História MINI

MINI: A marca que surgiu de um pequeno e versátil inglês

austin_mini_pre-production

Austin Mini pré-produção (ADO15)

No final da década de 50, Sir Alec Issigonis projetou um pequeno veículo para a British Motor Corporation (BMC). O objetivo era ter um carro de dimensões muito reduzidas, em que 80% do volume estivesse reservado para passageiros e bagagem.

Assim, nasceu o Mini. Com tamanho entre 3,05 e 3,30 m de comprimento e equipado com motores que foram de 0.85 até 1.3 litro, o veículo rapidamente chamou atenção e passou a ser fabricado em duas plantas no Reino Unido. A primeira geração, chamada Mark I, gerou três atualizações chamadas Mark II, Clubman e Mark III.

morris_mini-minor

Morris Mini-Minor

Surgiram variantes perua, picape, van e até um buggy chamado Mini Moke. O pequeno inglês rumou para outros países, sendo feito na Austrália, África do Sul, Espanha, Bélgica, Chile, Itália (sob a marca Innocenti), Iugoslávia, Portugal, Uruguai e Venezuela.

austin_mini_7_corte

Austin Seven corte

MINI

O pequeno Mini foi vendido originalmente como Austin Seven e Morris Mini-Minor. A marca MINI só surgiu oficialmente em 1969. Na década de 80, a marca Austin volta a vender o Mini. No começo dos anos 90, a BMW estava querendo expandir sua atuação para segmentos de carros pequenos e utilitários.

Em 1994, ela adquire o Grupo Rover, que na época estava sob o controle da British Aerospace e entre as marcas, estava a MINI. Rapidamente a empresa alemã viu a oportunidade de usar a inglesa para atuar no segmento de compactos premium, embora estivesse longe da filosofia da BMW.

mini_1275_gt

MINI 1275 GT

A BMW encontrou na Rover um projeto de sucessor para o modelo clássico do Mini, que continuava essencialmente o mesmo desde 1959. O projeto era o ACV30 e este deu origem a dois conceitos, chamados Spiritual e Spiritual Too.

Em 1998, o projeto foi modificado e feito em paralelo com o original da Rover na Alemanha, surgindo assim o MINI One R50. Então, após 5.387.862 unidades, o Mini clássico sai de linha em outubro de 2000. A nova geração então passa a ser feita em 2001, sendo feito em Oxford, Reino Unido.

A partir daí, a MINI segue como uma marca individual dentro do Grupo BMW e com produção própria, bem como utilizando plataforma exclusiva. O chamado MINI Hatch preservada o estilo do clássico, embora com toques bem mais atuais.

mini_cooper

MINI Hatch

Coração brasileiro

O motor era o Tritec 1.4, 1.6 e 1.6 Supercharger, fabricados exclusivamente em Campo Largo, Paraná. A versão diesel usava motor 1.4 da Toyota. Os nomes Cooper, Cooper S e John Cooper Works foram utilizados nesta geração, que durou até 2006 no caso do hatch e 2008 no conversível.

Em 2006, a BMW decide que a MINI precisa expandir seus horizontes e lança a segunda geração sob seu controle, chamada R56. As versões hatch e conversível foram seguidas pelo Clubman e posteriormente pelos Coupé, Roadster, Countryman e Paceman.

mini_cooper_s_roadster

MINI Roadster

Diferentemente da geração anterior, a R56 passou a utilizar motores Prince, originados em uma parceria da BMW com a PSA. Os propulsores diesel eram da Peugeot (1.6) e BMW (2.0). Da mesma forma, os novos modelos Countryman e Paceman, respectivamente SUV e crossover, passaram a ser feitos em Graz, Áustria.

Eles eram feitos pela Magna Steyr e a partir de 2013, passaram a ser feitos na Índia, Tailândia e Malásia. Em 2013, surge a terceira geração sob a BMW, sendo chamada F56. O modelo hatch ganhou uma versão de quatro portas e a minivan Clubman recebeu entradas traseiras maiores.

mini_cooper_5_portas

MINI Cooper quatro portas

Os motores passaram a ser inteiramente da BMW e utilizando três cilindros nos 1.2 e 1.5, ambos com turbo e injeção direta. O F56 passou a ser feito também em Born, Holanda, na fábrica da NedCar. Por causa do baixo desempenho no mercado, os modelos Coupé, Roadster e Paceman não terão continuidade.

mini_cooper_s_countryman_all4

MINI Countryman

Brasil

Não muito longe de Campo Largo/PR, que um dia produziu motores para a MINI, a fábrica da BMW em Araquari, Santa Catarina, deverá fabricar até o final de 2015 o utilitário esportivo Countryman, sendo este o primeiro modelo da MINI a ser feito nas Américas. Não há planos conhecidos para a geração F56 no país.





  • Tosca16

    Mr. Bean me fez gostar da marca e conhecer seus modelos .

    • V12 for life

      Essa cena dele dirigindo o carro desse sofá é uma das melhores.

      • Gustavo73

        Foi repetida agora para comemorar 25 anos do personagem.

        • Tosca16

          por isso que fui justamente nessa imagem !

  • Filipe Machado

    Esses dias na rua tava vendo um Mini Paceman do novo e de Mini o carro só tem o nome e o estilo kkkk baita carro grande

    • V12 for life

      Não é tão grande assim tem o mesmo porte do X1, mas comparado ao original é um Titan.

      • Thiago

        Nem isso – O Paceman tem 4,10 de comprimento, enquanto o X1 tem 4,45. Pra fins de comparação, o hatch atual tem cerca de 3,70, enquanto o original media meros 3,05m.

      • Filipe Machado

        Acho que o desenho não conversa com o porte do carro, achei estranho

        Parece que aumentaram o carro, não sei, achei estranho

    • Senhora Liberdade

      Nos EUA ele e pequeno mesmo o paceman e carro de moça

    • Uber

      Os carros mais próximos do conceito do Mini antigo a gente só encontra no Japão, os chamados K car.

  • V12 for life

    Faltou a parte do desenho básico ter sido feito por Sir Alec Issigonis em um guardanapo de papel numa simples conversa de bar.

  • celso

    Que título é esse “Mini: a marca que surgiu de uMA pequeNO e versátil inglês” ?

  • Marcus Vinicius

    Não exatamente o Brasil vai fabricar o primeiro modelo MINI nas Américas, Uruguai e Venezuela fabricaram a primeira geração do MINI Cooper mas como Austin MINI e Morris Mini-Minor em tempos passados respectivamente !

  • Arthur Lima

    Além do Mr. Bean, o Mini foi usado em outros filmes como “The Italian Job” e “Bourne Identity”.

  • Auto Verdade

    Há uns cinco anos atrás estava meu filho e eu vindo da casa de minha mãe e quando parei em um sinal na avenida, quase chegando em casa, parou um fusquinha ao meu lado direito; foi quando o meu filho disse: “Pai! olha esse carro aqui ao lado!!!” quando olhei eu não aguentei e soltei uma gargalha e meu filho na cara do sujeito. Eu podia jurar que era o Mr. Bean que estava atrás do motorista. Mal consegui dirigir de tanto rir. Nunca, digo, nunca vi um cara tão parecido. Mas nunca mais o vi. Moro em Belo Horizonte região do Barreiro. “Será que era ele?” kkkkk

    • Mayck Colares

      Moro em Bh Tb e nunca vi o Mr. Bean por aqui hahahah