Fiat Hatches Segredos-Flagras

Fiat deverá lançar novo popular com antigo motor 1.0 Fire, segundo site

fiat-x1h-1

O novo popular da Fiat, conhecido internamente pelo código X1H, já está praticamente pronto para chegar ao mercado. A novidade começou a ser montada em pré-série de testes na fábrica da empresa em Betim (MG). No entanto, apesar de se tratar de um projeto novo, o hatch deverá sair da linha de montagem equipado com o antigo motor 1.0 Fire, o mesmo do Palio e Uno.

O propulsor 1.0 litro da Fiat já soma mais de 20 anos de projeto, apesar de ter recebido melhorias ao longo dos anos. São 75 cavalos de potência máxima, a 6.250 rpm, e 9,9 kgfm de torque máximo, a 3.850 rpm. O câmbio será sempre um manual de cinco velocidades.

A Fiat tinha em mente lançar o X1H com o novo motor GSE (Global Small Engine), com três cilindros e bloco e cabeçote de alumínio, capaz de entregar cerca de 80 cavalos. Porém, este bloco deverá começar a ser produzido somente em agosto de 2016. Logo, outro modelo da marca será o responsável por estrear o novo conjunto mecânico, provavelmente a nova geração do Palio.

O X1H chegará para substituir o Palio Fire, com preço na faixa dos R$ 28 mil. O principal rival do modelo será o Volkswagen up!, que diga-se de passagem usa um motor bem mais moderno, um 1.0 litro de três cilindros de até 82 cv e 10,4 kgfm.

[Fonte: Automotive Business]

Galeria de fotos do Fiat X1H





  • Jackson A

    Quem leu pensando “motor 1.0 turbo” ?

    • Ramom Alencar

      só vc mesmo…

    • Gustavobrtt

      eu não, mas esperava pelo menos um 12V. A realidade vai ser um 6V no ano que vem… FIAT, não toma jeito…

      • Gustavo, sem ironias, é ignorância minha mesmo: porque um motor três cilindros de 12v seria/é melhor do que um 6v?

        Eu tenho um conhecido que tem ojeriza aos motores do Palio de segunda geração de 16v, diz que a manutenção é cara, quebraria mais fácil que os 8v e que os mecânicos fogem desses de 16v.

        • Gustavobrtt

          Sem ironias, Honda, Toyota, Hyundai e Nissan utilizam motores com 4 válvulas por cilindro mundialmente. As nossas 4 grandes usam estes motores mundialmente também, só no Brasil oferecem 2 V/cil.
          Também tenho um conhecido que tinha um palio 16V e adorava o carro, fazia 16 a 17km/l com gasolina na rodovia com ar condicionado ligado.

      • Prof.X

        Um motor de 6 V não necessáriamente é menos moderno que um de 12v.

        Motores com apenas 2 válvulas por cilindro tendem a favorecer o torque em baixa, já os 4 válvulas o torque em alta e consequentemente a potência.

        Já a muitos anos a FIAT vem priorizando o torque em baixa dos seus motores 1.0 que no dia a dia fazem mais diferença.

        • Gustavobrtt

          Não se utilizasse comando variável o que torna a condução perfeitamente confortável na cidade. Vide Honda e Toyota.

        • Filipo

          Essa “balela” de priorizar X ou Y tem de acabar. Lá fora não vemos essa “chorumela” de privilegiar torque ou potência. Lá fora se tem ambos em abundância, pois a palavra chave é eficiência.
          O motor possui cabeçote multi-válvulas? Variação de comando nele! Dentre outros recursos..

        • Na prática, nunca vi um motor com duas válvulas por cilindro com mais torque que outro com quatro válvulas em determinada rotação. Nos primórdios aqui no Brasil, o torque era parecido na mesma rotação, nunca menor (A 4 Rodas mostrou a curva do Zetec e do VW). Até essa questão de privilegiar torque em baixa é balela.

    • Mario

      Duas observações…primeiro, este carrinho não será rival do up!, já que este é bem mais caro! Segundo, os compradores deste carrinho, não estão nem aí para o motor fraco e antigo, pois são empresas e alguns compradores do “primeiro carro”. Ou seja, como diz o texto, ele vem para substituir o Fire, e só! Mais do mesmo!

      • CignusRJ

        Vc não esta levando em consideração que tanto o Up quanto este novo carro da FIAT são subcompactos, carros da mesma categoria então são sim rivais.
        Os copradores deste carrinho serão empresas e pessoas que não tem condições financeiras de comprar carro mais caro. Se todos tivessem dinheiro comprariam Mercedes.
        .

        • Franco da Silva

          E todo mundo achando que esse fiat será barato. Ahahaha! Vai custar 1000 a menos que o up!, só pra dizer que é mais barato. Anotem aí!! A fiat não vai tirar o Palio Fire de linha!

      • Jackson A

        Eu sei, apenas li empolgado.

      • Como um carro pode ser mais caro que um que ainda não existe?

  • Bonafide

    se custar menos de 30k vende, nem que tenha motor de tobata

    • Gustavo73

      Menos de 30 com kit dignidade, ou pelado?

      • Bonafide

        Do jeito que as coisas tão, um Palio Fire pra empresa tá custando 27k e um Gol 31k
        Ambos sem DH, sem A/C, sem VE

        Minto, acho que o Gol já tem DH

        • Gustavo73

          28 é o preço do Uno Vivace (sem o facelift) peladinho 2 portas. Hoje na tabela nem chinês custa menos de 30 mil com AC/DH/VE. Essa “novo” FIAT vai substituir o Fire e o Vivace. Mas por 28/30 deve ser bem franciscano. O Palio Fire deve sair de linha e só teremos o Uno com facelift mais caro.

          • André

            Diz que o Palio Fire não sai de linha por em quanto porque seus derivados Siena EL e Weekend continuam.

            • Marcos Villela

              E também a Strada. Ou seja, toda a linha antiga …

              • pedro rt

                a strada nao tem nem previsao de sair de linha, tudo depende das vendas do TORO se ele assumir a liderança acho q daqui pra 2018 a strada saira de linha

            • pedro rt

              o palio fire saira de linha ao longo de 2016 assim como a weekend mas o siena EL vai durar ate 2018

            • Gustavo73

              A saída do Palio Fire é dada prla imprensa especializada. Assim como das versões mais baratas do Uno. Para mim o grande entrave da saída dele é que as vendas do Pálio cairiam para menos da metade. Tirando qualquer chance desse continuar entre os mais vendidos.

              • pedro rt

                o uno saira de linha somente na versao vivace pra abir espaço pro h1x

                • Gustavo73

                  Nada diferente do que disse. Vivave 2 e 4 portas versões mais baratas do Uno vão sair de linha. Digo ainda que haverá ajustes nos preço do Uno base com facelift para melhor acomodar o novo subcompacto.

