_Destaque Europa Fiat Peruas Preços

Fiat Tipo perua começa a ser vendido na Europa; preço inicial é de 14,9 mil euros

fiat-tipo-estate-2016-1

Aos poucos, a Fiat vai formando a nova família Tipo no mercado europeu. Depois do hatch, agora é a vez da perua começar a ser vendida por lá. O modelo familiar foi anunciado pela montadora italiana nesta semana e estará disponível com preço inicial de 14,9 mil euros, podendo alcançar os 17,3 mil euros na configuração topo de linha.

O novo Fiat Tipo SW é equipado com um motor 1.4 litro a gasolina, que entrega 95 cavalos de potência, além de um T-Jet de 120 cv. Há ainda um 1.3 MultiJet de 95 cv e um 1.6 de 120 cv, ambos a diesel, e também um T-Jet de 120 cv movido a gasolina e gás (GLP). A transmissão é manual ou automatizada de dupla embreagem.

fiat-tipo-estate-2016-6

A versão mais básica inclui seis airbags, trio elétrico, ar-condicionado, rádio Uconnect, barras de teto e “Magic Cargo Space”, um compartimento no porta-malas que pode ser configurado com uma mão. Já as versões mais caras agregam sistema multimídia com tela de sete polegadas, navegador TomTom 3D, câmera de ré, Bluetooth e reconhecimento de voz, controle de cruzeiro adaptativo, controle de frenagem, limitador de velocidade, sensores de estacionamento, entre outros.

O Tipo é fabricado na Turquia e a versão hatch já conseguiu emplacar mais de 65 mil unidades na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África).

Galeria de fotos do Fiat Tipo SW





  • Hyago Luiz

    Será que teremos uma perua do X6H inspirada nessa aí? Já que X6H e X6S serão inspirados visualmente nos Tipos. O problema é que perua não vende nada, acho difícil lançarem uma.

    • Gustavo73

      Vai ter um altinho sem dúvida, mas uma SW seria interessante. Mesmo não sendo uma versão que venda muito tem um público cativo.

    • pedro rt

      no brasil e impossivel ter uma sw assim como minivans, nosso mercado so quer saber de suv/crossover

      • O mundo inteiro, não é só o nosso mercado, não,

    • Marcus

      Se já tá difícil vender hatch médio, quanto mais perua… Pode esquecer.

      • Zoran Borut

        Hatch médio a 90 mil está difícil mesmo.

        • Rodrigo Cherigatto

          verdaDE!Isso em versoes basicas!

    • Zoran Borut

      A Palio Adventure só não vende mais porque é muito defasada. Mas uma versão renovada, com apelo crossover, pode sim vender bastante. As pessoas não são tão idiotas a ponto de precisar de porta-malas e levar Jeep Renegade só para seguir moda.

      • Hyago Luiz

        Também acho que seria interessante a perua, colocava ela com preços justos, na casa de uns 50 mil, creio que venderia bem. Só não poderia a FIAT fazer loucura como a VW que vende SpaceFox por 92 mil Temers.

        • Rodrigo Cherigatto

          O QUE?????????????????????????? Spacy FOX por 92 mil????????????????por isso o Brasil nao vai pra frente!

      • alexandre

        Pior que são sim…

    • DiMais

      crossover para atuar na faixa de preços logo abaixo do Renegade e bater de frente com Duster e EcoSport… stations e minivans são segmentos extintos no Brasil.

  • Diogo Oliveira

    Que tesão que ficou essa Tipo SW e o Tipo Hacth!! Adorei!! A versão Hatch necessita de uma versão Abarth com 180 ou 200Cv pra competir contra o Fiesta ST.

    • Raimundo A.

      Se for cogitar que a Fiat poderia criar um Abarth para o Tipo, então a mesma poderia ofertar o Tipo aqui ao invés de usar forçar os X6H e X6S a faixa de preço entre os compactos e os médios, que é o especulado, sendo menores, pelo menos o hatch confirma que não será médio no comprimento.

