Finanças Japão Mercado Mitsubishi Montadoras/Fábricas Nissan

Nissan compra 34% das ações da Mitsubishi

nissan-mitsubishi

Como já estava sendo especulado, agora o negócio foi de fato oficializado. A Nissan adquiriu 34% das ações da Mitsubishi Motors. Com isso, a rival nipônica ligada à Renault passa a ter o controle acionário da marca dos três diamantes.

O acordo prevê o pagamento de 237 bilhões de ienes pelo percentual da Mitsubishi e agora a sinergia entre as duas empresas deverá ser ampliada. Ambas já cooperavam em alguns segmentos, especialmente no de kei cars.

A partir do dia 25 de maio, a Nissan poderá designar quatro membros seus para o conselho de administração da Mitsubishi Motors. Dessa forma, a nova controladora poderá inclusive obter a presidência da montadora.

Agora, Nissan e Mitsubishi devem compartilhar plataformas, fábricas, tecnologias e intercâmbio em vários mercados. Ainda não sabemos que impacto isso terá no Brasil. Aqui, a representante da marca é o Grupo HPE, que monta alguns modelos em Catalão/GO.

No mesmo segmento, a Nissan faz a Frontier em São José dos Pinhais/PR, mas sua produção deverá ser transferida para a Argentina, de onde sairão também as equivalentes de Renault e Mercedes. Lá fora, a Mitsubishi está em dificuldades para fazer os sucessores de Lancer e Galant, apostando tudo o que tem em crossovers e utilitários esportivos.

A marca ainda é observada com cuidado nos EUA, onde rumores de sua saída ganharam força após a retirada da Suzuki daquele mercado. Como já era conhecido, a Renault-Nissan compartilharia um sucessor para o segmento do Lancer. Agora é aguardar as novidades que poderão surgir dessa nova união.





  • Alexandre Furtado

    Aos Analistas de Plantão,, o que a Nissan ganha com essa aquisição,,,,, Dívida?Qual seria a Tecnologia? Ou ela vai ressuscitar eclipse com motor de gtr

    • Bruno Wendel Marcolino

      Ela foi esperta na minha opinião, agregou uma marca com grande potencial de mercado.

      Ultimamente a Mitsubishi estava totalmente viajante, sem grande perspectivas, com a Nissan ajudando agora pode dar um upgrade em vendas, por mais que a Mit esteja envolvida em escândalos, prejuízo a Nissan com certeza não vai ter.

      • Marcio Almeida

        mas ou menos o que a renault fez com a Nissan

      • Vagnerclp

        Exatamente, sem contar que aproveitou a oportunidade de baixa nos valores das ações por conta dos escândalos, para obter uma quantidade maior e se tornar a majoritária. O grupo MHI detém cerca de 21% das ações, ou seja, quem manda é a Nissan. E ela poderá fazer aportes com o tempo até obter 100% da empresa como fez a VW com a Scania.

    • PCPartsFan

      Eu acredito que a curto prazo a Nissan ganha maior participação no mercado de Key Car e SUV como Pajero, divisões onde a Nissan não é muito forte no Japão e alguns mercados da ásia, a longo prazo a Nissan irá se beneficiar da estrutura da Mitsubishi no Japão e outros Países da asia e oriente médio onde a Mitsubishi ainda goza de boa reputação graças a sua linha Pajero.
      Para a Mitsubishi não restavam muitas opções devido a queda de confiança do consumidor na marca, provavelmente a Nissan irá promover uma restruturação
      no comando da divisão de carros da Mitsubishi para o bem ou para o mal, olhando para o histórico de Carlos Ghosn ele provavelmente irá promover corte de custos principalmente com postos de trabalho não é a toa que ele ganhou fama como “Cost Killer”

    • Edu

      kkk
      exato
      nem no paris dakar ela se destaca mais…carros e tecnologia da década de 90….

    • Hugo Borges

      Só pelo compartilhamento de powertrains e monoblocos, já é muito bom para diminuir custos.

    • Seven23

      Ou quem sabe, ressuscitar o ilustre Mitsubishi GTO.

  • Bruno Silva

    Prevejo bons frutos, igual a Fiat fez com grupo Chrysler.

    • Wellington Myph13

      Ironic On?

