_Destaque EUA Hatches Honda Lançamentos

Honda Fit 2017 traz motor 1.5 com injeção direta e parte de US$ 15.990 nos EUA

honda fit 2017 eua 1

O Honda Fit já está sendo oferecido na linha 2017 no mercado norte-americano. Por lá, o modelo é equipado com um motor 1.5 litro com injeção direta de combustível, sendo o primeiro carro compacto da montadora japonesa a dispor de tal tecnologia.

O propulsor que equipa o Fit 2017 é movido a gasolina e conta com quatro cilindros, duplo comando de válvulas no cabeçote (DOHC) e controle eletrônico da variação do tempo e levantamento das válvulas (i-VTEC), além da injeção direta. Este bloco consegue gerar 131 cv de potência, a 6.800 rpm, e 15,8 kgfm de torque, a 4.600 rpm. Junto a ele está uma transmissão manual de seis velocidades ou automática do tipo CVT.

honda fit 2017 eua 11

Segundo dados da Honda, a nova linha do monovolume tem consumo de 14 km/l na cidade e 17,2 km/l na estrada no modelo equipado com câmbio CVT. Já a versão com transmissão manual consegue rodar 12,3 km com um litro de gasolina na cidade e 15,4 km/l na estrada.

Entre os equipamentos, as versões mais caras do novo Honda Fit dispõem de airbags frontais, laterais e de cortina (estes com sensor de capotamento), controle de estabilidade e de tração, freios ABS com EBD, câmera traseira multi-ângulo, sistema multimídia HondaLink com tela de sete polegadas, bancos em couro aquecidos, destravamento das portas e partida do motor sem chave, entre outros.

Confira abaixo os preços do Fit 2017:

Fit LX MT – US$ 15.990
Fit LX CVT – US$ 16.790
Fit EX MT – US$ 17.900
Fit EX CVT – US$ 18.700
Fit EX-L CVT – US$ 20.265
Fit EX-L CVT com GPS – US$ 21.265

Galeria de fotos do Honda Fit 2017





  • vicegag

    52k em reais o de lá e 57k o daqui, fora o caminhão de equipamentos retirados do nosso.

    • Caio

      E la o peao que junta 16k consegue levar um Fit 0 pra casa, o peao que junta 16k aqui no br nao consegue comprar nenhum carro 0, daqui uns dias nem uma Titan o peao vai levar por 16k

      • João Cagnoni

        Lá o peão paga 200 obamas por mês e faz um leasing, esse carro é tão ruim lá que não compensa comprar, depois de alguns anos vai valer mil ou 2 mil dólares.

        • Codicilo

          No leasing lá o carro é devolvido no final do contrato… Mas mesmo assim, os juros nesse negócio lá seriam de 5 ou 6% ao ano (para quem tem bom perfil de crédito).

          Aqui, 2,5% a.m. Os bancos brasileiros dão mais lucro que os norte-americanos, saiu essa semana na mídia.

          Só que aqui, as pessoas cagam de medo de ter um carro no nome do banco. Isso ofende a “HONRA” do peão… Por isso o leasing deles não funciona nas nossas bandas

        • Acho que você não sabe o que é carro ruim….

          • Raul Pereira

            Não, ele não sabe. Nem conhece o mercado americano. Lá Fit é carro de molecada, já que quem tem família tem tesão por carro grande (de Discovery 2 pra cima). É um carro excelente, mas aqui um Fit tá custando o preço de um Civic, e um Civic custa uma fortuna absurda.

            • DougSampaNA

              A Honda aqui cobra preços IMORAIS, eu já tive 1 Fit G1 cvt, era ótimo carro porem de manutenção bem cara; aí caí no conto do vigário e comprei um 1.4 AT5…pior merda que fiz; carro duro, pula demais, bate plastico pra caramba, motor fraco..a Honda me lesou! Nunca mais!!!

              • Raul Pereira

                Essa geração do fit que largou o CVT foi mesmo uma grande cagada, fora que mudaram pro flex e deixou de ser um carro econômico pra ser um beberrão

          • João Cagnoni

            Nos EUA qualquer carro 1.x é motivo de risadas. Mesmo turbo. Até o Mini Cooper é mal visto.

