Fiat Toro: Detalhes e impressões ao dirigir

16/02/2016

fiat-toro-impressões-NA (8)

A Fiat Toro finalmente chega ao mercado nacional trazendo uma proposta mais ousada da marca italiana para um segmento que está surgindo. Ocupando um espaço entre as picapes leves e médias, o novo modelo vem com uma proposta batizada de SUP (Sport Utility Pickup), que pretende oferecer espaço e conforto de um automóvel ou crossover, mas com a robustez e capacidade de carga de uma picape.

Oferecida inicialmente nas versões Freedom e Volcano, tendo ainda um pacote especial de lançamento, chamado Opening Edition, a Fiat Toro contraria o mercado nacional ao iniciar as vendas com a opção de entrada equipada de série com transmissão automática de seis marchas.

Além desta, a nova picape brasileira tem ainda câmbio manual de seis marchas e automático com nove marchas, exclusivo do motor diesel 2.0 Multijet, que tem como companheiro o E.torQ 1.8 Flex atualizado. A Fiat Toro também dispõe de tração 4×2 (dianteira) ou 4×4, com reduzida. Todas as versões se resumem em cinco opções, cujos preços variam de R$ 76.500 e R$ 116.500.

fiat-toro-impressões-NA (16)

Confira os preços da Fiat Toro:

Freedom 1.8 Flex AT6 4×2: R$ 76.500
Freedom Opening Edition 1.8 Flex AT6 4×2: R$ 84.400
Freedom 2.0 Diesel MT6 4×2: R$ 93.900
Freedom 2.0 Diesel MT6 4×4: R$ 101.900
Volcano 2.0 Diesel AT9 4×4: R$ 116.500

fiat-toro-impressões-NA (10)

Construída sobre a plataforma global da FCA, chamada B-Wide e mesma do Jeep Renegade, a Fiat Toro é um veículo bem diferente do SUV da marca americana, tendo nova suspensão traseira multilink, capacidade de carga entre 650 e 1.000 kg, tampa traseira bipartida, repetidores de direção e luz diurnas em LED, lanternas traseiras em LED, entre outros.

No estilo, a Fiat Toro sai do lugar comum e adota LEDs diurnos e repetidores separados do conjunto ótico de dupla parábola, que fica em uma posição mais abaixo. Além disso, há também faróis de neblina. Na traseira, as lanternas são compactas e bonitas, tendo ainda iluminação por LED. Lentes escurecidas reforçam a esportividade.

Com linha de cintura alta, a Fiat Toro impressiona pelo porte bem maior que as picapes leves, sem exceção. Ela não chega a ser como as atuais picapes médias, mas com 4,91 m de comprimento e 2,99 de entre-eixos, seu tamanho deve agradar quem deseja um veículo robusto e ao mesmo tempo com um perfil mais agressivo, mas sem exagero no comprimento. Ainda assim, as colunas C grossas e as janelas traseiras elevadas, assim como a alta tampa bipartida, deixam a picape com cara de carro maior.

fiat-toro-impressões-NA (19)

Atraindo olhares curiosos por fora, a Fiat Toro também agrada em seu interior. Ele lembra muito o Jeep Renegade, compartilhando com este alguns recursos que a FCA agora distribui entre suas marcas, tais como o cluster com display multifuncional em TFT de 7 polegadas (3,5 na Freedom), multimídia Uconnect com tela de 5 polegadas e navegador, detalhes em tons mais destacados, bancos de visual esportivo, volante multifuncional com paddle shifts e os estranhos botões traseiros de volume e mídia, entre outros.

É perceptível o bom acabamento interno. Não passa a impressão de baixo custo, exceto talvez pelo túnel central, cuja tonalidade faz parecer que a peça não tem pintura. O porta-luvas tem tamanho mediano e há somente um porta-copos entre os bancos, embora o porta-objetos central tenha refrigeração.

fiat-toro-impressões-NA (49)

Os bancos tem boa aparência, mas são duros, apesar de tecido/couro adequado. Na Volcano, o motorista tem regulagens elétricas. Outro item de destaque são os sete airbags (joelho inclusive), assim como sensores de chuva/crepuscular, retrovisor eletrocrômico, teto panorâmico (um toque, abre de uma vez) e interessante mescla de tons.

O espaço interno na parte de trás é razoável, mas não dá para esperar muito, pois a Toro não tem um porte do mesmo nível das picapes médias. O banco traseiro é menos vertical do que a da concorrente mais próxima. Apresenta conforto relativo, tendo ainda Isofix, três apoios de cabeça e cintos, bem como apoio de braço com porta-copos escamoteável.

fiat-toro-impressões-NA (25)

A Fiat Toro pode duplicar a entrada USB e a fonte 12V, assim como a visualização das informações da multimídia no display do quadr de instrumentos. A posição de dirigir é correta e a coluna de direção tem bons ajustes. A ergonomia é adequada, assim como a altura interna, mesmo com teto panorâmico.

Já a caçamba tem bons 820 litros e fácil acesso pela porta dupla, travada eletricamente. Para quem precisa de mais espaço, um extensor retrátil inclui luzes e placa adicionais, além de rede de carga. Há inúmeros acessórios, incluindo soleira cromada na traseira, estribos, rack especial para caçamba, compartimento para animais no interior do veículo, protetores de rodas parafusados, engate móvel, assoalho em madeira naval na caçamba, entre muitos outros. A novidade é que podem ser adquiridos de fábrica.

fiat-toro-impressões-NA (37)

Na Freedom, a Fiat Toro com pacote Opening Edition adiciona alguns recursos interessantes, tais como ar condicionado dual zone, câmera de ré e capota marítima, entre outros. Bem equipada e com uma oferta generosa de equipamentos de série, opcionais e acessórios, a nova picape da Fiat conta ainda com controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, controle de descida (4×4), gerenciamento de distribuição de torque nas rodas, entre outros itens de assistência e segurança.

No pós-venda, a Fiat criou a Revisão sob Medida e a Garantia Estendida. A primeira é um pacote que inclui de duas até dez revisões, no caso da Flex, ou até cinco revisões, no caso do diesel. Isso permite pagar antecipadamente pelos serviços e em caso de revenda, valorizar o veículo com plano de manutenção ainda incluído. Além disso, pode-se também adquirir garantia de fábrica extra de 12 meses (quatro anos no total) ou 24 meses (cinco anos de cobertura), outro ponto que pode reduzir a depreciação na hora da venda.

fiat-toro-impressões-NA (7)

Impressões ao dirigir

Com boa impressão visual, por fora e por dentro, a Fiat Toro se mostrou um carro muito interessante ao dirigir. Sem dúvidas, o motor 2.0 Multijet diesel é a sensação maior do modelo, entregando 170 cv a 3.750 rpm e 35,7 kgfm a 1.750 rpm. Andamos inicialmente na versão Volcano, que naturalmente tem transmissão de nove marchas e tração 4×4.

O propulsor entrega boa disposição em baixas rotações e rapidamente ganha força, garantindo à Fiat Toro uma boa performance. A transmissão ZF 9HP tem tantas marchas que não engata a nona antes de 110 km/h. Quando entra, a rotação fica em apenas 1.600 rpm, o que é bom para consumo e conforto.

Mesmo sem modo Sport, o câmbio reduz três marchas quando se exige um pouco mais no pedal, elevando o giro e a resposta do veículo. Com o 4×4 engatado, a Toro muda muito pouco. Como não havia trechos de terra no test drive, não foi possível encontrar uma situação para usar o 4×4 com reduzida. O nível de ruído a bordo é bom e a direção elétrica é extremamente leve em manobras e firme em condução.

fiat-toro-impressões-NA (67)

Já a suspensão tem um ajuste mais firme. Nada de balanços exagerados como na maioria das picapes médias. A Fiat Toro é mais carro nesse aspecto que picape. É fácil perceber a traseira saindo, mas sua correção não exige muito do condutor. A estabilidade é boa, mas os pneus cantam facilmente em curvas mais rápidas. O conjunto absorve as irregularidades de forma razoável, exatamente por ser “mais no chão”. As mudanças manuais ajudam a extrair mais do motor, mas em realidade pouco utilizáveis no dia a dia.

Logo depois, partimos para a Freedom 1.8 Flex. Como já se sabe, a Fiat decidiu colocar sua única opção bicombustível – no caso da Toro – com transmissão automática de seis marchas. A montadora realizou mudanças no E.torQ, permitindo ao motor obter mais torque e disposição em relação ao usado no Renegade. São 135/139 cv a 5.250 rpm e 18,8/19,3 kgfm a 3.750 rpm. Apesar do ajuste, ele ainda se mostra pouco para as pretensões da Toro.

Por trabalhar em regimes mais altos, por conta dos 1.500 kg da Toro e de seu ciclo Otto, o 1.8 Flex gera um nível de ruído maior, que quando exigido com vigor, acaba incomodando. Notamos um ruído pouco comum nas acelerações, mas nada preocupante. O câmbio de seis marchas está bem ajustado e consegue manter o E.torQ em ritmo adequado na maioria das situações.

fiat-toro-impressões-NA (74)

O uso dos paddle shifts é um pouco mais útil que no diesel, exatamente para poder tirar mais do motor flex. Rodando a 110 km/h, a rotação ficou em bons 2.300 rpm. Para a cidade, a Toro Flex se mostra adequada, mas na estrada, a falta de força fica mais nítida. As retomadas são prejudicadas por conta disso. Um propulsor maior faria bem ao novo comercial leve da Fiat.

Por fim, andamos na Toro Freedom 2.0 4×2. Sem o peso extra de cardã, diferencial traseiro e semieixos, a picape diesel da Fiat apresentou um bom desempenho. Com transmissão manual de seis marchas, a picape cabine dupla responde rapidamente ao acelerador, entregando assim saídas rápidas e agradáveis.

As retomadas também são pontuais, superando a performance das demais versões. Um pouco mais longo que o automático de seis marchas, o câmbio manual permite manter 2.100 rpm a 110 km/h. Seus engates são macios e precisos, assim como no Jeep Renegade. Mesmo com tração dianteira, a Fiat Toro 2.0 4×2 mostrou-se bem equilibrada e agradável de dirigir. A Freedom 2.0 4×4, igualmente manual, ficará para uma futura avaliação NA.

fiat-toro-impressões-NA (69)

De forma geral, o comportamento da Fiat Toro agradou. Mostrou-se um veículo apto a oferecer uma condução próxima ao de um automóvel, mas com a vantagem de ter capacidade de carga maior e a robustez de uma picape. Somente com uma análise durante a Avaliação NA, poderemos ter um parecer melhor sobre as capacidades da nova picape.

De imediato, a impressão foi muito boa. A marca italiana decidiu partir para um produto realmente novo e com potencial de estar em mercados maduros, sem demérito algum para sua fabricação nacional. Estilo, acabamento, tecnologia e segurança são os pontos fortes, ainda mais reforçados pelas opções variadas de câmbio e tração. O motor diesel 2.0 Multijet é, sem dúvidas, um plus para um segmento que ainda explora bastante o propulsor flex.

Galeria de fotos da Fiat Toro:

Viagem a convite da Fiat.













  • Vinícius

    cara mas que layout é esse? É só um erro no site ou mudou pra assim definitivamente?

    • Marcelo Barganha

      Péssimo esse layout! Horrível!

  • Alexandre Maciel

    Poxa… eu acho que esse motor 1.8 nesse carro deve servir para carregar isopor. Só pode.

    No final das contas é capaz de pessoas que nunca, jamais, em hipótese alguma carregarão peso ali no compartimento traseiro comprarem essa versão flex, o que é uma lástima e só estimula os fabricantes a lançarem produtos com motorização inadequada.

    • Lipe

      Quem quer mais motor tem a diesel

      • Alexandre Maciel

        Quem quer motor seria a colocação correta.

        Qual a proposta desse tipo de veículo e desse compartimento de carga? Desculpe-me mas a sua resposta é exatamente o tipo de postura de que a Fiat precisa para justificar a venda desse carro pesado, voltado para o transporte de carga, com esse motor incompatível.

        • Lipe

          A proposta é passeio + carga leve (pelo menos para a maioria, penso eu)
          Quem quiser carga pesada e atoleiro existe o diesel 4×4
          O bom é ter opção

          • Alexandre Maciel

            Sabemos que esse não é um veículo de passeio. De fato é um utilitário. Carga leve também não exige compartimento de grandes dimensões, o que é o caso do Toro. Aliás, não achei as informações do peso do veículo mas pelo relato do NA já se percebe que até para passageiros o motor não é competente.

