Finanças México Mercado Montadoras/Fábricas

México: falta mão de obra especializada para dar conta da produção acelerada

tiguan-mexico

Enquanto o Brasil registra mais e mais demissões de empregados, inclusive com paralisação de fábricas, excedentes e também uma boa parte do quadro em suspensão de contrato de trabalho, o México vive uma realidade bem diferente.

Com o boom na produção de veículos, o país latino agora enfrenta uma escassez de mão de obra especializada. Como uma das vantagens do México é ter muita gente para trabalhar por um custo bem menor que nos EUA e Canadá, o país atraiu a maioria dos fabricantes interessados em abastecer o mercado americano.

Os investimentos mais recentes de montadoras com esse objetivo já somam US$ 15,8 bilhões, dinheiro que não está endereçado às 16 fábricas atualmente em pleno funcionamento no país. Além disso, o parque de autopeças e fornecedores acumula mais alguns bilhões de dólares em investimentos para dar suporte aos fabricantes que estão se instalando.

Com esse enorme apetite por produção, as montadoras instaladas no México passaram a disputar a mão de obra local, mas a busca por pessoas especializadas acabou gerando uma escassez no setor, aumentando os custos. Se não há gente suficiente no mercado de trabalho, a disputa passa a ser dentro das fábricas.

Houve um aumento no número de profissionais que recebem bônus para manter seus empregos. Com cada vez mais concorrência, muitos acabam mudando para concorrentes, a fim de melhores salários. Por isso, quem paga mais, mantém seus funcionários mais experientes.

bota-cowboy

Bônus e presentes

Há relatos de todo tipo de incentivo para manter bons funcionários no quadro, inclusive de presentes, tais como botas de cowboy, por exemplo. Até mesmo placas e avisos com vagas abertas já estão se tornando algum comum no setor automotivo mexicano.

Mas se tudo isso parece bom, em realidade não é. Pelo menos para as montadoras. Só em junho, a rotatividade em Ciudad Juarez, local onde há algumas plantas de produção, subiu para 10%. O crescimento nos salários em muitos casos apresenta dois dígitos. O movimento é o maior desde a chegada de montadoras após a criação do Nafta.

Para o setor automotivo, o aumento nos custos com mão de obra será inevitável, mas ainda não compromete os planos de investimento no México. A rotatividade, por exemplo, afeta também a produção, pois de acordo com relatos, quem decide mudar de empresa, o faz sem avisar. Repor alguém se tornou uma dor de cabeça.

Em termos financeiros, por exemplo, o salário mínimo no México equivale atualmente a US$ 4 por dia, mas só as autopeças – que antes pagavam menos US$ 1 por hora – estão pagando US$ 3 por hora nas plantas principais. A Kia diz que seu salário anual é de US$ 7.200 e o triplo disto para os engenheiros.

kia cerato fabrica mexico 6

Ainda assim, o valor é baixo o suficiente para o mexicano, que ainda prefere o trabalho informal, que remunera mais e emprega mais da metade da força de trabalho do país. Do outro lado, com os baixos salários, as montadoras podem economizar US$ 1.300 por carro em média ou cerca de US$ 300 milhões por ano.

Mesmo com alertas de que a situação da mão de obra mexicana é apenas a ponta do iceberg, alguns fabricantes acreditam que ainda existem muitas pessoas dispostas a trabalhar nas plantas e que a escassez é administrável, embora não se saiba se o grande número de interessados – registrados durante as aberturas de vagas – possui alguma qualificação profissional.

Só a VW diz ter recebido 230 mil interessados em 4,2 mil vagas para a nova fábrica da Audi, em San Jose Chiapas. Em Ciudad Juarez, onde existem pelo menos 300 fábricas ligados ao setor automotivo, em torno de 15 mil vagas estão esperando interessados. Diante da possível falta de profissionais, algumas empresas já incluem centros de treinamento na construção da fábrica, como a Audi em 2014, quando gastou US$ 37 milhões com esse objetivo. A BMW está fazendo o mesmo.