            • Sério, quem te contou isso? Onde você viu isso?
              Do pouco que conheço de lá, ninguém dá a mínima para o carro que você está comprando e o que isso quer dizer sobre você. Acho que eles são melhores que algumas pessoas em cuidar da própria vida. Mas esse EUA que muita gente viu em revistas, pela emissora carioca ou pelo Jornal da marginal na prática é muito diferente da realidade.
              Se lá tem gente que olha você pelo nível do carro que possui, pelo relógio que está no seu pulso, pela mulher que está do seu lado? Claro que tem! Mas isso não é do americano, é uma condição humana. Mas antes de inventar as coisas (Que nem inventou números de frenagem de modelos, no que eu desmenti com números das duas maiores publicações impressas no país), tente usar um pouquinho a lógica: Olhe o preço desse Fit. Veja quantas opções de carros maiores, que poderia traduzir em mais “status” o americano tem. Acha mesmo que a pessoa que comprou um Fit foi por falta de opção ou condição de comprar outros carros? Ele pode simplesmente ter optado pelo carro mais racional e que satisfaça sua necessidade. Quando você for para lá para aprender e parar de reproduzir o que ouviu falar vai ver que lá não tem congestionamento de Camaros, que os taxistas não usam Rolls Royce para te levar para seu hotel, que toda frota tem 15 minutos de idade de média porque a cada cafezinho que economiza o americano compra uma pickup… Você vai ver muito carro antigo lá. E porque uma pessoa compraria um sedã da década de 90 se é tão fácil comprar um Camaro zero? Rir da cara? Provavelmente eles ririam do seu raciocínio e da generalização que fazem deles. E mesmo que fosse, e daí? O que eles falam e pensam se torna verdade? Em Dubai ririam da cara deles. E o Japão riria dos dois por ter um mercado bem mais inteligente.

              • João Cagnoni

                Alessandro, faça um pouco de esforço para pensar. Sobre os números de frenagem, você não desmentiu nada, e ainda por cima ignorou os meus últimos comentários. No seu histórico tem o Palio que freia igual Camaro e agora tem mais essa: americanos adoram carros 1.5.

                • Ah, está no meu histórico? Se respondi está aqui no NA e provavelmente no seu e-mail. Eu te respeitava embora tivesse divergências, mas agora não. Tú não é homem de manter o que escreve e é mentiroso. Isso é coisa de moleque. Se eu escrevi isso está aqui no NA, no seu e-mail. Seja homem e prove. Perdeu meu respeito por insistir em mentiras. O carro era o Clio, não tinha nada de Palio, e você afirmou que um Focus velho frearia mais que ele. Eu mostrei que ele empata com o Titanium zero km. O principal, seu ponto de vista é que um médio frearia antes de um compacto. Provei que os números são próximos, e ainda trouxe uma comparação entre up! TSI e Golf GTi. Depois, só para ilustrar, mostrei os números de um Camaro, para se ter um esportivo “acessível” para comparar, pois por mais que o Golf seja um baita carro, ainda é um carro esportivo derivado de um Hatch Civil. Aí, você quer uma ligação de Palio com Camaro, distorcendo completamente o que eu falei. E como não será homem de provar, alegando que “está no meu histórico”, como se fosse tirado de lá de onde eu postei. Não está só no meu histórico, está no seu, aqui no NA para todo mundo acessar. Moleque, cresça e voltaremos a conversar. Tudo isso para não responder de onde você tirou esse monte de coisa que escreveu sobre os americanos que passa longe de ser verdade. Da próxima vez tente honrar o que tenha no meio das pernas e parar de inventar coisas sobre os outros. Mas com gente do seu nível. G1 e Youtube pode ser um bom começo.

                  • Cuidado com esse tipo de comentário, afirmar que o outro leitor é moleque e mentiroso pode fazer você ser banido. Bloqueie comentaristas que te causam problema e seja feliz.

                    • Obrigado pelo toque Éber. Foi exatamente o que fiz. E peço desculpas pelo moleque. Apenas por isso.

        • fredggp

          No resto do mundo não é um carro ruim….

        • Emilio

          Não, não é ruim nem considerado ruim. É um carro para o dia a dia que foi bastante elogiado. Outra coisa… Temos que parar de repetir o mantra de que Civic/Corolla é carro de “entrada”, “estudante”, “pobre” por lá. Isso era verdade há uns 15 anos, hoje em dia, nem lá nos EUA o Civic é um carro tão acessível assim.

