Europa Fiat Lançamentos Minivans

Fiat Qubo estreia linha 2016 com mudanças no visual

fiat qubo 2016 1

Lançado no mercado italiano há cerca de oito anos, o Fiat Qubo acaba de estrear a linha 2016 com novidades visuais. A minivan está disponível por lá em três versões de acabamento: Easy, Lounge e Trekking, com preços que variam de 13.950 euros a 20.200 euros.

O visual do Qubo 2016 tem parte das linhas inspiradas na picape Toro, com direito a para-choques redesenhados, nova grade dianteira, faróis de neblina com novo formato e nova tampa do porta-malas com detalhe horizontal na cor preta. Há ainda novas rodas de liga-leve de 15 e 16 polegadas com acabamento diamantado.

fiat qubo 2016 5

Já no interior, as novidades ficam por conta do novo volante, painel de instrumentos com novo grafismo e novo sistema de entretenimento com tela sensível ao toque de cinco polegadas e navegador. A cabine do Fiat Qubo oferece até 16 configurações diferentes de assento, além de porta-malas de 330 litros, que pode chegar a 2.500 l com os bancos traseiros rebatidos.

O modelo da Fiat conta com os motores 1.4 litro Fire a gasolina de 77 cv, 1.4 litro Natural Power (gás natural) de 70 cv, 1.3 litro Multijet turbodiesel de 80 cv e 1.3 litro Multijet turbodiesel de 95 cv, com câmbio manual ou Dualogic, ambos de cinco marchas.

fiat qubo 2016 6

Entre os equipamentos, a versão topo de linha do carro oferece airbags frontais e laterais, freios ABS com EBD, controle eletrônico de estabilidade, assistente de partida em rampas, ar-condicionado, sistema de som CD/MP3, trio elétrico, controle de cruzeiro, acabamento interno em couro, entre outros.

Galeria de fotos do Fiat Qubo 2016





  • A Fiat só faz lixo mesmo? Até antes de comprar a Dodge, não sabia o que era cambio automático, agora eles fazem para alguns modelos. Freemont cópia simples e mal feita do Journey. tenho pena de quem coloca seu dinheiro em um Fiat.

    • Diogo Oliveira

      E o que isso tem a ver com a matéria?

    • Tosca16

      Freemont cópia mal feita ? É a mesma coisa da Journey, só é mais simples e com motorização diferente.

      • Exatamente o que eu falei. Cópia mal feita, só pra falar que a Fiat tem um novo modelo. Tipo a China fazendo as cópias (lógico que exagerei citando a China), mas a ideia é a mesma.

        • Tosca16

          A questão é que qualquer porcaria, não é o caso da Journey,
          mas serve como exemplo, com o logotipo de marca A ou B é um carrão, mas se tiver o logo de outra montadora C ou D se torna um tremendo lixo; ambos carros, Freemont e Journey compartilhavam plataforma, boa parte da estética, para não dizer quase tudo, e tinham interiores similares; a diferença maior é na quantidade de equipamentos de série, motorização e algum ou outro detalhe estético e a diferença na padronagem de acabamento; era um Journey mais barato, menos equipado e com motor menor, apenas isso.

          • Resumindo, a Fiat é uma montadora que só depena os carros, quem compra Fiat tem que estar ciente que está comprando os piores modelos das categorias que eles vendem. Simplesmente isso.

            • Tosca16

              Como se por ter um logo A ou B mudasse da água pro vinho a qualidade dos mesmos, muita gente que falou tanto da Fiat tá ostentando o Renegade com aquele mesmo motor criticado por muitos, o E-TorQ, como se deixasse de ser um FIAT possuir o logotipo da Jeep… A questão é o posicionamento das marcas no mercado, muda-se a padronagem, o nível do acabamento e outras coisitas mais, entretanto se cobra por essa “qualidade” maior; é o caso se compararmos a Toro ao Renegade, que apesar de serem produtos de categorias distintas compartilham muito, especialmente plataforma; mas é claro que se a Fiat lançasse um SUV na mesma plataforma do Renegade teria um acabamento compatível com a picape Toro, um pouco abaixo e com materiais mais simples que o Renegade, é o posicionamento da Fiat no mercado.