      • Bruno Silva

        Giulia, Renegade, Cherokee, 200, tá bom ou quer mais?

        • Wellington Myph13

          Disso tudo que citou só o 200 pertence a Chrysler e que foi projeto da FCA. O resto já fazia parte do grupo e a Chrysler não influenciou em nada.

          EDIT:
          E tem outro detalhe:
          http://www noticiasautomotivas com br/dodge-dart-e-chrysler-200-devem-dar-adeus-em-um-ano-e-meio/

          • th!nk.t4nk

            Pirou :) Dizer que Renegade não é projeto da FCA foi demais… A base dele foi justamente desenvolvida com a Chrysler pra uso em diversos modelos Jeep e Fiat, usando um mix de tecnologias de ambas (até o motor Tigershark tem cabeçote da Fiat há um bom tempo, que o deixou mais econômico).

            • Wellington Myph13

              Não falei que o Renegade não foi projeto de FCA, leia novamente. Falei que o Resto já fazia parte do grupo (FCA), apenas disse que a Fiat não fez nada com a Chrysler alem do 200, e que ainda por cima vai sair de linha por conta da modinha dos SUVs… Mal planejado…

              • Heisenberg

                Ele falou GRUPO Chrysler (Jeep, Dodge e Chrysler) e não a Chrysler propriamente dita…

                • Felipe

                  Gosto quando as pessoas sabem interpretar bem um texto.

              • Edinaldo_Tapica

                Que eu saiba, o 200 é a versão Chrysler do Viaggio… Ou seja, é Fiat. Renegade e Fiat também, tem nem o que se falar. Chrysler msm só o 300 e a Town & Country.

        • Paulo Ricardo

          wellington Myph13 is dead

        • Edinaldo_Tapica

          Rapaz depende do que pra você deve ser uma empresa automotiva. Indiscutivelmente foi saudável pros cofres da empresa, mas não necessariamente pros consumidores. Antes de mais nada TENHO FIAT e gosto da marca, mas acho que ela matou a tradição da Jeep, que outrora era o que q Land Rover é hj. E a linha Chrysler é pífia, e bem restrita ao cenário norte-americano. O 300 visualmente ainda é moderno mas tecnologicamente ao que se propõe, tá defasado. O 200 vão tirar do mercado, ja foi anunciado…

          • tiago

            A Jeep não sobreviveria só com o wrangler, tem q vender o que o povo quer comprar, q nem a porsche vendendo SUV.

          • Bruno Silva

            Não concordo. A Jeep hoje tem uma linha indiscutivelmente mais moderna, assim como a Land Rover se modernizou. Ainda falta lançar o GrandWagoner e o SUV médio (substituto do Patriot e Compass), além da nova geração do Wrangler. Sobre a Chrysler já foi lançada a Pacífica (bem acertada para um minivan) e anunciada a nova geração do 300.

        • Felipe

          E tem mais: Vem aí os novos Wrangler e Compass (Jeep), Pacifica e 300 (Chrysler) e a especulada picape Ram baseada na Fiat Toro!

          • Tarcio

            Engraçado, as pessoas discutindo por gosto de marca. No fundo todas elas são parceiras, lembro que na década de 90 a Ford tinha um acordo com a VW através da extinta Autolatina, mas meu pai tinha uma Fiat Fiorino que usava um filtro de catalisador da Ford. Besteira esssa defender aquela ou esta. acordem…

            • Felipe

              Pois é…

  • Ronaldo Santos

    Mity com volante de Sentra , kkkkkkkk

  • octavio cesar godoy

    Não saindo de linha a pajero full, esta bom

    • pedro rt

      a parejo full e um dos carros mais velhos da mitsubishi… desde 2000 nao tem uma nova geracao e so recebeu reestilizacoes de la pra ca

      • V12 for life

        Além dessa geração de 2000 ter sido mais uma grande reestilização do que totalmente nova.

    • Diogo Vasconcelos da Silva

      O interior da pajero full..parece igual a dos carros dos anos 90

      • ObservadorCWB

        Mas é isso mesmo….o projeto é anos 90, acertou em cheio.

  • kravmaga

    Queria saber é como fica o contrato entre a Mitsubishi e o grupo Souza Ramos (acho que é esse o nome), que é o grupo de produz os Mitsubishi nacionais e dá o suporte aos carros no Brasil.

