_Destaque Crossovers Lançamentos México Nissan Preços

Nissan Kicks chega ao mercado mexicano com 118 cv

nissan-kicks-mexico-produção-1

O Nissan Kicks começou a ser produzido em Aguascalientes, México, local que inicia a fabricação do crossover compacto lançado inicialmente durante as Olimpíadas Rio 2016 no Brasil.

Já disponível no mercado mexicano, o Nissan Kicks surge nas versões Sense, Advance, Exclusive e Bitono, custando assim entre 283.900 e 353.700 pesos novos, equivalentes a R$ 48.800 e R$ 60.800, respectivamente. O motor é o mesmo 1.6 16V usado por aqui, mas com 118 cv a 6.300 rpm e 15,4 kgfm a 4.000 rpm. Há opção manual ou CVT Xtronic.

A versão Sense tem somente transmissão manual de cinco marchas, oferecendo airbag duplo, botão de partida e sistema de áudio com CD/MP3/USB/Bluetooth. A Advance dispõe de rodas de liga leve aro 17, faróis de neblina, faróis com LEDs, sensor de estacionamento e volante em couro.

Já as versões Exclusive e Bitono apresentam pacote semelhante ao da versão SL no Brasil, tendo seis airbags, multimídia com tela de 7 pol. e navegador, bancos Zero Gravity, Around View Monitor (visão 360 graus) e pacote de segurança com controle dinâmico de chassi, controles de tração e estabilidade e assistente de partida em rampa.





  • leandro

    Já passou da hora de acabar essa proteção aos importados.. o carro tá quase a metade do preço lá

    • Mr. Car

      Não é proteção aos importados. É proteção aos nacionais, he, he!

      • leandro

        Ato falho, vlw. Corrigido

    • Gustavo73

      Um nacional exportado também custa menos. Não é o único motivo, já tivemos declarações de pessoas do meio falando que preço vai além de custos e impostos. Mas a carga tributária lá é bem menor que a daqui.

      • leandro

        Entre 2009 a 2011 experimentamos uma combinação de IPI “defasado” com câmbio favorável qual foi o resultado?
        O bom resultado do i30 nas vendas nacionais consolidou a marca aqui no BR que acabou trazendo fábrica e como resultado já está incomodando as 4 antigas com seu HB20.

        Um pouco de abertura no mercado pode ser bom pra economia

        • Gustavo73

          O i30 é justamente um bom exemplo da questão preço. Para conquistar o mercado a CAOA o trouxe com um excelente cxb(mesmo que não tenha sido o prometido antes do lançamento). Mas com o mercado já conhecendo o produto a segunda geração deu no que deu. Como disse o carro lá fora não é mais barato inclusive, mas não só pelos impostos menores que aqui. Isso não significa que sou contra a queda do Super iPI e até a redução do II, mas não tenho a ilusão de que isso traria automaticamente carros bem.mais baratos e ou mais equipados. A questão passa também pelo que o mercado está do a pagar e nesse sentido temos exemplos de sobra que nem sempre o mais barato, melhor equipado ou mais moderno vende mais. Seria necessário uma reeducação de como o mercado aqui precifica os carros. Algo mais complicado e demorado. Inclusive aqui usam a desculpa de proteção da indústria locem tudo, mas no final falando de governo o objetivo é um só arrecadar. Isso acontece em tudo não só na indústria automobilística, agora mesmo procurando um item bobo mas de tecnologia e mesmo não tendo uma indústria a proteger pagamos aqui o dobro para levar a metade.

          • Tosoobservando

            Arrecadar pra alimentar bolso de politico, a população tem de se revoltar e exigir uma abertura de mercado. Se a população nao exigir, nunca farão, e os preços nao caem! Se tirasse super IPI hoje e Inovar Auto, e abaixasse os atuais imposto de importação de 30% (limite imposto pela OMC), para abaixo de 20%, como outros países latinos, com certeza os preços cairiam sim, nao daria 3 meses pra isso. O mercado ficaria mais competitivo.

