_Destaque Segurança

Latin NCAP: Palio cai para uma estrela e BYD F0 recebe zero estrela

fiat-palio-latin-ncap

O Latin NCAP acaba de divulgar seus mais novos resultados de crash test de modelos da América Latina e Caribe, com o Fiat Palio e também o modelo chinês BYD F0.

Segundo a instituição, os resultados continuam a decepcionar com um novo resultado zero estrela, e uma estrela apenas para um modelo líder de vendas na região.

byd-f0-latin-ncap

A versão básica do BYD F0 recebeu uma classificação de acordo com seu nome, zero estrela. O modelo, similar ao Peugeot 107, apresentou estrutura estável no impacto frontal, mas registrou lesões de elevado perigo nos bonecos adultos devido a carência de airbags.

Já o Fiat Palio ganhou apenas uma estrela para o ocupante adulto e três estrelas para a proteção do ocupante infantil. A baixa qualificação do adulto decorreu dos registros no peito do dummy no impacto lateral, apesar do bom desempenho da estrutura nesse impacto.

A presidente do Latin NCAP, María Fernanda Rodríguez, comentou que os resultados mais uma vez mostram que os fabricantes da nossa região não levam em conta a segurança como uma prioridade.

Novos resultados serão apresentados em setembro.





  • Rodrigo

    Sem novidades…

    • Serkot

      Comprem carros Chineses!
      São bons SYMMM AMIGUINHOS… pode confiar!

      • Marcelo Barganha

        Sem querer defender chinês.. Mas a nota 0 do BYD foi atribuida na versão de entrada justamente por não contar com airbags, item obrigatório no Brasil!

        O texto, inclusive, menciona a qualidade de montagem da estrutura!

        Equipado com o acessório, certamente o BYD seria exatamente igual aos nossos “velhos conhecidos”.

        Portanto, não vejo traço de lógica em consumidor de carro brasileiro abrir questões acerca da segurança deste chinês em específico… Porque ele é tal e qual as opções disponíveis no mercado para a categoria…

      • Tyrion Lannister

        O Pálio é chinês??

        • pedro rt

          pior, e brasileiro feito com remendo de outros carros brasileiros e italianos

  • Carrera

    Vergonha a líder de mercado ter um carro com 1 estrela, ou seja o negocio é vender e fod……. os consumidores, isso é Brasil terra de ninguém.

    • Marcos

      Concordo contigo em partes, a culpa não é só do fabricante, a culpa é também de quem compra! Se o consumidor deixar de comprar e reclamar junto ao fabricante, logo eles iriam atender a demanda e o gosto local. Mas o brasileiro em geral prioriza imagem ao invés da segurança!

      • Carrera

        Concordo, como na Europa e nos EUA ninguém aceita isso, sobra para um povo que aceita de tudo.

        • João Cagnoni

          Quer um lugar com mais gente idiota que nos EUA? O Brasil dá de 7×1 neles nesse sentido, nossos olhos são bem mais abertos. A diferença é que lá as montadoras não fazem sacanagem porque o governo não permite, e vai tomar processo aquela que tentar vender um carro inseguro.

          • Chegueiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii genti. Sim, estou aposentado, mas latinncap tem que ser comigo. kkkkkkkkkk

            “O modelo não conta com airbags laterais; contudo, tem reforços nas
            portas e nos painéis internos. Esse fato explica a baixa penetração e
            demonstra que o veículo foi desenvolvido para oferecer boa proteção
            lateral”. Fonte LatinNcap

            Resumindo, o Peugeot 208 nao tem proteção nas portas, e o Palio pelo menos tem. O 208 nao tem cinto protensor, mas o Palio tem. Mesmo assim o Palio teve nota inferior ao 208, ou seja, o Palio é uma carroça mesmo.

            • Gustavo73

              Isso é na estrutura lateral apesar das ausências o 208 é superior ao Palio. Mas deveria ser bem melhor e oferecer os itens que o Palio tem. Assim provavelmente estaria com 3 e não 2 estrelas.

            • Murilo Soares de O. Filho

              Não, o Peugeot é mais moderno, só isso…

            • Edson Fernandes

              O 208 tem sim cinto com pre tensionador. Mas não adianta nada se a estrutura não for melhor.

              • Segundo o latinncap, nao tem.

                • Edson Fernandes

                  Curioso. Pois a pré tensão ocorre naquelas frenagens ou em saida de casa com carro freado em que vc tenta puxar o cinto e ele segura. (eu infelizmente só testei isso no 208).

                  Agora o pós tensão não sei dizer (ele segura e trava… depois fica molenga após colisão).

                  Mas enfim, não é isso que a Peugeot deve mudar, mas sim outras coisas a mais para torna-lo seguro ao menos nas versões de entrada.

          • celso

            Tem tanto idiota nos EUA que eles construíram a nação mais rica e poderosa do planeta.
            Enquanto nós, os espertalhões, criamos a banânia.

            • João Cagnoni

              Os 2 países tem muito idiota por m², não sei qual é pior. A questão não é porque nós demos errado, e sim como eles deram certo rsrs

            • Os EUA são bem regulados pelos órgãos governamentais. Se for olhar pelos consumidores seguem alguns fatos interessantes. Os americanos ainda são adeptos do não uso de cinto de segurança, é o país em que motoristas mais usam smartphones enquanto dirigem. Em alguns estados o uso de capacete para motociclistas não é obrigatório, e muitos de fato não usam o equipamento. Também é o país que vende a maior quantidade de remédios per capita. Se olharmos a alimentação podemos deduzir que dentro das nações ricas é a população que mais se alimenta de forma errada , o que gera prejuízo o governo e a própria pessoa. E outra , repare os discursos políticos dos candidatos a presidente. Por fim , os EUA tem suas vantagens em especial na área econômica. Mas a conduta da população japonesa, maioria dos países europeus da uma goleada. Muita coisa funciona nos EUA por causa do governo e países europeus dentre outros oferecem qualidade de vida melhor a população, inclusive no índice de criminalidade.

          • Mas quem votou nesse governo que nao permite? Os americanos.
            E quem votou no governo que permite? Os brazukas.

            O governo (aquele que representa e dita as leis) é o espelho e a forma mais limpa do reflexo da população (maioria).

            • João Cagnoni

              Será mesmo? Você é daquele tipo que acredita no poder do voto? Já conheceu de perto algum órgão público? Boa sorte com a sua esperança!

              • Poder de voto eh a coisa mais ridicula que eu jah vi. kkkkkkkk. Eu frisei na minha frase anterior entre paranteses (maioria). E esperanca tambem eh outra coisa ridicula, vivo de realidade e nao de crencas.

          • celso

            Posso estar totalmente enganado,mas até onde eu sei não é proibido vender carro inseguro na Europa. O que acontece é que os consumidores não compram.

            • João Cagnoni

              Lá o judiciário funciona. Aqui vendem gato por lebre, lá vai dar uma dor de cabeça gigante para uma montadora quando o cliente descobrir que o carro dele é menos seguro que a média (normalmente após um acidente).

          • Rbs

            Acertôoooo!! O povo americano é dos mais desinformados do mundo!!

      • João Cagnoni

        Nunca vi tanta besteira em um comentário. Quem compra um carro não deveria precisar entender de testes de segurança ou virar um engenheiro mecânico pra descobrir se o motor não vai falhar. É obrigação exclusiva do fabricante vender um produto com um nível de segurança e qualidade no mínimo aceitável. Há uns meses atrás uma conhecida bateu um Classic a 40km/h e se arrebentou inteira, acho que caberia no mínimo um processo contra a GM já que o carro não conta com absolutamente nada em nível de segurança.

        • Rodrigo

          Exatamente!
          E o LatinNCAP deveria direcionar suas mensagens de preocupação para os governos da América Latina, não apenas às montadoras.
          É uma culpa compartilhada com os Governos sim.