            Concordo que o bom é ter opção. Portanto, se resolveram oferecer uma versão flex, que tivessem colocado um motor que conseguisse carregar os passageiros e carga ainda que razoável. Afinal, quem precisa carregar carga leve compra um carro de passeio convencional.

            Desculpe-me novamente mas não há como justificar essa motorização para a proposta do carro.

            • Lipe

              Sabemos que o proprietário pode dar a destinação que ele quiser…
              E a maioria vai usar a passeio, pelo menos a flex

              Porém, concordo que o peso (1600kg) vai fazer o consumo ser alto. Com 4 pessoas e malas ela vai beirar as 2t

              • Alexandre Maciel

                Eu não falei em proprietário e destinação. Eu falei em proposta do tipo de veículo. Cada um pode fazer o que quiser, isso é óbvio. Eu mesmo posso comprar um Fusca Fafá de Belém e transformar num conversível. Posso cortar um Corcel 1 e transformar em veículo utilitário.

                Se a maioria vai usar como veículo de passeio, você só corrobora o que falei no primeiro comentário:

                “No final das contas é capaz de pessoas que nunca, jamais, em hipótese alguma carregarão peso ali no compartimento traseiro comprarem essa versão flex, o que é uma lástima e só estimula os fabricantes a lançarem produtos com motorização inadequada”

                Em suma, continuo achando uma lástima visto que estimula esse tipo de aberração.

                p.s.: com passageiros e um pouco de carga ele vai se arrastar.

                • Lipe

                  Não vejo lástima nenhuma em não utilizar o potencial de carga/trabalho do carro.
                  Um carro é muito mais que a destinação final de transportar pessoas… Envolve a questão da satisfação. No mais, é um bem de consumo, um produto no mercado que serve para agraciar a pessoa que compra, e isso vai bem além da mera utilidade de transporte.
                  Essas picapes passam uma imagem que agrada a muitos, mesmo não precisando transportar cargas.
                  Ferrari em sua grande maioria são vendidas (e compradas) pela imagem. Range Rover etc. Praticamente ninguém utiliza todo o potencial esportivo e off-road desses carros, respectivamente.
                  Por fim, fica uma imagem para provar o que estou dizendo. Veja que belo “carro de trabalho”:

                  • Alexandre Maciel

                    Cara, sério que você está argumentando fora da objetividade inserta no tipo de veículo para justificar esse motor 1.8 insuficiente para a proposta?

                    Arranje um argumento técnico que justifique esse motorzinho nesse tipo de proposta e eu me dou por vencido. Até lá, você continuará com argumentos SUBJETIVOS e eu os retrucando. Simples!

                    • O pessoal sempre fala “quem quiser compre a Diesel”. Ai eu me pergunto, custa o mesmo preço? kkkkkkkkk. Isso é o mesmo de lançar uma Ranger com motor 1.6 por 80 mil, ou seja, igual um pato, nao nada, nao voa, e ainda custa caro. Toro flex pesa algo de 1500 kg sem opcionais. Se colocar 4 pessoas (4×80=320kg), e malas pequenas (4×50=200kg), peso total do carro será de 2020 kg. Com esse motor 1,8 ponei, vai arrastar feito jacaré. POREM, nao é sempre que a pessoa vai levar tudo isso de gente, portanto é um veículo com uma certa utilidade. Mas pelo alto preço cobrado na bananalandia, deveria vir com 1.4 turbo. Contudo pelo mesmo fato de ser na bananalandia, engulem 1.8 durex por altos 76 mil Hueais. kkkkkk

                    • Alexandre Maciel

                      Obrigado por entender exatamente o que digo desde o comentário inicial.

                    • Bruno Wendel Marcolino

                      Agradecer alguém por entender o comentário é f0da, mas acontece, tem cara que não entende mesmo.

                    • “Perguntador”

                      Concordo com o seu raciocínio. Mas “malas pequenas” pesando 50kg cada? As malas que eu uso são bolsas então. kkk

                    • Jose Silva

                      nem quando vou com minha família de 5 pessoas para Orlando conseguimos encher malas com 50kg de compras… Ignorância de hater é chata d+

                    • Quando pobre digita no teclado, eis o resultado.

                    • automotivo

                      Se é rico e tá digitando no teclado, por que no post da Toro, que não é carro de rico.

                    • Alex

                      Uma mala gigantesca que minha esposa sempre leva em longas viagens pesa até 30kg cheia. Já pesei pra ver, pq é difícil colocar ela no porta-malas. 50kg já não é mala, é saco de ração.
                      Minhas malas pequenas raramente ultrapassam 10kg.

                      – Aqui em casa as 4 pessoas pesam no total 260kg;
                      – Juntas, as malas não chegaria nem mesmo a 100 kg.

                      Logo vejo carga total de no máximo 360kg para minha família. Algo aceitável para qualquer carro e que não faz tanta diferença assim para um motor eTorq 1.8. Claro que o veículo levará 2 segundos a mais para fazer 0 a 100. Mas e daí? Isso realmente importa?
                      A retomada importa, e alguns segundos podem ser vitais. Mas nada que ultrapassagens programadas e uma viagem tranquila e segura não resolvam.

                      A maioria das pessoas aqui acham que todo carro tem que ser rápido. Se vc tem 76 mil e quer uma pickup rápida, melhor comprar alguma pickup média flex usada, como uma Triton V6 ou S10 2.5 Flex. Já que comprar uma Toro diesel por esse preço não será possível. Não tem receita milagrosa no Brasil que envolva 76 mil com diesel e desempenho.

                    • Artur

                      Mas as picapes médias também têm suas versões flex com desempenho apenas satisfatório e consumo exorbitante. E elas são o mesmo preço de suas versões diesel?

                    • Luis LC

                      Mala pequena 50Kg?? Uma grande deve pesar 25Kg, por ai….

                    • 25 kilos é saco de arroz japones kkkkkkk.

                    • Alessandro

                      O motor não é tão ponei assim não. Pelo menos não é como os E-torq antigos.

                    • Jose Silva

                      E quem comprar para rodar sozinho e carregar umas malinhas de vez em quando ? Suposição são suposição. 80% dos Brasileiros usam o carro sozinho e sem peso extra. 90% deles usam os carros na cidade com velocidades limitadas enter 40 a 60 km/h, que diferença faz uma diesel ou uma flex nessa situação ? Nenhuma, apenas o custo da compra, logo a flex atende 75% ou mais o seu potencial de público. O resto é mimimi de internet que não entra na vida real.

                    • automotivo

                      e uma boa parte não roda nem 10k por ano.

                    • Lipe

                      Ninguém tem que engolir nada, ninguém é obrigado a comprar

                    • Navaman

                      O critério é custo, que é o principal fator motivador de escolha de um veículo pelo consumidor. Afinal não há almoço grátis, a potência tem um custo. Quem pode pagar mais, tem mais (com o Diesel).
                      Não nego que a relação peso potência é pobre, mas a FIAT utilizou o motor a gasolina mais potente que fabrica no Brasil.
                      Também concordo que já deveria ter uma opção de motor um pouco mais potente para atender a dupla Toro/Renegade.

                    • Alexandre Maciel

                      O critério é custo? E o que a Strada 1.8 por 62 mil e pouco está fazendo no catálogo da Fiat? Quem precisa de um utilitário com certeza não se renderá à ineficiência desse motor nesse veículo pesado.

                      No mais, como você disse, já deveria haver uma opção de motor decente para Toro/Renegade.

                    • Marcos Souza

                      Amigo, entenda uma coisa. Talvez pra VC o motor seja insuficiente. Mas isso não quer dizer que pras outras pessoas seja insuficiente também.
                      Tem gente que compra prisma 1.0, enche de mala +5 pessoas e sai viajar. E quem disse que pr a esse comprador do prisma o carro não atende as necessidades dele?
                      Não saiu nenhuma avaliação falando quanto a toro gasta de tempo pra fazer de 0 a 100. Se for 10 ou 15segundos, pra 90% da população não vai fazer diferença, pq se o cara quer um carro espaçoso pra viajar com a família, ele não vai sair por aí pisando como um louco.
                      Se o motor é insuficiente pra transportar carga o dono dela pode trocar por uma s10 2.4, por exemplo. Ninguém ta obrigando ninguém a comprar a fiat.
                      E quanto ao consumo, não saiu avaliação nenhuma, mas te garanto que quem quer uma pickup flex não ta muito preocupado com o consumo.
                      A diferenca do preço entre a diesel e a flex é tão grande que mesmo que a diesel seja muito mais econômica, vão ser necessários uns 4 anos pra quem comprou a diesel reaver a diferença em economia no posto. Isso sem contar o seguro. Então, o que eu quero dizer é que pra VC talvez não seja suficiente o 1.8 flex, mas pra 90% dos compradores dela, ele vai ser.
                      Eu teria uma tranquilamente, mesmo que só fizesse 0 a 100 em 15segundos.

                    • Alexandre Maciel

                      Eu desde o início estou falando em termos objetivos. Se atender a alguém, ok, mas isso não torna a motorização adequada para a proposta. Foi o que falei na primeira mensagem, rapaz. E só! É só subir a tela e ler. Que coisa difícil de entender.

                    • Marcos Souza

                      Termos objetivos…ta deixa eu tentar te explicar…a toro é uma pick up que não tem a motorização ideal para ser uma pickup? Certo?
                      Então vou te dar um exemplo: montana 1.4.
                      Pesa 1116kg e tem capacidade de carga de 735kg. Combinado carga+peso=1851kg. O motor tem só 105cv. O que da uma relação de 17,62kg/cv.
                      A fiat toro 1.8 tem 1500kg e na versão flex a capacidade de carga é 650kg. Se fizer as contas, vai ver que a toro tem uma relação de 15,46kg/cv.
                      Ou seja melhor do que uma montana 1.4.
                      Ou seja, objetivamente, a motorização é suficiente para pickup…a proposta da toro é uma pickup!

                    • Alexandre Maciel

                      Não por outro motivo o público da Montana não viu com bons olhos quando a GM tirou o motor 1.8 daquele belo modelo anterior. E, só corrigindo, a Montana hoje tem 99cv com etanol. Vale lembrar, também, que a Montana usa motor 8v, dando o torque em baixas rotações, e oferece lugar para 2 ocupantes, bem como a capacidade de carga de 768Kg é o limite para o veículo sem AC e direção hidráulica.

                      Você também se esqueceu de observar que a Toro é um veículo que supostamente, além da carga, carrega 5 pessoas.

                    • Marcos Souza

                      Se quiser, eu faço a mesma linha de pensamento pra strada 1.4.
                      Quanto a o fato de esses motores serem 8v, existe comando variável de valvulas. Pelo fato de ser cabine dupla. Não se esqueça que também existe strada cabine dupla. A concorrente direta da toro é a oroch que tem pouca coisa a mais de potência e um câmbio at de 4 marchas…
                      Vc ainda não me deu nenhum argumento além dos seus achismos…não tem uma análise técnica do 0 a 100 por exemplo.

                    • Alexandre Maciel

                      1. A Strada 2P tem o motor 1.8 por 62,7 mil. Tem também a opção 3P com motor 1.6 por 61 mil e pouco. A opção 3P com motor 1.8 custa 69 mil.
                      2. A cabine dupla tanto na 1.6 quanto na 1.8 com certeza tem muito menos impacto por conta do peso do carro, o que é óbvio.
                      3. A Oroch pesa menos na versão 2.0 do que a Toro e tem mais potência (1.346Kg).
                      4. Você fez o teste de 0 a 100 na Toro? Eu nem estou discutindo competência da aceleração do veículo. A questão é eficiência na entrega do torque para mover um veículo pesado e com finalidade de transporte de carga, que é como se define uma pick-up. Por mais que tenha comando variável, no comparativo com o motor 8v sabemos que sem turbo não há como fazer milagre em motor 16v.
                      5. Se a finalidade não é carregar nada, que façam como a Renault e mudem a classificação do veículo.
                      6. Não defendo nem Oroch nem Toro nem fabricante algum.
                      7. Tudo o que contraria a opinião de alguém aqui no NA agora é achismo.

