência e por fim melhorar cada vez mais pra nós, meros compradores de carros pequenos, pois de carros acima de 100mil, estamos muito bem servidos…

            • dallebu

              Na Europa eles usam os mesmos Fire Evo, só que lá eles não tem esse sobrenome.
              Tomara mesmo que os GSE sejam ótimos motores, o mercado nacional ta precisando.
              A versão turbo deles terá tudo o que se tem direito em quanto á tecnologia, resta ver o que as versões aspiradas vão levar dessa bagagem.

          • Não conheço os motores Fire atuais. Mas já tive um Mille ano 2003 e o carro tinha um ótimo desempenho e torque , além de ser muito econômico, chegava a fazer 18 km na estrada e a imprensa chegou a passar dos 20km. Hoje não existe carro que faça isso. Além de ser um motor que rodava altas quilometragem.

            • Wellington Myph13

              Não existe carro que faça isso?
              Uno 1.4 faz 22km/l
              Up! 1.0 MPI faz 24,2km/l
              Up! 1.0 TSI faz 26,4km/l
              Fox 1.0 MPI faz 21,1km/l

              Isso tudo testes de revistas e sites especializados.
              Não quero tirar o merito do uno em 2003 fazer esse numero, é só pra lembrar que temos carros fazendo isso atualmente, E são todos 200kg mais pesados que o Uno que pesa 740kg…
              Hoje esse motor Fire Recauchutado chamado de Evo, no Uno novo, não faz mais que 16km/l em estrada…
              O desempenho e torque bons da época se davam ao baixo peso do carro. Usar o mesmo motor em carros mais pesados, acabou com o desempenho do motor, o que pede uma atualização… decente…

              • GPE

                O Uno mille pesava um pouco mais que isso. Acho q em torno de 860 kg a versão 4 portas com ar e 820kg a básica

                • Wellington Myph13

                  Achei umas fichas por ai, era 805kg o duas portas e 845kg o quatro portas…

              • Retrato do Papai

                esses números de consumo só podem ser em quinta marcha com a lenta puxando o carro e aferidos após o condutor saltar pela janela… em condições reais o up aspirado fica por volta dos 15km/l…

                • Wellington Myph13

                  Cara, tudo teste de imprensa especializada, e blogs automotivos conhecidos… A maioria deles mesmo foi do Carplace que fez um teste com todos estes (menos o up!, e depois fez só com o up!)…
                  Com meu up!, de Sorocaba ao aeroporto de Guarulhos, andando sempre acima de 120km/h na rodovia, e quando chega na cidade, minimo de transito (6 da manha), mas sem parar, sempre a 70km/h~90km/h, eu fiz 18,3km/l…
                  Fica claro pra mim que se eu tivesse escolhido por ficar a 100km/h na rodovia faria 20km/l ou algo perto disso…

                  • Retrato do Papai

                    consumo é algo muito subjetivo, no seu caso pelas características eu consideraria como 100% rodoviário (70~90km/h sem parar não é cidade, cidade costuma ser 40~60km/h, semáforos, engarrafamentos etc)…

                    como exemplo da subjetividade posso citar o meu palio, que em um trajeto de cerca de 14km, o qual 30% do tempo fiquei a 100km/h e o resto a 60km/h (com direito a quase 2km de congestionamento pesado), obtive através do trip do computador de bordo um consumo por volta de 23km/l (não lembro exatamente o número, sei que foi acima de 20, e olha que o computador de bordo costuma marcar um consumo cerca de 10% pior em relação ao medido na bomba)… assim, será que um fire 1.3 8v da década passada é mais econômico que o 3 cilindros com comando variável vw? como disse, subjetivo…

                    agora, o consumo indicado pelo inmetro, que não admite subjetividade, indica que o up aspirado faz os cerca de 15km/l em estrada (há quem consiga mais, porém é um número bem mais realista de se obter do que os 24km/l)…

        • Gustavo73

          Saber fazer ela sabe o Tiwnair está aí pra provar isso. O medo é quando entra a questão baixo custo Brasil.