          • Guily

            Realmente, e vale lembrar que o Uno reestilizado já parte de 37.840!

        • Portuga Goleta

          Detalhe que se você colocar LIMPADOR E DESEMBAÇADOR traseiro nesse Palio ele passa de 30k. Um absurdo.

      • ObservadorCWB

        Kit dignidade….se foi vc quem criou o termo Parabéns……rsrsrs

        • Gustavo73

          Não fui eu não. Apareceu nos blogs tem um tempo. Uso o termo por set bem adequado.

          • André Maia

            A primeira vez que eu vi o termo, foi numa reportagem sobre o novo pacote Plus do Logan da Renalt. O reporter falou que o pacote Plus era um kit dignidade. Rsrs

    • Augusto Corleone

      Exatamente. O povo (e as frotas) compram e não querem nem saber se estão levando um gato por lebre ou um motor ultrapassado sob o capô, a maioria ainda usa o carro apenas como meio de transporte, sendo desejável que seja a manutenção mais rústica possível. E com o tanto que vendem, não acho que irão atualizar tão cedo. Pra quê, se podem lucrar ainda mais com o velho?

      • Gustavobrtt

        pois deveriam analisar mais, pois um motor mais econômico faz diferença no custo operacional.

        • Augusto Corleone

          O que perde-se em economia ganha-se em manutenção. Sim, essa é a mentalidade do Brasileiro.

          • Gustavobrtt

            Será q dá tanta diferença assim de manutenção?
            Onde trabalhava, rodava 4000km/mes
            Eles alugavam Uno Vivace. Eu fazia 9km/l com álcool na rodovia.
            Na frota da própria empresa tinha alguns Nissan March, que já dirigi e conseguia consumo de R$11~11,5km/l
            Fazendo as contas da diferença de R$ de etanol, dá quase R$250 a menos pro March.
            Num ano, dá quase R$3k gastos a menos com o March…

  • Lucas Mendanha

    Aposto que vai chamar (Novo/New/Nuovo) Mille..

    Ou será que a Fiat é burra de não aproveitar o nome?

    • Boa ideia essa. Por sinal, parece um mini Freemont

      • Mr. Bola de FOGO!

        Me diz onde esse carro parece um Freemont…

        • Jorge

          A cor da roda é igual a cor da roda do freemont e o logo da Fiat também é igual.

          A frente ficou bonita mas não parece com o freemont.

        • Renato Bandeira

          né? kkkkkkkk no branco do farol!

          • Mr. Bola de FOGO!

            Só pode ser, e talvez no Brasão da Fiat.

      • Edson Fernandes

        Eita Lucro, onde vc viu Freemont nisso?

    • pedro rt

      acho q tera outro nome de preferencia um inedito e de expressividade forte assim como foi com o TORO

      • Lucas Mendanha

        Mas a Toro é um produto novo, de um segmento novo. E ainda sim não seria má ideia se lançasse como Strada (ou Grand Strada, como ela adora)

        Ja esse ai é um produto novo, mas de um segmento em que ela domina. E o nome Mille está consolidado no mercado, principalmente fora dos grandes centros, onde a participação dela e mais efetiva.

        Por exemplo, é mais fácil convencer meu avô, que tem um Mille Way e mora na fazenda, de trocar por um “Novo Mille” (mesmo nao tendo nada do mille original) do que por um “Novo Fiat Topolino”

  • Ai está, parece um mini freemont

  • Marcio Santos

    A fiat está muito certa, o consumidor brasileiro não compra aos montes os LIXOS produzidos por esta marca?
    Se está vendendo bem por qual motivo oferecer um motor melhor e diminuir a margem de lucro? Não tem motivo, o consumidor brasileiro não é exigente, não quer saber de segurança, dirigibilidade, motorização ou câmbio.
    Basta que a marca trabalhe bem a sua imagem e a imagem do carro e está tudo certo, o brasileiro não tem discernimento, não tem conhecimento e muito menos interesse em adquirir conhecimento sobre o que compra.
    Se estou interessado em uma câmera eu pesquiso horas e horas buscando avaliações feitas aqui e estrangeiras, não compro nada sem pesquisar e a maior parte dos brasileiros compra carro sem nem ao menos fazer test drive.

    • _William

      Se for ver, o Onix que é muito mais caro vende horrores com aquela peça de museu no cofre do motor…não que justifique, mas pelo menos esse vai ser o carro de entrada da marca. E nem dá pra esperar muito da Fiat, o que ela tem em nosso mercado que seja totalmente moderno hoje em dia? Além de tudo isso soma o que você disse, brasileiro esta pouco se lixando para modernidade de projeto ou qualquer coisa relacionada, ainda mais nesse segmento de entrada. E mal das pernas desse jeito, até parece que ela iria investir num motor novo pro carro de entrada da marca.. e tenho minhas dúvidas se esse motor aparece em 2016.

      • Augusto Corleone

        Vish, isso é coisa pra 2020. Até lá ainda vão lucrar muito às custas do Fire. E ainda acho que a GM vai tardar ainda mais a aposentar os valentes VHC. Basta ver o Family 1 que ainda sobrevive sob o capô do Cobalt.

      • CharlesAle

        Verdade…A prioridade no momento é garantir os lucros. A Fiat vai empurrar com a barriga esse novo motor 1.0 3 cilindros até quando? só Deus sabe!! A Fiat está vendo suas vendas caírem em ritmo rápido, não sei se esse carrinho é a salvação da lavoura..

        • Edson Fernandes

          Na realidade ela está ainda homologando. Não se sabe em qual produto irá colocar o motor…. ou se será em lançamento de produto. Eles tentaram mas os fornecedores não conseguiriam produzir um estoque aceitavel até o lançamento do compacto.

        • SDS SP

          Não espere muita coisa desse 1.0L três cilindros. Terá o velho comando de vávulas do tipo SOHC.

          • Murilo Soares de O. Filho

            Talvez a demora desse, porque será um motor Global, não será restrito ao Brasil.

      • Pedro Rocha

        No mercado “pé de boi”, ter o motor de projeto antigo é até mesmo vantagem competitiva, pois em qualquer birosca consegue-se peças e alguém para mexer no motor.

      • Marcio Santos

        Eu acho que os carros da gm apesar de antiquados e de qualidade duvidosa estão um degrau acima dos fiat, a plataforma do de todos os compactos fiat é baseada na do palio de 1997, a gm ao menos trouxe algo mais moderno para utilizar na linha onix, prisma, cobalt e spin.
        O motor 1.4 gm é antigo mas é mais forte e menos áspero que o fire 1.4, o 1.0 também é melhor, o onix 1.0 é mais pesado que o uno e anda mais.
        Mas é uma verdade, das quatro grandes as duas piores lideram o mercado, volks tem alguns carros descentes mas também oferece projetos antiquados como gol e fox, a ford hoje a que oferece carros mais modernos em todos os sentidos e é a última das quatro, se não me engano já está em quinto.
        Se pegarmos a posição no ranking de vendas das quatro grandes fica claro que o consumidor não conhece o que compra, a última hoje é a marca que oferece os carros mais atuais e seguros e a primeira a marca que oferece os piores carros….