          • João Cagnoni

            É um problema de quem gosta de carros achar que todo mundo precisa saber de tudo sobre carros. Não é assim que o mundo gira. É igual como comprar um casa, aí o teto da casa cai e a pessoa acha que é culpa de quem comprou porque escolheu uma construtora ruim.

            • Fernando S.

              Concordo plenamente. Aqui querem transferir para o consumidor a culpa que não lhe pertence.

          • Gustavo73

            Sabe o que é pior a Latin Ncap é vinculada a Global Ncap que tem ligação com a ONU. E acho que todos os países da AL estão na ONU, logo eles sabem mas não dão importância.

            • Rodrigo

              Também tem isso. E a ONU (assim como a OMS) tem metas bastante rígidas de redução de números de fatalidades atribuídas ao trânsito.

              • Gustavo73

                E como sempre estamos bem longe dos índices esperados.

                • Rodrigo

                  Se não me equivoco o “aceitável” pela OMS é de 10 mortes por 100 mil habitantes e num relatório de 2013 o Brasil estava com 23 mortes/100 mil.
                  Somos o campeão em mortes na América Latina pelo fato de nossa população ser a maior, mas nós EUA esse índice beira (ou beirava) as 40 mortes por 100 mil, segundo esse mesmo relatório.
                  Só que as metas levam em conta outros fatores, como obrigatoriedade do uso de cintos de segurança, proibição da ingestão de álcool pelos motoristas, leis de trânsito mais rigorosas, etc.
                  Mas ainda assim o Brasil está melhor que China, Índia, Rússia e outros países muito populosos.
                  O benchmark continua sendo a Europa.

                  • Gustavo73

                    Pelo que li outro dia o objetivo era reduzir as mortes em 20% até 2020 o Brasil só reduziu 6% alguns países tiveram até aumento no índice falando em AL.

        • Marcos

          Nunca vi tanta besteira no seu comentário! Se você vai comprar algum bem, independente do que for, a sua obrigação no mínimo é se informar!!! Ou você compra porque o vendedor falou que o produto é bom? E não precisa ser engenheiro mecânico ou precisar entender como você citou acima!

          • João Cagnoni

            Você quando viaja de avião, você sabe qual modelo é mais seguro? Então se cair, o problema é seu e não da empresa aérea? Você só conhece carros porque deve gostar, assim como eu. Mas a maioria das pessoas não são assim, e não tem obrigação nenhuma de ser. Elas tem o direito de comprar qualquer carro e andar com segurança. Veja esse trecho do código de defesa do consumidor que as pessoas não lêem e o judiciário não aplica (rsrs): Cap. 3 – Art. 6º – “São direitos básicos do consumidor: I – a proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos;…”. Eu sei que lei aqui no Brasil só serve de enfeite, mas veja que uma simples alteração na divulgação de emissões na VW causou um problema monstruoso para a empresa, sendo que aqui no BR isso nem seria noticiado, pode ter certeza. Agora imagina se a VW resolve vender um Gol lá nos EUA? Quantos processos será que ela vai levar depois de alguns acidentes?

            • Murilo Soares de O. Filho

              Ela não conseguiria vender o Gol Lá

            • João, você não está comprando o avião, está adquirindo o serviço de transporte da companhia. São coisas diferentes que não se comparam.

              • João Cagnoni

                Que seja, me explique como isso funcionaria para uma corrida de Taxi.

                • Mas o que corrida de táxi tem a ver com a história? Sério, não entendi, sem ironia, poderia me explicar? O que sei é que não se exige teste de impacto para taxistas, o que seria um contrassenso: Exige-se para ônibus, que carregam muito mais gente em condições de segurança muito mais críticas? Sinceramente não estou entendendo onde quer chegar.

                  • João Cagnoni

                    Você sabe qual é a nota de impacto em crash tests em cada taxi que você anda? Quando sofrer um acidente, você deverá responsabilizar a empresa de taxi, que por sua vez deveria responsabilizar a montadora. Ou seja, quando você compra um carro, deveria contar com uma boa segurança, seja o carro que for.

                    • João, João.. Você não muda. Começa a perder a discussão, aí MENTE. A empresa de táxi só processará o fabricante caso haja erro que tenha provocado o acidente. O cara passa do limite de velocidade da via, bate o carro em uma jamanta e o problema é o fabricante que não ofereceu segurança. Eu nem vou pedir para provar seu devaneio, porque as cooperativas de táxi que eu usava tinham seguro e nenhuma seguradora ia atrás de fabricante de carro.

                    • João Cagnoni

                      Alessandro, a empresa de taxi não processa as fabricantes. Atente-se ao que digo no meu comentário, ISTO ERA O QUE ESTAVA FALTANDO. Foi por isso que dei o exemplo do taxi e das empresas aéreas. As montadoras de carros precisam se responsabilizar por aquilo que produzem.

                    • Entendi João. Desculpa a interpretação equivocada.

            • Marcos

              Eu entendi aonde você quer chegar e concordo contigo, mas o que quero dizer é que você não pode e deve apontar um culpado e se valer disso! A culpa é do governo e do consumidor! O primeiro por não impor e cumprir, e o segundo por não valer e cobrar dos seus direitos!

              • João Cagnoni

                Vou tentar resumir o meu pensamento em poucas palavras: As empresas são responsáveis por aquilo que vendem. Simples assim. Se você provar que bateu o carro e ele não te protegeu como deveria porque a fabricante não colocou uma barra lateral ou usou materiais de baixa qualidade, ela deve ser responsabilizada. As nossas leis também dizem exatamente isso, mas na prática o judiciário não funciona.

                • João, sim, elas são responsáveis pelo que vendem quanto a defeitos. Quanto a segurança, eles vendem conforme o cliente esteja disposto a pagar. Simples assim. Você quer falar sobre limite mínimo de segurança? Aí acho uma discussão válida. Agora querer que gastando 30 mil em um Mobi ou 100 em uma Freemont eles tem que ter dar 5/5 estrelas…
                  Será a mesma coisa de pagar 600 reais em um Samsung J5 e reclamar que as fotos que você tira são inferiores a um S6, que a Samgung é responsável pelo J5, tem que oferecer a qualidade dos premiums. E se eu for comprar uma Towner para meu mercado. Porque precisarei de peso Extra, custo extra para um veículo que mal passa dos 40? Quero liberdade para comprar o que quiser. Reitero que o problema não é o céu poluído do Palio onde não se vê estrela. O problema é ele ser assim e custar 40 mil, e a opção que a Fiat me dá para proteger minha vida e dos meus filhos custar 80.

                  • João Cagnoni

                    Segurança não é funcionalidade. Não estou falando que o sujeito deve reclamar de um carro porque não tem central multimídia. Tanto que o J5 não pode ser um celular inseguro (explodir a bateria) só porque é mais barato que o S6 que não explode. Um Mobi pode não ter a segurança de uma Freemont, mas deveria ter a mesma segurança do up.

                  • Edson Fernandes

                    Alessandro, na minha consciencia eu esperaria sim que um carro de R$30000 desse a segurança considerada tão boa quanto a um de R$100000.

                    Isso acontece na Europa não?

                    • Sim, mas não como todo mundo diz. É muito comuns modelo básicos virem com os mesmos equipamentos de segurança desde a versão básica. Mas também tem exceções. Até porque existe um motivo de existir mais que uma versão de um modelo e a diferenciação de preço entre elas.

                    • Edson Fernandes

                      Sim sim… mas eu quero dizer é esperar ao menos que eu possa ter o mesmo nivel de segurança de carros que hoje possuem mais air bags porque são mais caros, porém para me proteger daquilo que o carro foi feito para suportar.

                      Tirando isso, eu até concordo com um comentário logo abaixo que você fez que você cita os limites de um carro (comparando um Golf com um Mobi).