      • Diogo Oliveira

        Sem falar que eu acabei de ver que os novos tipo apesar de terem uma motorização ridícula nas versões de entrada (Multijet 95Cv) eles NÃO TEM DUALOGIC!!!

        • Luis_Zo

          Multijet é Diesel, não lembro de nenhum caro da fiat com Dualogic em motor diesel

          E por experiência própria, já andei num punto com esse motor (1.3 95cv) e anda muito, muito bem.

        • mjprio

          Posso te falar. Esse multijet 95 e muito bom. Tem torque em baixa, e empurra satisfatoriamente esse carro, se vc nao quiser apostar corridas e claro. Alem disso passa dos 17 km/l de diesel facil na cidade

    • Rodrigo Cherigatto

      O concorrente do TIPO é o FOCUS!!!

  • Freaky Boss

    Europa e seus carros belíssimos.
    E a FIAT hein, quem diria, câmbio de dupla embreagem…

    Podia importar esse carro para cá. Explorar esse nicho que mais cedo ou mais tarde vai voltar a crescer.

    • Raimundo A.

      Esse câmbio é ofertado tem uns dois anos, pelo menos. Na Alfa se chama TCT. Recordo de matérias da época, quando o Dart começou a ser vendido com T-Jet e TCT, outras versões usavam Tigershark e conversor de torque, criticavam o TCT por fazer barulhos. O 500, idem, quando equipado com a transmissão, tanto que foi trocado pelo AT6.
      Devem ter corrigido o problema, pois ela é a seco como a Powershift da Ford.

  • Leonel

    Olha a game de motores lá…aqui vem somente com o incrível 1.8 E-Torq…

    • pedro rt

      olha q pode ser pior, como usar o velho fire 1.4

    • Raimundo A.

      Ele não vem para cá, ao menos disse o CEO. Os X6H/S serão ofertas com proposta parecida, que alguns especulam usar o 1.8 E-torQ, outros o 1.6 E-torQ, por fim GSE 1.3 com previsão futura de GSE 1.3 16V T.

    • Matthew

      Não acho que a gama seja tão melhor que a nossa nas versões à gasolina. Só tem o Fire manco de 95 cv. Fiat sempre foi fraca de Powertrain, seja aqui ou no velho mundo. Lá tem um pouco mais de variedade em função das opções à Diesel.

      • mjprio

        Eles usam esses motores de baixa cilindrada la pois sao carros prioritariamente usados nos centros urbanos. E pelo fato de as estradas terem faixas com vários niveis de velocidade eles conseguem levar o carro numa tocada tranquila. Eu mesmo andei numa Idea com esse motor e a resposta foi muito boa. Assim como numa Astra Sw 1.4 16V (100hp) do meu primo que mora em Lisboa. Esses carros com gasolina boa fazem prodigios em termos de consumo la na Europa. Nem vou falar dos TJet 120, que e um motor muito empregado la também.

  • Mr. Car

    “I pá nóis”?

    • 4lex5andro

      O grupo Fiat sabe fazer bons carros (e belíssimos) mas já não sabe (ou não quer) vende-los no Brasil.

      E a primeira foto dessa Tipo SW lembrou a Sportwagon.

  • em foto parece bonita, como me pareceu o hatch, pena que não consegui ver nenhum ao vivo, mesmo passando o agosto todo na Itália vi somente um tipo sedan, e era noite kkk

    • Raimundo A.

      Releia o texto. As vendas começaram a agora, então você só iria ver o sw se fosse de teste ou em exposição.

      • queria ver o hatch, que já estava a venda em agosto

  • Hugo Ferreira

    Eu queria um desses. :(

  • Debraido

    O acabamento interno dessa linha Tipo trouxe de volta algo que eu odiava num carro que tive, apesar de ter gostado muito do carro na época. É o “maldito” plastico com brilho no acabamento interno. Isso é muito anos 80 e 90. Não sei por que fizeram esse absurdo (minha opinião).