      • Codicilo

        “K dinheiros” por “K dinheiros” é uma questão política, tributária, econômica… Não tem nada a ver com preço de carro.

        Para avaliar UNICAMENTE o preço de carro, é preciso transformar a moeda… E, fazendo a devida conversão, o preço é o mesmo

    • Deadlock

      Mas lá 15% do preço do veículo é imposto. Aqui, 52% (Estadão). Fazendo as contas, 7,8 K para o tio Sam e 29,64 k de impostos para a viúva tupiniquim. Para a cadeia de produção e distribuição (fábrica, transportes, revendedoras), lá seria 44,2 k e aqui apenas 27,36 k. E a mão-de-obra mexicana é mais barata que a brasileira. Não há milagres.

      • João Cagnoni

        Sempre aparece um espertão pra tentar defender as montadoras… Mas vamos lá, seu problema ainda tem cura. Esses 52% são uma média de todas as categorias, não correspondem ao Fit, pois modelos de luxo são altamente tributados no Brasil (principalmente motores acima de 2.0 e/ou importados). No caso do Fit, os impostos não passam de 30% (ainda é um absurdo) mas o governo ainda precisa conceder uma porrada de benefícios e isenções fiscais para essas montadoras “fazerem o favor” de se instalarem aqui. Junte isso ao fato de que a Honda depena os carros vendidos no Brasil e você terá a certeza daquilo que eu e você já sabíamos e que você não gostaria de admitir. Nós somos roubados pelas montadoras e também pelo governo! Não poderia ser diferente, pois as montadoras são o governo, elas bancam campanhas e trocam favores assim como tudo em nosso país. O tal governo é gigantesto, não está mais somente no cenário político, ele infelizmente move a economia. Contente-se com um país assim pelos próximos 200 anos ou mate 100 milhões de pessoas, mas depois disso não haverá mais país, pois tirando os bandidos só sobra a casca rsrs… Mas fica tranquilo que isso acontece no mundo inteiro, o Brasil só está ferrado pois convém para algumas pessoas, mas tem muita gente vivendo com muita grana aqui enquanto você rala pra pagar a sua internet e defender as montadoras rsrs.

        • Luis_Zo

          Eu defendo montadora. Alias, defendo qualquer tipo de iniciativa privada, seja industrial, seja empreendedora, que vise o máximo possível de lucro para quem colocou seu capital a risco.

          Não vejo lucro como pecado.

          Defendo estado mínimo, e sim, sobre veículos (e sobre todo o resto que é produzido nesse país) o estado sempre é o maior acionista.

          • Louis

            Concordo, qualquer um que tenha uma empresa sabe o que é investir a própria grana e ser massacrado pelo governo, sindicatos, ladrões de todos os tipos…E ainda é visto como inimigo pelos próprios funcionários.
            O que vai fazer o mercado mais justo é a concorrência.

            • Luis_Zo

              Louis, vou um pouco além.

              Qualquer um que tenha preconceito de menos e um pouco mais de curiosidade de entender como as coisas funcionam, sem ser o que a “globo” cospe na tv.

              Eu mesmo sou empregado, de carteira assinada :-). Mas isso não me impede de defender estado mínimo, de criticar sindicatos…

            • DougSampaNA

              Ter empresa no Brasil é ser sócio obrigatório do Diabo; pois o dito usa o Governo pra sugar nossa vida, nosso tempo, nossa alegria…todas as vezes que se fala numa roda de colegas a palavra “governo” ou “politico”, o clima azeda unanimemente na mesma hora. E dá-lhe eleições…aqui em SP pelo menos as eleições pra prefeito estão geladas..