                      Meu pai está no terceiro Siena seguido dele… será que se o carro fosse tão ruim como dizem iriam ter consumidores como meu pai (e foram muitos inclusive taxistas) que iria colocar o dinheiro deles no carro?

                      Mas tudo bem… ele já me comentou que se interessou pelo Versa (que parte do mesmo principio do Siena em segurança, ou seja…. vc já sabe) ao menos sei que dará mais conforto a ele (e anda bem! Andei num Uber).

        • João, sabe porque você votou na Dilma? Porque sem querer você pensa como socialista. Por mim as empresas poderiam oferecer carros de zero a 5 mil estrelas. Mas que desse para o consumidor a liberdade de escolher. Mesmo esse chinês zerado seria mais seguro que uma moto, cuja venda não é proibida aqui. Pois bem, a questão é que os custos deveriam ser conforme a qualidade dos produtos e isso não acontece. O problema não é o Classic não segurar a barra a 40 km/h. O problema é ele ser assim e custar 35 mil. E que quem quiser segurança terá que pagar 80 mil. Esse é o verdadeiro problema.

          • Rodrigo

            Nem tanto ao céu, nem tanto ao inferno, já dizia a sabedoria popular.
            O liberalismo é ótimo, mas o mercado precisa de regras mínimas para poder operar dentro de padrões, do contrário não existiria a necessidade de ter agências como NHTSA (National Highway Trafic Safety Administration), ou FDA (Food, Drugs Administration), FCC, e por aí vai. Isso falando apenas do ‘país-modelo’ em liberdade econômica e longe de ser tido como socialista. Direito a liberdade de opção também é uma frente de ação, afinal quanto maior a concorrência, em teoria, melhor é o produto. O problema é quando essa concorrência se une em forma de associação (=ANFAVEA) para ditar as regras que o próprio governo deveria criar, fazendo lobby por uma regulação mais branda ou inexistente.
            E não vou nem entrar no mérito preço porque seria uma discussão bastante longa.

            Em suma, se o DENATRAN se preocupasse em editar regulamentos para melhorar o desempenho dos carros em testes de colisão já seria de grande valia. Talvez você não saiba, mas as normas vigentes hoje no Brasil são compativeis às mesmas normas vigentes na Europa até 1997! Por isso que vira e mexe fabricante local responde “nossos carros atendem completamente as normas de segurança vigentes no Brasil”. O que demonstra claramente a disparidade entre o que é mínimo exigido no país versus o critério que o LatinNCAP adota.

            • Rodrigo, o NHTSA tem o poder de barrar a venda de carros? Se não tiver, não serve como exemplo.
              Quer que o governo crie regras? Ok, mas que sejam regras práticas. Exigir air bag sem exigir deformação máxima da carroceria não vale muita coisa. Exigir ABS em vez de exigir níveis bons de frenagem parece um contrassenso para mim. Sabe qual o problema dessas regras? Ao exigir o equipamento e não que ele cumpra sua função, estamos limitando que amanhã possa surgir novas tecnologias que cumpram o mesmo papel de forma diferente. Se você exigir nota mínima em teste de impacto, de certa forma você estará obrigando os fabricantes a ter air bag, e ainda estará exigindo construção de estruturas melhores.
              Mas sinceramente não acho que dê para desassociar a discussão do preço da de segurança no nosso caso. 90% das Towners que conheço ou são Food Truck ou cumprem seu papel nos supermercados de bairro, quando muito raro ultrapassam 60 km/h. Porque elas teria que pesar mais, consumir o dobro, usar mais recursos naturais se ela é realizada como cargueiro para pequenas distâncias?

              • Rodrigo

                “Rodrigo, o NHTSA tem o poder de barrar a venda de carros?” Não diretamente, mas podem multar em milhares de dolares cada unidade vendida que esteja não-conforme até que o fabricante tome as ações necessárias – até mesmo deixar de vender (o que causa praticamente o mesmo efeito). Tanto que todos os recalls lá passam pelo crivo deles e eles monitoram a execução (ou não), etc.

                A regra do Airbag + ABS obrigatório no Brasil já considera testes de deformação, porém como disse anteriormente, com base em normas européias de 1997. Se fosse só meter airbag e abs em carros, Gol bolinha, Uno e (provavelmente) Kombi estariam sendo vendidos até hoje, com esses equipamentos (que, com exceção da Kombi, já equipou esses modelos por aqui antes).
                Nota mínima não seria o caso pois o Governo não reconhece os testes de impacto realizados pela LatinNCAP por não terem caráter oficial. Nesse ponto, existe uma PL que tramita desde 2015 para ser votada, instituindo testes Made in Brazil, provavelmente conduzidos pelo INMETRO; e que muito provavelmente seriam ‘bancados’ pelas Montadoras aqui. O certo seria exigir a aplicação local DAS MESMAS normas vigentes na Europa atualmente. Simples assim.

                A questão do preço pode ser dissociada da discussão no sentido que modelos usados não teriam que se submeter a testes de homologação, somente novos. E sabemos bem que grande parte do valor de um veículo vai para impostos. Em países sérios essa seria a contra-partida do Governo, afinal ele não faz a conta de quanto gasta a mais em saúde pq o modelo que o cidadão se acidentou tem alto grau de insegurança. Está provado que consumo não tem influência direta quando a estrutura utiliza materiais melhorados. Se assim fosse, up!, Golf, Renegade e outros projetos mais modernos não teriam 5 estrelas e bons níveis de consumo.

                • “..Está provado que consumo não tem influência direta quando a estrutura utiliza materiais melhorados…”

                  Consumo não, preço sim.

                  • Rodrigo

                    Novamente, voltamos a questão: quanto desse preço corresponde a impostos? E a contra-partida do Governo para estimular a fabricacao de carros mais seguros, reduzindo gastos públicos com hospitalização, previdência social, aposentadorias prematuras e pensões por morte em caso de acidentes automotivos?
                    Não existe almoço grátis, mas nessa equação o Governo e a população seriam beneficiados diretamente. E o custo com desenvolvimento para os fabricantes seria mínimo (bastaria adotar o que já é feito em mercados desenvolvidos).

                    • Rodrigo, no que toca ao governo, receio que a conta de que investindo em segurança diminuiria os gastos com os acidentes não fechariam. Aliás, não fecham em lugar nenhum do mundo. Claro, a intenção é fechar e sei que você não escreveu isso, talvez diminuir. Mas vejo maneiras mais simples de fazer isso naturalmente. Abrindo o mercado. Foi feito uma vez e funcionou. Onde tinha Ford, VW, Fiat, Chevrolet e Toyota, passamos a ter Honda, Lexus, A Renault e Chrysler voltaram, Peugeot, Subaru…
                      Se eu quisesse escolher um carro inseguro eu tinha esse direito. Queria um carro mais seguro? Também poderia gastando um pouco mais…

                    • Rodrigo

                      Concordo que abertura de mercado pode ser uma consequencia, mas nao a causa, pois isso seria algo natural caso o Governo editasse essa medida (nível de segurança equivalente ao Europeu, por exemplo), da mesma forma que promoveria ate mesmo o Brasil alcançar um nível de excelência que lhe permitisse fabricar aqui e exportar seus veículos para mercados maduros com pouca ou nenhuma adaptação. Com a vantagem que aqui a mão-de-obra é mais barata que lá.

                    • Na verdade falei o contrário. Abertura de mercado é a causa… Hehehe… Na verdade eu acho que faz parte da solução, embora não seja a solução em si.