    • Alexandro Henrico von Mann

      Amigo, a Freemont não é cópia simples e mal feita da Journey pois ela é a Journey com outro logo e grade e motor, mas em termos de acessórios e acabamento é o mesmo carro.

    • tiago

      Tenho pena de quem acha que sabe o que é melhor para todo mundo.

      • Eu também, por causa disso essa é apenas a minha opinião. Cada um faz o que quiser.

        • tiago

          “tenho pena de quem coloca seu dinheiro em um Fiat”
          Ou você está se contradizendo, ou então sofre de autopiedade.

          • Isso é falta de interpretação de texto, ler é um bom remédio para você aprender a interpretar. Se você não sabe isso é uma opinião.

            • tiago

              Obrigado pela dica, certamente a leitura é ótima.
              Quando você diz que tem pena de quem compra um fiat, você acha que sabeo que é melhor para aquela pessoa.
              Você não sabe quais foram os motivos que a levaram a comprar tal veículo e mesmo assim sabe que ela poderia ter feito melhor negócio, por isso tem pena dela. Estou errado?

          • Bruno Wendel Marcolino

            mas se é ele que tem pena, então como pode estar generalizando?

            • tiago

              A pena dele, caso não tenha ficado claro, advém dele saber, sumariamente, que quem comprou um fiat fez um mal negócio.
              Ele não tem nenhum caso concreto como exemplo, não sabe se a pessoa teve descontos, taxa 0 ou qualquer vantagem, mas mesmo assim ele sabe que a compra desta pessoa fictícia é digna de pena.
              E eu disse que, quem tem pena de uma pessoa imaginária pelo simples motivo dela ter escolhido uma marca qualquer, seja ela FIAT, FERRARI ou Dongfeng, esta sim é digna de pena, porque acha que sabe o que na verdade não sabe.

              • Fabrício Sanches

                Putz! Gastou agora hein?! Ele é Fiat hater, não tem jeito.

    • Luis_Zo

      Já andei com um desses alugado na Itália. Ganhei upgrade pro motor a diesel (tinha reservado um a gasolina). Carro extremamente confortável e espaçoso, apesar de diesel não tinha ruído interno elevado e na estrada com controle de cruzeiro ligado e 140km/h no GPS (uns 150-155 no ponteiro) fez 24km/l (cambio manual)

      Não seria uma opção de compra pro meu perfil, mas não entendo por que tu define como lixo, pra mim, que realmente testei o carro, digo que ele atende muito bem dependendo as pretensões de quem compra.

      • Rodrigo

        Você acabou com ele… rsrsrs

    • Murilo Soares de O. Filho

      Cara vc tem um problema sério, acho que vc deveria repensar sua frustração com a Fiat, tenho carro dela na empresa, no qual uso no dia a dia, e sinceramente, não acho que joguei fora o dinheiro, tenho pena é de vc ter um pensamento assim, tão arcaico, eu sei que é sua opinião, mas as vezes na vida, é melhor ficar quieto…

    • leitor

      Freemont e Journey que eu saiba têm as mesmas diferenças que outros com modelos diferentes como um XE e um XLE do mesmo carro. O Renegade está fazendo sucesso. Respondendo então a pergunta, a Fiat não faz só lixo.

  • Diogo Oliveira

    Véi, se o Marchionne continuar insistindo em enfiar Fire Evo e E-torq nos carros da Fiat ao invés de colocar mais opções de Multiair, na boa, eu mato ele…

    • tiago

      Ele sai em 2019, espero que com a saída dele a FCA comece a levar o mercado de elétricos/híbridos mais a sério.

      • Diogo Oliveira

        Eu espero que quando ele sair a FCA volte a ser uma marca foda.

