Europa Koenigsegg Tecnologia

Koenigsegg agora aposta em motor 1.6 com 400 cv

koenigsegg-motor-16-400-1

A Koenigsegg não para de inovar no campo da engenharia automotiva. O fabricante sueco de hiperesportivos já desenvolveu o Regera com incríveis 1.500 cv, mas dotado de um sistema que elimina a transmissão convencional e cabeçotes sem comandos de válvulas.

Esta última tecnologia é chamada de FreeValve – o que originou a criação de uma empresa em separado – e já está sendo avaliada pela chinesa Qoros. Mas além disso, Christian von Koenigsegg pretende ir muito mais adiante e pensa em um motor compacto com 1.6 litro e nada menos que 400 cv.

koenigsegg-motor-16-400-2

Sua ideia é criar motores de alto rendimento específico, obtendo muito mais cavalos por litro. Para alcançar isso, ele pretende desenvolver tecnologias para reduzir as perdas de calor dos propulsores, o que inviabilizaria seu projeto. Cilindros menores e pistões com cursos mais longos é uma das soluções propostas, assim como naturalmente o uso do FreeValve.

Além disso, o sueco acredita que turbos e compressores elétricos não sejam a solução final, mas reconhece que sem eles, um propulsor 1.6 de 400 cv seria no mínimo impossível. Por enquanto, a Koenigsegg trabalha na elaboração dos protótipos para iniciar os testes e futuramente tornar a tecnologia viável economicamente.

[Fonte: Carbuzz]





  • Ítalo Figueirôa

    Molezinha uahauhauhauah

  • Velostero

    Vai ficar mais ou menos com a mesma cavalaria do meu Veloster 1.6 (sic) kkkkkkk

  • CanalhaRS

    250cv por litro, nada mau para um popular…hehehehe…

  • EuMeSmObYmYsElF

    pra quem dizia que ja estávamos no limite da eficiência dos motores à combustível fóssil…

    • Pacheco

      Pois é… alguem com grana foi lá e colocou tecnologia. Ainda acho que daqui uns 10 anos, os maiores motores que teremos será 1.5.

    • Luiz K. Jr

      Existe um limite teórico que um motor à combustão conseguiria no máximo 30% de eficiência energética, eliminando as perdas por temperatura e etc. Os carros da formula 1 estão em 35%.
      Moral da história:
      Sempre vão existir materiais nobres para alcançar números impressionantes, mas o outro lado da balança fica extremamente desfavorável, sendo inviável a produção em grande escala.
      Preço da inovação.

      • EuMeSmObYmYsElF

        alumínio e fibra de carbono também já foram considerados inviáveis anos atrás e hoje, bem, alumínio está aí e a fibra de carbono está começando a “descer do pedestal”.. vamo que vamo, rumo aos 500cv por litro

      • Brenno

        Hoje conversando com um prof. de Transferência de Calor, chegamos a uma conclusão que motores atuais, populares, como Ka e Up, giram em torno de 35%. Motores como os atuais de F1 já beiram os 45%.
        Problema de eficiência é as perdas. Sempre elas. Podemos fazer o melhor motor possível que não vamos nunca ficar satisfeitos. Ainda bem!
        B16 e seus 160cv.
        S2000 e seus 125 cv/l, aspirado.
        Seria maravilhoso ter motores 1 litro que conseguissem 200 cv fazendo 30 km/l. Mas, por hora, é algo impossível, não só financeiramente, mas não temos materiais nem tecnologia AINDA pra isso.

        • André

          Aí eu entro no NA e vejo um comentário desses. Um dos melhores e mais úteis que já li aqui até hoje! SEGURA AÍ O MEU LIKE!

    • Leonel

      Só não esquece disso: “o sueco acredita que turbos e compressores elétricos não sejam a solução final, mas reconhece que sem eles, um propulsor 1.6 de 400 cv seria no mínimo impossível” ou seja, para alcançar essa cavalaria, não tem como não turbinar e usar compressor elétrico.

      De qualquer forma só mostra como investimento em tecnologia e inovação são benéficos à sociedade (quando usados para tal propósito).

      • EuMeSmObYmYsElF

        claro.. a não ser que inventem uma liga metálica mágica que não perca energia por calor, não há como escapar da indução forçada pra aumentar a eficiência

    • DiMais

      empresas não tradicionais mudam os rumos das indústrias tradicionais.

  • Rodrigo

    Dentro de 30 anos chega o trubo elétrico no Brasil, e o mundo já rodando de carro elétrico.

  • Rodrigo

    Se for movido a urânio enriquecido, quem sabe…

  • Maçaranduba o Porradeiro.

    Quando for um 1.2 de 600cv aí eu ficarei impressionado….
    Até lá, não sinto nenhum furor…

    • Felippe

      se o motor for aspirado, é sim uma grande evolução

      • Maçaranduba o Porradeiro.

        eu não mencionei em nenhum momento o uso de turbos.

    • Brenno

      Um motor 1.2 com 600 cv, sem sobrealimentação, é “impossível”. Nem mesmo se fosse um ciclo de Carnot chegaria nisso. Agora, sobrealimentado é perfeitamente possível. Fazendo-o girar acima dos 10 mil RPM, socando 5 kg de pressão, usando componentes by Adamantium, consegue-se.
      Lembro de um Gol G3, 1.0 16v Turbo, que com 2.8 kg + Nitro chegava a “apenas” 350 cv.

      • Maçaranduba o Porradeiro.

        Alimentado a base de urânio chegaria fácil 700cv….

