Antigos Combustíveis Europa História Mercedes Benz

Mercedes-Benz 260D foi o primeiro carro diesel para o consumidor comum

mercedes-260d-limusine-2

Mercedes-Benz 260D Limousine

Muito se fala no carro diesel atualmente, mas qual foi o primeiro a surgir? A resposta está na Alemanha. O Salão de Berlim de 1936 viu surgir um interessante automóvel movido pelo famoso óleo combustível.

Aliás, dois modelos surgiram com esse detalhe em comum. Um era o Hanomag Rekord, que tinha motor diesel 1.5 litros. O outro, o Mercedes-Benz 260D ou W138. Este segundo se tornou o primeiro automóvel de passageiros movido por diesel e feito em série.

hanomag-rekord

Hanomag Rekord – quase foi um rival do 260D

O Rekord Diesel foi visto apenas na mostra germânica, enquanto o Mercedes seguiu em frente, ganhando a linha de montagem e o mercado. Para chegar ao 260D, a Daimler começou a trabalhar na ideia alguns anos antes com o Mercedes-Benz Mannheim, mas a vibração do proposto motor de seis cilindros em linha era enorme.

Então, a Daimler decidiu reduzir o tamanho do motor para quatro cilindros de 2.545 cm3, sendo este já utilizado em caminhões e batizado de OM 138. Com válvulas menores e bomba injetora de combustível Bosch, o propulsor passou a entregar 45 cv a 3.000 rpm.

mercedes-260d-limusine-3

Mercedes-Benz 260D Limousine

O carro escolhido para testar o propulsor foi o Mercedes-Benz 230 (W21). Pesando 1.530 kg, o modelo podia alcançar 90 km/h. O câmbio de três marchas garantia um desempenho razoável para o meio urbano, pois o 230 era usado normalmente como táxi nessa época. Por conta do motor maior, o modelo foi rebatizado como 260D e ganhou o codinome W138.

No entanto, a segunda série (W143) do 260D foi definida já no ano seguinte, tendo uma caixa de câmbio de quatro marchas sincronizadas, além de suspensão dianteira independente e traseira equipada com eixos oscilantes.

mercedes-260d-motor-cambio

Motor e câmbio Mercedes-Benz OM-138

O sistema de freios era hidráulico e o chassi tinha entre-eixos longo, gerando assim bom espaço interno e carrocerias diferentes: chassi, sedã 4 portas, conversíveis B/D, Pullman Limusine e Pullman Landaulet. Havia também versões táxis desses dois últimos.

O W143 podia alcançar 95 km/h com a nova transmissão. Com tamanho de 4,39 m inicialmente e depois 4,55 m na versão Pullman, o Mercedes-Benz 260D tinha 3,05 m de entre-eixos, 1,60 de altura e 1,63 de largura.

mercedes-260d-landaulet

Mercedes-Benz 260D Landaulet

Os preços variavam conforme a versão, indo de 5.800 (chassi) a 9.500 marcos alemães (conversível D). Foram produzidas 1.967 unidades até 1940, quando a Daimler voltou-se exclusivamente para a produção bélica.

Depois da guerra, o primeiro Mercedes diesel foi o 170D em 1949. Hoje existem apenas dois exemplares, sendo um no Museu da Mercedes em Stuttgart e outro de propriedade do dono de um jornal indiano.





  • Newton Freitas

    Carro bacana, gostei do visual.