Kia Lançamentos México Montadoras/Fábricas Sedãs

Kia Cerato começa a ser produzido em nova fábrica no México

kia cerato 2017

A Kia Motors iniciou na última segunda-feira, 16, as operações de sua nova fábrica no México. Localizada em Pesquería, estado de Nuevo León, a unidade fabril é responsável pela produção do sedã Cerato, conhecido também como Forte no mercado norte-americano e K3 na Coreia do Sul. A versão mexicana do modelo será importada em breve ao Brasil.

A nova planta da Kia é fruto de investimentos de aproximadamente US$ 2,5 bilhões e terá capacidade para entregar até 300 mil carros por ano. No entanto, inicialmente o local vai produzir 150 mil unidades anuais, sendo que 80% deste volume será destinado a importação para mercados como Estados Unidos, Canadá e América do Sul.

Hoje, 7 mil trabalhadores operam no local. Porém, a montadora espera aumentar o quadro de funcionários para 14 mil pessoas nos próximos anos.

kia cerato fabrica mexico 1

O complexo industrial começa a operar 19 meses após o lançamento da pedra fundamental. A fábrica está pronta desde novembro, mas uma briga entre a fabricante sul-coreana e o governo do estado de Nuevo León complicou a abertura da unidade. O ex-governador do estado, Rodrigo Medina, havia prometido incentivos de 27 milhões de pesos, todavia seu sucessor, Jaime Rodriguez, cancelou os planos devido à falta de recursos.

Com a nova fábrica, a Kia Motors vai passar a vender o Cerato no mercado brasileiro sem pagar impostos de importação, devido ao acordo comercial entre ambos os países. Atualmente, o três-volumes é importado da Coreia do Sul. O Cerato mexicano, que trará ainda mudanças no visual e no interior, deverá ser lançado por aqui no início do segundo semestre deste ano.

Galeria de fotos da nova fábrica da Kia Motors





  • O acabamento continuará com aqueles materiais pobres de sempre, mas pelo menos não pagará impostos, o que não necessariamente quer dizer que será mais barato.

    • Vicente

      Quando vi o interior em uma CSS, o interior não me pareceu ser composto de materiais pobres, muito pelo contrário. A meu ver, o grande problema do modelo (além da taxa de importação que mata as vendas no Brasil) sempre foi o motor 1.6, o menos potente da categoria.

      • EJ

        Por favor não me interprete como “conflitando com sua idéia”, porque sim, em um universo aonde os competidores costumam ter motores 1.8 e 2.0, um 1.6 de 128cv pode parecer pouco. Mas digo imparcialmente, que o Cerato que mais vendeu no país (não este atual, o modelo antes desse nas css) andava muito, muito bem. Nem parecia 1.6.

        • Vicente

          Não, de forma nenhuma.
          Legal o seu feedback, porque meu conhecimento sobre o Cerato é apenas análise de números, já que nunca sequer fiz o test drive. E realmente, tem carros que por serem mais leves e terem mais torque, entre outros fatores, acabam nos dando gratas surpresas durante sua condução, mesmo sendo de uma litragem inferior aos demais da categoria. Pelo que você está dizendo, o Cerato é (ou foi, já que você se referiu ao modelo anterior) um exemplo disso.
          Falando no assunto, o modelo anterior foi um sucesso, era vendido com um preço extremamente competitivo na época. Um excelente carro por menos de 50 mil. Lembro que eu namorava o modelo pelas ruas.
          Pena que o fim da história em relação ao preço… nós já sabemos.

          • Carlos Sá

            A Kia mantem esse motor 1.6 dizendo que foca na economia. Eu fiquei um dia com o teste drive. Carro muito bom em termo de espaço e tecnologia. Mas deixa a desejar em alguns mimos como os vidros elétricos automáticos com fechamento pelo alarme. Contudoo senão no modelo atual (que fiz o teste drive) é o motor 1.6, embala bem. Mas as retomadas são fracas, na cidade. Imagino na estrada em situação crítica.

            • Edson Fernandes

              Na verdade ela foi cara de pau ao dizer que é uma proposta downsizing…. (e eu não estou brincando)

          • Ele custava o mesmo que um Polo sedã, por exemplo, e significativamente menos que um City. Aí “nadou de braçada”. Hoje é um “peixe fora d’água” entre os modelos de valor semelhante ao que a Kia pede por seu sedã.
            O Cerato é um carro com bom pico de potência, mas que exige rotações mais altas para se ter disponível seu torque máximo, que é muito limitado (15,9 kgfm a 4.200 rpm). Bom motor quando comparado ao que se tinha em Polo e City. Mas comparando com o que temos no mercado de sedãs médios hoje…

            • Edson Fernandes

              Depende em relação ao City. Em comparativo do Cerato (já de 6 marchas) e do City (o modelo automatico de 5), o City de acordo com a quatro rodas andava mais, consumia menos além de compararem preço em que o City sendo inferior na versão EX era mais equipado que a versão de entrada da versão automatica do Cerato. (quando ele foi lançado existiam dois pacotes que ao termino da geração anterior ficou apenas o topo de linha).

