Home Comprando e Vendendo Motor Flex salva a Palio Weekend de baixa nas vendas


Se não fosse o motor bicombustível, a Fiat poderia estar com problemas com a perua Palio. O carro estava em queda até 2004, quando então a motorização flex deu uma guinada no modelo. A perua pequena da Fiat vem de altos e baixos nos últimos anos. O melhor desempenho foi em 2001 com um total de 37.303 unidades vendidas e 60% de participação no segmento, que é representado apenas por dois modelos (Parati e Palio Weekend). Foi também em 2001 que a perua Palio conquistou a liderança dos carros familiares derivados de carros de passeio pequenos, antes dominado pelo modelo da Volks. A versão 1.0 nunca foi a preferida dos consumidores, tanto que a partir de 2004, a Fiat retirou o modelo popular do mercado. O que deu uma sobrevida a Palio Weekend foi o lançamento da versão flex em 2004. Com a chegada da versão bicombustível, as vendas subiram de 18.653 unidades em 2003, para 25.223 em 2004. No ano passado, o carro da montadora italiana atingiu 26.037 unidades e ficou com a melhor participação, 67% das vendas no segmento.




No entanto, considerando a média mensal, as vendas nesse ano caíram 13% em relação ao ano passado. De janeiro a junho foram vendidas 11.228 unidades, o que representa uma média mensal de 1.871 unidades, ante 2.169 em 2005.

A Palio Weekend está entre os carros que menos depreciam. Segundo estudo da Agência AutoInforme, o carro desvaloriza 5,5% no primeiro ano de uso após sair da concessionária.

A perua Palio está disponível em três versões: a ELX 1.4 flex que custa oficialmente R$ 37.370,00; a HLX 1.8 flex, R$ 44.280,00 e a Adventure 1.8 flex, que sai por R$ 49.230,00. Mas, pelos cálculos da AutoInforme, que se baseia na cotação da Molicar, o mercado vende a perua Palio com desconto que oscila entre 3,7% a 7%, dependendo da versão.

[Fonte: Ag. Auto Informe]


Se você não está vendo os comentários, desabilite extensões do tipo Adblock (que impedem a exibição dos comentários), ou adicione nosso site como exceção.