          • paulo sergio berezovski

            Socialistas são um lixo mesmo eles querem usar o governo para criar leis e regulamentações para as empresas,se o carro é inseguro é só não comprar,o mesmo vale para qualquer outro produto,não precisa de Anatel,anvisa,inmetro,etc regulamentando as coisas que eu compro

            • Exatamente! Mas o que eu vejo de gente que se diz capitalista querendo que o governo controle tudo. Não acho que o governo tenha que me dizer o que comprar. Ele tem que fazer a parte dele: Criar condições no mercado para que as empresas possam oferecer produtos bons a preços acessíveis. Isso faria o cara que só tem dinheiro para comprar um Monza velho (Que deve ser bem mais inseguro que esse Palio) pudesse comprar um Classic com airbag e ABS e quem tivesse uma condição melhor pudesse levar um Étios, up! ou HB20 para casa.

            • Rodrigo

              É só não aparelhar o Estado para fins políticos que a coisa dá certo…
              Se você leu meu comentário acima, deve ter visto que nos EUA existem Agências Federais nos mesmos moldes que aqui (alias as daqui foram inspiradas nas de lá) que funcionam e ninguém os considera “socialistas”.
              Aliás, falta educação ao “brasileiro-modinha” em saber definir e diferenciar sistemas políticos e econômicos como capitalismo, socialismo, comunismo, assistencialismo, anarquismo, liberalismo, etc. E depois entram na seção de comentários de um forum automotivo destilando regras.
              Caso você não saiba, na França, Suecia, Noruega e outros países europeus o grau de presença do estado na economia chega a ser muito maior que no Brasil (pré e pós PT) e ninguém os chama de socialistas… Estude antes de falar tamanhas bobagens!

          • Edson Fernandes

            Qualidade e idade né? Porque não faz o menor sentido ver carros ultrapassados tendo preços equalizados também aos atuais.

            • Isso depende Edson. O custo de produção deles subiu? Se a idade não significar necessariamente obsolescência, eu não vejo problema. Os problemas na verdade não está com os velhos. São os novos que não oferecem nada a mais.

              • Edson Fernandes

                Concordo contigo. Como me revolta é ver carros sem itens a mais querendo aumentar de preço. Isso também vale para os atuais que sem justificar de aumento de itens ou qualquer outra coisa causem aumento.

        • Eduardo Brito

          Não é bem assim. As montadoras, assim como todas as empresas, visa o lucro. Se investir em segurança não trás lucro para elas, pq elas deveriam investir nisso? O que deveria haver era o Governo dos paises latinos exigirem mais segurança dos carros vendidos aqui, pois são gastos bilhões de reais todos os anos com acidentes de transito.

      • Rafael

        Fui comprar um novo e segurança foi fundamental na decisão. Brasileiro deveria ser mais atento a isso. É uma maldita cultura de “ah, isso acontece com os outros. Eu ando devagar” ou “não compro carro pra bater”. Só quando você ou parente/amigo muito proximo sofre um acidente sério que a pessoa passa a dar valor.

        Ps. Nao tô nem falando de comprar carros mais caros. Mas só pra ficar no exemplo. O Palio com 1 estrala deveria não vender enquanto tem um Etios (pra ficar na mesma categoria) com 4 estrelas.

        • Marcelo Nascimento

          Essas 4 estrelas do Etios é na avaliação antiga, não é? Se for, não vale a comparação…

          • fredggp

            Agora é que ele está com isofix, três encostos e avisos de cinto, acho que irá manter sim…

            • Gustavo73

              Isso serve para o banco traseiro(crianças)

              • fredggp

                O aviso de cinto ele já tinha?

                • Gustavo73

                  Isso eu não sei. Mas pelo pouco que consegui perceber nenhum carro sem airbags laterais vai obter 4 estrelas nesse novo teste.

            • Edson Fernandes

              Não. Só o fato de não ter ESP ele já perderia de cara uma estrela. Talvez se o resultado dele fosse superior ao do 208 ele teria 3 estrelas.

      • Fernando S.

        Aqui no HUE HUE BR BR eles se preocupam em multar quem não acende farol ao meio dia com o sol a pino, pois é devido a isso que as pessoas morrem.

      • Edson Fernandes

        E “telinha”.

    • Flavio de Castro

      Sabe o que é Pior, em outro fórum discussões um participante segundo ele representante desta empresa(fiat), justificou assim ” NINGUÉM FAZ CARRO PARA SAIR DANDO PORRADA, SENÃO TODO MUNDO COMPRARIA UM HUMMER” . Eu ainda tenho minhas dúvidas, mas se for mesmo este pensamento interno de uma empresa, seria mais um fiasco da mentalidade de nossas fabricantes que só pensam por dinheiro no bolso para um consumidor ainda desinformado.

      • Carrera

        Isso não é de duvidar, mas o consumidor tem exatamente aquilo que aceita ou “merece”.

      • João Cagnoni

        Eu já tive Fiat, acho que a marca deveria rever a frenagem e estabilidade dos carros antes do teste de impacto, só isso vai salvar a maioria dos acidentes. A dupla Uno/Palio não possuem nenhuma segurança acima de 80km/h, na chuva então nem se fala, uma vez fui deslizando com o carro parecendo Curling até bater.

        • Rafael

          Eu tive um Bravo Tjet e era 10 em segurança. Freio muito bom, suspensão muito bem acertada, esp, tcc, hillholder, e 6 airbags (o meu só tinha 2).

          • João Cagnoni

            O Bravo é um caso à parte. O carro anda bem, faz curva e é seguro. Ou seja, não é um Fiat… rsrs

            • Rafael

              Kkkk e não vendia bem. Se não me engano ele era derivado de um alfa romeo. Carro era um espectáculo. Acho que a Fiat mesmo queimou ele não oferecendo um câmbio AT. decente.

              • João Cagnoni

                Sim, acho que mesmo com um AT de 4 marchas naquela época teria feito sucesso. O preço do t-jet sempre foi alto também, lembro que custava 63k enquanto o Sentra custava 53k. Eu sei, o Sentra era 2.0, mas as pessoas escolhiam outras alternativas.

          • João Cagnoni

            Já freiou um Palio a 160 km/h na descida? O pneu vira uma gelatina… Isso já é perceptível acima de 70km/h, e olha que o meu era 0km. O Bravo realmente é bem acertado, mas é muito diferente do Uno/Palio/Punto.

            • Você andou com um Palio a 160 e o problema de segurança era o carro? Sei, sei… E pior, o que o pneu dele teria de diferença de outros já que o fornecedor entre eles é comum? A não ser que seja aquele chinês que equipou Classic e Celta uma época, que realmente não era como o que a VW usava na linha básica, não vejo porque o pneu do Palio seria pior.

              • João Cagnoni

                Leia o meu comentário, a instabilidade é sentida acima de 70 km/h. Já discutimos sobre isso. E não é exclusividade do carro, provavelmente outras fabricantes com a proeza de usar pneus 165 terão o mesmo problema.

                • Sim, vamos discutir quem anda a 160 com um Palio. Essa informação está no seu comentário. Como teria lido isso se não tivesse lido?

                  • João Cagnoni

                    Quem anda a 160 com um Palio? Eu andava. Tinha 19 anos, era solteiro, fazia isso quase que diariamente. Depois da sua pérola de que o Palio é um carro estável como todos os outros, aguardo novas!

                    • Se você me mostrar onde escrevi que o Palio é estável.
                      E desculpa: Essa de que era novo não cola. Até parece que quando se é novo não se mata os outros. Vamos usar as palavras corretas João. Você era irresponsável. E isso independe da idade que tinha. Muitas vezes somos irresponsáveis em algumas coisas (Eu fui também), mas entenda que nesse seu exemplo infeliz o maior agente da irresponsabilidade era o motorista, não o carro. Mas fico aguardando em que parte escrevi que o Palio é estável. Você critica brasileiro, americano… Mas lê tão mal quanto o pior deles, porque consegue ler o que não foi escrito.