              • Sim, sim. Mas o Cerato tinha alguma vantagem em porte, mesmo em relação ao City. A principal diferença estava em sua largura, característica de modelos médios, enquanto Polo e City possuíam largura típica de compactos. Sem falar no nível do acabamento interno, no qual o City penava mesmo com relação ao Polo velho de guerra (o Honda tinha uma versão DX que era uma vergonha).
                Por proximidade de preços, o Cerato acabava por se apresentar como ótima opção. Foi mais ou menos o que ocorreu com o primeiro I30, que dominou o mercado de hatches médios por um bom período na época de taxas de importação e dólar bem mais baixos.

                • Edson Fernandes

                  Sem duvida, mas não pense que o Cerato apesar de médio era um expoente em espaço interno viu….

                  • Era não. Eu andava muito em um em Cuiabá quando tinha que visitar a capital mato-grossense. Era do modelo anterior, mesmo. Em termos de comprimento, se diferia pouco do City. Ele se sobressaía mesmo era na largura. Até a visão exterior dele se apresentava mais harmônica que a dos outros sedãs compactos, justamente por ter uma melhor relação comprimento x largura.

            • Essa é a questão. Quando ele custava a msm coisa que um City, o acabamento del estava ok, de acordo com o segmento. Hoje, pelo o que custa, na minha opinião não está de acordo. Da msm forma que um Sportage, que vai além dos 100 mil reais, também não tem um acabamento condizente com o preço que cobram.

        • Olha, o desempenho do Cerato pode ser chamado de “suficiente”, pois não é um carro desagradável de dirigir. Porém, na comparação com o que há no mercado, ele está devendo e muito hoje em dia. Só conseguia fazer frente (por diferença ínfima) ao Jetta aspirado, que já não existe mais.
          Portanto, se quiser se estabelecer como opção viável no mercado, vai precisar trazer outra motorização. Caso contrário, continuará sendo mera excentricidade nas ruas.
          Vale frisar que o Cerato antigo concorria em outro mercado, com opções mais ao seu nível em termos de motorização, e vinha com preços (dólar na época estava muito favorável a importações) que o fazia concorrer com City e Polo. De lá pra cá mudou tudo. Não dá para o sedã da Kia continuar com motor de HB20 e valendo preço até maior do que vários modelos entre os sedãs médios.

          • EJ

            Só falei do antigo,que tinha um preço muito bom,vendeu bem e andava muitíssimo bem. Esse atual é um bicho diferente.

          • André

            Na época dos Ceratos anteriores ainda tinha outros sedãs médios 1.6, hoje todos fora do mercado, como Corolla Xli 1.6, Megane 1.6, Focus Sedã 1.6, Civic 1.6 ou 1.7, Marea 1.6, 307 sedã 1.6, então um Cerato 1.6 não parecia fora de contexto. Já dirigi bastante a atual versão, o carro tem suas qualidades, como espaço e conforto, não sobra desempenho, mas para quem tem uma condução tranquila, também é suficiente.

            • Exatamente. Problema é que a concorrência evoluiu, e na mesma faixa de preço, há produtos com as mesmas qualidades do Cerato e com motorização de características bem superiores. Aí não há santo que faça milagres para o carro vender bem.

        • Tosoobservando

          Mas o cerato antes do IPI majorado e Inovar Auto custava 49.900 1.6 e era uma excelente compra, tanto que mesmo sendo importado chegou a liderar algumas semanas, e ficar atras apenas do Corolla no fechamento.

        • Hugo Henrique Silva Lange

          o cerato 1.6 tem 126 cv… nao esta tao longe assim da concorrencia.

          • Os concorrentes todos já contam com potências acima dos 140 cv.
            Mas o problema maior do Cerato está no torque limitadíssimo para o seu porte. Menos que 16 kgfm é um valor limitadíssimo para o porte do carro, ainda mais quando avaliada a curva de torque do modelo: o pico vem a elevados 4.200 rpm. Isso coloca o desempenho do carro em níveis bem humildes.