                    • Marcos Souza

                      1 e 2) a toro 1.8 é a versão de entrada. Deve ser comparada sempre com a versão de entrada. Mas concordo que a strada cabine dupla 1.8 anda mais.
                      3. O grande problema da oroch é o câmbio at de 4 marchas. O de 6 marchas vai dar mais agilidade ao veículo.
                      4. Estou falando da aceleração, testes de medição pq esses sim serviriam de parâmetros para uma análise mais detalhada.
                      5. Essa ideia de que quem tem pickup é pra carregar carga é a mesma coisa que falar que só quem viaja toda semana com várias malas pode ter um sedan. Se for pela sua linha de pensamento, quem roda só na cidade com no máximo sua mulher deveria comprar apenas um smart que tem dois lugares. Convenhamos que brasileiros não tem condição financeira de ter um veículo urbano e um veículo para ir a chácara ou viajar. Por isso é bom ter um veículo que atenda as duas necessidades.
                      6. Também não defendo nenhum fabricante, só acho que VC quer impor a sua vontade como se fosse uma verdade absoluta. E acha que quem compra uma pickup pra viajar as vezes ou coloca 3 malas e quer viajar não pode ter um carro desses.
                      7. Achismo é dizer algo sem ver números de testes especializados. Tenho certeza que os donos do blog que andam em vários carros diferentes podem dar uma opinião muito melhor do que eu ou VC.

                    • Alexandre Maciel

                      De forma alguma, cara. Tanto não quero impor que no meu comentário inicial eu disse que é o tipo do versão, com esse motor, que foi feita não para atender propriamente ao propósito da pick-up. Eu não tenho qualquer crítica a quem compra o veículo mesmo sabendo que ele não atende plenamente ao fim que a categoria em que se enquadra propõe.

                      Eu só não acho interessante aceitar esse tipo de prática e por isso lastimo. Nada mais.

                    • marcelo

                      A Oroch já tem câmbio automático? Certeza que não!

                    • marcelo

                      A capacidade total de carga já contempla os passageiros.

                    • automotivo

                      Aí custaria um pouco mais, afastando, um bom números de possíveis compradores.

                    • Diego Sangi

                      faz o seguinte cara compre um golf 1.6 encha o mesmo com mais 4 passageiros e malas e vá viajar. Pois para vc somente esta seria a função do carro.
                      Depois venha nos dizer se o motor é adequado.
                      Aposto que vai dizer q quem quer mais motor pode comprar o 1.4 tsi.
                      Mas como o carro é da fiat, tem que criticar, não é mesmo?

                    • Alexandre Maciel

                      Não tenho predileção por marca. Sou apenas realista. Isso lhe ofende? Você tem a opção de não ler o comentário. Ou vai prosseguir para chegar ao ponto em que a conversa sai do plano de argumentação fática para o argumento ad hominem?

                    • Diego Sangi

                      Realista?
                      As pessoas compram os carros que querem, e as montadoras procuram oferecer o q as pessoas querem.
                      É fato que muitos compram esses carros sem precisar da caçamba, para estes existem as versões 1.8. E se o indivíduo quer algo realmente forte existem as versões a diesel.
                      Aí vem dizer que o carro é caro. Daí pergunto, quantos e quais são os carros que carregam 5 ocupantes, automáticos, com motor 1.8/1.6 e com controles de estabilidade que compramos por 76 mil no Brasil?

                      A vontade de criticar é a que sempre prevalece, principalmente se for fiat, hyundai e peugeot.

                    • Alexandre Maciel

                      A vontade de ser objetivo é o que prevalece. E pelo visto esse é só mais um comentário que diz: “cada um faz o que quer com o seu dinheiro”.

                      Se o indivíduo não precisa da caçamba, seria recomendável adquirir um carro de passeio. Se a Fiat lança um veículo com caçamba e diz que ele tem capacidade de carga, O CORRETO é que o motor seja suficiente para atender com adequação a proposta a que se propõe e para possibilitar ao proprietário o uso pleno do bem, coisa que com certeza será bem difícil de ocorrer com esse 1.8.

                    • Diego Sangi

                      Já carreguei bastante café em uma strada 1.4 na roça, e isso sem o menor dos problemas e ainda criticava bastante o meu pai por fazer o mesmo com muita sobrecarga. portanto não vejo motivos para que essa 1.8 não possa fazer o mesmo.
                      A strada sempre cumpriu bem o papel de levar a carga que meu pai precisa mas só leva dois ocupantes o que sempre foi um problema quando ele e minha mãe precisavam levar mais alguém em um passeio.
                      Agora a toro 1.8 tem a caçamba maior q a strada cabine simples e carrega 5 ocupantes quando necessário, ou seja seria perfeita para o uso de pessoas como o meu pai.
                      Bom, vou recomendar a compra, acho um bom custo benefício, enquanto isso vc critica e diz que o uso aqui no site.
                      provavelmente vc tem boa experiência.

                    • Marcos Souza

                      To achando que certos comentaristas já estãorodando com a toro há mais de um ano pra criticar a motorização com tanto afinco

                    • Diego Sangi

                      Pois é cara. Se existem carros 1.0 andando c 5 pessoas pq um 1.8 não pode carregar carga e ainda servir p passeios c conforto e desempenho razoável.

                    • T1000

                      pois é, também não entendo. O pessoal critica a Toro 1.8, mas esquece que a strada é a pickup mais vendida, sendo a maior parte 1.4 que, embora não tenha um primor de desempenho, atende perfeitamente seu propósito.

                    • Lipe

                      Se o indivíduo não precisa da caçamba, vc não tem que recomendar nada

                      Se ele acha bonito e legal, massa, maneiro, da hora, ele compra…

                      O cara pay day pra sua opinião… Não existe correto e errado

                      Vejam se vcs entendem: não existe ética na hora de escolher um mero bem de consumo no mercado…

                      Cada um compra o que quer… Abandonem esse socialismo, essa padronização de comportamento

                    • Alexandre Maciel

                      Seu linguajar debochado é engraçado e ridículo ao mesmo tempo. Se não consegue educação e urbanidade ao comentar, melhor aprender.

                    • Lipe

                      E se eu não aprender?

                      Vai chorar?

                      kkk

                    • Alexandre Maciel

                      Nada… o mundo das pessoas comuns ensina que há imbecil em todo e qualquer lugar.

                    • automotivo

                      o pessoal aqui da regiao ainda costuma usar uma ´´mola extra´´ de caminhão para poder carregar os 1000kg numa strada, e leva. Não sei onde vc mora, mas já deve ter visto aquele pessoal que vende redes, eles atravessam o país inteiro com stradas carregadas com 1000 kgs do produto.

                    • Lipe

                      Cara
                      É um carro (= geladeira, tv, celular, roupa, casa, apto)
                      Quem quer compra
                      Uma empresa como a Fiat não vai lançar um carro que vai “pro cepo” numa ladeira
                      Por outro lado, quem não quer, não compra
                      Quem quer mais motor, é óbvio que enxerga que uma picape 1.8 não vai ter emoção nenhuma.. E parte para a 2.0 TD

                      Existe s10 flex 2.4, 2.5. Ranger 2.5 Hilux 2.7, L200 2.4… Todas são “fracas” perto das diesel, 40k mais caras em média
                      E ninguém fica chorando. Quem quer compra.. Quem não quer (acha fraca, gastona etc) não compra
                      O importante é ter opção mais acessível, oportunidade de escolher

                      Essa é a única argumentação possível… O resto é papagaiada de vcs

                    • Alexandre Maciel

                      Não falei de emoção, não falei de velocidade, não falei em satisfação pessoal, não falei em ponto de vista subjetivo, não tratei do uso de cada um particularmente, só falei em adequação para utilizar o veículo em sua plenitude.

                      Se você não consegue manter a urbanidade quando comenta a opinião alheia, acredito que deveria aprender como fazer. Melhor do que ficar com “papagaiada” típica de quem não gosta de ser contrariado.

                    • Lipe

                      “adequação para utilizar o veículo em sua plenitude”

                      kkk que papo mais furado… Deixa isso para a engenharia da fábrica

                    • Vinicius

                      Cara, de boa. Sou prego no que diz respeito a carros, pouco mais de 1 ano de carteira. Já chegamos a ter Fusca TSI e Mille Way, Amarok e o Mille, e hoje temos a Amarok, o Mille e um Renegade Diesel. São 3 carros totalmente diferentes, de faixas de preço opostas, mas cada um é bom para o que foi feito para fazer, e cada um tem seu público alvo, talvez você não seja o público alvo da Toro Flex. Entenda, no mercado existem uma infinidade de opções, cada um sabe qual melhor se enquadra no seu uso.

                    • idventura

                      Entendi seu argumento e concordo plenamente com ele,
                      Alexandre; é simples: se o carro tem uma caçamba, tem de ter motor eficiente pra andar com essa caçamba cheia, ainda que boa parte dos usuários dela vá andar com essa caçamba vazia; o carro tem de atender àquilo a que se propõe. Isso é límpido, cristalino. Quem não quer entender sofre de miopia cerebral, e nada do que você fale vai mudar isso.

                    • Lipe

                      Cara quanto mimimi
                      Quem dirigir e gostar compra
                      Quem achar bonito e quiser compra
                      Quem achar feio e mesmo assim quiser, COMPRA
                      QUEM QUISER COMPRA
                      MIMIMIZENTO

                    • Alexandre Maciel

                      Mimimi? Eu manifestei minha opinião… você ficou “afetado”. Onde está o mimimi? Mantenha a postura. É simples. Basta respeitar o próximo.

                  • Pedro Rocha

                    Quem compra carro com base apenas em critérios técnicos são as Forças Armadas. Se todos fossem assim, o maior carro que veríamos na rua com frequência seriam as station-wagons.

                    • Fabricio Conchon

                      excelente! Se critérios técnicos e números de super trunfo servissem pra todo mundo como únicos requisitos na escolha de um carro… O que seriam dos conversíveis… Quem andaria de carro esportivo? (se há limites nas vias)….

                    • Lipe

                      Kkkk verdade

                  • Fernando

                    Concordo!

                • Fernando

                  Desculpe, mas lendo seus comentários na minha opinião vejo que você está tendo um pensamento muito racional para comprar apenas um carro.

                  Na sua tese compra esse carro da fiat só quem precisa transportar carga. Essa sua teoria é furada.

                  É o mesmo que falar para alguém porque comprar um apto de 150m2 se só vai morar 1 ou duas pessoas?

                  Ou então porque comprar 5 calças para usar se você tem apenas um par de pernas?rs

                  Nem todas compras tem que ser pensadas da forma racional. Compra-se por gosto pessoal. É isso não há problema algum.

                  Se eu gostei da Toro, mas não usarei para nada ela pra transportar coisas então eu não posso ter uma porque eu não vou usá-la a priori de sua existência (carregar coisas)?

                  Cada um compra o que quiser, como disse acima, alguns compram um apto grande porque tem família grande, e outros que moram sozinho, compram o mesmo apartamento porque gostam de espaço, luxo e exclusividade em ter espaço.

                  Cada pessoa tem seus gostos e necessidades. Se você compra apenas pensando com razão, respeite quem não compre assim caro colega. :)

                  • Artur

                    Concordo plenamente com você, amigo!

                    • Fernando

                      Obrigado =D

                  • Anderson

                    Hahahah até que enfim alguém sensato, bons os seus argumentos pra tentar explicar pra ele. O cara ali parece que não vai nem dormir hoje porque a fiat lançou um veiculo com motor fraco kkk, que “foi feito pra carregar peso”.

                    • Alexandre Maciel

                      Bons argumentos subjetivos que só reforçam que, objetivamente, não há o que se possa falar para justificar o motor 1.8 insuficiente para o carro. Eu até agradeço por corroborarem o que estou dizendo quando fogem do critério objetivo da proposta do veículo.

                    • Lipe

                      Sabe a justificativa pra comprar?

                      GOSTAR

                      E ter DINHEIRO
                      (cash, money, bufunfa, mascada, louva deus, cascalho.. conhece???)

                      O resto é papo de perdedor

                    • Alexandre Maciel

                      Argumento de vaidade, totalmente técnico, não é? Desculpe-me por lhe contrariar. Infelizmente eu me esqueço de que há pessoas que parecem viver num mundo ideal. Tsc…

                    • Vinicius

                      Mais uma vez….

                      Sprinter 312 CDI, deve ter por volta dos 115 cv
                      Huyndai HR 85CV
                      Kombi Flex 75 CV

                      Todos esses veículos atendem perfeitamente seus proprietários na proposta que foram feitos. E outra coisa, te garanto que essa Toro anda tranquilamente a mais de 150km/h, Não temos estradas para mais que isso, e não é um carro para track day, então está matado a charada

                    • T1000

                      strada 1.4 – 80cv

                    • Fernando

                      hehehe… obrigado.