    • pedro rt

      pelo q eu vi em uma materia meses atras a partir de 2017 as concessionarias nissan e mitsubishi vao vender carros em uma mesma concessionaria assim como vai ser com a peugeot/citroen e DS claro q cada uma vai ter sua area especifica dentro da concessionaria

      • Eu acho que era MIT e Suzuki, que sao do mesmo grupo importador/fabricante em Goiás.

  • Bruno Wendel Marcolino

    Nissan, por favor, cancelem o projeto de transformar o Lancer Evolution em SUV, por favor!!!!!!

    • pedro rt

      nao mesmo, isso nao tem volta e e uma tendencia mundial.

    • Wellington Myph13

      O Lancer não vai deixar de existir, só não vai ter mais a versão Evo… pode ser que lancem uma versão com 2.0T mais “pacifica” e com menos preparação.
      A intenção de ter um SUV EVO agora é que é a moda, e a versão esportiva dele vai ajudar no marketing da versão urbana, que com certeza vão fazer…
      Assim como Muitos querem um Lancer, nem que seja o 2.0 aspirado, só pelo fato de ser um Icônico carro de Rally…

      • Edson Fernandes

        Porque não mantenham o nome Lancer para um sedan e lancem outro para um SUV? Isso que não faz sentido.

        • Wellington Myph13

          Não se entendi direito, mas o Sedan vai continuar sendo Lancer.
          É o EVO que vai sair do Lancer e ir pro novo SUV.
          Agora se quis dizer, porque não ter dois EVO’s, Sedan e SUV, não sei, mas imagino que pelo nível de ajustes pra competição que são feitos nas versões EVO, não vale o investimento ter 2 carros com todo esse preparo.

  • pedro rt

    quem vai se beneficiar dessa uniao e a mitsubishi q alem de estar passando por um momento ruim so tem carros ultrapassados em todo o mundo, ta precisando de uma mudança geral no seu line up

  • edgar__rj

    Carlos Ghosn é um Gênio… Lembrando que a Nissan estava na mesma situação quando se fundiu a Renault… Através do “Visionário” brasileiro …

    • Pedro Henrique

      esse cara deve ter um pacto de sangue com o coisa ruim..
      pq o cara transforma coco em dinheiro

    • E o controle vai ser extenso, pois a Renault deverá adquirir entre 17% e 25% da Mit Motors, garantindo controle total da mesma. O grupo só vai crescendo, lembrando que a Renault por ser a maior acionista da Nissan, por si só já possui uma relevante porcentagem na Mit.

  • pedro rt

    espero q eu veja logo uma mudança em toda a linha mitsubishi especialmente na linha pajero q desde 1997 “dakar” e 2000 “full” nao tem uma nova geracao… o lancer nao tem nova geracao desde 2008 e a ASX desde 2009…

    • Marcus

      Olá Pedro, concordo com tudo, exceto a parte da Dakar. É um dos projetos mais recentes da Mit na linha Pajero, e não tem relação com aquela Pajero de 97 (aquela era a Sport). A Pajero Dakar se não me engano (me corrija caso esteja errado) é de 2008 ou 2009. Embora lá fora ela seja conhecida como Pajero Sport, não há relação com a nossa antiga Sport de 97. Abs

  • Acho que pode ser um movimento pensando mais na frente, juntando Renault/Nissan/MIT com uma FCA ou PSA da vida.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    A Mitsubishi talvez seja a grande marca cuja imagem mais declinou nas últimas duas ou três décadas. Nos anos 90 a marca tinha três modelos com imagem excelente: Pajero, Lancer e Eclipse. Mas deixou seus produtos caírem:

    Com o Pajero a Mistubishi foi multi campeã do Rally DAkar e o Pajero de rua ao lado dos LR/Range Rover e Grand Cherokee eram referencia em SUV de luxo numa época em que MB ainda planeja o ML, a Porsche procurava viabiliza o que viria ser o Cayenne e a BMW sequer cogitava SUV. Hoje quando esta tipologia é o Santo Graal da indústria o competente Pajero tem presença discretíssima no mercado e cada geração tem estética cada vez mais discutível.

