Nova picape cabine dupla da Fiat é flagrada em Pernambuco

05/03/2015

picape-cd-fiat-1

A nova picape cabine dupla da Fiat foi vista pelo leitor Victor Ferraz em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco. O veículo estava completamente camuflado e apenas deixou parte das lanternas à mostra.

picape-cd-fiat-2

O modelo será um dos dois que inaugurarão o novo segmento de picapes compactas-grandes, que ficará entre as atuais leves – dominada pela Strada – e médias – onde a S10 é líder. Além dele, o outro modelo será a Renault Oroch, derivada do utilitário esportivo Duster.

picape-cd-fiat-3

Com uma nova plataforma, a mesma CUSW da FCA usada no Jeep Renegade, a nova picape da Fiat deverá dar origem à um segundo utilitário da marca americana, que será maior que o recém-lançado SUV, segundo a revista Quatro Rodas. Os motores deverão ser os mesmos do jipinho.

Agradecimentos ao Victor pelas imagens.

[Fonte: Quatro Rodas]













  • J. Lucas

    Quero só ver o que a Fiat vai aprontar.

    • Pacheco

      Eu vi ai a Strada na nova geracao mais bombada. Só isso. Nao acredito num carro novo.

      • Diego Nameko

        Percebi a lanterna de Strada.
        kkk

  • Bruno

    como ele sabe que eh da fiat? alguem sabe explicar?

    • sheldonDS3

      A resposta está no final da primeira frase.

      “A nova picape cabine dupla da Fiat foi vista pelo leitor Victor Ferraz em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco.”

      Olha aonde foi feito o flagra.

      • Angelo_RSF

        Além disso pela placa dá pra saber…cada montadora tem suas placas de teste com as mesmas três letras que identificam o fabricante

    • Flavio Odylo

      Joga a placa no SINESP e você verá que está licenciado como um FIAT DOBLÓ.

  • Wally

    Ela tem porte viu… Uma 2.0 Multijet 2 com 170cv e cambio 9 marchas e um preço legal, vai ser a mesma historia do Renegade, vai acabar com a concorrencia.

    • EuMeSmObYmYsElF

      duvido… a Fiat ainda não tem credibilidade acima dos compactos.. é só ver que todos os médios que ela trouxe nos últimos anos micaram. imagine uma picape. sorte dela que só vai ter a Renault como concorrente..

      • Pedro Rocha

        A Fiat pode não ser referência acima dos compactos, mas nos utilitários a conversa é outra. Além da Strada, o grupo FCA tem nada menos que Iveco e RAM para compartilhar know-how.

        • EuMeSmObYmYsElF

          know-how ela tem, concordo. mas, no brasil, não tem credibilidade. duvido que se sustentaria se GM e Ford entrassem nesse segmento leve/médio. a Freemont vendeu um número apenas razoável.

          • gveralonso

            Freemont já vendeu mais de 900 unidades/mês aqui no Brasil, pelo preço me segmento achei bom na época, mas o Inovar-Auto atrapalhou.

            • Bruno Silva

              Teve um mês que vendeu 1.728 unidades, foi o recorde do Freemont no Brasil. Se a Fiat querer, realmente ela vai conseguir emplacar bem essa Stradona.

              • gveralonso

                Caraca, isso tudo? Nem imaginava, só vi uma marca de mais de 1.000. A Fiat tem capacidade de outros veículos mais caros, e tem nome, pois pelo menos aqui onde eu moro, além de ver vários Fiat novos, o pessoal fala muito bem da marca.

                • Bruno Silva

                  Errei por 10 hehe. Chegou a ser o terceiro mais vendido e hoje amarga em vendas baixíssimas…

                  • gveralonso

                    Uma boa marca para um veículo de mais de 80 mil reais. E uma pena pois é um veículo muito bom.

                  • Wally

                    Eu não consideraria baixíssima não, tem a ver com o incremento de vendas da Dodge journey. Que nessa lista aí tinha apenas 195 unidades vendidas, e hoje já vende mais que a Freemont.. E se você somar as vendas da Freemont e Journey, venderam no ano passado o mesmo que o Honda CRV no acumulado. Lembre-se que são o mesmo produto, do mesmo dono e saem da mesma fábrica do méxico.