                    • João Cagnoni

                      Concordo 100%, eu era irresponsável, não contrariei você nessa afirmativa. A segurança ao dirigir é uma soma de pontos, ou seja, imagine que dirigir com responsabilidade vale 10 pontos, a frenagem do carro vale mais 10, a estabilidade em curvas vale 10, ESP vale 10, crash test outros 10… Enfim, é claro que a pontuação de cada item está incorreta, mas dirigir com responsabilidade não é o único fator que pode levar a um acidente com vítimas. Eu por exemplo bati o C4 há uns anos dentro do limite de velocidade, sem qualquer reação e oportunidade para freiar. Concordo que a responsabilidade diminui bastante a frequencia dos acidentes, mas o carro também é muito importante. Eu afirmo com convicção: não teria batido pelo menos umas 3 vezes se tivesse com o C4 no lugar do Palio. E já passei por várias situações semelhantes com o C4, não bati. Não importa se estou na reta, curva, descida ou subida, o freio funciona e o carro anda em trilhos. E não adianta disfarçar, você já disse em outro comentário que o Palio tem a mesma distância de frenagem e estabilidade que os outros carros.

                    • Hahaha… João, deveria lembrar das “surras” que eu estou acostumado a te dar. Não era o Palio, era o Clio. Não era estabilidade, era frenagem. E não foi eu quem disse: Ao contrário de você que inventa as coisas, eu só falo aquilo que sei. Não foi eu quem disse que o Clio freava mais que o Focus (O outro carro da comparação), mas a Auto Esporte. E qual foi sua resposta mesmo? Ah, enfiou o rabinho entre as pernas e ficou quietinho, falando que eu estava dizendo que o Clio era melhor, o que qualquer pessoa com uma leitura razoável teria lido que passei longe de falar isso. Mas sei também que o seu problema é com português: Falar que um carro não é instável, não é dizer que não exista carros mais estáveis que ele. Eu já dirigi Fusca, Del Rey, 147, Ecosport, Escort, Palio, Kombi… Sei o que é carro instável… E reitero o que disse naquela ocasião: Se acha o Clio instável, você é um péssimo motorista. Se você depende de um modelo superior de carro para não bater, você é um péssimo motorista. A propósito, bateu 3 vezes o Palio? E a culpa é do carro?

                    • João Cagnoni

                      Espertinho! Fui pesquisar o seu comentário e você colocou o seu perfil como privado, mas vamos lá… Como bem me lembro, você disse que seu Palio não era instável igual o meu. Isso dá a entender que o seu Palio era um carro estável, correto? Colocou uns pneus 225 aro 18 nele e cortou as molas? Esses dias eu comprei uma Auto Esporte, não sei como os “cientistas” escrevem tanta besteira, acho que eles entram aqui no NA e copiam os seus comentários. Auto Esporte não é referência de nada.

                    • A comparação era Clio e Focus. Mas porque precisou pesquisar meus comentários se estava conversando com você? Era só achar seu comentário e minhas respostas estariam lá, ué! Hehehe… Está vendo como você se trai. Se quisesse ir atrás dos comentários, meu status não mudaria nada. Mas como você sabe que falou besteira dá a desculpa que meus comentários está fechados. Estão visíveis onde valem a pena. Seja mais inteligente da próxima vez. Mas eu te ajudo: “Carro da semana, opinião de dono: Renault Clio Expression 1.0 16v 2015”. Dia 23 de Junho. E meus Palios eram tão estáveis ou instáveis quanto o seu, ou de todo mundo. A diferença está entre quem dirige eles.

                    • Seu comentário, falando sobre peças usadas no Focus:

                      “Mesmo com desgaste nessas peças, ainda vai freiar bem mais que o Clio. A diferença é gritante.”.

                      Claro, a Auto Esporte está errada. Suas informações é que são confiáveis. Quantos metros o Clio parará depois do Focus mesmo?

                    • João Cagnoni

                      Podemos retomar essa conversa? Eu nem lembrava mais, pra mim era o Focus contra o Palio. Mas tanto faz, sei que os 2 não freiam nada. Vamos comparar frenagens a 100-0 km/h? A própria Auto Esporte diz que o Focus freia em 41,8m (nada como os 36m do meu C4, mas ta ótimo rsrs), enquanto a Motorpress diz que o Clio freia em 58m. A própria Auto Esporte diz que o Sandero freia em 53m e o Logan em 50m (sedans costumam freiar mais). Acho praticamente impossível o Clio freiar em 42m, não foi essa percepção que eu tive nas vezes que andei, e não condiz nada com as frenagens do Sandero e Logan. Ainda confia na Auto Esporte?

                    • Eu confio bem mais na Auto Esporte do que em comentarista que inventa números. Eles vão lá, pagam para um instituto para fazer as medições, um trabalho que envolve dezenas de pessoas e depois colocam lá quaisquer níveis de frenagem, não é? E ninguém fala nada, nunca essas dezenas de pessoas envolvidas abriram o bico. São pagos pelos fabricantes? Então eles teriam que pagar todas as publicações, porque é legal você colocar um número e ser desmentido por outras publicações. E quem sabe a verdade? Os comentaristas do NA, é claro!

                    • João Cagnoni

                      Então me explica porque os próprios números deles se contradizem! Prefiro acreditar que foi um erro de digitação, nem estou sugerindo que fizeram por má fé. Mas um Clio freiar em menos de 42m é uma grande mentira, 35m é frenagem de Camaro. É um absurdo você não perceber a diferença de frenagem de um médio para um compacto.

                    • Eles se contradizem ou você não soube ler os números? Ou está inventando ele De onde tirou esse número? A avaliação que eu falo foi de 80 a 0, onde ele fez um décimo a menos que o Focus e um a mais que o Golf. De 100 a zero na mesma publicação é 54m (Acredito que seja sem ABS, até porque é uma avaliação mais velha. Se quer colocar os compactos na conta, up! empata com ele, Focus, Golf… No 80 a 0 e empata com os médios no 100 a zero). Não sei de onde você tirou esses números, mas antes de falar que eles mentem, devia falar quanto é o número. Não é a atitude de homem acusar os outros de mentira sem ter provas. E aliás, de onde tirou os 36m do seu carro? Você já mediu alguma vez? Ou são os números da “publicação que não é de confiança) Errados ou não, eu tenho certeza de uma coisa. ELES MEDIRAM. E você, já mediu alguma vez a distância de frenagem? Absurdo de verdade é você dizer que a distância deles está errada sem nunca ter medido nem comparado. Você é apenas mais um daqueles que acham que sabe tudo pela tela do computador, e acham que os médios por serem carros melhores serão mais rápidos, consumirão menos, frearam em menos espaço, suas peças de desgaste natural durarão mais… Você contraria a publicação mas não tem dados para combater, apenas o seu achismo. Desculpa, mas quem deixaria de confiar em uma publicação para confiar na sua palavra, sem provas, sem número, sem nada, apenas com um conceito completamente a parte da realidade? Você esquece que médios tem discos de freio maiores, discos na traseiras mas também pesam bem mais. Não confia na Auto Esporte? Então vou te dar a comparação da distância de parada da Quatro Rodas de up! e Golf GTI: (Acho que a 4 Rodas usa o esquema 60/80/120 a zero): Compacto: 14,0/24,2/55,5 m. Médio: 15,1/ 26,5 / 62,4 m. Pelo jeito, pelos testes das duas maiores publicações do país que ao contrário de você mediram a distância, essa de “médio para em menos espaço que compacto é o verdadeiro absurdo fruto da sua cabecinha.

                      Bônus: Números do Camaro: 13,4/23,2/51,2. Como vê, ao contrário do que seu pensamento afirma, não existe essa distância toda não. Se eu fosse chutar, falaria que a questão é o peso. Isso são o que as publicações dizem. Se quiser continuar gritando “Elas mentem, eu sei a verdade”, fique a vontade. Mas acho que está claro para todo mundo aqui os motivos de você estar falando isso.