        • Daniel

          Concordo com vc. Antes do C4 2.0 tive um C4 1.6, e acho que o carro andava muito bem. Claro que prefiro o 2.0 e que ele anda beeem mais (são 151cv contra 113cv e 21,6Kgfm contra 15,8 Kgfm). Mas, nunca passei aperto com o 1.6, que acelerava “liso”. Sem contar o obvio: era mais economico!
          No cerato 1,6 é a mesma coisa, claro que não empolga como um 2.0… mas, tá longe de passar aperto

      • Eu acho o interior do Cerato muito bom. O design e os materiais de acabamento estão bem inseridos na categoria dos sedãs médios que temos no mercado.

        • Name

          Eu gostei do espaço interno dele.

      • pedro rt

        e o mesmo motor do soul, do antigo i30 antes da reestilizacao e do hb20/veloster

      • Davi Millan

        O interior do Cerato é o melhor da categoria pra mim. Entre no novo Kia Soul e verá acabamento digno de marca premium. Mas infelizmente o preço também é de premium (culpa do dólar e ipi alto para importado) e seu motor que não condiz com o valor.

      • Gilberto Silva

        concordo contigo, o motor 1.6 e o alto preço cobrado foram o calcanhar de aquiles do Cerato. acredito que com a vinda do México ele ganhe competitividade no mercado!

        • mauricio

          deveria ser fabricado no brasil ou argentina, pra portadores de necessidade especial, com o valor de 70k, dessa forma iria vender bem

    • Fábio

      Uma pena que o primeiro comentário seja desse cara que nunca entrou num Cerato na vida e falar uma bobagem dessas.

      • Da minha parte eu posso dizer que já tive um cerato, na época achava bom Pq nunca tinha tido nada melhor. E deixei de comprar um outro aqui no Chile Pq acho o interior, cheio de plástico duro, bem inferior a carros da Msm categoria e preço.

    • mauricio

      pobre se for comparar a um seda de luxo, o cerato tem um dos acabamentos melhor da categoria, vc viu o cerato peça internet?

      • Não, eu vi o carro ao vivo mesmo, várias vezes, seja andando de taxi (são bastante comuns aqui no Chile), ou quando fui ver um hatch como opção de compra. Pelo preço que esses carros coreanos custam (Hyundai incluído aí) e pela ‘percepção’ que as pessoas têm dessas marcas, quase um carro premium, eu acho bem fraco o acabamento.

    • Gran RS 78

      Acho que vc nunca entrou em um Cerato para falar uma coisa dessas. O modelo é muito superior em acabamento em relação ao Civic e Cruze por exemplo.

  • Name

    Tomara que troquem o motor.

    • Carlos Sá

      Poderiam colocar o antigo 1.8 do Elantra.

  • O principal seria a troca do propulsor. Com o fim do Jetta aspirado, o Cerato passou a ser o último sedã médio realmente “manco” do mercado. Sem o advento de um motor mais ao nível dos seus concorrentes, continuará a ser um modelo que sequer se apresenta como figurante no mercado dos sedãs médios.

    • Davi Millan

      Realmente ele precisa pelo menos de uma versão 2.0 (porque esperar por um turbo esquece…). O motor 1.6 de 128cv (gasolina) 126cv (flex) é bem valente e até surpreende pela sua “litragem” (com cambio manual surpreende até o ADG, eu tenho um MT e digo que ele anda muito bem, mas com cambio at, que é preferencia do segmento, ele tem outra conversa). Porém na época em que foi lançado era condizente e tinha como uma versão com potência na média do segmento e menor consumo, porém hoje com o sumiço do motor santanatech 2.0 8v que tomava pau do Cerato e o Cruze vindo aí com o 1.4 Turbo ele vai ter que mudar de posicionamento e adotar um 2.0, além de uma central multimídia, ESP e 6 airbags.

    • Tem o J5 e seu motor 1.5.

      • Faixa de preço muuuuuito diferente. E convenhamos, o J5 também vende o que?

        • Ainnem Agon

          Mas todos ainda sedãs médios.

          • Mas não vendem. O comentário que fiz foi no seguinte sentido: se quiser ter alguma representatividade no mercado, vai ter que trazer um conjunto mecânico mais adequado.

        • Na verdade, nem tão diferente, considerando que ele é apenas manual, e sua versão equivalente ao Cerato custa R$ 69.690 (J5 Pack 3), enquanto o Cerato Automático 1.6 custa R$ 72.990, logo, se o J5 tivesse cambio automático, custaria o mesmo ou mais. Quanto as vendas, de fato é pouco, mas não o tira do segmento, bem como o faz o mais fraco dentro dele.