          • Raul Pereira

            O problema quando você defende uma montadora é que elas tem lucro na troca de favores com o governo e nas nossas costas. Nosso mercado não é livre, é composto de vários oligopólios, sendo o mercado automotivo um dos maiores deles. Sempre há um grupo empresarial rico e grande que quer ter a maior fatia do bolo. Pergunte para seus avós o trampo infernal que foi para as montadoras que chegaram aqui depois (Honda inclusa), A VW e Ford são dois exemplos que pagaram quantias absurdas para proteger mercado contra concorrentes, por isso os preços são escrotos. Com telefonia é a mesma coisa, abre uma empresa nova oferecendo planos melhores e logo é absorvida pelos macacos velhos desse setor. Não defenda montadoras, pois se elas tem grana, é porque muitas pessoas que querem começar empresas no ramo estão sendo barradas, como pequenos e médios empresários pelo país todo. Espere até a Tesla tentar vir para cá, será um protecionismo de mercado ferrenho por parte das montadoras que já estão aqui

            • Luis_Zo

              Desculpe, mas continuo defendendo iniciativa privada empreendedora (seja montadora, seja uma carrocinha de cachorro quente na rua) Raul, não foi ainda dessa vez que mudei de ideia.

              Mesmo no mercado “Livre de verdade” vão existir forças de entrada contra novos concorrentes (já dizia Porter ha muito tempo atras). A Tesla vindo pra cá sofreria com isso independentemente das montadoras serem ou não compadres do governo.

              E mais, ela já sofre isso nos EUA, onde não pode vender diretamente ao cliente em alguns estados.

              • Raul Pereira

                O problema maior, Luiz, não é quando essas forças estão presentes no mercado. Isso é algo natural que ocorre, mas quando se tem políticas públicas voltadas para esse protecionismo, isso sim é um grande problema. Economicamente, isso deixa as empresas protegidas como uma criança mimada: elas têm uma proteção efetiva de mercado e ficam extremamente dependentes do Governo, porque os oligopólios também só querem o problema resolvido, sem se importar com as consequências ou se os fins justificam os meios. Aí acontece o que estamos vendo: o mercado foi defendido contra os chineses ao invés de dar mais incentivo aos fabricantes daqui, fazendo as empresas ficarem dependentes da política governamental e há uns 2 anos quando o governo disse “fodam-se vocês com seus problemas”, temos essa crise no setor industrial absurda na qual estamos hoje. Tudo isso porque os oligopólios e o governo querem cada vez mais dinheiro sem se importar como ou usar o mínimo da estratégia de negócios.

          • João Cagnoni

            Se você é a favor do lucro e livre mercado, esqueça as montadoras, pois elas fazem parte do estado justamente para evitar o livre mercado e a concorrência. Esqueça a teoria e viva mais o lado prático.

      • Gustavo73

        carga tributária no País varia entre 37,2% e 43,7% do valor do automóvel. Com os encargos menores embutidos no valor final, ela sobe consideravelmente, oscilando entre 48,2% e 54,8% do preço do carro. Para comparar, a associação cita os impostos que incidem sobre a venda de automóveis em outros países. Na Itália, por exemplo, os impostos representam 22% do valor, enquanto nos Estados Unidos são 7,5%, na Alemanha são 19% e no Japão são 5%…O custo é muito alto no Brasil mesmo considerando apenas nossos vizinhos da América Latina, com 16% no México, 19% no Chile. Fora isso estima-se que o lucro nos EUA gire em torno dos 3-6% na Europa 5-8% no Brasil de 10-15%. Pagamos muito mais impostos e o lucro por unidade aqui também é maior.

        • Louis

          O lucro da montadora aqui é maior, mas acho aceitável. Tem que ser maior para compensar os riscos de investimento. Assim como quem compra título do Tesouro dos EUA recebe merreca de juros, aqui os juros precisam ser altos para atrair quem aceita correr mais risco.

          • Emilio

            Tocou no ponto exato sobre a margem de lucro. Quanto menos estável é uma economia, maior tem que ser a margem para conter os imprevistos. Enquanto o país estiver a merce de governos desastrosos como o da Dilma, não seremos uma economia confiável.

          • Deadlock

            Não é só investimento em fábricas, mas também no desenvolvimento de novos produtos, para se manter competitivo.. Aqueles que acham os lucros das montadoras alto, e não são poucos, que se juntem e entrem no mercado. Talvez assim tenham idéia do que seja empreender nesse país.

            • Louis

              Sempre vejo gente reclamando dos lucros dos bancos. Por que não compram ações do Itau?!?!
              Aí você vai ver, o cara tá atolado pagando juros de 300%a.a no cheque especial…. complicado.