      • Diogo Oliveira

        Não existe coisa que eu espero mais do que a saída do Marchionne, espero que o substituto dele seja um chefe esperto, que seja bom de Marketing, que seja legal com o consumidor, que coloque preços e motores melhores, (por exemplo o Multiair que tem muito potencial de ser um motor ”inovador” tipo o TSI, Ecoboost e etc. Na minha opinião deveria substituir TODOS os motores da Fiat (E-torq, Fire, Fire Evo, Multijet etc.) pelos Multiair, T-Jet e Turbo Diesel.) Não aguento mais os Fiat’s com esses motores ruins.

        • tiago

          Cara, ele resgatou duas marcas falidas, a fiat em 2004 e a chrysler em 2009, mas acho que a contribuição dele está chegando ao fim.
          Ele está muito ligado à parte financeira, só fala de fusão, de redução de custos etc.

  • joao vicente da costa

    Ele não me pareceu ter nada de Toro…

  • Debraido

    Esse carro dificilmente é visto na versão passageiros, como a das fotos. A cargo é que vende bem. Na Itália, logicamente.

    • Cristiano Espindola

      Uma pena, pois a versão pra passageiros é muito bonita (melhor ainda pessoalmente) e se faz sempre presente pelas ruas de Buenos Aires.

      • Debraido

        É uma pena mesmo.
        Assim como tantas outras categorias, a versão familiar desses veículos, vem sendo substituídas pelos SUVs, que, tirando a maior altura livre do solo, não oferecem a mesma versatilidade e espaço para passageiros e cargas.
        Más temos que concordar que não são carros de proporções que encham os olhos.

  • Pacheco

    Aqui no Brasil, esse tipo de carro para passageiro não vingou.

    • Felipe

      Depende, cara… O Doblò vendeu bem. Já as opções da PSA (Partner/Berlingo) e Renault (Kangoo) é que tiveram pouca saída na versão de passageiros, mas penso que se o mercado tivesse mais opções, esse tipo de veículo seria mais comum nas ruas.

      • Pacheco

        Acho que vendeu muito pouco perto dos outros segmentos.
        O Doblo vendeu bem na Adventure e para quem precisa de um uso trabalho/lazer.
        A Dobro vende bem na Cargo, até hoje é bom pra colocar em transportadora e mais confortavel que a Fiorino.

        • Felipe

          Penso que seja pela proposta do segmento.
          Também vejo muitas Doblò nas ruas e a maioria Adventure. Esse segmento merecia uma motorização melhor, em tempo: Carro grandes, com boa capacidade de passageiros e de carga… Mas com no máximo 130/132 cv e torque máximo na casa dos 18kg no caso do 1.8 eTorq.
          As opções da PSA e da Renault usavam um motor ainda mais fraco, mas estão mais presentes na cersão cargo. Voltando à Doblò, o curioso é que ela é 8 ou 80: A muitos anos que ela só é oferecida em motorização 1.4 Fire ou 1.8 e-Torq.
          Se houvesse mais opções de motores e principalmente de outras marcas, é provável que haveria mais carros assim nas ruas.

          • Pacheco

            O Doblo tbm tinha um cambio pessimo. Rodava a 120km com 4 mil giros. Isso na rodovia incomoda demais. E faltou um Dualogic na Adventure 1.8.

  • Tosca16

    Traz pro Brasil, pode ser a “New Doblò” …

  • João Cagnoni

    Ta aí um carro mais feio que o Mobi.

  • edgar__rj

    Meu, o carro está rindo … kkkk

    • Gian

      kkkkkkk! Agora só vejo isso!

  • Bruno Wendel Marcolino

    bacaninha, e olhe lá.

  • Rodrigo

    Carro bacana.
    Pena que sempre há o que nunca viu, guiou ou experimentou o carro e já diz que não presta.

  • Eduardo Santos

    A Fiat está se superando em designs feios.