                    • Não querendo me meter na discussão muitas vezes quem cometia atos infracionais na juventude (desrespeito às leis de trânsito, colar nas provas etc) cresce e assume um cargo de diretor numa empresa. Logo se pode pressupor a qualidade e ética que uma empresa assim vai ter. No RS tivemos casos de médicos que faziam cirurgia sem necessidade para implantar prótese e ganhar dinheiro dos planos de saúde. Imagino o que um ser humano desses fazia quando era jovem, nos tempos de colégio.

                    • André, sabe esses acidentes provocados por menores, gente sem habilitação, alcoólatras? São as pessoas que usam da desculpa da juventude, da inexperiência, da curtição mas que tiveram “azar” de encontrar uma criança, uma família pela frente. Mas de qualquer forma essa discussão mostrou um lado que eu temia quando se fala em segurança automotiva: Temos que buscar sim carros mais seguros sim, mas muitas pessoas estão querendo carros que corrijam sua falta de habilidade e responsabilidade no volante. Vamos imaginar a seguinte situação: Seu carro, um Volvo com todos seus air bags e sopa de letrinhas passa por um buraco e de repente fica com problemas no sensor do ABS e no amortecedor, de forma que ele tenha problemas no freio e não faça curva como antes. Imagine que parar e esperar por um guincho não seja opção. Pois bem, você diminui a velocidade do seu carro, fica mais distante do carro da frente e passa a fazer as curvas mais devagar ou mantem a mesma velocidade, distância e ataque as curvas porque afinal “o problema está no carro, não no meu jeito de dirigir, se acontecer um acidente a responsabilidade é da Volvo, da concessionária que administra a estrada ou do governo, eu estou dirigindo de forma segura, como sempre dirigi”… Dirigir com segurança TEM que levar em conta o carro que você tem. Mas algumas pessoas parecem que não entendem isso. Eu não me entra na cabeça que alguém que tenha sofrido dois acidentes com o carro, que supostamente saiba como o carro se comporte em situações limite, sofra um terceiro e ainda culpe o carro. Quem depende de um determinado modelo de carro para não sofrer um acidente não deveria dirigir.

                    • Jackson

                      Concordo contigo. Dirigi uma vez um Palio e na primeira curva notei que ele inclinava mais que meu Clio, não me transmitia a mesma segurança. Logo, manerei o pé nas curvas. Podia ter mantido a mesma velocidade? Claro, mas se me acidentasse, o Palio seria o culpado? Também dirigi uma Kombi que não tinha “folga” na direção, ela tinha era “férias”. Para me manter em linha reta, tinha que girar a direção de um lado ao outro. Respeitei o veículo e suas deficiências.

                    • Exatamente isso que falo! Você dirige conforme os limites que você tem a mão. O problema é o pessoal pensar “Se o Golf faz essa curva a 80 por hora, o Mobi também tem que fazer porque custa caro”. E as coisas não são assim.

                    • Edson Fernandes

                      Mas veja que interessante? O palio era tão instavel que ele andava direto com o carro nessa velocidade! Vai entender…rs

                    • Sim, só faltou falar “O carro é um lixo. Depois dos 150 fica instável”.

      • Creio que pensamento assim não se resume as montadoras. Bancos , lojas de departamento, fabricantes de eletrônicos com baixa durabilidade, grandes construtoras que fazem prédios com problemas estruturais ( vila olímpica nem se fala ) é algo corriqueiro no Brasil.

    • wandsberg

      Pior que ter uma estrela é ter uma estrela mesmo com Air Bag duplo.

  • Moreno Rocha

    Os fabricantes não levam em consideração porque os consumidores AINDA não exigem mais nesse aspecto, e o Governo também é lento em impor mudanças nesse sentido. Nossos modelos mais básicos dispõem de exatamente isso em segurança: o básico.Das grandes, a GM e a FIAT são, na minha opinião,as que mais vendem carros que pecam nesse aspecto. Lotam os modelos de firulas estéticas e penduricalhos (não sem motivo, afinal é isso que o consumidor pede) e só entregam o mínimo exigido por lei quando o assunto é segurança. A GM recentemente reforçou, aparentemente, a estrutura do Onix e Prisma, mas ainda não incluiu ISOFIX, airbags adicionais e controles eletrônicos. E você, FIAT?

    • Edson Fernandes

      Moreno, nesse momento eu também colocaria a Renault no meio. Tirando o Fluence, os demais também são bem limitados e pasme: Andaram tirando das versões de topo de Logan e Sandero, os bancos bipartidos.

  • Cleidson

    Telinha colorida o pessoal adora, já esp, airbags laterais ninguém quer, né?

    • Compro Vidro de Perfume Vaziou

      Uma palavra .. Onix

    • Edson Fernandes

      Eu quero! E tenho um carro assim!

      Mas entendo o que vc diz. O pessoal prefere uma central multimidia. (eu tive de usar o ESP em uma situação de perigo e te digo.. não teria conseguido fazer o que o ESP proporcionou).

  • Filipo

    “A presidente do Latin NCAP, María Fernanda Rodríguez, comentou que os resultados mais uma vez mostram que os fabricantes da nossa região não levam em conta a segurança como uma prioridade.”

    Realmente não, pois o governo pouco apoia a LatinNCap. O Governo Federal deveria apoiar mais a entidade e ajudar a divulgar seus testes. Só assim os fabricantes começarão de verdade a se preocupar com a nossa segurança.
    Por que nenhum deputado, também, por exemplo, propõe um PL que verse sobre proibição da comercialização de veículos com menos que “X” (1, 2 ou 3 estrelas)? Talvez haja intere$$e por trás!

    • Debraido

      ANFAVEA manda e o Governo Federal obedece. É assim que funciona no Brasil.

    • Alexandre Maciel

      Os políticos não andam em porcarias. Por isso não ligam para os resultados dos testes. Cite-me um político que se candidatou e foi eleito porque, efetivamente, tem preocupação social e visa a defender o interesse comum da coletividade. Não há! Todos pensam nas suas barrigas e só. Então não há como esperar vontade política direcionada à defesa de interesses da coletividade desse tipo de gente, não é?

      Em suma, estamos FUUUU… nesta republiqueta.

    • Rodrigo

      Já existe, mas como sempre (e muito provavelmente se passar) vai ser para favorecer os fabricantes:

      “15/06/2015 – 22h08
      Comissão aprova teste de colisão obrigatório em carros fabricados no País
      A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (10), proposta que torna obrigatória a realização de teste de colisão em automóveis fabricados ou montados no País.
      Foi aprovado o substitutivo apresentado pelo relator, deputado Jorge Côrte Real (PTB-PE), ao Projeto de Lei 6995/13, do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) e outros. O novo texto determina que os testes devem seguir normas a serem fixadas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em vez de regras editadas pelo programa Latin Ncap, conforme previsto na redação original.

      Segundo Côrte Real, o Latin Ncap – programa de avaliação de carros novos para América Latina e o Caribe desenvolvimento pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e por institutos de consumidores – não tem caráter oficial e testa alguns modelos de automóvel com base em critérios próprios.

      Para justificar a mudança no projeto, o relator acrescentou que o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) estabelece que os veículos só podem transitar quando atendidos requisitos de segurança estabelecidos no código e em normas do Contram.

      O substitutivo prevê ainda que os testes deverão ser realizados em laboratórios credenciados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

      Tramitação
      A proposta, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisada pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

      ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

      PL-6995/2013”

      Fonte: w w w 2 . camara . leg . b r / camaranoticias / noticias / TRANSPORTE-E-TRANSITO/490270-COMISSAO-APROVA-TESTE-DE-COLISAO-OBRIGATORIO-EM-CARROS-FABRICADOS-NO-PAIS . html

      • Filipo

        Pois é, mas além de ser vaga, o PL é baseado em normas do Contran e não do LatinNCap. Contra mão da racionalidade e eficiência.
        É o famoso “para dizer que tem” (no caso, Lei acerca dos testes de impacto) e o governo sair bem na fita com os fabricantes.