                    A freemont quando foi lançada, tinha preço de 84 mil se nao me engano, hoje com a alta do dolar ela já bate quase 100 mil na versão de entrada. O preço se aproximou muito da Journey, que não subiu tanto assim o preço quanto a Freemont, acho que por questões estratégicas de mercado mesmo. Eles deixaram de lucrar mais com a journey para mantê-la viva no mercado, 116 mil na versão de entrada, considerando que ela vem do méxico e a ford edge que vem do canadá e paga um monte de imposto custa 128 mil, deu pra perceber que estavam lucrando demais com a Journey antes de o dolar subir.

          • th!nk.t4nk

            Ao contrário, eu diria que tem muita credibilidade. Fiat é quase sinônimo de pick-up no Brasil. O fato de ser um modelo um pouco maior não deve mudar muita coisa nisso viu.

            • Léo Hung

              Como a FIAT é quase sinônimo de pick-up? Tudo bem que, pelo português, sua frase está correta, pois não afirma que a marca é sinônimo. :P

              Mas eu acho que ela passa longe desse título, mesmo no quase. :) A VW tem mais, com sua Saveiro podrona. :)

              Se ainda fosse um fiorino furgão, eu concordaria hehehehe :D

      • Fernando Bento Chaves Santana

        O Freemont foi um bom teste para saber se tem gente disposta a comprar um FIAT de mais de 90K. Além disto muitos atuais proprietários da Strada Adventurer devem estar interessados em comprar um produto que represente um up-grade em relação ao que possuem.

        • Pedro Rocha

          Eu quase comprei uma Strada Adventure por falta de opção, pois precisava de um veículo para uso urbano e para encarar estradas de terra nos fins de semana por conta do locker, que era o que mais perto chegava da Pampa 4×4.
          Desistir por causa do preço absurdo cobrado por tão pouco. Com o Stradão a coversa será outra: 4×4, câmbio AT9, espaço interno de sedan médio e, principalmente, motor a diesel.

          Que todos os carros em Banânia são caros é fato e já que é para gastar dinheiro, gastemos em algo que vá nos atender por 6 ou 8 anos.

          • leomix leo

            Apesar de não gostar dos carros da fiat, me parece que esse vai sacudir o mercado, posso esta enganado, mais acho que vai ser um ótimo carro…

      • Leandro

        A Fiat tem muita credibilidade em veículos comerciais…. acumulada de muito tempo. Daí pra uma pick-up é um pulo. Outra coisa: Diesel é essencial nesse segmento. Ela sendo menor, e diesel ao preço das concorrentes maiores flex…. muita gente vai se interessar.

      • Wally

        Mas quando você coloca “diesel” e “preço” na mesma frase, você conquistou uma belíssima fatia do mercado brasileiro… Esse é o ponto..

        Por isso que muita gente credita o sucesso ao Renegade, mesmo antes do lançamento, devido ao conjunto motriz e o preço acessível..

        Imaginar comprar um carro diesel super potente, com 9 marchas e ainda mais barato que IX35, Sportage, ASX. E aqui pra nós a Renegade não deve nada a esses carros não. Somente um pouco de capacidade do porta-malas, para quem não vai carregar muita coisa, ix35 e Sportage deixariam de virar opção facilmente. Já o ASX é pequeno mesmo, o segmento dele era pra ser o mesmo do EcoSport, como é no exterior.

  • homer j. simpson

    acabar com a concorrencia mas ela vai ser unica na categoria

  • fabriciosenna

    Impressão minha ou já é a carroceria definitiva?

    • André M

      Sim, também pensei isso.. O interessante também é que está com as rodas de liga do Renegade, deve realmente compartilhar muitas peças com ele.

    • Maycon Farias

      Também acho kk

    • Adam Lewis Charger

      Impressão sua, essa é uma mula de testes, lanterna de Strada a frente é do Linea

      • Gyraia

        nem tem foto da frente, como você pode afirmar isso?

        • Adam Lewis Charger

          O desenho parece o mesmo das outras mulas que apareceram por ai

  • Willian

    Se tiver o porte da antiga peugeot 504 vai ser PERFEITA. hoje as medias são grandes de mais… lembrando o porte da primeira S10, ideal para trabalho !