    • Christian Sant Ana Santos

      14 anos de liderança;
      Faça motores ,9, 1.0, dois cilindros;
      se a caixa for a mesma do meu Uno 1.4, só encurte a alavanca para agradar os que precisam;
      Coloque ESP e start stop apenas como opcional, pois no meu 500 o ESC vivia desligado e no meu Uno o start stop tá sempre desativado;
      cansei…

      • Wellington Myph13

        *Que desconsideram pessoas como você, que acha desnecessário ESP e Start-Stop…
        Pessoas como você, que acha que um cambio mal feito é bom suficiente, e que dar um tapinha nele pra “agradar os que precisam” é suficiente.
        Pessoas como você que param no tempo, e acham que só porque os motores jurássicos tem “fácil” manutenção, eles devem continuar reinando por ai…

        Tenha dó…

      • Felipe

        Christian, você comprou um “Novo Uno” na versão Evolution (Com Start/Stop) só pra andar com a função de maior destaque do carro desligada?
        Com todo respeito… Pra isso, existem as versões Attractive, Sporting e Way com o mesmo motor 1.4 Evo do Evolution! Não era mais racional comprar outra versão com opcionais e funções que vc realmente usa?

    • Luis_Zo

      Hummm… estamos falando de Fiat neh??? meus comentários a respeito dos teus

      – Bloco de Al x Ferro fundido. Até hoje não vi nenhuma vantagem no Al.. alguns kg a menos, mas nada que o cliente perceba. Se não agregar custo, ok.
      – Boto fé e concordo, motor turbo é uma boa mesmo, principalmente pra consumo… triste é o delta custo, ai fica dificil emplacar principalmente nos mais popupulares.
      – Nada a comentar
      – Ja tem AT6 Aisin que aguenta até 24kgfm de torque, o mesmo usado no 500 abarth.. pra maior que isso eu chutaria a AT9 ZF mesmo..
      – Aposto que vem, parece que esta vindo no novo Uno, logo não é de se esperar que vá pra outros também. A legislação da Argentina esta pedindo e logo (5 anos) deve ter por aqui também…
      – Triste de fazer algo esportivo “de verdade” é que não vende, não da payback. Vide versões TJet de Punto e Bravo. Eles na verdade só servem de “sonho”, pra chamar atenção pra marca. Não acredito em nada sério nesse segmento, além da maquiagem e cinto vermelho (isso sim vende, pois é mais acessivel)
      – Aí cara é foda, esquece. Hoje o Brasileiro médio não paga 1 centavo a mais pra ter Airbags… triste realidade
      – Nada a comentar
      – 2.0 Aspirado tem o Tigershark, agora Turbo… esquece, muito investimento pra pouco ou nenhum payback…

      • Wellington Myph13

        Esquece essa de “muito investimento pra pouca procura”…
        A Fiat liderou por 14 anos, vendendo carroças, toda estrutura dos carros, dos motores, dos cambios, esta mais do que pago…
        Com 14 anos vendendo a mesma coisa, com investimento MINIMO em alterações, dava muito bem pra recompensar seus clientes inovando de vez toda a linha.
        Os Sporting de adesivo podem existir ainda, mas então tenham uma versão T-Jet com motores turbo, sendo esportivos de verdade, por mais que não seja o nicho de vendas, se tem, vende, a conta é simples.