          • Bom, o fato de o JAC (empresa que jhoje tem representatividade mínima em nosso mercado) ter motor anêmico não justifica que o Cerato também o tenha. Se quiser entrar no jogo pra valer, vai ter que trazer algo mais condizente com a média da categoria. Caso contrário, é só pra vender no Brasil migalhas que restam de sua produção.

  • Hugo Henrique Silva Lange

    ancioso para chegada deste novo cerato.. #UP … e continuo rindo dos que falam sem conhecer o carro… vcs são comédias! kkkkkkkkkk

    • Cerato é um bom carro em muitos aspectos. Mas vai ter que trocar sua motorização para se apresentar como opção viável dentre os demais concorrentes do mercado. Caso contrário, as vendas vão continuar em ritmo de conta-gotas. E isso sem mudar significativamente o seu preço atual. Bem, vindo do México, a questão do preço deve ser melhor equacionada.

    • Davi Millan

      Já estou esperando para trocar de carro devido a situação do país e preço em acensão… Agora com a chegada do Cruze e Cerato novos (nem conto o Civic, porque deve vir com preço estratosféricos assim como todo honda ou toyota) vou esperar eles. Tenho um Cerato 12/13 mt e o carro é muito bom.

      • Hugo Henrique Silva Lange

        tenho um ceerato 09/10. mais de 120,000kms rodados. problemas? nenhum. garantia? trocou manopla do cambio e volante, pq segundo eles estava descascando… eu nem havia percebido. obviamente, um motor melhor, com certeza seria o certo no carro… mas eu que ja rodei o pais todo neste carro, e ja tive oportunidades para acelerar outro, eu, EUUUU não senti falta de potencia em momento algum… quem sabe vem um motor nvoo ai (eu acho dificil), vindo do mexico, o valor mais baixo seria trocado por amnter o valor mas com motor melhor… #ficadicaKIA. ja disse em outros posts aqui, a KIA esta tentando sair da cena mediana, e tentando deixar seus produtos melhores e assim, peganod outra gama de clientes… ela vem elevando o nivel, e com a noticia de que no brasil ela pretende lançar 37 novos modelos ate 2020, me deixou surpreso. vem ai uma nova era…. Hyundai e Kia sera lideres de mercado em breve. eu de verdade, ja tentei sair da marca, mas nao consigo…. esperar e ver o preço que chega, quem sabe…. rs

        • Ainnem Agon

          Eu acho que PODE have a possibilidade desse 1.6 Flex não vir mais pro Brasil: para isso a fábrica do México deveria estar preparada, o que foi feito na Coréia. E acho que isso não acontecerá. ACHO.

          Eu, enquanto fanático por carros e especialmente pela Kia, prefiro um motor 2.0 a gasolina do que um 1.6 Flex. Todos sabemos que ela traz o 1.6 pois é um motor mais barato do que o 2.0, o que aumenta a sua margem de lucro.

          • Hugo Henrique Silva Lange

            concordo em tudo. estou com meu ate hoje, justamente por nao ser flex.

            • Gustavo Cruz

              Mesma coisa aqui. Tenho um 10/11 AT com 100k rodados. A única coisa fora da manutenção normal que tive que substituir foram as bieletas que custaram 200 reais o par. E isso porque a suspensão do Cerato é muito baixa e de curso muito pequeno. Na minha cidade pelo menos, sofro demais com isso. Mas em compensação, a estabilidade…..

              Quanto a performance, nada a reclamar. Já fiquei uma semana com um Civic 1.8 de um amigo e só senti diferença nas retomadas, mesmo assim pouca coisa. O motor 1.6 dele trabalha muito bem e o câmbio é muito bem escalonado.

  • Cyro

    E vai custar o mesmo preço ou até mais caro.

  • afonso200

    7mil empregos, chegando a 14mil………isso sim é fazer fabricao, e não o protecionismo que tem aqui que a Chery tem 250funconarios, onde saem 60carros por semana, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Tosoobservando

      La no Mexico 80% da produção é exportada.

      • Deadlock

        E qual é o problema?

        • Zoran Borut

          O “problema” é que se essa proporção fosse igual por aqui, hipoteticamente essa fábrica da Chery poderia produzir os mesmos 240 carros por mês para o mercado interno e exportar 1200 carros por mês, podendo gerar bem mais que apenas 250 empregos.

  • Leonel

    Gostei e o interior (ao menos, via foto) parece mais refinado. Seria muito bacana passarem a oferecer um motor com maior potência e torque sem alterar os preços (ou, se alterar, nada gritante).