  • Louis

    Bela SW!
    Mas… por que raios a Fiat não padroniza o nome de seu médio, para ter um nome forte ?
    Era Tipo, depois Brava, depois Stilo, depois Bravo, volta Tipo….

    • Louis

      Nuss, é tanto nome que me esqueci do Tempra, Marea…. afff.

      • Louis

        KKKK Me esqueci do LINEA !! KKKKKK

        • Felipe

          Cara, se for observar, isso não é mérito apenas da Fiat, pelo menos nos sedans.
          Versailles > Verona / Escort Zetec Sedan > Focus…
          Monza > Vectra > Cruze…
          Santana > Bora > Jetta…

          • Louis

            Pois é, mas veja os maiores sucessos: Corolla, Civic, Hilux, são nomes que estão há décadas nas cabeças dos consumidores.

            • Felipe

              Mais que isso. Nos hatches, a GM teve mais sucesso que a Fiat mesmo mudando o nome a cada lançamento:

              Kadett > Astra > Vectra GT > Cruze HB
              Tipo > Brava > Stilo > Bravo

    • Raimundo A.

      Talvez por medo de dar continuidade a uma geração que foi por ela mesmo ficando abandonada sendo mais fácil ressuscitar nome passado ou criar um nome novo para o sucessor.
      Por isso, se a Fiat pensa em não ofertar o Tipo aqui, acho acertada a decisão. Quando o produto fosse mudar de geração, qual a garantia que o nome será mantido?

      • Louis

        Pois eu acho um erro, nome forte é um bom argumento de vendas, principalmente para um público que não acompanha muito o mercado.

        • Raimundo A.

          O problema é que nome forte costuma-se vincular a bom produto, a boas vendas. Assim, o produto vai se mantendo com o nome ao longo do tempo. Por outro lado, o fabricante poderia fortalecer o nome mantendo-o mesmo que o produto não tenha se dado bem no mercado. Nova geração é para resolver problemas passados e isso pode reverter o quadro. Mudar o nome é começar do zero.

          Gosto de citar a Ford na questão de nome. O Focus nem sempre, ao menos aqui, foi bom de vendas. A Ford poderia ter criado um produto único para o nosso mercado ou trazido outro para o lugar dele em épocas de baixas vendas. Manteve com o espelhamento da Europa e a medida que foi melhorando, o mercado voltou a ser mais receptivo.

          Infelizmente, no caso da Fiat, a estratégia vem da matriz em não apostar na manutenção. Recordo que o Bravo que ainda temos, antes era o nome da carroceria três portas, pois o Brava era a de cinco.
          Retornou o nome Tipo, que era o hatch de uma família com Tempra sedan e sw, desta vez unificado para as carrocerias. Espero que se mantenha para a próxima geração.

    • Maycon Farias

      Eu prefiro Stilo, sempre lembro da famosa frase ´´Stilo ou você tem ou você não tem“.

  • Maycon Farias

    ´´A versão mais BÁSICA inclui seis airbags“ que inveja deles! :(
    Belíssima família Tipo, teria qualquer um deles fácil por lá.

    • Raimundo A.

      Lá, segurança é mais importante que central multimidia. Aqui, o povo prefere investir em itens de conveniência, não se importando tanto se poderá sair com menos danos numa eventual colisão.

      Note, também, a oferta de motores com potência baixa, embora alguns tenham ótimo torque. Aqui, só se for de 1.8 para cima, de preferência com mais de 140cv.

      • Luis_Zo

        Isso é bem engraçado do mercado Italiano. Por exemplo, Renegade 1.6 E-torq. Um amigo meu andou com isso lá, o feedback dele e que é mais que sofrível.

        Agora, os italianos gostam muito dos diesel. Esse 1.3 é um motor excelente.

        • Tomtilt

          Não só o mercado italiano, mas o europeu no geral. É bem comum ver carros médios com motores que fariam um brasileiro se arrepiar todo de pavor, 1.2 aspirado, 1.4 aspirado, entre outros.

