Fiat Jeep SUVs

Fiat Toro: Não deve surgir um SUV baseado na picape

fiat-toro-suv-7-seats

Apesar de uma recente projeção e do futuro ainda indefinido do Dodge Journey e de seu companheiro Fiat Freemont, a marca italiana não deve lançar um SUV baseada na picape Toro, de acordo com uma fonte da FCA.

A ideia do grupo franco-americano é ter a Jeep atuando de forma mais direta no segmento de SUV, deixando a Fiat com picapes leves e médias, enquanto a RAM atua no segmento superior.

novo-jeep-flagra-7

Como Journey/Freemont não possuem um projeto de sucessão dentro de suas marcas, um equivalente de até sete lugares derivado da próxima picape da Fiat seria uma alternativa.

A Jeep é quem vai assumir a lacuna com um novo SUV, que se posicionará entre o Renegade e o Cherokee, mas tendo cinco lugares e não sete. Conhecido como projeto 551, o veículo deve surgir primeiro no México e depois no Brasil, sendo feito em Goiana/PE. A ideia era ter sua estreia mundial feita no país, assim como o irmão menor.





  • Eduardo Brito

    Não faria sentido dois SUVs do mesmo tamanho no mesmo grupo, gerando concorrência interna. Esse jeep novo deve vir com o 2.0 usado no dart americano, podendo ser usado no toro e no renegate.

    • DiMais

      a Fiat precisa apenas ocupar os espaços deixados pelos (virtualmente) extintos Palio Weekend, Idea e Doblò, nesse caso a faixa de preço de preços precisa ser inferior aos da Toro e do Renegade.

      • V12 for life

        A linha Adventure nem é mais a galinha dos ovos de ouro da FIAT, acho que não há planos para substituir esses modelos, que tem na linha pseudo aventura seu maior apelo de vendas.

        • DiMais

          não pelos ADV, pelos familiares que (como manda a nova cartilha do mercado) foram substituídos por crossovers.
          um modelo mais simples com preços inferiores aos do Renegade, com motores 1.6 e 1.4 para cimentar de vez minivan, sw e multiuso com um modelo que o povo está comprando.
          os 500X e L não vieram exatamente por serem caros, mas uma variação tupiniquim ficaria adequada na linha Fiat do Brasil.

          • Thiago Maia

            Esse 500L deveria ser, na verdade, um PandaL
            Mas vende bem na Europa

            • Rodrigo

              Eu vi um em Buenos Aires e achei (bem) estranho. Não sei se cairia no gosto do brasileiro.

              • Darwin Luis Hardt

                vi um em montevidéu (era argentino), ao vivo achei mais legal do que por foto que eu tinha achado bem estranho.

      • Eduardo Brito

        O problema é que esses carros não vendem.

        • DiMais

          exatamente porque os segmentos estão abandonados pelos consumidores que querem agora crossovers como modelos familiares.

  • Diego Lip

    Grupo “franco-americano”? Não seria a FCA um grupo “ítalo-americano”?

    • Artur

      kkkkkk verdade!

  • DiMais

    mas um crossover com pegada mais urbana e visual mais próximo da linha civil nessa plataforma vem sim, com versões mais simples e preços mais baixos que os praticados no Renegade (por isso não recebemos 500X).
    tem muito espaço deixado pela turma Palio Weekend, Idea e Doblò (passageiros), já que os segmentos deles estão praticamente extintos.

  • Nerino Mariano De Brito Filho

    Trite pela noticia, a Fiat está perdendo a chance de ampliar participação. Um suvão desses tem mercado, é só ver o bafafá na internet. Porém quem mais perde é o consumidor que precisa dos sete lugares. O produto que a FCA oferece, bonito, potente e bem equipado, não atende, e o que a concorrência vende é feio, desengonçado. A montadora italiana foi sempre elogiada pelas decisões rápidas e por inovar, perceber o que o consumidor almeja, mas se em virtude dessa fusão ela se tornar burocrática, ficar reservando mercado para isso, para aquilo, é uma lástima. Se resolver voltar atrás e lançar uma Grand Toro será o que estacionarei na garagem.