                  • Alexandre Maciel

                    Não é um pensamento racional. É um raciocínio objetivo. Se você, por suas preferências pessoais, de caráter totalmente íntimo, acredita que deve comprar esse veículo na versão flex, eu o respeito. Cada um compra o que quer assim como eu posso procurar um Corcel II e transformar em utilitário.

                    Mas, objetivamente, o motor é insuficiente para a proposta do carro.

                    • Fernando

                      Eu concordo contigo, em partes.
                      O motor dela na versão flex pode nao ser o melhor para a proposta do carro (carregar coisas), mas aí eu te pergunto: Quem disse que a maioria das pessoas vai usar ela para carregar coisas?

                      Se um dia eu ter uma, meu trabalho nada tem a ver com transporte de carga, teria por gosto estético apenas, design e nao por seus atributos funcionais.

                      Na minha opiniao, a maioria desses carros aí é pensado para rodar na cidade e carregar compra de supermercado, essa que é a verdade. Para quem precisa do carro para carregar peso de verdade, que pague mais e leve a versão a Diesel. É simples, basta pagar mais pela versão “carga pesada”rs…

                    • mariostefa

                      Quanto te pagaram prá vc dar e ficar insistindo nestes seus argumentos ??
                      Quem gostar e tiver dinheiro, vai lá e compra. e ponto final. JA CANSOU.

                  • edbil

                    Fernando, mas daí, usando seu último parágrafo de respeitar o ponto do outro, você deveria ter redigido também a defesa do outro ponto buscando coerência.

                    Tem gente que vende sua casa e compra apto porque não quer residência grande demais sem necessidade. Nínguem é o cebolinha para usar a mesma roupa todas as vezes .

                    É como você diz, como cada um compra o que quer, o Alexandre pode comprar um carro baseado na necessidade e não em qualquer critério subjetivo e sem explicação aparente.

                    • Fernando

                      Sim. eu respeito o ponto de vista do Alexandre, nao o estou criticando, apenas fiz uma observação que ele estava implicando com uma característica do carro que ao meu ver é desnecessário.

                      Ele pode nao concordar que o motor flex nao seja a melhor opção. Para isso, há o Diesel. Só pagar mais para levar nessa versão. Se nao tem como pagar, não compre o carro. Olhe a concorrencia.

                      Eu tambem acho que o que a Fiat faz, e as outras montadoras fazem, empurrando motores antigos e repaginados para nós injusto, mais vou fazer o que? Nao posso fazer nada, entao, se ficar lamentando nao vai resolver, prefiro pensar da forma como comentei.

                      Carro é algo muito peculiar. É igual mulher. Voce olha para uma ao seu lado e pode achar uma baita gata, e me falar dela, e eu olhar, e achar apenas bonitinha. No fim, o que importa é cada um ter ou comprar o carro que bem entender e ser feliz.

                      Se eu pudesse comprar hoje a versão da Toro flex, me atenderia plenamente e me deixaria muito satisfeito, uma vez que iria usar o carro apenas para uso pessoal, e nao para trabalho, logo a sua função de carga para mim seria descartada. E voce poderia me perguntar: Porque comprar esse carro entao? Eu te responderia que gostei do design dele e é isso. :)

                  • idventura

                    Tudo certo, mas isso não invalida o que Alexandre disse; não é dos possíveis compradores que ele fala, é da adequação do carro à proposta; se tem uma caçamba, a proposta é carregar peso, portanto tem de ter motor adequado à proposta, que pode ser sim um motor flex, uma opção menos cara, mas deveria ser um motor com mais força (1.4 turbo, talvez); assim, mesmo aqueles que quase nunca o utilizarão com muito peso, poderão fazê-lo, caso a necessidade surja.

              • Doccar

                Esse motor e-torq da decada de 90 que a Fiat implementa em 90% da sua linha esta obsoleto sim, e nao existe argumento que justifique a sua permanenca ha tanto tempo, ainda mais qdo usado em carros modernos como Renegade e a Toro…

                • Lipe

                  Se for pensar assim, regredindo ao projeto, todo carro é descendente do Ford T
                  Não interessa quando foi planejado o motor
                  Ele passou por melhorias
                  Só os testes dirão

              • fbl

                As stradas e saveiro flex somente sao usadas para passeio ne? Pelo visto vc entende mto pouco de picape. Obvio que muitos vao usar para trabalho e nao quer dizer que queiram carregar necessariamente os 1000kg da muito mais cara a diesel. Questionar se esse motor 1.8 notoriamente subdimensionado da fiat mais uma vez é ate burrice. Nao demorar e sera oferecida coisa bem melhor do que ele, como existem nos mercados desenvolvidos.

                • Alexandre Maciel

                  Exatamente, cara. O povo se esquece da Strada 1.8 que é mais barata e com certeza tem desempenho para a proposta melhor do que essa invenção aí da Fiat. Aliás, não duvido que até a Strada 1.6 se saia melhor do que a Toro 1.8 quando se trata da finalidade para a qual o utilitário foi criado.

                • Lipe

                  Muitas strada e saveiro são usadas para passeio
                  Porém é lógico que outras muitas são a trabalho… na empresa temos 8 working 1.4
                  Acho que entendo, meu pai está na terceira hilux, meu sogro tem uma frontier e uma ranger xlt… Ranger para passear e Frontier para o sítio

                  Saiam da internet e vão um pouco pra vida real

                  • fbl

                    Pra ta falando tanta asneira definindo a 1.8 como carro de passeio somente deve ter esquecido entao da familia picapeira. O papagaio e seu ramster devem ter picapinhas tambem ne.

                    • Lipe

                      Levou pro lado pessoal
                      Coitadinho, tá se sentindo acuado
                      Vai chorar?

                    • fbl

                      Mimimimi so fala besteira o frotista rsrsrs

            • Juliano

              Respeito sua opinião, mas nem todos compram carro para sair apostando corrida e queimando pneu nos sinaleiros.

              Volume não tem relação com peso, e essa caçamba maior é uma proposta muito interessante para quem precisa carregar volumes maiores, sem ser carga pesada.
              No meu caso (dia a dia carrego caixas grandes e não pesadas, e finais de semana costumo ir para a praia) a 1.8 já seria suficiente.

              Achei o torque suficiente, o desempenho dela deve ser próximo a de um carro popular 1.6.
              Quem precisa carregar maior peso ou tem mais desejo por motor torcudo, a Fiat disponibiliza o motor Diesel. Ou seja, há adequações a todos os gostos e, principalmente, bolsos.

              • Alexandre Maciel

                E quem falou em corrida? A própria Fiat tem a Strada 1.8 por 14 mil a menos e com capacidade de carga maior. Como se explica essa “pickup” com esse motor que não atende ao propósito do carro?

                E essa conversa de “quem precisa carregar peso maior compra a versão a diesel” só pode ser uma piada. São 30 mil de diferença.

            • Artur

              Vai chegar logo logo a versão com o 2.4 Tigershark. Só acho que o preço vai ser próximo às versões diesel e, portanto, não sei se vai compensar…
              De qualquer modo, a versão flex é homologada para carregar até 650kg. Deve ter desempenho semelhante à Oroch com motor 1.6 – ou seja, dá pra andar, mas sem qualquer “emoção”.

              • Alexandre Maciel

                Dá para se arrastar, né? Hehehe… no final das contas não vai cumprir o propósito do carro de forma adequada. Sem contar que a Fiat tem a Strada 1.6 (além da Strada 1.8 por 62xxx reais) para atender a proposta de pouca carga e não duvido que ela se saia melhor do que a Toro com esse motor 1.8.

                • Alessandro

                  Você já dirigiu uma com 650kg de carga para falar assim?! Moro perto da Fiat, e o que já vi de engenheiros testando ela dia e noite pro lançamento foi tenso! Por certo ela está bem dimensionada.

                  • Alexandre Maciel

                    Com carga plena dia e noite? Hahahaha… rapaz, responder perguntando é uma coisa curiosa.

                  • idventura

                    Rapaz, você afirmar que a Toro “por certo está bem dimensionada” só porque viu engenheiros testando é igual à piada do garoto pobre que diz que um sorvete é gostoso “porque viu alguém tomando”!

                • T1000

                  E a strada 1.4, que é a mais vendida? Ninguém reclama.

              • Pedro Rocha

                Há espaço para as 3 motorizações, já que o Tighershark 2.4 virá com câmbio AT9 provavelmente com preço inferior a 4×4 MT6. Nesse caso, cada uma vai atender a um público diferente e a Volcano ficará acima consolidando todo o potencial do modelo, como no Renegade Trailhawk.

                • Artur

                  Também acho.

                • O_Domador_d_Xana

                  por favor, qual ou quais as fontes acerca dessa motorização tighershark 2.4?

                  • Lipe

                    Não vai ter esse motor, paga muito imposto

                    No máximo um 2.0 16v com uns 150, 160cv

                    Mas o problema é de onde a Fiat vai tirar, porque faz anos que ela usa motores de terceiros aqui no BR

                    • SDS SP

                      Trabalho como fornecedor da FCA e a mesma está testando o 2.4L TigerShark em dyno de bancada e provavelmente já tenha veículos rodando no campo. Agora o que eu não sei qual plataforma irá receber o propulsor.
                      O propulsor a princípio virá do México.

            • Raimundo A.

              O engraçado nisso tudo e a análise feita pela Renault quando apresentou a Oroch, confirma o que vejo na prática, é que a grande maioria dos donos de picapes médias, incluindo aí as diesel com tração 4×4 que parecem trafegar apenas em vias urbanas (para quê diesel e 4×4 nessa situação?), a caçamba quase sempre está vazia ou mal chega a metade da capacidade.
              Quem de fato compra picape para uso pesado são pessoas jurídicas e residentes no campo, que costuma ter subsídios para a aquisição como tem os taxistas cujo fim principal é trabalho e não passeio.
              A Chevrolet vende a S10 Flex de motor mais fraco e criou depois a Flex mais potente que não tem AT. A grande maioria das S10 CD que observo são diesel, mas estão emplacadas na região metropolitana. Se os donos tem casa de campo ou praia, vão de vez em quando como era o caso de vizinho que teve três S10 CD, todas 4×4 diesel, sendo a última antes AT 4×4 sem o aumento de potência ocorrido poucos meses depois, e o mesmo disse que apenas duas vezes em mais de 5 anos usou o 4×4. A picape tinha uso comercial, pois levava peças de sistema de refrigeração da sua empresa.
              O Flex do Toro é declarado opção para quem não pode pagar pelo diesel mas gosta da moda de picape. Se o cara não tem consciência disso, então é desinformado. Claro, a Fiat poderia ofertar um motor flex mais potente, e parece que irá segundo algumas matérias estaria testando o 2.4 Flex 4×2 e 4×4 AT9. Todavia, nas médias, essa configuração flex mais potente é uma minoria porque o povo opta mesmo pelo diesel, sobretudo quem usa bastante o veículo. O cara paga a mais para ter mais desempenho num flex, porém com o consumo possivelmente maior, ao longo do tempo perde dinheiro comparado com a economia que poderia ter com o diesel, fora que sendo um produto de baixa saída, na hora de revender terá trabalho.

            • Jefferson

              Mas um motor mais potente, aumentaria o consumo. Olha, não dirigi ainda esse veículo com essa motorização, mas meu Renegade 1.8 Flex, com 4 ocupantes adultos e porta malas lotado, manda bem, principalmente em rodovias. Óbvio que não podemos exigir acelerações rápidas, mas para a condução normal, não deixa a desejar. Creio que nesse(a) Toro, seja ainda melhor.

          • Artur

            Exato.