    A marca também não soube fazer com que o Lancer de rua fosse um produto interessante para mercado de massa, em especial junto ao mercado europeu, que sempre prezou muito os rallis. Assim fora os EVO, esportivos de nicho e caríssimos, o Lancer, desde os anos 90 sempre um carro banalíssimo muitos furos atrás de qualquer sedã ou hatch médios vendidos na Europa.

    O Eclipse de segunda geração foi um ícone, ainda que tardio, da cultura Tunning e Gamer graças franquias Fast and Furious diversos jogos de corridas. E enquanto a Nissan aproveitou o mesmo movimento para trazer de volta a gama Z e internacionalizar o grande GTR o que fez a Mitsubishi? Nada. Deixou passar em branco.

    Talvez o único produto que tenha sobrevivido com sucesso foi a L200. Presente em diversos confins do mundo e com imagem de resistência semelhantes às da Hilux e Defender.

    Assim acredito que a marca Mitsubishi será suprimida da cena mundial pela Renaul-Nissan, ficando restrita ao Japão e associada apenas à L200 e outros veículos comerciais em mercados asiáticos e na África do Sul. Pois todos seus produtos são redundantes em relação a Nissan. Talvez o Pajero possa sobreviver como Nissan.

  • V12 for life

    É interessante para a Renault-Nissan mais uma marca para dividir os custos da plataforma modular CMF. E caso resolvam não matar mais o Evo, o sistema de tração do GT-R é perfeito pra ele, não custa sonhar.

  • Kaian Reis

    Que não surja mais facelifts horríveis como esse

  • Marcus Vinicius

    Pode ser que a próxima geração do Lancer utilize a mesma plataforma do novo Mégane francês !

    • fschulz84

      Na verdade, o Sedan da Renault não será mais o Megane. Continuará como Fluence, cabendo ao Mégane as variantes hatch e SW.

  • Edinaldo_Tapica

    Renault-Nissan-Infiniti-Samsung-Dacia-Mercedes-Mitsubishi-Datsun-Lada-Venucia-Dongfeng-AvtoVAZ… Meu amigo, e ainda tem fanboy que diz que a Honda é mais forte que a Nissan!!! Putsssss

    • fschulz84

      A Nissan demorou bastante para se consolidar por aqui, mas globalmente falando, tem aceitação igual ou maior que a Honda.

      • Edinaldo_Tapica

        Justamente, o fanboy huebr acha que a Nissan no mundo é o que é aqui… E mesmo assim, o que o mercado avalia baseado no pós venda, porque mecanicamente são sensacionais!!! É bizarro! Estados Unidos e Japão, Nissan e mais bem quista que a a Honda. Mas no Brasil…

        • visanpai

          Aqui se valoriza muito o design, que é um dos calos da Nissan aqui.

    • DongFeng é parceira comercial obrigatória na China, em uma joint-venture, para a fabricação da Nissan… Nissan não comanda ela, assim como a marca Venucia é da DongFeng, usando plataformas e modelos antigos Nissan re-estilizados. .
      Lada e AvtoVAZ são a mesma coisa.
      Mercedes-Benz não pertence a Nissan, apenas compartilha tecnologia em pick-ups.

      São marcas de administração do lado japonês atualmente: Nissan, Infiniti, Mitsubishi, e Datsun.
      São marcas do lado francês da aliança: Renault, Dacia, Samsung e Lada.

      Surpreso como a aliança cresceu. Espero que os japoneses parem de birra e permitam a fusão de vez, uma vez que a Mit veio para a aliança para dar mais força a eles.

      Sobre a Mitsubishi Corporation: eles são espertos… estão entrando no setor aeronáutico e não fazia sentido continuar investindo no concorrido setor automotivo.

      • Edinaldo_Tapica

        Dimitri, claro que eu sei que a relação por exemplo com a MB é uma joint venture em produtos específicos… Mas citei para entender o nível de sinergia que a Nissan de forma solida se entrinchou pelos mercados mundiais. Uma marca forte e sólida e ainda tem gente que vem dizer que a Honda é muito superior à Nissan em se tratando de tamanho de empresa qualidade etc

  • Diogo Oliveira

    Talvez acabe saindo bons frutos dessa parceria, quem sabe, um Eclipse com Motor de 370z Kkk.

  • Pedro Henrique

    vai lá carlos ghosn, faz tua mágica!