        Quanto aos Airbags, por isso disse de série, pois se for de opcional, é perda de dinheiro na troca. Veja pelo Renegade, mesmo sendo um Jeep, quem comprar aquele Pack Segurança pra ter 7AB, vai vender pelo mesmo preço do cara que não pagou por ele quando tirou 0km… Infeliz realidade, mas é por isso que pra mim a Sport devia ter 2, a Longitude devia 4 e a Trailhawk 6 e ainda devia incluir o teto solar de série… é muita frescura deixar TUDO de opcional…

        • Luis_Zo

          Cara, quanto aos esportivos, não é que não vende… vende, mas é um produto com facilidade de não ter payback. “Dava muito bem pra compensar os seus clientes” – cara, a FIAT (nem GM, nem Ford nem nenhuma) é instituição de caridade. Ninguém vai abrir mão de lucro pra compensar cliente… a conta não fecha.

          No caso do airbag que a conta é simples: o pack custa, por exemplo, 3k. Se colocado de série, traria um delta de digamos, 1,5k ao consumidor final. Ou seja, considerando que, infelizmente, O CLIENTE NÃO QUER (talvez você queira, a maioria não – deal with it :) ), colocar de série significa 1,5k a mais no preço final com impacto (mesmo que mínimo no caso do Renegade, mas gigante num Uno por ex) no volume de vendas.

          Ou então para não impactar no volume de vendas, deixar o mesmo valor final e queimar a margem de lucro com o preço de custo do componente. Digamos que seja 500 reais o custo do aribag, que é a margem de lucro queimada. Em 60mil veículos por ano, da 30 MILHÕES AO ANO de margem de lucro queimada… fala sério, que empresário “compensaria seu cliente” desse jeito?

          Não é “frescura” deixar tudo opcional, é opção da montadora, para lucrar mais. E um viva a isso, sem hipocrisia, eu no lugar faria o mesmo.

          PS.: “investimento mínimo em alterações” – pode até parecer que seja pouco, comparado com outras montadoras… mas por exemplo, só a idéia que tu comentou, de turbinar um motor 2.0, consome fácil investimentos na ordem de 1-2 bilhões de reais…

      • Felipe

        Esportivo não vende, não dá retorno e muita gente até se esquece deles: A linha TJet tinha também o Linea no line up logo que foi lançada no Brasil.

    • Léo Faria

      Esqueceu de pedir o cu do presidente

  • V12 for life

    Isso significa que Punto e Linea terão Downgrade de plataforma ao invés de receber as melhoria da versão atualizada para o Renegade.

    • th!nk.t4nk

      Sim… Downgrade pra custar menos. É a única saída, senão não vende. Pense num Cobalt da FIAT.

      • Franco da Silva

        Boa!
        Falando nisso, a GM precisa de um Cobalt hatch, o Onix não dá pra isso.

        • Hugo Borges

          Onix é feito na mesma plataforma do Cobalt.

        • Tommy

          O motor 1.8 do Cobalt e o Mylink 2(que virá na restilização)já seriam suficientes.

        • leitor

          Ônix já é um hatch de Prisma ao contrário. O hatch do Cobalt não já é o Agile?

          • Franco da Silva

            O agile era do Celta ainda…

            • leitor

              Do Celta foi o Prisma, que agora é do Ônix.

              • Franco da Silva

                A plataforma do Agile era a do Celta, Classic, Corsa 94…

            • Artur

              Na verdade do primeiro Corsa (o atual Classic). O Celta tinha plataforma baseada também nele.

        • leitor

          A plataforma é onde monta o carro ou o projeto do carro? Se for onde monta não é a mesma coisa, os carros sendo diferentes o resultado não é o mesmo. Se for projeto a gente vê logo que Prisma e Celta antes e Prisma e Ônix hoje têm suas semelhanças e a diferença era um sedan e outro hatch. Hoje vemos o Cobalt mais parecido com Agile. Independente de plataforma.

      • Murilo Soares de O. Filho

        Depende, quando eles atualizam uma plataforma, as mudanças são tantas que da anterior não sobra muito…

    • Hernan Carlos Granda

      plataforma de punto e linea é do palio weekend de 1995 no mercosur modificada , por fora sa carros modernos mais na estrutura sao carros do seculo passado

      • Felipe

        É sério isso?!
        Fiquei curioso com a informação, mas a internet não revela nada oficial a respeito… Como sabe que Punto e Linea usam a “Type178″?!