        • DougSampaNA

          Já não falta concorrencia, o consumidor é que tambem é dificil; ta aí a Chery como caso real, montou uma industria , fez produto abrasileirado e cade as vendas? Na hora de comprar o povo vai atrás das 4 grandes, por causa da “desvalorização futura”..vai vender seu usado numa ccs pra ver quanto pagam? Jogam o preço lá em baixo. Então se vão desvalorizar mesmo, entre um Ka 1.0 e um Celer 1.5, eu iria de Celer e ferre-se a Ford, GM ou qq outra das 4 grandes com seus preços absurdos..

      • Luis_Zo

        O que eu acho mais absurdo é sobre o preço “final” (ou seja custo + lucro + ICMS) ainda é cobrado IPI. Ou seja, cobra-se IPI sobre ICMS.

        Ai sobre esse valor (faturamento) é cobrado novamente CONFINS (ou seja, tri-tributação = CONFINS sobre IPI sobre ICMS).

        Ai depois quando a empresa fecha o balanço dela, o que sobrar de lucro ainda tem o Imposto sobre o Lucro liquido.

        E tinha ainda um nobre deputado querendo cobrar imposto sobre os dividendos distribuídos, pra quem os recebe (sendo que a empresa ja pagou impostos sobre ele antes de distribuir)

        Ainda, esse custo de 52% é bem indireto, pois nem considera o imposto de renda que ja foi pago pelo cara na linha de montagem, mais o imposto sobre as peças (que ta embutido ali no custo de montagem).

        • Louis

          Esses impostos divulgados não refletem a realidade. Será que contaram os impostos que foram pagos para produzir o papel higiênico que o funcionário da linha de montagem usa no expediente, por exemplo? E o imposto que foi pago pela empresa terceirizada de manutenção, que presta serviço para a montadora ?
          No final, tenho uma certeza, os maiores culpados são governo e sindicatos, que nada produzem, só sugam, não investem, e não dão nada em troca para o povo.

          Também sou absolutamente contra pagar impostos em dividendos. Já pagamos até impostos sobre a inflação, quem investe em renda-fixa deve saber do que estou falando.

          • Luis_Zo

            Sim Louis, esse é meu ponto. Acho 52% bem baixo ainda.

      • DougSampaNA

        Então, o excesso de despesas do Governo, Estados quebrados; todos responsáveis por excesso de despesas e só jogam as despesas (impostos) nas nossas costas..no dia que governador ou presidente começar a ser processado ou preso por quebra da Lei orçamental aí o país começará a ter gente que faça as coisas direito e talvez os impostos diminuam, mas isso é papo pra daqui 20 anos , por enquanto temos que carregar o custo dos 8 anos do Lula + 5 da Dilma..esta conta é nossa infelizmente.

    • DougSampaNA

      15,8 kgfm de torque, a 4.600 rpm..enganação dos infernos..quem fica esticando marcha pra isso?
      Adianta 131 cvs e torque só lá em cima?
      Pelo menos com a gasolina deles fazendo 14 km/l (duvido) na cidade, já serve de algum consolo.

      • Matthew

        Na prática esses números não têm tanta importância. Todo motor de concepção mais moderna é naturalmente mais “girador”, à exceção dos turboalimentados, é claro. O que caracteriza um motor de concepção antiga é justamente o fato de ser torcudo em baixo giro e ter uma potência específica baixa. Repare nos números do Cobalt 1.8 2017: 17,7 kgfm@2600_RPM e potência específica de 62 cavalos por litro. Aí o pessoal do fórum cai matando falando que o Monzatech não atende às necessidades do consumidor. Aí quando o motor está no extremo oposto, como é o caso desse Honda, o pessoal critica o pico de torque muito alto. Complicado…

      • Thales Sobral

        Com injeção direta e tudo mais, ele deve ter boa parte da força já nos 2000 rpm, não é problema. E se precisar de potência numa ultrapassagem, só é esgoelar o motor, depois volta a girar baixo.

    • Gran RS 78

      A diferença é que um cara que ganha um salário mínimo nos Eua consegue comprar esse modelo em menos de 15 meses. Enquanto no Brasil, um assalariado mal consegue pagar o ônibus no final do mês.

  • Deadlock

    Bem que podiam lançar aqui também com injeção direta, poderia alavancar as vendas do monovolume, que não anda lá essas coisas. Mas, acho que esse motor é o mesmo do Civic e não o 1.5 que é vendido aqui no Fit e City.

