Combustíveis Ecologia Europa Ford

Ford pesquisa éter como combustível alternativo na Alemanha

eter-ford

A Ford iniciou um projeto de três anos com o governo alemão para pesquisar o uso de éter como combustível alternativo e ecológico. Serão testados o éter dimetílico (usado em aerossóis) e éter oximetileno (solvente em indústria química).

O objetivo é avaliar sua eficiência como combustível para automóveis. O processo para obter esses dois tipos de éteres pode ser através de biogás ou “power-to-liquid”, que usa energia solar ou eólica, bem como CO2 atmosférico.

eter-ford-a

O éter apresenta características semelhantes às do diesel, mas com baixíssima emissão de CO2, calculada em apenas 3 g/km, menos que um maratonista. Ou seja, é um combustível com alto nível de eficiência energética e muito ecológico, podendo assim obter benefícios ambientais semelhantes aos do carro elétrico. Os testes estão sendo feitos em um Mondeo.

A Ford também tem parceria com a Universidade de Aachen, mas com estudo de métodos mais eficientes de produção do éter dimetílico, visando melhorar aspectos da infraestrutura, conversão de motores diesel e preços estimados para o combustível. A empresa declara que o éter é mais seguro, limpo e versátil.





  • Pedro Henrique

    muito mais fácil apagar alguém, só molhar o paninho no combustível e pegar a vitima

    • DevXav

      Custei entender..
      Aí lembrei de Dexter (seriado de TV).. hahahaha

  • visanpai

    Enquanto outras tecnologias evoluíram de forma absurda (computadores hoje têm o tamanho de um pen drive!), os carros continuam com concepção de motor a combustão proveniente do século 19.

    • th!nk.t4nk

      Não exatamente. Pra quem não é da área, entendo que vê dessa forma mesmo, mas os avanços em engenharia mecânica foram gigantescos nas últimas décadas. O fato dos motores continuarem sendo á combustão não tira méritos. É como dizer que os computadores não evoluíram nada porque continuam usando elétrons e silício.

  • ricardo

    esperando pra ver .. o mundo precisa de outras fontes

  • Marcos Souza

    Depende principalmente do custo de produção do éter e do motor. Tecnologia que faz sucesso 3 sempre a mais barata.
    Os veículos híbridos e elétricos não fizeram sucesso pelo custo e tamanho de suas baterias ainda. Se fossem menores e mais fáceis de produzir, os elétricos seriam mais baratos e consequentemente, venderiam mais.

    • Luis Gustavo Kawahara

      Penso isso também. Gostaria de saber se o éter é limpo em sua fabricação também. De nada adianta ele emitir menos CO2 na queima se na produção emite mais. Temos que pensar no processo inteiro. Mas é uma iniciativa muito interessante.

      • th!nk.t4nk

        Adiantar, adianta. Pode não resolver o problema todo, mas resolve 50% (o que já é coisa pra caramba). Não é todo dia que uma revolução ocorre na engenharia. Ganhos incrementais também são excelentes.

        • Luis Gustavo Kawahara

          Sou engenheiro e entendo o que você quer dizer. Porém, o que eu quis dizer foi que, se no processo completo (refino, transporte, queima) a quantidade de CO2 emitido for maior, ele, no momento, não é mais limpo que o Diesel. Claro que não estou falando que não se deve continuar a pesquisa, apenas que não é o momento apropriado para sua utilização. Mas, claro, isso tudo supondo que ele emita mais CO2 no processo completo, que é uma informação que não tenho. Abraço.

  • Edmon

    Eu gostaria de mais informações sobre este assunto. Qual é a fonte da notícia? A Ford tem alguma página específica para isso?

  • Joao Paulo Cintra

    se já não bastasse o 7×1 no futebol, os alemães ainda vão inventar um biocombustível que deixa o etanol brasileiro completamente ultrapassado…