  • Luiz K. Jr

    Lembrando que a Kawasaki produz faz anos a ZX10R com 200 cv (+10 da Ram air) com 1L.
    Tecnologia que é bastante acessível, portanto é bem possível chegar à melhores números colocando materiais mais sofisticados.
    Impossível não é, mas será que vai ficar viável em termos financeiros? Só o tempo dirá kkk

    • Marcos Andrew

      Mais se ele colocar isso nos seus hypercarros , não vejo o custo para que a tecnológica não seja agregada.

    • Fernando

      Creio que motores de moto não sejam parâmetro nesse caso porque, apesar da grande potência que tem por serem “giradores”, tem pouco torque.

      • Luiz K. Jr

        Por que não pode ser parâmetro? Acredito que sim, afinal, certamente esses carros serão dispostos com motores elétricos que podem muito bem corrigir a falta de torque. E uma das maneiras mais “fáceis” de extrair potência de motor de pequena litragem é os fazendo girar (no caso de ser aspro)

  • Marcos Andrew

    O documentário dele no netgeo e mto bom.. Recomendo.

  • Fernando

    Fazer com essa potência é fácil, o difícil vai ser o motor não abrir o bico depois de 1.000km. Ex F1 e WRC que tem motores 1.6 também.

  • Mario

    Com turbos, of course!

  • Diogo Oliveira

    bem que podiam desenvolver um 1.0 com 200Cv, nós BR fica mo felizão.

    • Brenno

      A um tempo atrás, teve alguém que pegou um Gol 1.0 16v Turbo, mexeu daqui, dali, e teve no final 350 cv. Com: 2.8 kg de Turbo+Nitro. Viável? Sim. Utilizável… Unhm…

  • radiobrasil

    Ê… mais conheço um manolo que TEIMA que seu Gol quadradão com ap 1.6 tem mais de 500 cv…

  • Fumaça

    250cv por litro não é algo que a MotoGP já alcançou?

  • Brenno

    O problema de todo Engenheiro Mecânico se chama perdas. Não tem jeito. Você pode fazer o que for que vai ter perdas, sempre vai. É possível chegar nos 400 cv com um 1.6 litro? É. Os F1 antigos chegavam a 1500 cv com 1,5 litro. Mas, leva em conta que os materiais, a durabilidade e o custo será o mesmo que andar em cima da corda bamba. Apoio totalmente essas ideias, mas para uso “civil” ainda demora um pouco. Hoje, o motor com maior Cv/L, “acessível”, seria os Mercedez 2.0T com 175 cv/l ou mesmo o do ultimo EVO com 200 cv/l. Uma relação “trivial” diz que potência = Torque x Rotação. Onde vemos que um pequeno 3 litros gerava 900 cv na F1, mas girava na casa do chapéu. Fazendo uma comparação grotesca, um motor 1.0 girando 20 pau entregaria 250 ~300 cv aspirado. Agora, torque e durabilidade…

    • Portuga Goleta

      Apesar de ser híbrido, os F1 atuais da Mercedes e Ferrari já chegaram na casa dos 900cv com motor 1.6

      • Brenno

        Isso é verdade. Mas analisando os materiais e a tecnologia empregada, é coisa de outro mundo. Sem brincadeira, um Turbocompressor de um motor desses deve custar o preço de um carro popular 0km no Brasil. Porque aguentar 3,6 kg e porrada direto, não é pra qualquer um. Eu queria mesmo é ver como vai comportar o Wankel+Hibrido da Mazda.

        • Thiago Garcia de Lima

          a turbina de um F1, muito mais. Tem turbina de carro de rua no Mercado Livre que já encosta num 0km.

  • DiMais

    vai equipar um provável futuro Koenigsegg ‘popular’ no nível de Ferraris e Lamborghinis… o desenvolvimento de motores a combustão também está longe de chegar ao seu limite…

  • Dudu Pimentel

    Para efeito de comparação, o 2.0 Turbo da Mercedes equipa as versões AMG da Classes A (A45, CLA45 e GLA45) tem 360 cv no GLA45 e CLA45 e 381 cv no A45 AMG…no Golf GTI Clubsport o 2.0 TSI tem 290 cv; na versão R atual 300 cv; 310 cv na versão GTI Clubsport S e 330 cv na GTI TCR…esse motor é forte e potente.

  • leitor

    Se beber muito trocou seis por meia dúzia.

  • CÁSSIO

    vai ser interessante quando esta tecnologia estiver disponível , tomara que a custos bem competitivos assim espero .

  • Tiago

    Os APzeiros piram no 1,6

  • Lucas Furtado

    A CAOA já tem a tecnologia para aumentar a potencia indefinidamente dos motores.

  • Pedro Henrique

    imagina Christian von koenigsegg e Elon musk numa sala com um gordo capital chines na mão deles
    fico até curioso pra saber que ideia louca que sairia desses mlk

  • Guilherme Batista

    A primeira vez que vi esse video me deu vontade de abraçar esse motor!
    40 quilos, só e mesmo assim gera toda essa potência.

  • Guilherme Batista

    Essa tecnologia sem comando de válvulas abre possibilidades gigantescas para desempenho e ao meu ver, abre também várias possibilidades para economia de combustível. Desligamento de cilindros, abertura precisa das valvulas e no tempo preciso sempre, abertura e fechamento mais rápido… tomara que se popularize

  • Paulo Eduardo

    A Nissan já não fez isso com aquele motor que se carregava nos braços de tão leve? Era para competição mas para colocar na rua não deve ser tão difícil.



Send this to friend