        • Rodrigo

          E o mesmo motivo pelo qual a própria Fiat oferece Doblò e Fiorino com motor 1.4 de oitenta e poucos pocotós, uma porrada de fabricante vende sedã 1.0 aspirado, e por aí vai…
          Brasileiro é tonto. Engole tudo que empurram, acha legal, faz clubinho, paga 3 e leva 1 e por aí vai.
          Desde o descobrimento, quando os índios trocavam ouro por badulaques, só mudou que agora pagam à parte pelos cromadinhos.
          E segue o bonde, o ano começou essa semana e a galera esta contando os dias para o próximo feriado. “Tá tranquilo, tá favorável”

          • Artur

            Na Europa tem motores menores e menos potentes. Brasileiro só quer saber/falar de potência e desempenho, mas no final do dia se contenta em andar com seu carro 1.0 que, provavelmente, oferece desempenho pior do que o dessa picape em sua versão flex…

            • Rodrigo

              1. Não estamos na Europa, mas ainda que estivéssemos, desconheço que por lá um carro desse porte / peso / proposta teria motores aspirados dessa cilindrada. Se os tivessem, certamente com motorização turbo ou diesel.
              2. Não tenho carro 1.0, mas se o tivesse certamente seria um subcompacto
              3. Sabemos que carros com relação peso x potencia desfavorável (vamos colocar assim) andam boa parte do tempo com pouca carga, mas sabemos também que quando andam em plena carga lá se vai por água abaixo qualquer compromisso com desempenho e, principalmente, consumo. Portanto é o tal “me engana que eu gosto”.
              4. Não vejo outra justificativa, senão redução de custo (e ampliação do lucro) pela FCA em implementar esse motor no Renegade e Toro. Ao contrário do que dizem, não é o que o consumidor quer, mas sim o que a montadora oferece. E vendem/ venderão bastante apenas pela falta de opção (o diesel é bem mais caro). É o que tem pra hoje.

              • Artur

                Em resposta ao item “1”, lá na Europa tem Renegade com motor 1.6 Etorq.
                E essa desculpa do item “4” não calha. Todas as empresas buscam redução de custo e ampliação de lucro. Veja a VW e o vexame do Gol Comfortline automático com seu motor 1.6. Se bobear essa Toro anda mais que ele…

                • Quanto custa em euros o Renegade 1.6 com boa gasolina na zoropa? Eu aceito até Ferrari com motor 1.0 aspirado, desde que seja pagavel.

                  • Artur

                    Estamos falando de Brasil e aqui tudo é caro. Nada a ver com “preço x desempenho”. Então reclame de todos os carros, não só da Toro.

                • Rodrigo

                  Quando me referi a Europa, quis dizer sobre topografia, relevo, condições de estrada, comportamento da população, etc. Lá se o cidadão quiser ir ao campo ou à praia, não necessariamente precisa de um carro pra isso. Sem contar outros fatores (qualidade das vias, do combustível, etc.), por isso acho que a comparação não é apropriada.
                  Concordo com seu argumento, principalmente sobre o Golf 1.6 MSI, porém meu ponto é que uma postura “errada” (no sentido estrito de motor subdimensionado ao peso do carro) não justifica outra. É o mesmo que, analogamente, dizer OK para as falcatruas do PT porque o PSDB também as fazia quando era Governo Federal.

                • Fabricio Conchon

                  Aluguei carros na Europa com motor 0.9…

              • Matthew

                Essa questão 4 não é tão simples assim. O Tigershark entraria numa faixa de tributação maior por ser 2,4 litros, além do que ele não é produzido aqui no país. Em tempos de dólar alto e volátil complica a importação regular de um motor destes. Diante deste cenário, a empresa prefere usar o que ela tem na prateleira, no caso o E.Torq que está num bom estágio de desenvolvimento na Toro.

                • Rodrigo

                  Já foi noticiado que a FCA (Fiat aqui) estaria trabalhando no 2.0 Tigershark flex para a dupla (Renegade / Toro). O interessante é que, ainda que implementem em 2017, é prática usual da Fiat lançar um modelo e pouco tempo depois (<= 2 anos) mudar algo, prejudicando quem comprou.
                  Foi assim com Palio, Stilo, Linea e, mais recentemente, 500.
                  Eu se tivesse interesse em comprar uma Toro ou Renegade, seria mais um motivo para pegar a versão a Diesel (ou esperar o lançamento do novo motor).

              • automotivo

                lá tem motor fire ainda, e menos potente, assim como etorq

                • Rodrigo

                  Por favor, leia as respostas abaixo e entenderá.

            • Lima

              a resposta mais adequada a toda essa discussão.

            • Todo mundo falando de desempenho, mas a questao é desempenho x preço. No Japao tem picape com motor 0,66. Mas o preço nao custa 76 mil bananas, e sim 5500 dolar. Nao convertem a moeda. Me mostre alguma picape na Europa custando 76 mil euros. Existe Golf 1.2 turbo com menos de 100 cavalos na Europa? Sim. Preço pagavel, e nao 76 mil impagaveis.

              • Artur

                Amigo, todos os carros no Brasil são caros, sem exceção.
                Essa picape de entrada por esse preço até que está razoável, considerando que uma Strada ou Saveiro top chega bem perto disso.
                Ou você acha que um Golf 1.6 Comfortline por R$ 75 mil reais vale o que custa?

                • “Amigo, todos os carros no Brasil são caros, sem exceção.”

                  Podem fechar o topico. kkkkkkkk. Por isso que eu detono todos carros, mas tem o carissimo, caro, e menos caro. O chifrudo, ops Toro, está na categoria de “caro”. Mas vamos ser sensatos, se o proprio brasileiro nao dar valor ao seu dinheiro, quem vai dar? As montadoras estão ditando os preços, e num mercado sério ocorre o contrario. Ok, brasil nao é sério, mas ao menos poderia ser num misero forum de carro.

            • Lipe

              Pois é, na Europa o Renegade é 1.6

          • Alexandre Maciel

            Exatamente.

        • Gian

          Mas Alexandre: a grande maioria dos proprietários de picape não planeja transportar cargas pesadas e sim ter um veículo versátil.

          Já tive uma Strada 1.4 por gostar da versatilidade. As cargas mais “pesadas” que lembro ter transportado na caçamba foram: bicicletas, colchão de mola para uma prima, uma cômoda, uma poltrona para sala de casa, um lava-louças. Ou seja: foram coisas tranquilas, coisas de fim de semana.

          Só pra ficar claro, não estou te corrigindo ou discordando que a Toro merecia um motor maior.

          Estou apenas trazendo um novo ponto de vista: grande parte dos donos de picape (mesmo as médias) não utiliza como “carro de carga” e sim como carro do dia a dia com capacidade para eventualmente levar uma carga volumosa (não necessariamente pesada). Nas ruas vemos isso: picapes mais caras andam sempre vazias.

          • Alexandre Maciel

            Eu compreendo, Gian. Mas, como disse, o veículo, que é um utilitário, meio que perde a razão de ser se ele não é capaz de transportar carga. Por isso mesmo a Fiat tem a Strada, inclusive na versão 1.8, por 14 mil a menos e capacidade de carga similar à Toro.

            • Artur

              Correção: similar à Toro flex. A capacidade de Toro diesel é de 1000kg.
              A finalidade dessa Toro flex é atingir aqueles que querem ter uma picape média mas não querem uma picape muito grande, vão transportar carga apenas eventualmente e não se importam com desempenho.
              Não acho nada de errado nisso.

              • Alexandre Maciel

                Então o veículo atende ao gosto do adquirente, não a proposta para a qual foi criada, o que reforça o meu primeiro comentário.

                • Artur

                  E para atender a qual proposta a Toro flex foi criada? Atingir quem quer picape intermediária entre pequena e média, que vai transportar carga leve e apenas eventualmente e não se importa com desempenho, como já mencionei.
                  Não existe esse negócio de que “foi criada para ser utilitário”, porque tem as versões próprias para isso, com motor diesel e potência que dá e sobra para essa finalidade.

                  • Alexandre Maciel

                    Hahahaha… não existe esse negócio? Está lá no configurador: PICKUP! Simples constatação da realidade. O seu gosto pessoal pode discordar da realidade mas ela não deixa de ser verdade só porque você assim deseja.

                    • Artur

                      Ok, mas também não existe “SUV de shopping”? Tente colocar uma Ecosport numa trilha, por exemplo. É o mesmo fundamento. Não importa a categoria do modelo, mas os fins a que se destina.
                      Meu gosto pessoal não tem nada a ver com “realidade” a qual você afirma, que não condiz com a verdade.

                    • Alexandre Maciel

                      Não foi exatamente isso que eu falei no meu comentário inicial? E exatamente por vislumbrar o fim a que se destina é que esse carro não atende à proposta com esse motor.

                    • Artur

                      Ok, mas se for pra botar pra trabalhar na terra e transportar carga, é só adquirir a versão à diesel. Caso contrário, o cara tem a opção de comprar a flex. Não há nada de errado nisso.

                    • Alexandre Maciel

                      E qual a justificativa objetiva de se adquirir uma pick-up se a pessoa não vai transportar carga? Colocar uma paredinha de som? Fazer da caçamba uma piscina quando o carro estiver estacionado?

                      Cara, eu não promovi o carro como pick-up, não disse que ele tem capacidade de carga, etc. É o que estou falando desde o começo da conversa. A Fiat promoveu um veículo numa categoria com uma motorização inadequada para a proposta. Eu só estou falando isso e é exatamente por essa razão que não vejo como se pode justificar uma pick-up que não serve plenamente como pick-up.

                      A Fiat está correta em lançar esse tipo de carro porque vende. Isso do ponto de vista mercadológico porque o brasileiro aceita. Sob a ótica da função a que se destina, eu acho um absurdo porque a gente sabe que esse motor não garantirá ao proprietário o uso pleno do veículo de maneira adequada.

                      Ademais, a versão a diesel custa 30 MIL a mais. Enquanto isso, a Strada 1.8, a qual deve atender melhor a questão do transporte de carga do que a Toro, custa 14 mil a menos.

                    • Artur

                      Exatamente. O cara pode comprar o carro até para encher a caçamba de água e servir de piscina. Tanto faz. Tem mercado e vende, é o que importa.
                      A grande maioria compra carro não pensando no fim que se destina, mas para satisfazer as suas próprias necessidades.
                      Eu também acho que a Toro merecia um motor melhor, mas convenhamos: há muita picape média com motor flex com desempenho equivalente e consumo até pior que a Toro por aí…

                    • Alexandre Maciel

                      Então chegamos a um consenso, creio, visto que esse motor se justifica porque há quem compre, o que não quer dizer que ele seja adequado para o carro.

                    • Artur

                      Mas nunca disse que é adequado para o carro, mas sim adequado à versão proposta.

                    • Matthew

                      Não vi em nenhum lugar a Fiat divulgar que fez uma picape pra trabalho pesado. Aliás, me parece que há um grande esforço dela em distanciar a imagem do carro da de um simples utilitário pra carga. Mesmo na versão Diesel, não imagino alguém usando um carro desses pra carregar carga. Um conhecido meu tem uma Hilux SW4 turbo diesel blindada. Acho que ele nunca acionou o 4×4 na vida, até por quê nem convém ficar enfiando um carro desses no fora de estrada pois a torção da carroceria pode comprometer a blindagem. Perguntei pra ele o motivo de ter comprado um carro desses se ele não tem necessidade alguma de andar no fora de estrada, ele respondeu: “porque é um carro montado sobre chassi e tem um motor Diesel forte que aguenta blindagem pesada; queria um tanque de guerra pra andar na cidade”. Ou seja, ele gastou uns 240 mil reais nessa brincadeira (carro + blindagem). Provavelmente é esse o tipo de cara que vai comprar a Toro Diesel, pra mandar blindar e dá de presente pra filha. Não um produtor rural ou alguém que trabalha na construção civil que precisava carregar carga.

                  • Alexandre Maciel

                    Ou seja, ela foi criada para ser um veículo de passeio que também transporta carga leve, não para ser uma pickup com esse motor que não condiz com a proposta. Continua reforçando o que disse no início:

                    “No final das contas é capaz de pessoas que nunca, jamais, em hipótese alguma carregarão peso ali no compartimento traseiro comprarem essa versão flex, o que é uma lástima e só estimula os fabricantes a lançarem produtos com motorização inadequada.”

                • Artur

                  Exatamente amigo! É o que estou tentando te explicar. A Toro tem várias versões, todas criadas para atender às necessidades de seus vários tipos de consumidores. Nada mais além disso…

            • Matthew

              A própria Fiat apresentou a Toro como uma SUP (Sport Utility Pick-up) em alusão aos SUVs que cada vez mais têm comportamento de carro de passeio em detrimento a sua capacidade fora de estrada. Não vejo a Toro como um utilitário destinado ao trabalho pesado e a Fiat nem fez menção a isso. É a típica picape pra madame desfilar no shopping. Quem precisa de uma picape pra trabalho compra uma Strada 1.4 ou uma S-10 2.4 Flex, ambas têm um desempenho tão sofrível quanto o da Toro.