  • sigma7777777

    A Nissan talvez se afaste da Renault, cujo governo francês já fez ameaças recentes à parceria. Talvez a expertise do Godzilla ajude na criação de um excelente Lancer GT, quem sabe então colocando o Lancer acima do Altima e tentando disputar o segmento premium com a BMW, Audi, etc. Já o futuro ASX poderia utilizar a plataforma do Murano. Por fim, há o segmento militar que não sei como a Nissan se insere, mas a Mitsubishi poderá ajudar nesse aspecto.

    • Não tem como eles se afastarem, e muito menos o Governo Francês fez ameaças a parceria. A Renault é detentora de mais 44,6% da Nissan, enquanto a japonesa possui apenas 17% da francesa. O que ocorreu é que além da participação que a Renault tem na Nissan, o governo francês é também acionista da Nissan em quase 5%, e estava tentando aumentar sua participação, assim como detém mais de 20% na Renault e ele estava ferindo o acordo informal de acionistas, onde se propunha não assumir a majoritariedade na francesa por meio de aumento de sua participação na Renault, assim como se limita a menos de 5% das ações da Nissan, enquanto a Renault tiver mais de 44% das ações, evitando assim que englobem de vez a japonesa, tornando-a uma subsidiária da francesa.

      A Nissan, com a Mitsubishi, pretende dar mais equivalência a sua participação, haja vista atualmente ela ser maior que a sua empresa controladora (Renault), e será a majoritária na japonesa, todavia, a Renault deverá adquirir entre 17% e 25% da Mitsubishi, conforme manda as regras da aliança entre as duas.

      É de se chatear perceber que os japoneses são turrões e não aceitam a fusão logo, por medo de serem controlados pelos franceses, mas quando precisaram do investimento da francesa para não quebrarem, não acharam ruim. As duas cresceriam ainda mais e seriam uma forte potência automotiva mundial, se parassem de pinimba.

  • Felipe

    Será que Carlos Ghosn vislumbrou algo para o Brasil depois das suas últimas declarações sobre nosso mercado?!

  • Ricardo Blume

    Quem sabe agora a Mitsubishi do Brasil não passa a fabricar modelos menores no país como hatches e suv’s. Em nosso país, a marca nunca teve muita expressão com o Lancer e o ASX. O que salva um pouco é ainda a Triton.

  • Allan MB

    Eles vão investir em desenvolver puro elétrico e hibrido juntos e espalhar para todas as linhas de veículos, ganhando escala, compartilhando tecnologias e diminuindo custos.

    Em matéria de puro elétrico PEV a Nissan é pioneira com o Leaf além de outros produtos no portifolio híbridos (Sentra, Altima dentre outros no exterior), já a Mitsubishi tem carro de linha PEV desenvolvidos (i-Miev) além da Outlander Hibrida e ambas tem bastante tecnologia para compartilhar e melhorar, intercambiar patentes e conhecimento.

    Acredito que vai sair coisa interessante, principalmente nesse mercado de elétricos!

  • Airplane

    Excelente notícia !

  • Natán Barreto

    Coloca o Carlos Ghosn que ele resolve

  • Marcos Drawer

    Esperemos por mais alguns badge-engineering (tipo Nissan Dayz e Mitsubishi eK) e, quem sabe, um novo Lancer Evo (Só não sei em qual base… Megane/Fluence?)

  • jkpops

    Esse NA é fodão mesmo hein ainda ontem já apontava para esse acontecimento…

  • Arnon Coelho Junior

    interessante para a Nissan, salvo o tamanho das dividas da mit mas e agora eu pergunto e aquele programa do aviao regional MRJ que tambem a da mit, sera que era uma subsidiaria ou outro grupo sera que a Nissan vai vender avioes tambem para concorrer com a Embraer Ejets 2

    • O Mitsubishi Corporation continua a parte e é muito maior que a Nissan. Fabrica navios, elevadores, escadas rolantes, eletrônicos, eletrodomésticos e muito mais. O que foi vendido foi somente a Mitsubishi Motors, justamente para que o conglomerado possa focar em segmentos mais rentáveis e que demandem investimentos equalizados com os lucros, como o setor aeronáutico.

  • Seven23

    Poderá haveer futuros esportivos tipo o Eclipse eo GTO com essa aquisição ?