  • Maycon Farias

    Só não vou criticar porque já era de se esperar isso de um projeto já defasado em relação a concorrência que se modernizou.

  • Ricardo Rangel Lirio

    Com isso a fiat já planeja lançar mais uma nova “série especial”…
    Vem aí o “Novo Palio One Star”… Tudo que você merece.

    • João Cagnoni

      Em breve nas ruas, “Fiat One Star”

      • Ricardo Rangel Lirio

        Us manu pira na violênssa du estilu! (Sic)

  • Compro Vidro de Perfume Vaziou

    Lei não obriga estrutura resistente e com alta absorção de impactos e sim ABS e Air Bag. Ou regula tudo como obrigatório ou nada vai mudar pra carros de entrada e alguns intermediários !!

    • Freaky Boss

      a melhor lei é a exigência do consumidor. Isso sim tinha que mudar.

      • Compro Vidro de Perfume Vaziou

        Mas a lei foi ouvida, consumidor quer carro com telinha e todos eles agora tem, 1.0 com tela de 7″ custando 50/60 mil, ta bom ou quer mais?

  • Louis

    Mais um motivo para elogiar o Up!

    • Gustavo73

      Na estrutura sim, mas com 2ab ele não vai manter as 5 estrelas. Deve ter 3 assim como a Ranger.

      • dogmarley

        o que é muito bom para um popular =)

        • Gustavo73

          Sem dúvida. Ainda está acima na categoria, apesar de agora com o impacto lateral modelos com 4 estrelas antes poderem em teoria obter as 3 estrelas.

          • dogmarley

            sim, de fato esse novo padrão fez no geral com que muitos perderssem estrelas.

      • Dp Som

        Existe ranger 2017 com 2 airbags no BR? Pelo que me lembre não, mas nos países vizinhos deve vir, já que foi usada no teste.
        PS: Acabei de confirmar, no BR, mesmo a versão para produtor rural/cnpj, sem de série com 7 airbags.

        • Gustavo73

          Sim aqui todas com 7ab, acho que é na Argentina que a versão mais simples tem 3ab de série.

  • wandsberg

    Lançaram a versão 2017 hoje com “importantes” novidades: novas calotas, novas faixas laterais, novas saídas de ar, nova cor das rodas de liga, novo grafismo no painel. Cadê o investimento em segurança?!?!? Quem compra um Fiat Palio está a um pé da cova!

    • Fernando S.

      Faltou citar que a fiação para rádio passa a ser item de série kkkkk

      • dogmarley

        e os ajustes de altura do volante e banco do motorista

      • Gustavo73

        Não era?

        • Fernando S.

          Segundo a reportagem do Lançamento do Palio 2017, não era. Passou a ser para 2017. É mole?

          • Gustavo73

            Tive um Gol CLi 95 que já tinha inclusive com 4 alto falantes e 2 tweeters e antena no parabrisas. Eles retiram umas coisas difíceis de perceber sem olhar atentamente.

            • Dp Som

              Onix quando pedia preparação pra rádio (até uns 2 anos atrás)… simplesmente vinham os cabos de alimentação e os para os falantes soh iam ateh a coluna interna.. não iam ateh as portas… tendo que comprar o resto do chicote por baratos 170 reais cada chicote… 1 para cada porta, na concessionária.

              • Gustavo73

                Os caras tiram algo que para eles cuata migalhas e cobram um punhado para repor. Não dá e não é só a GM que faz isso. Até as tão elogiadas japonesas fazem das suas.

                • Edson Fernandes

                  Mas Gustavo, tinha Gol nessa epoca careca de tudo também. Seu CLi não era o Gol mais simples.

                  Só para exemplo, há Palio que pode ter até subwoofer.

                  • Gustavo73

                    Realmente não era a pelada. Isso era função do Gol mil quadrado ainda. Mas são 21 anos depois, na época onmeu CLI tinha direção hidráulica algo raro nos compactos.

                    • Edson Fernandes

                      Aí eu tenho que discordar. Palio quando foi lançado (e com motor 1.5) veio com direção hidraulica e a versão GL 1.6 do Corsa também tinha (a irmã de minha esposa tem um 1996 inclusive). Não era uma exclusividade do Gol. Mas esse Gol assim como Palio e Corsa eram comparando a epoca, bem mais caro que as versões de entrada.

                      Lembre-se ainda que existia a versão do bolinha “1000i” que era peladona tbm.

                    • Gustavo73

                      Não disse que era exclusividade do Gol, mas não era comum nos compactos nem mesmo como opcional. Palio 1.5? Acho tinha além do 1.0 o 1 3 16v e o 1.6 16v.

                    • Edson Fernandes

                      Mas pera… vamos separar por periodos.

                      Vamos considerar que houveram mudanças na linha Palio, Gol e Corsa.

                      Vamos falar das versões equivalentes:
                      – Corsa 1.6 GL (1996 até 1998)
                      – Gol CLi 1.6 ou GLi 1.8
                      – Palio 1.5 (até 1999)

                      Depois vieram
                      – Corsa 1.6 16v GLS
                      – Gol TSi 2.0 e GLS 2.0
                      – Palio 1.6 16v

                      Embora existentes a versão 1.6 8v do primeiro, 1.6 e 1.8 do segundo e 1.3 16v já no fim de 1999 do terceiro, os de série se focaram nas versões já de topo em seguida. Entretanto nesse periodo, houveram em periodos promoções em que se poderia ter nas intermediarias a direção hidraulica de série (todos eles exceto o Corsa que foi o unico que não ofertou tantos motores diferentes, na verdade atualizou seus motores) e então no Corsa sempre 1.6 a direção era de série. No 1.6 16v e os GSI air bag e ABS opcionais. (teto solar no GSI opcional tbm)

                      No Gol a salada era bem maior porque ela não padronizava versão em epoca além das versões especiais. Além das versões 1.6 poderem ter ou não a depender do periodo, direção hidraulica.

                      E a Fiat sempre na alusão do motor maior que teve até nesse meio periodo um 1.6 8v que durou pouquissimo tempo além de um Siena 1.5 a alcool…

          • Edson Fernandes

            Sabe a dureza?É um carro do valor do Palio não ter ajuste de profundidade na direção. E mais ainda, é a MESMA PEÇA usada no PUNTO!

  • Murilo Soares de O. Filho

    Este teste já utiliza as novas regras, portanto natural a nota, vamos supor que modelos testados anteriormente com nota entre 5, 4, 3 estrelas, com o padrão adotado , vão atingir, 3, 2 e 1 estrela, isso dependendo dos itens segurança, tanto passivo como ativos…agora entende-se porque a Fiat irá substituir o Palio/Punto, seja lá quem for ficar, e isso provavelmente vai estender a outros fabricantes. Peugeot 208, tirou 2 estrelas…e assim por diante, os números vão cair para todos…Nosso mercado só terá uma linha dentro dos padrões de segurança daqui a 10 anos…

    • Gustavo73

      O problema é que o substituto do Pálio e Punto será feito sobre a base do Palio. Se usasse a base do Renegade a história seria diferente.

      • Portuga Goleta

        O que importa são os ações e tipo de solda/colagem e esses serão os mesmo usados no Renegade e Toro, apenas o desenho da plataforma será do Palio atual.

        • Gustavo73

          Açõesacho, que o corretor deve ter mudado de aço. A questão é que nem sempre é possível usar aço de altíssima resistência em projetos mais antigos. A principal diferença da PQ24(Fox, Gol e Polo) para a PQ25 é justamente poder uasr aço desse tipo. A da Renegade nem é tão nova (2005) mas a do Palio remete a do Palio Fire.