        • Hernan Carlos Granda

          Procure neste mesmo site lanzamento do Fiat Punto no 2007 , plataforma é do idea mercosur, que toma base da palio weekend

          • Felipe

            Novamente… Nada relacionado!

            Posta o link pra galera… tenho certeza que vai ter muita gente interessada em saber que a imprensa automotiva e a Fiat estão mentindo sobre o Punto brasileiro usar a plataforma “Gamma”.

        • Hernan Carlos Granda

          procure proyecto fiat 351 ng

          • Felipe

            Nada relacionado!
            Posta o link pra galera… tenho certeza que vai ter muita gente interessada em saber que a imprensa automotiva e a Fiat estão mentindo sobre o Punto brasileiro usar a plataforma “Gamma”.

    • DiMais

      O Punto brasileiro nunca teve a mesma plataforma do irmão europeu, até porque lá na Europa o papel dele é justamente o da família Palio por aqui e agora a Fiat vai reorganizar isso com o projeto X6.

      • Felipe

        O Punto nacional, na verdade é o Grande Punto na Europa e usam a plataforma que atende pelo nome de “Gamma”. É uma plataforma de origem Opel, usada no… Opel Corsa “B”, que foi o último modelo de Corsa que tivemos no Brasil.
        O papel do Punto na Europa é o de ser um carro de entrada, sim. Mas isso não quer dizer que, por ele atender um segmento “superior” ao de entrada no Brasil, ele teria uma plataforma diferente também. Lembre-se que os concorrentes do Punto “lá fora”, são justamente os considerados “compactos premium” aqui.

        • DiMais

          atualmente o Punto nacional é o mesmo Punto europeu (a lata) porque o old Punto (equivalente ao nosso velho Palio) saiu de linha por lá também, no Brasil a plataforma dele foi alterada como de praxe da Fiat para suportar as más condições das nossas estradas e por isso usa elementos de outros produtos Fiat locais e não é a Gamma pura como eram GM Corsa/Meriva.
          a atual linha (racional) da Fiat europeia está composta pelo Panda e Punto, além do Tipo mas que tem preços na mesma faixa deste, dando a entender que é apenas questão de tempo para o velho de guerra sair de cena por lá também.

          • Felipe

            Pois é… Usar elementos de suspensão diferentes não torna a plataforma do Punto brasileiro diferente da plataforma do Punto europeu. A plataforma (Base) é a mesma, os elementos da suspensão dessa base é que foram alterados. A plataforma é a Gamma e é a mesma no nacional e no europeu.

            • Hernan Carlos Granda

              procure neste mesmo site lanzamento do Fiat Punto no 2007 , plataforma é do idea mercosur, que toma base da palio weekend

              • Felipe

                Outra vez… Nada relacionado!

                Posta o link pra galera… tenho certeza que vai ter muita gente interessada em saber que a imprensa automotiva e a Fiat estão mentindo sobre o Punto brasileiro usar a plataforma “Gamma”.

        • leitor

          O Punto era até um carro bonito por dentro e por fora, mas a última atualização ficou parecendo um Pálio. O grande erro da Fiat no Brasil é pensar que o mercado aqui se assemelha com americano ou europeu. Enquanto isso outras conseguem se estabilizar melhor como as coreanas, e as chinesas estão no reboque.

  • Gustavo73

    Ao invés de usar a plataforma do Renegade, vou requentar novamente a do Palio. Pra substituir o Punto e o Línea?

    • Franco da Silva

      Com os flagras mostrando que terá motor e câmbio (os mais caros) de Toro, mais painel de Renegade, seria mais simples usar a plataforma deles logo.

      • Gustavo73

        Plataforma mais moderna e segura. De cara seria melhor.