          • automotivo

            P. R. A. T. I. C. I. D. A. D. E. Quem tem, e realmente. sabe que o maior trunfo da picape em relação ao carro pequeno.

        • Astolfo

          Vou citar um exemplo meio maluco: Eu tenho uma moto 150cc, mas ela é horrivel, eu gostaria de ter uma com mais carenagem e mais bonita, porem com um motor menor e mais economico. Existe uma Yamaha MT-125

      • HiperBrasill

        A tá. Se eu quero um toro automatico com mais motor, pago 40 mil a mais e pego uma Volcano. Quem tem 76 mil tem 116 mil.

        • Artur

          Nem sempre… R$ 40 mil a mais é muita grana para mim, por exemplo. Já R$ 76 mil até dava para pagar (com um carnezinho bem gordo, mas dava! rsrs).

          • HiperBrasill

            Estava apenas sendo irônico, Artur. Mas você tocou num assunto importante. Muita gente não mede esforços ao adquirir alguns carros com altas taxas de juros. É sempre bom abrir pesquisar bem pois tem muito carro com taxa zero e ainda assim sendo ótimos veículos.

            • Artur

              Bem observado! Na verdade, até essa de R$ 76 mil foge do meu orçamento! Rsrs
              Mas se fosse comprar uma eu esperaria juntar uma boa parte da grana ou pegava uma usada bem conservada. Realmente financiar grande parte do valor de um veículo hoje é um suicídio financeiro no Brasil.

        • Lipe

          às vezes tem… nem todo mundo compra o carro com o último trocadinho que tem no bolso

    • HugoCT

      Poucos clientes vão andar com ela o tempo todo carregada. Temos que dirigir primeiro, depois comentar. Como a materia diz, ambos se comportaram bem. A pickup ficou muito bonita, diferenciada, saindo da mesmice de desenho.

      • Alexandre Maciel

        “São 135/139 cv a 5.250 rpm e 18,8/19,3 kgfm a 3.750 rpm. Apesar do ajuste, ele ainda se mostra pouco para as pretensões da Toro”.

        Adicione um pouco de peso (5 ocupantes?) e você tem sua resposta. Será um veículo cuja motorização não permite cumprir sua função de utilitário.

    • Alessandro

      Nao acho que está tao fora, o Doblo usa configuração semelhante e tem peso semelhante a anos e as vendas nao sao ruins mesmo na versao de carga.

      • Alexandre Maciel

        Falta de opção no mercado na faixa de preço? Uma coisa é certa: o motor não é adequado para se carregar peso extra. Se eu precisasse de um utilitário ficaria com a Strada 1.8, mais barata e certamente com desempenho melhor do que a Toro com o motor etorq recalibrado.

    • Rdassis

      Carro pra surfista.

    • Vou resumir todo esse paredão de comentarios aí de cima. 76 mil HUEAIS gritando numa subida. Simples assim. kkkkkk. Lacra o topico.

      • Lipe

        Acho que não…
        Vai andar como vários outros carros que tem no mercado, Golf 1.6 AT, Tucson 2.0, Freemont 2.4, S10 2.4, L200 2.4, CRV 2.0, todos carros bons
        E com o preço de cada um deles é possível comprar carros mais rápidos
        Alias, qualquer 50 pila compra um UP TSI
        Cada um faz as suas escolhas… Quem papagaia muito é porque não tá podendo escolher nada kkk

    • Elton Lopes

      Eu tenho um Doblò E-Torq, e por diversas vezes ando carregado, na subida que sofre um pouco, mas dá conta. Na foto abaixo, foi uma viagem de 1600km Goiânia-Goiás até Prado-Bahia. 3200km, foi muito pesado, só os bancos dianteiros tinha pessoas, atrás lotado de mercadoria, assim como na carreta, nas serras de Minas Gerais, tinha momentos que engatava segunda marcha, para subir, mas ia reta e descida anda bem, subidas menos íngreme também ia bem. Eu ainda não experimentei o E-Torq EVO, acho que as mudanças melhoraram o principal problema do E-Torq, na arrancada.

      • T1000

        Legal a viagem. Carro pesado e com carreta, este seu relato considero o esperado para a situação.

    • Olá Alexandre, tudo bem? Você pode entrar em contato com a gente no email de contato do NA? Obrigado.

  • Lipe

    Finalmente achei a Toro bonita
    Essa prata está sensacional
    Aliás, eu adoro carro prata

    • Thiagusss

      Uma pena esse motor 1.8 por esse preço.
      Para cobrar tudo isso, deveria ter melhor motorização.

      • Artur

        É o melhor que existe na linha Fiat nacional. Parece que logo logo será lançada uma versão com motor Tigershark 2.4. Só não sei se o preço será convidativo…

        • Thiagusss

          Infelizmente. Já está mais do que na hora de modernizar a motorização.

          • Artur

            Isso é fato. Se mandarem bloco de alumínio, comando variável de válvulas na admissão e escape, multiair e injeção direta de combustível, já dá um belo de um upgrade nesse motor (que, por sinal, não é um motor ruim, mas está bem defasado), conferindo-lhe maior potência, torque e, se duvidar, até melhorando o consumo…

          • Daniel Barros

            Nisso temos que concordar.

        • dogmarley

          esse motor não será lançado devido aos impostos

          • Artur

            Então, parece que há previsão de chegada de um motor 2.0 Tigershark para o Renegade. Para a Toro realmente não há nada confirmado, apenas especulações. Mas seria uma excelente opção, ainda mais se o preço ficasse entre a versão Freedom de entrada com motor Etorq e Multijet…

      • Lipe

        Mas tem, 2.0 diesel 35 kgfm

        • Thiagusss

          Com o mesmo preço da 1.8? Claro que não!
          Acho que não expliquei direito, disse que pelo preço da 1.8 deveria ter motor melhor.

          • Lipe

            Não acho.. Duvido uma picape diesel abaixo dos 90/100 da 2.0
            Seria impossível a fiat vendê-la a 75
            E seria também uma burrice, porque estaria muito abaixo das picapes grandes a diesel

            • Thiagusss

              Preços absurdos! Só louco para comprar isso aí!

              • Lipe

                Quem tem dinheiro pra comprar e gostou do produto…

                Não vejo nada de louco

                • Thiagusss

                  Para mim é jogar dinheiro no lixo.
                  Boa sorte!

                  • Lipe

                    Então anda de busão, que é baratin

                    • Thiagusss

                      Não não, vou de carro mesmo. Mas sou racional e valorizo meu dinheiro, ao contrário de muitos por aí.

                    • dogmarley

                      agora fiquei curioso, qual carro o sr. possui ?

                    • Thiagusss

                      Atualmente estou com um civic lxl 12. Acredito ter bom custo benefício e ótima durabilidade.

      • Daniel Barros

        Cara, é só olhar a receita do Renegade, ta vendendo muito!!! Mesmo com o motor 1.8

        • Thiagusss

          enquanto o povo continuar comprando a fiat vai continuar enrolando até trazer novas tecnologias para o BrHue!

          • Jose Silva

            o carro é moderno, plataforma moderna, segurança adequada para os padrões mundiais, cambio atual, suspensão moderna. O motor é adequado para aceitar a mijolina que o pais oferece com praticamente 30% de álcool e aceitar também o etanol. E a potência e torque para 1.75 litros está mais do que adequada. 138cv e 19,3 kgf de torque são bons. Se pretende adquirir um e não quer este motor parte para a versão a diesel, esse sim tem um motor muito mais moderno que você imagina para rodar com diesel.

    • Pedro Rocha

      Concernente a cor, a que eu mais gostei foi a marrom.

  • Marcelo SR

    Essas rodas da Freedom são horríveis. No tamanho e no desenho. Tinha que ter como opcional outras rodas maiores e com outro desenho.

  • Aires Jone

    A propaganda desse carro é tanta que começo a deixar de lado as minhas reservas..kkk

  • É mais cara que a Horroroch? É! Mas vale cada centavo. A proposta da Renault é uma “bela” gambiarra de quinta. Só salva o motor flex.

    Sobre a Toro, a primeira coisa que procurei nas fotos quando foram divulgadas pela primeira vez foram os paddle shift, não vi e conclui que não tinha. Na reportagem diz que tem, mas onde estão eles?

    • Ernesto

      Nas fotos mostradas na matéria dá para ver. Veja essa que eu estou copiando aqui.

      • Pois é, quando eu comentei não tinha essas fotos (ou tinha e eu não as vi).

        De qualquer forma eu pensei que as borboletas ficariam fixas na coluna de direção como nos carros a Citroën, por exemplo. Mas na Toro elas são fixadas na parte de traz do volante. Acho que não é a melhor a solução do ponto de vista ergonômico.

  • Felipe

    E a Fiat com essa mania de ter uma lista de opcionais e acessórios interminável!
    É sério que o “compartimento para animais domésticos” estampa a marca Mopar?
    Ê Fiat…

    • Rodrigo

      Na primeira freada esse yorkshire vai sair voando dessa sacola-de-mercado gourmet, diretamente pra nuca do condutor.

      • Le chat noir

        kkk

  • ACELERANDO

    Será que na Toro diesel aut. andando a 100km/h consome mais que a 110 km/h? Ou dá pra “forçar ” ela transitar na nona marcha nessa velocidade através do Paddle Shifts?

    • Artur

      Eu acho que dá sim.

    • João Cagnoni

      Com certeza dá, caso contrário não fariam sentido os paddle shifts.

  • Franco da Silva

    O motor 1.8 vai tranquilo, afinal, o cara tem que passar bem devagar para que cada vizinho, familiar, colega de trabalho, etc. o veja num carro do qual ele nunca vai usar 70% da capacidade.
    Como diz Seth Godin, não vale a pena trocar minha dignidade (trabalhar o dia todo num emprego que a pessoa detesta) por um SUV. Mas as pessoas inventam cada coisa para dar sentido à suas vidas…

    • Louis

      Pois eu acho que estava faltando algo neste segmento. As pickups médias ficaram muito grandes para usar na cidade, e a Toro tem um tamanho bom para viajar, e não é tão desajeitada para cidade.

      • Franco da Silva

        O veículo tem seu mérito, o problema é uma parcela (grande) dos usuários.

  • zekinha71

    Pelo jeito a abertura da caçamba só ficou em 2 modos, sendo que nos desenhos eram em 6.
    Estava futurista demais pra ser verdade.

  • Vinicius Lima Santos

    Comparado com outras tantas porcarias que vendem no Brasil (ex.: Subcompactos 1.0 na casa de 60 mil reais), eu acho esse modelo muito justo para os nossos padrões.
    A Fiat costuma colocar bastante mimos para os passageiros e o visual ficou ótimo.
    Sem dúvida vai vender muito.

  • MIN💀S

    A FIAT conseguiu lançar o carro nacional mais caro do Brasil.

    • Artur

      Nope. Há o Renegade versão top (Trailhawk) com todos os opcionais também, que supera a Toro em preço.

  • TijucaBH

    É unanime que o motor E-torq é fraco para o carro. Já que insistiram em usar esse motor, deveriam ter escalonado melhor o cambio. Rodar à 110 km/h à 2300 rpm em sexta marcha, é muito pouco. Se encurtassem um pouco a ultima marcha, para subir essa rotação para 2800 rpm, seria suficiente para encurtar todas as outras marchas sem prejudicar significativamente o consumo e ajudaria um bocado o desempenho. Da forma como está, ela só mantem 110 km/h em ultima marcha na descida, porque mesmo no plano, toda hora o cambio vai ficar reduzindo pra 5ª marcha pra manter o ritmo.

    • Alvaro Guatura

      Rodar a 110 a 2300 km não é pouco na minha opinião, principalmente quando há disponível piloto automático.
      Vale lembrar que o câmbio é automático, e se precisar ultrapassar ela vai reduzir a marcha sozinha e subir essa rotação. Prefiro assim e gastando menos combustível.

    • Jose Silva

      100 km/h a 2800 rpm é o cambio 5 marchas da linha fiat, motor sobra nesse regime e deixa de ser econômico. Vou te lembrar que a toro tem 6 machas, se está achando longo de mais reduz uma e anda de quinta e pronto, ai sim você vai ter 3000 rpm a 110 km/h.

  • Stefano

    galera, engraçado,ngm mostra se o cofre do motor é a mola a gas ou vareta…outra coisa..pelo que vi a MOPAR oferece como acessario uma central eletronica decente….

    tambem acho que deveria vir com freio eletronico igual ao Renegade! e na versao TOP a diesel vir com os 7 airbgas e n como opcional

    • Bruno Wendel Marcolino

      Mas como estamos falando de Fiat, tudo é opcional, e isso é um sac0.