    Só não vou me iludir com um turboalimentado pois, até onde divulgaram sobre o novo Sportage, ele manterá exatamente a mesma mecânica…

  • Lucas086

    Gosto do Cerato, falta só uns aros 17 e os bancos em couros, já que ele vem com portas, volante manopla em couro. Bem que a isenção que ele vai receber, poderia baixar um pouco o preço, pelo menos por aqui, ele é vendido a preço de corolla gli upper, resumindo, não vende praticamente nada. Sem falar nas revisões não tabeladas, a Kia devia resolver logo isso.

    • Davi Millan

      Realmente o Cerato fica devendo em algumas coisas. As rodas 17″ e os bancos em couro podem ser opcionais, até porque rodas 17″ no Cerato deixam ele beeem duro (eu tenho um) e o couro alguns gostam outros não. Mas CMM, ESP e 6 airbags poderiam vir, além de uma opção 2.0 também.

      • Lucas086

        Andei em um que o dono colocou umas 17 nos pneus 205/50/17 além de lindo, ficou mais macio que o Civic, por exemplo. Agora, ele merecia no minimo 4 bags, mas esp e tsc. Na faixa de preço dele, todos tem mais de 2 bags, pelo menos. Eu mesmo tou analisando a troca do meu Uno em um 14/15 branco com 15 mil rodados, o dono se apertou, precisando de dinheiro.

        • Davi Millan

          Eu tenho um Cerato 12/13 com rodas 17″ (vieram de série, versão SX) e digo que pelo menos nos Ceratos até 12/13 (versão anterior a atual) a diferença entre as 16″ e 17″ são imensas, sem falar nos pneus 215/45 R17 que vieram com o Kumho primeiramente (que são péssimos por não absorverem bem as pancadas dos buracos) e agora troquei por Pirelli Phantom que são bem melhores, mas não são como os Michelin. A Kia tem essas mancadas, pois o Cerato merecia pelo menos 4 airbags, ESP e TC antes do motor maior. O Cerato é um ótimo carro e tu vai gostar, mas as revisões nas concessionárias são caras e as peças também. Veja na css Kia mais próxima o valor das revisões, peças básicas e também cote um seguro (que no meu caso saiu bem caro).

          • Lucas086

            O que tá pegando é isso, justamente as revisões, a primeira eu vi a nota, ele gastou 570 reais e só trocou óleo e filtro. Achei caro, mas como é uma oportunidade e ainda o carro dele está entrando abaixo da Fipe, pode ser que dê negócio. Eu gostava também do antigo Cerato, mas realmente era duro com as 17′, mas muito bonito, meu primo tinha um com as 17′ e baixo nas H&R, muito top e aparentava estar mais macio do quê com as molas originais, não sei pq. O seguro cotei e ficou em 2300, pago em um uno sporting 15 1700, não achei caro.

        • Lucas086

          O que tá pegando é isso, justamente as revisões, a primeira eu vi a nota, ele gastou 570 reais e só trocou óleo e filtro. Achei caro, mas como é uma oportunidade e ainda o carro dele está entrando abaixo da Fipe, pode ser que dê negócio. Eu gostava também do antigo Cerato, mas realmente era duro com as 17′, mas muito bonito, meu primo tinha um com as 17′ e baixo nas H&R, muito top e aparentava estar mais macio do quê com as molas originais, não sei pq.

    • Diego Sabino

      Tenho um 12/13 AT e ele tem rodas 17 e bancos de couro. Infelizmente o asfalto brasileiro faz com que o carro sofra com os buracos e pelo que li até agora, esse novo terá rodas 17 também. Em relação à potência, acho extremamente satisfatória para o peso do carro, mas como já foi dito anteriormente, a concorrência evoluiu e o Cerato tb terá que evoluir.

  • Luccas Villela

    Aposto que esse Jaime Rodriguez é de raíz bolivariana :( Lesando a fábrica recém lançada.

  • Ricardo

    Carro lindo, desde a versão anterior, mas poderia ter um motor mais forte!

  • pedro rt

    espero q chegue custando na casa de 60mil ai finalmente vai vender muito, merecidamente!

  • pedro rt

    seu desempenho com esse motor 1.6 e o mesmo de um cobalt 1.4

  • Redpeak77

    México, de novo, mostrando para o Brasil como atrair as montadoras…
    Mas continua sendo da América “Latrina”… prometeu dar incentivos fiscais e tirou quando a fábrica ficou pronta.

  • Tiago

    So espero redução de preço, pois quando entrou o imposto, o aumento foi grande, agora se forem coerentes o preço baixa pelo menos uns 10 mil.



Send this to friend