        • Franco da Silva

          Muito! Mas, depois de ver que foi só colocar air bag no velho Palio e saiu 3 estrelas no Latin, eles vão fazer uns reforços, ganhar 4 estrelas e fazer de conta que tem a mesma segurança que carros modernos.

          • Gustavo73

            Só que agora o sarrafo subiu bem. Colisão frontal e dois impactos laterais. Sem múltiplos aibags esp,isofix e etc nada de 5 estrelas. É só ver o corre corre de testes no final do ano passado, e agora estamos em abril e nenhum teste (publicado). Lembrando que os itens tem que ser de série. A fase de só a plataforma aguentar o tranco passou.

      • Sabatino

        Plataforma deles?
        O Renegade è um Fiat 500X

        • Gustavo73

          Plataforma deles, Renegade e Toro. Foi o que eu entendi. Na verdade são plataformas derivadas do 500L que tem uma herança do Punto/Corsa.

  • Mario

    Obrigado NA…agora sim, 105 cv para o 1.3 GSE.

  • Rude Voleur

    A Fiat realmente desistiu de trazer qualquer sedã médio para o Brasil?

    • Gustavo73

      Desde o Marea.

    • DiMais

      pra quê jogar dinheiro fora sabendo que a Toro vendeu em um mês o que o Linea mal conseguia em seis?

  • meneghelli1972

    “Sei não, mandar a fabricação do Grand Siena pra Argentina ai vai se tornar um mero coadjuvante aqui mesmo.

  • zekinha71

    Pelo jeito todo Fiat vai ser 326, sendo que é uma plataforma que não foi desenvolvida pra ser modular.

  • Lucas Gonçalves

    Resumindo, fim do Palio e Siena?

    • Mario

      Concordo! Seria o mais lógico!

    • Rude Voleur

      Não, porque Palio e Siena já são modelos consagrados. Este novo modelo vem pegar o lugar do Grand Siena, o Siena mesmo vai ganhar outra geração. Em 2018 pra ser mais exato, mas não entendo o motivo de se demorar tanto.

  • Diogo Oliveira

    Infelizmente o Brézil perdeu para a argentina para ver quem produziria o Tipo. Mas pelo menos teremos o Importado, mais caro, mas pelo menos teremos.

    • Dids

      Tenho certeza que no final o Brasil saiu ganhando. Afinal fabricamos um carro mais moderno que o Tipo. A Toro. Tinha que sobrar algo para a Argentina e equalizar a balança.

  • Cassio

    Se a Fiat não errar na estratégia, como costuma fazer, pode dar certo. Vamos aguardar!

  • FFSB

    Haverá um novo hatch que, de uma só vez, substituirá Palio e Punto. O nome ainda não foi definido. Será o X6H, e o sedã terá entre-eixos maior, além de detalhes exclusivos.

    • Dids

      Na vdd isso ainda não é certo. Têm site que diz que sera um carro pra tirar os dois, outro fala que é o mesmo carro, mas que vai sofrer modificações para virar dois e substituir os atuais Punto e Palio. Já nesse, caso do Grand Siena, todos concordam que é um carro só.

  • The Monster Man

    Tomara que seja o novo tipo sedan, ficou lindo demais e ainda possui DNA Dodge.

  • ObservadorCWB

    Alemanha 7 X Brasil 1 ……. Argentina 10 X Brasil 0 ……………

    • Dado Bordini

      Praticamente todos os modelos da Fiat vendidos no Brasil são fabricados no Brasil. Na Argentina só se fabrica o novo Palio (em conjunto com Betim) e o Siena EL. Com o provável fim do Siena EL é claro que outro veículo deve ser fabricado naquela planta pra equilibrar as importações/exportações (Mercosul, meu caro). Portanto não estou vendo nenhuma goleada argentina. Aliás, lá se montará, provavelmente com muitas partes e peças importadas do Brasil, o carro, que foi projetado aqui.