  • octavio cesar godoy

    Ao invés de fazer porcaria, a Fiat deveria importar a Ram 1500, colocar duas portas a mais na sua picapinha, que por sinal tenho aqui na fazenda e dá conta do recado e pronto

  • ObservadorCWB

    Vamos PARABENIZAR. 1- A FIAT pelo veículo, que é bonito sim, com acabamento diferenciado com relação ao restante da linha e soluções de engenharia bastante interessantes – embora também ache o 1.9 fora de propósito. 2- A NOTICIAS AUTOMOTIVAS pela qualidade e abundância das fotos. Realmente deu para conhecer em detalhes o veículo.

  • Leonel

    É o mesmo comentário que eu fiz quando lançaram o Renegade, este motor 1.8 é uma vergonha para o carro em questão. Velho, ultrapassado e fraquíssimo para o preço e o veículo oferecido.

    Por isso eu disse, este 1.8 Flex é para quem usa no dia a dia na cidade, Shopping, supermercado, visitar amigos/familiares e assim por diante. De qualquer forma, estar disposto à pagar mais de 15..20 mil por um motor a Diesel só se houver uma baita justificativa ou, simplesmente, porque quer né?

    • Matheus

      Acho que por isso que essa apresentação da Toro foi no shopping Parque Dom Pedro em Campinas/SP, habitat natural desse tipo de carro hehehe

      • O lançamento aconteceu no hotel Royal Palm Plaza… o estacionamento do shopping foi usado apenas para fotos e vídeo de detalhes.

      • T1000

        também reparei nisso. Mandaram de cegonha o carro emplacado em PE.
        Também, com a diferença do IPVA de lá para o de SP, já paga o frete da cegonha…

    • Jose Silva

      anda no carro primeiro, que eu estou mais vendo é renegade flex nas rodovias e andando bem d+. Povo fala sem conhecimento, desdenha um motor que o seu forte é rodovia.

      • Leonel

        Um motor 1.8 para um carros desse porte e você fala que o forte dele é rodovia ? Então construíram um carro para andar só em rodovia e não na cidade ?

        Na boa Jose, respeito sua opinião, mas o porte do carro e seu valor não são condizentes com esta motorização. Ou era um motor turbo ou um aspirado com maior torque e potência.

        • Jose Silva

          Estou dizendo que anda bem na rodovia quando muita gente fala que vai se arrastar. Muita gente sem causa de conhecimento como você por exemplo. Eu posso falar deste ETORQ com toda causa de conhecimento, tenho um punto 1.8 16v a mais de 5 anos como carro que uso no meu dia a dia e até viagens, e te digo, é um motor muito bom, anda bem e consome bem. Ontem mesmo fiz uma viagem de 440km e fiz 13,8 km/l andando bem, até filmei, se quiser posto o vídeo aqui. Detalhe, o trecho que eu rodo não é nada plano, cheio de subidas e descidas e muita ultrapassagem pista simples.

          Na toro vai sofrer um pouco como o renegade para arrancar, mas nada deste sofrimento todo, depois de 60 km/h vai render bem normal. Muito longe de motor 1.0 como muita gente fala.

          E é sim um motor adequado, principalmente nas revisões. Em 5 anos de punto que eu gastei de revisão com esse motor etorq não passa de R$1.000 + óleo e filtro. Nisso a FIAT é imbatível nessa categoria de motores 1.6 a 1.8, não tem nada mais barato para manter esse motor, fora confiabilidade. E isso, vale mais que 1 segundo a menos no 0-100 km/h para 75% dos clientes, os outros 25% ficam com a Diesel que além de custar mais sua manutenção custa quase 4x mais.

          • Leonel

            Punto é outro carro. Aposto que um HB 20 1.6 anda mais que o Renegade e e a Toro 1.8, principalmente se estiverem carregados. Eu não estou dizendo que o motor não presta ou que é 1.0 aspirado (seria ridículo afirmar isso), só estou querendo dizer que, em minha opinião, são dois veículos que mereciam um motor mais forte no sentido de potência e torque, só isso.

            Não estou entrando em méritos de confiabilidade, robustez e etc. Eu, particularmente, se fosse comprar um carro acima dos 70 mil (imagina passar dos 90 mil) ele tem que andar muito bem, não pode se embabacar para embalar, para realizar retomadas e etc, seja “vazio” ou carregado. É apenas isso José.

            Abraços !

  • Bruno Wendel Marcolino

    Achei bem interessante o modelo, porém vejo alguns falando no CxB dela por 76k, na minha opinião, essa versão não traz vantagem em “beneficio”, só “custo”, pois vem minimamente equipada e os opcionais são caros, além do que, me parece que será difícil de achar na CCS essa versão “pelada” pois a gama de opcionais é tão grande que provavelmente as próprias CCS comprarão com alguns opcionais a mais e tal, porém, o que agrava mais ainda o fato “beneficio” é o motor que me parece bem inadequado para a proposta de veiculo de carga.

    Acho que a versão Diesel de entrada tem o melhor CxB, pois oferece de cara um motor excelente, obviamente também será difícil achar a versão sem nenhum opcional devido a quantidade.

    Enfim, um ótimo carro, porém essa politica de opcionais enche o saco além do cliente perder muita grana no futuro, tudo bem o “compartimento para animais” ou “extensor de caçamba” ser opcional pois não é todo mundo que usa, agora mais airbags, um tela touch com mirror link(pelo menos), roda de liga, aqueles racks de teto, alarme antifurto entro outros que vi na lista de opcionais deveriam ser de série.

    PO, o cara ta comprando um carro de 76k e não vem alarme de série….

    • dogmarley

      lucidez no seu ponto.
      mais ou menos como o correu (ou ainda ocorre) cm o Golf de entrada, né ?

      cara, já tive 2 carros roubados. Eles eram versões de entrada porém completos; e a FIPE não tá nem aí pra isso.
      na Webmotors carros semelhantes valiam 45$ ~49$
      porém a FIPE me deu 34$

      • Bruno Wendel Marcolino

        é ai que me refiro, opcional é f0da.

        E ainda se o carro estiver em financiamento ai, pra quitar diminui, no fim das contas, o cara sai dum Golf e compra um Classic kkkkkk

        • dogmarley

          foi isso mesmo, faltavam 6mil ainda em parcelas e foi quitado da quantia assegurada.
          foda…
          to até hoje sem pick-up na empresa….o upzinho ta aguentando bem
          p.s. somente eu uso o carro, não fica na mão de “peãozada”

          • Bruno Wendel Marcolino

            put@ merda cara. Por isso repudio opcionais. Ta loco.

  • FranciscoAdrianoSilva

    Visualmente o acabamento supera a concorrência, mesmo na versão de entrada, e a concorrência já reage rsrsrsrsrsr.

    • Willian

      O negócio é que a Duster completa acaba saindo mais barato que a Toro de entrada. Não que seja muito relevante, o acabamento da Dacia é bem porco.

      • Elano Carvalho

        Mas aí fica uma questão: com a Oroch 4×4 sendo lançada em breve e com opção AUT, qual é mais vantagem? Acredito que o franco-romeno fique com preço bacana e seja melhor custo-benefício. Quem já andou em um Duster 4×4 MT sabe que o carro é valente e o motor é adequado pra ele.

        No mais, pra quem só anda na cidade e realmente não vai usar carga, a Toro é interessante por oferecer um habitáculo mais refinado e maior espaço para quem quer pessoas e não carga no carro.

        • Artur

          Cara, aí fica difícil responder. Se a Oroch vier com o AT4, aí pode esquecer. Mas se vier com um automático decente, o desempenho a mais do motor 2.0 vai fazer a diferença (desde que não exagerem nos preços)…

          • Elano Carvalho

            Não acredito que lancem o AT4. Acho que no mínimo vão colocar o Easy R. De qualquer forma, continuo achando que as vendas da Oroch não serão tão grandes quanto as da Toro (pelo que já falei de que muita gente vai comprar pra levar pessoas e não carga, e nisso, ela tem um habitáculo mais confortável e maior), mas ao mesmo tempo as vendas dela não devem ser tão afetadas, já que claramente seu nicho é outro.

            Particularmente falando, eu levaria um 4×4 da Oroch (tanto faz MT ou automatizado) para substituir minha Strada, olhando apenas o preço e claro, por já ter um carro de passeio.

      • Raul Godiano

        O negocio da Oroch sao a pequenas, a FIAT quer pertubar a maiores, mas com esse motorzinho de geladeira flex, nao sei nao.

        • Artur

          Tem versão diesel para perturbar as maiores. A flex acho que é pra roubar sim compradores da Oroch e das picapes pequenas.

      • Lucas

        Não sei ao certo, mas tenho certo mas a toro basica tem mais equipamentos pelo menos de segurança que a oroch, e o cambio automatico, que vai pesar e muito na escolha… oroch não tem esp, tsc, direção eletrica, nem vidros one touch, nem uma chave canivete…

    • Raul Godiano

      Vou te falar que isso e relativo, coloca uma acabamento de carro de luxo em Hillux, muitos donos vao torcer o nariz, mesmo se o preço fosse o mesmo, e os produtos “dacia” tem fama de serem simples , nao ruins.

      • Artur

        Exato. Conheço dono de Duster que admite a simplicidade do acabamento, mas alega que ele é bem encaixado e não faz barulho. Está contente com o carro.

    • Fabricio Conchon

      Como já disse alguém num outro post na internet… Quem nasceu pra ser pé de boi, nunca vai ser Toro…

      Essa Oroch é a coisa mais horroroch que já inventaram depois da Duster…

      • Piloto

        Fabricio, concordo com você.

        E olha que eu achava a Oroch bacaninha nas fotos. Mas tem um vizinho aqui no prédio que comprou uma branca. Que carro mais bizarro! É quase um fenômeno paranormal… a gente olha e não sabe dizer o que tem de estranho rssss.

        • Fabricio Conchon

          Verdade.. parece até que tem que ser feia… pra usarem como argumento?: “é feia mas é mais barata”….ahahahah Outra que não me desce é a Spin…… Parece até uma capivara. E o Etios Cross, que pra mim é puro um carro de tromba-tromba de parque de diversões. Mas gosto é pessoal né… eu mesmo adoro o fiat 500, que sei que não é uma unanimidade… (mas foi premiado diversas vezes internacionalmente por design)… já a Horroroch, nem no Leste Europeu devem gostar dessa Dacia….

          • Piloto

            Spin parece aquele rapaz alto desengonçado, todo fora de proporção.

            Já o Etios é feio em todas as versões, mas o Cross ganha disparado.
            =)

  • Antoniokings1

    Vai ser um sucesso estrondoso!

  • Carlos

    A versão flex pesa 1.620Kg mesmo? Será q não tá errado isso? São 40 Kg a mais do que um Hyundai Azera… Então uma Toro com dois adultos dentro terá 1750Kg… movidos por um motor aspirado de 1,75 litro. Exatamente um litro cúbico de motor empurrando 1 tonelada. Chocante…. A Strada Fire 1.4 com seus 1080Kg é um foguete comparado com esta Toro. Vou aguardar as opiniões dos primeiros proprietários sobre desempenho e consumo.

    • Jose Silva

      1.8 1.500kg e 2.0 1620kg.

  • Popdogue

    Está escrito que os freios são a disco nas 4 rodas mas, pelo menos na versão flex, os freios traseiros são a tambor mesmo. Juntos com as belas calotas e sem brake light.

  • Murilo Soares de O. Filho

    A questão é somente o motor, flex…mas pra quem não tem pressa…mas provavelmente a Fiat vai oferecer o 2.0 no futuro. De resto Bela picape.

  • Thiago Casavechia

    A notícia está equivocada quando diz que há freios a disco nas quatros rodas. Não há nem como opcional.

    • ricmoriah

      corrigido. obrigado.

      • Adriano Sena

        Quando vcs vão avaliar a toro flex, principalmente informando o consumo??? Vi vários questionando isso aqui

  • Antonio Vieira

    Prefiro os sedãs médios, andam mais e são mais confortáveis. Porém, quem compra a picape leva para casa maior robustez e um conjunto mecânico (suspensões e carroceria) superdimensionado para o dia a dia do motorista comum (levar os filhos para a escola, viajar, ir ao trabalho). Se a picape não transportar grandes cargas com freqüência, irá apresentar maior durabilidade que um automóvel comum nas mesmas condições de uso. Diante das condições precárias das nossas estradas, tanto a Toro quanto Oroch ou S10 podem ser opções mais racionais que os sedãs.