            • Gustavo73

              Porque você acha que as fabricantes abririam mão de um lucro maior se quando começam a produzir aqui vaona mesma balada das estabelecidas a mais tempo? Elas são boazinhas e as.outras más? Desculpe não acredito, no máximo fariam algo um pouco diferente por um tempo mas assim que estabelecidas jogariam no time de casa. Exemplos não faltam. Nos últimos anos o bolo diminuiu e mesmo assim vemos muitas que apesar das baixas vendas não melhoram de forma efetiva o cxb de seus produtos, ou se o fazem dura pouco tempo. Isso não significa que o mercado não deva ser mais aberto, mas não será isso, ou melhor só isso que vai colocar o preço dos carros no Brasil em um nível similar ao poder de compra que vemos em mercados mais maduros. Afinal nesses mercados de cara a tributação sobre os automóveis é até três quatro vezes menor que o nosso de cara. E como disse isso não acontece só no mercado automotivo, em tudo temos uma carga tributária muito acima do que seria ideal. Nos exemplos que coloquei acima fica claro o peso dos impostos diretos. Um carro que custa 80 poderia custar 60 de cara com impostos mais civilizados, aliando isso a diminuição do custo Brasil poderíamos diminuir mais alguns milhares de reais. Isso porque devido a outras questões a produção por empregado aqui está abaixo da média dos países com os quais comparamos os preços. A questão dos preços no Brasil é multifatorial, a ações teriam que ser mais amplas para causarem um efeito de longo prazo. É só ver exemplo de modelos importados do México com cotas separadas r menos impostos com preços na melhor das hipóteses ligeiramente abaixo da concorrência,mas que subiram além do necessário para abrir espaço para a subida se preços de produtos nacionais ou com tributação de nacionais.

              • Tosoobservando

                Toda montadora que viesse pra ca teria de ser competitiva pelo menos no inicio, como foi com Hyundai e Kia. Se essa onde tivesse continuado sem o protecionismo do governo, as duas poderiam sim ter aumentados seus preços, mas ae viriam outras, a Lada ia voltar, a Mahindra preparava Suvs pra ca, a Tata ia entrar, e chinesas eram várias com planos ambiciosos. O Inovar Auto e o IPI majorado jogou tudo no buraco. Elas tem custos altos e nao querem ser obrigadas a abrir fabrica pra vender aqui, e tem outros mercados no mundo pra explorar. Simples. Mas abra o mercado hoje, e tudo isso volta, os preços caem!

                • Gustavo73

                  Vi a chegada das japonesas, das francesas e sempre esperei essa mudança. Nesse tempo os impostos tiveram variação para cima e para baixo. Os carros melhoraram nesse tempo, mas não raro por questões de leis ambientais . Outras evoluções vieram com a chegada dos concorrentes. Mas o preço nunca fugiu muito. Por isso não tenho essa impressão de que é só chegar mais players e automaticamente os preços cairiam na proporção que almejamos. Um bom exemplo é o Fluence lançado aqui com preço abaixo dos líderes de mercado e bem mais equipado. Não chegou nem a ser um quarto lugar em vendas de.modo sólido. No final cortou alguns equipamentos como os airbags de cortina e seu preço hoje está com preço na média do mercado.

                  • Tosoobservando

                    Os franceses e japoneses chegaram mirando por cima no inicio, tanto que depois a Renault mudou o portifolio e hoje é so Dacia e vende bem. Quem chegou querendo abalar o mercado foram os coreanos e agora os chineses. Russos, indianos e outros países menos “bombados” no sentido de serem players mundiais nao chegariam aqui botando banca e nem querendo estar por cima, viriam com preços abaixo do mercado e com algo competitivo sim. Estude o periodo que antecedeu o IPI majorado e Inovar Auto e como a concorrencia com os carros da Coreia e da China estavam ficando ferrenhos, com muitas outras querendo invadir o mercado. Por isso mesmo que fizeram estas medidas drasticas que fecharam e quebraram o mercado, e acabou com a competitividade, e os preços dispararam.