    • Matthew

      Porque você acha que esse é o 1.5 do Civic?

  • Gustavo73

    NA esse motor não é novidade no mercado americano. Quando a atual geração do Fit/City passou a ser feita no México ao invés de ser importada do Brasil ela ganhou esse motor. Sendo inclusive oferecido em alguns mercados na América do Sul como o Uruguai.

  • RKK

    Ao que parece é o mesmo motor do novo Civic Touring porém sem o turbo.
    Bem que a Honda poderia nos agraciar com este propulsor no Fit nacional, além de retornar os discos de freios traseiros como na segunda geração.

    • João Cagnoni

      Você não entendeu, meu amigo… A idéia é faturar. Por que iria colocar discos na parte de trás?

      • DougSampaNA

        o meu LXL tem , e é muito mais eficiente.

        • João Cagnoni

          Por favor… Entenda a minha ironia!

  • paulo sergio berezovski

    Esse motor já equipava ele,quabdo será que vão lançar o 1.0 t?

    • Dudu Pimentel

      Mas agora tem ID, antes era injeção comum.

  • Dudu Pimentel

    Esse motor poderia estar sob o capô dos nosso Fit e City, mas com tecnologia flex, é claro, no futuro. Mas sei que a Honda do Brasil não fará isso (quero estar errado), pois é uma tecnologia cara atualmente…no entanto, a ID está cada vez mais comum em nosso mercado, então a tendência é o preço dela cair….assim espero.

    • G.Alonso

      Alguns sites falam no 1.0 Earth Dreams turbo com 130 cv para esses modelos.

      • Dudu Pimentel

        Tb poderia ser uma alternativa. Mas as pessoas não gostam da ideia um 1.0 em carro maior que um hatch ou sedan compacto, mesmo sabendo que ele turbo, flex e ID. Eles conseguem render um bom desempenho e ainda são econômicos, mas acho que o 1.5 com ID seria mais plausível pensando dessa maneira…agora, se o 1.0 Earth Dreams for usado para os nossos Fit e City, tb vou achar bom.

  • cepereira2006

    Incrível a média de consumo do CVT ser menor até do que a do câmbio manual. Que perfeição técnica a deste conjunto motor/câmbio.

    • Codicilo

      Exarei o mesmo adjetivo quando dirigi o Corolla CVT: perfeição técnica.

      Virei fã desse tipo de câmbio

    • fredggp

      Rapaz, incrível como domou a sede do 1.8 i-vtec do Civic no HRV. Bebia demais…

  • th!nk.t4nk

    Carrinho muito caro que oferece, mesmo nos EUA. Essa política da Honda de superfaturar seus carros é mundial, por isso têm dificuldades em se destacar nas vendas.

    • Louis

      Não creio, pois lá vende muito bem Civic, Accord, CR-V. Fit vende pouco lá porque é pequeno, carro de nicho.

      • Deadlock

        De fato, muitos americanos não cabem no Fit.

  • Yuri Lima

    A tecnologia da injeção direta é bacana e tal, mas caminho mesmo é o downsizing + turbo.

    – Nesse Honda
    1.5 131 cv a 6.800 rpm / 15,8 kgfm a 4.600 rpm
    Consumo de 12,3 km na cidade e 15,4 km/l na estrada na versão manual.

    -Um motor 1.0T hoje faz quase isso com torque e potência disponíveis em rotações bem menores.A exemplo do Ecoboost do Fiesta:
    1.0T 125cv a 6000rpm / 17,3kgfm a 1.400rpm
    Consumo de 12,2 km/l na cidade e 15,3km/l na estrada com cambio powershift.

    A injeção direta veio como aqueles mini CD’s numa era em que o Pen Drive fazia muito mais e melhor.

    • Matthew

      “A injeção direta veio como aqueles mini CD’s numa era em que o Pen Drive fazia muito mais e melhor.’ hahahahahaahahaha muito boa a comparação!

  • gustavo

    Devem ter mudado so o cabeçote e parte de Injeção, modulo, contudo e um ótimo motor.

  • João Carlos

    O motor é o mesmo. Desde o lançamento da terceira geração por lá.



Send this to friend