    • Pedro Rocha

      Concordo. As picapes médias ficaram muito grandes e criaram uma lacuna entre elas e as compactas.
      Oroch e “Stradão” vão ficar no meio termo e atender aos que precisam de uma picape 4×4 para o fim de semana e um veículo versátil para a cidade nos dias úteis. Em outras palavras, uma picape que caiba na vaga do prédio/condomínio/trabalho e ainda encare uma estrada de terra enlameada.
      Além disso, muitas empresas estão subutilizando picapes médias por falta de opção. Creio que serão carros bastante adotados por brigadas de incêndio e empresas de telefonia/manutenção, já que as compactas com cabine dupla não são adequadas para 4 adultos.

    • mjprio

      Estou de acordo com vc, acho que ela tem o porte da finada 504, não da antiga S10. Pode estar igual é na altura do solo

  • Pedro Rocha

    Fora as rodas, a ausência de rodo-ar e as lanternas, alguém percebeu mais alguma diferença em relação à outra mula?

    http://www.noticiasautomotivas.com.br/flagra-picape-media-da-fiat-e-flagrada-em-versao-cabine-dupla/

  • Lucas Fernando

    Acredito que fará sucesso, tanto quanto a Strada.

  • Fabrício

    Essa será a nova picape Jeep Comamnche !

    • Pedro Rocha

      Disseram alhures que seria a RAM 1000, sendo que a Strada já é vendida no México como RAM 700.
      A plataforma do 500X/Renegade até pode se passar por RAM, por já ser algo melhor e adotado pela Jeep. Entretanto, como já disse em outros posts, estampar a marca RAM numa Strada é o mesmo que escrever “Caterpillar” numa enxada.

      • Fabrício

        Acho mais viavel pelo menos no mercado nacional ser um veiculo JEEP. Assim tera uma penetração muito maior e também no concorrerá diretamente com os veiculos FIAT

      • Marco Antônio

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk “Entretanto, como já disse em outros posts, estampar a marca RAM numa Strada é o mesmo que escrever “Caterpillar” numa enxada.” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Sorrindo eternamente.

        • Antonio De Julio

          Infelizmente, foi muito elogiada em blogs automotivos gringos, para choro dos haters,,,

          • Pedro Rocha

            Deixa ela ser testada no Latin NCAP. Pelo preço que cobra o AB4 opcional do Palio deveria ser de série nela.

  • Debraido

    Ja abandonou a partes da carroceria do Linea. Já devem estar testando a definitiva.

    • Pedro Rocha

      Pensei nisso também. Não sei se é o ângulo ou a mula parece ser mais “quadrada” que a carcaça de Linea usada outrora, além das lanternas parecerem ser as definitivas e as rodas aparentemente maiores.

      • Debraido

        Da para ver que está com uma camuflagem bem pesada. Mas se olhar bem os retrovisores entregam que não esta mais utilizando as portas do Linea. Eles estão localizados junto à coluna A e não mais abaixo da janela do motorista, como no Linea e Punto.

      • Raimundo M.

        As lanternas são da Strada. O aspecto mais quadrado na frente deve ser justamente para esconder a carroceria definitiva, pois a mula anterior que usa a frente do Linea por si só não tinha como especular como será o veículo de fato.

        Eu espero a Fiat não inventar de colocar a tampa com caçamba com abertura lateral bi-partida como é nos furgões. Esse tipo de abertura não é ideal para picapes, pois na necessidade de colocar algum objeto grande que legalmente fique até o limite da carroceria, para-choque, a abertura lateral irá compromoter isso.

    • Leandro

      Está muito mais camuflada. provavelmente é a carroceria definitiva.

  • Renan

    O que será uma coisa “compacta-grande”? Mais um termo do país que tem compactos maiores que médios?

    • 0terceiro

      No inglês há a palavra “fairly”, que como uma professora me explicou uma vez, é
      “um pouco mais que ‘um pouco’, mas muito menos que ‘muito'”.