                    • Gustavo73

                      Russos, indianos aqui? Aonde? A Lada/Auto Vaz não consegue ser relevante nem em casa, fora que vai precisar de um aporte financeiro da Renault (que já tem um percentual da empresa) pois passa por dia financeiras. Os indianos na verdade o Tata comprou empresas européias,mas da mesma maneira não é relevante em mercado algum e em casa vende é”micro-carro” que até aqui seria considerado inseguro. Os coreanos que estão aqui desde os anos noventa estão a onde sempre quiserem na parte de cima dos preços lembrando que em todos os casos eles não estão aqui diretamente e sim pr meio de representantes. A JAC até fez uma graça no início(também representante) mas no primeiro movimento das empresas locais(só lembrar as promoções do Fiesta Rocan) começou a abrir o bico antes mesmo da InovarAuto. Como disse na minha opinião nada disso trás benefícios com relação a preços a longo prazo. A questão é mais profunda. Veja o caso do carro da matéria, versão única de uma categoria conhecidamente cara custa 90mil. Hoje é o Nissan mais vendido no Brasil, mais que March que custa a metade, mqis que o Sentra que é um médio com versões mais baratas. Mais que Focus, Golf, Cruze e 308 juntos. Isso um modelo desconhecido de.uma marca sem tanta expressão no nosso mercado. Com motor no nível de Golf 1.6 e preços de Focus 2.0Gdi. Quem vê de fora não deve entender nada. O HRV custa tanto quanto o novo Civic nas versões aspiradas, é menos equipado e vai vender mais. Ambos sendo Honda o fator marca se iguala. Os preços aqui são ruins por vários motivos, mas se no final o mercado paga esses serão valores pedidos. E isso vale para tudo que se compra nesse país. Lá fora a diferença de preço entre um produto eletrônico básico e a versão top é menor que aqui, pois aqui o brasileiro paga. Não tem nada haver com impostos. E ninguém que trabalha em vendas vai abrir mão disso. Não de maneira substancial. No Brasil infelizmente é melhor ganhar muito em pouco do que ao contrário. Tudo aqui leva a isso, dos impostos e dificuldades na produção a cultura de quem compra. A coisa é tão enraizada que em Orlando e Miami durante o real “forte” os americanos estavam reclamando de como o comportamento dos brasileiros nas compras estavam inflacionando os preços na região.

                    • Tosoobservando

                      Kra na epoca tinha pelo menos 6 marcas chinesas com projetos e ja abrindo concessionarias no Brasil, além das que vieram mesmo com as exigencias do cartel, Jac, Chery, Lifan (que seu deu bem vendendo Suv), Foton, Jinbei, Chana. Varias delas iriam trazer Suvs e Crossovers, como a GWM que é dona da Haval na China, e é lider em suvs la, ja vi ate publicações na Australia elogiando os carros deles baratos e robustos. Pesquisando algumas materias dessa época eu listei as que apareciam com planos de vir: BYD, Beijing Automobile Group, Changan, Jingbei, FAW, YTO. Tem outra materia do IG Carros, mais ampla, que lista mais 10 marcas que desistiram do Brasil: Geely, Mahindra, Lada, Alfa Romeo, Mazda, Seat, Saab (quando existia), MG, DAihatsu, Daewoo (que ainda existe na Coreia). A maior parte por falta de livre concorrencia pq se vc ver o mercado em varios países da America Latina, especialmente Chile, que faz o que estamos falando, elas estão em sua maioria la. Não acho que uma Nissan teria coragem de lançar o Kicks a 90 mil nem a Honda o Civic se tivesse tanta concorrência no mercado.

      • Marcio Santos

        Tira o imposto do nosso carro e preço cai quase pela metade, na média fica acima de 40% de impostos.