        • Murilo Soares de O. Filho

          Realmente a Ford possui carros muito bons quando novos, mas com o tempo, você não acha peças de reposição, ficando sempre na mão, seus concessionários são péssimos e seus carros apresentam alguns defeitos que são realmente irritantes, tive um Fiesta Rocam que concessionária nenhuma resolvia seus problemas de aquecimento do motor, tive problemas no cabeçote, necessitando a troca do mesmo, e todo o sistema de arrefecimento. Outro detalhe, os Fiestas Rocam possuem acabamento vagabundo de mais, hoje a Ford está com uma linha bem atual e moderna, mas não parece convencer o consumidor. Resumindo, o Brasileiro, não acho que ele não seja exigente, ele é, mas não está disposto a arcar com custos que um carro mais sofisticado exige, até porque a maioria não tem dinheiro mesmo.

      • pedro rt

        o lider de vendas no varejo e o ka SE 1.0

        • vin_cius_carvalho

          Não seria o HB20?

          • pedro rt

            o hb20 esta em 3° lugar

            • vin_cius_carvalho

              Por isso, na frente do Ka!

    • Osni Duarte

      Sobre o brasileiro não ser exigente “discernimento, não tem conhecimento e muito menos interesse em adquirir conhecimento sobre o que compra”, testemunhei ontem uma situação esdrúxula, em que o proprietário de um HB20s com dois anos de uso disse não saber como era o estepe do carro (nunca o calibrou, portanto) e onde ficavam as ferramentas para uma troca, porque nunca se interessou em verificar!

      • Jorge

        O consumidor é assim e não somente com carros. Eu vi um consumidor que preferiu comprar um celular com android ao invés de um celular com windows phone porque o celular com windows phone não tinha whatsapp. A falta de informação não envolve somente carros.

        • Osni Duarte

          Concordo, mas em relação a carros é mais grave porque custam dezenas de milhares de reais a mais que um telefone.

    • Bruno César

      Comentário perfeito! Parabéns pela análise! Parece óbvio, mas a maioria não enxerga o que você disse Marcio!

    • Lucas Mendanha

      Além do que, o motor Fire todo mundo conhece e sabe mexer, ao contrario desses motores “mudernos”…

      Isso na cabeça do povão conta muito…

      • Conta? O 1.0 3 Cilindros do Ká e do HB20 vendme mais que eles…

        • Lucas Mendanha

          De fato.

          Mas se analisar qualitativamente, o publico de cada um tem suas peculiaridades.. e dentro dessas peculiaridades, ainda tem muita gente que vai de Fiat e VW “das antigas” por inumeras desculpas, que no fim das contas envolve o fator custo.. Gente que pensa em revenda, gente que mora no interior e so tem Fiat e VW por perto, Gente que usa “oleo de soja” no motor, gente que leva no mecanico da familia a 30 anos e que detona os motores modernos, e por ai vai..

          Na minha opinião, nesse fator mecanica, a Fiat é gato escaldado, por conta dos fivetech…

          • Curioso que a Ford ao aposentar o Rocam aboliu os motores com duas válvulas por cilindro.
            Tem gente que deixa de comprar porque tem medo de motor moderno? Deve ter. Mas acredito que seja igual ou menor dos que deixam de comprar motores por não serem modernos. Mas essa é a desculpa perfeita para o fabricante continuar entuchando porcaria nos outros…
            Corolla desde sempre tem versão 16V. Mas inteligentemente não faz propaganda disso. Ninguém diz que o Corolla tem mecânica ruim ou cara por conta disso… Teve até gente que andou sem óleo com Corolla (ai…)
            Se o Onix adotar 4V por cilindro tenho absoluta certeza que não deixará de ser líder…. Não por isso… E nenhum desses tipos que você falou se queixará da mecânica. E não deixará de ter ótima revenda, como tem o Corolla, Civic, up!, HB20, Ecosport… Todos com 4V por cilindro.

          • Mille e Celta não são mais vendidos. Palio, Uno, Gol, Onix e Fox são 8V. HB20, Clio, Sandero, up!, Ka e March são 12/16V. Ou seja: Dá para fazer. Não consta que nenhum desses listados da segunda lista tenha manutenção mais cara que os da primeira lista.

  • JoãoAVR

    No Uno Mille o motor fire tem um desempenho muito bom, mas porque o carro é leve. Agora no Novo Uno e principalmente no Palio o desempenho é muito fraco.
    É um bom motor, e aguenta a “pancada” muito bem, mas já deu o que tinha que dar. Até porque os números de consumo já não se destacam entre os outros, como era alguns anos atrás.

    • Jose Silva

      mas 1.0 não vai passar disso.
      75cv a 80cv em motor 1.0 não muda nada, é fraco do mesmo jeito.

      A solução para 1.0 é ser turbo como UP TSI mas cobram muito por isso ou equipar carros super leves com no máximo entre 900 a 950km, passou disso se torna complicado.

      • Mas a questão não é só potência.O consumo muda bastante e o carro tem um desempenho melhor em uma faixa de giros mais ampla.

      • Lofin

        Existe uma diferença absurda de comportamento dinâmico entre Palio/Uno, com esse motor Fire, e o up! MPI, com o 3 cilindros.

        Muda sim.

        • Marcio Santos

          Enquanto um uno leva 18s no 0 a 100 um up ou ka leva 14s aproximadamente, todos aspirados, é uma diferença brutal na aceleração.

    • Portuga Goleta

      Exato, o Palio Fire mesmo é mais de 2s mais rápido de 0-100 km/h.

      Mas isso não esconde a necessidade de atualização.

    • Lucas Irrthum

      Realmente, no Mille, este motor Fire rende muito bem. Tenho um 13/13 e ele acompanha Up! e HB20 até os 100 km/h. Depois disso ele dá uma brochada, até porque são apenas 65 cv. Mas os 840 kg ajudam bastante, tanto no consumo quanto no desempenho. Já dirigi o Novo Uno, e o carro é muito fraco. Impressionante como a Fiat conseguiu deixar o Evo Fire manco!

      • GPE

        Verdade. O Mille Fire anda legal até 100. 0 a 100 na casa de 14s. Dps disso ele perde força, assim como os outros 1.0

        • Lucas Irrthum

          14 segundos se você tiver muita dó de dar coro no carro. Faz em 12 segundos alto.