  • João Cagnoni

    Gosto tanto do Linea, é triste que tenha um câmbio tão sem vergonha…

  • Audi a5

    Agora entendo porque aplicar mais um face lift no uno, além de mais equipamentos: vão acabar com palio e grand Siena, estes que não tiveram qualquer alteração desde 2012 e sequer têm espaço ou previsão para instalação de multimídia. Ou seja, não vão atualiza-los, mudando o painel para receber multimídia, pois ficaria caro, já que um substituto vem aí ano que vem. Assim, para o lugar do palio fica o novo uno com o segundo face lift. Para o lugar do uno fica o Mobi e no lugar de punto e palio o x6s.

  • HugoCT

    Provavelmente a Fiat vai deixar carolla e civic brigarem sozinhos e lançará um seda medio com preços mais baixos que o praticado com os sedas atuais. Mesma estratégia da Toro creio eu. Bom, com a Toro deu certo. Agora com a FCA tem tudo para surpreender. Provavelmente irão adotar o nome Punto.

    • DiMais

      Fiat Brasil extra oficialmente já se retirou do segmento C e faz bem em não queimar dinheiro desenvolvendo carros que o mercado não aceita. A Toro é o ataque indireto deles contra todas as marcas e modelos do segmento C, e as vendas iniciais dela mostram que é uma estratégia muito acertada (Bravo e Linea nunca venderam juntos o que a Toro vendeu sozinha no primeiro mês!).

  • pedro rt

    EU NAO DISSE A VCS! o tipo sedan NAO VEM PRO BRASIL… o novo punto chega no começo de 2017 e o novo grand siena entre o começo do 2° semestre de 2017 e o final do 1° semestre de 2017. esse motor 1.3 GSE tmb tera turbo e tera por volta de 150cv

  • Mauro Moraes

    A Fiat tem decepcionado nos últimos anos. Fora a bela Toro, tem demonstrado muito marasmo no mercado. A linha já está velha e defasada. Carece urgentemente renovar seu portfolio pra continuar em primeiro no ranking global.

    • Dids

      Isso é natural. Enquanto as outras lançavam novos carros, a Fiat tava em um profundo processo de restruturação com a fusão com a Chrysler. Todo o investimento tava indo para as marcas americanas (Dodge, Jeep, RAM e a propria Chrysler). Agora o foco tá voltando a ser a Fiat.

  • Hernan Carlos Granda

    outra vez errada Fiat, partendo de uma plataforma do segmento B para brigar contra as C de verdade, e com motores ja ultrapasados nao tem chance nenhuna. Fiat so pode vender carros populares no mundo

  • DiMais

    sempre falei isso, mas me jogaram um mundo de pedras! o Linea é da mesma categoria que o Siena, muda que lá na Europa ele é a versão alongada deste (ver Albea) e por isso não faz sentido manter os dois em produção, no máximo a Fiat pode lançar um New Premio para ficar abaixo destes e competir com Ka+ e companhia, mas o projeto X6 é o fim da linha para Palio, Punto, Grand Siena e Linea.

  • Miguel

    Espero que ela traga a família Tipo pra cá mesmo. Depois do Mobi, vamos ver se a Fiat vai caprichar nesse design ou não….

  • Matheus Amorim

    Colocar o Tipo para brigar com os médios me parece ousadia demais, com o atual Corolla e os futuros Civic e Cruze, o segmento dos médios vai ser briga de cachorro grande, vai ser difícil para o Tipo conseguir ter alguma relevância.

  • leitor

    A Fiat só fez alguma coisa com o Tempra que foi relativamente um sucesso de vendas. Marea e Linea seriam bons mas não teve boa estratégia de logística e marketing. Ainda tem a imagem da Chrysler para explorar carros de porte maior aqui no Brasil. Os carros coreanos já passaram em credibilidade e os chineses estão na cola.