        • Artur

          É só ver o valor que os portadores de deficiência pagam em veículos como Corolla GLi CVT: valor de tabela a R$ 70 mil, compram por R$ 54 mil! Ou seja, R$ 16 mil só de IPI e ICMS! E existem muitos outros tributos já embutidos nesse preço aí…

          • Edson Fernandes

            Só valendo lembrar que esse imposto é em cima do produto final. Porque o imposto nas peças para produzi-lo ainda foi pago e repassado ao consumidor…

            • Artur

              Com certeza.

      • Hélio

        o problema não é o lucro brasil, mas o bobo brasil

      • Artur

        Esse exemplo do Golf é o mais emblemático (salvo engano era ainda da época do alemão, com o super IPI e tudo mais). Mais de R$ 40 mil reais de tributos embutidos em apenas uma única unidade! Se vendesse 10 Golfs por mês àquela época (e vendeu muito mais do que isso) seriam R$ 400 mil reais só de tributos!
        Está explicado porque nenhum governante sequer menciona a possibilidade de fazer uma reforma tributária.
        Nosso defasado sistema tributário da década de 1960 é muito cômodo para eles: existem tantos tributos que nenhum tributarista sabe informar quais são todos os tributos (federais, estaduais e municipais) vigentes em nosso país – nenhum mesmo, podem pesquisar.
        E essa quantidade astronômica de tributos só serve a um propósito: facilitar o desvio e a roubalheira que inunda todas as esferas de Poder em nosso país…

        • CARnivoro

          Falou a verdade amigo. Eu sou contador e pós-graduado em tributos! A nossa lei é tão confusa e temos tanta cobrança é cascata que não temos como afirmar o valor exato de imposto sobre o produto. Tanto que existe uma lei que temos que colocar na Nf qual o valor do imposto. Ai colocamos “valor aproximado de tributos” porque não temos como saber o valor exato!

          Isso fora o monte de taxas municipais, estaduais e encargos trabalhistas que lógico estão embutido nos preços de tudo!

          Não estou aqui pra defender empresa nenhuma mas sendo conhecedor da área eu digo que enquanto tivermos esse sistema arcaico trabalhista e tributário, NUNCA terremos produtos com preços atraentes no brasil! Nunca!

          • Edson Fernandes

            Isso porque ninguém sabe dos bastidores para entregar as atuais obrigações e as que estão para ficar em vigor…rs

    • Luis_Zo

      Poisé. Não esta nenhuma maravilha aqui. Mas olhar assim, de maneira isolada e simples, pros preços dos carros também esta meio cansado.

      Salário mínimo no México é de 73,04 pesos diários, ou 3,90 dólares. Num mês de 22 dias uteis seria 85 dólares, a uma cotação de 3,20 reais, da 275 reais mensais.

      Ou seja, o poder de compra deles é uma porcaria igual aqui. Nenhuma vantagem (pra eles) o preço do carro lá ser mais barato.

      Pra comprar um Kicks mais barato precisa de 15 anos pra quem ganha 1 salario minimo por mês (isso se ele fazer fotossíntese, beber água do rio e não precisar de energia elétrica).

  • Raphael Pereira

    Uai??

  • Diego

    Brasil 114cv, México 118cv, daqui a pouco Europa 130cv diesel ou turbo, EUA 150cv ou V6… Brasileiro é trouxa mesmo, paga o pior carro pelo preço mais caro!

  • Heidir Sarto

    Claramente o carro não vende o previsto aqui, parabéns para a Nissan que poderia ter praticado um preço menor e estar vendendo muito mais, desse jeito a Nissan nunca vai chegar nem perto das grandes, poderia ter sido mais agressiva nesse preço.
    Torço para encalhar de vez, mais um mês e vão lançar as versões mais baratas aqui, mas agora acho que já é tarde, o Kicks não vai passar de mais um coadjuvante da Nissan, vamos ver se a Hyundai é mais competente com o ix25, por enquanto fica fácil do HRV ser líder mesmo aumentando todo mês.

    • Gustavo73

      Encalhar de vez? O carro é o Nissan mais vendido no nosso mercado e com uma única versão que custa 90 mil vende mais que os 3 hatchs médios mais vendidos juntos.