O boom mexicano atrai cada vez mais o interesse das montadoras e críticas nos EUA, que passou a “dividir” com o vizinho, os investimentos dedicados ao atendimento de seu próprio mercado. De acordo com projeções, o México terá uma produção de 5,1 milhões em 2020, praticamente 50% em comparação com o recorde atual de 3,4 milhões.

[Fonte: The Wall Street Journal]





  • E eu aqui desempregado

    • Pedro Rocha

      Agradeça ao PSDB e ao PT, que fecharam nosso mercado. Tínhamos condições de ter vários desses empregos, mas os socialistas os afastaram daqui.
      A última vez que tivemos um cenário de pleno emprego no Brasil foi no governo Médici, que além de patriota mandava a esquerda para a cadeia, para onde estão voltando e nunca deveriam ter saído.

  • Fanjos

    Isso que dá se aliar com imperialistas…. Falta empregados, malditos capitalistas!

    • Sam86

      E os trabalhadores ainda podem escolher trabalhar para quem paga mais! Isso é uma afronta… aos sindicatos. Que lá parecem não apitar nada. kkkkkkk….

    • Jackson

      kkkkk boa, malditos yankes de nuestros hermanos mexicanos.

      • Pedro Rocha

        Não contavam com a astúcia dos mexicanos.

    • Redpeak77

      Mal consigo ver seus movimentos!

  • Solaire Of Astora

    Hahaha 7×1 de novo.

  • Linkera

    Este é o resultado de se abrir ao mercado externo ao invés de se fechar.
    Enquanto o México consolidou acordos de livre comércio entre diversos mercados (EUA, Europa e Mercosul), o Brasil, na contramão, decidiu se fechar ao mercado externo e induzir o consumidor interno a consumir só o que é produzido aqui. A receita do fracasso! Pobre de nós que temos que arcar com o rombo que o Mantega e Dilmanta deixaram como herança maldita!

    • Sam86

      O pior é ver que ainda tem gente que defende esses bandidos.

      Além da roubalheira bilionária eles também foram bem sucedidos na idiotização de uma parcela do povo.

      • Linkera

        Sim. Mas repare no perfil das pessoas que defendem está corja. Na grande maioria são pseudo-neo-liberalistas que acreditam que o caminho para uma sociedade equalitaria seja a distribuição da renda. Mas oras, se eu sou formado e ralei para ter o meu diploma e ralo todo dia para angariar experiência e crescer na minha carreira, porque eu tenho que pagar mais impostos para sustentar o Manoel que é servente de pedreiro e alcoólatra? As pessoas não são iguais e a distribuição de renda, da forma com que é idealizada pelo partido comunista, é um devaneio que só deu certo na cabeça de Fidel e de Kim Jong-Un.
        Os investimentos que realmente podem mudar a história das pessoas e mudar o país, que são os investimentos em educação e em infraestrutura que garantam o mínimo de dignidade e de segurança, não são feitos. Lastimável.

        • MauroRF

          Perfeito seu comentário. O Brasil poderia ter aberto do mercado, investido pesado em modelos globais e poderia estar exportando bem mais. Sim, a mão de obra aqui é bem mais cara, porém, a gente poderia estar muito melhor, mas o Brasil é especialista em sempre ir na contramão das coisas. Veja que criou o sistema de cores PAL-M que não era usado em nenhum lugar do mundo, gerando inúmeros problemas de decodificação, da mesma forma inibindo exportações, uma lástima. Dos BRICS, é o único que não tem nenhuma montadora nacional.

          • Tomtilt

            A África do Sul também não tem nenhuma montadora nacional.

          • Tosoobservando

            E esse sistema novo de tomadas? Alem dessa novela de extintor em carros, mudam a cada ano.

