Europa Fiat Hatches Segredos-Flagras

Fiat Tipo em versão hatchback é visto novamente na Turquia

fiat-tipo-tr

Chamado Egea na Turquia, o Novo Fiat Tipo foi visto novamente no país com camuflagem e em carroceria hatchback. A opção é a próximo a surgir no lineup do compacto italiano.

Cogitado para ser feito no Brasil, o Novo Fiat Tipo dispõe até o momento apenas da versão sedã, que já anda circulando na Turquia até como táxi.

O modelo hatch deve compartilhar motores e equipamentos com o sedã, tendo aí opções a gasolina 1.4 16V Multiair de 95 cv e 1.6 E.torQ com 115 cv, bem como os diesel Multijet 1.3 de 95 cv e 1.6 com 120 cv. Transmissão automática de seis marchas e Start&Stop serão oferecidos.

No Brasil, o Novo Tipo – cujo nome pode mudar – deve chegar com motor 1.8 E.torQ de até 132 cv e provavelmente com a mesma caixa automática da Aisin com seis velocidades. Na Europa, haverá uma versão perua também.

[Fonte: TRLUX]





  • Felipe

    O design do sedan, de uma maneira geral, até agrada. Esperemos pelo hatch!
    No entanto, para o Brasil a proposta da dupla Viaggio/Ottimo seria mais condizente com o segmento de “carros médios”.

  • Bartolomeu

    A Fiat não consegue emplacar um carro medio, os modelos fracassam, morrem e não ganham uma nova geração. Ou ficou 17 anos fora de linha para mudar de geração.

    • Eduardo Brito

      Mas esse Tipo não seria um carro médio(segmento C), mas sim compacto(segmento B).

      • Murilo Soares de O. Filho

        O que define um segmento de um carro são suas medidas, então seria um médio, esperar pra ver suas medidas.

        • Eduardo Brito

          Segundo sua logica o Logan e o Versão são médios?

          • Murilo Soares de O. Filho

            O Logan e Sandero não, por ex: o Logan possui medidas de 4,34×1,73. Essas medidas foram retiradas de publicações, já o novo Hatch da Fiat. possui medidas praticamente iguais ao Bravo, lógico, não será o maior do segmento, mas também não será compacto. A diferença que o produto será mais simples que os modelos do segmento, entrando como modelo racional da Fiat da Europa.

        • Alexandro Henrico von Mann

          O Linea tem a largura do Vectra, entre-eixos do Corolla e comprimento maior que o do Civic, sendo assim, é de fato um médio, então! Independente de derivar do Punto e não do Bravo???

          • HugoCT

            É isso que sempre digo. Por isso a Fiat trata o Linea como medio, é so entrar dentro de um para ver, ele tem mais espaço para as pernas que muitos medios por ai. Mas o povo faz seu proprios rotulos, ou melhor os japoneses que ditam as regras do segmento.

            • Gio

              Se tamanho, exclusivamente, ditasse a categoria em que os carros concorrem, Sandero/Logan concorreriam com Focus/Civic/Bravo, etc., C4 Pallas teria concorrido com Fusion, e por aí vai..

              É preciso haver bom senso. Vejamos: se o Punto Sedan estivesse apto a concorrer com os médios (o mercado deixou claro que não está), com quem concorreria um suposto Bravo Sedan? Já que o Bravo está claramente acima do Punto na hierarquia Fiat (ou vão alegar que não está?)…

          • Thiago Maia

            Quero ver quando for lançado o Jeep rival do Sportage (551) se vão chamá-lo de ” compacto” por derivar da mesma plataforma SUSW ( ou BWIDE).

            Isso é quase uma plataforma modular. Não chamam o Passat de sedan médio por estar na mesma plataforma que o Golf. Isso é implicância com a Fiat.

            Sobre o carro, a intenção é seguir a receita da Skoda e não rivalizar com Corolla e Civic – que mal vendem nos mercados europeus. O carro é melhor acabado e maior que um Logan. Está situado na faixa de preço acima do segmento B e abaixo do C. O espaço também, é dos melhores aproveitados

            Só precisa de boa mecânica e eles podem fazer isso

            • Jose Silva

              Na europa é COMPACTO e fim de papo.

  • Gio

    Espero que venha para substituir a dupla Punto/Linea, mas no caso do Linea, com foco no segmento correto desde o inicio.

    Lembro claramente da Fiat tentando justificar o porque de o Linea ser posicionado para concorrer com médios, e refutando a ligação dele com o Punto (dizendo que havia sido vastamente modificado em relação ao hatch).. Eu participava ativamente do fórum do NA na época, e vi que alguns fãs da marca cairam na história, mas a maioria não viu da mesma maneira e o carro ficou abaixo das expectativas.

    Quando baixaram o preço dele e o colocaram para concorrer com City, New Fiesta Sedan, Sonic Sedan, etc., ele passou a fazer mais sentido no mercado, mas aí já parecia ser tarde demais..

    • Debraido

      Se seguir o mesmo posicionamento que tem na Europa, sera concorrente de Logan até City, não entrando na área dos médios.

      • Raimundo A.

        Não é bem assim observando o planejamento. Nele, a America Latina terá novos Siena e Grand Siena, Palio e Punto. Não há menção ao compact sedan, Aegea para cá, e entenda compacto como médio, pois os outros citados são da categoria B, nossos compactos.