  • Licergico

    novidade … qualquer um que chegue perto desse carro entre e avalie sabe q mesmo no Brasil com todos os impostos majorados ele não vale mais 72k na versão top de linha . A nissan errou a mão feio no preço desse carrinho .

  • Paulo Eduardo

    Então traz logo estas versões mais básicas e mais baratas para cá para o carro finalmente poder deslanchar no país. Só a versão topo de linha não dá.

  • invalid_pilot

    Quando falo que o Kicks deveria custar no maximo chutando alto 80 mil, vem fanboy discutir… Trouxa quem aceita pagar 93k

    • CARnivoro

      Ai sim amigo! Concordo contigo! Esse sim seria um preço mais realista. Era pra custar uns R$ 8 a R$ 10 mil a menos! Sabemos que carro aqui é caro e tudo aumentou.. O povo fala que a versão topo deveria custar R$ 70 mil mas infelizmente no nosso mercado isso não é realista.. mas dava sim pra custar R$ 80 – R$ 83 mil a versão SL sim..

      • invalid_pilot

        Ele custa 40k a mais que o March AT… Nao faz nenhum sentido

        • Martini Stripes

          Quanto custa a dupla Fit-HRV? E Fiesta-Eco? Punto-Renegade?
          Tudo normal meu jovem. É assim que é. Concordo que os SUVs compactos são caros, mas o ser humano se impressiona pelo o que o design transmite, então…

          • Artur

            Só acho meio forçada a comparação do Punto com o Renegade. O Punto usa a plataforma Gamma e o Renegade usa a SUSW que, em verdade, é uma atualização da Gamma, mas uma baita de uma atualização (rsrs) – tanto é que essa SUSW é muito mais versátil e pode ser utilizada em vários tipos de veículos (Toro, 500X, futuro Compass etc.).
            Já o HR-V, de fato, usa a mesma plataforma do Fit (assim como o City), o Ecosport usa a mesma do Fiesta e o Duster a mesma do Sandero, com poucas ou mínimas alterações.

            • Martini Stripes

              To ligado, mas é só pra mostrar que todas as montadoras tem esse perfil de preços.
              Vi um documentário que falava sobre a percepção de preço, e preço. Design é muito importante, e as montadoras sabem disso.
              Quando páro com meu Fiesta ao lado de um desses percebo o quanto o design pode enganar.

              • Tosoobservando

                Pq existe um cartel. Libere concorrencia externa, enxurrada de Suvs russos, indianos e chineses, os preços caem em menos de 2 meses.

            • Edson Fernandes

              Isso citando o Punto europeu, porque aqui ele usa a plataforma do Palio com muitas melhorias (e coisas inexistentes na plataforma do Palio)

              • Artur

                Cara, tenho lá minhas dúvidas sobre esse negócio de que o Punto usa plataforma do Palio. Há muita diferença entre um Palio Fire (que ainda usa a plataforma original) e um Punto.
                Eu já tive os dois e posso afirmar que, dinamicamente, são completamente diferentes. O Palio rola muito mais a carroceria nas curvas.
                O comportamento da suspensão dos Fiat costuma ser mais macio, voltado ao conforto, e o Punto, diferentemente do Palio, é bem mais firme e mais estável.
                A posição de dirigir também é bastante diferente. As caixas de roda invadem o habitáculo no Palio bem mais que no Punto, o que obriga o deslocamento dos pedais para a direita. Você fica meio “torto” no carro, com as pernas desalinhadas em relação ao volante. Já no Punto você fica bem alinhado (volante e pedais).
                Até o compartimento do motor é bem diferente entre ambos:
                https://uploads.disquscdn.com/images/dc13f460b431b19da33164ed2000e9751e58939a00a8d60f33f1befa0c4804ce.jpg
                https://uploads.disquscdn.com/images/391ca44ab9e6998d81d0d532c4c6ae80c815efe6bb4b0d7df2ac516ca3cba19e.jpg
                Ouvi dizer que a única alteração que a Fiat fez na plataforma do Punto foi adotar a suspensão do Stilo, que já estava adaptada para o nosso asfalto “lunar”. De resto, seria tudo igual ao europeu, inclusive a plataforma (com exceção das opções de motores, obviamente).