        • Tygra

          Quanto aos investimentos em infraestrutura e educação nenhuma divergência, assim como também ao esforço individual. Todavia, os mais ricos precisam pagar imposto para garantir que os mais pobres tenha a oportunidade de prosperar também, numa sociedade ideal a pobreza seria uma escolha e não uma imposição. Em praticamento todos os países capitalistas desenvolvidos a tributação é progressiva, ou seja, quanto mais ganha, mais paga, Aqui é o contrário, é regressiva, quanto menos ganha, mais paga. Somente em uma sociedade que busca o bem-estar social é possível fazer do filho do seu Manoel um engenheiro que bebe socialmente, afinal alcoolismo é coisa de pobre (não porque o engenheiro é mais importante, mas porque e melhor remunerado). Não é porque eu estudei, que quem não estudou não se esforça ou não é importante para o desenvolvimento social. Afinal, toda e qualquer profissão é relevante para sociedade, a diferença salarial ocorre devido a Lei da oferta e da procura e não pelo grau de relevância ou esforço. Porque caso a relevância ou o esforço estivesse relacionado com o valor financeiro recebido, teríamos que aceitar que o Neymar é mais esforçado e relevante do que um médico, um bombeiro, um professor ou um pedreiro. Isso é igual a estória do empresário (que nasceu num berço de ouro e teve todos as oportunidades) dizer que para ter sucesso basta acordar cedo e trabalhar duro, vai dizer isso para um padeiro. Por fim, essa semana o casal Clinton divulgou seu imposto de renda, em 2015 eles ganharam US$-10,6 milhões e pagaram 43% de imposto. É assim seria se eles vivessem no Canadá, na Áustria, na Austrália, na Bélgica, na Noruega, na Suécia, na França e em outros países desenvolvidos. Mas no Brasil não, eu tenho que pagar o mesmo percentual que o Neymar (às vezes até mais, porque ele pode usar de artifícios para reduzir o imposto devido, enquanto que o meu é retido na fonte). Fazer uma reforma tributária que reduza os impostos sobre o consumo e seja progressivo sobre a renda, a herança e a propriedade é essencial para o país voltar a crescer de forma sustentável.

        • Tosoobservando

          Kra ironicamente os países mais ricos da Europa sao os que mais cobram impostos de renda dos mais ricos, e os mais liberais tambem, taxam mais renda que consumo, por isso tudo é barato, e nos Eua alem da renda as heranças sao muito taxadas, algo em torno de 30%, enquanto aqui nao chega a 8%, por isso que la tem muita doação de herança pra universidades e projetos, pra ter dedução. Sua visão esta equivocada, o sistema brasileiro de impostos é um dos mais injustos do planeta.

        • Luis_Zo

          Concordo que as pessoas e a distribuição de renda não são iguais, e nem tem que ser.

          Mas desculpa, acho que nem mesmo você concorda com “se eu sou formado e ralei para ter o meu diploma e ralo todo dia”, ou seja, com a “meritocracia”.

          O que interpretei é que por que você se esforçou mais que outros, deve receber mais, certo?

          Ai digamos que tu vai contratar 1 pedreiro pra consertar algo na tua casa. Tu tens duas opções: um deles tem 1,50m, pesa 30kg, é do nordeste, come 1 vez por dia, subnutrido e analfabeto funcional. O outro tem 1,80m, pesa 80kg, 3 refeições, nutrido, 2 grau completo, e é do sudeste. Na hora de carregar os sacos de cimento, é obvio que o segundo vai ter mais facilidade, certo?

          Ou seja, o primeiro terá que” ralar muito mais pra terminar a obra, vai ter que rala muito mais todo dia” se ele quiser carregar o mesmo numero de sacos de cimento que o segundo no mesmo tempo. Ou seja, o primeiro custa mais caro.

          Qual você contrataria? Se tua logica da “meritocracia” fosse verdade, tu deveria contratar o primeiro (afinal de contas é mas lógica que tu usou pra justificar teu diploma e dia a dia).