          Quanto ao Renegade 1.6 E-torq que seu amigo andou, eu nem consigo me imaginar dirigindo um. O 1.8 já tem desempenho muito mais que sofrível, é crítico, o test drive que fiz foi de um horror inesquecível, imagino um 1.6 e-torq…

          • Luis_Zo

            Poisé, ultima vez que tive oportunidade de dirigir um carro por lá (Italia) foi um Fiat 500 com motor 1.2 e cambio Dualogic. Achei super descende o desempenho, mas obvio, não tem nada de esportivo. Como era tudo plano, atendeu super bem.

            Lá em casa meu pai tem um Renegade flex. Antes de ele comprar, fiquei preocupado com ele sentir alguma diferença (antes ele tinha um Civic). Ja faz 1 ano que ele tem o carro e nada a reclamar de desempenho até agora. Rola que ele nem usava tudo que tinha disponível no Civic… então no Renegade não fez falta. Tanto que la em casa minha mãe e irmã querem comprar pra elas…

            Acredito que essa seja a realidade da grande maioria do perfil de quem esta comprando Renegade hoje…

            Esse meu amigo que andou no 1.6 deve ter um perfil mais parecido com o teu, que prima o desempenho. Ai ele achou bem bem sofrível mesmo.

  • erick

    E o Brasil, FIAT? nada?
    Palio, Siena e Gran Siena precisam de novos motores e um facelifit pra bater de frente com a familia Onix/Prisma.

  • CanalhaRS

    Muito bonita. Pena que os “inteligentes” só querem SUV agora.

  • Tosoobservando

    Aqui nos temos a modernissima Fiat Weekend Adventure 1.8 chegando a incriveis 83.279 reais ou , na cotação de hoje, € 22,610, quase 2 peruas Fiat Tipo kkkk Parabens Brasil!

  • Pedro Cunha

    É bom que nem venha mesmo, pois de “FIAT” e de “design italiano” só tem mesmo o logotipo. Verdadeiro “carro enlatado”, com desenho pasteurizado para não “causar” alvoroço em mercado algum.

    • Diogo Oliveira

      Eu ia falar alguma coisa, mas já que gosto é gosto, não posso falar nada né…

      • Ailton Junior

        é 2

  • Ailton Junior

    Esse carro é muito bonito. Torcendo para que a família Tipo venha para o Brasil a preços honestos

  • Luis Burro

    Ele substitui qm?No texto não fala dos concorrentes e nem segmento.Este cambio automatizado de caixa seca tbm apresenta defeitos?Esta grade parece inspirado no sorriso do Coringa.

    • Thiago Maia

      Equivale a um Golf Variant, em tamanho. No preço, é um pouco mais barato, rivaliza com SKODA , e é mas mais caro que as peruas do segmento B, como a bela Clio estate

      Está voltando a um segmento.

      A Fiat vai se concentrar nos segmentos A, B e C, deixando a Alfa Romeo com os maiores

      • Tomtilt

        Achei que essa perua Tipo era menor que a Golf Variant mas ambas possuem o mesmo tamanho, fiquei surpreso.

      • DiMais

        Clio State na França parte de 14.300,00 Euros (Life 1.2 16V 75cv), nada muito abaixo dos 14.900 Euros cobrados pelo Fiat Tipo com melhor motorização e pacote de itens de série (e aqui apenas é citado como vendas na Europa, mas os valores e pacotes podem variar em cada país).
        a versão mais cara como falei em outra reportagem chega no preço dos básicos do segmento C (Golf Variant parte dos 19.575 Euros), confirmando que a família Tipo apesar de possuir bom porte para o segmento é uma linha de compactos, assim como os franceses Peugeot 301 e Citroën C-Elysée que ninguém chama de médios.

    • DiMais

      a familia Tipo tem tamanho próximo dos carros do segmento C, mas faz parte do segmento B competindo com versões mais completas de VW Polo, Ford Fiesta, GM Opel e Renault Clio por exemplo.

