fiat-uno-mille-fire

O Uno Mille é citado na revista Auto Esporte do mês de novembro. Carlos Eugênio Dutra, diretor de planejamento e estratégia de produto da Fiat no Brasil, deu luz sobre vários detalhes da linha Fiat, especialmente sobre o futuro do Uno Mille, ou somente Mille, como a Fiat o chama.

Perguntado sobre se a Fiat pretende tirar o Uno Mille de linha, ele respondeu que não, muito pelo contrário, quer manter ele no mercado por muitos e muitos anos. Sobre a falta de propaganda do Uno Mille, tanto em revistas como na TV, etc, ele respondeu que não precisa, pois o Uno Mille está sempre nas ruas, até mesmo nos lugares de mais difícil acesso. Eu já acho que a Fiat não gasta dinheiro com marketing do Uno Mille porque não vale a pena, o modelo é simples e visa as pessoas com menor poder aquisitivo, e também, as margens de lucro que ele proporciona para a Fiat são bem pequenas, ou seja, é melhor enfiar todo o lucro no bolso e não gastar nada para divulgar o Uno Mille, já que quem tem cerca de 22.000 a 23.000 reais pra comprar um carro NÃO TEM OPÇÃO.

A Auto Esporte perguntou a ele se não se pretende lançar um Uno Mille com motor 1.4 ou coisa parecida, e ele respondeu que o motor 1.0 é um dos pontos altos do Uno Mille, deixando ele ágil e econômico, e que se fosse instalado um motor maior, o preço aumentaria, por causa dos impostos. Bom, que o Uno Mille é econômico ele é, mas taxar ele como “ágil” forçou um pouco. Assim como qualquer 1.0 de outras marcas.

Uno. Outras perguntas foram feitas ao Carlos Eugênio, como o por quê de o Palio novo ter ficado tão feio em relação ao Palio anterior. Ele respondeu que nas clínicas com clientes, as pessoas acharam esse Palio bem mais bonito que o anterior. Me engana que eu gosto!!! Acho que se ele falasse a verdad, seria despedido!

Com relação ao novo símbolo da Fiat, vermelho e redondo, ele falou que será usado em todos os futuros lançamentos da marca. Com relação a uma pickup e um utilitário médio da Fiat, mencionou que ainda não há nada definido. Outra resposta esdrúxula foi quando perguntado sobre porque a Fiat não faz uma pickup média como uma D20 ou uma F250 no Brasil, ele respondeu que o mercado forte desses modelos é os EUA e que no Brasil há pouco espaço para pickups. Absurdo.

Perguntado sobre a qualidade de acabamento interno dos carros brasileiros, que caiu MUITO nos últimos anos, ele respondeu que não, pelo contrário, a qualidade dos carros brasileiros evoluiu muito nos últimos anos e que em alguns casos é melhor que de modelos europeus!!! Ahhhh, meu Deus!!!!! O que esse cara bebeu?????

Eu ia até botar aqui outras perguntas que foram feitas a ele, mas não dá, sem condição. Melhor entrevistar um Zé Ninguém na rua do que um diretor de montadora. As respostas são todas feitas. Prontas. Parecem respostas eleitorais…