Elétricos Europa Hatches Salões do Automóvel Volkswagen

Hatch elétrico da Volkswagen estará conectado em tempo integral

vw-eletrico-hatch

A Volkswagen deu detalhes sobre seu futuro conceito de hatch elétrico que estará no Salão de Paris, em outubro. O modelo deverá ter o porte do Golf, mas com espaço interno de Passat.

Isso acontecerá porque a plataforma MEB usará baterias planas em um sanduíche que estará sob o assoalho. Assim, serão abertos 240 mm de espaço extra para as pernas.

O tamanho reduzido do motor elétrico também ajudará nesse ganho de espaço. A autonomia do hatch elétrico da VW ficará em torno de 400 km, de acordo com o padrão NEDC.

Sua construção será feita em aço e o processo não será exclusivo, utilizando as mesmas etapas e materiais usados na fabricação dos modelos comuns da Volkswagen.

Mas, a novidade é que o veículo estará o tempo todo conectado a uma rede de “ecossistema”, de acordo com a marca. O veículo será como um smartphone, sempre em contato com a rede.

O carro estará sempre online e o proprietário terá uma ID dento da Volkswagen, podendo assim levar suas configurações de seu carro para outros veículos ou smartphone. Já o sistema operacional do VW elétrico será baseado no Linux.

[Fonte: Autocar]





  • Douglas

    Qual a vantagem disso? O povo está ficando paranoico com essa história de conectividade.

    • CanalhaRS

      A vantagem é que facilita uma invasão do sistema de toda a frota e os carros não obedeçam mais seus donos…vai ser da hora…

    • th!nk.t4nk

      No Brasil ninguém vai ver vantagem mesmo. A realidade é que hoje aqui na Alemanha todo carro já recebe informaçoes sobre o tráfego em tempo real, e novos modelos como este conceito da VW irão interagir com estes dados, com outros carros e com suas preferências na nuvem. Tudo isso vai otimizar o deslocamento e criar inúmeras novas possibilidades de interação. Lógico que no Brasil ninguém vai entender pra que serve e só vão morrer de medo, pois nunca viveram nem sombra dessas tecnologias.

      • Fernando

        O Brasil que você está se referindo aí creio que deve ser de uns 30 anos atras pois hoje não tem absolutamente nada a ver com suas descrições. Você deve morar muito tempo na Europa pra ter conclusões de um Brasil de 30 anos atras. Sabe de nada, inocente! :p

  • DiMais

    assim como os Tesla, que os donos inclusive são ‘obrigados’ a compartilhar informações com a fabricante caso queiram utilizar recursos avançados como o Autopilot.

    • th!nk.t4nk

      Possivelmente os dados serão encriptados. E de qualquer forma, o governo já tem essas informaçoes até de quem não anda de carro: cada vez que você valida o ticket de trem, ele está atrelado ao seu cartão de descontos, entao em alguma base de dados fica registrado todo o seu deslocamento diário, pro resto da vida. Idem pra quem usa o pedágio eletrônico, e até mesmo pra ônibus em alguns casos. E o que dizer do seu cartão de débito/crédito? Tá tudo registrado. Por fim o celular via 3G/4G registra também todo seu deslocamento nos servidores da Apple e Google. As pessoas só não se dão conta disso.

      • Ricardo Rangel Lirio

        E isso acontece há muitos anos… Se quiserem ativam as cameras e microfones de nossos smarts e vêem/ouvem tudo que se passa conosco.

  • Danillo Barros

    Eu já tava sentindo cheiro de invasão, mas como vai ser baseado em Linux, as invasões devem ser reduzidas…

  • Gustavo73

    A MEB é a versão para elétricos da MQB. Agora essa história de conectividade full time eu não gosto. Mas como bem lembrou outro comentarista não é novidade. Pessoalmente prefiro que não tenha.

    • Franco da Silva

      Deve ser possível desligar ou limitar. Mas o pessoal gosta, será o “my link” do futuro. Ninguém usa 50% do potencial, mas querem de qlq jeito e pagam caro por isso.

    • th!nk.t4nk

      Acho impossível algo não ter conectividade no futuro. Aliás, o futuro já chegou há um tempinho: veja meu post logo acima. A gente é que não se deu conta disso plenamente.

  • Sandro

    Prato cheio para hackers.



Send this to friend