      Acho que podemos chamar essa categoria de fairly-medium
      kkkkkkkkkkkkkkk

    • Pedro Rocha

      O ideal seria o Brasil adotar uma classificação como nos EUA, com base em especificações técnicas: http://en.wikipedia.org/wiki/Truck_classification

  • Fernando Bento Chaves Santana

    São as primeiras fotos com a carroceria definitiva. Aparentemente está bem proporcionada. Aparente ser bem larga em relação a altura, não tem o aspecto “magricela” do Linea e também não tem rodas pequenas em relação ao tamanho da carroceria. São dois pontos positivos para um visual interessante.

    • Vinicius Ramos Prucoli

      É verdade!

    • Leandro

      Foi desenvolvida desde o princípio como uma pick-up. O mínimo que devem fazer é acertar a proporção visual.

      • Pedro Rocha

        Por isso o motor diesel: a Fiat sabe como a banda toca por aqui.

        Enquanto isso, a Oroch vai ser uma picape compacta do Duster/Sandero, cujos diferenciais de mercado serão o tamanho e o 4×4. Por ser um projeto adaptado como as compactas, não terá motor a diesel por não atender as especificações brasileiras.

  • Gian

    É com certeza um segmento novo que faltava.

    As “médias” já viraram “grandes” e distanciaram muito das “pequenas”.
    E as “grandes” viraram caminhões, como a RAM 2500.

    • Marco Antônio

      kkkkkk umas coisa que não dá pra entender no BR. hueheuh

  • Espero que coloquem o dual vvt na gambi do 1.8 e torq

    • Gustavo73

      Não colocaram no Renegade, acho difícil colocarem na nova picape.

  • FranciscoAdrianoSilva

    Fiat mais uma vez criando moda para movimentar o mercado.

  • Luiz

    Já mandei inúmeras fotos dessa camionete pro site, não tiveram a capacidade de postar.

    • Netovski

      Deve estar mandando pro e-mail errado ou algo assim, porque já mandei e-mail e eles respondem.

    • Pedro Rocha

      Eu passei a acompanhar um outro site que estava fazendo uma cobertura “especial” dessa picape, dizendo até que estavam com um repórter em Pernambuco.
      Mas o NA foi o primeiro a mostrar a Stradão com a carcaça definitiva.

  • Gustavo73

    A Fiat foi bem inteligente em ver a lacuna entre as compactas, que mantém o mesmo tamanho a bastante tempo e as médias que cresceram bem. Com uma plataforma nova e a possibilidade de ser a diesel e 4×4 terá uma boa vantagem. A Oroch será só a gasolina apesar de também poder ser 4×4.

    • Raimundo M.

      A Oroch pode ter opção a diesel 4×4, como o Duster também. Não é complicado fazer. Na teoria, o Renegade com um câmbio de 9 marchas, terá a primeira marcha curta, há o 4×4 sob demanda (4WD Auto) ou permanente (4WD Lock), sem esquecer do controle de tração que auxilia como caixa redutora por elevar a capacidade de tração.
      No caso do Duster e Oroch, o sistema 4×4 existe nas mesmas condições do Renegade, só que limitado por não ter os modos de tipo de terreno nem o de redução (4WD Low). Bastaria com o motor a diesel instalar a caixa de marchas de seis marchas manual, só que com a 1º marcha reduzida e implantar o controle de tração, que pode vir junto com ESP de série.
      É a receita para a Renault poder vender sua picape e passar a ofertar no seu suv a motorização a diesel.
      Agora, é possível que Renault como outras esperem a reação do Renegade a diesel para se convencerem que há demanda para este tipo de motor no segmento dos compactos.

      Detalhe: a picape FCC4 como a Oroch não devem suportar 1ton de carga, então não poderiam ser vendidas com o motor a diesel e tração 4×2. Teriam que trabalhar em cima da tração 4×4 para viabilizar essa motorização, e, a priori, a da Fiat parece no caminho certo, pois no Renegade será ofertada.