                • Edson Fernandes

                  Então, mas como na epoca o acordo entre fabricantes (Opel e Fiat) no uso da plataforma era especifico para o mercado europeu, essa não saiu de lá.

                  Tanto que a Fiat teve que se virar no Brasil. Claro que o Punto já teve muito aproveitamento do original. Mas veja que a Fiat quando trouxe o Punto, procurou adequar o carro ao gosto brasileiro. Repare inclusive que a propria plataforma do Palio suporta ter mais itens de segurança do que o normal para a categoria. Somente agora as demais fabricnates (e algumas delas vale frisar) que estão passando a oferecer em determinadas versões 4 a 6 air bags.

                  E a Fiat ofertava desde antes 4 air bags no Palio e melhorou podendo ter 6 no Punto (HLX no inicio e depois Sporting, T-Jet, Essence 1.6 e 1.8). Você comentou das posições de condução… repare que grande parte dessas mudanças se concentram na altura de condução e tipo de instalação dos bancos. Eles são mais largos e baixos normalmente… a condução tem uma direção direta, porém repare que os pedais tem um pequeno enviesamento para a direita (mesma situação do Palio), entretanto o volante tem a conformidade certa (sugestivo no Punto ter ajuste de altura e profundidade e para não denunciar o Punto, o Palio somente de altura). Outro ponto que era critico e foi alterado como solução de projeto: posicionamento das saidas de ar. A Fiat no Punto trocou toda a sessão do painel posicionando o som para a parte inferior e as saidas para a parte superior.

                  Repare que hoje, foi possivel posicionar de forma que a central opcional possa ser utilizada sem perda nas saidas. E por fim, repare que peças e inclusive e encaixes de diversas peças da carroceria (melhor dizendo do proprio painel) tem pontos fixos em ambos.

                  O que a Fiat fez foi realmente trazer uma modernização do Palio… só que deixando obviamente o “velho” em linha. E perceba que para a parte mecanica, essas soluções foram bem aproveitadas da linha italiana: O Palio sempre utilizou a mecanica do Uno italiano e o “nosso” Punto configurações de um misto de plataforma: suspensão dianteira feita para ele (ajuste de firmeza do amortecedor por exemplo) e traseira aproveitada em dimensões reduzidas do Stilo.

                  Isso também se vale para Idea e Doblo, só que ao contrário do Punto, optaram por usar o conjunto suspensivo dianteiro do Palio e interior focado nos pontos e sessão de painel do Palio para aproveitamento e menos adaptação aos produtos, mas focando em cada um deles ofertar o esperado para o segmento.

                  Curiosamente, a primeira fornada de Idea, tinha um agravante: Alguns donos que tiveram de realizar uma frenagem forte e o carro capotar para frente. Seria comico se isso não fosse tragico.

  • AugustoSeide

    Mais uma baita fábrica no.. México!!! A Kia já inaugurou a mais uma por lá também,

    Obrigado por nada, mãe Dilma!

  • JAG

    Olhando na internet encontrei uma remapeado que coloca mais 15 cv e 1,5 de torque, ou seja 129 cv, no versa. A Nissan fizendo isto, o carro andaria mais que a HR-V. Assim as reclamações de motor iriam acabar. Perante este carro.

  • GUETAO

    Gostaria de saber qual o carro que os espertos compram ja que quem compra kicks e otário.

    • Louis

      Só mimimi nos comentários…

  • Megamente

    Kicks está fazendo água. Passado a bolha de exposição na olimpíadas, resta o preço alto na cabeça das pessoas. Está vendendo menos que o 2008.

    • Gustavo73

      Como assim? Vendeu mais que o EcoSport e bem mais que o Duster, frente ao 2008 nem se fala 1897 contra 695. Isso porque só tem uma única versão custando 90 mil reais.