    • Artur

      Eu também prefiro os sedãs médios. Mas se tivesse de encarar uma estrada de terra ou transportar cargas com mais habitualidade, não hesitaria em comprar uma versão diesel (se tivesse o dinheiro disponível, obviamente! Rsrs).

    • Carlos

      Antonio, as duas unicas vantagens q eu vejo são a maior durabilidade da suspensao, e a possibilidade de vc ter um espaco para carregar uma eventual tralha (um grande eletrodomestico ou movel, por ex). Tirando isso, um sedan medio tem mais estabilidade na estrada, embarque e desembarque de passageiros mais fácil, cargas melhor acondicionadas para viagens, mais facil de estacionar e manobrar. Enfim.. Sedan medio eh pensado para familia em todos os sentidos. Se o cara tem filhos ou parentes e usa direto na cidade, qualquer pickup beira a irracionalidade. A menos q seja como segundo carro da familia, para aventuras de final de semana

  • Rbs

    Agora pela manhã a mais bonita ta sendo essa prata.

  • Lucas

    A flex é para quem não tem pressa, normal como em todas as picapes, a galera fala da toro, parece que a s-10 sem ser o novo motor, triton ou ranger são expoentes em desempenho… e a diesel, a merma coisa, desempenho muuuuuuito melhor, que nem o renegade, o diesel muda o carro.

  • Victor Hugo

    Uma coisa interessante seria com a tampa traseira dessa forma, existir um extensor de carroceria… você puxava o assoalho para trás até o limite da tampa, e ganhava muito mais espaço, com tampa aberta. Claro que nesse caso é inviável por causa das luzes indicadoras. Mas seria interessante para quem leva moto na caçamba. Ou então, que quando fechadas você tivesse a opção de abrir da forma convencional. Isso é perfeitamente possível.

    • Baralho

      Mas o extensor tem luzes próprias!!!

  • KevinGR

    Assumindo o diesel a 3 e a gasolina a 4, fazendo 7km/l com gasolina e 10 km/l com diesel, seriam necessários ~150mil km para compensar os 40mil a mais da gasolina automática pra diesel automática, isso sem falar no emplacamento mais caro, revisões mais caras, seguro mais caro e desvalorização (em dinheiro não em porcentagem).

    • Baralho

      Estou querendo comprar uma, vou fazer o teste drive assim que puder e se achar que o motor 1.8 é muito fraco mas gostar muito, muito, muito dela acho que colocarei um turbo com intercooler para ela ganhar uns 30 cv e mais uns 5 KGF de torque, acho que vai ficar até mais econômica, tudo isso por uns 5k, a Fiat é muito vacilona, deveria colocar uma opção assim, mais barata para quem não quer gastar uma fortuna em motor diesel.

      • JAG

        Tenho a mesma ideia, sonho, de colocar um turbo com perceptiva de melhora no desempenho e no consumo!

    • Artur

      Você tem razão. Mas a diferença de performance entre os motores é gritante. Quem precisar dela para transportar carga mesmo vai ter de optar pela diesel…

  • MG

    Vi uma hoje aqui no sudoeste do PR, de test drive, bacana.

  • Mario

    Gostei, apesar do preço incompatível com meu bolso! Se tivesse num outro momento da economia ‘destepaís’, arriscaria um Volcano, masssss…o momento é de apertar os cintos. Parabéns à FCA! Aos que não gostam da Fiat, resta comprar mercedes, bmw, azeras 2013, golf 2012….rsrsrsrs

  • RKK

    Imaginem a Toro com as rodas de liga do Renegade Longitude. Ficaria muito melhor.

    • RKK

      Esta está melhor.

  • Thiago Lamim Matos

    Acabamente identico ao renegede, até o cluster.

  • RKK

    Será que a suspensão traseira se trata desta abaixo ?

  • Fabricio Conchon

    Segundo o site Monte o seu, da FIAT, o kit opening edition virá assim:

    KIT

    Opening Edition

    – Rodas de liga leve 6.5 x 16″ + Pneus 215/66 R16;
    – Kit parafusos antifurto das rodas (um por roda);
    – Faróis de neblina;
    – Retrovisores externos elétricos com memoria (Tilt down /rebatimento / luz de conforto);
    – Capota marítima;
    – Ar condicionado digital dualzone;
    – Câmera de ré;
    – Volante em couro com alavanca de seleção das marchas tipo borboleta;
    – Voice recognition;

    Uconnect Touch 5″ [Central multimídia com tela de 5″ touchscreen;
    Comandos de voz Bluetooth; Audio streaming; Entrada aux; Porta USB; MP3;
    Rádio AM FM];
    – 6 Auto Falantes;
    – Personalização serie especial (Adesivos exclusivos openning edition; soleira metalica; tecido);
    – Apoia braço traseiro;
    – Kit High Tech (Sensor de chuva, Sensor crepuscular, Retrovisor interno eletrocrômico);
    – Kit externo (Grade frontal com cromado + Maçanetas e retrovisores externos pintados);
    – Porta objetos passageiro;
    – Apoia-braço central dianteiro;
    – Parasol Iluminado;
    – 2ª Tomada 12V;
    – 2ª entrada USB;
    – Brake light;
    – Iluminação de caçamba;
    – Alarme antifurto.”

  • Eu gostei do desenho dela, mas achei meio cara, considerando que é um carro com monobloco. Quero ver o chororô do pessoal com quebras e desgastes prematuros quando colocá-las em terrenos ruins, pensando que tinha uma picape, hehehehe.

  • Zé Mundico

    Fico aqui pensando se esse motor 1.8 Vigorelli é o ideal para uma picape utilitária mista.

  • Miguel

    Eu gostei bastante!
    Achei bonita, bem acabada, um pouco cara? Talvez, mas ela deve brigar mesmo com as picapes superiores. Gostei do interior refinado, da chave que liga o carro antes mesmo de vc entrar, mas a versão perfeita pra mim seria a Volcano AT9, claro! Rssss.
    O único porém, que todos aqui falam, é o motor 1.8 mesmo. Vamos aguardar mais avaliações completas dessa versão.
    Meus parabéns à Fiat, que agora com o know-how da Jeep, fez um bom produto.
    Os amigos da Renault não deveriam nem provocar, ficar quietinhos pra não começarem a se dar conta do horror que a Oroch é! kkkk

  • Otavio Barros

    O interior painel portas lembra bastante o Renegade!!

    • edbil

      É porque pertence a mesma plataforma, acaba que herda alguns componentes inclusive de acabamento.

  • Kaian Reis

    Eu achava que os R$116,990 era o preço da top de linha com todos os opcionais, fui no site da Fiat configurar uma e deu pouco mais de 130k ela toda completa

    • Artur

      Isso mesmo. Infelizmente, R$ 116.900,00 é o preço da versão top sem opcionais…

  • Leandro Santos

    Falta só ver o resultado do crash test.

    • Artur

      Deve ir bem por usar a plataforma do Renegade (a não ser que a Fiat tenha simplificado ela…).

  • Roger Leal

    O povo exagera, andei na Renegade E.torq e obviamente não é nenhum exemplo de desempenho, mas leva o carro sem problemas mesmo carregado, eu diria que tem o mesmo desempenho que a Eco ou Duster 1.6, o que não é nada terrível.

    Quanto a Toro, acho que é um motor valido para quem gosta do estilo do carro, mas não tem a grana para pegar a versão a Diesel. Ou na nossa realidade, alguem realmente acha que viria um Tigershark pelo mesmo nivel de preços, em uma categoria e faixa de valores que não há concorrentes?

    Se eu fosse a Fiat, teria feito exatamente a mesma coisa, usar um motor melhorado que eu já tenho na manga, e, pensando como consumidor, vou fazer o test drive. Caso não me atender, não compro, simples.

    Se houvesse um concorrente direto com preços e motores melhores, acharia a reclamação valida, mas enquanto não houver, a Fiat está correta e o consumidor que deve analisar se o veiculo vai lhe atender ou não.

    • Artur

      Análise mais ponderada que li aqui no site. Parabéns, amigo!

    • Lucas

      Isso mesmo cara, compra quem quer, quem deve achar se vale a pena ou não é consumidor, se achar o 1.8 fraco, compra o diesel, tem motores para todos os gostos… o renegade pelo o que a galera diz, se arrasta… até parece que duster, eco sport, hrv são foguetes, o daqui de casa com 2500km tá fazendo 8,5 na cidade, transito travadinho, ar fulltime e como gela o ar… Então a galera tem mais é que conhec3 o produto antes de julgar.

      • Tosoobservando

        Mas ae tem Hr-V no caminho.

    • Tosoobservando

      Tem um concorrente, a Oroch, pena que micou.

    • Rodrigo

      Palmas! Comentario consciente e inteligente!

  • Thiago Porto

    design e painel interessantes.

  • Tosoobservando

    A grande vantagem da Toro, lembrar um Jeep e ser bem diferente dos carros atuais da Fiat! kkkk boa essa.

  • Esse 1.8 no Renegade nao é exemplo mas nao é terrível para a proposta do carro. Mas nessa Toro, se vc encher a caçamba com os 650kg de capacidade anunciada, esse carro vai se arrastar gritando. Minha mãe tem uma Saveiro e pensou em ir pra Toro pra pegar uma pickup mais forte e maior, mas se for o 1.8 acho que vai dar na mesma.

  • tech76

    Pode pecar no motor, mas ao menos possui controle de estabilidade de série e opcional de airbags de joelho, laterais e de cortina, desde a versão de entrada, por R$ 3.500,00. Sendo a segunda picape no Brasil a possuir airbags laterais e de cortina, como a Ford Ranger LIMITED.

    Em segurança, ao menos, está nota DEZ, a não ser que venha a ater um resultado ruim em Crash Test, o que é improvável, por ser um projeto novo que usa a plataforma do Renegade.

  • SDS SP

    Tem tudo para ser o melhor carro do portfólio da Fiat brasileira…

  • Estou a dois dias tentando configurar o carro no site da fiat e o configurador trava na hora dos opcionais, dona fiat, resolva o problema logo por favor.

  • Thiago

    De longe sou fã dos modelos da Fiat, mas tenho que admitir que esse Toro possui uma excelente proposta. Dirigi recentemente o Renegade Sport 1.8 do meu sogro e ao contrário do que muitos dizem, não achei tão amarrado assim, lógico que também não é nenhum papa-léguas, mas anda bem… De verdade, espero que venda bem, se eu tivesse condições, cogitaria em ter um…

  • Lindemberg Silva

    Esse carro e pra quem quer levar uma moto ou levar uma pequena mudança, coisa pouca, quem quer carro p moer ou entregar p o funcionário acabar, compra uma S10 usada velhinha bactéria. Eu vou pegar uma e vou usar somente como carro de passeio. E para os especialistas que sabem tudo de motor só digo uma coisa …..se não querem ou não gostam de uma coisa não fiquem procurando defeito onde “aparentemente” não tem.

  • Marcos Porto

    De fato o carro é bem interessante, dei uma olhada na FIAT e antes achava ela meio estranha nas fotos; ao vivo é bem diferente! Dá para se notar que tem um bom acabamento e que a FIAT fez bem a lição de casa, sinceramente estou pensando em adquirir uma mais para frente, de preferência a diesel. Vou deixar essa novidade de lançamento passar e ver com mais calma.
    Tinha pensando antes em uma Outlander de entrada que deve estar mais de R$ 120.000,00 mas aquele interior é bem espartano para meu gosto, sem contar que é gasolina!

  • FocusMan

    A Fiat Investiu tanto nesse carro que se por acaso ele der errado, vai quebrar a marca por aqui.

    Mas estou ensusiasmado com o mesmo. Vamos ver o desempenho em vendas no mundo real.

  • Bittencourt

    Parabéns à Fiat!
    Esse modelo será um sucesso; vi uma marrom entrando numa concessionária após test-drive e realmente ela chama muita atenção; é linda!

  • Ronivaldo Faria

    Olhem as dimensões da caçamba, medidas retiradas de um modelo test drive com trena na concessionária em São José dos Campos-SP.

  • carlos rodrigues

    Faltaram os dados de consumo…

  • Adriano Sena

    quando teremos avaliação completa da flex com o consumo aferido por vcs???