      • Gustavo73

        Poder pode, mas pelas notícias não vai sair agora assim. A Fiat já vai, por partilhar o powertrain com a Renegade. A Renault poderia fazer como você disse. Mas é um gasto a mais para um único produto. Só se ela decidir bancar um Duster diesel, mas ela tem algum diesel 4 cilindros disponível aqui na região? É uma vantagem mesmo que só no início. Agora elas tem que equilibrar os preços frente a médias. Como a Renault não tem uma compacta ela poderia fazer um modelo de entrada que invada os preços da Strada. É uma categoria “nova”, vamos ver como as duas vão posicionar seus produtos.

        • Raimundo M.

          No caso da Oroch, a Renault pode invadir preço da Strada, pois normalmente picapes são mais em conta que suas variantes suvs. Embora a picape siga lógica inversa, o suv deu origem a picape, mantendo comportamento de mercado, a Oroch teria que custar menos que o Duster, e nessas condições, ela poderia ter preço similar a Strada Adv CD, dando vantagem ao produto francês.
          Na Fiat muda a situação, pois existe a Strada como limitador inferior, então não faria sentido a Fiat ofertar a FCC4, que é maior, quatro portas, mecânica atualizada, interior possivelmente mais sofisticado, vai que copie o novo estilo do Renegade/Cherokee/Dart/Viaggio/500X/500L, a preço abaixo do Renegade e isso implicaria em preço muito próximo a versão top da Strada.
          Sobre a oferta de motor a diesel na Renault, não há aqui, mas na Europa tem o 1.5 dCi de 110cv com caixa MT6, ESP/ASR (controle de tração), além de outros mais potentes com 130cv, 150cv, 160cv e 175cv utilizando caixa de marchas manuais ou automatizada de dupla embreagem, ambas com seis marchas. Nosso mercado pode forçar a Renault tanto no Duster quanto na Oroch ofertar agora ESP, nem que seja opcional. O motor diesel como uma caixa de marchas mais eficiente dependeria de viabilidade, mas munição a Renault tem.
          O Duster no exterior é ofertado com 4×4 e o 1.5 dCi de 110cv + ESP/ASR (obrigatórios).

          • Pedro Rocha

            Munição a Renault tem, mas não vejo interesse deles em fazer algo que preste na América do Sul. Essa marca foi a primeira que vi regredir de câmbio AT4 para automatizado monotranco (Logan e Sandero) e não vai trazer nenhuma evolução mecânica junto com o facelift do Duster. Ouvi um rumor que a Oroch teria na versão TOP o motor turbo do Fluence GT, mas tudo indica que isso não procede.

            Com base no que estão fazendo, a Renault vai copiar sua prima Peugeot com o 2008 AT4 e vai lançar um produto inferior à concorrência.

      • Pedro Rocha

        Li em algum lugar que a Stradão vai conseguir carregar 1000Kg na versão cabine simples, pois a Fiat focou na questão do motor a diesel.

        Se isso vai proceder, só saberemos quando forem disponibilizados os dados técnicos do projeto.

      • Considerando que até o Lifan Foison 1.3 tem capacidade de carga equivalente a 700 kg e a finada Peugeot 504 carregava entre 1 tonelada e 1.5 tonelada, acredito que ambas poderão ser capazes de aguentar 1 tonelada de carga. Resta saber como os fabricantes Renault e FCA vão dimensioná-las.

        O Duster também possui versão 4X4, e logicamente a Orosh também terá.

  • Diggo

    Os testes estão longos, espero que saia coisa boa.

    • Pedro Rocha

      Chegaram a despachar uma mula para a Suécia! Mesmo assim, é melhor esperar um pouco para ver os comentários dos donos.

      Sou potencial comprador dessa Stradão, mas vou aguardar até 2017 para comprar uma. Pode ser que a Jeep traga o Wrangler a diesel em 2016 e eu mude de ideia também.

      • Diggo

        Um Wrangler a diesel vai custar pelo menos uns R$120mil a mais que a “Stradona”.

        • Pedro Rocha

          Essa picape na versão TOP deve chegar a 110K como dizem que será o preço do Renegade Trailhawk.
          O Wrangler atual é vendido a 160K. Se a diferença de preço entre gasolina e diesel for a mesma do que na RAM 1500 (US$3K), o Wrangler a diesel, teoricamente, chegaria por aqui a 170K.
          Entretanto, com o PT destruindo nossa economia, nem dá para calcular direito essas coisas. É esperar e juntar dinheiro.