          • GPE

            Sem sonho. 12s é tempo de hatch 1.4

            • Lucas Irrthum

              12 segundos alto, virando quase 13. Veja um vídeo do Canal Top Speed, no qual eles avaliaram um Mille Economy 2013. Tudo bem que o teste foi feito com cronômetro, o que não é o ideal, mas reflete bem o desempenho do popular da Fiat. Inclusive, no segundo canal deles, tem um vídeo do Mille andando junto com um HB20 em pista de arrancada. Em todos os testes que vi, o 0 a 100 do HB20 fica em torno dos 12 alto, 13 praticamente.

              • GPE

                HB20 1.0 em 12s? Nunca. Esse é mais lento que o Mille. Tá tudo errado aí. Antes de sair de linha o Mille foi testado pela 4 Rodas e fez em 14,1s. O HB20 faz em mais de 15s

            • pedro rt

              meu punto 1.4 faz de 0 a 100 no mesmo tempo q o mille 1.0, 13s

              • GPE

                De acordo com a 4Rodas, o Punto 1.4 faz em 14s alto, praticamente 15s, sendo mais lento que alguns 1.0. Culpa do peso do carro, do câmbio e, principalmente, do motor, que é muito fraco. Ou Seja, é uma exceção dos 1.4

      • pedro rt

        o melhor com esse motor era mesmo o mille ele fzia de 0 a 100 em 13s o pior e o palio attractive q faz o mesmo em 19 longos segundos…

        • Lucas Irrthum

          13 segundos sendo bem generoso, porque se der coro no Mille mesmo, faz em pouco mais de 12.

      • SDS SP

        O velho Mille é bem mais esperto do que a horrorosa dupla Novo Pálio / Uno nas versões 1.0L

        • Lucas Irrthum

          Sim, com certeza. A Fiat fez uma atualização no Fire, chamando-o de Evo Fire. Não consegui perceber melhoria nenhuma, pelo contrário, o desempenho ficou horrível. No escritório em que sou estagiário, tem um Novo Uno. Quando você liga o ar condicionado, o carro fica MUITO fraco, impressionante. Até mesmo com ele desligado, se você pegar uma subida, tem que ter paciência.

  • Eduardo Brito

    Não vai mudar muita coisa, visto que esse “novo” motor que a Fiat vai começar a fabricar em agosto será um 3 cilindros com apenas 6 válvulas!

    • Pedro Henrique

      caramba, sério? tipo pegaram o fire e cortaram um cilindro…
      o carro vai MORRER se esguelando numa lombada kkkkkkkk

      • Eduardo Brito

        Esse carro desde o projeto está todo errado. Pegar um Uno e encurtá-lo, é um tremendo tiro no pé. Mas segundo algumas fontes, este motor vai ter mais de 80cv e 10Kgfm de torque. O jeito é esperar para ver.

    • Rmx

      Outro problema é esse “75/80cv a 6.250 rpm, e 9,9 kgfm de torque máximo, a 3.850 rpm.” são rotações altas que nem sempre serão usadas, se esticar pra aproveitar toda a potencia o consumo aumenta bastante.
      Manco ou Beberão!!

      • Paulo_Lustosa

        Fire 1.0 não tem 80 cv. São 75 no álcool e 73 na gasolina, e na linha Palio e Uno é um motor bem fraco devido ao peso, apesar de aguentar milhão no trabalho pesado bem mais que o motor de frota da VW (EA-111 1.0). E o pico de torque e potência em altas rotações não é problema caso tenha a curva de torque plana, já que o GM Família 1 VHC-E e SPE/4 possuem potência máxima a 6400 RPM e torque máximo a 5200 RPM e possuem a curva plana, e todos os motores de 4 válvulas por cilindro possuem esse pico de torque e potência em elevadas rotações.

        • pedro rt

          esse motor 1.0 fire so era bom no finado mille no resto da linha e pessimo… faz de 0 a 100 em ate 19 segundos! no caso o palio attractive

      • Edson Fernandes

        O “interessante” desses motores Fire é que o regime de potencia que se tira mais do motor é a faixa intermediaria. Ele responde melhor entre 3000 a 4500rpm que qualquer outra faixa. Muito aspero em alta e muito fraco em baixa.

        • Lucas Irrthum

          Sim, observo isto claramente no meu Mille Economy. Não compensa esticar demais as marchas, o motor dá uma brochada nestas condições. Parece que falta combustível ou que o sistema de ignição não dá conta do recado. Dependendo da situação, você consegue um desempenho melhor ao trocar de marcha antes do corte.

          • pedro rt

            o mille e o melhor carro com esse 1.0 fire, o resto e sofrivel principalmente o palio attractive…

            • Lucas Irrthum

              O Palio se arrasta com o motor Fire.

              • pedro rt

                o palio so e bom com o 1.6 e.torq, e o sucessor dele nao tera mais o 1.6 e sim o 1.8 do renegade

            • Guilherme Batista

              Mille é um foguetinho com esse motor viu

          • Edson Fernandes

            Ou até parece que em giro alto o lag do acelerador fica maior. Pelo menos no Siena do meu pai é assim… passou de 4000rpm, ao tirar o pé do acelerador, vc sente uma acelerada aparentemente pelo tempo de resposta do acelerador. Se pisar na embreagem dáa impressão que vc demorou a tirar o pé do acelerador para trocar de marcha. Bem esquisito.

            • Lucas Irrthum

              Fato é a que a Fiat nunca foi referência em câmbio, e você nota claramente isto nos Fire. Também já reparei o que você comentou no Mille. Cheguei até a pensar que poderia ser algum problema na embreagem, mas ao levar no mecânico, fui informado que é natural de todos os Fire.

              • Edson Fernandes

                Pois é…. estranhei isso desde que aluguei um Palio (do mais novo).

                Meu pai teve Siena 2001, 2008 e o atual 2011. Até o 2008 eu não percebi isso, mas os atuais tem um lag absurdo. Eu tive que pegar uma ladeira em Florianopolis e foi bem claro: Tive que acelerar antes e a potencia só entrou mesmo “no pé” qdo já estava praticamente na ladeira. E então qdo tirei o pé…. o pareceu querer acelerar, foi bem estranho…

                • Lucas Irrthum

                  Provavelmente trata-se de uma programação do TBI, suavizando a aceleração e consequentemente melhorando o consumo. O ADG, da High Torque, comercializa um aparelho chamado Touch Booster, que reduz o lag dos aceleradores eletrônicos. Tem uma proposta bem interessante. Aqui em casa tem um Civic 1.8 LXS AT 14/14, e o lag incomoda demais. Um cliente do ADG que instalou este equipamento em um Civic idêntico ao que citei, disse que melhorou muito a resposta, principalmente em arrancadas.

                  • Edson Fernandes

                    Nossa, o Civic desse tem?

                    Porque no da minha ex chefe (um LXR 2015) não é tão evidente e ele em baixa tem bastante torque.