        O Grand Siena peca na largura ao concorrer com Versa, Cobalt e Logan por exemplo. O Punto é o nosso ainda compacto premium. Alguns partem da ideia e há um lógica nisso, porém credito em parte, Punto e Grand Siena poderiam ser aqui o Aegea hatch e sedan mantendo a proposta europeia de concorrer com Logan e Sandero por lá que são quase médios.

        Eu, penso que Aegea/Tipo com medidas mais condizentes com os médios, porém no exterior não há promessa de tanta sofisticação, daí ficarem abaixo dos médios Focus e Golf, mas vindo a ser melhor opção a Logan e Sandero que são compactos quase médio, com mecânica e maior oferta de equipamentos, aqui poderiam atuar no segmento de médios. Claro, melhor seria a futura geração dos veículos como Viaggio/Dart, possível Chrysler 100,etc.

        Com o ajuste do Aegea para o nosso mercado que já foi feito antes com o Linea que concorre no exterior com Logan, mas aqui tenta com Civic, Corolla, entre outros, o Grand Siena com o Punto em nova geração poderiam atacar em duas frentes: ambos seriam premium, porém com espaço interno melhor compatível com Sandero e Logan, Cobalt.

        Siena e Palio, por sua vez, melhorariam para continuar na briga com Onix/Prisma, Ka/ka+, Gol/Voyage, HB20/HB20S, etc.

        Fabricantes como Renault e Hyundai tem investido em conteúdo para seus produtos invadirem até certo ponto a faixa dos premium porque tem uma linha reduzida. A Toyota já estaria testando o Mazda 2/Vios, produto que entra no segmento premium devendo ficar acima do Etios, e será concorrente do City aqui.

        Contudo, partindo do contexto da Ford, reforçando em tese a proposta dos atuais produtos da Fiat, Palio e Siena cresceriam na largura para serem mais concorrentes tanto em tamanho quanto em preço de Sandero e Logan, ideia que a GM estaria buscando para o futuro sucessor do Onix/Prisma, enquanto Punto e Grand Siena se manteriam como premiuns(o último promovido), onde o espaço interno pode ser revisto, mas não requer medidas grandes da carroceria, e assim teriam Fiesta hatch e sedan, Fit e City, Vios, Rio, etc como concorrentes.

  • Guily

    Finalmente um câmbio digno, um AISIN!

    • 4lex5andro

      o fiat ægea e o carro certo pra substituir linea e punto ..

  • Guilherme Eduardo

    Será que a SW vem? Acho que venderia bem considerando que temos poucos veículos dessa categoria abaixo dos R$ 100 mil.

    • Raimundo A.

      Caro, as sw estão virando raridade, tanto que as francesas deixaram de vender e só a VW oferta sem ser premium que é o Golf Variant. Depois dessa, só marcas premium a valores altos. Sendo assim, não apostaria numa possível venda do Aegea sw aqui, nem como importado, isso se fizerem o hatch e o sedan, pois o planejamento não mostra isso até 2018. Poderia vir como importado, mas com o atual câmbio, não compensaria.

      Outra, nessa faixa de preço, vejo como mais negocío possibilidade de um crossover médio. É bom lembrar que o Freemont está para sair de linha e num novo produto entrará no seu lugar, o C_CUV da Fiat. Especulam que o Toro servirá de base e a nova picape é só alguns centímetros maior que o Freemont, porém com construção mais em conta, pois não usa a plataforma de médios e médios grandes do Journey.

      Se o Toro Flex poderá ter preço na casa dos R$ 70 mil, um futuro crossover derivado direto ou não do Toro poderia ter preço inicial em versão flex na casa dos R$ 90mil usando a mesma mecânica, que é inferior ao do Freemont atualmente importado cujo preço parte de R$ 110 mil, similar ao cobrado pelo Jeep Compass, cuja futura geração será feita em Pernambuco e pela mecânica especulada, pode não alterar o preço com relação ao atual importado. Então, um crossover que pode até levar sete usuários com capacidade de bagagens tão ou maior que uma sw seria melhor que uma sw pela atual tendência do mercado. É só vermos quantos suvs médios encontramos nas ruas e raramente o Golf Variant. Sw, infelizmente, aqui tem se tornado nicho, e um Aegea sw teria que primeiro ter como base boa aceitação de sedan e hatch para viabilizar possível venda de um produto cujo mercado tem comprado pouco.

  • Marcos Pastori

    Por mim, a FIAT poderia manter os nomes Bravo para o hatch e Linea para o sedã, pelo menos teria uma continuidade na linha de carros ”médios” (o Linea é compacto eu sei, mas pelo tamanho do Egea/Tipo será médio aqui), coisa que o mercado brasileiro preza muito!

  • Bruno Wendel Marcolino

    Mas o Tipo deveria ser Hatch e o sedã Tempra.

    • Jose Silva

      tempra era médio e o tipo um compacto.
      Na atualidade o fiat compacto hoje é o punto/linea.

      • Edson Fernandes

        Na epoca o tipo era o médio da Fiat para os hatches. Tanto que disputava diretamente com o Golf de epoca.

  • Bruno

    A Fiat nunca vai abandonar essa porcaria desse motor não?

  • Jose Silva

    Deve chegar aqui com motor 1.6 também já que o carro é leve, pesa 1100kg. As vezes vem com até 1.4 fire com 1050kg.



Send this to friend