  • AndersonRomeiro

    Vai entender a FIAT, aí essa picape vai ter preços de S1O e Ranger….

  • heliofig

    Agora está ficando com cara de pick-up.
    Parece que tentaram colocar a lanterna traseira na coluna D (kkkkk como se pick-up tivesse uma…). Ficou uma traseira muito alta. Estilosa, mas fica ruim de visão traseira.

  • Brave_Jaguar

    Picape da Fiat?: “Fui iludido, agora é tarde”.

    • XXRS

      Acho que não mais que quem comprou uma VW Amarok e viu a correia quebrar com 5 mil km e a VW dizer que é normal.

    • Antonio De Julio

      Minha Strada durou 12 anos e felizes 120.000kms. Não posso reclamar em nada dela, pelo contrário. Usei e abusei da bichinha…

  • Pedro Paulo ()

    Já pensou se o desenho dela for baseada no Renegade???
    Frente de Jeep Renagade e carroceria de Pick-up…
    Eu acho que vai ser mais ou menos isso.

  • daniel germano

    Estou bastante curioso pra ver picape da fiat!!!. Vai morar muito ??.

    • Pedro Rocha

      Lançamento previsto para outubro/15, segundo rumores. Agora que já estão testando a carroceria definitiva, tudo indica que não deixarão a Oroch sozinha no mercado.

      • daniel germano

        Obrigado!!!.

  • Aristeu Junior

    Do jeito que tá o preço da Strada Adventure, essa ai vai ser mais cara que Frontier, L200, S10, Ranger…

    • Raimundo M.

      A Strada Adv CD 3P, de fato, está cara, mas vendo que o Renegade Sport não é tão completo como poderia em termos de itens de segurança, e o preço deve partir dos R$ 70 mil, eu não estranharia a FCC4 ter preço inicial similar ao Renegade, que estaria abaixo da médias, inclusive a flex.
      As médias com motor a diesel e câmbio AT tem preço a partir de R$ 110 mil, e não são versões completas. Se realmente houver um bailizamento de preço entre a picape da Fiat e o Renegade, a FCC4 top de linha diesel com 170cv, 4WD e AT9 custaria o valor das versões de entrada das médias.

  • pedro rt

    as lanternas sao da strada e as rodas do renegade

  • pedro rt

    parece q vai ficar muito interessante essa picape, dela vao vir mais 2 derivados o suv compacto q sera sucessor da weekend/idea e um suv medio substituto da freemont

    • Raimundo M.

      Isso é especulação. De acordo com o planejamento da FCA e algumas fontes de Pernambuco, o suv seria o sucessor de Compass e Patriot, o que faz sentido, pois este está mais para médio compacto do que médio como é o Freemont. Outra é que plataforma do Freemont/Journey é diferente, daí alguns especulam que essa picape da Fiat usaria a plataforma do Dodge e não da Fiat que faz Renegade e 500X.
      O planejamento demonstra autonomia e diz que a Fiat da America Latina terá um B-CUV, crossover, mas pode não ser o 500X como outros especulam e seria motivo da permanência das unidades de testes flagradas. A Fiat pode desenvolver um suv exclusivo para o mercado local, que estaria mais para sucessor da Palio Wkd. A Ideia é um monovolume e há produtos no mercado como C3 Picasso, Fit e Livina. Se ela quiser, poderia trazer o 500L FL, ou novamente, desenvolver um novo monovolume, exclusivo, mais simples que o 500L, com opção de sete lugares até, como fez a GM matando Zafira e Meriva que evoluíram muito lá fora preenchendo a vaga delas com a Spin feita na mesma base do Corsa europeu que dá origem ao Prisma, ao Onix e ao Cobalt.
      Agora, eu retomo uma especulação antiga quando a nova fábrica seria em Pernambuco e fariam cinco produtos nela, entre eles especularam sucessores do Linea e Bravo.

      Atualmente, a Fiat teria como opção aos dois Viaggio e Ottimo, cuja base é a mesma do Cherokee e Dart. O suv médio da Jeep a ser feito em Pernambuco, que seria derivado da picape em plataforma, embora sugeriram em design também, se usasse base de veículo médio, essa base de médio poderia suceder Compass/Patriot ou Freemont/Journey.