                    O Touch booster é conhecido popularmente para outros carros como Sprint Booster, ele adianta o pulso elétricodo acelerador gerando essa rapidez (e ao contrário do que dizem as fabricantes, ajuda a economizar pela prontidão nas respostas).

                    O Fluence tem esse lag de resposta também em sair do imobilizado. Só ficaria com medo por conta do cambio que deve entrar na conta da central.

                    • Lucas Irrthum

                      No modelo 1.8 tem sim. Quanto ao 2.0, que é o caso do Civic que você citou, não posso dizer porque nunca andei em um. Mas, provavelmente, deve ter o mesmo lag. Não é questão de torque, e sim do tempo que o TBI e o câmbio levam para entender que você quer acelerar. Com o Touch Booster, esse tempo de reação é muito menor, inclusive em retomadas. O câmbio automático que equipa o Civic não tem nada de mais: 5 marchas apenas, conversor de torque, dupla embreagem então… Na estrada, quando você pisa tudo, o câmbio demora a reduzir tudo. Mas a característica do lag fica ainda mais evidente ao pressionar um pouco mais o acelerador (sem pisar fundo), no intuito de impedir que a velocidade caia em uma subida ou algo do tipo. O câmbio simplesmente não reduz, você tem que ir pisando mais, mais, mais, até que ele reduz demais, e isso incomoda um pouco. Resumindo, acho muito válido o equipamento. Já dirigi um Civic com o Touch Booster, idêntico ao que tem aqui em casa, e o carro é outro.

                    • Edson Fernandes

                      Mas com cambio automatico? Isso de alguma forma não pode trazer problemas ao cambio?

                    • Lucas Irrthum

                      Sim, com câmbio automático. O único Civic que pode ser equipado com câmbio manual é o LXS 1.8. Não creio que o equipamento possa trazer problemas à transmissão, uma vez que é utilizado em larga escala nos EUA. A função do equipamento está em modificar os comandos da central de injeção, que são direcionados ao TBI, sem maiores relações com o câmbio.

                    • Edson Fernandes

                      Maravilha! Bom saber! De repente eu pensarei em colocar no Fluence. Obrigado!

                    • Lucas Irrthum

                      Entra no fórum/clube do Fluence, com certeza alguém já fez essa alteração e poderá te falar com mais propriedade do que eu.

                    • Edson Fernandes

                      Já olhei. Só que lá não há um consenso se é ou não prejudicial. Para mim, onde vc mais percebe esse lag é nos arranques. De resto o carro se comporta bem, ainda que seja um pouco abrupto no alcool (qualquer toque no acelerador ele te empurra sem cerimonia contra o banco, mas não é acelerando pra valer, é acelerar para sair da imobilidade, geralmente qdo acontece isso é normal vc tirar ligeiramente o pé do acelerador).

                    • Lucas Irrthum

                      Sei que o Touch Booster tem 2 estágios: um mais suave, que não reduz tanto o lag (luz verde) e outro mais bruto, que praticamente elimina o lag do TBI (luz vermelha).

                    • Edson Fernandes

                      Disso eu conheço. Mas reduzindo um pouco esse espaço, eu acredito que o ganho em consumo seria bom, porque a pessoa evitaria pisar em excesso só para sair da imobilidade. Quem sabe assim, até evitaria essa encostada no banco que sinto ao pisar no acelerador.

                    • Lucas Irrthum

                      Exatamente, o consumo deve melhorar ou talvez se manter, caso você deixe o equipamento no “verde”. Essa encostada no banco se deve a indecisão do TBI, que não sabe se suaviza a aceleração ou se responde de imediato, no caso de você querer fazer uma manobra mais rápida. Noto isto no Civic. No momento exato em que você encosta no acelerador, o carro sai “vazio”, fraco. Mas se você mantém pressionado um pouco mais, gera a aceleração bruta, que incomoda um pouco.

                    • Edson Fernandes

                      No caso do Fluence, mesmo a aceleração “de pena de pé” ele já provoca esse comportamento no alcool. Na gasolina ele fica suave.

                      Mas é bom saber. Me interessei a ir atrás. Obrigado!

  • Pedro Henrique

    pelo menos é um motor de manutenção barata e fácil…

  • Pipo pipo

    Todos por aqui criticando o motor e eu me incluo nisso, porém o que mais me incomodava (tive uno ep 86) era a lataria de papel, eu tinha certeza que se batesse morreria. Muito tenso. Será que esse lançamento será parecido?

    • Uma boa questão. Escrevi sobre isso esses dias. A Fiat sabe na pele a história de lançar um carro e em meses ele ficar obsoleto, indo do céu ao inferno (Tipo). Ela pode lançar um carro monoestrelado hoje falando que “brasileiro não liga para segurança”. Mas amanhã o NCap se torna um critério de compra forte e os milhões que ela gastou para mudança de maquinário irão se juntar a milhões que terá que gastar para adequar o carro à concorrência.

    • Portuga Goleta

      As notícias são de que a Fiat quer 5 estrelas para ele nos testes e estão investindo nisso.

      • Pipo pipo

        No Jeep ela conseguiu, será que levará esse padrão aos populares?

    • pedro rt

      so for pra ter 1.0 preferia muito mais ter um mille do q um palio, uno, ou siena esses carros se arrastam com o 1.0 fire

  • Joaquim Grillo

    não vejo nada demais já que apesar de ultrapassado o motor fire é muito mais confiavel que o Etorq

    • Fernando S.

      Amigo, estamos em 2015 e esse motor já tem anos e anos de mercado. O problema da Fiat é esse aí: não se atualiza. Vende carros de 20 anos atrás… e tem quem ache isso bom, porque é “confiável”

      • Jose Silva

        A FIAT já teve suas novidades e o mercado Brasileiro rejeitou. Lembra do Marea 20v, um carro que chegou no Brasil quase 3 anos atrasados em relação a EUROPA e mesmo assim tecnologicamente era superior a todos os carros produzidos aqui no Brasil, alias muito superior mesmo. Mas deu o que deu, despreparo total de quase todos para lhe dar com sua mecânica tanto que até hoje tem nego que fala que não presta e bláblabá, ao invés do mecânico se atualizar ele prefere falar mal do que aprender como funcionam as coisas mais modernas. Também na época que esse carro chegou por aqui o povo era acostumado a dar manutenção em fusca, gol resfriado a ar… entre outras porqueiras que existia no mercado. Isso faz com que a própria montadora desista completamente de qualquer projeto com mecânica mais complexa e moderna. Ou você acha porque ela utiliza cambio automatizado só de 1 embreagem até hoje ? Porque é o cambio mais barato e simples de mexer. Se colocar dupla embreagem vai ser bem falado mas não vai vender porque o povo vai falar que é caro, difícil…. Esse é o público FIAT de hoje e a montadora atende o seu público alvo.