          • Matafuego

            Meritocracia funciona e ela não está relacionada ao quanto vc “rala”, mas sim ao quanto vc consegue satisfazer os outros.

            Por exemplo, o cara de 80 kg pode ficar cavando buracos em um terreno baldio o tempo todo. Ele está “ralando”, mas não está satisfazendo as necessidades de alguém. Ao passo que o cara de 30 kg pode ter um talento único de acabamento de casas. Esse cara vai ganhar bastante dinheiro e o de 80 kg vai ficar reclamando da vida.

        • Matafuego

          Não são pseudo-neo-liberalistas. Aliás, esse povo não tem nada de liberal. Eles gostam mesmo é de poder centralizado nas mãos de políticos.

          • Linkera

            Por isso o “pseudo”. Eles se travestem de uma ideologia para ocultar as suas verdadeiras intenções ditatoriais.

          • Pedro Rocha

            Na verdade, o que temos no Brasil é o que se chama de nacional-desenvolvimentismo: uma mistura de socialismo fabiano com nazismo. Nesse sistema, o Estado atua e gerencia a economia, mas se fecha ao investimento estrangeiro por razões ideológicas e em alguns casos abertamente xenófobas, para forçar a tal “nacionalização da economia”.

  • Ricardo Blume

    Chupa Brasil! Enquanto isso nós vamos aqui ganhando medalhas, sqn.

    • Louis

      Aqui, quem fica fazendo malabarismo com uma bola é chamado de herói… hihihihihi

  • Fabio Marquez

    Espero que as coisas lá sejam baratas, pois o salário é de miséria.

    • th!nk.t4nk

      São mais baratas do que no Brasil sim. Mas o principal: no Brasil o cara pode ganhar mais, porém não sabe o dia de amanhã. Já o México está só melhorando e crescendo.

  • Jackson

    Bueno, entonces cambiamos para El Mexico.

    • Uber

      Podem se dar bem trabalhadores argentinos, paraguaios e uruguaios que quiserem se mudar para lá, pois falam a mesma língua.

      • Jackson

        Desculpe, mas não acho que o idioma irá limitá-lo. Basta que tu o aprendas.Todos nascemos analfabetos emitindo somente sons. Posteriormente somos alfabetizados e aptos a falar o português. Eu estou aprendendo francês pela internet e meu próximo objetivo é um intercâmbio com Canadá. Tchê, tenho 50 anos. Nunca é tarde para aprender.

  • Antoniokings1

    US$ 4,00 por dia? Vixe!!!!!!

    • Deadlock

      E no Brasil? 12 milhões ganham US$ 0,00 por mês.

      • Antoniokings1

        No mundo inteiro existem milhões de pessoas com renda zero também. Não é privilégio tupiniquim.

        • Linkera

          Ele se referiu aos desempregados que perderam suas posições de trabalho graças ao partido comunista. Mas se você acha que 6% da população economicamente ativa estar desempregada é pouco, espere até perder o seu emprego e veremos se tem a mesma opinião (isso é, se você tem um é claro, pois se acha normal uma pessoa ter 0 de renda você deve viver de brisa ao estilo “Mustafary”).

          • Antoniokings1

            Viajou.

    • th!nk.t4nk

      Custo de vida lá é mais baixo do que no Brasil.

  • amarelonãotemcota

    Toyota vai abrir mais 1 fabrica no Mexico

    • Airplane

      E das grandes !

  • Airplane

    No México sobrando empregos e aqui no BrHue pelo menos 11 milhões de desempregados graças aos 13 anos do governo dos incom.P.Tentes e corru.P.Tos !

  • Cidadão

    Isso tudo até o Trump ganhar as eleições

  • Celso

    US$ 7200 dólares/ano vezes 3 (para engenheiros, conforme reportagem) equivale a R$ 5760/mês (dólar a R$ 3,20). Para engenheiros é abaixo de nossa média.