      Com uma base maior, de veículo médio, a unidade pernambucana faria um Jeep médio entre Renegade e Cherokee, a picape de porte médio compacto ou compacto-grande, opção ao Linea e ao Bravo. O primeiro, se quisessem, ofertariam o Dart que teria mais status com o logo Dodge. O planejamento prever num novo sedan e sw de porte médio, que não seria o Viaggio para o primeiro, e talvez este poderia aqui substituir o Linea. O hatch podeveria ficar para a futura geração do Ottimo.

  • Luís Gustavo de Barros

    Retorno da Dodge Dakota?

    • Raimundo M.

      Agora seria RAM Dakota, pois as picapes da Dodge passaram a ter marca própria, divisão RAM. Se haverá retorno da Dakota, não dá para saber por alguns motivos;
      – quando a Fiat começava a comprar a Chrysler, diziam que uma nova picape média, não compacta, para ter custos menores, poderia depender de montagem monobloco ou por plataforma, o que estamos vendo na FCC4;

      – a FCA ressuscitar a Dakoga como variante da FCC4 não teria concorrente no mercado norte americano, pois é uma picape compacta e não média como a Chevrolet Corolado, nossa S10. Entraria em questão se este mercado aceitaria produto menor em terra de gigantes;
      – a Dakota poderia voltar com a especulação da picape média da FCA teoricamente baseada na Mitsubishi L200 NG.

      • Pedro Rocha

        Segundo rumores, essa picape Fiat seria vendida como RAM 1000 em outros mercados, provavelmente México (onde já existe a pseudo-RAM 700) e EUA.

        A RAM 1500 é pouca coisa maior que uma picape considerada média no Brasil. Não sei se haveria espaço para o retorno dela: http://www.therangerstation.com/wp-content/uploads/2014/03/ranger_t6_dodge_ram.jpg

      • Luís Gustavo de Barros

        Hmm não sabia disso… interessante

  • Marllon Batista

    A Ford perdeu a oportunidade de ser vanguardista nesse segmento. Se ela tivesse lançado a picape do EcoSport na geração passada (como chegou a ser cogitado pela mídia) com certeza seria líder nesse segmento a exemplo do EcoSport que tem seu público cativo desde o lançamento.

    • Pedro Rocha

      A picape Ecosport seria uma compacta como as outras, com a diferença de ter opção 4×4. Nesse quesito, a Ford já é pioneira com a Pampa 4×4.

      Oroch e FCC4 criarão um novo segmento, pois mesmo as picapes médias antigas (menores) eram picapes convencionais, enquanto os lançamento das Renault e Fiat serão picapes monobloco. Como serão menores que a Honda Rigdeline (uma picape média monobloco), será inaugurado um nicho inédito de picapes “média-compactas” ou “compacta-grande”, algo semelhante ao que ocorre com Versa, Cobalt e Grand Siena nos sedãs (ficam entre os compactos e os médios).

      • Marllon Batista

        Não vejo muita diferença de porte entre uma picape derivada do Duster e uma derivada do EcoSport ou Renegade (A picape Fiat provavelmente usará essa plataforma) Sendo que os 3 são concorrentes. A maior diferença entre Duster e EcoSport é o balanço traseiro que no Duster é maior e os paralamas exageradamente grandes para dar sensação de maior tamanho. Uma picape derivada de um suv ou hatch tem a porção traseira do monobloco totalmente refeita para adequar às solicitações de carga e espaço. Portanto, pessoalmente acho que a Ford dava pra ter puxado essa turma de picapes pequena-médias.

  • Offline_Mode

    Isso nao pode desvalorizar o Renegade? Por usar praticamente tudo do Renegade?

  • Fernando

    Uma Strada com esteróides, lanterna traseira lembra um pouco mas se ficar bonita e vir com um motor a diesel pode ser que venda bem é lógico que vai depender do preço que com certeza vai ser caro.

  • Renan Silva de Oliveira

    A frente dessa picape se parece muito com a do Linea eu vi os farois e um pedaço da grade e lembram muito o Linea