        Para quem procura algo mais moderno a FIAT tem suas divisões para isso, a FIAT em sí é uma marca de carros pequenos e compactos, ela não vai investir em algo top a não ser o caso por exemplo da Freemont. Para carros avançados ela tem suas outras marcas que fabricam carros de segmentos superiores como: Marcas européias:
        Abarth
        Alfa Romeo
        Ferrari
        Fiat
        Lancia
        Maserati
        Marcas Americanas
        Chrysler
        Dodge
        Jeep
        RAM

        • De novo essa histórinha? Marea chegou no final da década de 90, onde já tínhamos carros V8, V6, 16V, 1.8T, Tiptronic de 5 marchas, 1.4 Turbo, 2.2 16V. Fusca e Gol a Ar são de 20 anos antes. O Fusca nem existia mais e o Gol tinha motor 1.0 16V, 1.0 Turbo, 1.8, 2.0 16V… Tinhamos carros de fora onde câmbio automático era padrão e até hoje encontrar um Corolla ou Civic dessa época é mais fácil que encontrar manual. Todo mundo sabe que para mim o Marea é o segundo melhor carro da história do Brasil. Mas isso não me faz distorcer a história.

          • Lucas Irrthum

            Qual seria o primeiro? Fusca? Eu apostaria no motorzinho refrigerado a ar da VW, já que foi o primeiro carro que milhares de pessoas tiveram. E, mesmo com toda a simplicidade, cumpria o papel básico de um automóvel: te levar do ponto A para o ponto B.

            • Lord doutrinador de Vectras, humilhador de Mondeos, destroçador de Santanas, finalizador de Corollas, Tempra.

              • Lucas Irrthum

                Pensei em vários carros, menos no Tempra hehehehe. Já teve ou possui algum exemplar? Meu tio teve uma SW vinho, lindo carro. Lembro de falar com ele que o painel era de avião.

                • Então… Essa é a história triste… O Tempra é minha décima sinfonia.. É o pote de ouro no final do arco-íris. É meu castigo de Sísifo… É a Patrícia, a menina que não quis ficar comigo no colegial (Bem feito, engordou! hahaha) Já comprei carro de 10 vezes o valor do Tempra, já tive dois carros e nenhum era o Tempra, já comprei concorrente do Tempra… E ele não… Ele vai ser daquelas derrotas que levarei para o túmulo, para dar valor às vitórias.

                  • Lucas Irrthum

                    hahahahaha, que poesia! Levar pro túmulo que nada, ainda dá para encontrar um exemplar em bom estado. O problema é que o Tempra teve algumas versões que são bastante raras. Você prefere o Turbo, correto?

                    • Sim… Mas fora a Série Ouro compraria qualquer um que estivesse inteiro… Procuro há 10 anos..

                    • Lucas Irrthum

                      Mas um dia você acha um. Todo carro antigo tem uma história curiosa de compra. Quando menos esperar, vai aparecer uma bela oportunidade. E o Tempra, salvo engano, não é absurdamente caro como alguns clássicos que temos por aí. Pelo menos nas versões comuns. Meu sonho de consumo é um Corcel I GT 1975. Mas me contentaria em comprar um “cavalinho” comum e transformá-lo em GT (console com os 4 reloginhos, manopla da alavanca de câmbio, volante, conta-giros, carburação, emblemas nas colunas, grade frontal, faixas pretas nas laterias e capô e, por último, pintura em preto entre as lanternas). Sou novo, ainda estou no meu primeiro carro, longe de poder gastar dinheiro com carro antigo, mas a paixão nunca fica esquecida.

                    • 0terceiro

                      Uai…
                      Porque não os Tempra série Ouro?

                    • Lanterna quadrada, painel reto e versões carburadas.

                    • 0terceiro

                      Explicado…
                      Você não quer os Tempra “feios”

                    • Bem, eu não diria feio… O Tempra mais feio é o Alfa 164! heheh
                      Para ser sincero, a lanterna sem o pingo não faço tanta questão. O carburador me incomoda e muito, porque acredito que além da ineficiência ele não acrescentaria uma mecânica mais barata. Mas o ponto principal para mim é o painel mesmo. Para mim o Tempra, ao lado do primeiro Fiesta nacional e o primeiro Focus tem os painéis mais bonitos já lançados aqui. E é essa parte que convivemos no dia a dia. Isso que pega para mim nos Tempra 92.
                      Mas enfim, talvez agora vá. Um turbo 94 Stile. Faria o motor por 4500 (Completo, com bomba d’água, rolamentos, juntas), um radiador do ar e cargade gás. Carro nunca foi batido, pertence ao meu chefe e está sendo perdido no tempo. Estruturalmente está ok, e ainda voltaria mais 3000 para ele… Vamos ver..

          • Guilherme Batista

            Mas aí vc citou motores da VW que foram micos junto com Marea. Alias o 1,0 16v da VW é considerado por muitos mecânicos bem pior do que o do Marea.

            Mas eu concordo com você e também concordo com o Jose.
            Pra quem mora em cidade grande, nao tinha tanta dificuldade em dar manutenção em carros assim, mas pra quem mora no interior ou até mesmo [na época] quem morava no nordeste, por exemplo, tinha uma dificuldade muito maior de encontrar mao de obra especializada.

            E vamos combinar que isso até hoje acontece, é bem raro você achar alguém que realmente tem ferramentas e capacidade de dar manutenção em um 500. Aqui no NA vimos quanto tempo levou para chegar ferramentas para manutenção do Up na css.

            Tem também o fato da manutenção dos motores 3 cilindros serem mais caras do que a manutenção dos motores Fire.

            Entretanto ,eu concordo com voce quando diz que isso não é desculpa para continuar lançando carros com motores antigos

            • Mas quem dá manutenção em motor hoje em dia? A manutenção é troca de óleo e de filtros. E isso não depende da quantidade de cilindros. Aliás, troca de vela e seus cabos, os 3 cilindros levam vantagem. Ou você se priva de 120, 150 mil km de economia e desempenho melhor por uma manutenção teoricamente mais barata ou pensa na economia que o segundo ou terceiro dono vai ter.

              • Guilherme Batista

                Quem da manutenção? Quase todo mundo, basta acompanhar o dia a dia de qualquer oficina. E quando digo manutenção nesse caso, quero dizer conserto e não manutenção preventiva.
                Esse pensamento não é do brasileiro, não adianta. A maioria não lê manual e não faz manutenção corretamente, essa é a realidade, seja por desleixo ou falta de informação.

                É como eu costumo dizer, trabalhei muito tempo em oficina, e é absurdo a quantidade de carros que chegavam com problemas que poderiam ter sido evitados com manutenção básica. O pior que a pessoa já chega na oficina dizendo que o carro é ruim e sai espalhando pra todo mundo isso. Pra esse tipo de pessoa só aqueles motores AP antigos servem.