          • Murilo Soares de O. Filho

            Quem poderia dizer isso somente alguém que trabalha em uma montadora. (Engenheiro)

          • Edson Fernandes

            Gustavo o Polo (PQ24) pode sim usar aço de alta resistencia se usar mais pontos de solda nas regiões criticas.

            Só que isso exige um investimento alto, o que culminou na atualização para evitar esse custo adicional exatamente em uma solução paliativa. Conseguiu melhorar a plataforma e adicionar sem aumento exagero nos custos.

      • Edson Fernandes

        Gustavo o Punto utiliza a plataforma do Palio. Só que ele é justamente toda a evolução que a Fiat nega no Palio.

        E agora irão criar um unico veiculo que irá ter maior espaço e TALVEZ (um grande talvez porque a Fiat anda muito pão dura) ganhe os itens do Punto para esse “Palio novo”.

        Ao menos, deveria ter o melhor dos dois mundos agregando a depender da versão.

    • dogmarley

      esse novo método deixou de ver somente estrutura do modelo, tanto que o fato do ESP já agregar 1 estrela pro carro testado

  • Murilo Soares de O. Filho

    O que o pessoal não entende é cada mercado, o produto é feito em cima das regras de segurança vigente no país, até uns anos atrás o Brasil não exigia nada, de repente, surgiu novas regras, mas o mercado não acompanha da noite para o dia, nenhuma montadora irá tirar um veículo de linha, se ele atende as regras mínimas, existe todo um investimento, pesquisa e novos processos de fabricação, não adianta comparar Brasil a mercados desenvolvidos, esse processo, Tanto Europa, EUA e alguns mercados desenvolvidos, já passarm a pelo menos 2 décadas atrás ou mais…

    • Rodrigo

      As leis vigentes atualmente no Brasil estipulam os mesmos requisitos de impacto vigentes na Europa até 1997.

  • Freaky Boss

    Se oferecerem 1 airbag a mais ou 1 entrada USB acho que a maioria no Brasil vai escolher a entrada USB, portanto se a exigência/prioridade não mudar os carros continuarão sendo “pobres” em segurança.
    A melhor lei é a da exigência do consumidor.

  • Hiluin

    O Instituto mudou a metodologia? É um teste diferente, não é?
    Como poderemos avaliar os resultados antigos a partir de agora? Será possível refazê-los?

    • Gustavo73

      Não nudou a metodologia e sim foram acrescentados novos testes. A colisão dianteira mantém o padrão antigo. Se a estrutura lateral fosse mais resistente ele tiraria 3 ao invés de 1 estrela.

      • Hiluin

        Obrigado pela informação, havia lido algo do tipo em outro site.

        • Gustavo73

          Última forma, segundo informações do Lucro Brasil. Eu me referia a velocidade e ângulos de impacto. Mas ele diz que eles estão mais rígidos vom a pressão de impacto nos dummies.

      • Mudou sim. O latinncap 2016 tem novos parametros para impacto frontal, sendo mais exigente com o máximo de compressão permitida para o peito. Antes o máximo era 50 mm, agora é 42 mm. Claro, como sempre informação exclusiva minha hehehe. Por esse fato, o Peugeot 208 (2016) e Fiat Palio (2016) perderam alguns pontos no impacto frontal em relação ao testes anteriores. Essa questão inclusive é possivel ver na cor dos scores do peito do teste anterior contra desse ano.

        • Gustavo73

          Como sempre você atento aos detalhes. Eu estava pensando mais na velocidade e ângulos de impacto. Logo retiro o que disse. Coloquei o vídeo completo da Latin inclusive com áudio com comentários. Achei interessante.

        • celso

          Dá pra explicar melhor o que é “compressão permitida para o peito” ?

          • Medir a pressão causado no peito do dummie pelo impacto frontal.

            • Edson Fernandes

              Eu confesso que não li, mas existe esse tipo de medição de compressão para braços e cabeça?

          • Gustavo73

            Provavelmente a pressão registrada pelos sensores do dummie.

  • Marcos Souza

    So o governo brasileiro começar a exigir que as propagandas mostrem a classificaçao de segurança do latincap de seus veículos junto da classificação de energia do Inmetro que essa palhaçada acaba…
    E quem não tiver participado, que seja obrigado a participar ou não pode vender carro aqui. Pronto…

  • Gustavo73

    Como já vinha dizendo o sarrafo subiu. O impacto frontal já não é o suficiente, com o lateral a este tem que ser sólida também nessa região. Pelo que tenho percebido sem os airbags laterais(de série) além claro da estrutura firme o máximo será 3 estrelas. Com.os laterais 4 e com os de cortina 5( os modelos com no maximo 4 ab que protejam a região da cabeça devem obter 5 também) isso claro com esp. Para os bancos traseiros isofix, encosto e cinto retrátil para todos os ocupantes.

  • dogmarley

    não entendi qual foi essa do Palio
    1 estrela pelo peito do dummy apesar da boa estrutura nesse impacto ?

  • AlemãoMoreira

    Infelizmente aconteceu o que havia dito, todos os compactos vão baixar nota com essa nova metodologia.

    • Gustavo73

      Não só os compactos. Os médios com só 2ab de série que tiveram 5 estrelas não iram alcançar a quinta estrela nesse novo teste.

  • SDS SP

    Acho engraçado que muita gente acha esse teste uma furada, mas apenas quando convém (leia-se o logotipo na traseira e dianteira)…

    • Matafuego

      Já foi furada no começo, quando admitiam que carros sem air-bags pontuassem. Falta bastante para chegar no nível do Euro NCAP, mas é bem mais confiável que os testes que o governo brasileiro exige das montadoras (datado da década de 70, se não me engano).

  • dor53

    se o onix tinha tres, vai zerar?

  • Nunes Nunes

    Se o Palio consegue 1 estrela, imagine a classificação do Uno que é um Palio piorado e do Mobi que é um Uno piorado!

    • MauroRF

      Aí deve ficar -1, -2, kkkkk.

  • Fanjos

    Receba essa monoestrela Fiat

    • Céu poluído… Normal pouca estrela..

      • Fanjos

        Mas tem uma que brilhará solitária la no alto!

        • Fanjos, se eu não te conhecesse já estaria ouvindo o jingles, Lula-lá…
          Mas aí prefiro o Botafogo campeão de alguma coisa..

          • Fanjos

            Felizmente o PT venho a falecer e que Deus o tenha em bom lugar nos “quintos do inferno”!

  • CanalhaRS

    o Byd F0 nunca teve um nome tão propício (seria “Fail 0”???)…hahahahaha!!!

  • zekinha71

    Imagina o que acontece com a Strada CD. Deve virar um v.

  • Deivid

    Gozado é a presidente do Latão Enecape achando que tem moral alguma pra falar de alguém.

  • RyanSX

    Essas “agências reguladoras” deveriam obrigar as montadoras a mostrarem isso para o cliente na hora em que ele vai comprar um carro. Se preocupam tanto em mostrar consumo, nivel de barulho dos pneus, mas o mais importante fica totalmente mascarado diante de uma carinha bonita, pois grande parte desses carros nacionais só tem isso mesmo.

    O padrão deveria ser esse, pode vender sim seu carro inseguro, mas deixem isso bem claro para o cliente através de etiquetas ou seja la como for, dai ele decide se vai colocar sua família em um carro com baixo nivel de segurança em troca de beleza estética.

    E ainda me criticam quando prefiro pegar um Hyundai Azera usado ao invés de um Palio, gol e companhia zero Km.

  • Edson Fernandes

    Simples nesse caso, na pior das duvidas eu preferi votar nulo. Não vi sentido algum em votar em um ou outro.

    Então na falta de um candidato que me satisfaça eu preferi a nulidade do meu voto.

    • João Cagnoni

      Eu votei em branco no primeiro turno.