      • Thiago Maia

        A família TEM medidas do segmento C, especialmente para os hatch e SW, melhores acabados. A própria Fiat diz que são segmento C

        Fiat Tipo SW na Itália : 17900E
        Clio Estate na Italia 14150E

        Fiat Tipo IT 16400E
        VW Golf IT 18900
        VW Polo IT 12850

        • DiMais

          tem comprimento de segmento C, não largura, por se tratar justamente de um compacto esticado como seus antecessores Linea a Albea.
          a Fiat coloca ele pra competir com as versões mais completas do segmento B pois quando a linha Tipo foi anunciada eles deixaram claro que a proposta seria vender pelo bom custo x benefício e assim, as versões mais básicas dele possuem bons pacotes de itens de série, por isso não tem como comparar com as versões básicas de Polo, Corsa e Clio, com os quais ela compete com o Panda.
          o Peugeot 301 tem 2,65m de entre-eixos, o Logan tem 2,63m e o Cobalt tem 2,62 e ninguém fala que eles são carros do segmento C (o tem Tipo 2,64m), até o C Pallas era maior que todos os sedãs médios do seu tempo e ninguém colocava ele pra competir com Ford Fusion, por exemplo.

          • Thiago Maia

            Tem largura e comprimento de segmento C. Até é pouco mais largo que um Golf
            Vá ver o site “medidasdecoche”

            Nenhum carro do segmento B tem 1,792m de largura, somente um ou outro crossover – que pela carroceria é maior que um hatch B

            Custo benefício é isso: oferecer produto semelhante a preço mais baixo

            E é isso que fazem os Tipo hatch e sw

            Ninguém aqui diz que o Skoda Superb é um “C segmento” por ser mais barato que o Passat

            Mas o grupo VW pode; a FIAT, não

            • DiMais

              Dacia Logan 1,74m / Peugeot 301 1,75m / Fiat Tipo 1,79m
              o Golf está para receber nova geração e como de costume vai crescer novamente, se distanciando desses compactos bombados.
              a Fiat não diz que eles são do segmento C, isso é a mídia ~especializada~ que tem ventilado, até porque se ela fizer isso vai repetir o erro cometido com o Linea que (por aqui) foi uma decepção por se tratar de um compacto esticado, que apesar de alguns recursos de design, não conseguia esconder suas origens numa plataforma de carro compacto (e que a do Tipo é uma evolução desta mesma plataforma).

              • Thiago Maia

                Mais uma vez: vá pesquisar, comparar e olhar em quais estatísticas de segmento o Tipo entra

                Não é um “Punto esticado”, como você insiste em dizer

                Até o left-lanes classifica o Tipo como “europe compact car sales”, junto ao Golf, enquanto Fiesta, Sandero e Polo estão em “europe subcompact car sales”

  • Mumm Rá

    Espero que venda bastante para que ainda exista uma ” esperança ” no ar das station wagon não desaparecerem ( porque do jeito que a coisa está indo SUVs vão dominar o mundo automobilístico )

  • DiMais

    uma pena as stations terem morrido aqui no Brasil, e antes que falem que é culpa das montadoras que não atualizaram os modelos digo que os modelos (como Palio Weekend) não foram atualizados porque simplesmente não vendem mais (cadê Space Fox nas ruas? ou porque a Toyota matou a Fielder?)!
    a única esperança de ver esse Tipo por aqui seria como Dodge, mas como ele também não será produzido no México (chegará lá como Neon e importado da Turquia), essa possibilidade remota também já pode ser descartada.

  • Gustavo Miranda

    Se não trouxerem esses Tipos para cá vão marcar bobeira… finalmente algo na categoria do Linea mas com um visual bem acertado. É o carrinho certo para a Fiat beliscar compradores de Cobalt até Jetta e também agradar taxistas. Só não arriscaria esse nome… a Fiat deve evitar qualquer lembrança de tempos antes do Palio no Brasil…



Send this to friend