                • No dia a dia das oficinas que conheço dificilmente vejo carros “zero” (Lembrando que carro zero está no show room, então não dá manutenção. Todo carro é usado). E a minoria tem problema de motor pela minha percepção. Vejo mais problemas de suspensão, o que é natural no nosso país ou componentes periféricos como injeção, sensores, cabos de vela.
                  E sim, há motores mais permissivos a desleixo de manutenção que outros. Mas até que me provem, não vou acreditar que os motores Fiat/Chevrolet são mais permissíveis que VW/Hyundai/Ford/Nissan.

                  • Guilherme Batista

                    Nisso eu concordo totalmente. É como eu disse antes, não é uma justificativa para a FIAT continuar colocando motores antigos no mercado.
                    No caso da VW são dois extremos, tem motores muito bons e tem outros bem ruins como da FIAT e GM tbm. Mas eu ainda vejo muita gente que prefere ficar com motores menos tecnológicos por dar menos trabalho e tal e acho que a FIAT segue essa linha. Basta ver nos comentários sobre o Tucson que saiu esses dias, muita gente preferindo direção hidraulica pq quando estraga é mais barato do que a elétrica. Vai entender né

      • pedro rt

        fiat ultimamente so vende bem pra frotista, no varejo quem ta vendendo mais e o ka, onix e hb20

    • Jose Silva

      Motor ETORQ é tão confiável ou mais que o FIRE. Não tem correia, não tem nada para trocar nesse motor a não ser óleo. Alias, isso se faz dele muito mais confiável e ainda mais ser um projeto da BMW que pode ter certeza que se torna mais ainda confiável.

      • Matafuego

        É só ver a quantidade de junta de cárter que o ADG troca/cola de motor eTorq pra ver o quão confiável é. O projeto é BMW, mas a Fiat simplificou o motor.

        • Jose Silva

          esse problema já foi resolvido nos modelos 2013 com nova junta.
          e o que ocorre são micro vazamentos de óleo na junta de simples solução. O motor fire também vaza óleo, o motor chevrolet vaza óleo no cabeçote e entre outros.

          • Portuga Goleta

            Acho que antes, em casa tem um Idea com 90k rodados e está em perfeito estado. É um 2012

          • Gustavobrtt

            de tão simples solução que tem que desmontar a transmissão em alguns casos pra resolver.
            E micro vazamento é vazamento do mesmo jeito. Você não vê este tipo de problema em carros de outras marcas tão cedo/pouco rodados.
            Tomara que a FIAT tenha dado mesmo jeito, senão vai manchar a imagem da Jeep.

          • Matafuego

            Recomendo a vc assistir os vídeos do ADG e verificar se são micro vazamentos mesmo. Ademais, os motores GM vazam óleo na junta da tampa de válvulas (que por ser de plástico, empena com o tempo) e ainda que outros motores apresentem vazamentos de oléo, isso não torna o eTorq confiável.

        • Bem, o problemático AL4 não era projeto Porsche?

          • Edson Fernandes

            Não… é sistema Porsche. Quem patenteou a questão de trocas sequenciais foi a Porsche e ao invés da PSA vender o produto citando “trocas sequenciais”, ela simplesmente quis colocar a “marca” Porsche para trazer mais atenção ao produto.

            Vale lembrar que o “sistema Porsche” não é só colocar no modo M e trocar sequencialmente…. é o modo sequencial mesmo em D que faz com que segundos depois o cambio atue automaticamente com as trocas.

            • O que acho uma besteira. Um fabricante dizendo que algo dela é melhor porque é de outro fabricante? Seria a mesma coisa da Fiat fazer um comercial exaltando a confiabilidade do motor 1.8 porque era GM e não Fiat. Ou a Ford fazendo a mesma coisa em relação a VW.

              • Edson Fernandes

                Bem… vamos ser justos…. se esse cambio fosse muito duravel logo no lançamento, ele seria espelhado pelas demais fabricantes.

                Na epoca em que esse foi lançado, todos os concorrentes diretos não tinham a mudança sequencial. Além disso, esse cambio tinha a premissa de ser mais inteligente, com funções de abortar uma determinada marcha, controles de inclinação e altura (os demais na epoca só tinham de inclinação) e por fim, as trocas sequenciais.

                Só que na pratica, o sistema era ruim, tinha um tempo de resposta nada agradavel (para uso do sequencial) e ao invés de abortar a marcha, ele reduzia marcha a marcha. (gerando trancos em um kick down)

                Se fosse um cambio robusto com sistema Porsche, todas as outras iriam atrás na tecnologia… mas como tudo oferta soluções distintas, logo mais vieram os cambios de 5 e 6 marchas que ficaram bem mais modernos e mais inteligentes.

        • Lucas Irrthum

          Ia falar a mesma coisa. Um colega de profissão da minha mãe, tem um Bravo Sporting dualogic. É assustador como o carro baixa óleo. Se você não completar o nível, quando atingir os 10 mil km da próxima revisão, não vai ter quase nada de óleo no cárter. Me recordo dele dizer que havia feito uma revisão na autorizada a 5 mil kms. Aconselhei que verificasse o nível do lubrificante, e foi batata! Estava um pouco abaixo da marcação de meio nível. Isto porque a junta do cárter havia sido substituída na garantia.

        • Guilherme Batista

          Não é parâmetro pra nada, ADG fica aqui em BH onde as vendas de FIAT é um absurdo de alta. Vende muito mais que qualquer outra montadora, ja que é a casa dela. Além de que o ADG fez a fama dele trabalhando com motores FIAT onde a maioria dos clientes dele são desse tempo.

          Uma coisa que ele sempre falou é que realmente é comum esse motor vazar óleo, bem como os da chevrolet, mas ele nunca disse que o motor é ruim ou que não é confiável

          • Matafuego

            A Fiat vende muito no segmento de entrada, que basicamente é composto por carros com o motor Fire, projeto este da década de 80 e que teve tempo suficiente de mercado para acabar com muitos vícios do projeto original.

            O eTorq de hoje foi simplificado pela Fiat e é oferecido em carros mais caros, que vendem bem menos que aqueles com motor Fire. Ao meu ver, proporcionalmente o eTorq apresenta mais problemas que o Fire.

            • Guilherme Batista

              De qualquer forma se tem um lugar que você verá mais carros da FIAT é em Belo Horizonte dentro de uma oficina que fez seu nome em torno dos FIAT. ADG tem um público bastante fiel e muitos são donos de FIAT. Outro fator bem importante que o próprio ADG fala é que as próprias pessoas não dão manutenção correta nos veículos. A grande maioria ainda acha que é só jogar água ao inves de liquido de arrefecimento, não troca óleo no momento correto e nem seguem a especificação.
              Os motores novos são bem mais chatos quanto a isso, incluindo os motores E-Torq, que não toleram esse tipo de descuido. O Fire por ser mais antigo tem uma tolerância maior aos usuários mais desleixados o que pode dar ajudar a impressão que os motores Fire dão menos problema.
              Também não é correto dizer que a FIAT simplificou o motor. A verdade é que ela o modificou e ao meu ver melhorou. Diminuiu atrito, o deixou mais leve, reposicionou peças para uma melhor manutenção, diminuiu a emissão de poluentes e aumentou a potência e torque, principalmente em baixa rotação, daí o nome.
              Porém, concordo que Etorq não é sinônimo de confiabilidade, e sim ha muitos casos de problema, principalmente nos veículos anteriores a 2013.