  • klaus

    Entrei num, na Expointer (Esteio/RS), no findi passado. Bem legal o interior. Pode parecer frescura mas num carro desse tipo/nível/preço TEM QUE TER aquele apoio para os braços entre os bancos.

    • Artur

      Concordo com você. O acabamento é superior ao do Sentra, por exemplo, mas fica a clara impressão de “carro compacto” no interior (o Sentra dá impressão de carro mais largo, de sedan médio mesmo).

      • Edson Fernandes

        Acabamento superior ao do Sentra?

        Olha, eu posso tecer vários comentários acerca do Sentra que não gosto nele… mas material de acabamento é um dos detalhes que mais brilham nele. E a conhecer o Kicks como eu conheci, os encaixes de ambos e construção podem estar em pé de igualdade… mas material de acabamento o Sentra dá um banho no Kicks.

        • Artur

          Acho que me expressei mal. Não que o acabamento em si (materiais e qualidade de construção) sejam superiores, pois acho que são equivalentes, mas a adoção de diversos tipos de materiais (couro, material macio, cromados e partes com preto brilhante) “combinam” mais no Kicks do que no Sentra. O Sentra é bem mais discreto no seu interior e o Kicks soube aliar certa “ousadia” sem “invencionices” (vide fotos abaixo): https://uploads.disquscdn.com/images/c7b118cc5329d0802b03713c864ad65ec229ab7bd664794cf534616c3c635235.jpg https://uploads.disquscdn.com/images/24da0b1b0062ba342f584a256752796a7d3b2de10b3baa0482d0d0879e29f5fa.jpg

          • Edson Fernandes

            Isso eu concordo de longe. Te confesso que não sou muito fã dos interiores de Nissan. Gostei também do kicks e o interior do Versa SL (que não é lá nada muito diferente) mas falando do campo do agrado, não é dos interiores que me agradam mais. Acho que eu sou meio extremista…rs

            Eu gosto dos interiores de VW mas também gosto bastante do interior em especifico do Focus. Mas sei que são interiores bem extremos, mas ambos me agradam.

            Talvez pelo fato de existir opção de interior claro no VW e qdo tudo preto, preferir o da Ford. Outro que me agrada bem nesse quesito é o do C4 Lounge com o visor ajustado para fonte de cor branca.

            • Artur

              Também curti muito o interior do novo Cruze LTZ. Os caras souberam mesclar com perfeição materiais com cores mais claras e escuras, mesmo ainda possuindo plástico rígido em algumas partes.

  • Brasileiro

    R$ 49 mil num Kicks.

  • CanalhaRS

    Que legal, nosso (também mexicano) Kicks custa mais R$ 30 mil em relação ao mexicano. Parabéns ao governo e as montadoras pelo esforço e ao consumidor por ser pato.

  • Tosoobservando

    Kra vc fala do Kicks como se ele fosse um case de sucesso, nao desmerecendo, mas é lançamento, foi feita propaganda maciça nas olimpiadas, claro que iria vender relativamente bem. Vamos aguardar ne se vai manter. E realmente não falei que os chineses iriam vir pra ca produzir, e sim importar, qual problema de carro importado? Nosso país sempre teve taxas de importação altos e nunca ganhamos nada com isso, só um mercado desigual e atrasado, e um consumidor com habitos ruins, como vc mesmo cita. Não concordo com esse protecionismo exagerado, e o governo tambem ganha com importação de carros. Eu queria mesmo que um governo chegasse em 2017 (pode ser o Temer ou outro) e retirasse esse Inovar Auto, o IPI majorado, os acordos de limitação com alguns países como México e Argentina, e e ainda abaixasse o imposto de importação para menos de 20%. Ah e ainda liberasse a importação de carros usados de qualquer parte do mundo! kkkk Ae eu queria ver o que ia virar, a longo prazo virariamos ou um Paraguai ou um Chile ou uma Australia no mínimo.