    • Pedro Rocha

      Sem falar em licitações para a Polícia.

  • V12 for life

    A projeção não tinha nada a ver com a FIAT que por sua vez sempre deixou bem claro quais são os planos sobre seus SUV e crossovers.

  • Silvio Brito

    O SUV não vai ser Fiat. Mas vai existir como jeep.

  • Robison Adada

    Franco-americano?? Não seria Italo-americano?

    • Roberto Cipro

      Acabei de escrever o mesmo!!!

  • Raimundo A.

    De acordo com o planejamento, há, sim, previsão de substitutos para Journey e Freemont, porém em categorias diferentes. O Journey pertence ao segmento D cujo planejamento prever novo produto em 2016 também com versão SRT. Não haverá desta vez uma variante Fiat dele. Entretanto, o mesmo planejamento cita um C-CUV em 2017, que seria o sucessor para o Freemont. Como o Journey é um veículo mais refinado e maior, deverá usar a base de veículos grandes da Chrysler e ou médios e médios-grandes da Fiat (Viaggio/Cherokee/Dart, etc). O C-CUV não precisaria ser tão grande como é o Freemont porque teria outros concorrentes na Europa como Qashqai, Renault Kadjar ou Grand Captur, etc. Não vejo sentido o C_CUV ser derivado em design do Toro, mas a solução estrutural do Toro poderá servir para o C_CUV.
    Outra é que analisando os preços atuais e possíveis futuros, além das atualizações previstas, é possível alocar os produtos, óbvio não tendo um Toro suv. O novo Compass(551), se vier bem equipado e com mecânica minimamente similar ao atual, deverá ter preço inicial com motor flex a partir de R$ 110mil. Se tirarem alguns equipamentos de série disponíveis no importado, o preço pode começar em R$ 100 mil, que é pouco acima do Renegade Sport diesel, lembrando que o novo Compass aqui deverá usar também o motor a diesel e ter versão Trailhawk, logo a top chegar aos R$ 150mil fácil sem opcionais, pois o Renegade já alcança esse valor.

    O Toro, se começar em R$ 70 mil é lucro, então caberia um suv maior que o Renegade e mais simples que o Compass, talvez com capacidade para sete ocupantes com preço inicial de R$ 85mil ou R$ 90mil. Hoje, Freemont e Compass tem preços próximos, mas a mecânica tem cilindrada maior, mais equipamentos, etc. O C-CUV feito aqui poderia usar mecânica do Toro e apenas air bag duplo de série.

    A análise para outros mercados é similar, pois a FCA com o C_CUV tende a alocá-lo acima do 500X, porém próximo ao Jeep Compass e abaixo do futuro Journey.

  • Aloca

    Afinal, a Toro já será cara pra caramba, imagina um SUV…

  • octavio cesar godoy

    tragam a ram 1500

  • octavio cesar godoy

    Imaginem uma ram 1500 batendo de frente com toyota? sou comprador da 1500 imediatamente

  • Roberto Cipro

    Gente? Grupo Italo-americano e não Franco-americano!

  • roberto

    Franco-americano? Não seria “Ítalo-americano”?

  • Haroldo

    SUV de 5 lugares no lugar da Journey? Tiro no pé total…. Esse projeto poderia ir para frente, principalmente se botasse o motor a diesel. Seria um excelente custo benefício.
    Tenho a Journey e o preço x 7 lugares x motor é o diferencial dela (custo benefício), pois mecânica é cara demais e não é um carro tão robusto, vide problemas de freio (que já troquei na garantia), direção (que também troquei na garantia)… Se vier com 5 lugares, acaba com o mercado… A Freemont de 5 lugares vende nada perto da de 7 lugares (é o mesmo carro, só muda emblema e a Freemont tem o motor do PT Cruiser, e nos EUA é vendida a Journey com as duas opçoes)