  • Wagner Lopes

    Certíssima! Pois a grande massa não sabe nem o quê é motor….

  • DTF

    Mais uma porcaria de carro……design monstruoso, segurança falha, motor jurássico e provavelmente preço além do que vale……essa é a Fiat no Brasil….parou no tempo.

  • FocusMan

    Sonhem com esse carro abaixo de 30 mil reais.

    Sinceramente, ou a Fiat aparece com algo tipo o Fiat Mille da década de 90 ou em 10 anos terá perdido grande parte do terreno que terraplanou nos últimos 20 anos.

    Infelizmente sua linha de produtos no Brasil atualmente tem entregado menos do que a concorrência e agora com o achatamento da margem de lucro gigante que corroeu o desenvolvimento nos últimos dois anos, com certeza precisam fazer um gol para continuar no campeonato com chances!

  • Murilo Soares de O. Filho

    A Fiat vem cometendo os mesmos erros Da VW anos atrás, está parada no Brasil, espero que seja apenas momentâneo, mas é realmente um erro lançar algo novo com motor antigo. Esperar pra ver como será 2016.

  • gustavo

    Parece que o moderníssimo motor 3 cilindros 1.0 litros, esta em marcha lenta !!

    • Christian Sant Ana Santos

      Tomara que a lenta não seja trepidante como Up! e Ka, Picanto e March trabalharam melhor esse quesito.

  • HugoCT

    Com certeza esse carro vai surpreender, a Fiat não vai lançá-lo para não vender. Se vier com o Fire 1.0 mas com melhorias no cambio e motor pode ser que fique com um bom conjunto mecanico, o fire é muito bom, mas hoje a concorrencia tá melhor. Minha curiosidade é quanto ao espaço interno, será mais apertado que o Uno ou a Fiat tem uma carta da manga e fez um novo aproveitamento de espaço – por conta do entre eixos menor.

  • Leandro Santos

    aí, quando chegar aos 35mil, voltarão a projetar algo “novo” com motor fire de novo.

  • Tosca16

    Tava bom demais pra ser verdade, ia até ter um motor menos defasado …

  • Lucas Irrthum

    Se isto for verdade, o preço terá que ser bastante atrativo, já que a modernidade ficará apenas na parte estrutural e no design. Muito provavelmente haverá uma versão com o propulsor mais moderno, talvez até mesmo para substituir este Fire. Creio que será o mesmo caso do Linea. Quando lançado, tinha o terrível motor 1.9. Alguns meses depois, o propulsor foi substituído pelo E-torq 1.8 16v. Isso acarretou em uma enorme depreciação das unidades equipadas com o 1.9. A Fiat modifica demais os seus modelos/versões, o que prejudica o consumidor no momento de revenda. No mais, tudo isto mostra a péssima realidade do nosso mercado automotivo. Montadoras desesperadas para lançar carros, sem se importar o mínimo que seja com o consumidor.

  • Victor Hugo

    Quem comprar essa lata velha está de parabéns. Tem que dar dinheiro para as montadoras mesmo!

  • Paulo

    Sei q a galera ai gosta de modernidade, mas é um motor muito robusto e de fácil manutenção. Tive dois um rodou 300 k o outro uns 400 ambos sem abrir o mesmo pra fazer nada.

  • GSM

    Parece uma propaganda da Volks
    Noticiasautomotivas Das Auto???

  • pedro rt

    inicialmente o palio fire nao saira de linha, o site postou errado a noticia. e o suposto “novo palio” substituira o atual palio e o punto e tera os motores 1.4 GSE e 1.8 e.torq evo do renegade

    • Guilherme Batista

      Quem deve substituir o punto é um carro derivado do 500

  • Carol Vieira

    Esse motor 1.0 Fire, apesar de robusto, deveria ser substituído, por um mais moderno.

    • Derek

      Não precisa achar, pode ter certeza. Chevrolet e a Fiat estão defasadas na motorização. Quase todas as outras montadoras já tem motores 3 cilindros rodando há um bom tempo. No caso da VW, até motor 1.0 turbo já tem no mercado, com a Hyundai e Ford agilizando os motores 1.0 turbo delas. E a Fiat e GM ainda parada no mundo dos 4 cilindros.

      • Guilherme Batista

        Concordo, mas no caso da VW ela tem motores jurassicos rodando até hoje tambem

  • Franco da Silva

    Usando esse motor que faz 10/L onde os 3 cilindros fazem de 13 a 15… pffff… Deus me livre!

    • Christian Sant Ana Santos

      Se informe melhor, nem que seja no Inmetro…Tive um Vivace 2013/14 pé-de- boi, por apenas 3.600 Km, o suficiente para saber que a diferença é muito diferente do que comenta, a não ser que se refira ao Up! TSI. Os 03 cilindros atuais, os que não possuo, já loquei, exceto TSI, que por enquanto só teste drive.

      • Franco da Silva

        É experiência própria. Penei por dois anos com um “novo” Uno fazendo de 9 a 10 pro litro na cidade. Agora faço, no mínimo 14,5 com um up! MPI.

  • Airplane

    Carro novo com motor velho usado em versões do Uno e Palio, que foi desenvolvido há mais de 20 anos. O projeto inicial da Fiat era lançar o carro com o novo motor GSE (Global Small Engine) de três cilindros. Contudo, sua produção foi atrasada para agosto de 2016. Como a versão final do carro entra na linha de montagem em fevereiro a Fiat decidiu usar o velho Fire 1.0 em seu novo carro. Lamentável.

  • Miguel

    Gente, esse motor tá sendo testado no caminho pra Plutão???
    Eu não sei nada de fabricação de motores, mas esse motor tá sendo feito do zero?
    A quantos anos estamos ouvindo sobre esse motor?
    Até quando a Fiat vai continuar atualizando essas velharias ao invés de trazer alguma coisa da Europa também?

    • 0terceiro

      Pelo que vejo na net, é um motor feito ‘do zero’, sim.
      Como diria o Adilson Batista: “vamos aguardar”

  • Brenno

    Mas e o “Novo Uno”? Por mim, poderia deixar de ser fabricado.

  • Guilherme Batista

    Segundo funcionários, já é certo que vai sair com o 1.0 antigo, o novo motor tem muita gente que nem viu ainda